Cabo Agosto 2021

19/06


2021

O ensino público no calabouço

Por Marcelo Tognozzi*

O corpo de Joaquim José da Silva Xavier chegou frio à Ponta do Calabouço trazido desde a Praça de Lampadosa, hoje Praça Tiradentes. Foi esquartejado. A cabeça separada do tronco dividido em 4 partes, depois estrategicamente espalhadas no caminho para Minas. No pescoço, a marca da corda que o enforcara, ponto alto de uma cerimônia que durara mais de 18 horas.

Começara de manhã cedo, com uma procissão que partiu da Cadeia Velha até a forca, ele no abre alas de camisolão branco, descalço, rosto barbeado com sua última navalha, corpo asseado para uma morte limpa. Aquele 21 de abril de 1792 ficaria para sempre marcado pela brutalidade. Único dos rebeldes a receber uma sentença de morte, Joaquim, 45 anos, era um homem raro: sabia ler, escrever e pensar num tempo em que o saber era proibido para a maioria.

A Ponta do Calabouço, lugar sinistro. O nome veio de uma cadeia imunda erguida em 1693, onde apodreciam escravos acusados do crime de lutar pela liberdade. Pouco mais de 1 século depois, o corpo de Joaquim foi deixado ali para ser retalhado.

Passados mais de 3 séculos, a famosa Ponta do Calabouço ostenta de um lado o Aeroporto Santos Dumont e, do outro, o Museu Histórico Nacional. Antigamente havia ali um restaurante chamado Calabouço, onde comiam estudantes e quem mais se dispusesse a enfrentar uma longa fila na hora do almoço, pagando barato por uma comida de segunda.

Em 28 de março de 1968, os estudantes protestaram contra o aumento do preço da comida. Veio a polícia e matou um deles com um tiro no peito, o paraense Edson Luís, 18 anos, secundarista. A história do menino pobre que migrou para o Rio em busca de estudo para vencer na vida virou uma forte narrativa dos opositores ao regime militar, que também deixou sua marca bruta naquela parte da cidade.

O Calabouço é um exemplo de como a força é capaz de sufocar sonhos de progresso, prosperidade e liberdade às custas de uma ignorância crônica. O Brasil segue padecendo desse mal há mais de 300 anos, desde quando o 1º escravo foi atirado naquele cárcere fedendo a sangue, suor, fezes e urina e lá apodreceu até morrer. O país continua carente de escolas onde as crianças sejam ensinadas a tratar educação como bem público, muito acima de patrimônios imateriais de mentirinha, como queijos, linguiças e outras bobagens.

Nós estamos há mais de 1 ano imersos numa pandemia que fechou escolas e interditou o estudo das crianças pobres e sem acesso à internet. O Brasil se dividiu entre crianças ricas ou remediadas, com acesso à rede ou que estudam em escolas particulares, e o resto dos milhões de meninos e meninas que nada podem fazer contra quem, criminosamente, ignorou seu direito à educação expresso no artigo 205 da Constituição.

O Brasil está dando marcha à ré em um setor onde já foi exemplar. O compositor Cartola (1908-1980), autor de As Rosas não Falam, estudou até o 4º ano primário. Morou na favela da Mangueira, frequentou escola pública, escrevia corretamente, não errava na conjugação verbal, sabia a diferença entre sujeito e predicado, objeto direto e indireto, artigo e preposição. Antes da fama, ganhava a vida como lavador de carros.

Nelson Cavaquinho (1911-1986) é da mesma cepa. Assim como Lupicínio Rodrigues (1914-1974). O mineiro Ataulfo Alves (1909-1969) foi leiteiro, carregador de malas, engraxate e estudante na escola pública e nos deixou de herança algumas das obras primas da nossa MPB (Música Popular Brasileira).

O que será dos meninos pobres do nosso país depois da pandemia? Serão empurrados a passar de ano nas escolas públicas como se nada tivesse acontecido, jogados para debaixo do tapete da omissão? Será que os professores da rede pública, que até hoje não quiseram voltar a trabalhar em muitos estados, inclusive aqui em Brasília, terão um plano para resgatar essa geração de brasileirinhos condenados à ignorância pela falta de atitude e de amor? Certa vez durante um almoço em Salvador perguntei a Paulo Freire o que ele considerava mais importante num professor. A resposta veio reta e direta: “A vontade de ensinar. Enfrentar o desafio de fazer a pessoa aprender”.

O Brasil já teve Anísio Teixeira e sua Escola Nova, que nos anos 1930 privilegiava o intelecto e a capacidade de discernimento em detrimento do decoreba. Teve Darcy Ribeiro e seus Cieps, a primeira escola pública de qualidade onde as crianças ficavam o dia inteiro, e também dona Henriette Amado, diretora do Colégio André Maurois, uma escola pública que virou referência no ensino do Rio de Janeiro na década de 1960. Dona Henriette acabou expulsa da sua escola, retirada à força pela polícia do governo militar, numa brutalidade gêmea àquela que calou rebeldias na Ponta do Calabouço.

O Brasil precisa voltar a respirar educação. Num país onde o lavador de carros ou o engraxate aprendiam a escrever corretamente na escola pública, onde gente como Paulo, Anísio, Darcy e Henriette apostavam na educação como o fermento transformador da nossa sociedade, não se pode admitir que em pleno século 21 crianças estejam há mais de 400 dias sem aula. Meteram a educação num calabouço chamado pandemia e jogaram a chave fora.

Há mais de 1 mês, numa manifestação em Belo Horizonte, pais protestaram pedindo a volta das aulas. A ficha caiu e eles sabem que estamos vivendo um apagão na educação básica e ninguém tem ideia de como isso vai acabar ou se vai acabar. Que os pais protestem cada vez mais, deixem que a indignação tome as ruas, lutem pelo futuro das nossas crianças, mostrem ao mundo que elas estão sendo vítimas de um crime de lesa-pátria, condenadas à ignorância.

Neste país se protesta por tudo, menos para que as crianças pobres tenham uma educação de primeira. A sociedade escolheu uma escola ruim e essa escolha se virou contra ela. O Rio perdeu seus Cieps e ninguém foi para a rua reclamar, professores não deram um pio. Nem a classe média que acha mais importante saber quem matou Marielle, mas se queixa dos meninos de rua, dos assaltos, do tráfico e da milícia, dores de uma sociedade onde a maioria não teve a oportunidade de estudar.

O Brasil é um país onde as pessoas confundem educação com universidade. A gente precisa falar menos de universidade e mais de educação básica, porque uma criança que não sabe ler e escrever direito ou fazer as 4 operações básicas da matemática, dificilmente vai conseguir chegar lá. E ainda há algo extremamente importante, que é a independência de cada um de nós somente garantida pelo saber numa era onde as fake news são uma praga.

Não há como avançarmos politicamente sem uma educação básica de qualidade. Imagine essa geração de crianças atropelada pela pandemia daqui há alguns anos, com todas as sequelas deste apagão na nossa escola pública. Roubadas no seu direito a ter oportunidades iguais, como irão votar? Como irão pensar e discernir? Não reclamem da qualidade do Congresso, do Lula, do Bolsonaro, dos governadores e prefeitos. Não reclamem que as pessoas não sabem votar. A falta de atitude para encarar este problema fará com que continuemos a ser por décadas a fio uma democracia de pobres e ignorantes, eternamente obrigados a votar no menos pior, comandados pelos que fazem desta situação uma fonte inesgotável de poder.

Não foi por outro motivo que há 229 anos a Coroa Portuguesa decidiu dar uma demonstração extrema de poder. Não bastava matar, era preciso aniquilar. O corpo de Joaquim foi esquartejado, destruído para servir de exemplo. Sua casa demolida e o terreno salgado para que nunca mais nada brotasse ali. Nem flor, pensamento, nada. O poder bruto usou do requinte de exigir que a certidão de cumprimento da sentença fosse lavrada com o sangue daquele homem que sabia ler e escrever e um dia ousou sonhar com um país onde a educação e liberdade andassem de mãos dadas.

*Jornalista. Texto publicado originalmente no Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Julho 2

Confira os últimos posts



02/08


2021

Raimundo Pimentel tem aprovação de mais de 70% em Araripina

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Múltipla avaliou que 72,7% da população de Araripina aprova a gestão do prefeito Raimundo Pimentel (PSL), que está no primeiro ano do seu segundo mandato à frente da Prefeitura. 

Além da aprovação do Governo, outros números indicam que o gestor da cidade sertaneja está bem avaliado perante a população. Em relação à classificação do governo de Pimentel, 59% dos entrevistados avaliam como ótimo ou bom, 28% como regular, 11,7 como ruim ou péssimo e 1,3% não opinou. 

O desafio da pandemia da Covid-19 também foi avaliado na pesquisa, e 75,3% da população aprova a atuação do prefeito Pimentel, 16% desaprovam e 8,7% não opinaram. A autoestima do araripinense também está elevada. Segundo a pesquisa, 93% dizem sentir orgulho de morar no município, enquanto que 5,7% não sentem orgulho e 1,3% não opinou.

A pesquisa entrevistou 300 pessoas entre os dias 27 e 29 de julho. O intervalo de confiança estimado é de 95% para uma margem de erro de 5,7% para mais ou para menos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

02/08


2021

Serra Talhada de saia

Terra de Lampião, Agamenon Magalhães e Inocêncio Oliveira, Serra Talhada, a 415 km do Recife, se rendeu, finalmente, a uma governante de saia: Márcia Conrado, eleita pelo PT, sucessora do também petista Luciano Duque. Serra nunca havia eleito uma mulher em seus 170 anos de emancipação política. Não se pode dizer, entretanto, que a cidade é machista. É muito plural.

No Sertão de cabra macho, virou vanguarda na promoção do “canga gay”, carnaval fora de época com homens vestidos de mulheres no estilo Maria Bonita. Ao lado do ex-prefeito Luciano Duque e de aliados de Serra, a primeira mulher que chegou ao poder na terra do cangaço foi homenageada, há pouco, num jantar na Pizzaria D’ Praça, em Afogados da Ingazeira, onde, mais cedo, participou do Frente a Frente.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Muro de Arrimo

02/08


2021

Ministro pressiona por privatização dos Correios

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, defendeu e explicou, hoje, o projeto de lei que trata da privatização dos Correios, que está em tramitação no Congresso. Segundo o ministro, mesmo com a venda da estatal – considerada "fundamental" pelo governo federal –, o serviço postal será garantido a todos os brasileiros, mesmo para aqueles que não podem pagar.

"Consultorias apoiaram o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] no estudo detalhado sobre o que precisa ser preservado e melhorado na empresa. Depois, na Câmara, o projeto foi aprimorado, estabelecendo limites de preço e uma tarifa social, que garantirá os serviços mesmo para as pessoas que não podem pagar”, disse Faria em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV. Confira o pronunciamento na íntegra!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2021

Natal Sertanejo ajuda famílias carentes do Estado

Os padres Damião Silva e Adilson Simões, da Terra da Misericórdia, santuário localizado no município de Arcoverde, no Sertão, estão promovendo uma ação social denominada “Natal Sertanejo”, com o objetivo de arrecadar cestas com 35 kg de alimentos para famílias sertanejas em situação de desamparo.

Dentre os itens arrecadados, os sacerdotes solicitam feijão, arroz, açúcar, farinha, fubá, macarrão, óleo, café e doce de goiaba. A ação será desenvolvida nos municípios e distritos de Arcoverde, Buíque, Jurema, Sete Baraúnas, Lagoa Seca, Barriguda, Serra do Mangue, Quilombolas, Vassouras e Serrinha.

No município de Alagoinha, será montada uma estrutura para a distribuição dos donativos, que será feita no dia 04 de dezembro, pela equipe de voluntariado, sob a coordenação dos padres

Mais informações sobre como ajudar a campanha, o leitor pode acessar o site https://terradamisericordia.com.br/ ou entrar em contato com o santuário através do número: (87) 9.8170-1046 ou (87) 3822-7150.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru Novas Creches

02/08


2021

Prefeitos do Pajeú reclamam pouco

Presentes à mesa redonda do Frente a Frente itinerante, hoje, pela rádio Pajeú, em Afogados da Ingazeira, os prefeitos de Afogados da Ingazeira, Sandro Palmeira, e de Carnaíba, Anchieta Patriota, ambos do PSB, se derramaram em elogios ao Governo Paulo Câmara. Única voz discordante, a prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT), reclamou do tratamento dado pelo Governo do Estado à sua gestão e criticou o estado precário das estradas da região.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

CABO

02/08


2021

AGU volta a pedir suspensão da quebra de sigilo de Pazuello

Poder 360

A Advocacia Geral da União (AGU) pediu para o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender a quebra de sigilo fiscal, bancário, telefônico e telemático do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello. O acesso aos dados foi autorizado em junho pela CPI da Covid.

Uma solicitação contra a quebra de sigilo telefônico e telemático já havia sido feita à Corte pela AGU em junho. O ministro Ricardo Lewandowski, no entanto, negou o pedido.

Depois da decisão, a Comissão determinou a quebra do sigilo fiscal e bancário do ex-ministro, autorizando que fossem acessados dados a partir do início de 2018. Para a AGU, a ordem extrapola o escopo de investigação da CPI, já que o papel dela é apurar eventuais omissões do governo federal durante a pandemia, que só chegou ao Brasil no começo de 2020.

“No caso concreto, não bastasse a ausência de justificação suficiente, a adoção de uma medida tão extrema como a quebra de sigilo fiscal e bancário do impetrante a partir de 2018 se revela desproporcional e desalinhada com o escopo da investigação que se pretende empreender”, diz o pedido.

A AGU também afirma, como na solicitação anterior, que a quebra de sigilo do ex-ministro não foi fundamentada e leva em conta somente o fato de Pazuello ter ocupado cargo no Ministério da Justiça.

“O alegado fundamento para a quebra de sigilo estaria relacionado tão somente ao fato de que durante a gestão do impetrante no Ministério da Saúde teriam sido contratadas empresas sem licitação em um dos órgãos integrantes da estrutura da pasta ministerial, o que, obviamente, não justifica tamanha devassa ao direito fundamental à intimidade do impetrante, podendo, aliás, tal fundamentação ser replicada para alcançar praticamente qualquer ocupante de cargo de gestão”, prossegue o pedido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

02/08


2021

Família morre após colisão com trem em Serra

Uma tragédia ocorreu, na tarde de hoje, no município de Serra Talhada, no Sertão do Estado. Pai, mãe e filho, que ainda não foram identificados, morreram após colidirem com um trem na ferrovia Transnordestina, na região do assentamento Poço do Serrote, na Zona Rural. O Corpo de Bombeiros chegou ao local por volta das 15h40, horário provável da colisão, e já encontrou as vítimas sem vida. Um dos corpos foi lançado para fora do veículo modelo Pálio, onde vinha a família. As informações são do portal Farol de Notícias.

Os Bombeiros encontram ainda um dos corpos embaixo do veículo e outro dentro do carro. “As vítimas tinham na faixa de 30 anos, o filho, e na faixa de 50 anos, o pai e mãe, infelizmente, quando nossa equipe foi acionada, as vítimas já estavam em óbito”, lamentou o major Vanberg. Neste momento, as equipes dos Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil estão no local esperando a chegada, vindo de Afogados da Ingazeira, de uma equipe do IC (Instituto de Criminalística) para periciar o local.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2021

Fux anuncia volta das sessões presenciais do STF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, anunciou, hoje, que o plenário da Corte voltará a ter sessões presenciais a partir de setembro. Desde abril de 2020, o Supremo vinha realizando sessões no plenário por videoconferência em razão da pandemia.

Nas sessões por videoconferência, a maioria dos ministros não comparece às dependências do tribunal. Os debates em tempo real ocorrem por um sistema de áudio e vídeo à distância e são transmitidos pela TV Justiça.

O plenário é geralmente ocupado pelo presidente da Corte. Sessões nesse formato foram comandadas pelo então presidente Dias Toffoli e, após a sucessão, por Fux. O ambiente conta com estruturas para manter o distanciamento social entre os ministros.

A decisão levou em conta o calendário de vacinação do Distrito Federal. A expectativa é de que, até a volta aos trabalhos presenciais, ministros e servidores envolvidos na realização das sessões estejam vacinados.

"Estou imaginando a volta às sessões presenciais depois do final de agosto, quando todos os ministros já estarão devidamente vacinados e os funcionários que podem comparecer ao plenário também, tendo em vista a idade que o Distrito Federal está seguindo para a vacinação", afirmou o presidente do Supremo.

"Já em setembro nós vamos iniciar as sessões plenárias presenciais. É claro evidentemente que, se em algum gabinete tiver um funcionário muito mais novo, pediria que Suas Excelências escolhessem aquele funcionário que já foi devidamente vacinado", completou.

Em setembro, a Corte deve analisar, entre outros temas, ações que questionam o Marco Legal do Saneamento e a Lei Maria da Penha. Também está prevista a retomada do julgamento do recurso que discute se o depoimento do presidente Jair Bolsonaro no inquérito que investiga se houve interferência na autonomia da Polícia Federal deve ser presencial ou por escrito.

O presidente Luiz Fux lembrou ainda que esta foi a primeira sessão em que o ministro Gilmar Mendes participou como ministro decano da Corte (o ministro com mais tempo de atuação no tribunal). Mendes se tornou o decano com a aposentadoria do ministro Marco Aurélio Mello, em julho. Na reabertura dos trabalhos após o recesso, Fux também fez um discurso em defesa da democracia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2021

Flávio Sotero assume a presidência do Grande Recife

O governador Paulo Câmara anunciou, hoje, o nome do novo presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte. O advogado e engenheiro mecânico Flávio Sotero assumirá o posto no lugar de Erivaldo Coutinho. Os dois foram recebidos pelo chefe do Executivo estadual, em reunião com os secretários estaduais Tomé Franca (Desenvolvimento Urbano e Habitação), José Neto (Casa Civil) e Alexandre Rebêlo (Planejamento e Gestão), no Palácio do Campo das Princesas.

Paulo Câmara agradeceu o empenho do ex-presidente e desejou sucesso ao novo gestor, que assume o cargo a partir desta segunda-feira. “Erivaldo Coutinho realizou um trabalho importante nesses dois anos e meio no comando do Grande Recife Consórcio de Transporte. Agora, Flávio Sotero tem um papel fundamental de dar continuidade e contribuir para a gestão do transporte público diante dos desafios da mobilidade urbana”, disse o governador.

“Estou no governo desde a primeira gestão do governador Paulo Câmara. Conhecemos as dificuldades, mas também sabemos que podemos tentar melhorar as condições do transporte público da Região Metropolitana do Recife, trabalhando sempre com foco no usuário. Estaremos abertos ao diálogo com todos que fazem parte do sistema, desde o usuário aos servidores e empresas”, afirmou Flávio Sotero.

Formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Flávio Sotero foi gerente de fiscalização do Procon-PE, e desde 2016 atuava como vice-presidente da Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2021

Projeto impede retrocessos no setor cultural

Com o objetivo de impedir mais um ato de destruição da cultura brasileira, a deputada federal Marília Arraes (PT-PE) apresentou um Projeto de Decreto Legislativo 336/2021, hoje, que susta o decreto 10.755.

A ação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) altera o regulamento do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que abriga a Lei Rouanet, o Fundo Nacional de Cultura e os Fundo de Investimento Cultural e Artístico (Ficart) e amplia o poder de decisão do secretário Especial de Cultura, Mário Frias, que terá mais centralidade em suas escolhas. O decreto também retira a cultura do Ministério da Cidadania, remanejando a área para o Ministério do Turismo.

"A centralidade das decisões na figura do Secretário Especial de Cultura irá dificultar a participação da sociedade civil no setor e também deve aumentar a possibilidade de censura. O decreto, por exemplo, permite que o secretário defina o que são instituições culturais sem fins lucrativos", afirma Marília.

A decisão do Governo Federal, portanto, de aumentar a concentração do poder de decisão, juntamente com o abandono da Lei Rouanet, evidencia a possibilidade de restrição da liberdade de expressão.

"A Cultura é uma das maneiras mais bonitas e importantes do povo se expressar. O que esse governo está fazendo é acabar com as manifestações culturais e impedir que a sociedade participe do fortalecimento de uma área que está sendo extremamente sucateada. O exemplo mais recente do abandono da cultura foi o incêndio na Cinemateca brasileira, que destruiu uma parte do acervo cultural do nosso país", ressalta.

O PDL apresentado por Marília está aguardando despacho do presidente da Câmara dos Deputados.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


02/08


2021

Frente a Frente direto da Rádio Pajeú

Já estou nos estúdios da Rádio Pajeú, em Afogados da Ingazeira, onde apresento, a partir das 18 horas, o Frente a Frente itinerante. Terá a presença dos prefeitos de Afogados, Sandro Palmeira (PSB), de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), e de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT). Em pauta, os seis meses de gestão, a redução dos casos da Covid-19 e os projetos para os próximos três anos.

O programa começa às 18 horas e vai até às 19 horas, gerado pela Rede Nordeste de Rádio para mais de 40 emissoras nos Estados de Pernambuco, Alagoas, Paraíba e Bahia. Se você deseja ouvir pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores