Ipojuca 2021 IPTU

23/01


2021

Uma nação acéfala

Por Weiller Diniz*

O isolamento do capitão vai se adensando. O impeachment voltou a ser reverberado, reacendeu manifestações e afinou as panelas. Os desastres em todas as áreas vão empilhando derrotas ao governo. As apostas de Bolsonaro, internas e externas, malograram. Seus comparsas da direita perderam as eleições pelo mundo, no pleito municipal em 2020 o capitão foi o grande derrotado, a economia está destruída e Bolsonaro acaba de intubar seu maior fiasco na guerra das vacinas.

Perdeu no tom, no marketing, na estratégia ideologizada, no timing e na condução da crise, onde se esmerou em sabotar a ciência e debochar das milhares de mortes. Com gabinete do ódio, impulsionamentos em redes sociais, mentiras e bravatas de ruptura, o ajuntamento governamental não consegue mais camuflar a inépcia generalizada, responsável pela necrópole assustadora e a proscrição mundial de uma Nação.

Na política externa Bolsonaro fracassou e as consequências são funestas. O capitão apostou errado nas eleições da Argentina, Bolívia, na Venezuela e no plebiscito chileno. Soçobrou com Donald Trump, repelido pelas urnas. Depois de ceder em tudo na relação vergonhosa e servil aos EUA, transformando o Brasil em um pária global, o capitão perdeu um falso aliado e a referência mundial da direita hidrofóbica e extremista. A diplomacia brasileira foi esfolada. Bolsonaro ameaçou usar “pólvora” contra Joe Biden, recém-empossado que dará o troco, como a China fez. A selvageria golpista de apoiadores na saída de Trump, barbarizando o Capitólio, ainda contou com o endosso do capitão que, macaqueando o método, resgatou a tática de nutrir sua base com fanfarronices golpistas no cercadinho da estrebaria do Alvorada.

O resultado do desastre internacional é mais trágico e mais eloquente na pandemia. Em nome da vassalagem aos EUA, Bolsonaro, os filhos, ministros e ex-ministros dispararam agressões gratuitas contra a China que usou o “V” da vingança e obrigou Bolsonaro a ajoelhar para regularizar o repasse de insumos para produção das vacinas. As ironias, gracejos preconceituosos, racismo, xenofobia, acusações infundadas já refletem num custo muito alto, pago com vidas de inocentes. O governo afastou o Brasil do estratégico BRICs e a Índia, inicialmente, priorizou a exportação do imunizante de Oxford para países asiáticos. Saímos do fim da fila indiana depois do castigo inicial. Para buscar 2 milhões de doses na Índia foi montada uma farsa adesivando um avião. Mentem como método, mentem como os nazistas.

O saldo da indefensável ideologização da diplomacia é que o Brasil está brigado com as 2 maiores potências mundiais: China e EUA. O fornecimento de insumos para as vacinas está ameaçado e o auxílio de oxigênio veio do país que Bolsonaro considera inimigo, a Venezuela, inúmeras vezes hostilizado pela seita. As mortes por asfixia no Amazonas e no Pará evocam as câmaras de gás dos campos de concentração nazistas e jamais serão esquecidas. A vacina russa, registrada em 8 países, foi negada, mas a cloroquina inútil foi recomendada por protocolos do Ministério da Saúde. O Brasil não fez nenhum pré-acordo com a vacina da Johnson & Johnson, prestes a ser aprovada nos EUA. Não temos vacina. Temos tubaína, cloroquina e uma latrina verborrágica.

O histórico do obscurantismo, do escarnecimento e desdém com as vidas é vasto em zombarias. Desde o primeiro dia o capitão minimizou inúmeras vezes a gravidade da doença, provocou e estimulou aglomerações, organizou churrascos, ofendeu os brasileiros chamando-os de “maricas”, conspirou contra a ciência e, ilegalmente, ainda hoje prescreve medicamentos sem eficácia contra a Covid-19. Na batalha das vacinas, derivada da ignorância e despreparo, perdeu todas. Um Aníbal Barca às avessas.

O Ministério da Saúde desprezou o imunizante da Pfeizer, o primeiro a ser aplicado no mundo com taxas elevadas de sucesso e segurança. Quanto ao mesmo imunizante disse: “Se você virar um jacaré, problema seu”. A aposta única, mal conduzida, foi na vacina de Oxford que atrasará ainda mais. Em pelo menos 10 oportunidades Bolsonaro detonou a Coronavac produzida pelo conceituado instituto Butantan, numa irresponsabilidade genocida. Eis o breviário da incúria e da mais abominável abjeção.

“Nós entramos naquele consórcio lá de Oxford. Pelo que tudo indica, vai dar certo e 100 milhões de unidades chegarão para nós. Não é daquele outro país não, tá ok pessoal?”(julho/2020); “E o que é mais importante nessa vacina, diferente daquela outra que um governador resolveu acertar com outro país, vem a tecnologia pra nós”(agosto/2020);“Vacina chinesa de João Dória”(setembro/2020);“Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade”(outubro/2020 desfazendo a compra de 46 milhões de doses);“A da China nós não compraremos, é decisão minha. Eu não acredito que ela transmita segurança suficiente para população.

A China, lamentavelmente, já existe um descrédito muito grande por parte da população, até porque, como muitos dizem, esse vírus teria nascido lá” (1 dia depois do cancelamento da compra); “Ninguém vai tomar sua vacina na marra não, tá ok? Procura outro. E eu, que sou governo, o dinheiro não é meu, é do povo, não vai comprar a vacina também não, tá ok? Procura outro para pagar a tua vacina aí” (A João Dória em outubro/2020); “Morte invalidez, anomalia. Esta é a vacina que o Dória queria obrigar a todos os paulistas tomá-la. O presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha” (novembro/2020, sobre a morte de um voluntário sem relação com os testes); “A eficácia daquela vacina em São Paulo parece que está lá embaixo” (dezembro/2020); “Essa de 50% é uma boa?” (janeiro/2021); “Desmoralizado pela baixa taxa de sucesso” (janeiro/2021); “A vacina é do Brasil, não é de nenhum governador” (janeiro/2021).

A incompetência e idiotia desinibiram-se na pandemia. Se transformaram em colapso, caos, expondo ao ridículo mundial o atrapalhado general de 3 estrelas que desmoraliza o Exército. A caserna virou uma caverna. Ressuscitaram o obscurantismo, revelando ogros, trogloditas, brucutus e outras bestas primitivas.

O despreparo, insegurança, truculência e a mentira sobressaíram nos chiliques fardados. “A senhora nunca me viu receitar ou dizer, colocar para as pessoas tomarem este ou aquele remédio”, afirmou Eduardo Pazuello sobre o uso da cloroquina e outras inutilidades. São inúmeras as manifestações de Bolsonaro, Pazuello e Ministério da Saúde enaltecendo o medicamento.

A publicação do MS incentivando o “tratamento precoce” recebeu um alerta no twitter por disseminar informações falsas ou enganosas. As fotos irracionais do capitão com caixas de cloroquina, inclusive para as emas, são eternas, insanas e inexplicáveis.

Na economia a inflação ressurge ameaçadora, o desemprego atinge índices recordes e estratosféricos, o capital privado escafedeu-se, o real derreteu como moeda, a dívida pública explodiu e as empresas vão fechando as portas diante da abulia governamental que insiste no ilusionismo do crescimento em “V” enganoso. O fim do auxílio emergencial, que maquiou um PIB medíocre, já começou a afetar negativamente a popularidade de Bolsonaro na virada do ano. O fechamento das atividades da multinacional Ford, há mais de 100 anos no Brasil, engrossará a massa de desempregados e o desdém governamental contribuiu para o desfecho trágico para os trabalhadores e suas famílias. Antes já tinham encerrado as atividades por aqui a Mercedes, Sony, Audi, entre outras.

