FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

12/09


2021

Protestos contra Bolsonaro em seis capitais têm baixa adesão

Estadão

Os atos que ocorreram na manhã deste domingo (12), em defesa do impeachment do presidente Jair Bolsonaro, foram marcados por baixa adesão do público. Organizados pelos grupos de centro-direita Movimento Brasil Livre (MBL), Vem Pra Rua (VPR) e Livres, os protestos foram realizados em seis capitais brasileiras, sem atrair grandes setores da esquerda. À tarde, estão previstas manifestações em outras dez capitais.

Belo Horizonte e Rio reuniram os maiores contingentes até agora. Na capital fluminense, o grupo começou a se concentrar em Copacabana às 10h. No carro do VPR, um cartaz mostrava o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula (PT) atrás das grades, rompendo a trégua declarada para atrair representantes da esquerda. Organizadores haviam deixado de lado o mote "Nem Bolsonaro, nem Lula" e decidido focar somente no impeachment do presidente da República.

O PDT declarou apoio ao ato, mas o movimento não teve adesão formal de outras das principais siglas de esquerda, como PT e PSOL. Tampouco essa trégua parece ter sido assumida por parte dos ativistas presentes nos atos, como ficou claro em Copacabana.

Os poucos manifestantes de partidos de esquerda presentes na manifestação contra o presidente Bolsonaro no Rio se colocaram ao lado do carro do MBL. Bandeiras do movimento da centro-direita e dos partidos foram balançadas lado a lado na orla. Mais perto do carro do VPR, uma faixa grande reforçava a rejeição ao presidente e ao petista.

Candidato à Presidência pelo Novo em 2018, o empresário João Amoêdo esteve no ato do Rio. Questionado pelo Estadão sobre o embate entre os dois carros de som, que vinham defendendo causas diferentes, ele se colocou ao lado do MBL, que "esqueceu" Lula e se concentrou na bandeira do impeachment.

"A pauta dos brasileiros não é eleição, ‘terceira via’, nada disso", disse. "A gente tem de entender que qualquer construção de um Brasil melhor passa pela saída do Bolsonaro. Se a gente não tiver prioridade total nisso, vai ter ainda mais dificuldade nessa tarefa, que já não é fácil."

"Nosso movimento é de direita"

Em Belo Horizonte, o ato na Praça da Liberdade ganhou força por volta das 11h. Imagens compartilhadas pelo MBL nas redes sociais mostram o público vestido majoritariamente de branco, como pedido pelos organizadores, no intuito de evitar a contraposição entre o vermelho associado à esquerda e o verde e amarelo das manifestações bolsonaristas. 

"Não estou nem aí para a participação da esquerda. O nosso movimento é de direita", afirmou o piloto de avião Cláudio Costa Pereira, um dos coordenadores do ato na capital mineira. O estudante de direito César Peret, também parte da coordenação, disse que a participação dos movimentos e partidos de esquerda ficou “no ar”, mas os grupos não apareceram.

O PDT, a Rede e o movimento Acredito optaram por apoiar o protesto na capital mineira, mas somente representantes do primeiro apareceram no evento. Por volta de 10h40, um grupo de cerca de 20 pessoas do PDT chegou ao ato, portando bandeiras da legenda e cartazes do ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato do partido à Presidência que também deve participar do ato na Avenida Paulista, em São Paulo.

Em Salvador, partidários do PDT, Novo e do Livres se uniram no protesto contra o presidente Jair Bolsonaro no Farol da Barra. Fora do foco planejado para as manifestações pelo Brasil, apenas algumas dezenas de pessoas compareceram.

Alguns transeuntes passaram pelo ponto turístico gritando "fora, Bolsonaro". Apesar do esforço pela união suprapartidária, no microfone aberto, quando militantes do Novo falavam, pedetistas saíam, e vice-versa.

Em São Luís, manifestantes se reuniram na Praça do Pescador a partir das 9h para pedir o impeachment do presidente Bolsonaro. Com faixas e cartazes “Fora, Bolsonaro”, o movimento uniu o MBL a representantes do Novo, PDT, Cidadania e Rede, além de integrantes de igrejas evangélicas, em críticas ao presidente.

Para o presidente estadual do Novo no Maranhão, Leonardo Arruda, "Bolsonaro é o maior estelionatário eleitoral do século 21": "Ele enganou todos os seus eleitores e grande parcela da população. Crime de responsabilidade fiscal é carta marcada de seu governo. O impeachment é a saída”.  

Na capital do Espírito Santo, a manifestação começou às 9h30, na Praça do Papa. Após a concentração, os manifestantes saíram em carreata pela Terceira Ponte até chegar à Prainha, em Vila Velha. Segundo a PM, cerca de 80 veículos participaram do ato, que foi encerrado sem ocorrências.

Diferentemente do que foi decidido em alguns Estados, no Espírito Santo a manifestação manteve o lema "nem Lula, nem Bolsonaro". Por isso, partidos como o PT e o PSOL não aderiram aos atos. O PSB e o PDT convocaram a militância para os protestos, mas não houve grande adesão. 

"Querem dizer que só existe Lula e Bolsonaro, mas não é verdade. Temos tempo hábil de buscar um outro nome que respeite a democracia, que respeite as instituições e que, fundamentalmente, tenha condições de fazer a gestão do Brasil", afirmou Gustavo Peixoto, um dos líderes do movimento Vem Pra Rua ES.

Em Manaus, a manifestação contra o governo federal reuniu cerca de 100 pessoas na Praça São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas, no Centro Comercial da capital amazonense. A manifestação contou com a presença de representantes de partidos de esquerda como o PCdoB. 

Um dos participantes foi Yan Ivanovich, que disse que o ato deste domingo inaugura um ciclo de manifestações. “O ato de hoje inaugura um ciclo em que amplos setores da sociedade já começam a mobilizar com maior tempo para 2 de outubro, em que estarão todos juntos pelo impeachment do Bolsonaro. O presidente já demonstrou que não tem compromisso nenhum com o País, apenas com seus filhos. Ele é responsável pelo botijão de gás por mais de R$ 100, da gasolina acima de R$ 7 e por a população não poder mais comprar carne”, afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - Mutirão de Vacinação

Confira os últimos posts



27/10


2021

Raquel é o novo fenômeno eleitoral, traduz Armando

Ao comentar, há pouco, o resultado da pesquisa do Instituto Opinião, da última segunda-feira, neste blog, o ex-senador Armando Monteiro (PSDB) classificou de fenômeno eleitoral a pré-candidata tucana Raquel Lyra, que lidera todos os cenários para o Governo do Estado, com exceção quando aparece Marília Arraes como alternativa do PT, caso a legenda discute o Palácio das Princesas em faixa própria.

O fenômeno, segundo ele, se explica pelo fato da prefeita caruaruense nunca ter assumido a condição de candidata, não estar andando pelo Estado, como outros que já se colocam no páreo, nem tampouco ter procurado lideranças partidárias para tratar de 2022. Armando disse que, além do Opinião, o partido teve acesso a outros levantamentos nos quais Raquel desponta com amplo favoritismo, crescendo de forma homogênea nas mais diversas regiões do Estado, do litoral ao Sertão. 

"Na visão da população pernambucana, Raquel é uma gestora testada e aprovada", destaca, adiamento que a tucana caiu, literalmente, na graça do povo. "Raquel manifesta também a valorização da mulher na política. Pernambuco quer uma mulher no seu comando. Raquel tem experiência, competência, coragem e disposição para tirar o Estado da estagnação", disse.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

27/10


2021

Um hotel maravilhoso

Capital do turismo sertanejo, Gramado nordestina, Triunfo ganhou mais uma bela alternativa de hospedagem para quem a visita em turismo ou a negócios: o Triunfo Papo Hotel, localizado no coração da cidade, em frente ao teleférico. Moderno e aconchegante, possui 16 apartamentos com varanda, cama boxe, TV,  banheiros amplos e Internet.

De passagem ontem pelo Sertão, pernoitei no Papo e gostei muito. Além das boas instalações, café da manhã regional bem recheado e ao lado um excelente restaurante com o mesmo nome do hotel, onde é possível degustar todos os pratos regionais, como bode, carneiro e galinha de capoeira. De sobremesa, doces da terra e o tradicional queijo assado com mel de engenho.

Da varanda do hotel, se abre também um cenário deslumbrante e inesquecível para um clic da sua viagem a  linda paisagem belíssima do lago de Triunfo, rodeado de casarões centenários, como o Cine Triunfo. O Papo Hotel também dispõe de uma hamburgueria e de lá, ao atravessar a estação do teleférico, chega-se ao principal polo gastronômico da cidade, com destaque para o Betus Bar, reduto da boemia.

Serviço

Triunfo Papo Hotel

Rua Olavo Gomes de Oliveira, 281

Fones: (87) 9.9955-2285

E-mail: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

26/10


2021

CPI da Covid-19 aprova relatório final

A CPI da Covid-19 aprovou, hoje, por 7 votos a 4 o relatório final do senador Renan Calheiros (MDB-AL) sobre a maior tragédia sanitária da história do Brasil. Nesta terça, o país contabilizava 606.293 mortes desde o início da pandemia.

Com a aprovação do relatório, a comissão de inquérito criada para investigar ações e omissões do governo durante a pandemia encerra os seis meses de trabalho pedindo o indiciamento de 78 pessoas e duas empresas.

O relatório aprovado pelos senadores tem 1.289 mil páginas e responsabiliza o presidente Jair Bolsonaro por considerar que ele cometeu pelo menos nove crimes.

Há também pedidos de indiciamento de ministros, ex-ministros, três filhos do presidente, deputados federais, médicos, empresários e um governador – o do Amazonas, Wilson Lima. Duas empresas que firmaram contrato com o Ministério da Saúde – a Precisa Medicamentos e a VTCLog – também foram responsabilizadas.

Votaram a favor do relatório:

  • Eduardo Braga (MDB-AM)
  • Humberto Costa (PT-PE)
  • Omar Aziz (PSD-AM)
  • Otto Alencar (PSD-BA)
  • Randolfe Rodrigues (Rede-AP)
  • Renan Calheiros (MDB-AL)
  • Tasso Jereissati (PSDB-CE)

Votaram contra o relatório:

  • Eduardo Girão (Podemos-CE)
  • Jorginho Mello (PL-SC)
  • Luis Carlos Heinze (PP-RS)
  • Marcos Rogério (DEM-RO)

Após proclamar o resultado, Omar Aziz atendeu a um pedido da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) e pediu um minuto de silêncio pelas vítimas da Covid.

A aprovação do relatório se deu após mais de sete horas de discussão, com dois intervalos, em meio a contestações da tropa governista minoritária na CPI.

Senadores aliados ao Palácio do Planalto refutaram a tese de que Bolsonaro foi responsável pelo agravamento da pandemia no Brasil e apresentaram votos em separado nos quais pediram a investigação sobre a atuação de governadores e prefeitos. As propostas, porém, não foram sequer votadas, já que o parecer de Renan Calheiros foi aprovado antes.

Em um primeiro desdobramento da CPI, senadores planejam entregar o relatório ao procurador-geral da República, Augusto Aras, já amanhã. Também está prevista nos próximos dias a entrega do documento ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e aos ministérios públicos do Rio e de São Paulo. O parecer será encaminhado ainda ao Tribunal Penal Internacional.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


26/10


2021

CPI retira Heinze da lista de pedidos de indiciamento

A CPI da Covid retirou, hoje, o nome do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) da lista de pedidos de indiciamento do relatório final da Comissão. A decisão foi tomada pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-RS) a pedido de Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que tinha pedido a inclusão de Heinze no início da manhã. O recuo aconteceu após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), sugerir que os senadores reavaliassem a proposta de indiciamento.

Em nota encaminhada à imprensa, Pacheco disse que nunca interferiu nem iria interferir nos trabalhos da CPI, mas ressaltou considerar um “excesso” a inclusão do senador no relatório final. Senadores governistas também protestaram e apelaram para Renan rever a medida.

Alessandro Vieira afirmou que, ao pedir a retirada do nome de Heinze da lista dos indiciados, estava se rendendo ao entendimento da maioria dos senadores.

Vieira disse ainda que discordava da interpretação, mas que solicitava a retirada para não "colocar em risco nenhum pedaço" do serviço prestado pela CPI.

"Não se gasta vela boa com defunto ruim. Essa CPI fez um trabalho, prestou um serviço ao Brasil, muitíssimo relevante. Eu não posso a essa altura colocar em risco nenhum pedaço desse serviço por conta de mais um parlamentar irresponsável. Então peço a vossa excelência que faça a retirada [do nome do senador Heinze dos indiciados]", afirmou o senador Alessandro Vieira.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

26/10


2021

DF acaba com obrigatoriedade de máscaras ao ar livre

O governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais ao ar livre no Distrito Federal, a partir do dia 3 de novembro. A medida está prevista em edição extra do Diário Oficial do DF, publicada hoje.

A norma também confirma o retorno das aulas totalmente presenciais nas escolas públicas, na mesma data, traz a flexibilização de regras para estabelecimentos comerciais e acaba com restrições de horários de funcionamento.

Segundo o decreto, o uso da máscara para prevenir a contaminação pela Covid-19 permanece obrigatório nos seguintes locais:

  • Todos os espaços públicos fechados
  • Equipamentos de transporte público coletivo
  • Estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços
  • Áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais

Pessoas com deficiência intelectual ou transtornos psicossociais não estão obrigadas a usar o equipamento. As máscaras se tornaram obrigatórias em locais públicos na capital em 30 de abril do ano passado, por conta da pandemia.

À época, foram estabelecidas sanções como aplicação de multa de R$ 2 mil e possível autuação por infração de medida sanitária preventiva, em caso de descumprimento. A regra ainda vale para os locais onde o uso do equipamento continua exigido.

Para a infectologista Ana Helena Germoglio, as máscaras estão entre os itens essenciais no combate à pandemia.

"A máscara é uma medida não farmacológica comprovadamente eficaz, que permite a flexibilização de praticamente todas as atividades econômicas, de implementação de custo muito baixo e facilmente utilizada. Por isso ela deve ser uma das últimas medidas a ser retiradas ao longo da pandemia", diz.

A especialista alerta ainda que "quando a gente coloca todos os lugares abertos no mesmo patamar, isso pode levar a erros de interpretação. Porque mesmo locais abertos podem ter aglomeração. Por exemplo, eu não posso comparar uma ida a um estádio de futebol lotado, onde a transmissão é considerada de alto risco, a um passeio no parque somente com a família".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

26/10


2021

Prefeita e deputado anunciam investimentos para Casinhas

O deputado federal Fernando Filho (DEM) recebeu, hoje, em Brasília, a prefeita de Casinhas, Juliana de Chaparral (DEM). "Visitamos o gabinete do deputado Fernando Filho agradecendo pelo asfalto, a retroescavadeira, os poços artesianos e todo o investimento de emendas na Saúde. Ele já recebeu o título de deputado que mais encaminhou recursos para o nosso município, mesmo sem nunca ter sido votado em Casinhas", disse Juliana.

"Com muita alegria, Juliana já chegou comunicando a chegada do recurso da Saúde, mais de R$ 1,7 milhão, falando do avanço das obras de pavimentação, da instalação de poços artesianos, mas ela também veio fazer novos pedidos, reiterando principalmente a necessidade para que a gente possa conseguir recursos para a reforma do hospital da cidade", frisou o deputado Fernando Filho.

A comitiva liderada pelo ex-prefeito de Orobó e pré-candidato a deputado estadual, Cléber Chaparral (PSD), desembarcou hoje na Capital Federal e é formada ainda pelo atual prefeito de Orobó, Biu Abreu (DEM), e os vice-prefeitos Maciel Sales (MDB/Casinhas) e Lúcio Silva (MDB/Orobó), além do empresário e ex-candidato a prefeito de Vertente do Lério, Dão da Ambulância (PTB).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Transparência em 1° Lugar

26/10


2021

Mendonça comemora novo Centro Infantil em Petrolina

O ex-ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) comemorou a inauguração de mais uma creche de alto padrão pelo prefeito Miguel Coelho (DEM), em Petrolina, ontem. O novo Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) do bairro Antônio Cassimiro foi uma das 10 creches autorizadas por Mendonça para Petrolina quando foi ministro da Educação. “Nosso compromisso com a primeira infância é total. É nessa fase que é determinado todo o futuro de uma criança”, afirmou Mendonça, que à frente do MEC em menos de dois anos autorizou a construção de mais de 15 mil creches no país.

O CMEI Antônio Cassimiro, uma obra de R$ 2,1 milhões, vai atender 156 alunos de seis meses a cinco anos, com 10 salas de aula com banheiros, fraldário, lactário, telhado para isolamento térmico e acústico, brinquedos, horta, pátio coberto. "É uma honra ver essas creches saindo do papel e beneficiando crianças e mães sertanejas", comemorou Mendonça.

O prefeito Miguel Coelho renovou, durante a inauguração, seu compromisso com a educação. “Hoje, podemos ver as escolas reformadas, bem cuidadas, professores animados, novas creches e muito em breve um conjunto de escolas em tempo integral. Tudo o que fizemos e fazemos na educação é por saber que esse é o caminho para um futuro melhor”, disse.

Outras creches serão inauguradas nos bairros Vila Eulália, Nova Petrolina, Terras do Sul e Henrique Leite. Das 3.855 creches autorizadas no Brasil na gestão de MEC, 3.855 foram concluídas antes de Mendonça deixar o ministério em abril de 2016, R$6.499 deixadas em execução e R$5.015 autorizadas para execução pelas prefeituras.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

26/10


2021

FBC critica relatório e defende conduta de Heinze

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) se manifestou contra o indiciamento do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), que, segundo ele, marcou posição a favor do "tratamento preventivo" sem jamais ter feito campanha contra a vacinação ou a favor de promessas de cura infalível.

“Ao contrário, exerceu seu mister parlamentar e, em atuação sempre destacada junto ao Ministério da Ciência e Tecnologia, se empenhou para tornar o Brasil autossuficiente na fabricação de imunizantes”, disse.

Bezerra também expressou sua discordância com as conclusões do relatório final, especialmente das "tentativas de criminalização" do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, a CPI se distanciou de preceitos constitucionais fundamentais, desconsiderou documentos imprescindíveis para o esclarecimento dos fatos e recusou-se a apurar desvios por parte de estados e municípios.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Lambe-botas se entendem!


Pousada da Paixão

26/10


2021

Frente a Frente direto de Triunfo

Já estou nos estúdios da Triunfo FM 87,9, em Triunfo, para apresentar ao vivo o Frente a Frente de hoje, ao lado de Tiago André e Priscila Viih. Se você deseja ouvir pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Outubro 2021

26/10


2021

Assessores de Bolsonaro defendem filiação ao PL

Blog da Andréia Sadi

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está discutindo com aliados seu destino partidário de olho em ampliar o arco de alianças para a eleição de 2022.

Na mesa, por ora, estão no páreo o PL, de Valdemar da Costa Neto, e o PP, de Ciro Nogueira e de Arthur Lira.

Um líder do centrão disse ao blog, reservadamente, que o presidente está “jogando com os dois partidos” e ainda não se decidiu. Costa Neto, por exemplo, gravou um vídeo, ontem, convidando o presidente a ingressar no partido.

Uma ala do governo defende que Bolsonaro se filie ao PL de Valdemar sob o argumento de que o PP já se comprometeu a apoiar Bolsonaro em 2022. Logo, se filiar ao PL ampliaria o arco de alianças e evitaria que o partido fechasse com o principal opositor de Bolsonaro, o ex-presidente Lula.

Hoje, tanto o PP quanto o PL fazem parte do centrão, criticado pelo presidente e seus assessores na campanha de 2018, acusados de fisiologistas, mas hoje incorporados ao Palácio do Planalto, numa composição para garantir a sobrevivência política de Bolsonaro e evitar um processo de impeachment no Congresso.

Os dois partidos também foram da base de apoio do ex-presidente Lula.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes outubro 2021
Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros