ArcoVerde

26/12


2010

Brancos e negros têm acesso desigual ao SUS

Idealizado como sistema de atendimento universal, o SUS revela um pouco do abismo racial no país. Dados do Relatório das Desigualdades Raciais, estudo produzido pelo economista Marcelo Paixão, da UFRJ, mostram que brancos e negros têm acesso desigual à saúde pública, informa o jornal O Globo.

 

Entre mães de filhos brancos, 71% fizeram mais de 7 consultas pré-natais. No caso de mães de filhos pretos e pardos, o percentual cai para 42,6%. A incidência de tuberculose e hanseníase entre homens pretos e pardos é 45% maior que entre brancos. Beneficiários de 55,2% dos atendimentos do SUS, pretos e pardos se dizem mais insatisfeitos – embora, para esta população, normalmente mais pobre, o sistema tenha importância 19,5% maior do que a declarada pelos brancos. O relatório se baseia nos resultados do Pnad.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fagner

Não vejo nenhuma vantagem nessa pesquisa, porque o atendimento na saúde pelo setor privado, tanto quanto, pelo SUS não vale um cocô de gato.

jose rogerio guedes cavalcanti

Sem contar que esse Pnad só serve prá esculaxar o brasileiro. Em pesquisa de setembro deste ano, alardeou que 1 em cada 5 brasileiro é analfabeto funcional. Ora me poupe!

jose rogerio guedes cavalcanti

Porque não fazem uma pesquisa prá saber o número de negros que pertencem a classe média alta do Brasil? Porque esses institutos insistem em nos tratar como coitados? Até parece que só se sustentam por dar apoio as minorias.

jose rogerio guedes cavalcanti

Essa mania de achar que todo negro é pobre é demais. Sou negro mas tenho plano de saúde, assim como a Preta Gil, o Ronaldo, Ronaldinho, Adriano, Romário, Marcelinho Carioca e muitos outros.

jose rogerio guedes cavalcanti

Talvez os brancos tenham um maior número de atendimento porque são maioria e também porque são os que mais procuram o SUS. Não acredito nessa pesquisa de jeito nenhum.


Asfaltos