O próprio Bolsonaro, viciado em leviandades, chegou a anunciar em suas vadiagens pelas redes sociais que a Argentina perderia 3 grandes multinacionais após a eleição de Alberto Fernandez. Honda, L’Oreal e MWM iriam fechar suas atividades no país vizinho e migrar para Brasil: “A nova confiança do investidor vai gerar mais empregos e maior giro econômico em nosso país”, mentiu em 2019 com o despudor inconfundível. Pouco mais de um ano da mentira, a “confiança” da Ford fechou mais de 6,5 mil empregos diretos no Brasil e manteve-se na “inconfiável” Argentina, que aprovou recentemente imposto sobre grandes fortunas, apresentado como fantasma que afugentaria investidores. Mas exportamos abacate para Argentina, celebrou Bolsonaro.

Internamente, no primeiro teste eleitoral após 2018, o fiasco nas eleições municipais foi ensurdecedor, com reveses individuais e políticos. Todos os candidatos que tentaram explorar a logomarca Bolsonaro fracassaram, inclusive a fantasma Wal do Açaí e Rogéria, ex-mulher e mãe da prole problema (01,02 e 03). O 02 se reelegeu vereador, mas perdeu 34% dos votos desde a última eleição. Jagunços que basearam a campanha no ideário bolsonarista (capitão, major, coronel, delegado, juiz etc.) malograram.

O capitão pediu votos para 5 candidatos em capitais: São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Manaus e Rio de Janeiro. Os eleitores nessas capitais somam 18 milhões de votos. Os nomes de Bolsonaro só alcançaram 1,5 milhão de votos, menos do que 10% do total no 1 turno. Apenas 1 avançou para o 2 turno e foi derrotado.

A direita escolheu um quadro tosco para tentar se reabilitar no Brasil. O resultado é a ameaça recorrente à democracia, retrocessos civilizatórios, morticínio, mitificação da ignorância, banalização da barbárie, apologia a facínoras e carniceiros, reiteração da mentira, charlatanismo, impunidade para amigos e parentes, promoção das milícias e canonização do banditismo. Depois dos fracassos anteriores, o próximo round é a eleição no Congresso Nacional. Sem resistências, sem a defesa da ordem jurídica ele seguirá, mesmo agônico, por mais 2 anos em conspirações. Exatamente como fez o ícone Donald Trump. Se derrotado, o impeachment se avoluma.

Além das pregações golpistas, bravatas contra os Poderes constituídos e crimes de responsabilidade, outras premissas para o impeachment estão postas: economia em frangalhos, isolamento mundial, incapacidade de governar, inexistência de agenda e perda gradual de popularidade. A conjunção desses fatores não evitou a queda de Fernando Collor de Mello e Dilma Roussef. Ambos tinham os corsários do centrão ao lado. O Brasil se tornou uma ilha anacrônica de imoralidades, malfeitos, embustes, extremismos, infâmia, incúria, irracionalidade, golpismo e desalento. A Democracia, em longe do que diz Bolsonaro, não é uma liberalidade das Forças Armadas; é um princípio constitucional. Ao contrário de 1964, agora a Nação está, de fato, acéfala.

*Jornalista. Texto publicado originalmente no site Os divergentes.


Email

Comentários

gilson

Quem é pior, o Bolzo, ou quem ainda o defende? Esqueçam o PT, EXISTE VIDA EXTRA PT. Este incompetente está destruindo o país, e estes IMBECIES não percebem, esqueçam o PT, e analisem este incompetente, deixem de fanatismo.

VACÉLY WACEMBERG SANTOS DUARTE

Um idiota esse pseudo escritor!

marcos

Onde estava esse idiota Weiller Diniz no governo Dilma? A Jumenta referenciava a mandioca , estocava vento e via a figura de um cachorro nas crianças, e ele nunca publicou porra nenhuma. O choro é livre Diniz.

Fernandes

É verdade, acéfala!

Jose Roberto Correia de Jesus

Menos Magno... Estsmos firme com Bolsonaro... Isso aí é dor de cotovelo... inveja pura...


Petrolina abril 2021

Confira os últimos posts

18/04


2021

Advogado denuncia falta de oxigênio em Pesqueira

Em Pesqueira, no Agreste pernambucano, o advogado João Prudêncio gravou um vídeo, denunciando falta de oxigênio no Hospital Lídio Paraíba. A situação acende o alerta no sistema de saúde da cidade. Outras reclamações também estão surgindo entre a população, como a de falta de médicos nas UBS.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

ALEPE

18/04


2021

Profissionais de saúde em campanha de prevenção à Covid

Diversos profissionais de saúde integram a campanha #CanceleaCovid, que busca conscientizar a população sobre a importância de medidas de distanciamento social, uso de máscara e cuidados com a higiene para evitar o contágio da Covid-19. No ar desde o final de março, a ação segue nas redes sociais.

Entre os nomes que aparecem em um vídeo, estão o médico cardiologista Roberto Kalil, o presidente das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Edson Rogatti, o diretor de Medicina da USP, Tarcísio Barros, e a diretora-presidente do Hospital Santa Marcelina, Irmã Rosane Ghendi.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Bandeirantes 2021

18/04


2021

Opas: NE e PE têm menores taxas de mortalidade por Covid

O estado de Pernambuco e a região Nordeste registraram os menores índices de mortalidade por Covid-19 do Brasil em relatório da Organização Panamericana de Saúde (Opas), divulgado na última sexta-feira (16). Os dados da publicação foram analisados pelo governador Paulo Câmara (PSB) e pelos integrantes do Gabinete de Enfrentamento ao Coronavírus, na manhã de hoje.

De acordo com o documento da Opas, nos últimos 30 dias, Pernambuco registrou um índice de mortalidade de 16,5 casos para cada 100 mil habitantes. Menos da metade da média nacional, que foi de 39,2 casos para cada 100 mil habitantes. Já a taxa de mortalidade do Nordeste ficou em 25,1 casos por habitante, abaixo das regiões Norte (29,1), Sudeste (42,8), Centro-Oeste (56,6) e Sul (55,7).

“Ainda temos um longo caminho pela frente nessa batalha contra a Covid-19. No entanto, um levantamento como esse mostra que só uma combinação de ações como ampliação da rede de saúde com leitos de enfermaria e terapia intensiva, medidas restritivas e vacinação são capazes de reduzir a quantidade de vítimas da doença”, avaliou Paulo Câmara.

O secretário estadual de Saúde, André longo, ressaltou que as medidas restritivas foram retomadas em Pernambuco desde dezembro de 2020 e destacou que, do início de março até agora, foram abertos mais de 600 novos leitos de UTI em todas as regiões do Estado. “Nossa rede de saúde conta, hoje, com 1.611 leitos de terapia intensiva para pacientes com Covid-19, em 17 municípios. Um esforço que só se tornou possível com todas as áreas do governo priorizando a saúde da população”, afirmou Longo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


18/04


2021

Léo do Ar é o novo presidente da UVP

O presidente da Câmara Municipal de Gravatá, Léo do Ar (PSDB), venceu as eleições para a Presidência da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP). Ele recebeu 422 votos.

O tucano desbancou os vereadores Zé Raimundo (PP), de Serra Talhada, e Welber Santana (MDB), de Carnaubeira da Penha. O pepista, visto como o principal concorrente, teve 300 votos, já Santana obteve 204.

Léo do Ar foi apoiado pelo atual presidente da UVP, Josinaldo Barbosa (PTB), e pelos deputados federais Eduardo da Fonte (PP) e Sebastião Oliveira (Avante). Já Raimundo tinha o suporte do ex-prefeito de Triunfo João Batista (PSB), que chegou a presidir a UVP. 

Ao todo, 1.291 filiados à instituição estavam aptos a participar da eleição, mas 358 se abstiveram. Dos 933 votantes, apenas sete anularam o voto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Serra Talhada 2021

18/04


2021

Harvard aponta Ceará como exemplo de isolamento social

Por Mirla Nobre, de O Povo

Um estudo, realizado pela Revista Science, da Universidade de Harvard, apontou o Ceará como exemplo na medida de isolamento social no combate à pandemia do novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo prefeito de Fortaleza, José Sarto (PDT), durante transmissão nas redes sociais neste domingo (18). O gestor, que acompanhou a campanha de vacinação na Capital durante esta manhã ao lado da titular da Secretaria Municipal da Saúde, Ana Estela Leite, também explicou o motivo da vacinação não estar ocorrendo para pessoas de 60 anos.

O artigo internacional, que mapeou detalhadamente a disseminação da Covid-19 no Brasil entre março e outubro de 2020, foi divulgado na última quarta-feira (14). Ele foi produzido por dez dez cientistas e coordenado pela demógrafa Márcia Castro, professora associada da Universidade de Harvard.

O estudo destaca que, entre junho e agosto, o Ceará e outros oito estados tinham incidência de mortes mais forte que de casos e aponta diferentes índices de interiorização da doença. O artigo cita que o "caos político" do Rio de Janeiro impactou em uma resposta efetiva à doença e compara a resposta do RJ com a do Ceará.

“Em contraste, embora o Ceará também tenha experienciado um quase colapso no sistema hospitalar entre abril e maio, e tenha circulação indetectada do vírus por mais de um mês antes de o primeiro caso ser oficialmente confirmado, foi o 6° na interiorização de casos, mas o antepenúltimo na interiorização de mortes”, informa a pesquisa. De acordo com o estudo, “mesmo com a circulação do vírus, as ações locais foram bem-sucedidas em prevenir mortes”.

Vacinação em Fortaleza

Durante a transmissão ao vivo do prefeito de Fortaleza, as explicações sobre a falta de vacinação para pessoas de 60 anos na Capital foram apontadas. De acordo com a titular da Secretaria Municipal da Saúde, Ana Estela Leite, a imunização deste grupo ainda não ocorreu em virtude da quantidade de vacinas. Ela destacou que as doses que estão chegando na Capital estão sendo direcionadas para aplicação da segunda dose da vacina contra Covid-19.

“Nas últimas remessas de vacinas que recebemos, grande parte dela está sendo destinada à segunda dose. O que nós temos recebido de primeira dose a gente tá seguindo essa faixa etária, de 61 até 74 anos. Ainda precisamos receber em torno de 50 mil doses para D1 para que a gente possa concluir esse público. Nosso desejo é que, em breve, alcancemos essa faixa de 60 anos”, explica Ana Estela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Wellington Antunes

\"Harvard aponta Ceará como exemplo de isolamento social.\" - Chupa essa, bozolóides.


Anuncie Aqui - Blog do Magno

18/04


2021

Roberto Freire: Cidadania segue aberto para Huck

EXCLUSIVO

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, segue com a expectativa de poder contar com o apresentador de TV Luciano Huck como candidato do partido ao Planalto em 2022. Ao ser procurado por este blog, hoje, o ex-ministro da Cultura teceu elogios ao comunicador. "O Cidadania segue com as portas abertas para Luciano Huck, isso não é segredo. Ele tem qualidades e está preparado para assumir a Presidência", declarou.

Freire também disse que Huck "está em sintonia com a questão ambiental" e concordou com a afirmação feita pelo apresentador, ontem, de que "o Brasil não deu certo", durante debate com outros presidenciáveis. Ainda na noite de sábado (17), o líder do Cidadania foi às redes sociais defender a posição de Luciano Huck, que chegou a ser rebatido por Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e João Doria (PSDB) no evento organizado por universitários brasileiros de Boston (EUA).

"O Brasil não deu certo pra 14 milhões de desempregados, 15 milhões com fome, 27 milhões na pobreza, 35 milhões sem água, 100 milhões sem esgoto, 11 milhões de analfabetos. Deu certo pros 10% mais ricos que ficam 43% da renda nacional. Huck tem razão. Vamos construir outro futuro", comentou Freire em sua conta oficial no Twitter.

Ao Blog, Roberto Freire também fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Para ele, é necessário que diversas correntes políticas se engajem em um único pedido de impeachment e reforçou a solicitação para que a Ordem dos Advogados do Brasil integre o movimento. "Já procurei o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, inclusive", realçou.

Apesar de pressionar pela saída de Bolsonaro, ele avalia que o presidente "deve entrar nos eixos" com a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a atuação do Governo Federal no combate à pandemia. "Por causa dele, o Brasil virou pária internacional", disparou.

Freire também confidenciou "desconforto" com o teor da conversa divulgada pelo senador Jorge Kajuru (GO), ex-Cidadania e hoje no Podemos, com Jair Bolsonaro: "Não havia clima para ele (Karuju) seguir no partido."

A gravação trazia uma pressão de Bolsonaro para que Kajuru levasse adiante no Senado um pedido de impeachment contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. "Não se pode pedir a saída de um ministro só porque toma uma decisão contrária ao que você deseja", concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

18/04


2021

Frente a Frente se rende ao rei

O que seria dos românticos, dos apaixonados, dos que não conseguem viver sem um grande amor se o rei Roberto Carlos, que amanhã completa 80 anos, não viesse ao planeta irrigar os nossos corações com as suas tertúlias de amor? Roberto Carlos é uma paixão ardente. Seu olhar, sua fala, seus gestos, suas palavras, tudo nele tem amor, brota emoção. 

No dia dos seus 80 anos, o programa Frente a Frente de amanhã será muito especial, dedicado à carreira do maior cantor romântico do planeta. Desde a última sexta-feira, tenho me dedicado à produção do programa, catando depoimentos dos mais famosos artistas contemporâneos do rei. 

Nascido em 19 de abril de 1941, na pequena cidade de Cachoeiro de Itapemirim, no interior do Espírito Santo, Roberto Carlos Braga, o "rei Roberto Carlos", vira oitentão figurando entre os artistas mais importantes da música brasileira.

As músicas do rei me comovem desde a Jovem Guarda. Sou apaixonado por tudo que ele canta e por isso mesmo vamos levar aos nossos ouvintes as melhores canções, os melhores momentos, grandes depoimentos. Um programa para acompanhar com um bom vinho e se emocionar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


18/04


2021

Como Governo espera que a PF ajude durante CPI

Por Lauro Jardim, de O Globo

No governo, a expectativa é que a PF o ajude numa espécie de agenda concorrente à da CPI da Pandemia. Funcionaria assim: quanto mais avançar a CPI, mais explodirão operações estridentes da PF contra governadores e prefeitos — de preferência os de oposição, claro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


18/04


2021

Veterinários pedem prioridade na vacinação contra Covid

Uma carreata organizada, hoje, por médicos veterinários da Região Metropolitana do Recife cobrou às autoridades que a categoria seja novamente inserida entre os grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19. Alguns municípios pernambucanos começaram a imunizar esses profissionais junto com outros trabalhadores da saúde, por grupos etários. Mas, segundo a categoria, o acesso à imunização foi suspenso pouco tempo depois.

O grupo se concentrou às 9h30, em frente à Fábrica Tacaruna, que fica no limite entre os municípios de Recife e Olinda. Por volta das 11h, o ato seguiu com destino a Jaboatão dos Guararapes. A carreata percorreu as avenidas Agamenon Magalhães,  Domingos Ferreira e Bernardo Vieira de Melo. Ao chegar no Shopping Guararapes, retornaram pela Avenida Boa Viagem em direção ao Derby. 

A presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE), Elisa Araujo, reforçou que os profissionais "não querem furar fila", mas desejam continuar atuando como serviço essencial com o mínimo de segurança necessário. “No início da pandemia, recebemos treinamento para que pudéssemos atuar na linha de frente da Covid, caso houvesse necessidade. Os profissionais da linha de frente têm prioridade máxima, pois cuidam de quem adoece, inclusive de nós. Queremos apenas que seja respeitada a determinação do plano nacional de imunização e que aconteça a vacinação dos médicos veterinários a seu tempo, mas não saindo da lista prioritária, visto que, desde o início da pandemia, não pararam de trabalhar", explica.

Segundo os profissionais, os médicos-veterinários foram inseridos no plano nacional de imunização do Ministério da Saúde, orientação seguida em quase todos os estados do Brasil e suas capitais. A categoria é reconhecida como profissional de saúde há mais de duas décadas pelo Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde (Resol. 218/1997) e foi retirada da lista de prioridades de vacinação contra a Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


18/04


2021

Retiro de famosos, mansão em Aldeia está à venda

EXCLUSIVO

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O produtor artístico José Carlos Mendonça, conhecido no meio como Pinga (foto), chega aos 80 anos em 2021. Querido por nomes com grande projeção dentro e fora do Brasil, o empresário sergipano adotou Pernambuco para viver durante um bom tempo e chegou a fincar raízes no bairro de Aldeia, Camaragibe, Região Metropolitana do Recife, onde possui uma mansão.

A residência já hospedou cânones da música, entre os quais Julio Iglesias e Roberto Carlos, contratado por Pinga para inúmeros shows no Norte e Nordeste. Até o rei do futebol, Pelé, foi recebido lá. Por pouco, o ex-jogador não comprou a casa, situada em um condomínio de luxo.

Hoje, Pinga coloca este imóvel à venda por R$ 3 milhões. A mansão em Aldeia está em um terreno de 2.000 m², com piscina. A área da casa compreende 798 m² e é constituída por quatro suítes. “A depender de quem comprar, pode ampliar para seis suítes”, explica José Carlos “Pinga” Mendonça.

O apelido, por sinal, veio de sua paixão pelo futebol. “Eu sou vascaíno. O Vasco teve um jogador, o Pinga, que era considerado na época um dos melhores do Brasil. Eu era fã dele. No colégio Salesiano, onde estudei, eu jogava bola e ganhei o apelido de Pinga. Não saiu mais. Não bebo, não fumo, mas continuam me chamando de Pinga”, contou a uma revista.

A mansão fica no km 13 da Estrada de Aldeia, “com escritura regularizada”, como Pinga faz questão de destacar. Essa característica de honrar os compromissos é ressaltada pelos próprios artistas, como José Augusto, ícone da música romântica.

“Quando nós nos conhecemos, eu tinha acabado de levar um tombo de um empresário safado e eu te pedi 50%. Você ficou zangado porque você já tinha a reputação de bom pagador, pessoa honesta, e eu não te conhecia”, destaca o cantor, que já fez mais de 100 shows com o empresário.

Testemunhos semelhantes dão Sidney Magal, Joanna, Elba Ramalho, Dudu Nobre, Eduardo Lages, Daniel, Cristina Amaral e tantos outros, que agradeceram a Pinga em um vídeo-homenagem (assista).

O rei da música brasileira, Roberto Carlos, também exaltou a trajetória de José Carlos Mendonça, reservando um momento no show de número 10 mil produzido pelo empresário sergipano. “Hoje eu tenho uma alegria muito especial, na verdade a honra de estar me apresentando no show de número 10 mil de um grande amigo meu e um grande amigo de todos os artistas. Esse que é um dos maiores empresários do Brasil, nosso querido amigo Pinga”, disse, dedicando “Emoções” ao produtor.

Quem estiver interessado em comprar a mansão que abrigou vários famosos em Pernambuco pode entrar em contato diretamente com José Carlos Mendonça por telefone ou WhatsApp: (71) 99194-6084.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se