23/01


2021

O odor da morte

Por Arnaldo Santos*

Por entre as colunas de concreto e os vidros blindados, que protegem e escondem o ocupante do gabinete presidencial do Brasil, e sua corriola de ministros igualmente genocidas - como o da saúde - exala o odor da morte de mais de 215 mil cadáveres de brasileiros, vitimados pela negligência e a incúria administrativas desse (des)governo, revelando em cada um dos seus integrantes o mais abominável dos sentimentos humanos, (desumanos), que é o desprezo pela vida do outro. É imperioso lembrar que somos apenas 2,7% da população da Terra, e respondemos por 10% dos mortos em todo o mundo pela Covid.

O que aqui afirmamos ficou provado ainda no ano passado (todos se lembram), quando o “capitão da morte” mandou cancelar a compra das primeiras vacinas Coronavac - 42 milhões de doses - pelo simples fato de ser medicamento chinês. Percebem quanta falta estão fazendo para imunização dos 30 milhões prioritários? Essa aquisição havia sido comunicada pelo “mentiroso” ministro da morte, Eduardo (dia “D”, hora “H”, oxigênio) Pazuello, que foi obrigado a desmentir a informação 24 horas depois, não sem antes ser humilhado publicamente pelo seu chefe.

Outro fato que chama atenção no campeonato das vacinas, Doria X Bolsonaro, foi a demora na aprovação para uso emergencial, pela ANVISA, com direito a exibição em rede nacional de televisão, algo nunca visto na história dessa instituição. Foi uma tentativa de recuperar a credibilidade científico-técnica, arranhada em razão do uso político a que foi submetida no atual (des)governo.

A fúnebre realidade vivida pela população de Manaus, na última semana, que comoveu o mundo, confirma que o negacionismo e a eugenia bolsonarista fizeram escola, sendo o governador do Amazonas, Wilson Lima, seu aluno mais aplicado e desprezível.

Sua negligência e o desprezo pela vida conduziram muitas pessoas a agonizarem até o decesso vital por falta de oxigênio, revelando sua crueldade e do que um genocida é capaz.

O mais surpreendente é que, em vez de assumir suas responsabilidades - pedir perdão ao Brasil pela desídia e pelos crimes cometidos, admitindo que errou quando afrouxou as medidas de isolamento social, cedendo às pressões do “capitão da morte”, quando esteve em Manaus, fazendo campanha pelo não fechamento do comércio - preferiu atribuir as cenas horrendas a que o mundo assistiu pela televisão à variante do vírus, que internacionalmente está sendo chamado de “bozovirus”.

Eles, no entanto, não estão sozinhos na prática do cometimento desse que pode ser considerado “crime contra a humanidade”; a eles se juntam as “luxuosas” companhias dos integrantes do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal - STF, que, como instituições guardiãs dos direitos individuais e coletivos da sociedade, onde a vida é o bem maior a ser protegido e preservado, silenciaram.

Por interesses subalternos e falta de uma atuação politico-jurídica como se espera das instituições democráticas, se omitiram do papel constitucional que lhes cabem; e deixaram esse genocida continuar brincando de matar. Por isso, nos seus amplos salões e luxuosos plenários, estão empilhados os mais de 215 mil cadáveres, para que também sintam o odor da morte.

Deve ser lembrado o fato de que, já no início da pandemia, quando se choravam os primeiros 20 mil mortos pela Covid, o negacionismo se intensificava, aliado ao exercício ilegal da Medicina, via rede nacional de televisão, pelo demente charlatão “capitão da morte”. Este, então, receitava abertamente o uso indiscriminado da tal cloroquina, sem qualquer eficácia comprovada, e recomendava que a população não deveria ficar em casa nem usar máscara. A tudo isso se somavam os sucessivos ataques as outras instituições e o descumprimento da Constituição; ali já estavam dadas as condições para que o Congresso e o STF interrompessem a trajetória desse sádico, pois, na divisão dos poderes, cabe aos legisladores e aos doutos juízes da Suprema Corte essa função.

Como não o fizeram, faço saber que as centenas de milhares de órfãos que choram a morte dos seus pais, as milhares de viúvas e viúvos, com dificuldades para criar seus filhos, as centenas de milhares de sonhos e histórias de vida interrompidos, são também responsabilidade dos senhores, por terem se omitido do cumprimento do dever legal, que seria a interrupção, via impeachment, ou por meio de outro instrumento legal, das ações dessas mentes doentias e perversas indiferentes à dor e à comoção de toda uma Nação. Continuarão impunes? Até quando?

Por isso, senhores ministros e congressistas, sintam o mau cheiro que exala dos mais de 215 mil cadáveres, que vocês, pela omissão, deram causa aos seus óbitos; experimentem, ainda, a dor dos que agonizaram até morrer pela falta de um cilindro de oxigênio, pois todos os males e sofrimentos causados pelo bolsonarismo doentio e perverso são, também, responsabilidade dos senhores.

No contexto dessa realidade sombria, o Brasil já é um grande necrotério, onde os vermes que corroem essa Nação se alimentam dos cadáveres deixados pela Covid, e nutrem o mórbido sentimento de desumanidade e indiferença pela sociedade em geral, especialmente pelos pobres que são os mais suscetíveis a contaminação pelo coronavírus, que, por necessidades e instinto de sobrevivência, se expõem ao vírus em grau muito maior.

Para aqueles que ainda mantêm intacto o uso da razão, é impensável deixar que falte oxigênio para acudir a população de qualquer cidade brasileira, enquanto o ministro da morte exercita o charlatanismo bolsonarista receitando cloroquina, agora disfarçado de um tal “tratamento precoce”, mesmo depois da ANVISA ter declarado não existir qualquer evidência científica da sua efetividade no tratamento do coronavírus.

 A propósito das supostas propriedades terapêuticas da cloroquina no tratamento da Covid, o Governo do Ceará financiou uma pesquisa, por meio da FUNCAP, junto ao Departamento de Farmacologia Clínica/UFC, e espera receber os resultados nos próximos dias, para saber se há comprovação científica para uso profilático no combate ao vírus.

A pergunta que se faz é, como ser indiferente à morte de pessoas por asfixia, nos corredores dos hospitais, e não atuar com toda autoridade e a responsabilidade que lhe cabia, como fez esse verme ministro da morte quando esteve em Manaus? Na semana anterior à falta de oxigênio em todas as unidades de saúde, ele havia sido informado do problema e ainda assim viajou sem tomar qualquer providência, para depois apresentar como motivo a cínica desculpa de que a força aérea não dispunha de boeing para transportar os cilindros, embora o Ministério da Saúde já soubesse do iminente colapso há pelo menos dez dias! Reparem a quem está entregue a saúde do povo brasileiro!

A pergunta que todos fazemos é: - por que não alugou quantos boeings fossem necessários para fazer o transporte e acudir às pessoas e evitar que morressem daquela forma tão sofrida? Nosso respeito e reconhecimento aos médicos e a todos os profissionais da saúde, que mesmo nas situações mais adversas, nunca se omitiram.

O mais surpreendente é que o requisito mais ressaltado em seu currículo – é que ele seria um especialista em logística, e não foi capaz de fazer chegar a tempo, aos hospitais de Manaus, os cilindros de oxigênio tão necessários para salvar a vida daquelas pessoas que vimos agonizar até a morte. Imagine se não o fosse!

Senhores genocidas: a vacina, pelo seu valor científico e eficácia comprovadas em todos os ensaios e testes clínicos, vai conter a velocidade da transmissibilidade do vírus, vai reduzir significativamente o número de infectados e mortos daqui para frente, (se houver vacinas suficientes), mas suas máscaras que só recentemente passaram a usar, especialmente pelo “capitão da morte”, continuarão impregnadas pelo fartum exalado dos cadáveres dos pais e mães, esposos e esposas, irmãos e irmãs, filhos e filhas, tios e tias, cunhados e cunhadas, primos e primas, amigos e amigas, que os senhores, pela prática genocida com que se conduziram até aqui, deram causa as suas mortes.

A pandemia vai passar, mas o bodum da morte não, e vocês vão continuar cheirando para nunca mais esquecerem dos crimes que cometeram. Até aqui a pandemia teve o vírus como causa a ser combatida, desde agora, pelas vacinas, e três inimigos ainda mais difíceis de enfrentar: o negacionismo do governo, a mente doentia e criminosa do presidente e as mentiras do ministro da morte.

Saibam os estúpidos desse governo e seus aliados que a culpa por essa monstruosidade cometida contra o povo brasileiro é de vocês, e já está registrado pela história. Se, por acaso, os doutos juízes do STF, em um lapso de consciência, mesmo que tardiamente, fizerem a justiça se realizar, vocês pagarão pelos seus crimes, pois não lhes restará lugar para se esconderem, e menos ainda um refúgio para se livrarem do peso da culpa. Tenho dito!

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas. Comentários e críticas para: [email protected]


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Quanta merda senhor Arnaldo.


Cabo 2021

Confira os últimos posts



24/02


2021

Oposição pede devolução de MP da Eletrobras

Os líderes da oposição solicitaram, hoje, a devolução imediata da medida provisória 1.031/2021, que trata sobre a privatização da Eletrobras. Em ofício enviado ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), os parlamentares afirmam que o texto entregue pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional, na noite de ontem, não atende ao requisito da urgência necessário para a publicação de qualquer MP e também por ser inconstitucional.

“Sempre que o governo provoca uma crise que abala a confiança do mercado financeiro, como ocorreu com a troca de comando da Petrobras, usa mão da proposta de privatização da Eletrobras. O governo não pode se desfazer de uma empresa lucrativa e um patrimônio estratégico para os interesses e a soberania nacional, especialmente no momento de crise que estamos vivendo e sem a ampla discussão com a sociedade”, criticou Danilo Cabral, líder do PSB na Câmara dos Deputados e um dos signatários do documento.

Segundo os líderes da oposição, a MP não dispõe de qualquer sinalização que justifique o cumprimento real do requisito da relevância e, mais especialmente, do requisito da urgência. O conteúdo é praticamente idêntico ao texto do projeto de lei 5.877, enviado pelo mesmo governo ao Congresso Nacional em 2019. E também similar à proposta (PL 9463/18) enviada pelo Governo Michel Temer ao Parlamento. “Portanto, temos que pelo próprio entendimento do governo tal conteúdo não contém a relevância ou urgência que enseje a edição de medida provisória. Principalmente no contexto pandêmico da atualidade, que exige medidas efetivas e atenção integral do Governo e do Congresso Nacional”, diz trecho do ofício.

A MP busca acelerar a privatização da Eletrobrás, permitindo que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) inicie os estudos para que a União, hoje detentora de 60% das ações da empresa, abra o capital. O texto prevê também que o governo mantenha poder de veto sobre decisões da estatal por meio de ações preferenciais, as chamadas golden shares.

Além de violar a Constituição pela ausência do requisito de urgência e relevância, os líderes da oposição alegam que a MP, que traz a força de lei de cumprimento vigente imediato, gera profunda insegurança jurídica, em razão da permitir a formalização de contratos antes do crivo do Congresso Nacional a respeito do tema, colocando em risco o patrimônio público e atentando contra o Estado Democrático de Direito, na medida em que usurpa competência do Congresso Nacional.

“Esse é um assunto, diante de sua complexidade, precisa ser discutido no Parlamento sem açodamento. A venda de uma estatal não deve ser viabilizada apenas para gerar caixa ao governo em meio a uma crise econômica. Há outras formas de aumentar a arrecadação, como, por exemplo, promovendo um ajuste fiscal”, encerra Danilo Cabral.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/02


2021

Bolsonaro dá posse a João Roma e Onyx Lorenzoni

Indicado pelo Centrão, o deputado João Roma (Republicanos-BA) tomou posse, hoje, como novo ministro da Cidadania. O termo de posse foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) em evento no Palácio do Planalto. Roma assume a vaga de Onyx Lorenzoni, que também tomou posse nesta quarta para assumir o cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

"Seguiremos ampliando e aperfeiçoando a rede de assistência social no Brasil", disse Roma em seu discurso. "A área social e a área econômica são as duas faces de uma mesma moeda", disse.

A escolha por Roma para assumir o ministério é parte do compromisso de entrega de cargos no primeiro escalão do governo a nomes do Centrão. O Republicanos foi um dos partidos do bloco do Centrão que apoiou a eleição de Arthur Lira (PP-AL) como presidente da Câmara dos Deputados.

O Republicanos abriga hoje dois dos filhos do presidente Jair Bolsonaro: o vereador Carlos Bolsonaro (RJ) e o senador Flávio Bolsonaro (RJ). Roma será o terceiro ministro a ocupar a cadeira na Cidadania. A pasta também já foi comandada anteriormente pelo deputado Osmar Terra (MDB-RS).

Antes de ser ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni chefiou até fevereiro de 2020 a Casa Civil. O retorno de Onyx ao Planalto ocorre por conta da saída de Jorge Oliveira da Secretaria-Geral para assumir, no fim do ano passado, vaga de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU).


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banner Jaboatao 2021

24/02


2021

“Se (Daniel) quebrou o decoro, tem que ser punido”, diz Rodolfo

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE) falou, há pouco, em entrevista ao programa Frente a Frente, sobre o papel que vai desempenhar como relator no caso envolvendo o colega de parlamento Daniel Silveira (PSL-RJ), que segue preso após aparecer em vídeo atacando ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi escolhido, hoje, para assumir essa função no processo que está tramitando no Conselho de Ética da Câmara contra o deputado fluminense.

Na conversa com o âncora Magno Martins, Rodolfo destacou que “o episódio da prisão foi superado” e que se restringirá a avaliar a conduta de Silveira. “Nós vamos analisar a conduta dele. Se houve quebra de decoro ou não. Essa é a grande questão”, disse. “Defender a volta do AI-5 significa quebra de decoro? Houve ameça a ministros do Supremo? É isso que vai ser discutido nesse processo”, completou.

Fernando Rodolfo se posicionou pela manutenção da prisão de Daniel Silveira, referendada em votação aberta por 364 deputados, 107 além do mínimo necessário, na última sexta-feira (19). Nos próximos 60 dias, o deputado pernambucano atestou que conversará com juristas, técnicos dentro e fora do Congresso: “O que eu posso garantir é que farei um trabalho com serenidade”.

Em suas palavras, “deixando a paixão de lado e se prendendo estritamente à questão jurídica”. “A opinião pública já está formada. Aqui a gente não vai permitir que o nosso relatório seja pautado por sentimentos de paixão política”, prosseguiu. Para Fernando Rodolfo, estando caracterizada a quebra de decoro, não há outro caminho que não seja a cassação.

“Não é uma situação confortável para ninguém. Ninguém se elege para exercer o mandato por um ou dois anos e ser cassado, mas existem regras, existe o regimento, que precisa ser cumprido. A função do parlamentar é muito nobre, é uma função muito bonita na sociedade e a gente precisa preservar em todos os momentos aquilo que foi confiado pela população. É o que nós chamamos de decoro parlamentar. Se quebrou o decoro, tem que ser punido”, concluiu.

Ouça a entrevista na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Daniel tem que ser punido. Bandidão.

marcos

NUNCA MAIS votem em Rodolfo, ele é amiginho dos ministros do STF.



24/02


2021

Bolsonaro diz que se livrou de 20 processos de cassação

Na despedida do ministro da Secretaria Geral da Presidência, em ato, há pouco, no Planalto, o presidente Bolsonaro fez um rápido agradecimento e afirmou que o pai do ex-auxiliar o livrou, quando o assessorou na Câmara, de pelo menos 20 processos de cassação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina 2021

24/02


2021

Bolsonaro elogia Roma e diz que Guedes tem coração

Ao saudar o novo ministro da Cidadania, João Roma Neto, o presidente Bolsonaro afirmou não ter dúvida de que fará muito em favor dos mais necessitados. "Agradeço a João e ao seu partido, o Republicanos, por atender essa convocação que não é minha, mas do País, do Brasil que precisa mudar e avançar", afirmou.

Bolsonaro aproveitou para fazer um afago aos seus ministros. "Não existe manual para ser presidente. É preciso que haja lealdade de vocês para mim e eu para vocês, ministros", assinalou. O presidente encheu também a bola do ministro da Economia, Paulo Guedes. "O Guedes já demonstrou que tem coração, é a âncora do nosso Governo, com austeridade absoluta e responsabilidade fiscal", afirmou.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

24/02


2021

Roma cita avô, Joaquim, Krause e Maciel em fala

Ao assumir o Ministério da Cidadania, há pouco, o deputado João Roma Neto, do Republicanos da Bahia, disse que sua missão é não deixar ninguém desamparado como condutor da pasta que faz ação social no Governo Bolsonaro. "Cidadania é buscar fazer mais e muito pelos que mais precisam", disse.

Roma citou o Padre Roma, um dos condutores da Insurreição Pernambucana, o seu avô João Roma, ex-deputado por Pernambuco, e os políticos Marco Maciel, Joaquim Francisco e Gustavo Krause, com quem trabalhou. Deu ênfase ao seu padrinho político na Bahia, o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, presidente estadual do DEM.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

24/02


2021

FBC recebe prefeitos de diversas regiões de Pernambuco

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) recebeu, hoje, em Brasília, o prefeito de Toritama, Edilson Tavares, que pediu o apoio do governo federal para viabilizar a obra de duplicação da BR-104, na entrada do município. Cerca de 30 mil pessoas passam pelo local nos dias de funcionamento da feira de moda e confecção. Fernando Bezerra, que é líder do governo no Senado, se comprometeu a articular uma reunião com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para destravar a obra.

“Esse é um projeto muito maior que Toritama, um projeto que vai atender o estado de Pernambuco e que vai fazer diferença para o polo de confecções, gerando emprego e renda para a população do Agreste”, disse o senador.

“Esta obra, que está parada há mais de uma década, compreende a duplicação de um trecho de aproximadamente seis quilômetros, por onde passam mais de 30 mil pessoas somente no dia da feira, gerando um engarrafamento de duas horas”, acrescentou Edilson.

Já o prefeito de Timbaúba, Marinaldo Rosendo, pediu apoio para a aquisição de máquinas e equipamentos, como tratores, caminhão caçamba e retroescavadeira. “São equipamentos importantes para apoiar a produção e a limpeza urbana, além de ajudar nas obras de recapeamento e pavimentação de ruas”, disse Marinaldo.

A aquisição de máquinas também foi a demanda apresentada pelos prefeitos de Parnamirim, Nininho, e de Moreilândia, Teto Teixeira, enquanto os prefeitos de Lagoa Grande, Vilmar Capellaro, de Cortês, Fátima Borba, e de Condado, Antonio Cassiano, solicitaram recursos para o custeio da saúde.

“Os prefeitos vêm a Brasília com demandas importantes para os municípios, e é dever do parlamentar articular o apoio do governo federal, levando recursos e obras para o seu estado. Além de melhorar a qualidade de vida da população através de equipamentos de saúde, escolas e obras de saneamento e infraestrutura, os investimentos federais ajudam a movimentar a economia e gerar emprego”, afirmou Fernando Bezerra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

24/02


2021

Sebá assume liderança do Avante na Câmara

O deputado federal Sebastião Oliveira assumiu, hoje, a liderança do Avante na Câmara dos Deputados. No primeiro dia no exercício da nova função, o parlamentar recebeu a visita de cortesia dos prefeitos Matheus Martins (Terezinha), Douglas Duarte (Angelim), Gilmar Assunção (Frei Miguelinho) e Eudes Tenório (Venturosa).

Com Sebá como liderança nacional, o Avante Pernambuco conseguiu emplacar, nas últimas eleições, dez prefeitos, cinco vices e 112 vereadores, sendo dois deles no Recife. Antes dos irmãos Sebastião e Waldemar Oliveira, que é presidente estadual da legenda, a sigla não comandava nenhuma prefeitura no Estado.

Já na sua estreia na Câmara Municipal do Recife, os vereadores do Avante assumiram a presidência de duas importantes Comissões: Segurança Cidadã (Dilson Batista) e Acessibilidade e Mobilidade Urbana (Fabiano Ferraz). 

“Agradeço ao deputado Luiz Tibé - meu antecessor e presidente Nacional do Avante – e aos demais companheiros da nossa bancada pela confiança. Estamos totalmente alinhados com as demandas atuais e mais importantes do Brasil. Vamos trabalhar em sintonia com todas as áreas, sobretudo, com a saúde e a economia. O País pode contar com o Avante. O momento exige união e muito trabalho”, ressaltou Sebastião Oliveira.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

NUNCA NAIS votem em Sebá. Ele é amiguinho dos ministros do STF.



24/02


2021

Começa posse de João Roma

A solenidade de posse do novo ministro da Cidadania, João Roma Neto, já começou com uma hora e meia de atraso. O presidente Bolsonaro também vai sancionar o projeto de autonomia do Banco Central.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/02


2021

Bolsonaro anuncia sanção da autonomia do BC

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou para hoje, juntamente com a posse do deputado João Roma (Republicanos-BA) como ministro da Cidadania, a sanção do texto que dá autonomia ao Banco Central.

A informação consta em postagem feita no Facebook. Junto ao texto, Bolsonaro divulgou uma foto dele com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha