Nova Orla Jaboatão

13/07


2020

Advogado denuncia trecho de Santa Cruz a Jataúba

A pedido deste blogueiro, leitores estão denunciando o abandono das estradas de Pernambuco, como atesta este vídeo do advogado Cláudio Soares no trecho entre Santa Cruz do Capibaribe a Jataúba, no Agreste Setentrional. Envie seu vídeo também da estrada mais esburacada e abandonada da sua região. O povo agradece!


Email

Petrolina Julho 2

Confira os últimos posts

02/08


2021

Depoimento na PF

Da coluna de João Alberto

Muitos oficiais do alto escalão do Exército não escondem a decepção com o depoimento de Eduardo Pazuello na Polícia Federal. Foi a primeira vez que isto aconteceu com um general da ativa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Pousada da Paixão

02/08


2021

TCE livra secretários do PSB de multas

EXCLUSIVO

Veio à tona processos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) livrando secretários estaduais do governo do PSB de multas aplicadas por não alimentação do Sistema SAGRES. O TCE, inicialmente, tinha multado vários secretários estaduais por não enviar dados de gastos com pessoal (Sistema SAGRES) ao TCE. Alguns secretários ficaram até quatro anos sem enviar os dados ao TCE.

Após aplicadas as multas, alguns secretários ligados ao PSB recorreram ao plenário do TCE e, por maioria, foram retiradas as multas.

Em novo julgamento perante a Segunda Câmara do TCE, o decano do tribunal, conselheiro Carlos Porto, reportou que a decisão do plenário "feriu a resolução do tribunal que havia aplicado aquele auto de infração", favorecendo os gestores ligados ao PSB.

"Então, teve um processo cuja relatora foi a Conselheira Teresa Duere, ela aplicou uma multa ao ex-secretário de educação do estado de Pernambuco. Houve um recurso com relação a esse auto de infração. Esse auto de infração eu fui indicado como relator e eu levei na sessão mantendo o auto de infração, conforme havia se posicionado a Conselheira Teresa Duere. Esse auto infração foi a julgamento no Pleno e por maioria de votos se derrubou o auto de infração. Então, consequentemente, foi uma decisão que feriu a resolução do tribunal que havia aplicado aquele auto de infração", disse o conselheiro Carlos Porto, na sessão da Segunda Câmara.

Agora, o TCE deverá ficar sem os dados de gastos com pessoal, devidos pelos secretários ligados ao PSB.

"Está em vigor a Resolução do Tribunal com o problema do SAGRES, da alimentação do SAGRES. E o Tribunal se posicionou contrário à Resolução", explicou o conselheiro Carlos Porto.

No último processo, julgado em 29 de julho, foi retirada uma multa para a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agrário. Após a decisão do plenário do TCE beneficiando gestores ligados ao PSB, o conselheiro Carlos Porto, por uma questão de justiça e isonomia, resolveu retirar também as multas que aplicou a todos os demais gestores sancionados em processos de sua relatoria.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Ipojuca - Muro de Arrimo

02/08


2021

Por que o Brasil não se sai melhor nas Olimpíadas?

Por Maurício Rands*

Somos a 5ª maior população do mundo e a 13ª economia, ultrapassados que fomos por Canadá, Coréia e Rússia no ano passado. Mas na Olimpíada de Tóquio, estamos na 18ª posição, com 2 ouros, 3 pratas e 5 bronzes até este domingo. Na Olimpíada de 2016 no Rio, com 19 medalhas, sendo 7 de ouro, 6 de prata e 6 de bronze, ficamos na 13ª posição. Subimos de 33º para 29º lugar no ranking histórico das Olimpíadas. Na de Londres, com 17 medalhas (3 ouros, 5 pratas e 9 bronzes), havíamos ficado na 14º posição. Em Tóquio, até o momento estamos em 18º lugar, com 10 medalhas (2 ouros, 3 pratas e 5 bronzes).

Tradicionalmente, o Brasil tem uma 2ª semana positiva. O que pode acalentar algumas perspectivas de medalhas. Em modalidades como handebol feminino, futebol masculino, salto com vara (Thiago Braz), boxe, (com o potencial para o ouro de Hebert Conceição), vôlei masculino, (já nas 4as. de final), corrida de 400 m com barreiras (Wallinson dos Santos na final), remo (Izaquias Queiroz, que teve 2 pratas e 1 bronze no Rio), vôlei de praia (Ana Patrícia e Rebeca já 4as de final), ginástica de argolas (Arthur Zanetti estreia hoje), e a “medal race” da vela (Martina e Kahena podem conquistar o bi olímpico).

Já comemoramos alguns feitos de atletas que se superaram. Vimos o borbulhar do espírito olímpico nas atitudes e na performance de Rebeca Andrade (ouro e prata), Raissa Leal (prata, a mais nova medalhista brasileira, com 13 anos), Ítalo Ferreira (ouro). Da turma do judô, com dois bronzes, Mayra Aguiar à frente com o seu bronze resgatado na repescagem. De Laura Pigossi e Luisa Stefani, bronze na dupla de vôlei. De Kargnin, bronze no judô. De Kelvin Hoefler, prata no skate. Foi bonito ver o espírito olímpico da ginasta americana Simone Biles, a favorita ao ouro que desistiu das provas e reconheceu não estar em plena saúde mental. Emocionante vê-la esportivamente festejando o ouro de Rebeca. Bonito também ver Bruno Fratus, com o bronze na natação de 50 m, conclamando nosso povo: “Se permitam ser o povo e o país que a gente pode ser”.

Sabemos que os resultados ainda estarão aquém do nosso potencial. Já tivemos algumas expectativas frustradas. Casos de Robert Scheidt na vela laser, que ficou em 8º lugar, embora isso não ofusque suas 5 medalhas em olimpíadas diferentes. Assim como do handebol masculino, eliminado nas classificatórias pela Alemanha. Ou do futebol feminino e da dupla Agatha/Duda no vôlei de praia.  E de Aline Silva, na luta olímpica, ela que já foi vice-campeã mundial.

O espírito olímpico, no entanto, nem sempre se fez presente. Em algumas decisões dos painéis de julgadores, o Brasil parece ter sido prejudicado. Caso da judoca Maria Portela, que foi eliminada depois de ter dado um decisivo “wazari” que deixou de ser pontuado. Caso de Gabriel Medina, eliminado depois de receber, em sua manobra voadora, uma pontuação inferior à idêntica manobra do seu concorrente. Antes o Brasil era sempre visto com simpatia. Talvez pelo nosso espírito leve e aberto. É fato que a imagem internacional do Brasil hoje já não é a mesma. Desgastada pela devastação na Amazônia, pela corrupção dos governantes, pelo fracasso no combate à pandemia, e pela ascensão de um populismo de extrema-direita com pauta contrária às tendências emancipatórias de mulheres, afrodescendentes, gays e outros segmentos discriminados. Muitos se indagam se essa imagem corroída não está atraindo uma má vontade internacional que pode influir nos veredictos dos juízes até mesmo nas Olimpíadas.

Quanto à cobertura televisiva ficam as indagações. O estilo patrioteiro-ufanista é o que mais convém ao público brasileiro? O telespectador espera dos narradores mais informação sobre o esporte em disputa ou mais torcida? Parece que Galvão Bueno anda fazendo escola. Ele que certa vez foi criticado por Nélson Piquet sob o argumento de que falava muito e nada sabia sobre automobilismo. E que, em Tóquio, chegou a ficar de costas para o salto de Rebeca que estava a narrar. Narrar não, porque Galvão prefere gritar e repetir platitudes. Ficamos frustrados quando esperamos que os narradores nos informem sobre regras e contextos. É de se perguntar: por que a Globo, tão competente e eficiente, ainda nos impõe Galvão em tudo que é esporte?

Resta-nos torcer nesta segunda semana. E iniciar um grande debate sobre os problemas estruturais que impedem uma melhor participação do Brasil nas Olimpíadas. Para que superemos essa cultura nacional que nos mantém como potência esportiva menor. Uma cultura que não valoriza o esforço, a disciplina e o equilíbrio emocional. E que exalta o mínimo esforço e a pseudo esperteza. Faltam organizações públicas e privadas que apoiem os atletas. Poderíamos ter uma política de incentivo aos colégios e universidades para maior foco nos esportes. Tudo isso, claro, depende de uma melhor organização, que supere a corrupção e a ineficiência em nossas entidades desportivas.

*Advogado formado pela FDR da UFPE, PhD pela Universidade Oxford


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


02/08


2021

Araripina receberá montadora nacional

O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel (PSL), anunciou, em suas redes sociais, que o município receberá uma montadora automotiva. A fábrica detém a marca NBR Automotiva, fabricante do Buggy BRM.

Segundo o gestor, as obras vão começar em breve e terão um investimento de 200 milhões de dólares. A perspectiva é de geração de mais de 400 empregos diretos para os araripinenses.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Caruaru Novas Creches

02/08


2021

Frente a Frente com três prefeitos do Pajeú

A semana do Frente a Frente itinerante começa, hoje, pelo Sertão do Pajeú. Nos estúdios da rádio Pajeú, em Afogados da Ingazeira, recebo, ao lado do diretor da emissora, Nill Júnior, os prefeitos Sandro Palmeira (PSB), da própria Afogados, Márcia Conrado (PT), de Serra Talhada, e Anchieta Patriota (PSB), de Carnaíba, terra de Zé Dantas, grande parceiro de Luiz Gonzaga em ano de comemoração do seu centenário. Na pauta, seis primeiros meses de gestão, redução do quadro da pandemia do coronavírus e eleições 2022.

Já na quarta-feira, direto dos estúdios da Tropical FM 102,3, em Juazeiro (BA), nossa parceira e integrante da Rede Nordeste de Rádio no Vale do São Francisco, coloco em discussão a redução da Covid-19, as exportações de manga e uva e a produção de vinhos na região, com convidados especiais dos respectivos setores sugeridos pelo meu amigo jornalista Carlos Laerte, sob a coordenação de Flávio Ciro, diretor da emissora.

Na quinta-feira seguinte, no mesmo horário do programa, de 18 às 19 horas, ainda nos estúdios da Tropical, recebo os prefeitos de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), e de Juazeiro (BA), Suzana Ramos (PSDB), para uma entrevista sobre os seis primeiros meses de gestão, redução da Covid-19, tratamento dado pelos Governos de Pernambuco e Bahia, respectivamente, além de sucessão 2022.

Na sexta-feira, tem o já tradicional Sextou, quadro criado na pandemia para os artistas, afastados dos palcos pela proibição de aglomerações. O convidado ainda está em aberto e deve ser confirmado hoje ou amanhã. Entre as opções, José Augusto, Raimundo Fagner, Jorge Aragão e Alcione. 

Já na próxima semana, o Frente a Frente será direto de Brasília. O convidado especial é o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, envolvido na polêmica da retirada de Pernambuco do trecho da Ferrovia Transnordestina até Suape, enquanto o ramal do Ceará até o porto de Pecém, em Fortaleza, anda de vento em popa, com inauguração prevista até dezembro.

Transmitido pela Rede Nordeste de Rádio, hoje com 44 emissoras em Pernambuco, Alagoas e Bahia, o Frente a Frente pode ser ouvido também pela Internet. Para isso, duas opções: quem estiver navegando neste blog, basta clicar no link Rádio acima ou baixar o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

CABO

02/08


2021

Agosto: Vade retro, vírus comunista!

Um passarinho contou ao bicho-grilo Adalbertovsky que neste mês de agosto o vírus comunista chinês está indo embora, graças a Zeus. “Saído das cavernas de Wuhan na China há mais ou menos um ano e 10 meses, o estrago foi grande desde então. Vade retro, maledeto corona! Vírus são manifestações do mal na microsfera, emprenhados nas trevas pelos Anjos Decaídos. Conspiram conta a humanidade adâmica desde os tempos do Paraíso perdido”. 

“Mulheres de sovaco cabeludo e marmanjos com cérebro de minhoca são mais propensos a contrair a bactéria comunista. Trata-se de um micróbio altamente contagioso e que produz lesões irreversíveis na mente das vítimas. A bactéria comunista é transmitida através da fala, da escrita, do aperto de mão e até do olhar tenebroso de um portador do micróbio. Devemos lavar as mãos com creolina e manter distância regulamentar desses elementos. Zeus me livre de aglomerar com a caterva vermelha comuinista, nem morto!”.

“Estudos científicos revelam que Fidel Castro, com licença da palavra, era um guabiru em forma de gente. Veio da cepa dos assassinos stalinistas. Ainda hoje e há 62 anos o espírito dele mantém a escravidão em Cuba. O ditador Nicolas Maduro é uma ratazana dos esgotos comunistas na Venezuela”.

“Aqui no Brazil um bode rouco criptocomunista é fator de transmissão da bactéria comunista. Na verdade, os bodes, cabras e pais de chiqueiro são criaturas do bem, mas no caso trata-se de uma serpente com pele de bode nordestino”. 

“Excrescências humanoides em forma de gente, o nazista Hitler e o comunista Stalin eram encarnações de Lúcifer e de Satanás. Hoje comandam legiões de demônios sob o fogo de enxofre. Comunismo é vírus mutante e hoje se chama globalismo”. O sermão agostiniano do bicho-grilo Adalbertovsky está postado no Menu Opinião. Adelante!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Comentários

Joao

Vade de retro, virus Bozolóide e todos os puxa-sacos. Também todos os fascista, genocidas e nazistas. Recentemente foi recebida no Brasil a neta de um nazista que serviu a Hitler com pompas e muita alegria, vade de retro seus admiradores e rodos os párias!


Bandeirantes Junho 2021

01/08


2021

A delegada disse sim ao amor

Por meio de sua conta oficial no Instagram, a delegada Patrícia Domingos (Podemos) revelou aos seus seguidores que casou. A informação de bastidor é que a cerimônia discreta ocorreu ontem em São José da Coroa Grande, no Litoral Sul pernambucano.

"Hoje eu lhe entrego meu coração e prometo caminhar com você lado a lado, onde quer que a nossa vida nos leve, vivendo, aprendendo e amando. Prometo cuidar de você com todo amor e carinho até o fim de nossas vidas. Te amo", escreveu a delegada.

Embora ela mantenha discrição sobre a identidade da alma gêmea, o nome do felizardo é José Neto. Nas últimas semanas, Patrícia tem feito publicações românticas, mostrando que está apaixonada.

O cupido acertou uma flecha no coração da delegada conhecida por ser linha dura. Felicidades ao casal!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Serra Talhada 2021

01/08


2021

Alta dos alimentos faz brasileiro temer a volta da inflação

Por Fernando Castilho*

Nos últimos meses, os brasileiros passaram a conviver com um nível de inflação que, entre os mais novos, só tinha referência o governo Dilma Rousseff, e, para os mais velhos, o período que antecedeu a chegada do Real, em 1994.

O noticiário econômico já trata do tema, inclusive prevendo que 2021 deve ter Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 8,07% no período de 12 meses. Medidos até junho, os últimos 12 meses chegam a 8,35%. Há certeza de que a taxa Selic, que fixa os juros pagos pelo governo, fechará 2021 em 6,50%. 

Mas a inflação do cidadão tem números maiores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o grupo de alimentos, em 12 meses, cresceu 12,59%. Mas, na ponta, itens como óleo de soja (83.93%), feijão macaçar (59,92%) e arroz (45,40%) assustam as donas de casa.

As carnes bovinas, na média, subiram 38,25% e o corte mais caro do boi, o Filet Mignon, aumentou 53,52%. Pouca gente come Filet Mignon, por isso o peso maior é sentido no frango inteiro, que subiu 19,55%.

Na esteira da inflação dos alimentos, outros itens passaram a assustar, subiram 16,88%. Essa inflação atinge mais as famílias que recebem até dois salários mínimos, na hora de comprar comida.

É uma situação curiosa. O noticiário que fala do crescimento das exportações de soja, milho, carnes bovinas, suínas e de frango é o mesmo que, na sequência, relata a explosão de preços cobrados em Real.  

A exportação de soja e milho impacta diretamente o preço do óleo de soja, margarinas, fubá e todo o complexo de carnes que usa farelo de soja e milho para a produção de proteína animal.

Segundo o IBGE, a alimentação no domicílio foi de 0,33% em junho, puxada pelas carnes (1,32%), que subiram pelo quinto mês consecutivo e acumulam alta de 38,17% em 12 meses.  

O IPCA, que oficialmente mede o índice da inflação no Brasil, foi de 0,53% em junho. No ano, o índice acumula alta de 3,77% e, nos últimos 12 meses, 8,35% - acima dos 8,06% observados nos 12 meses anteriores. 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta de preços em junho. O maior impacto veio da Habitação e, na sequência, Alimentação e Bebidas (0,43%). 

No grupo Alimentação e Bebidas, as quedas na batata-inglesa (-15,38%), a cebola (-13,70%), o tomate (-9,35%) e as frutas (-2,69%) ajudaram o consumidor.

Mas nem só de alimentos vive a inflação do brasileiro. Energia elétrica já subiu 14,20% e combustíveis domésticos, 22,98%.

Eles também assustam. Mas, além do IPCA, um outro índice assusta milhares de consumidores: o IGPM, que é usado para os reajustes dos contratos de aluguel. Ele subiu tanto em 12 meses que foi abandonado pelo mercado. Em 12 meses, o índice chegou a 33,83%, Apenas em 2021 ele já subiu 15,98%.  

Na mesa de negociação são poucos os proprietários que usaram o índice cheio. Como os senhorios sabem que subir o valor do aluguel pelo IGPM pode significar meses fechado e despesas com o condomínio, a opção foi negociar.

O que pouca gente percebe é que fora do índice da inflação (IPCA), do PIB, da taxa Selic e do desemprego, o IBGE, o Banco Central e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) também produzem uma série de forte impacto na nossa vida diária.  

Um desses índices é o Índice de Preços ao Produtor (IPP), voltado para a indústria e mede a variação de preços de venda recebidos pelos produtores de bens e serviços e sinaliza as tendências inflacionárias de curto prazo no País. Ele é essencial como instrumento analítico para tomadores de decisão, públicos ou privados. Em 12 meses, o IPP já está em 36,81% e só em 2021 chegou a 19,11%. 

O IPP é desconhecido pelo cidadão comum. Mas ele é acompanhado pelos analistas e, segundo o IPP de junho, em 12 meses, a fabricação de produtos alimentícios (maio/2020 e junho/2021) registrou uma inflação de biocombustíveis (cujos preços são regulados em dólar) chegou em 2021 a 76,64%.

A única informação boa é que a inflação de um ano no setor de fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos subiu apenas R$ 8,69%.  

Para toda uma geração que nasceu depois da criação do Real, de fato, a ideia de uma inflação que passe de 10% ao ano é mesmo impensável.

Mas é importante lembrar que houve uma quebra do PIB do País, em 3,50% (2015) e 3,30% (2016) levando a um impeachment. 

Por isso, a ideia de inflação acima de 8,06% no ano assusta. Talvez o nossa maior conquista como nação.

Alta do IGPM assustou o mercado

No debate da inflação desde o final de 2020, um índice passou a ter atenção especial. O IGP-M. Ele é uma das versões do Índice Geral de Preços (IGP), que registra a variação de preços do mercado. Ele engloba desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais.

O motivo da atenção com o IGPM foi sua variação: 33,83% em 12 meses. Só em julho ele variou 0,78% e, com este resultado, o índice acumula alta de 15,98% no ano. O alarde já existia em 2020, quando o índice havia subido 2,23% e acumulava alta de 9,27% em 12 meses.  

O problema do IGPM é que ele é usado como indicador para o reajuste de custos em contratos de aluguel e energia elétrica, o que nesse tempo de crise hídrica acentua a importância.  

Na vida prática, as pessoas só sabem da existência do IGP-M quando vão estabelecer um contrato de aluguel, já que esse índice influencia diretamente no valor pago mensalmente.

O problema é que o IGPM é formado por três outros índices: IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo – Mercado), IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor – Mercado) e INCCM (Índice Nacional do Custo da Construção – Mercado). O IPA-M tem peso de 60% no IGPM e é ele que monitora os preços recebidos pelos produtores domésticos no atacado (tanto industriais quanto agropecuários) E como esses produtores trabalham com o dólar, o IGP-M disparou.  

O aumento do IGP-M levou o Congresso aprovar uma lei para substituí-lo pelo IPCA. O mercado imobiliário não gostou, porque o padrão IGPM já está em uso há 30 anos e inquilinos e locatários já estavam se entendendo. A lei foi aprovada, mas o mercado encontrou o caminho da negociação.

Taxa de juros. O BC chegando atrasado na atitude

Nesta terça e quarta-feira, o Banco Central faz a sua quinta reunião do ano. Até dezembro devem ocorrem semana será mantida a tendência de alta, podendo a taxa subir para 6,50% em dezembro.  

A Selic é uma taxa referencial. Ela baliza o mercado e ficou em apenas 2% entre 16 de setembro do ano passado e 18 de março último. Desde então, iniciou uma tendência de alta que a elevou para 4,25% desde 17 de junho, devendo chegar a 5% esta semana.

A retomada da alta é motivo de críticas de analistas do mercado que avaliam que o Banco Central foi cauteloso demais em mantê-la em 2%, permitindo que a inflação fosse alimentada. 

Mas para o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega, “A mudança no panorama inflacionário obriga o Banco Central a fazer isso, senão ocorrerá a contaminação da taxa para 2022”. 

Com a taxa Selic de 2%, a inflação no Brasil subiu, deixando os juros negativos. A correção tornou-se uma necessidade urgente, embora nas suas atas (documento em que explica sua decisão ao mercado) o BC venha insistindo que agiu no prazo certo.

O problema é que a alta do dólar, que impulsionou as exportações e fez a alegria do agronegócio, teve efeito no mercado interno onde, além dos alimentos, todos os demais setores enfrentaram pressão de alta.  

Juros altos assustam o mercado, ponta as taxas não tenham subido nos mesmos índices da inflação, as dificuldades na economia prejudicam especialmente as pequenas e médias empresas.

O preocupante é que no mercado existe a certeza de que até a última reunião do Copom, em 7 e 8 de dezembro, a Selic chegue a 6,50% - a mesma taxa entregue por Michel Temer a Jair Bolsonaro. Para Maílson, se isso acontecer, “a vantagem é não precisar elevar a Selic ao longo do próximo ano e manter neste nível até 2023”.

Exportações cresceram empurradas pelo dólar

No ano passado, as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 100,81 bilhões, com um crescimento de 4,1% sobre 2019.

Apenas o complexo soja cresceu 35% (US$ 35,24 bilhões). A seguir vieram as carnes, com crescimento de 17% (US$ 17,16 bilhões) e os produtos florestais - representados por papel e celulose, que cresceram 11,3% (US$ 11,41 bilhões); e o complexo sucroalcooleiro, com 9,9% tudo que foi exportado pelo setor em 2020.

Só que isso tem repercussão em Real destino do produto, comprando 73,2% da soja em grãos exportada pelo Brasil, no total de US$ 20,91 bilhões, seguida do farelo de soja - somaram US$ 5,92 bilhões, um recorde nas quantidades da série histórica. A China também comprou mais carnes de boi, frango e porco. O problema é que esse sucesso vai bater na mesa do brasileiro. 

No caso do farelo de soja, usado para alimentação dos animais na engorda. Mais farelo exportado é menos farelo para a indústria de carnes, especialmente frango e porco. No caso das carnes, segundo o IBGE, medindo o IPCA existem detalhes curiosos. Do filet mignon que subiu (53.52%), o problema foi para os principais cortes, que subiram acima de 30%. Caso do contrafilé (36.115), lagarto (40,21%) acém (40,94%) e costela (45,30%) e carne Sol (13,60%). Na esteira dos aumentos, a carne de porco subiu 32.39% e o frango inteiro, 19,55%. 

O problema do sucesso na exportação é que ele acabou resvalando para os demais produtos como ovos (8,04%), leite longa vida (11,37%) e o café moído 11,18%. E na esteira disso, até mesmos produtos agrícolas tiveram reajustes. O arroz e o feijão formam os grandes vilões, porque sendo comodities 

*Jornalista. Titular da coluna JC Negócios, do Jornal do Commercio.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


01/08


2021

A salada de frutas do governador

O Palácio do Campo das Princesas emitiu um aviso de licitação na última sexta-feira (30) para a aquisição de frutas, com valor total de R$ 78.902,67. A sessão de abertura do pregão está marcada para 17 de agosto, às 9h.

O que chama atenção no procedimento são os valores de alguns produtos, como cereja fresca, que sairá a um total de R$ 1.699,33. Está prevista a contratação de 20 kg da fruta. Cada quilo sai a R$ 84,97.

De coco verde, o gabinete do governador Paulo Câmara (PSB) pretende pagar R$ 22.980,00. A unidade custará R$ 3,83, de um total de 6 mil cocos.

Já de kiwi, a previsão é a compra de 100 kg ao custo de R$ 3.233,00. Tudo isso em um momento duro para parte da população pernambucana, em situação de fome.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se


01/08


2021

PRTB não pode compor com PSB

Por Fernando Gordinho*

O PRTB 28 é um partido democrático de direito e o nosso eterno líder, Levy Fidelix, em memória, sempre defendeu a nossa ideologia de direita: Deus, pátria e família. Fico muito triste em ver alguns dos nossos líderes querendo levar o PRTB para o palanque do PSB, um partido de esquerda que, junto com o PT, levou o país e Pernambuco a passar por dias muito difíceis.

De compra de respiradores para porcos a bandeja de ovos por 25 reais, além da séria crise na saúde e a perseguição aos nossos policiais e empresários empregadores. No segundo mandato, o governador não disse a que veio. Em Jaboatão, não conheço uma obra empreendedora desse governo.

O PRTB tem nomes com pontencial para tocar esse Estado e, junto com o governo federal, levar Pernambuco a ser o Leão do Norte. Nosso vice-presidente, general Hamilton Mourão, é cidadão recifense e, em breve, será pernambucano.

Ele tem serviços prestados a Pernambuco, quando por aqui passou, e tem uma filha pernambucana. É um homem com serviços prestados também ao Brasil e ao mundo. Com Mourão, Pernambuco vai entrar na rota do desenvolvimento.

*Ex-vereador de Jaboatão


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se

Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores