28/11


2020

O balaio da política

Por Marcelo Tognozzi*

No fim dos anos 1930 dois políticos trabalhavam diuturnamente para pavimentar o caminho até a Presidência da República. O paulista Armando de Sales Oliveira fora interventor em São Paulo, nomeado pelo presidente Getúlio Vargas. Engenheiro formado pela tradicional escola Politécnica era um homem refinado, filho de senador e membro nato da oligarquia paulista certificado pelas cotas de sócio do jornal O Estado de S. Paulo, fundado e comandado pela família Mesquita. Sales apoiara a Revolução de 1930 contra o então presidente Washington Luís e seu candidato paulista Júlio Prestes, na esperança de que a força da nova economia e da nova elite industrial paulista se impusesse mais cedo ou mais tarde.

A 2.800 quilômetros de São Paulo, outro político refinado também apoiou a Revolução como governador da Paraíba eleito pela Aliança Liberal, o partido de Getúlio. Era José Américo de Almeida, que mais tarde seria ministro da Viação e embaixador. Diferentemente de Armando, homem da matemática e da engenharia, Zé Américo era poeta e escritor, autor do clássico A Bagaceira. Cada um ao seu estilo, Armando era pragmático, desenvolvimentista, pioneiro da geração de energia elétrica, autoritário e acreditava em progresso e dinheiro. Metia o dedo na tomada com gosto.

Zé Américo era o oposto: matreiro, sutil, capaz de conversar horas a fio sem sair lugar. Aquele tipo que conseguia tirar as meias sem tirar os sapatos. Mas não menos autoritário: comandou a repressão aos revoltosos de Princesa como secretário de Segurança do governador João Pessoa. Era uma espécie de coronel de fino trato, envernizado, perfumado e elegante. Em 1934 tentou seduzir o então tenente Ernesto Geisel, secretário de Fazenda da Paraíba, acenando com uma cadeira de deputado, mas o gaúcho, reto e direto, disse que preferia a farda. A bordo dela Geisel desembarcou na Presidência da República 40 anos depois.

Em 1936, Armando Sales saíra da condição de interventor para a de governador eleito. Zé Américo dava expediente como ministro do Tribunal de Contas da União. Estavam agora a 400 quilômetros de distância um do outro, mas o paraibano julgava ter certa vantagem porque trabalhava na Praça da República, a 3 quilômetros do Palácio do Catete, onde Getúlio despachava.

Ambos comemoraram o Réveillon de 1937 em grande estilo. Tinham uma campanha pela frente, com a eleição marcada para janeiro do ano seguinte. Sales deixara o governo de São Paulo para mergulhar de cabeça no seu projeto de candidato de oposição ao governo. Zé Américo conseguiu articular apoio entre os principais membros do governo, embora Getúlio nunca o tenha chamado de “meu candidato”. O champanhe do Réveillon virou vinagre em novembro, 3 meses antes do pleito, quando Getúlio anunciou o Estado Novo, um golpe que endureceu o regime e mandou para o cemitério as candidaturas de Armando e Zé Américo.

Sales recebera um sinal de Getúlio quando foi até o presidente informar da sua candidatura irreversível e ouviu dele que o Brasil vivia um clima de guerra e as eleições poderiam ser inoportunas naquele momento. Ofereceu a Sales o Ministério da Fazendo ou o Banco do Brasil, que o paulista recusou polidamente.

O golpe de Getúlio tinha até Constituição pronta, escrita e revisada por Francisco Campos, o famoso Chico Ciência que 30 anos mais tarde também deixaria suas digitais na Constituição de 1967 formatada pelos militares. Getúlio não queria Zé Américo e nem muito menos Armando. Para ele faltava ao paulista um certo jogo de cintura, que sobrava no paraibano. E ainda havia a ameaça de um golpe integralista, que Getúlio registra em detalhes em seu diário numa anotação de 1º de dezembro de 1937.

O Estado Novo veio depois de intensa propaganda anticomunista e uma fake news chamada Plano Cohen. Fechou o Congresso, acabou com os partidos políticos, censurou a imprensa e encheu as cadeias de adversários políticos. Zé Américo ficou no TCU até 1947, votou a ser ministro da Viação no segundo governo de Getúlio e morreu em 1980 aos 93 anos. Sales foi exilado, morou nos Estados Unidos e Argentina, voltou ao Brasil em abril de 1945, fundou a UDN e morreu em 17 de maio aos 57 anos.

De fato, 5 meses depois daquela anotação no diário, em 11 de maio de 1938, os integralistas tentaram invadir o Palácio Guanabara, residência oficial do presidente, com objetivo de matá-lo. O intenso tiroteio durou horas e terminou com um saldo de 8 mortos e Getúlio guardando seu parabélum na cintura e fumando um charuto enquanto se refazia da refrega.

O Brasil nunca foi para amadores. Getúlio inaugurou uma nova era dos profissionais com a Revolução de 1930. Não havia outra opção: era ele ou ele. A tentativa de renovação política feita por Armando Sales e Zé Américo tinha um perfil de centro, com Armando um pouco mais à direita e Américo mais à esquerda, sendo que no caso deste último muito mais por oportunismo que por convicção.

Nas últimas décadas nossos políticos resistiram o quanto puderam à renovação. Ela veio pela força em 1964, mas envelheceu e caducou em 20 anos, deixando que os adversários dos idos de 1950 voltassem ao protagonismo. O PT foi algo novo, mas Lula seguiu ao pé da letra a cartilha getulista e manteve as duas opções: ele ou ele.

O sistema moeu os inocentes, politizou o serviço público, a Justiça e as forças de segurança, a ponto de nos últimos anos juízes e procuradores ocuparem mais espaço na mídia falando de política que aqueles eleitos para isso. Tudo que um dia foi novo envelheceu rápido.

Bolsonaro, Lula, João Doria, Rodrigo Maia, ACM Neto, Gilberto Kassab, Guilherme Boulos, Davi Alcolumbre, Ratinho Junior, Fabio Faria, Flavio Dino e outros políticos chegaram lá pela legitimidade do voto. Os ministros do Supremo, delegados, procuradores da República, sindicalistas e tantos outros ganharam seu naco de poder pela influência, amizade e também, claro, pelo concurso público. Todos trabalham dioturnamente pela conquista e manutenção do seu lote de poder. Uns com mais competência, outros menos.

A diferença entre o Brasil de hoje e o de 90 anos atrás é que a política virou um balaio superpopuloso, com todo tipo de gatos, muitos deles gatinhos herdeiros. Temos um poder cada vez mais dividido, cada um cuidando de segurar seu espaço naquilo que vulgarmente chamamos instituições, mas que no fundo são ilhas onde cada um foca nos seus próprios interesses e a renovação virou pura demagogia. Aquela habilidade de tirar a meia sem tirar o sapato, já faz tempo entrou para o folclore do século passado.

*Jornalista. Texto publicado originalmente no site Poder360.


Email

Cabo 2021

Confira os últimos posts

01/03


2021

Paulo defende unidade de prefeitos para um PE melhor

O governador Paulo Câmara participou, hoje, da posse da nova mesa diretora da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) para o biênio 2021-2023. A cerimônia, realizada na sede da entidade, no bairro de Jardim São Paulo, no Recife, reconduziu José Patriota ao cargo de presidente da Amupe. O governador fez uma apresentação sobre o atual cenário de Pernambuco em relação à pandemia da Covid-19 e os investimentos que serão feitos em áreas estratégicas para beneficiar todo o Estado. Também anunciou a liberação de R$ 11 milhões para os municípios, por meio do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (FEM).

“Estamos vivendo um momento muito difícil. Para superá-lo, é muito importante que tenhamos unidade e, acima de tudo, a conjunção de esforços de cada prefeito e de cada prefeita. Nesse sentido, a Amupe é fundamental, pois tem buscado as parcerias, vem fazendo um amplo debate e nos ajudando no repasse de informações que são fundamentais para enfrentar os desafios. Vamos buscar o equilíbrio sanitário, sem fechamento total das atividades econômicas e evitando uma medida mais drástica, mas pedindo à população que continue com todos os cuidados”, afirmou Paulo Câmara, anunciando que, este ano, dos R$ 11 milhões do FEM, R$ 6 milhões serão pagos ainda em março e a outra parte em abril.

O presidente reeleito, José Patriota, reforçou a importância da união entre os municípios e frisou que o maior desafio para este mandato será a saúde e a preservação da vida do povo pernambucano. “Tenho certeza de que 100% dos municípios estarão integrados e participando da luta municipalista. Estamos abordando o que é importante para Pernambuco e exercitando as boas práticas. Para nós, a luta é uma só: unir forças para enfrentar as adversidades na saúde e em todas as outras esferas”, disse Patriota.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


01/03


2021

Tribuna do leitor: A lei deve ser para todos!

No início de 2021, a população de Arcoverde, portal do Sertão pernambucano, localizada à 254 Km da capital Recife, foi surpreendida com a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) que determinou, por unanimidade, incríveis 7X0, afastar o prefeito eleito de Arcoverde, Wellington da LW (MDB), e o seu vice, Israel Rubis (PP). Com essa decisão, a ex-prefeita Madalena Britto, que também é ré no processo, fica na companhia de seus liderados – todos inelegíveis por oito anos.

Ainda que o prefeito eleito tivesse tomado posse amparado por uma liminar, na terra do Cardeal, pouquíssimas pessoas acreditavam numa decisão tão enfática, onde a unanimidade dos desembargadores além de referendar a decisão do juiz de primeiro grau, esclareceu inúmeras irregularidades que caracterizaram abuso de poder econômico e político.

Sabe-se que lei é para ser cumprida, uma vez sancionada deve tornar-se referência para todos! Mas, em Pernambuco, uma dúvida toma os quatro cantos, do Porto de Petrolina ao Porto do Recife pergunta-se: Irregularidades que caracterizaram abuso de poder econômico e político ocorreram só em Arcoverde?

A nossa querida capital Recife comuna líder em desigualdades, por exemplo, assistimos dois palácios “tecendo tapetes” para a “passagem do Príncipe”. À Justiça foi levada, entre outras denúncias, as irregularidades de coação com servidores e terceirizados para trabalhar em sua campanha palaciana, num claro abuso de poder político e econômico, agredindo a nossa democracia.

Em Arcoverde, a justiça se fez presente. Ainda que o prefeito afastado tenha imprimido um intenso ritmo de trabalho nas primeiras semanas, o egrégio Superior Tribunal Eleitoral deverá julgará os fatos ocorridos em 2020, em plena campanha eleitoral. A considerar pela unanimidade do TER-PE, o governo “ainda verde”, com menos de 60 dias, já caiu.

A sociedade pernambucana espera que outros municípios tenham os seus processos julgados como o mesmo empenho e celeridade. Afinal, a lei é para todos! Seguindo o princípio constitucional, todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza.

*O leitor que enviou o artigo preferiu não se identificar


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banner Jaboatao 2021

01/03


2021

Presidente da Unimed Caruaru internado por Covid

Após ser reeleito pela terceira vez presidente da Unimed Caruaru, no dia 25 de fevereiro, o Dr. Pedro Melo foi internado, agora a tarde, na UTI do Hospital Unimed Caruaru para tratamento do Covid 19.

No momento, passa bem, não está entubado e as medidas tomadas estão obtendo resultado satisfatório.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


01/03


2021

Duque e Vaccari são condenados em ação da Lava Jato

Do G1

O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) João Vaccari Neto, foram condenados em uma ação penal da operação Lava Jato que apura direcionamento de propina com pagamentos a uma editora de São Paulo.

Os dois foram condenados por lavagem de dinheiro. Vaccari foi condenado a seis anos e seis meses de prisão, e Duque teve condenação de três anos e sete meses de prisão em regime aberto.

A sentença foi assinada pelo juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, na sexta-feira (26), e divulgada pela Justiça Federal, hoje.

Pagamentos investigados

A ação penal se baseia em informações do depoimento do executivo Augusto Mendonça, do grupo Setal Óleo e Gás, que firmou acordo de delação premiada. Ele apontou informações sobre o esquema de corrupção, desvio e lavagem de dinheiro na Petrobras e outros órgãos públicos.

Augusto Mendonça também se tornou réu, mas teve a ação penal suspensa e, portanto, não teve sentença determinada neste caso. De acordo com a denúncia, a empreiteira SOG/SETAL, a pedido de João Vaccari Neto, direcionou R$ 2,3 milhões em propina à Editora Gráfica Atitude.

O dinheiro, conforme denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF), representava parte de propina acertada em um esquema criminoso envolvendo contratos da Petrobrás.

Na tentativa de dar a aparência de legalidade à movimentação, empresas do grupo Setal, Setec e SOG assinaram dois contratos falsos com a editora.

Os contratos previam que a empresa veiculasse "conteúdo noticioso e opinativo sobre temas relacionados com o desenvolvimento e proteção da indústria nacional no Brasil, no tocante à área de extração de petróleo e na conversão em seus derivados".

No entanto, segundo a ação, não houve prestação de serviços, e foram emitidas notas frias. "Em síntese, os valores obtidos nos contratos mediante cartel e ajuste fraudulento de licitações teriam sido objeto de condutas de ocultação e dissimulação para posterior pagamento das propinas aos agentes da Petrobrás", citou a denúncia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Petrolina 2021

01/03


2021

“Mamãe é luz, minha guerreira”, diz filha de faxineira

Na entrevista ao Frente a Frente, a jovem Roberta Mascena, 25 anos, que vestiu o uniforme de faxineira da mãe Marlene Cordeiro, de Afogados da Ingazeira, para homenageá-la em sua formatura em Santos (SP), mostra uma impressionante maturidade para sua pouca idade. Revela que para manter-se na faculdade, onde se formou em Pedagogia, teve que, em muitos momentos, ajudar a mãe a fazer faxina, nunca deixou de reconhecer os esforços dela para vê-la com o canudo nas mãos.

“Fui faxineira também, ajudei e ajudo mamãe, com a maior alegria e orgulho. Ela é uma guerreira, uma mulher lutadora, que deu a sua vida por mim”, disse. Roberta não conhece com tanta propriedade o Sertão como a sua mãe, que saiu do Pajeú num pau de arara para se firmar como gente na vida em São Paulo, porque já nasceu em São Paulo.

Mas seu sangue e seu coração são sertanejos. “Já trabalhei até de manicure para ajudar nas despesas de casa”, revelou. A bela entrevista, com suas revelações emocionantes, você confere clicando no áudio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Serra Talhada 2021

01/03


2021

MPP pede mais diálogo

As novas medidas restritivas, anunciadas hoje pelo Governo de Pernambuco, que proíbem as atividades não essenciais das 20h às 5h durante a semana, e ao longo de todo o dia nos sábados e domingos, foram recebidas com surpresa pelo Movimento Pró-Pernambuco.

A entidade lamenta e reconhece a piora do quadro epidemiológico no Estado e entende que no momento são necessárias ações de contenção de aglomerações para se evitar um colapso na saúde.

No entanto, as entidades que integram o movimento se ressentem de uma conversa mais transparente com o Governo do Estado no sentido de maior participação na tomada de decisão. O MPP ressalta que apoia as ações do governo, mas gostaria de cooperar com as medidas.

“Como sempre, o estado não coloca o setor produtivo no debate, embora apoiemos o que está sendo feito. Mas, se participássemos do processo decisório poderíamos colaborar opinando sobre pequenos ajustes para passarmos por esse período tão difícil de forma menos danosa”, opina Avelar Loureiro Filho, presidente do MPP.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Anuncie Aqui - Blog do Magno

01/03


2021

Editorial analisa homenagem de filha à mãe faxineira

No Frente a Frente de hoje, programa que ancoro pela Rede Nordeste de Rádio, o meu editorial foi sobre a homenagem que a filha Roberta Mascena fez à sua mãe, Marlene Cordeiro de Oliveira, de Afogados da Ingazeira, ao se vestir de faxineira durante a sua colação de grau na faculdade. Vale a pena conferir!

O Frente a Frente tem como cabeça de rede a Rádio Hits 103,1 FM, em Jaboatão dos Guararapes.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Jornao O Poder

01/03


2021

Barroso recebe Lira para discutir reforma eleitoral

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), se reuniu, na tarde de hoje, com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, para tratar de uma proposta de reforma eleitoral. O tema do encontro foi informado pela assessoria do TSE.

Também estavam presentes na reunião os deputados Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR) e Margarete Coelho (PP-PI), que são, respectivamente, presidente e relatora de um grupo de trabalho da Câmara destinado a tratar de alterações na legislação eleitoral, além de debater outras normas, como a lei das eleições e a lei da inelegibilidade.

Segundo o ato de criação do grupo de trabalho, publicado no "Diário da Câmara dos Deputados", o colegiado é "destinado a avaliar e propor estratégias normativas com vistas ao aperfeiçoamento e sistematização da legislação eleitoral e processual eleitoral brasileira".

Lira argumentou, dias antes de ter sido eleito para o cargo, que os tribunais regionais eleitorais (TREs) tomam "decisões diversas sobre o mesmo assunto" e que, por isso, deveria haver uma "sistematização".

Segundo o presidente da Câmara, a padronização dará mais transparência e segurança jurídica aos políticos sobre as penalidades previstas para cada conduta, evitando subjetividade e interpretações diversas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

01/03


2021

Marília visita sede da Fecomércio e discute projetos

A deputada federal e segunda secretária da Câmara dos Deputados, Marília Arraes (PT-PE), visitou a sede da Fecomércio, hoje, e foi recebida pelo presidente da instituição, Bernardo Peixoto.

A Fecomércio é uma das instituições de maior importância para o desenvolvimento econômico e a geração de empregos em Pernambuco. "Esse encontro é fundamental para colocar o nosso mandato à disposição para pensar em projetos que sejam interessantes para o nosso estado".

O presidente da entidade agradeceu a visita da parlamentar e parabenizou Marília pela segunda secretaria da Câmara dos Deputados. "Ficamos muito felizes com a visita da deputada. É muito importante essa relação com os nossos parlamentares", afirmou Peixoto.

Um dos eixos de trabalho da Fecomércio, além de desenvolver bens, serviços e turismo em Pernambuco, é promover intercâmbios comerciais entre o Brasil e vários países ao redor do mundo. "A segunda secretaria é responsável pelas relações internacionais da Casa, além de trabalhar com a parte de formação. São atribuições que tem tudo a ver com o perfil e atuação da Fecomércio", ressalta Marília.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


01/03


2021

No Frente a Frente, a emoção da filha da faxineira

Localizada em Ubatuba, interior de São Paulo, a jovem Roberta Mascena, 25 anos, filha de Marlene Cordeiro de Oliveira, de Afogados da Ingazeira, que emocionou o País, ontem, ao revelar que vestiu o uniforme de trabalho da mãe faxineira para homenageá-la durante a formatura, concedeu, há pouco, uma entrevista exclusiva ao Frente a Frente. Revelou que fez a surpresa a mãe, ao colocar sua roupa do trabalho debaixo da beca, para tentar torná-la conhecida.

“Eu queria que o mundo conhecesse uma mulher de fibra, que amo muito, que deu seu sangue e sua energia para me fazer gente na vida”, confessou Roberta. Segundo ela, a mãe nunca viveu na miséria, como o site do G-1 chegou a destacar, mas na pobreza. “Tivemos uma vida de muitas dificuldades, somos pobres, mas não miseráveis”, ressaltou, adiantando que a mãe, quando nova, viveu um turbilhão de dificuldades, mas nunca passou fome.

A entrevista vai ao ar durante o programa, que começa às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por 44 emissoras em Pernambuco, Alagoas e Bahia, tendo como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Se você deseja ouvir a entrevista pela internet e está navegando no blog, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se