Lavareda

20/09


2020

A criatividade do povo do interior

No interior de Pernambuco, o distanciamento social tem sido uma boa justificativa para que os eleitores se livrem da insistência de políticos pedindo voto. Os que ainda ousam bater à porta estão sendo repelidos assim: "Devido à pandemia da Covid-19, NÃO estamos recebendo visitas de CANDIDATOS. Obrigado pela compreensão!"

É a sabedoria do povo da região.


Email

ALEPE

Confira os últimos posts

26/11


2020

Servidores da PCR são convocados a fazer campanha para João

Servidores com cargos comissionados na Prefeitura do Recife estão sendo escalados pelos chefes diretos para cumprir desde o primeiro turno missões diárias na campanha de João Campos (PSB). Filho do ex-governador Eduardo Campos, o candidato é apoiado pelo prefeito Geraldo Julio (PSB).

As convocações incluem bandeiraços, distribuição de panfletos em semáforos e comunidades e o uso de camisetas amarelas – cor da coligação do PSB. São feitas em grupos organizados pelo WhatsApp e divididos de maneira sistêmica por secretarias e órgãos públicos municipais.

A Folha de São Paulo teve acesso ao conteúdo de grupos de pelo menos quatro secretarias municipais e confirmou a autenticidade das mensagens após entrevistar alguns dos funcionários que integram o que eles chamam de “time”.

A prefeitura destacou que os servidores municipais têm a liberdade assegurada para exercer seu direito e participar das eleições dentro dos limites estabelecidos pela legislação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

O Jornal do Poder

26/11


2020

A ignorância racista de Bolsonaro e Mourão

Por José Nêumanne*

Na quinta-feira 19, os brancos Giovane Gaspar da Silva, de 24 anos, policial militar temporário e, segundo a Polícia Federal, sem registro nacional para atuar como segurança, e Magno Braz Borges, ambos funcionários da Vector Segurança, mataram o soldador negro João Alberto Silveira Freitas. O massacre no estacionamento de uma loja do Carrefour em Porto Alegre provocou protestos a partir do dia seguinte, feriado da Consciência Negra em vários municípios brasileiros, incluindo São Paulo.

O presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão, ambos da reserva do Exército, execraram esses protestos. “No Brasil não existe racismo”, pontificou o general. O capitão foi além ao comentar o fato, sem citar o nome da vítima, em suas redes sociais e em discurso em reunião virtual do G-20, afirmando que o Brasil é um país miscigenado e “foi a essência desse povo que conquistou a simpatia do mundo.” Disse ainda: “Contudo há quem queira destruí-la e colocar em seu lugar o conflito, o ressentimento, o ódio e a divisão entre raças, sempre mascarados de ‘luta por igualdade’ ou ‘justiça social’. Tudo em busca de poder”. E mais: “Aqueles que instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos, atentam não somente contra a Nação, mas contra nossa própria História. Quem prega isso está no lugar errado, seu lugar é no lixo”.

Aprendi no curso primário do Grupo Escolar Jovelina Gomes, em Uiraúna (PB), que a escravidão dos indígenas foi meio dominante de produção agrícola e extração mineral na colônia, usado por colonizadores brancos desde a descoberta até o século 18, quando o marquês de Pombal o extinguiu. Os bandeirantes paulistas, grandes heróis da conquista dos territórios aquém da imensa costa, recorreram à prática nos séculos 16 a 18: Fernão Dias e Raposo Tavares são cultuados em nomes de escolas. O crudelíssimo Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera, conhecido pela crueldade na captura dos nativos, é cultuado da mesma forma.

Proibidos pela coroa portuguesa de escravizar índios, os brasileiros entraram num dos capítulos mais infames da História da humanidade: o tráfico de escravos importados da África. Em compensação, aqui existiu um dos movimentos políticos de maior nobreza: o abolicionismo. Negros, como José do Patrocínio, e brancos, como Joaquim Nabuco, edificaram o que de mais nobre o gênero humano produziu no meio de tantos réprobos, como o mulato Chachá, riquíssimo mercador de escravos nascido na Bahia e morador durante a maior parte de sua vida em Angola, onde se aproveitava dos costumes das tribos locais para viver à tripa forra, como descreveu com brilho o poeta Alberto da Costa e Silva.

Nas noites de breu do sertão, ouvi na récita de cor de minha mãe, Mundica Ferreira Pinto, os versos inspirados de outro baiano, Castro Alves, narrando o horror desse comércio em seu poema antológico Navio Negreiro: “E existe um povo que a bandeira empresta/ Pr’a cobrir tanta infâmia e cobardia!…/ E deixa-a transformar-se nessa festa/ Em manto impuro de bacante fria!…/ Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,/ Que impudente na gávea tripudia?!/ …Silêncio!… Musa! chora, chora tanto/ Que o pavilhão se lave no teu pranto…// Auriverde pendão de minha terra,/ Que a brisa do Brasil beija e balança,/ Estandarte que a luz do sol encerra,/ E as promessas divinas da esperança…/ Tu, que da liberdade após a guerra,/ Foste hasteado dos heróis na lança,/ Antes te houvessem roto na batalha,/ Que servires a um povo de mortalha!…”. E Freitas seria massacrado na data dedicada a essa bandeira.

Joaquim Nabuco, vulgo Quincas, o Belo, político e diplomata abolicionista, marcaria sua passagem como autor da obra-prima literária Um Estadista do Império e condenou de forma implacável o modo irresponsável como a princesa regente Isabel aboliu a escravatura. Os negros forros saíram de senzalas humilhantes para o degredo do desemprego, da mendicância, da discriminação e da miséria como regra. Isso, é claro, não impediu a genialidade de afrodescendentes, como o maior dos escritores brasileiros, Machado de Assis, parceiro de Nabuco na criação da Academia Brasileira de Letras, Lima Barreto e Cruz e Souza, entre tantos outros. Também tinham origem na África tribal escravagista o engenheiro André Rebouças e o maior esportista brasileiro de todos os tempos, simplesmente Pelé.

Jair Bolsonaro, descendente de colonos italianos, não tem autoridade política nem pessoal para insultar, como o fez, brasileiros sensíveis que sabem que o legado histórico da escravidão negra assombra a realidade brasileira ainda hoje. Nada, portanto, o autoriza a considerar “lixo” o patrício que condene o abominável massacre de Porto Alegre como resultado dele. Ao eliminar o nome da vítima de sua manifestação execrável, ele deu força à expressão Homem Invisível, da lavra do norte-americano Ralph Ellison, como a mais completa definição de racistas que se escondem como “daltônicos”, entre os quais ele e seu vice-presidente, orgulhosos da própria ignorância e executantes de uma política que ignora a História para reproduzir suas infâmias.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Abreu no Zap

26/11


2020

Os 50 tons do vermelho

Por Antonio Magalhães*

O Recife vivencia os 50 tons do vermelho. Desde o encarnado amarelo ao vermelho militante. São vinte anos neste arco-íris limitado e com promessa de mais quatro em qualquer um tom rubro. Depois de contados os votos do domingo, 29, vai ser apontado o vitorioso e se consolidar uma mudança no panorama político de Pernambuco que nenhum vermelho esperava: a divisão da esquerda entre PT e PSB.

Mas como tudo é possível no mundo da política, uma aliança futura entre os adversários de hoje pode acontecer. Mesmo que os maiores palavrões, acusações e fake news tenham sido trocados.

A arte de se aliar com o inimigo da eleição passada está bem dentro dessa cartilha avermelhada, como a própria história registra: o PSB apoiando Aécio Neves contra Dilma; o PSB votando pelo impeachment de Dilma; o PT contra a primeira eleição de Eduardo Campos; Eduardo Campos esmagando o PT para eleger Geraldo Júlio; o PT local e nacional bloqueando Marília Arraes para não concorrer na eleição que reelegeu Paulo Câmara. Entre tapas e beijos, poderiam ser até enquadrados por violência doméstica na Lei Maria da Penha.

Como o tempo é senhor da razão e da confusão. E ninguém tem bola de cristal para ver o futuro. Vamos focar o 2022 com os olhos de hoje na hipótese dos socialistas continuarem na Prefeitura do Recife. O jovem João, se eleito, terá que trabalhar dobrado para recompor as finanças municipais, desbastadas pela gestão Geraldo Júlio para elegê-lo.

Além disso terá que limpar a ficha do padrinho junto à opinião pública local, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal. As investigações por gastos exagerados, licitações malfeitas, dívidas com médicos que operaram os hospitais de campanha durante a pandemia, tudo tem que sumir. GJ de mais rejeitado terá que ser o mais bem quisto na campanha de 2022.

