Lavareda

18/09


2020

O Posto Ipiranga abasteceu o BTG?

Por Arnaldo Santos*

“De repente tudo vai ficando tão simples que assusta”. Tem razão o poeta! Assusta ver a naturalidade com que os mandarins da República estão transferindo o patrimônio pertencente à sociedade brasileira para a corriola de especuladores do mercado financeiro.

A frase com a qual iniciamos essa reflexão foi extraída de um poema do genial Mário Quintana, e sua sensibilidade ilustra bem a maneira simples e assustadora com que bilhões em ativos financeiros do povo brasileiro estão sendo entregues por esse governo para a turma da banca, devidamente autorizado pelo Ministério da Economia, que, embora pareça legal, é imoral!

Para entender como se dá essa promiscuidade e identificar a sua gênese, é preciso voltar um pouco no tempo, ao ano de 1983 – quando o então economista Paulo Roberto Nunes Guedes, hoje Ministro da Economia, fundou o BTG - Pactual, um banco de investimento especializado em capital de “risco”, além de administração de fundos e gerenciamento de ativos globais.

É consabido o fato de que, em julho último, o Banco do Brasil realizou sua primeira transação envolvendo créditos fora do seu conglomerado. Quer dizer, com um banco privado. A operação envolveu uma carteira de créditos avaliada em 2,9 bilhões, vendida pelo simbólico valor de 371 milhões. Se o leitor está imaginando que esse lucrativo negócio foi transacionado com o BTG – Pactual, acertou! Percebeu o tamanho do “risco”?

É imperioso afirmar que toda a negociação foi feita sem o mínimo de transparência, e quando veio a público, o negócio já estava concluído. Nem os servidores do Banco souberam da transação, pois não houve licitação nem qualquer outro processo que possibilitasse a participação de outras instituições financeiras na disputa, conforme aponta matéria publicada pelo site The Intercept-Brasil, onde relata toda essa história nada honrosa para os personagens da trama.

De tão suspeita a tal operação, os funcionários do Banco do Brasil formularam denúncia junto ao TCU, pedindo uma investigação, cujo relatório final é aguardado com muita expectativa. O sigilo envolvendo o referido conluio, desde o início, teve nome e sobrenome – BTG – Pactual Guedes.

Se o leitor está ruborizado por saber que um ativo financeiro, patrimônio do povo brasileiro, de quase 3 bilhões de reais, foi “vendido” por pouco mais de 10% por cento do valor, o que já é gravíssimo, o mais escandaloso você vai ler nos parágrafos subsequentes.

Mencionada operação, digamos, “estruturada”, (não sei se essa expressão lhe lembra algum episódio recente de corrupção), ganha contornos ainda mais impensáveis, quando o economista Mansueto Almeida, que deixou o governo recentemente é contratado pelo BTG, mesmo antes de deixar o cargo. De reconhecida capacidade técnica, já estava no governo desde 2016, é amigo do Ministro da Economia Paulo Guedes, e foi convidado para permanecer em sua equipe como secretário nacional do Tesouro.

É cediço o fato de que, no último mês de junho, alegando cansaço, Mansueto anunciou que deixaria o governo, pois não aguentaria ficar até 2022. Logo que surgiram boatos de que já estaria negociando um novo emprego no setor privado, afirmou: “[…] não é verdade. Seria maluquice eu estar no governo e vendo para onde ir. Vou definir isso na quarentena depois que sair”.

A quarentena a que ele se refere é o tempo que os agentes públicos devem cumprir antes de irem trabalhar no setor privado (por lei, são seis meses), para evitar o uso de informações privilegiadas obtidas enquanto estiverem no governo, em favor dos interesses privados, especialmente em uma área estratégica como a de política econômica, como o Mansueto exercia.

Mas para surpresa, entretanto,  dos bem-intencionados desta Nação, o que se viu já no primeiro mês da quarentena foi o anúncio da sua ida para o BTG – Pactual, apesar de ele ter considerado “maluquice” imaginar que estaria negociando emprego no setor privado, enquanto ainda estava como secretário do Tesouro. Ficou escandalizado?

Por compromisso com a verdade deve ser dito ao leitor que esse troca-troca de cargos públicos e privados, embora escandaloso virou uma prática corriqueira no Brasil, desde a redemocratização, e a lista dos que deixaram esse, e o governo anterior, e foram para iniciativa privada cumprindo ou não a quarentena é extensa.

