Jaboatão vai conquistar você

23/11


2021

Lambança do PSDB facilita terceira via

Por José Nêumanne*

que aqui vou narrar ninguém me contou: eu vi, ouvi, testemunhei e conferi. Luiz Inácio Lula da Silva era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema, hoje ABC, ao engajar-se na candidatura alternativa do PMDB na eleição vencida por Franco Montoro para o Senado. Montoro ganhou a primeira eleição direta para governador do Estado de São Paulo e Fernando Henrique Cardoso assumiu a vaga no Senado. Lula e FHC juntaram-se de novo no palanque das Diretas Já, ao lado de Tancredo Neves e Teotônio Vilela, o Coração de Estudante, de Milton Nascimento e Fernando Brant. A polarização PT-PSDB não era naquela luta contra a ditadura militar sequer um presságio.

O feijão com arroz versus caviar da politicagem rasteira os separou. Após ter perdido para Fernando Collor no voto popular e antes de assumir a narrativa do golpe contra Dilma votando no impeachment do alagoano do Leblon, contudo, o Partido dos Trabalhadores (PT), que ajudou a tornar viável a melhor gestão presidencial da história da República, sob Itamar Franco, perdeu duas vezes no primeiro turno para o ex-chanceler da gestão provisória dele. E FHC não se opôs muito a Lula derrotar seu ex-ministro da Saúde José Serra no segundo turno. Desde então, apesar dos insultos grosseiros de hábito do PT, o sociólogo nunca detratou o ex-parceiro de palanque. E o tucano que tentou impedir a reeleição de Lula, Geraldo Alckmin, teve menos votos no segundo do que no primeiro turno. E agora, quem diria, trata-se até de uma chapa Lula-Alckmin.

Em 2014, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) perdeu, de novo com Serra, para a dupla Dilma Rousseff & Michel Temer numa disputa que os derrotados tentaram invalidar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mas logo desistiram. Àquela ocasião, o neto do dr. Tancredo preferia enxovalhar a honra do avô preferindo a folga permanente na praia ao mandato de senador por Minas Gerais. É a maior frustração da história política recente do Brasil, por ter a margem apertada de votos nutrido a ilusão de que viesse a ser alternativa à desastradíssima indigestão de madame sabe-nada, que fez tudo errado, pedalou e perdeu a mamata. Aecinho foi pilhado pela Lava-Jato e passou a integrar a turma majoritária no Congresso de antilavajatistas. Chamá-lo de militante seria uma hipérbole. Mas o frustrador-geral da República passou a morar no curral discreto do gado bolsonarista. E ali estava ao lado do PT, na condição dupla de suspeito e vingador. Hoje, o dono da sigla por quem ninguém mais tem respeito algum atua na articulação sem militância, a favor não de Lula nem de Bolsonaro isoladamente, mas de ambos contra a terceira via.

Tucano que se preze, mesmo tendo virado urubu, como virou, respeita mais aparências do que fatos. Então, o bolsonarismo aecista foi a cereja do bolo na farsa das prévias do PSDB em que o aplicativo foi inculpado pela lambança de prévias que não houve. A deputada Mara Rocha, do baixo clero acriano, anunciou a saída do partido e a adesão ao capetão. Eduardo Leite, assumindo sua porção Ninho, não assumiu a candidatura presidencial, o que é conveniente para seu bolsoaecismo.

E o PSDB, que se orgulhava de suas gestões estaduais de Mário Covas, Alberto Goldman e José Serra no maior Estado da Federação, deixará a terceira via livre para sua vocação apolítica, a ser o destino do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro. A recente filiação do ex-juiz da Operação Lava Jato ao Podemos pode ser a chave do cumprimento de uma formalidade legal – não há autorização constitucional de candidaturas sem partidos em eleições brasileiras, mais um defeito de nossa enxundiosa Carta Magna – para assumir o posto de apolítico da vez. De fato, Bolsonaro, com 30 anos de tramas politiqueiras no baixo clero clandestino da política profissional, andou sujando as fraldas desse tipo de precocidade praticando a maior série de traições a promessas eleitorais da História do Brasil de Tomé de Sousa a Michel Temer. E Moro errou ao aceitar assumir a mais antiga e prestigiada das pastas da governança federal sob a égide do capitão-terrorista. Mas milhões de cidadãos brasileiros não se disporão a atirar a primeira pedra nele, de vez que não será o único entre os arrependidos por terem acreditado que as instituições são comandadas no Brasil por gente capaz de destronar um aventureiro experimentado somente em revender óleo de cobra em feira livre.

Há bons nomes na expectativa de trilhar a terceira via. Os senadores Alessandro Vieira e Simone Tebet e o ex-deputado Luiz Henrique Mandetta não deixam o autor destas linhas mentir. Mas os dois dígitos que começam a aparecer nos levantamentos de opinião desde que Moro voltou dos EUA para assumir a pretensão presidencial indicam que a falta de experiência no manejo de agulhas do tricô parlamentar não o prejudicará. João Doria não assumiu o altar de padroeiro da vacinação, que merecia, talvez por ter sido escolhido como inimigo do falso antipolítico no poder.

Na linha de mira dos lulistas, que apostam na saudade do povo de seus oito anos de presidência e no esquecimento dos processos de que foi expelido por inimigos de ocasião do ex-juiz nos tribunais politiqueiros, e dos bolsonaristas, que ainda apostam no antipetismo como corrente de fé, a terceira via apolítica forma uma consistente assessoria trazendo de volta à cena o economista Affonso Celso Pastore, O ex-presidente do Banco Central reforça a esperança de que o candidato não pregue apenas o fim da corrupção, mas lidere um programa consistente de governo para restaurar a economia e erradicar a fome, como recomendou o jurista Modesto Carvalhosa, em entrevista ao Estadão de 5 de novembro.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Jan 2022

Confira os últimos posts



26/01


2022

Os governadores que não vão sair

Da coluna de João Alberto

A decisão de Paulo Câmara é definitiva: será o primeiro governador depois da instituição da reeleição, a completar o mandato, sem sair para disputar outro cargo. A mesma decisão foi anunciada por Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, que depois de perder a indicação do PSDB para ser candidato a Presidente da República, ficará no cargo até o dia 31 de dezembro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

26/01


2022

STF cancela retorno presencial dos ministros às sessões

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, decidiu cancelar o retorno presencial das sessões da corte, que ocorreria já na próxima semana. A informação foi apurada junto ao gabinete da Presidência do tribunal. O motivo é o aumento dos casos de Covid-19 causado pela variante Ômicron.

O blog da Ana Flor obteve a informação de que a decisão foi tomada após Fux ter conversado com os demais ministros do Supremo. O STF retomará as atividades em fevereiro. Em princípio, a retomada seria presencial. Com o avanço da Covid, decidiu-se estender as sessões e o trabalho remoto até o final de fevereiro, quando será feita uma nova avaliação com base na situação epidemiológica do país.

A decisão deve impactar a posse do ministro Edson Fachin na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), marcada para 22 de fevereiro. A Câmara dos Deputados também decidiu recentemente retomar os trabalhos, em fevereiro, de forma remota. No Senado, serão mantidas as sessões em caráter semipresencial.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Dezembro 2021

26/01


2022

EPTI começa adesivar os veículos do transporte regular

A Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal (EPTI) iniciou, hoje, a adesivação dos cerca de 800 ônibus que operam no transporte intermunicipal regular. A medida facilitará a identificação dos veículos que estão circulando de forma correta, com todas as suas exigências em dia.

“É importante que as empresas sejam parceiras nesse processo, evitando futuros transtornos, como a apreensão do veículo. “Os nossos técnicos estão indo até as garagens. O trabalho é rápido. É primordial que todos os ônibus sejam vistoriados e recebam o aval para rodar”, explicou a diretora de Operações da EPTI, Roberta Meneses, que participou do primeiro dia da ação.

O pontapé inicial foi dado com o transporte regular, mas, em breve, todos os veículos que fazem parte dos Transportes Complementar e Fretamento também serão adesivados. “Trata-se de mais uma iniciativa do Governo do Estado visando reforçar a segurança do usuário. O adesivo indica que os veículos apresentam as condições necessárias para transportar os nossos passageiros com segurança”, ressaltou o diretor presidente da EPTI, Antônio Júnior.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/01


2022

Ciepe elogia manutenção do preço do gás em PE

O presidente do Centro das Indústrias de Pernambuco (Ciepe), Mássimo Cadorin, afirma que a manutenção do preço do Gás Natural em Pernambuco, anunciada hoje pela Copergás, apesar do aumento de 15,9% na molécula do GN trimestral pela Petrobras, é fruto do diálogo aberto em prol do desenvolvimento econômico, firmado entre a distribuidora e as indústrias pernambucanas.

“Estamos colhendo mais um bom resultado da parceria entre o Ciepe e a Copergás, através do seu presidente André Campos e equipe, que mantém o diálogo aberto com a indústria e empresas e se mostra sensível na busca de soluções em prol do desenvolvimento”, declarou Cadorin.

Segundo ele, no começo deste ano, o setor industrial pernambucano obteve outra vitória rumo ao mercado livre, quando o governador Paulo Câmara sancionou a lei que atualiza as regras para exploração direta, ou mediante concessão, do gás canalizado no Estado, expandindo a comercialização do insumo a outros fornecedores, além da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Arcoverde janeiro 2022

26/01


2022

No Sextou, tributo a Nelson Gonçalves

A carreira do cantor Nelson Gonçalves, fenômeno musical no Brasil entre os anos 70 e 90, recordista em venda de discos abaixo apenas de Roberto Carlos, será destacada no Sextou da próxima sexta-feira. Responsável pela produção de um álbum com canções dele, a ser lançado em abril, a cantora pernambucana Cristina Amaral confirmou, há pouco, sua presença no programa.

Além de falar sobre a vida e os sucessos de Nelson Gonçalves, que atingiu a impressionante marca de 100 milhões de discos vendidos, com mais de 200 canções, entre elas A volta do boêmio, a mais tocada, Cristina vai cantar algumas das canções que selecionou para o álbum. "Nelson Gonçalves, uma saudade", tema da sua incursão no mundo do célebre cantor, é para quem gosta, verdadeiramente, da boa música.

O Sextou vai ao ar às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, formada por mais de 40 emissoras, tendo como cabeça de rede a Nova FM 98,7, no Recife. Se você deseja ouvir pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

26/01


2022

Humberto: Governador vai anunciar candidato do PSB semana que vem

O governador Paulo Câmara (PSB) teve uma nova rodada de conversas com lideranças do PT no Estado, entre eles, o senador Humberto Costa (PT). Em conversa com o blog do Elielson, Humberto disse que “não teve nada de novo, reforçamos o nosso nome como opção para ser candidato a governador”.

“O governador destacou seu papel na condução do processo e confirmou o anúncio do candidato do PSB para semana que vem”, completou Humberto. Perguntado se o PT estaria apoiando, o senador afirmou que tudo vai “depender da conjuntura nacional, mas acredito que sim”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC - Férias de Janeiro

26/01


2022

Saúde e sustentabilidade marcam história de sucesso cooperativista

Por Carlos  Laerte

Quando Francisco, Mádia e Luzivanda resolveram olhar na mesma direção e ajudar a construir uma cooperativa médica às margens do grande Rio São Francisco, eles nem imaginavam o tamanho do sonho que estavam sonhando juntos.

Com uma história de três décadas dedicadas à promoção da vida e ao cuidado da saúde das pessoas, a Unimed Vale do São Francisco é considerada hoje líder de mercado e responsável pelo maior aporte de recursos no sistema de saúde da região. Uma eficiente e moderna estrutura com uma equipe de 506 médicos cooperados em diversas especialidades, atendendo com excelência e segurança mais de 70 mil beneficiários. A cooperativa gera 1.100 empregados diretos e 300 empregos indiretos e a rede de atendimento inclui hospitais, clínicas e laboratórios credenciados, além dos serviços próprios de dois hospitais (Petrolina - PE e Juazeiro – BA), um laboratório que é referência em processamento de exames, centro de diagnóstico, uma clínica de fisioterapia, Unidor (clínica para tratamento de dores crônicas), e o novo Núcleo de Terapias (NTU), para atendimento a pacientes pediátricos de 0 a 12 anos com Transtorno do Espectro Autista – TEA, inaugurado recentemente.

Colocando a região entre os centros médicos mais avançados do País, a Unimed Vale do São Francisco tem realizado procedimentos inéditos a exemplo da primeira Angioplastia de Oclusão Coronária Crônica (CTO), além de tratamentos de doenças congênitas e valvulares e um implante Transcater de Válvula Aórtica (TAVI), executados com pleno êxito no Hospital Unimed de Petrolina, a maior e mais completa unidade hospitalar do Vale.

Como resposta pela primazia e sustentabilidade e com uma vitalidade econômica financeira que hoje é exemplo em todo Brasil, a entidade conquistou o Selo Prata em 2019 e o Selo Ouro em 2021 de um dos mais importantes prêmios do cooperativismo brasileiro: ‘SomosCoop Excelência em Gestão’, promovido pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP), em reconhecimento as boas práticas de gestão e governança.

Desafios

Mas, o caminho do progresso não foi rápido nem muito menos fácil. Muitos foram os obstáculos contornados e os desafios vencidos desde a criação da cooperativa, em 1991, quando um grupo de pouco mais de 100 médicos decidiu juntar as Unimeds Petrolina e São Francisco, da vizinha cidade de Juazeiro, que já funcionava desde 1989, formando assim a Unimed Vale do São Francisco. A nova operadora de planos de saúde, que começou os trabalhos com 12 mil clientes e passou bastante tempo na dependência de terceiros para a prestação dos serviços médicos, vivenciou sérios problemas de inadimplência, autuações e acúmulo de débitos a exemplo de uma dívida tributária que chegou a R$ 19 milhões.

De acordo com o diretor presidente do Conselho de Administração da Unimed Vale do São Francisco, Francisco Otaviano, a situação da operadora em 2004, quando assumiu o primeiro dos cinco mandatos, juntamente com os diretores Francisco Aires (Comercial e Marketing), Luiz Gustavo (Administrativo) e Carlos Tadeu (Financeiro), era muito difícil e bastante preocupante. “Encontramos uma cooperativa médica com muitos conflitos e dificuldades para com os seus associados médicos, prestadores de serviço hospitalar, laboratórios e também com a rede de intercâmbio com as outras Unimeds do Brasil”, lembra.

Apaixonado pelo cooperativismo e com passagens pela administração de dois hospitais na região, o médico ginecologista e obstetra Francisco, lembra que um dos momentos mais marcantes nestes 18 anos à frente dos destinos da operadora foi quando, na realização do balanço de 2004, os 140 médicos cooperados aceitaram ratear uma perda de R$ 865 mil para a recuperação econômica e financeira da cooperativa. “Hoje, feitas as devidas correções, representa uma verdadeira fábula”, pontuou o presidente que também é conselheiro fiscal da Unimed Brasil e da Federação das Unimeds da Bahia, além de diretor superintendente da Federação das Unimeds de Pernambuco.

Tenacidade

Um ano depois, outro episódio marcou a história de tenacidade e determinação dos cooperados da Unimed Vale do São Francisco. Com uma proposta de criação de um plano de saúde próprio os dois principais hospitais de Petrolina se unem e pedem descredenciamento conjunto da cooperativa médica.  As dificuldades geradas com a suspensão do atendimento aos clientes surtiram o efeito de uma bomba para uma estrutura que ainda não tinha nenhum serviço próprio. Depois de muito diálogo, e até a assinatura de um termo de ajuste de conduta firmado junto ao Ministério Público, foi restabelecido o atendimento nos dois hospitais.

Passada a tempestade, vieram os passos iniciais para construção da sede própria onde começaram a funcionar as primeiras unidades de prestação de serviços com a marca Unimed. Em paralelo, o sentimento de ter um hospital próprio foi amadurecendo no peito dos cooperados até que em 2010 a operadora entregou à comunidade sanfranciscana o Hospital Unimed de Juazeiro e oito anos depois inaugurou o Hospital Unimed de Petrolina. Duas modernas unidades hospitalares edificadas com recursos da própria cooperativa que hoje não possui nenhuma dívida tributária. “Tudo isso é fruto do trabalho de uma equipe coesa, da continuidade de uma diretoria que estuda junto, empreende unida e busca em harmonia compreender os mais diversos aspectos que envolve esse ramo de negócio”, ressaltou o presidente.

