29/10


2020

E ninguém vai processar aloprados de Bolsonaro?

Por José Nêumanne*

Na pandemia de covid-19, enquanto convencia néscios de que a obrigatoriedade de vacina fere direitos individuais, o presidente da República reuniu chefões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) fora da agenda. O encontro constou da agenda do serviçal Augusto Heleno, que nunca se destacou pelo uso da inteligência. Em 25 de agosto, Jair Bolsonaro levou à presença deste e do delegado Alexandre Ramagem as advogadas do primogênito, Luciana Pires e Juliana Bierrenbach, para denunciarem eventual crime de fiscais da Receita Federal na ação contra a ilícita prática de peculato quando Flávio Bolsonaro dava expediente na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

O aval dado pelo chefe do governo à teoria conspiratória do atual defensor do filho “zero um”, Rodrigo Roca, conhecido pelo patrocínio de causas de acusados de tortura na ditadura militar e substituto de Frederick Wassef, em cujo falso escritório de advocacia escondeu o subtenente PM-RJ Fabrício Queiroz, vassalo do filho, foi revelado sexta-feira 23 de outubro. E tem sido tratado como corriqueiro. Mas é grave. Muito grave. Não só por configurar nova tentativa de contornar, como num drible da vaca, a natureza técnica, fria e impessoal do relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que originou o inquérito no Ministério Público do Rio (MP-RJ) sobre extorsão de parte dos vencimentos de servidores da Alerj praticada pelo ex-assessor. Mas, sobretudo, para esclarecer que papai Bolsonaro não estava brincando quando disse que não deixaria seus parentes e amigos serem prejudicados (no jargão sujo de hábito) em reunião ministerial, tornada pública. Esta motivou a saída do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública e a seu respeito corre ação sem futuro no Supremo Tribunal Federal (STF).

O fato configura crime de responsabilidade, passível de impeachment. Pois o chefe do governo deslocou o Coaf do Ministério da Fazenda para o da Justiça, a pedido de Moro, e depois para o Banco Central, para sacá-lo da alçada do ex-magistrado. O Coaf nunca foi subordinado à Receita, nem no périplo armado por ele e seus aliados do Centrão no Congresso para aliviar a barra do rebento. Não estranhem o uso da gíria de Rio das Pedras, sede da milícia que foi chefiada pelo capitão PM-RJ Adriano da Nóbrega, cujos depósitos na conta de Queiroz fazem parte do acervo probatório do MP-RJ. Mas não basta. Wassef, que nunca deixou de se gabar de ascendência sobre a famiglia presidencial e seu mais poderoso chefão, conseguiu do então presidente do STF, Dias Toffoli, a suspensão por seis meses de todas as investigações de crimes financeiros no País para poupar Flávio. Mas a normalidade foi restaurada no plenário por nove votos a dois, tendo o autor votado contra a própria decisão monocrática.

A presença de Ramagem na citada reunião seria prova suficiente no inquérito aberto no STF, se não fosse mero pretexto para ganhar tempo. Como o seria a denúncia do empresário Paulo Marinho, que deu explicação plausível para as demissões de Queiroz do gabinete do filho e de sua filha Natália do do pai, segundo a qual um delegado bolsonarista da Polícia Federal (PF) havia avisado o senador sobre o adiamento da Operação Furna da Onça para não prejudicar a vitória do pater familias no segundo turno do pleito presidencial. A informação poderia ter sido confirmada ou desmentida se o juiz federal Elder Fernandes não tivesse negado a quebra do sigilo dos telefones da PF para confirmar a versão do suplente, em lugar da acareação, fancaria que tenta mascarar o óbvio ululante (apud Nelson Rodrigues).

No entanto, a não ser pela débil manifestação do líder do Partido Socialista Brasileiro (PSB) na Câmara, Alessandro Molon, não houve um “pai da pátria” (todos comprometidos com o conluio-mor que paralisa a democracia e a justiça no País) que tomasse atitude capaz de deter novas tentativas espúrias de justificar o inexplicável que, na certa, estão por vir.

Nem original é. Circula pela Câmara dos Deputados o líder José Guimarães, cujo assessor foi detido com dólares na cueca no processo que investigava o financiamento espúrio de dossiê para comprometer José Serra, candidato tucano favorito ao governo de São Paulo, em 2006. Na ocasião, o então presidente Lula deu definição exata à manobra abortada: aloprados. Agora, com o Congresso Nacional e o STF mais uma vez desmoralizados com o acordo espúrio para evitar a punição de sócio da alta corte bolsonarista, Chico Rodrigues, de Roraima, o tirambaço dado por Jair Bolsonaro propondo arapongagem explícita para limpar o cueiro sujo do primogênito presidencial afundará em água de esgoto.

Assim como as ações no STF com punição adiada para as calendas gregas para evidente interferência política de Bolsonaro na PF, na Abin e no GSI e o uso do gabinete do ódio do filho “zero dois” promovendo manifestações fascistoides, essa tentativa de perseguir fiscais da Receita com devassa inadmissível será despejada na vala comum do lixão da covardia.

*Jornalista, poeta e escritor


Email

O Jornal do Poder

Confira os últimos posts

22/01


2021

Casos de família em Garanhuns

A briga na administração em Garanhuns parece longe do fim. Questões pessoais estão atravessando a política local. Desta vez, o presidente da Câmara Municipal, Johny Albino (PSB), rebateu o vereador Gersinho (PTB).

Johny respondeu às acusações feitas de nepotismo por nomear o sobrinho Cayo Albino, filho do prefeito Sivaldo, para um cargo na Casa Legislativa. “A nomeação está conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal, que já reconheceu que gestores podem nomear parentes em cargos de extrema confiança. Eu estive no Tribunal de Contas do Estado sabendo da legalidade da nomeação e recebi a posição de que poderia ser feita”, disse.

O presidente da Câmara também questionou Gersinho pelo fato de o colega de parlamento ter indicado o pai para um cargo estratégico quando o petebista chefiava a Casa. “Você, quando foi presidente desta Casa, nomeou seu pai como gerente. Quando você esteve na Secretaria de Agricultura, nomeou seu irmão em um cargo no seu gabinete. Colocou a sogra do seu pai, sua esposa estava na Secretaria de Saúde, sua cunhada e seus primos. Você tem primos no gabinete”, prosseguiu. Johny também cobrou “honestidade” do colega.

Cayo Albino, que é primo do vereador Gersinho, também se pronunciou sobre o caso em vídeo. “Por que você nunca questionou os desmandos do governo anterior? Você sempre foi omisso, nunca esteve atento aos anseios do povo. A resposta talvez seja simples: desespero. Desespero por não ter o que tinha na gestão passada, de tanta gente lá na Prefeitura, quando muitos apenas recebiam e não exerciam a sua verdadeira função”, disparou.

Diante dessa lavagem de roupa suja, Christina Rocha, apresentadora do programa televisivo "Casos de família", estaria apta a mediar esse conflito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Abreu no Zap

22/01


2021

Rádio Cultura 100% com máscaras do blog

Júnior Almeida, comandante-mor da Rádio Cultura Nordeste FM 96,5, me mandou, há pouco, essa bela imagem nos estúdios da emissora em Caruaru, com parte da equipe responsável pela maior audiência da cidade e do Agreste por extensão. Todos com máscaras do blog de proteção conta a Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

Ouro Velho é exemplo na aplicação de vacinas

A cidade de Ouro Velho, no interior paraíbano, dá exemplo na aplicação de vacinas contra a Covid-19. Em decreto publicado na última quarta-feira (20), o prefeito Augusto Valadares (DEM) determinou a ampla divulgação da lista de pessoas que tomaram a primeira dose do imunizante até agora, dando transparência ao processo.

Além disso, reforçou a proibição de todos os agentes políticos locais de serem vacinados neste momento reservado ao grupo prioritário e estabeleceu a demissão imediata de quem “furar fila” e, assim, descumprir o plano nacional de imunização.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

Amupe realiza assembleia com prefeitos na quinta-feira

A Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) realiza, na próxima quinta-feira, por videoconferência, a primeira assembleia de prefeitos de 2021. Serão debatidos diversos temas, dentre eles se destacam a palestra do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto e a formação da comissão que viabiliza o pleito para a escolha da nova gestão da entidade, em março. Além da prestação de contas referente ao biênio 2019-2021.

Também serão temas da reunião, os projetos para os municípios ofertados pelo Sebrae, através do superintendente da instituição, Francisco Saboya; A doação de 135 refrigeradores para armazenar vacinas e lâmpadas de LED para a iluminação pública, aos municípios através da Celpe, pelo presidente da companhia, Saulo Cabral; Além das ações do Unicef com os municípios do semiárido, com destaque para o  Selo Unicef e Adesão dos municípios à Busca Ativa Escolar, com chefe do escritório do Fundo no Recife, Dennis Larsen.

Para o presidente da Amupe, José Patriota, será uma oportunidade única para que o gestor ou gestores que começaram o seu mandato, possam conhecer um pouco do que a Amupe faz pelo municipalismo pernambucano. “Serão diversos temas a serem aprofundados por autoridades e especialistas na área, capazes de auxiliar a gestão. Convoco todos os gestores e gestoras a participarem”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banco de Alimentos

22/01


2021

Menos da metade dos norte-americanos diz confiar na mídia

Poder 360

Pesquisa feita pela Edelman e divulgada ontem pelo jornal digital Axios mostra que 46% dos norte-americanos confiam na mídia tradicional. É a 1ª vez na série histórica (iniciada em 2012) que a taxa é inferior a 50%. A confiança dos cidadãos dos Estados Unidos nas redes sociais é de 27%.

“Esta é a era da falência da informação”, disse Richard Edelman, CEO da Edelman, em comunicado.

“Fomos enganados pelos responsáveis, e fontes de mídia são vistas como politizadas e tendenciosas. O resultado é a falta de informação de qualidade e o aumento da divisividade.”

Para 56% dos entrevistados, os jornalistas tentam confundir as pessoas, e 58% pensam que as empresas de mídia estão mais preocupadas em apoiar uma ideologia ou um político do que em informar o público.

Em uma 2ª fase do estudo, feita depois das eleições de novembro nos Estados Unidos, os números mostraram que 57% dos norte-americanos que se declaram democratas dizem confiar na mídia. Entre os republicanos, a taxa é de apenas 18%.

Esses números são próximos dos observados em 27 países incluídos na pesquisa da Edelman, que indicaram que a falta de confiança na mídia não é um fenômeno exclusivo dos Estados Unidos.

Entre os países pesquisados, a confiança na mídia foi maior na Indonésia e na China, e menor na Rússia e no Japão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

Carreras critica discurso dos apoiadores de Baleia Rossi

Mesmo após o PSB ter orientado a sua bancada a votar em Baleia Rossi para a Presidência da Câmara, alguns parlamentares da sigla seguem manifestando apoio a Arthur Lira. É o caso do deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) que afirma que o candidato do PP é a melhor opção. O socialista ressalta que os dois principais candidatos são da base do governo Bolsonaro e lembra que o líder do Governo no Senado, senador pernambucano Fernando Bezerra Coelho, é do MDB. As informações são do Blog da Folha.

“Na verdade, o partido não fechou questão, mas recomendou, que não votasse no candidato da base de Bolsonaro. Mas o candidato que o partido está apoiando é do MDB que é o partido do ex-presidente Michel Temer, pai da reforma trabalhista condenada pela esquerda. Michel Temer e Rodrigo Maia, que também está liderando a oposição é o pai da reforma da previdência. Rodrigo Maia tem 61 pedidos de impeachment e abriu nenhum. Ainda mais, quem é o líder do governo no Senado? O pessoal tem uma narrativa que parece que o povo é besta”, pontuou o parlamentar.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Jornao O Poder

22/01


2021

PCR cria canal de denúncias contra “fura fila” na vacinação

A Prefeitura do Recife criou um canal voltado para denúncias de pessoas que tentarem burlar a fila de vacinação contra a covid-19. A ferramenta “Respeite a Fila” tem o objetivo de estimular o controle social e impedir que a população que não se enquadra nos grupos definidos em cada fase do Plano Recife Vacina receba as doses. A Prefeitura do Recife vai articular parceria com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que as denúncias feitas pelo canal sejam apuradas e que sejam aplicadas as medidas cabíveis. O canal de denúncias irá funcionar no aplicativo Conecta Recife e já está disponível no webapp https://conectarecife.recife.pe.gov.br.

A iniciativa será coordenada pela Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife, em conjunto com a Procuradoria e Controladoria Geral do Município. "Antes mesmo do início do processo de vacinação contra a covid-19, falei que não iríamos admitir pessoas desrespeitando a ordem de prioridade no Recife. Por isso, criamos um canal de denúncias, o 'Respeite a Fila', que já está funcionando dentro no site do Conecta Recife. Vamos assinar um termo de parceria com o Ministério Público de Pernambuco para que essas informações que chegarem à Ouvidoria da Prefeitura também sejam enviadas prontamente ao órgão, para a apuração e o encaminhamento das medidas cabíveis. Não vamos tolerar privilégios", avisou o prefeito João Campos.

Nesta primeira fase do Plano Recife Vacina, podem se vacinar trabalhadores de saúde da linha de frente; idosos acima de 60 anos que vivem nas Instituições de Longa Permanência e os funcionários desses locais; e pessoas com mais de 18 anos com deficiência severa que moram em residências inclusivas. Até o momento, a capital pernambucana recebeu, do Ministério da Saúde, 66,2 mil doses, o que garante o esquema vacinal completo para 33,1 mil pessoas. Desde terça-feira (19), 13 equipes itinerantes estão seguindo um cronograma para vacinar o público-alvo. Até ontem, foram vacinadas 2.714 pessoas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

Mourão: Furar fila é falta de solidariedade e de caráter

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, hoje, que as pessoas precisam se conscientizar para respeitar a ordem de vacinação contra a Covid-19. Furar a fila, segundo ele, mostra “falta de solidariedade” e “até de caráter”.

Mourão deu a declaração em entrevista ao chegar ao Palácio do Planalto, na qual comentou as dificuldades que países, entre os quais o Brasil, passam para fazer com que a vacinação ganhe escala.

“É necessário também que as pessoas se conscientizem que cada um tem que comparecer de acordo com o seu grupo para ser vacinado, e não procurar atropelar o processo. Isso aí denota uma falta de solidariedade, uma falta de, vamos dizer assim, até de caráter de pessoa que faz isso”, disse Mourão.

O vice-presidente contraiu Covid-19 em dezembro, ficou em isolamento no Palácio do Jaburu e, após a recuperação, informou que tomará a vacina, mas sem furar a fila. Mourão tem 67 anos de idade.

O Ministério Pública apura se houve irregularidade na conduta de políticos, empresários e funcionários públicos que receberam doses da CoronaVac mesmo não sendo parte dos grupos prioritários definidos pelos governos federal e estaduais. Há suspeita de "furada de fila" em pelo menos 12 estados e no Distrito Federal.

A CoronaVac é o único imunizante contra a Covid-19 disponível no país até o momento. As doses disponíveis da vacina, 6 milhões, não são suficientes para cobrir todo o grupo prioritário.

Para esta sexta é aguardada a chegada de 2 milhões de doses da "vacina de Oxford", em parceria com a AstraZeneca, produzidas na Índia. Segundo Mourão, no momento em que normalizar a chegada de insumos para produção local de vacinas, o Brasil conseguirá aumentar a velocidade da campanha.

Segundo o Plano Nacional de Imunização, há 14,9 milhões de pessoas que precisariam ser vacinadas na primeira fase. As doses de CoronaVac disponíveis só conseguem imunizar pouco mais de 2,8 milhões de pessoas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

Mais 6,6 milhões de vacinas no Brasil

O Brasil fecha a semana com mais 6,6 milhões de vacinas a serem distribuídas aos estados. Somam-se aos seis milhões que já estão sendo aplicadas em todas as regiões brasileiras, para grupos especiais. As informações são do Blog do Riella.

Com isso, teremos nesse primeiro momento 12,6 milhões de doses, podendo atingir 6,3 milhões de pessoas (por causa das duas doses), integrantes de grupos prioritários.

Hoje, chegam ao Brasil dois milhões de doses da vacina da Oxford, que finalmente vêm da Índia. E, durante o dia, espera-se que a Anvisa libere 4,8 milhões de doses já produzidas no Instituto Butantan, da vacina chinesa Coronavac.

Ontem, dissiparam-se os receios de impedimentos no envio de vacinas e insumos dos dois principais países produtores: Índia e Rússia. Esse fornecimento deve se intensificar nos próximos dias.

Avançam os entendimentos entre a Anvisa e o laboratório brasiliense União Química, para a liberação de dez milhões de doses da vacina russa Sputnik V. Tudo indica que o ritmo de vacinação no Brasil, em fevereiro, será intenso.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, deu declaração enfática. Mostrou que há mais de cem vacinas sendo produzidas no mundo. O Brasil, com mercado potencial de quase 210 milhões de pessoas, tem recebido muitas ofertas de fornecimento do produto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


22/01


2021

PF investiga grupo especializado em fraudes previdenciárias

A Polícia Federal (PF) deflagrou, hoje, a Operação Promus, para desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes previdenciárias. O prejuízo causado pelo esquema, em decorrência do pagamento indevido de dez benefícios, foi de R$ 700 mil. Na ação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão no Recife e em Moreno, na Região Metropolitana.

De acordo com a PF, o grupo investigado atuava em benefícios de aposentadoria por tempo de contribuição a partir de recolhimentos na categoria de empregado doméstico, sem a comprovação da atividade.

A identificação desse esquema ocorreu a partir da análise de dez processos concessórios de aposentadoria por tempo de contribuição, por parte da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT), do Ministério da Economia.

Os processos, da Agência da Previdência Social de Paulista, faziam parte do material durante outra operação, deflagrada em 2018, quando foi identificada a forma de atuação do grupo.

Foram analisados mais de 260 processos de aposentadoria por tempo de contribuição que, segundo a PF, estavam nas mesmas condições. O material deve ser encaminhado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para as devidas providências.

A PF informou, ainda, que a operação possibilitou a economia de R$ 3 milhões em pagamentos futuros, caso o esquema fraudulento não tivesse sido detectado. Na operação, participaram 19 policiais federais e três servidores da CGINT.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se