Além de Mansueto Almeida, o caso mais recente é o do ex-assessor especial do Ministro Paulo Guedes, Caio Megale, que pediu para sair agora em julho, foi dispensado de cumprir a quarentena, e há uma semana foi contratado como economista-chefe da XP Investimento. Outro que percorreu o mesmo caminho, foi o então Ministro da Fazenda no governo Temer, Eduardo Guardia, que desde julho do ano passado assumiu a presidência da área de gestão de ativos do mesmo BTG. Ana Paula Vescovi, ex-secretária do Tesouro, atualmente é economista-chefe do Santander. Ilan Goldfain, ex-presidente do Banco Central, é o presidente do Credit Suisse no Brasil, e a relação continua aumentando.

Diante dessa promiscuidade, ao MPF, cabe investigar o descumprimento da quarentena, e ao Congresso Nacional, aprovar uma lei mais rígida que ponha um fim a essa prática vergonhosa, que revela a um só tempo falta de ética e desvio de conduta enquanto agente público.

O mais grave você vai saber agora. De acordo com informações publicadas na mídia grande nacional, inclusive nas redes de televisão, Mansueto  será sócio, e por tanto um dos donos dessa carteira trilionária, (como assim, sócio de um banco ao pedir demissão do tesouro nacional), economista-chefe do BTG, que por uma dessas coincidências, foi fundado por Paulo Guedes, seu amigo e ex-chefe, o mesmo que autorizou a transferência da carteira do Banco do Brasil, pelo simbólico valor de 371 milhões. Não é preciso dizer mais! Como nesse governo o conceito de corrupção foi relativizado, tudo parece tão simples e normal, que até assusta!

De tão vergonhosa essa operação, Rubens Novaes, então presidente do Banco do Brasil, ainda em julho, após a conclusão desse escandaloso negócio, onde o governo entregou esse mimo de 3 bilhões do povo brasileiro, para o BTG, encaminhou  sua carta de demissão ao posto Ipiranga-BTG, alegando não ter se adaptado a cultura do compadrio predominante em Brasília, leia-se, no governo do Presidente Bolsonaro.

Apesar de o economista Mansueto só poder assumir suas novas funções em janeiro, o BTG, da corriola do Paulo Guedes, não teve o pudor nem de esperar até lá, e já está  faturando no mercado com o anúncio de sua contratação; afinal, é alguém que passou quatro anos, somando os períodos dos governos Temer e Bolsonaro, acumulando informações privilegiadas no Tesouro, o que faz seu nome valer muito para o mercado. De tão boa essa transação, e de tão benéfica sua saída do governo, nem é preciso ir para Pasárgada, pois aqui também ele é amigo do Rei!

A indecência dessa operação “estruturada” e camuflada, para a venda dessa carteira, serviu para escancarar de vez a promiscuidade que existe entre os interesses públicos e privados, em um governo, cujo Presidente se elegeu ancorado em um discurso nacionalista, assegurando a defesa do patrimônio estatal, indignado e intransigente no combate à corrupção.

Ante esse despudor e os escassos escrúpulos éticos do mandarim da economia, não é sem propósito imaginar que, com o objetivo de promover outras negociatas de transferências de mais ativos do patrimônio da nossa Nação, para a banca, o agora ex-posto Ipiranga tenha levado um cartão vermelho do Presidente, no início da semana, e fingiu que não foi com ele.

Como é típico dos vassalos, além de não defender sua equipe da humilhação pública sofrida no episódio da suspensão do Projeto Renda Brasil, sem nenhum resquício de dignidade, cinicamente, afirmou que o cartão vermelho não foi para ele. A conclusão a que se chega é que, o posto Ipiranga depois de abastecer o BTG, ficou sem combustível para fazer funcionar o Renda Brasil.

Para um Ministro da Economia aceitar ser desautorizado publicamente pela segunda vez, e ainda concordar com a grosseria do Presidente, sendo ele um professor de respeitadas instituições de ensino superior, tido e havido como homem supervalorizado pela banca da qual ele mesmo é um  renomeado integrante, dá até para desconfiar de tanta abnegação, e perguntar que outros interesses o levam a permanecer no cargo. Não vai querer nos convencer de que é por amor à Pátria! As evidências revelam uma total ausência de amor-próprio do Ministro, e me permitem afirmar que As vaidades e as ambições dos homens apagam suas biografias!

Em artigo publicado na mídia nacional, com o título A Porta-giratória Mercado-Governo, o economista Alexandre Andrada destaca a facilidade e o cinismo com que as autoridades públicas permitem que os interesses privados sequestrem os proveitos públicos à luz do dia. E assinala: “[…] ao chamar gente do mercado para comandar a política monetária, cambial e financeira do País, o governo, em certa medida, entrega superpoderes aos grupos privados que atuam nesse setor. Ao contratar com frequência funcionários e gestores públicos em troca de salários milionários, as empresas financeiras geram incentivos para que essas pessoas se comportem desde sempre em favor dos interesses de futuros e potenciais empregadores”.

No BTG, por exemplo, além de André Esteves, Pérsio Aridas, um dos seus donos, economista que trabalhou no Plano Cruzado, e foi um dos mentores do Plano Real, foi também presidente do BNDES e do Banco Central no governo FHC. Isso evidencia que, além de um problema de caráter dos indivíduos, revela a existência de uma questão de ordem estrutural, no Estado Brasileiro.

Também deve ser dito que, “[…] esse tipo de conflito de interesses nunca foi problema para esses liberais do alto escalão do mercado financeiro”, especialmente se um deles é o próprio Ministro da Economia.

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas


Email

Comentários

marcos

PERGUNTAS A UM BANDIDO CANALHA !!!.......... Ministro Celso de Melo , o Sr. sentiu a democracia ameaçada quando Jacques Wagner disse que o erro do PT foi não fazer uma revolução como Cuba ? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando José Dirceu disse que se deveria tirar todos os poderes do STF? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando o deputado Wadih Damous falou em fechar o STF? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando Marilena Chaui na frente de Lula da Silva disse que odiava a classe média? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando Lula da Silva disse em discurso que “somos nós contra eles”? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando por duas vezes através de decreto lei os governos do PT tentaram controlar a mídia? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando o PT publicou em 2014 na sua página uma lista de jornalistas desafetos colocando-os em risco? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando dois pugilistas pediram asilo político ao Brasil e foram devolvidos à Cuba? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando o líder da CUT ameaçou pegar em armas dentro do Palácio do Alvorada? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando Mauro Iasi, dirigente do Partido Comunista Brasileiro (PCB), falou que - “para militantes de direita, um bom paredão, onde vamos colocá-lo na frente de uma boa espingarda, com uma boa bala e vamos oferecer, depois, uma boa pá, uma boa cova. Com a direita e o conservadorismo, nenhum diálogo, luta.”? O Sr. sentiu a democracia ameaçada quando Lula afirma a Dilma que a Suprema Corte está “totalmente acovardada”? O Sr. sentiu a democracia ameaçada com a criação do Foro de São Paulo? Sr. Ministro , a justiça não pode ser cega apenas quando interessa. Sr. Ministro pare de ameaçar o Estado Democrático de Direito. Divulgue ao máximo!


ALEPE

Confira os últimos posts

29/11


2020

Os flagrantes de abuso do poder econômico


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

O Jornal do Poder

29/11


2020

Polícia dispersa militância em escola do Recife

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

A Polícia Militar dispersou, há pouco, militantes das duas candidaturas que disputam a Prefeitura do Recife. Apoiadores do postulante do PSB, João Campos, e da prefeiturável do PT, Marília Arraes, chegaram a se cruzar e ficaram durante pouco mais de um minuto em frente à Escola Técnica Estadual Professor Agamenon Magalhães (ETEPAM), na Encruzilhada, Zona Norte da capital pernambucana.

Este é o local de votação do vice de Marília, João Arnaldo (PSOL). Por isso, já havia militância da coligação Recife cidade da gente na área. A ação policial, contudo, foi rápida.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Abreu no Zap

29/11


2020

Votação sem filas em escolas da Zona Oeste

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog 

A movimentação em alguns locais de votação do Recife segue tranquila após a chuva que caiu pela manhã na capital pernambucana. Na Escola de Referência em Ensino Médio Juarez Távora, na Madalena, Zona Oeste da cidade, os eleitores não tiveram dificuldade para registrar o voto.

O motorista Jorge Davino, 52, relatou que não enfrentou filas. "Sempre voto aqui e foi muito tranquilo. Não tinha fila na sessão", contou.

A empreendedora Carla Teles, 49, também informou que a votação foi rápida e falou sobre a importância do ato. "É um ato de cidadania. Temos que votar no que acreditamos que tem maior capacidade de melhorar nossa cidade", avaliou.

No Colégio Ideia, que fica ao lado da escola, na Rua Real da Torre, o fluxo também se mantém sem tumulto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

João Campos vota no Recife na manhã de hoje

Por Edson Mota - especial para o Blog

Ao lado de representantes políticos, como o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, o candidato João Campos (PSB) votou, no fim da manhã de hoje, no bairro de Casa Forte, na Zona Norte do Recife.

O socialista afirmou que chega à reta final da campanha eleitoral com o sentimento de dever cumprido. "Chegamos até aqui com o sentimento de dever cumprido e vou me dedicar integralmente à cidade. Aqui é só gratidão", afirmou.

Além dos principais gestores, o deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos) e o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros (PP), estiveram acompanhando o prefeiturável na Escola Professor Cândido Duarte.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Banco de Alimentos

29/11


2020

Eleitores são detidos em Paulista por boca de urna

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da promotora Eleitoral Christiana Ramalho Leite, informou que foi realizada, na 146ª Zona Eleitoral, detenção de eleitores na Escola Gil Peres, no bairro de Pau Amarelo, pela realização de crime de boca de urna.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

André Ferreira: Marília é o melhor para Recife

Por Houldine Nascimento da equipe do blog

Outra liderança a acompanhar a candidata a prefeita do Recife Marília Arraes (PT) neste dia de votação foi o deputado federal André Ferreira (PSC), que preside a legenda em Pernambuco. O parlamentar falou sobre a relação de amizade com a prefeiturável e disse que ela representa "o melhor para o Recife".

"É uma alegria estar aqui com vocês hoje. Tive a oportunidade de ser vereador ao lado de Marília, com três mandatos, e agora como deputado. Tenho certeza de que o melhor para o Recife é você. Como Anderson já falou, começar o dia louvando a Deus é um ato de respeito. Lá para a noite, vamos ter a primeira prefeita eleita do Recife. A verdadeira mudança se chama Marília", declarou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

Nilvan Ferreira: “Fizemos campanha limpa, sem fake news”

O candidato a prefeito de João Pessoa, Nilvan Ferreira (MDB), votou por volta das 10h20 deste domingo (29), na Escola Municipal Seráfico da Nóbrega, na rua Ubirajara Targino Botto, nº 36, no bairro de Tambaú, em João Pessoa.
Nilvan chegou ao local acompanhado do senador José Maranhão, e seu candidato a vice-prefeito, Eduardo Milanez.
"Fizemos uma campanha limpa, sem fake news, uma campanha que falou a verdade para a população", afirmou Nilvan.  A cidade só muda se tiver um gestor diferente. João Pessoa não precisa de um gestor requentado, do passado, acusado de corrupção", disse.

Clickpb


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

Cícero Lucena: " Fundamental que o governo esteja ao nosso lado"

O candidato a prefeito de Joçao Pessoa, Cícero Lucena (PP) votou por volta das 11h, no colégio Meta, em frente ao canal do Bessa. O candidato estava acompanhado de seu vice-prefeito, Leo Bezerra, pelo governador João Azevêdo e a senadora Daniella Ribeiro. 

"Temos a alegria de ter a companhia do governador João Azevêdo, preparando João Pessoa para um milhão de habitantes. É fundamental que o governo esteja ao nosso lado", disse. 

Clickpb


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

"Recife precisa de mudança", diz Anderson Ferreira

Por Houldine Nascimento, da equipe do blog

O prefeito reeleito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), foi uma das lideranças evangélicas que se reuniram mais cedo com a candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes. Na ocasião, o gestor falou sobre o apoio dado à prefeiturável. 

"Marília é uma amiga que conhecemos, e não é de hoje. A convivência demonstrou para todos nós e para a população que o Recife precisava de uma verdadeira mudança, que representasse o futuro da cidade. E hoje nós estamos iniciando um dia importante para a cidade. Estivemos ontem numa carreata e a emoção já tomava conta da nossa prefeita. Eu a admiro pela iniciativa que teve em começar esse dia tão importante agradecendo a Deus", disse Anderson.

"Marília foi uma pessoa que sofreu tantos ataques, foi tão perseguida, mas os humilhados serão exaltados", completou o prefeito de Jaboatão, que falou ainda sobre necessidade de mais parcerias com o Recife.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


29/11


2020

Bolsonaro, Paes e Crivella votam no Rio de Janeiro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou por volta das 10h40 na escola municipal Rosa Da Fonseca, que fica na Vila Militar, em Deodoro, na zona oeste do Rio de Janeiro, para votar. Ele deve retornar a Brasília no início da tarde. Acompanhado por seguranças, na chegada o presidente não deu entrevistas a jornalistas e falou rapidamente com alguns apoiadores. Cerca de 30 pessoas o aguardavam no local. Usando máscara, Bolsonaro chegou a pegar uma criança no colo antes de entrar na escola para votar. 

Os candidatos à Prefeitura do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos) e Eduardo Paes (DEM), votaram na manhã deste domingo, no Rio. 

Crivella foi o primeiro. O atual prefeito do Rio chegou para votar às 10h na Escola Municipal Sérgio Buarque de Holanda, na Barra da Tijuca, zona oeste. Cerca de trinta minutos depois, Paes votou no Gávea Golf Club, em São Conrado, na zona sul. 

 Com informações do UOL e Estadão

     


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Wellington Antunes

Filho 04, aquele que o bozo falou que era o pegador do condomínio, agora é consultor federal da Secretaria Especial de Cultura da União, com um salário de 37.000,00 Reais. É essa a meritocracia que eles falam? Bolsomínion, tu és um OTÁRIO!

Wellington Antunes

Voto perdido no Crivella