E assim como Francisco, Mádia Cecília também traz na sua história as letras todas da palavra cooperar, da essência do coletivo, do que se faz junto, do que é capaz de unir, mover e fazer abraçar um objetivo comum. Médica clínica cooperada e coordenadora da Auditoria Médica, que começou na Unimed Vale do São Francisco há 23 anos, “por acreditar nesse modelo que transforma habilidades individuais em resultados coletivos”, ela define a entidade como uma organização transparente onde os médicos cooperados contam com uma força laborativa, são os donos do negócio e têm voz ativa nas decisões e resultados apresentados pela organização.

Capacitação

Destacando a política de capacitação e atualização, ela enfatiza os cursos e treinamentos que são oferecidos constantemente aos cooperados nas áreas de cada especialidade médica e no segmento de educação cooperativista. “Hoje, também conseguimos alguns benefícios a exemplo de um plano de saúde master sem custos para o cooperado e com descontos generosos para os dependentes além de um seguro Serit (Seguro de Renda por Incapacidade Temporária), que está sendo bastante oportuno agora durante a pandemia da Covid-19”, avaliou Mádia.

A médica cooperada também lembrou o período desafiador vivenciado durante a pandemia, recordando a Moção de Aplausos concedida pela Câmara de Vereadores de Petrolina pelo desempenho da equipe do Hospital Unimed de Petrolina como referência nacional no combate à Covid-19. Votada por unanimidade em junho de 2021, a honraria, “se justifica pelo trabalho do hospital que vem apresentando um índice de mortalidade de 13,4%, bem abaixo da média nacional que foi de 39,3%, no último mês de abril. Índices divulgados pelo site de Registro Nacional de Terapia Intensiva (Epimed Monitor)”, conforme assinalou o autor do requerimento, vereador Cesar Durando (DEM).

Apesar de todas as dificuldades impostas pela pandemia, a cooperativa concluiu o ano de 2020 comemorando uma conquista dupla: o Selo Unimed de Governança e Sustentabilidade 2020, na categoria Ouro e o Selo Hospital Unimed de Sustentabilidade 2020, na categoria Prata para o Hospital Unimed de Petrolina. Certificações de reconhecimento que refletem o engajamento das equipes e a consolidação do espírito cooperativista na promoção do crescimento sustentável do Sistema Unimed, o maior sistema cooperativista de trabalho médico do mundo e também a maior rede de assistência médica do Brasil.

Valorização

Também conhecida pelas oportunidades criadas para o crescimento profissional dos colaboradores, a Unimed Vale do São Francisco, segundo a gerente de Relacionamento com Cooperados, Luzivanda Ferraz, além de gerar muitos empregos diretos e indiretos, valoriza cada um dos seus funcionários, estimulando o desenvolvimento pessoal através do reconhecimento dos esforços e das conquistas. Na cooperativa desde 2001, ela começou como secretária executiva e depois de contribuir com o setor de Relacionamento com Cooperados foi promovida a gerente.

“Participei de uma transformação incrível da cooperativa e hoje faço parte da turma de Pós-Graduação em Práticas de Gestão em Cooperativas de Saúde com enfoque na RN nº 452 e de iniciativas exitosas como o Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), Selo de Sustentabilidade, RN 443, parto adequado, gestão da qualidade entre outros”, enumerou. Luzivanda agradeceu a ampliação dos espaços e a crescente participação feminina em cargos relevantes e com poder de decisão nos mais variados setores da operadora. “Aqui os valores do cooperativismo são devidamente pautados pela ideia de democracia, liberdade, equidade, justiça social e solidariedade”.

Ela evidenciou ainda a responsabilidade social da cooperativa a partir da realização de campanhas e projetos em prol da comunidade a exemplo do Cooperar tá no Sangue (doação de sangue e cadastro medula óssea), Natal Solidário e o Arraiá Solidário, que arrecadam e doam cestas básicas e materiais de higiene pessoal para inúmeras entidades filantrópicas de Petrolina e Juazeiro.

Com foco nas novidades tecnológicas e preparando os passos seguintes com bastante equilíbrio e soluções inovadoras, a Unimed Vale do São Francisco tem muitos planos para o futuro. A diretoria da cooperativa adquiriu um terreno de três mil metros quadrados em Petrolina e vai construir uma nova unidade para funcionamento de laboratório, unidade de terapias e de Atenção básica à Saúde (ABS).

Então, é assim que a Unimed Vale do São Francisco caminha, avançando a passos largos e reafirmando a história de sucesso do cooperativismo que é a própria lição diária de muitos Franciscos, Mádias e Luzivandas. Gente que de mãos dadas e olhar no futuro ajuda a construir essa organização confiável, moderna e sólida que vem aprimorando os programas de atenção à saúde e transformando desafios em oportunidades.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes novembro 2021

26/01


2022

Porto do Recife inicia obra de dragagem

O Porto do Recife iniciou a obra de dragagem, serviço de desassoreamento e desobstrução dos berços de atracação, canais de acesso e bacias de evolução. O objetivo desta obra é estabelecer uma profundidade satisfatória para o Porto, facilitando assim a navegação e chegada de navios de maior tonelagem. Atracada desde o dia 20/01, a draga holandesa Lelystad começou a operar no último sábado (22).

A previsão é que a draga conclua o serviço de desassoreamento de todos os trechos previstos, em 40 dias. Do berço 00 ao 01, será aprofundado para 10 metros de profundidade; do berço 02 ao 06 para 11 metros de profundidade; e do trecho do berço 07 ao 09 para os 8 metros de profundidade. Os trechos mencionados chegarão às profundidades máximas, na maré alta, de 12,70m, 13,70m e 10,7m respectivamente. Serão aproximadamente 832.200 mil metros cúbicos de sedimentos dragados do cais acostável, canal interno e bacia de evolução.

“O crescimento nas operações do Porto do Recife não é uma expectativa, é uma realidade. Hoje nós temos uma demanda que não podemos atender devido a profundidade do nosso cais não suportar navios de maior tonelagem. O açúcar que exportamos tem um crescimento previsto de cerca de 40%. Os fertilizantes que importamos principalmente da Bélgica tem uma expectativa de 20% de incremento. O milho que abastece a avicultura do Estado e da Paraíba também crescerá cerca de 40%. A barrilha, um dos principais produtos que movimentamos na capital pernambucana, tem previsão de 30% de crescimento. O material metalúrgico, que apresentou um crescimento de 172,53% em 2021, possui uma expectativa de incremento de 10%. Essa nova fase do Porto do Recife, que se inicia com a obra de dragagem, tornará o nosso terminal ainda mais atrativo para novos investidores”, afirma José Lindoso, presidente do ancoradouro.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

26/01


2022

Em Floresta, cadeia pública está abandonada

A cadeia pública de Floresta, no Sertão de Itaparica, também está desativada. O Blog recebeu um vídeo, hoje, que mostra a situação do equipamento administrado pelo Governo de Pernambuco.

O caso se assemelha ao da cadeia de Belém de São Francisco, que está sem funcionar por falta de efetivo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/01


2022

Avante organiza encontro nacional no Recife

No próximo sábado, o Recife irá sediar o Encontro Nacional do partido Avante, no Mar Hotel, em Boa Viagem, das 10h às 12h. A expectativa é de que participem 300 filiados, entre prefeitos, deputados e presidentes estaduais e municipais.

O encontro tem o objetivo de realizar o balanço de crescimento do partido, alinhar as metas para este ano, além de reunir os quadros políticos para planejamento de ações para o próximo pleito eleitoral. O evento deve ser marcado pela apresentação dos resultados do serviço de inteligência artificial para os escritórios estaduais, sendo o Partido Avante o primeiro do país a utilizar esse método, assim como o lançamento da pré-candidatura do deputado federal André Janones à Presidência da República está na programação.

Além de seguir todos os protocolos para não propagar a covid-19, para participar do evento será necessário apresentar o comprovante de vacinação completo. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros