28/11


2020

As eleições e o rio que corre pela minha aldeia

Por Arnaldo Santos*

Amanhã, em sete das nove aldeias do Nordeste, haverá segundo turno.  Em seis delas, predominam candidatos dos partidos de centro e centro- esquerda em disputa, o que revela clara rejeição do eleitor ao direitismo negacionista que viceja no Brasil, exceção feita a Fortaleza, onde um dos candidatos na disputa, apesar de ter escondido e negado por três vezes seu “mito”, e tutor político-ideológico, se filia ao que há de mais obscuro na direita brasileira. 

Registre-se o fato de que, embora os partidos de esquerda tenham se dividido no primeiro turno, o que há de ter sido determinante para que a ex-prefeita Luizianne Lins, candidata do PT, tenha ficado de fora da disputa no segundo turno (diferente do ocorrido no Recife, onde Marília Arraes, do PT, disputa com João Campos do PSB, com chances de vitória), agora a esquerda está unida em uma frente ampla, em apoio a José Sarto, do PDT, para enfrentar o candidato da direita bolsonarista, representada pelo capitão Wagner.  

Comum a essas aldeias, um caudaloso rio de problemas sociais e econômicos corre por todas elas, irrigando o solo sobre o qual se cultiva o histórico apartheid social, adubado com o agrotóxico da intolerância de uma sociedade embrutecida, preconceituosa e racista, (embora negado pelo vice- presidente da República, Hamilton Mourão), e pelo descaso de uma elite dirigente, em geral, culturalmente ignorante, politicamente analfabeta e corrupta, e socialmente insensível, que, à extensão tempo, deixou explodir a miséria e um grau de violência sem precedentes. 

Divisa-se um obscuro cenário, onde a vida do outro já não vale muito, os pretos e pobres são as maiores vítimas, como ocorreu com o João Alberto, assassinado na última semana, na frente da esposa, no estacionamento de um supermercado, por dois celerados seguranças brancos, com a cumplicidade dos que assistiam e filmavam aquelas cenas de barbaria, colidindo com o movimento mundial de proteção da vida, segundo o qual vidas negras importam. “Em verdade, em verdade vos digo”, importam muitíssimo!

Pela importância política do dia de amanhã, e do seu significado a começar em 01 de janeiro de 2021, neste artigo, a reflexão será sobre a realidade social e econômica de minha aldeia, Fortaleza, e acerca da complexidade dos problemas que aguardam aquele que será eleito nesse domingo, que, em maior ou menor grau, se assemelham ao desafio a ser enfrentado pelos que serão eleitos  nas  demais aldeias.

Fortaleza, como tantas outras capitais do Nordeste, é uma bela aldeia de quase 2,7 milhões de habitantes, (IBGE - 2020), banhada por verdes mares. Presenteia-nos com lindas praias, adornadas por jangadas com suas velas coloridas, e extensas dunas de areias brancas, e do que restou dos outrora vastos coqueirais, donde sopram ventos constantes que desalinham os negros, castanhos, loiros e ruivos cabelos das suas belas mulheres, tornando-as ainda mais lindas, exuberantes e sensuais!

Por esse panorama, “navegar é preciso”, para superar milhas e milhas de   águas turbulentas e tempestades de carências sociais, que afligem a população menos favorecida, sob o infortúnio da covid-19, que agravou a já combalida economia, aumentou o desemprego, causando a pauperização de parcela significativa da classe trabalhadora, gerando o mais caudaloso e revolto rio de problemas econômicos-sociais e urbanos da história recente de todas as aldeias brasileiras. 

Escudado no poeta Fernando Pessoa, que em um dos seus líricos poemas escreveu que, “[…] o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia, porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia”. Nesse ambiente de lirismo, como “poucos sabem qual é o rio da minha aldeia”, me permito advertir que o eleito amanhã terá que localizar e georreferenciar os pontos longitudinais, onde nasce o rio que corre pela minha aldeia,  “para onde ele vai”, e “porque ninguém nunca pensou no que há, para além do rio da minha aldeia”, ao ponto de deixar que ao longo do tempo os sedimentos de pobreza trazidos por suas águas fossem se acumulando a montante de sua foz, e fortalecendo as raízes das nossas desigualdades e misérias, até atingir o grau e a extensão que vivenciamos hoje, como veremos nos parágrafos subsequentes. 

Quando examinamos o rio da desigualdade medida pelo índice de Gini, com os dados do IBGE, referentes a 2019, portanto bem antes da pandemia, verificamos que, no Brasil, a taxa era de 0,543; na região Nordeste, esse índice era de 0,559; no Estado Ceará, a taxa era de 0,561; e, em Fortaleza, a desigualdade era de 0,574, sendo uma das mais agudas entre todas as aldeias -  o que evidencia o tamanho do problema a ser enfrentado por aquele que será eleito amanhã. 

Essas abissais desigualdades em minha aldeia, evidenciadas pelos índices apresentados pelo IBGE, demarcam a linha do tempo, revelando os indicadores sociais que o eleito encontrará depois das eleições, para que, daqui a quatro anos, possamos avaliar os avanços ou retrocessos no mapa da pobreza, permitindo-nos inferir a noção de que, com algumas poucas variações, esse também será o desafio a ser enfrentado pelos (as) chefes das demais aldeias que serão eleitos(as) amanhã, especialmente na região Nordeste. 

Em relação ao mapa da pobreza, segundo a linha de corte estabelecida pelo Banco Mundial, que é de 5,5 dólares per capita (PPC) dia, meu rio pessoano (via heterônimo Alberto Caeiro) é ainda mais largo, profundo e turbulento. Dados da PNAD, divulgados pelo IBGE, agora no início de novembro, também referentes a 2019, quando a maioria da população nem sabia o que era pandemia, informam que a pobreza em todo o Ceará já atingia 3,8 milhões de pessoas, 41,3% da população, e em Fortaleza eram 624.517 mil pessoas, algo em torno de 23,5% da sua população, à época, que viviam nessas incômodas circunstâncias.  

Adicionem-se a esses números do mapa da pobreza as pessoas que vivem na extrema pobreza, cujo valor per capita definido pelo Banco Mundial é de 1,9 dólar/dia. Em todo o Estado do Ceará, tínhamos 12,4% da população sobrevivendo nessa difícil realidade, o que correspondia a 1,13 milhão de pessoas na extrema pobreza antes da pandemia, e, em Fortaleza, esse percentual à época era de 3,8%, equivalente a 100.986 mil pessoas vivendo nessa subumana situação. Ante tão precária realidade, imagino quão grave é o problema que aguarda o eleito amanhã, no primeiro dia do próximo ano.

Nessa contextura de tão vulnerável realidade que evolui em minha aldeia, a reflexão que se impõe sobre os graves problemas econômicos e sociais que enfrentamos - e que deverão se agudizar na pós-pandemia - diz respeito ao desemprego, a exigir uma inadiável ação de geração de renda para a camada  da população, que considero o mais grave e urgente. 

Aqui o objetivo é cobrar daquele que será ungido nesse domingo, que, ao assumir em 01 de janeiro, mobilize a sociedade e o setor produtivo, das áreas do comércio, indústria e serviços, para a formulação de um amplo programa de geração de trabalho e renda, ancorado em um modelo de economia solidária, contemplando desde o financiamento dos pequenos negócios nos próprios territórios (um dos candidatos está apresentando essa proposta), até a contratação de mão de obra direto da comunidade por meio das associações comunitárias, para executar serviços de reforma dos equipamentos públicos (hospitais, escolas, postos de saúde etc.), e do seu mobiliário, potencializando a economia e o desenvolvimento locais.

Como somos uma urbe que vivencia o paradoxo entre os índices de extrema pobreza e a modernidade, evidenciada pela ciência produzida pelas nossas universidades, e pelos hubs aéreos, e cabos submarinos, estendidos aos vários continentes que a conectam ao mundo, transformando-a em uma aldeia global, na outra ponta, o eleito terá que aproveitar essa infraestrutura tecnológica, para modernizar sua economia, mediante criação de um estruturado programa na área da economia criativa, para promover, efetivamente, uma ação de inclusão digital, especialmente para a nossa juventude, apoiando e estimulando seu potencial criativo, para, assim, preparar nossa aldeia a fim de ter competitividade econômica em escala global, nesse setor. 

É de saber geral a noção de que quem se elege tem o dever político-administrativo e a responsabilidade social de governar, espacialmente, para toda a cidade, tendo como horizonte a melhoria das condições de vida dos seus cidadãos, especialmente para os mais pobres que compõem a maioria da sua população historicamente esquecida e aviltada em seus direitos. 

No contexto da multidimensionalidade da pobreza e das desigualdades, é imperioso que o eleito se ocupe da formulação de políticas públicas factíveis, considerando a magnitude desses problemas, e consoante as condições econômico-financeiras da Prefeitura, mormente nesse contexto de encolhimento da economia. Esta exprime queda brusca da arrecadação, porquanto uma política pública, para ser viável e ter efetividade, tem que responder a pelo menos quatro indagações: quais são as evidências que justificam sua estruturação, quanto custa, de onde vêm os recursos e quem vai pagar. 

Durante toda a campanha, com raras exceções, o que assistimos foi a um festival de promessas genéricas, e não propostas de governo, inclusive pelos dois postulantes a chefe da aldeia, no segundo turno, sem evidências de sua exequibilidade e sem qualquer fundamentação.

Com os olhos e as atenções dirigidos para os indicadores de pobreza,  para os altos índices de desemprego e informalidade, que, ao lado de tantos outros, formam o mais caudaloso, profundo e furioso rio que corre pela minha aldeia, o eleito amanhã tem o dever político-social e humano de por em execução  um amplo programa de inclusão e geração de renda para acudir esse contingente da população, pois, nessa perspectiva, não estamos falando de filantropia, (concessão de benefícios) e sim de economia. 

*Jornalista e doutor em Ciências Políticas. Comentários e críticas para: [email protected]


Email

Cabo 2021

Confira os últimos posts

07/03


2021

Para ter Luciano Huck, PSB abraça social-democracia

Por Sérgio Roxo, de O Globo

De olho na eleição presidencial de 2022, o PSB iniciou uma reformulação de seu programa partidário para retirar do texto pontos de defesa da implantação do socialismo considerados ultrapassados e fora da realidade atual. A ideia é que a legenda assuma princípios mais próximos da social-democracia. Para a próxima disputa ao Palácio do Planalto, a sigla busca atrair um candidato de fora do mundo da política para encabeçar a chapa, como a empresária Luiza Trajano ou o apresentador Luciano Huck.

Um dos itens do programa diz que o “objetivo do partido, no terreno econômico, é a transformação da estrutura da sociedade, incluída a gradual e progressiva socialização dos meios de produção, que procurará realizar na medida em que as condições do país a exigirem”. "Não faz mais sentido nesta altura dos acontecimentos falar de socialização dos meios de produção. Isso é anacrônico e não corresponde ao nosso pensamento atual", afirma o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira.

Fundado em 1947, o Partido Socialista Brasileiro foi extinto pela ditadura militar. Refundado em 1985, após a redemocratização, adotou o programa original. Em 2014, quando lançou candidatura encabeçada por Eduardo Campos, o partido enfrentou questionamentos nas redes sociais em razão dos textos de seu programa e de seu manifesto. Campos, que defendia propostas liberais como a autonomia do Banco Central, chegou a prometer rever as publicações para tirar as referências ao socialismo, mas isso acabou não acontecendo.

Refundação da legenda

A ideia agora é aprovar, até novembro, um novo programa, que, segundo Siqueira, significará uma refundação do partido. O processo foi batizado de autorreforma. Um texto usado para as discussões internas critica a desigualdade social brasileira e diz que doutrina liberal tem falhado para combatê-la, mas defende a “adoção de políticas públicas que promovam o crescimento e a prosperidade”.

Apesar das mudanças de rumo, o partido não planeja deixar o termo socialismo para trás. No texto que está em discussão, o PSB fala em “socialismo criativo” para tratar da revolução tecnológica e em “ecossocialismo” ao abordar as saídas para a crise ambiental do planeta.

Uma alteração do nome da legenda está descartada. "Não precisamos mudar de nome, não nos envergonhamos de ser socialistas", afirma Siqueira, que cita os triunfos eleitorais recentes de partidos socialistas em Portugal e na Espanha."

O dirigente descarta que as mudanças no programa partidário tenham sido planejadas para atrair Huck ou Luiza Trajano, mas reconhece que a alteração possa ser útil nesse processo: "Precisamos colocar os nossos interesses partidários um pouco à parte e filiar uma pessoa que represente muito além do PSB, embora possa aproveitar muito do que o partido vai apresentar na sua renovação programática."

Defensor da renovação promovida pelo PSB e integrante da executiva do partido, o ex-prefeito de Campinas Jonas Donizette acredita que a alteração facilitaria a entrada de Huck. "A gente não está fazendo (a mudança) pensando num nome, está pensando numa ideia. Mas acho que o Huck se sentiria confortável (com esse novo programa)", reconhece.

Para Donizette, a autorreforma ajudará também a evitar que o partido seja atacado pelos rivais de direita, que muitas vezes relacionam a sigla aos regimes de países como Cuba, Venezuela e Coreia do Norte. "Não tenho dúvida de que o PSB vai se diferenciar muito dos partidos de esquerda. A gente vai querer ampliar o nosso leque de diálogo", afirma o ex-prefeito de Campinas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


07/03


2021

"Tábua de pirulito", diz leitor sobre PE-45

Um leitor que optou por não se identificar entrou em contato, hoje, para reclamar do péssimo estado da PE-45, rodovia que liga Vitória de Santo Antão a Escada, cidades da Mata Sul pernambucana. O Blog já noticiou em outro momento a buraqueira que persiste na pista. Veja o desabafo:,

"Magno,

Com a força do seu Blog, gostaria que você mostrasse a situação precária da rodovia que liga Escada a Vitória de Santo Antão, a PE-45. Estrada 'tábua de pirulitos', buracos grandes, profundos, trechos sem asfaltos, sem nenhuma sinalização, abandonada.

Importante rota do desenvolvimento, região de diversos engenhos, onde passam diversos caminhões com cana de açúcar, álcool, etc, caminhões que vem de suape com destino a Caruaru, Gravatá, Bezerros e tantas outras cidades, pois utilizam pra diminuir o percurso e fugir do trânsito caótico da BR-101. 

Por ali passam tanto caminhões de cargas como também botijões de gás, combustíveis, e tantos outros veículos. Cidades importantes da região com diversas fábricas sofrem com a situação da rodovia, sem falar nos riscos de acidentes pelo fato de os veículos trafegarem na contramão para se livrar dos buracos,  mas, pelo visto, vidas não são importantes pra atual governador."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Ipojuca 2021 IPTU

07/03


2021

Rui Costa decreta lockdown no norte da Bahia

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou, hoje, a suspensão de atividades consideradas não essenciais no norte do Estado. A medida passa a valer a partir de amanhã segue até as 5h da quarta-feira (10), abrangendo cidades como Juazeiro do Norte e Canudos. A justificativa é frear o avanço da Covid-19 na região.

"Com o objetivo de conter o avanço da #Covid19 no norte do estado e salvar vidas, decidimos suspender as atividades não essenciais em 20 municípios da região de Juazeiro e Senhor do Bonfim desta segunda até 5h de quarta, dia 10. As cidades que terão medidas mais restritivas são Andorinha, Antônio Gonçalves, Campo Alegre de Lourdes, Campo Formoso, Cansanção, Canudos, Casa Nova, Curaçá, Filadélfia, Itiúba, Jaguarari, Juazeiro, Pilão Arcado, Pindobaçu, Ponto Novo, Remanso, Senhor do Bonfim, Sento Sé, Sobradinho e Uauá", escreveu.

"Outros 22 municípios da região de Guanambi e 15 da região de Serrinha seguem com comércio não essencial também fechado até 10/03. Em Salvador e RMS, a restrição destas atividades vai até 5h de 15/03. Já o toque de recolher permanece em vigor em toda a #Bahia até 01/04", prosseguiu Costa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


07/03


2021

Consumidor registra salto no ICMS do diesel em PE

Um consumidor fez um comparativo, em vídeo, dos impostos cobrados sobre o preço do diesel em Pernambuco antes e após a isenção do Governo Federal do PIS e Cofins no último dia 1º. Duas notas fiscais são apresentadas nas imagens: uma datada de 19 de fevereiro, que registra 26,06% de ICMS, e outra em 04 de março, que aponta 49,61%.

A compra de combustível ocorreu em um posto de Goiana, na Mata Norte do Estado, como é possível ver nas imagens. Apesar da reclamação, as duas notas fiscais mostram uma queda no valor do litro do diesel: antes custava R$ 4,34 e passou para R$ 4,20.

Confusão no aumento do diesel

O cálculo é difícil de entender pela variação de preços constantes em razão da política da Petrobras, que anunciou na última segunda-feira (1º) um novo aumento no preço do diesel, de 5%. De acordo com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), houve alta de R$ 0,55 no diesel desde o início do ano (de R$ 3,63 para R$ 4,18, ou 15%).

A isenção de impostos federais reduz R$ 0,31, o que representa no fim das contas R$ 0,24 a mais do que o cobrado no ano passado. Já a consultoria Ticket Log diz que o preço do diesel deve diminuir R$ 0,05 em relação ao que era cobrado em dezembro devido à suspensão dos impostos federais.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Jaboatão Março 2021

07/03


2021

Ernesto é repreendido por não usar máscara em Israel

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, foi repreendido, hoje, durante evento com o chanceler israelense Gabi Ashkenazi, em Jerusalém, por não utilizar a máscara. A situação constrangedora ocorreu ao final de uma entrevista conjunta entre os dois chanceleres, quando o mestre de cerimônias convidou a dupla para uma foto oficial do encontro.

Enquanto Ashkenazi já havia recolocado a máscara, Araújo estava sem a proteção contra a disseminação da Covid-19. Foi aí que o mestre de cerimônia o repreendeu: "Nós precisamos que coloque a máscara." Assista ao momento.

Uma comitiva brasileira composta por nove autoridades desembarcou, hoje, em Israel para uma série de reuniões em busca de acordos para vacinas e medicamentos contra o novo coronavírus. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Petrolina 2021

07/03


2021

Grupo Olinda do Bem faz ação em prol das mulheres

O grupo Olinda do Bem, formado por empresários e pessoas solidárias à causa, realizará amanhã (8), às 6h, no semáforo da Rua do Sol, no Carmo, uma ação de combate à violência contra a mulher, que consiste em panfletagem e adesivaço. "Respeita ela, meu irmão" é o lema e a data é bastante simbólica por se tratar do Dia Internacional da Mulher. Outros detalhes no Instagram do grupo (@olindadobemoficial).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Serra Talhada 2021

07/03


2021

Samba para o governador de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Anuncie Aqui - Blog do Magno

07/03


2021

Prefeitura de Timbaúba responde sobre UPA fechada

NOTA INFORMATIVA

A Prefeitura Municipal de Timbaúba vem a público esclarecer que atualmente a UPA do nosso município conta com três médicos diariamente no seu quadro de funcionários. Nesta sexta-feira, 5 de março, as três equipes médicas deslocaram-se para hospitais do Recife, acompanhando pacientes em estado grave.

A Prefeitura Municipal de Timbaúba preza pela vida do timbaubense, por isso, sempre que for necessário salvar uma vida, faremos! Referente à criança mencionada em denúncia nas redes sociais, a mesma foi atendida, submetida a exame de raio-x, tendo sido constatado, inclusive, que não houve fratura no braço do paciente.

É importante ressaltar que a pandemia do coronavírus vem assolando a saúde em todo estado e país, não sendo diferente no nosso município. Por isso, nos ajude combatendo esse vírus: se possível, fique em casa, use máscara, mantenha o distanciamento social e a higienização das mãos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

07/03


2021

Vice do PSB rebate Miguel Coelho por cobrar vacinas

O vice-presidente nacional de Relações Governamentais do PSB, Beto Albuquerque, rebateu o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), sobre o questionamento feito ao Governo de Pernambuco a respeito da distribuição de vacinas contra a Covid-19 aos municípios.

"Miguel sabe que quem concentra e distribui vacinas é o Governo Federal. Lamentável este comportamento de atacar o lado errado e poupar o lado culpado", declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

gilson

Manda o filhinho cobrar a Vacina do PAPAI SENADOR, Líder do BOLZO no Senador, BASTA de HIPOCRISIA>



07/03


2021

Plantão de Olinda vacina 1,3 mil idosos

Olinda deu continuidade ao plantão de vacinação contra a Covid-19 no fim de semana. Foram 894 pessoas ontem, enquanto 407 olindenses receberam a dose hoje. A força tarefa atendeu os idosos a partir de 78 anos em pontos localizados em Casa Caiada, Rio Doce, Águas Compridas, além dos acamados.

Na ação do fim de semana, 1301 pessoas receberam a vacina. A Secretaria Municipal de Saúde informa que, desde a chegada das doses em Olinda, 7953 delas foram aplicadas em maiores de 78 anos, ou seja, 96% dessa faixa etária.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se