Esse esquema pensado e armado desde a eleição de João Campos para a Câmara Federal dava certo no papel. João prefeito, Geraldo governador e Paulo senador, se quisesse tentar. Bem, veio o vírus chinês e misturou as cartas. Complicou o Estado, a Capital e uma eleição programada para perpetuar o PSB no comando do Estado sem atropelos.

Embora fosse uma hipótese distante a participação de Marília Arraes (PT) na campanha para a Prefeitura, os socialistas, boquiabertos, viram seu maior pesadelo se concretizar. Ela enfrentou o PT municipal, o PT estadual, todos cripto socialistas, aproveitando as benesses estaduais e municipais. De São Paulo, o chefe, acumulador de penas por corrupção e lavagem de dinheiro, deu a legenda petista para a disputa. E ela se saiu bem na campanha, indo para o segundo turno da eleição com o primo.

Nesses dias de incerteza eleitoral, das pesquisas sobe e desce, os caminhos estão sendo traçados. João na Prefeitura, Marília se libera para atropelar o PSB em 2022. E vem, pelo menos é o esperado pela visão de hoje, com uma caterpillar arrastando o que tiver pela frente e a esquerda.

Já com Marília na prefeitura do Recife a vida do PSB se complica com a divisão da esquerda. João volta à Câmara, esperando a vez para uma disputa majoritária, e o candidato dos socialistas, seja ele Geraldo Júlio – o mais provável – ou qualquer outro, vai ter que penar para ocupar o Palácio do Campo das Princesas. Pela visão de hoje, o PT não tem qualquer quadro para uma disputa ao Governo do Estado. Os existentes estão em decadência, sem futuro. Mas Marília deixaria à prefeitura na mão do vice do PSOL para arriscar o comando do Estado? Se for assim, coitado do Recife em dose dupla. Mas isso é outra história.

Na verdade, a briga dos primos, neta e bisneto de Arraes, pode vir a favorecer a oposição, que tem nomes novos e moderados como Miguel Coelho, Raquel Lira, Anderson Ferreira e Priscila Krause, todos eles dentro dos espectros de centro e centro-direita, exatamente o perfil da maioria dos prefeitos eleitos este ano, grandes eleitores estaduais.

Os partidos MDB, PP, PSD, PSDB e DEM ocuparam um espaço político este ano que vai influenciar tanto nos pleitos estaduais como o presidencial. Os radicais da esquerda e da direita tendem a ser esvaziados eleitoralmente.

A mudança do perfil político do governante de Pernambuco vai acontecer em 2022. Um PSB e um PT desgastados por gestões controversas e infinitas se diluirão no imaginário popular. É isso.

*Integrante da Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Wellington Antunes

Chora bozololóide, o choro é livre.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Não temos políticos de direita. Temos apenas aproveitadores para usar os cargos para si e dos seus. Infelizmente sempre temos de votar no menos pior. Agora, neste segundo turno, o menos pior é o PSB. O PT representa tudo de ruim e de atraso que o Brasil já teve. Não, não representa apenas por teoria, o PT institucionalizou a corrupção, roubou bilhões dos nossos impostos junto a Petrobras, BNDES, Correios, Banco do Brasil entre tantos. Teve toda sua cúpula condenada pro corrupção. O maior ladrão que o Brasil já teve, o Lula, abraçado e sendo padrinho da Marília. Não dá. Temos de votar sim. Votar contra o PT que deixou 13.000.000 de desempregados. Por coincidência o número 13 que é o número da desgraça. Os recifenses não merecem o retorno desse nefasto partido da trambicagem voltando a governar nossa Prefeitura. Um ladrão como o Lula que prega que não importa se é nazismo, fascismo, comunismo, o que não pode é ter democracia. Este é o verdadeiro PT. Que Deus ilumine nossos eleitores para afastar de vez esse nefasto Partido da Trambicagem.



26/11


2020

Equipe de Geraldo posta fake news em ameaça a assessor de Marília

A onda de fake news que toma conta da eleição do Recife nesse segundo turno alcançou até os assessores mais próximos do prefeito Geraldo Julio (PSB), a exemplo do seu chefe de gabinete, Rodrigo Mota Farias, que postou card com conteúdo inverídico na ferramenta “stories” do Instagram denunciando que o chefe de gabinete da candidata oponente, Victor Fialho, estaria desaparecido.

A postagem, realizada ontem, foi considerada por alguns como ameaça velada à integridade física de Victor. Assessor de Marília há 12 anos, seu nome foi citado na ação que a Justiça arquivou a respeito de possível recebimento indevido por parte de servidoras do gabinete da então vereadora Marília Arraes. Há alguns dias, fontes ligadas ao comitê petista informam que o assessor da candidata chegou a ser acompanhado por um carro pelas ruas do Recife em todos os trajetos que realizava. Victor ocupou a vice-presidência da Juventude do PSB em Pernambuco quando Marília ainda era do partido.

Rodrigo Mota Farias é chefe de gabinete de Geraldo Julio desde janeiro de 2013 e, ao lado de Felipe Bittencourt, Rodrigo Andrade Lima Molina, e João Guilherme Ferraz, compõe o time de frente do operacional vinculado ao prefeito do Recife. Ele é sobrinho do ex-deputado e ex-secretário Nilton Mota, responsável por uma série de indicações na Prefeitura.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Wellington Antunes

Cadê os bozololóides isentões para criticarem mais esse post aqui do blog do Magno Martins? Cadê os titios isentões?


Banco de Alimentos

26/11


2020

Esta é a cidade do PSB de João e Geraldo

É este o Recife que o eleitor que irá as urnas decidir no próximo domingo quer? Eis o retrato do abandono! Recife, literalmente no lixo, o lixo da pior gestão dos últimos 50 anos, a gestão de Geraldo, aquele que Eduardo mentiu na TV, com o slogan "Foi Geraldo que fez". E nos deixou como infeliz herança. E ainda quer botar goela abaixo um sucessor-mirim, produto do desejo e dos sonhos da mãe. 

Veja o que ele fez e está fazendo! Recife, atenção eleitor que tem seu título como arma, é campeã em desigualdade social, campeã em operações da Polícia Federal, campeã em recursos recebidos do Governo Federal para a Covid (R$ 3 bilhões), dinheirama essa que ninguém sabe onde foi parar. Esse lixão que está em todos os cantos da cidade é o cartão postal com as digitais GJ, ou Geju, como é tratado carinhosamente pelos seus asseclas.

Li, ontem, no Jornal do Commercio, que Pernambuco passou a perder investimentos também para a Paraíba. São empresas vinculadas e fornecedoras de bens de serviços à Fiat em Goiana, que encontraram mais facilidades e estrutura na vizinha João Pessoa em relação ao Recife.

Trocando em miúdos, Recife, já garroteada por Salvador e Fortaleza, agora está sendo passada para trás por João Pessoa. É nesse rumo que iremos redirecionar a cidade? Com a palavra o nobre leitor, que, cidadão, exercita a cidadania com o seu voto.

O Recife está nas suas mãos, caro leitor e eleitor. Depende de você. Eu, pessoalmente, como cidadão, me envergonho da cidade que vivemos hoje: lixo por toda parte, corrupção, abuso de poder, ditadura de uma família que se encastelou ao poder achando que a cidade, rebelde e revolucionária, virou um castelo monárquico. Cidade de contrastes sociais que se agudizaram em oito anos de uma gestão medíocre, apequenada, capitaneada por um prefeito hexa campeão em operações da Federal por desvios de recursos da Covid-19.

Quero de volta a minha Recife de Carlos Pena Filho, serena, flutua, metade roubada ao mar, metade à imaginação, pois é do sonho dos homens que uma cidade se inventa. O mesmo poeta que nos deixou esses belos versos bem que poderia abrir os olhos ainda vedados de muita gente para essa triste realidade do Recife hoje, recitando e cantando ao mesmo tempo:

"Nas mesas do Bar Savoy,

o refrão tem sido assim:

são trinta copos de chope,

são trinta homens sentados,

trezentos desejos presos,

trinta mil sonhos frustrados".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Wellington Antunes

Chora bozololóide isentão, o choro é livre, ou aceita que dói menos.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Parece até que a Cidade na época da nefasta gestão petralha era limpa. Não, não era. Além de suja, esburacada, as intervenções somente deixou o Recife pior. Como exemplo da desgraçada gestão temos Av. Boa Viagem retirando da calçada as históricas pedras portuguesas. Acabou o histórico Marco Zero com seus bancos e aconchegante arborização. A Conde da Boa Vista gastando milhões sem nenhum sentido prático. A herança petista foi um desastre total.

Wellington Antunes

Eu acho engraçado esses bozolóides ficam o dia todinho aqui atacando o blog do Magno porque ele manifesta preferências. Oh bando de bozolóides qual é o blog, o jornal, emissora de radio e TV que não tem lado? Apontem um, so um.....bem pior são os blogs que vcs seguem senhores bozolóides, aqueles que seguem o bozo e só vivem de fake-news . Ainda ontem o blogueiro bozolóide Alan dos Santos teve cancelada a conta dele no twitter por propagação de fake-news. E aí? Senhores bozololóides o que vcs dizem? Deixem de ser babacas e vão arrumar uma lavagem de roupas. O blog do Magno pelo menos não posta fake-news feito os blogs que vcs seguem, vao catar coquinhos bando bozololóides babacas.

Wellington Antunes

Oxente!!! bozolóide ontem era socialista e agora ninguém presta mais? Ah...presta...presta sim..o bozo oresidente.

Carlos

Magno Martins se transformou no sabujo do PT, quanta falta de vergonha na cara. É claro que o PSB é horrível, mas o que você omite é que o PT também é, na verdade o Recife perdeu no dia 15/11 quando coloram no 2° turno esses dois lixos, o PT é uma organização criminosa e o PSB também está envolvido em corrupção, os dois são comparsas de crime.



26/11


2020

Yves abre 25 pontos sobre Padilha em Paulista

A pesquisa do Instituto Opinião feita com exclusividade para este blog sobre a disputa de segundo turno à Prefeitura de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, mostra que o candidato Yves Ribeiro (MDB) abriu ampla vantagem sobre Francisco Padilha, do PSB. Se a eleição fosse hoje, o emedebista teria 49,1% dos votos contra 23,8% do oponente socialista. Uma diferença de 25,3 pontos percentuais. Brancos e nulos somam 14,4% e os indecisos chegam a 12,7%.

Na espontânea, em que o entrevistado é forçado a lembrar o candidato em que votará sem o auxílio do disco com todos os nomes, Yves também lidera com grande frente de 24,3 pontos: tem 43,6% das intenções, enquanto Padilha surge com 19,3%. Neste quesito, o número de indecisos é de 24%, já brancos e nulos representam 13,1%.

O levantamento também expõe a opinião dos eleitores sobre os dois candidatos e a chance de votar em um deles. Entre os consultados, 42,7% afirmam que com certeza votariam em Yves Ribeiro, enquanto 17,6% poderiam votar. Em contrapartida, 32,7% não votariam no candidato do MDB. Apenas 3,8% não o conhecem e 3,2% não responderam.

Sobre Padilha, 18,7% disseram que com certeza votariam nele, enquanto 19,8% declararam que poderiam votar no prefeiturável do PSB. Já 46,7% dos eleitores não votariam no citado, 11,8% declararam não conhecê-lo e 3% não responderam.

A consulta do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), foi a campo no dia 19 deste mês, com a aplicação de 450 questionários. A margem de erro é de 4,6 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação.

Pela metodologia, a consulta é representativa dos eleitores da área pesquisada (o município de Paulista) e foi selecionada da seguinte forma: primeiro na aleatorização da amostra em quatro estágios (bairro/localização, rua, domicílio e entrevistado) e depois em um controle das variáveis (sexo e faixa etária), ponderado de acordo com os dados obtidos junto ao TSE e TRE-PE. O número de registro da pesquisa na Justiça Eleitoral é PE-03936/2020.

Quando a pesquisa é estratificada, os melhores índices de Yves estão entre os eleitores na faixa etária dos 25 aos 34 anos (55,6%), entre os eleitores com grau de instrução superior (55,4%) e entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários (57,3%). Por sexo, ele tem a preferência de 50,2% dos homens e 48,2% das mulheres.

Já Padilha tem seus maiores percentuais de voto entre os eleitores na faixa etária dos 45 aos 59 anos (27,5%), entre os eleitores com grau de instrução ensino médio (26,2%) e entre os eleitores com renda familiar de dois a cinco salários (26,3%). Por sexo, tem a preferência de 25,1% dos homens e de 22,7% das mulheres.

AVALIAÇÃO DE QUEM VENCERÁ

O Instituto Opinião também perguntou aos entrevistados quem eles acreditam que vencerá as eleições para prefeito de Paulista. Para 61,1%, o candidato Yves Ribeiro será eleito, enquanto 17,6% apostam em Francisco Padilha. Já 21,3% não responderam.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Orlando Guedes

Sinceramente, a sua torcida contra o PSB é impressionante e descarada! Não é a favor do PT que você sempre foi contra, é atualmente anti-PSB! Podia ser mais discreto!



25/11


2020

Secretário de Geraldo usa máquina em favor de João

Até o secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti, aquele mesmo que gravou um vídeo defendendo a descriminalização do uso da maconha, está usando de forma escancarada a estrutura da sua pasta para fazer campanha em favor de João Campos, candidato do PSB e da máquina.

Nesse print de um grupo criado por ele para colocar os comissionados na campanha, ele diz: "Pessoal, quem puder ajudar na campanha fora do horário de trabalho ajude. Temos que ampliar a rede Compaz. Marília é contra. João tem o compromisso de ampliar”.

Que vergonha! Isso é crime de improbidade administrativa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Magno, crime é rachadinha. Fazer campanha fora do expediente não. Vc fazer do seu Blog um comitê do PT, desse partido que institucionalizou a corrupção. Que tem como chefe de uma Organização Criminosa o Lula ladrão e aparece abraçado a candidata que vc defende com unhas e dentes, isso sim é vergonhoso. As pesquisas quando são favoráveis a candidata do Partido da Trambicagem, o Blog é elogio só. Quando o contrário, passa a ser mentira. O desespero e essa defesa do partido que roubou descaradamente e tem toda sua cúpula condenada pela justiça por corrupção é vergonhoso. Seu Blog que levou tanto tempo para ser um Blog sério, independente e acreditado, acabou. Nas conversas só serve de chacota. Lamento. Mesmo com alguns petralhas sem educação e somente gritando palavras de ordem, era bom contestar ou elogiar as matérias publicadas. Dia 29 está chegando para não deixarmos o PT fazer do Recife sua base política. O Recife não esquece a gestão nefasta que foi a do João Paulo e João da Costa quando prefeito. Acabou o Cartão Postal da Av. Boa Viagem retirando da calçada as históricas pedras portuguesas. Acabou o histórico Marco Zero com seus bancos e aconchegante arborização. A Conde da Boa Vista gastando milhões sem nenhum sentido prático. A herança petista foi um desastre total. Que Deus ilumine os recifenses.



25/11


2020

Ibope errou feio no primeiro turno do Recife

A nova rodada da pesquisa Ibope/XT Olinda divulgada, hoje, traz uma troca de posição quanto à liderança na corrida eleitoral pela Prefeitura do Recife: João Campos (PSB) aparece com 43% dos votos, enquanto Marília Arraes (PT) tem 41%. Quando comparado ao levantamento anterior, publicado na quarta-feira passada (18), o postulante socialista cresceu quatro pontos (antes tinha 39%) e a prefeiturável petista foi na direção contrária, descendo quatro pontos (anteriormente surgiu com 45%).

Chama atenção o baixíssimo número de indecisos: apenas 2%, o que é objeto de estranhamento por parte de analistas de pesquisa. Outro dado deste novo levantamento Ibope que salta aos olhos é que João deu um pulo gigantesco de 30 pontos entre os eleitores da Delegada Patrícia (Podemos), uma das maiores opositoras ao PSB: cresceu de 17% para 47%. Enquanto isso, o Ibope diz que Marília caiu de 36% para 17% entre os que votaram na delegada.

O Ibope se empolgou tanto que nem sequer divulgou a posição do eleitorado de Mendonça Filho (DEM) em relação à Marília Arraes. Só trouxe um possível crescimento de João de dez pontos entre os que votaram no ex-ministro da Educação, outro opositor ferrenho ao grupo socialista: subiu de 33% para 43%.

Até na espontânea, João passou a ser mencionado mais do que Marília Arraes, mesmo com o candidato socialista expondo a adversária o tempo todo: ele saiu de 37% para 40% e a petista foi de 41% para 38%. Sobre os evangélicos, segmento em que a Frente Popular despejou fake news, chegando à baixeza de espalhar que Marília era contra a Bíblia e Deus, só há dados sobre João, afirmando que ele se destaca nesse grupo (49%).

Pelo Ibope de agora, Marília despencou até no eleitorado com ensino superior, onde sempre dominou: diminuiu de 49% para 40%. Foi este mesmo instituto o que mais errou no primeiro turno: deu uma vantagem de 13 pontos de João em relação à Marília (39% x 26% dos votos válidos). Quando o resultado das urnas veio, Marília teve 27,90% e João dez pontos a menos do que o Ibope apontou (29,13%). Ao final, foi uma diferença menor que 10 mil votos.

Mendonça também foi bastante prejudicado pelo instituto de pesquisa: aparecia com 18% dos votos válidos e o resultado mostrou que na verdade ele teve mais de 25%. Sete pontos de diferença, muito acima da margem de erro de três pontos pregada pelo Ibope, que também foi alvo de contendas judiciais em outros estados, como o Rio de Janeiro, por simplesmente falhar em questionários.

Com todo esse histórico de erros, o Ibope fica em xeque perante a população.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Kelson Menezes da silva

Bom dia a todos os lados , venho com muita amargura vê um jornalista como magno Martins tomar lado é vergonhoso , jogo sujo que vença as urnas ridículo um cara com tanta credibilidade no meio politico , isso deve ser revolta por não ter eleito a esposa ou uma troca de favores, deixe a população decidir tira tua irá do psb deixa a população afasta teu dedo sujo do caminho , vai ter que da 13 ou 40 não vai ser a minha ou a sua vontade e sim a do povo recifense respeite as ideias alheias , passar bem

joao carlos da silva

Uma pena, um.jornalista tão conceituado jogando fora toda a sua credibilidade tentando eleger um partido de marginais. Sua coluna Magno, da nojo, militância barata, desprezível. Aceita que doi menos, acabou a eleição pra tua candidata a professorinha de rachadinha kkkk

Fabiano

Faço minhas as palavras de Marcos Morais. Magno virou marionete de Marília Kkk . Credibilidade zero, vergonha alheia.

MARCOS MORAIS

Esse Magno Martins realmente perdeu totalmente o senso do que é ser um jornalista, a sua parcialidade é tamanha que o seu blog parece mais um panfleto da campanha de Marília Arraes. Perdeu totalmente a credibilidade. Sua parcialidade está tão grande que a justiça eleitoral deveria tomar alguma providência pq o que se faz aqui não é jornalismo e sim propaganda eleitoral.

Wellington Antunes

Pega o beco bozolóide, tu só sabe perder.



25/11


2020

João é proibido de veicular caso arquivado pelo MP

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de Recife deferiu, há pouco, medida nos Processos n. 0600151-33.2020.6.17.0001; 0600150-48.2020.6.17.0001; e 0600149-63.2020.6.17.0001, para impedir que o candidato do PSB à Prefeitura do Recife, João Campos, veicule no seu guia eleitoral e nas suas inserções fatos que tentem imputar à candidata do PT, Marília Arraes, práticas de improbidade administrativa.

Disse o magistrado que os fatos fazem menção a processo que foi julgado e arquivado pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário. De acordo com o Juiz Eleitoral, “foi exclusivamente com base nesta ação de duvidosa viabilidade jurídica, vez que fundada em fatos já rechaçados no juízo criminal, que a parte Representada, sem fazer menção ao arquivamento da ação penal, veiculou nas inserções, de modo a incutir nos destinatários uma verdade sobre fatos não positivados no plano criminal, imputando à candidata representante responsabilidade por ilicitude cuja ocorrência e materialidade revelaram-se duvidosas, colocando-a como criminosa e improba, denegrindo a sua imagem perante a população e o eleitorado”.

“A publicação, para além de explorar situação fática de duvidosa veracidade, omitindo o insucesso da demanda criminal ajuizada pelos mesmos fundamentos, apresenta nítido viés eleitoral negativo, com tons de desinformação, e com conteúdo ofensivo à imagem pública da Senhora Marília Valença Arraes, candidata ao cargo de Prefeita do Município do Recife, pela Coligação Representante. Reputo, neste ponto, que a matéria é ofensiva a honorabilidade da candidata e incorpora desinformação subliminarmente manipulada para macular a imagem pública da mesma e influenciar no pleito eleitoral”, diz um trecho da decisão.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


25/11


2020

Blog traz pesquisa para prefeito de Paulista

Na reta final da campanha de segundo turno em Paulista, faltando apenas quatro dias para as eleições, este blog traz, hoje, à meia noite, pesquisa de intenção de voto para prefeito, do Instituto Opinião. Ali, disputam Francisco Padilha (PSB), apoiado pelo prefeito Júnior Matuto, e o ex-prefeito Yves Ribeiro, candidato do MDB e do bloco de oposição. Importante colégio eleitoral da Região Metropolitana do Recife, Paulista tem uma boa razão, portanto, para dormir mais tarde hoje.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se