Lavareda

24/10


2020

A cara nova da velha Aliança

Por Marcelo Tognozzi*

Trump reeditou a velha e surrada Aliança para o Progresso, lançada há 60 anos como ferramenta dos Estados Unidos para impedir o avanço do comunismo na América Latina, prometendo dinheiro para cuidar dos pobres e miseráveis. Em agosto de 1961, o então presidente John Kennedy reuniu representantes das repúblicas americanas em Punta del Este e mandou passarem a limpo um documento previamente rascunhado por seus assessores da USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional).

No dia 25 daquele agosto, o presidente brasileiro Jânio Quadros renunciou, João Goulart assumiu e, menos de 3 anos depois, os militares tomaram o poder. O day after da Aliança, desfeita por Nixon em 1969, trouxe militarização dos governos do Conesul, o aumento da pobreza e a crise cada vez mais aguda provocada pelo choque do petróleo.

Em 2018 o governo Trump lançou o programa América Cresce, versão da Aliança para o Progresso no modelito do século 21. Já despejou bilhões de dólares em países da América Latina e Caribe bancando projetos de infraestrutura, ciber segurança e combate à corrupção, tudo supervisionado por órgãos como o Departamento do Tesouro, Departamento de Comercio, de Energia e agências como a USAID, a Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento (USTDA) e a Corporação para Investimento Privado no Exterior (OPIC).

Os Estados Unidos não brincam em serviço. A visita do assessor de Segurança Nacional Robert O’Brien a Brasília na 3ª feira (20.out.2020), cujo resultado mais visível foi a distribuição de caneladas por Bolsonaro na vacina chinesa CoronaVac, no governador João Doria (seu futuro produtor) e no ministro Pazzuelo (ex-futuro cliente), faz parte de uma ampla estratégia para barrar a influência chinesa no continente como aconteceu há 60 anos com a finada União Soviética.

Em plena pandemia, com todos os PIBs despencando e a Europa de muletas, solapada pela segunda onda de coronavírus, O’Brien tem trabalhado num ritmo alucinante. Em agosto, ele esteve no Panamá durante apenas 3 horas para uma reunião com o presidente Nito Cortizo. Assunto: combater a corrupção e desinfetar o sistema financeiro para impedir lavagem de dinheiro pela turma de Nicolás Maduro. O’Brien e seu time comandam uma força-tarefa no Panamá, que investiga inclusive um mandatário suspeito de tráfico de drogas.

Quem quiser entender perfeitamente o discurso anti-China do presidente Bolsonaro basta dar uma conferida no América Cresce. Por exemplo, em relação ao 5G os Estados Unidos ampliaram uma tal Aliança para Conectividade Digital e Ciber segurança (DCCP) e pretendem com isso barrar a entrada dos chineses em mercados como o do Brasil, um dos maiores do mundo, com mais de 200 milhões de smartphones. Um dos alvos dos Estados Unidos é a empresa chinesa Huawei, gigante da tecnologia que briga para instalar no Brasil seus sistemas 5G e pela qual o presidente brasileiro tem zero simpatia.

A contrapartida ao América Cresce tem sido o programa chinês A Nova Rota da Seda. Os dois têm iniciativas e inspirações muito parecidas. Seus objetivos são ganhar mercados para empresas que produzem não somente bens de consumo, mas principalmente conhecimento. Ambos querem investir em infraestrutura, que é o que emperra a vida das empresas neste lado do mundo.

A China até há pouco tempo era famosa pelas cópias de grifes da moda e todo tipo de produto, boa parte dos quais acabava nas mãos dos ambulantes ocidentais. Em Paris e Nova Iorque estes camelôs vendiam desde relógios Rolex e bolsas Louis Vuitton a eletrônicos falsificados.

Esta fase está acabando. A China não apenas cria e fabrica seus próprios produtos, como também se tornou uma produtora de conhecimento e inovação. Consegue fazer isso com preços altamente competitivos. Adotou uma política inteligente ao firmar acordos de cooperação com a União Europeia pelos quais seus cidadãos poderiam se estabelecer com pequenos negócios.

Hoje, em países como a Espanha, os chineses dominam as lojinhas que vendem bebida, tabaco, snacks e comida pronta e também aquelas que vendem todo tipo de mercadoria como flores artificiais a ferramentas, material de construção, cadernos, canetas, chinelos e produtos de limpeza. Não é preciso dizer que 99,9% dos produtos são chineses, fazendo com que estes comerciantes mantenham um vínculo permanente com seu país de origem. São 5 mil anos fazendo comércio.

Com a política de criar pontos de venda na Europa, foram tiraram do mercado os árabes, antes tradicionais neste segmento de mercado, e a quantidade de chineses e seus familiares vivendo de pequenos negócios é de quase 300 mil somente na Espanha, a maioria pessoas em idade produtiva.

De uma coisa todos podem estar certos: tanto faz Trump ou Biden sentados naquela cadeira da Casa Branca. A China não deixará de ser considerada como um adversário poderoso, pronto para tomar um naco dos Estados Unidos, numa era em que o poder das nações passa pela sua capacidade de produzir conhecimento e inovação. O poder militar continua sendo importante, mas não com as armas tradicionais. Numa guerra pra valer um vírus causa mais estrago que qualquer bomba nuclear. Hoje, ninguém mais duvida disso.

A nova edição da velha aliança para o progresso repete o ingrediente ideológico, já gasto e desbotado, num mundo onde as pessoas desejam a modernidade a qualquer preço. Em Cuba, adolescentes desfilam de tênis Nike e iPhones de última geração contrabandeados de Miami. Fazem qualquer coisa para conseguir um destes. Aqui no Brasil, o menino da comunidade não quer saber se o smartphone é chinês ou americano, embora os chefões do tráfico e a milícia não abram mão de armas americanas como os fuzis M-16 ou as metralhadoras Browning de 600 tiros por minuto capazes de derrubar helicópteros.

Em tempos de pandemia, com a Europa derretendo e a recessão instalada na América Latina, podemos nos preparar para uma guerra econômica cada vez mais dura entre China e Estados Unidos. O empobrecimento geral do planeta é ao mesmo tempo uma desgraça e uma oportunidade. Tudo depende de como se enfrenta o problema. O Brasil, como grande produtor de energia, alimentos e tecnologia agrícola, tem tudo para sair da crise maior do que entrou. O caminho do sucesso é um só: menos ideologia e mais diplomacia.

*Jornalista. Artigo publicado originalmente no site Poder360.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE

Confira os últimos posts



27/11


2020

João e “gabinete do ódio” impedidos de divulgar agressões

O desembargador eleitoral Carlos Moraes determinou, hoje, que a candidatura de João Campos, e integrantes de seu “gabinete do ódio”, no grupo de WhatsApp Juventude Pernambucana, deixem de veicular que Marília Arraes comete atos ímprobos.

Para o magistrado, “ao difundir matéria incompleta, transmudando-se em notícia falsa, na medida em que já houve o arquivamento do inquérito, tal veiculação traz prejuízo à candidata, sobretudo pela sua participação no segundo turno das eleições no Recife”.

Ainda segundo o desembargador, “o que se coíbe é a incompletude da informação que falsamente leva o eleitor a acreditar que a investigação ainda persiste aberta, mas, na verdade, já se encontra arquivada e com trânsito em julgado da decisão”. 

Portanto, o desembargador eleitoral concluiu que “dessa forma, a propaganda ao não trazer a verdade dos fatos, na intenção de atribuir outro sentido ao que verdadeiramente aconteceu, visa confundir o eleitorado, transmudando-se em fato "sabidamente inverídico".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

É isso Magno. A proibição da justiça contra a Marília você não fala. Inclusive com direito de resposta que acabei de ver na televisão. Não adianta inventar, o povo sabe o que quer. Não vai deixar o PT que foi o pior governo que o Brasil e a Prefeitura do Recife voltar a comandar nosso município. Os petralhas julgados e condenados já estão de malas prontas para assumir as Secretarias e Diretorias da Prefeitura. Mas, não vai não. Deus é grande.


O Jornal do Poder

27/11


2020

Marília Arraes foi a candidata mais procurada no Google

Lauro Jardim

Um levantamento inédito feito pelo Google revela que o nome de Marília Arraes foi o mais buscado na plataforma entre todos os candidatos que concorrem às prefeituras de São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Manaus e Recife. A comparação entre os dias 22 e 26 e 8 e 12 de novembro, dias que antecederam o segundo e primeiro turno, respectivamente.

O nome de maior alta foi o de Marília Arraes. As pesquisas por seu nome em Recife entre domingo e quinta-feira praticamente quintuplicaram frente ao nível registrado pela candidata entre os dias 8 e 12.

A disparada de consultas pelo nome de Arraes fez a candidata ultrapassar o seu oponente, João Campos, nas buscas. A candidata registrou um interesse de busca 64% maior que Campos entre os dias 22 e 26 de novembro, em Recife, segundo dados do Google Trends.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos

O Brasil todo querendo saber os detalhes sobre a rachadinha e os funcionários fantamas de Marília. Recife é a PIADA nacional.


Abreu no Zap

27/11


2020

Buíque: Arquimedes diz que pandemia não vai permitir carnaval

Durante entrevista ao radialista Ricardo Resende, na Rede de TV e Rádio Melodia FM, ontem, o prefeito reeleito Arquimedes Valença (MDB), e o vice-prefeito eleito, Túlio Monteiro (PSB), fizeram um balanço da campanha eleitoral, falaram de obras, projetos futuros e anunciaram a não realização do Carnaval em 2021 devido a pandemia da Covid-19.

Segundo o prefeito, devido a pandemia da Covid-19, que nas últimas semanas vem avançando no País, não deverá ter carnaval em Buíque, seguindo o exemplo de várias cidades que já anunciaram o adiamento ou a não realização, a exemplo de Salvador (BA). “Vamos acompanhar as definições do Ministério da Saúde, das Secretarias de Saúde, porque a vida está em primeiro lugar”, afirmou lembrando que apesar das boas notícias da vacina contra a doença, ela ainda vai demorar a chegar a toda a população.

Durante a entrevista, Arquimedes Valença fez um breve relato do resgate das festas populares, a exemplo do Carnaval e as festas nos distritos, que tinham sido abandonadas pelo governo passado. Ele agradeceu a conquista pela quinta vez como prefeito de Buíque e disse que isso era algo que lhe “orgulhava e lhe dava muita honra”. Agradeceu a Deus, a militância, vereadores, a equipe de governo, ao seu candidato a vice e ao povo pela eleição, lembrando ainda sua vitória sobre a Covid-19.

Em suas falas finais, o prefeito Arquimedes Valença afirmou que o próximo mandato será uma continuidade do que já está fazendo, como assim decidiu o eleitor. Além dos projetos de abastecimento, afirmou que vai seguir com a manutenção das estradas vicinais, projetos de calçamentos; na saúde, já tem pronto o bloco cirúrgico do Hospital Municipal Maria Deci Macedo Valença, aguardando apenas passar a pandemia para que seja instalado; a ampliação dos atendimentos na zona rural, além de aumentar a rede de creches chegando aos distritos através das escolas municipais. Outro projeto importante destacado para o próximo governo é o de buscar uma solução para as enchentes na área central da cidade.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/11


2020

Marilia vai para o ataque

A candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, abandonou a postura “paz e amor” e decidiu mostrar umas verdades nuas e cruas do PSB do candidato João Campos e os escândalos da gestão Geraldo Júlio, além do abandono na cidade. Confira dois dos vídeos que já estão circulando nas inserções na TV.

 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos

O sujo falando do mal lavado, o ladrão falando do assaltante. Parabéns, recifenses, vocês transformaram o Recife na PIADA nacional. Os próximos quatro anos serão tenobrosos.


Banco de Alimentos

27/11


2020

Carrasco não, coronel sim

Por Alexandre Arraes

Em esclarecimento a matéria publicada em seu blog intitulado “O Carrasco do PSB”, venho pontuar que o seu conteúdo não condiz com a realidade. Esclareço que, nas duas últimas eleições do pleito majoritário em Araripina, não participei de nenhuma delas. Desse modo, não me pode ser atribuído nenhum ônus eleitoral.

Devo dizer, aliás, que as efetivas disputas do meu grupo com o do atual prefeito de Araripina não são nada animadoras para ele. Em 2012, sua esposa Socorro Pimentel conseguiu o “feito” de amargar a maior derrota eleitoral da história do nosso município, onde a venci com uma frente de quase 16 pontos. Depois disso, em 2018, conseguimos a renovação do mandato da deputada Roberta Arraes e sua esposa novamente perdeu a eleição, com ele sentado na cadeira de prefeito.

Portanto, ao PSB jamais poderá ser atrelada nenhuma derrota em Araripina. Até mesmo porque não houve disputa majoritária com participação direta do nosso partido. Desta forma, esse prefeito de Araripina não é carrasco de ninguém, a não ser, do próprio povo. Só conseguindo se reeleger por ter feito um uso da máquina pública de uma forma sem precedentes na região, reforçando um jeito de fazer política típico dos antigos coronéis.

Ex-prefeito de Araripina


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/11


2020

Manifesto de Juristas em apoio à Marília Arraes

Um grupo de 70 juristas de Pernambuco e de outras estados assinou um manifesto repudiando dezenas de Fake News, ataques covardes e mentirosos contra Marília Arraes, candidata a prefeita do Recife pelo PT. Leia o manifesto:

Manifesto de Juristas contra as fakes news e graves agressões sofridas pela candidata Marília Arraes

O pleito eleitoral com o segundo turno, marcado para domingo (29/11), tem nos momentos finais da campanha à Prefeitura do Recife um amontoado de fake news utilizados pela candidatura governista, que tem por finalidade desmoralizar e desconstruir a candidatura de Marília Arraes, com fatos distorcidos e inverídicos.

Por princípio, enquanto juristas, estamos ao lado da verdade dos fatos! Nenhum jurista que preze minimamente a dignidade da justiça pode deixar de repudiar essa conduta imoral e eivada de mentiras atentatórias contra o estado democrático de direito.

Os fins jamais justificam os meios! Muito menos dentro do processo eleitoral. Contudo, no início do 2o turno no Recife, após as pesquisas eleitorais apontarem o favoritismo da primeira mulher que pode governar a prefeitura da cidade, a campanha do candidato João Campos passou a praticar o desprezo da ética e o aviltamento da autodeterminação do eleitorado recifense, através de notícias falsas e ataques repugnantes em qualquer processo democrático.

Ainda mais trágico é ver o candidato do PSB no Recife, de um partido que já atuou em defesa da democracia, adotar mentiras espetaculosas e fundamentalistas que buscam manipular a fé do eleitor, buscando incitar o medo e a rejeição de evangélicos e católicos contra a candidata Marília Arraes, em um vale tudo abominável, apesar da laicidade prevista na Constituição brasileira e embora saibam que além de mulher, Marília Arraes é mãe e cristã.

Na condição de juristas e defensores da democracia, frisamos, portanto, que em decorrência das diversas práticas de fake news com forte conotação de violência de gênero, não podemos nos silenciar diante dessa prática obscura e misógina, sabendo que tais práticas representam ainda uma ameaça ao próprio equilíbrio democrático de uma eleição e uma ameaça ao estado de direito.

Destarte, subscrevemos a presente nota enquanto juristas e cidadãos que repudiam de forma veemente a conduta da campanha do candidato João Campos, que desmerecem a história de luta e dignidade do povo recifense e com a esperança de que as instituições judiciais não transacionem com o necessário ideal de justiça, ética e defesa do interesse público.

Subscrevem, o seguinte Grupo de Juristas por Democracia e Ética na Política:

1. Alexandre da Maia, Professora de Direito da UFPE;

2. Adriana Cecílio Marco dos Santos, Advogada, Professora de Direito Constitucional e Fundadora do Grupo de Estudos Democratismo.

3. Ana Maria Barros, Professora Doutora da UFPE do CAA e do PPGDH;

4. André Barreto, Advogado, Mestre em Direito do Trabalho pela UFPE, Membro da ABJD e RENAP;

5. Arnobio Rocha, Advogado e membro da ABJD;

6. Artur Stamford, Professor Titular de Sociologia do Direito, CCJ-UFPE.

7. Benedito Antônio Dias da Silva, Comissão de Prerrogativas OAB/SP

8. Bruno Galindo, Professor de Direito Associado da UFPE.

9. Carlo Cosentino, Advogado e Professor universitário;

10. Carol Proner, Professora da UFRJ e integrante da ABJD;

11. Carolina Ferraz, Advogada popular e Professora de Direito da UNICAP;

12. Claudio Ferreira, Advogado, Presidente da CDH-OAB/PE;

13. Cláudio Roberto Rosa Burck, Advogado e integrante da ABJD.

14. Cleiton Leite Coutinho, Advogado e integrante da ABJD.

15. Cristhovão Fonseca Gonçalves, Advogado, Professor da Universidade de Pernambuco e Doutorando em Direito da UFRJ;

16. Danilo A. Sá Barreto de Miranda, Advogado sindical;

17. Diogo Justino, Professor de Direito;

18. Edgar Costa Neto, Procurador Federal;

19. Edna Raquel Hogemann, Advogada, Professora de Direito e integrante da ABJD;

20. Estela Aranha, Advogada;

21. Eugênio Aragão, Advogado e ex-Ministro da Justiça;

22. Fábio Roberto Gaspar, Advogado e Presidente do Sindicato dos Advogados/as de São Paulo;

23. Gisele Cittadino, Professora da PUC/RJ e integrante da ABJD;

24. Glauco Pereira dos Santos, Advogado;

25. Hélio Freitas C. Silveira, Advogado;

26. Homero Ribeiro, Advogado e Professor da UPE;

27. Inocêncio Uchôa, Juiz Aposentado do TRT/7 e Advogado;

28. Jayme Asfora, Procurador do Estado e Ex-Presidente da OAB-PE;

29. Jayme Benvenuto, Professor de Direito da UFPE;

30. João Paulo Allain Teixeira, Professor de Direito da UNICAP e da UFPE.

31. João Ricardo Dornelles - Professor de Direito da PUC-Rio, membro da ABJD, Coordenador do Núcleo de Direitos Humanos da PUC-Rio;

32. Jorge Messias, Advogado;

33. José Carlos Moreira da Silva Filho, Professor de Direito da PUC/RS.

34. Juliana Teixeira Esteves, Professora de Direito da UFPE;

35. Kenarik Boujikian, Desembargadora aposentada TJSP;

36. Laio Correa, Advogado;

37. Lênio Streck, Professor e Advogado.

38. Lidiane César, Advogada e integrante da ABJD;

39. Luciana Boiteux, Advogada e Professora da UFRJ;

40. Luciana Grassano Melo, Professora de Direito da UFPE;

41. Luciano Oliveira Professor aposentado da UFPE e UNICAP;

42. Luís Emmanuel Cunha, Advogado e Professor de Direito;

43. Luiz Felipe Muniz de Souza, Advogado e membro da ABJD;

44. Luiz Fernando Sá e Souza Pacheco, Advogado, Conselheiro da OAB/SP e do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD);

45. Luzia Paula Cantal, Advogada;

46. Magda Barros Biavaschi, Desembargadora aposentada do TRT4, pesquisadora no Cesit/unicamp;

47. Manoel Moraes, Defensor em direitos humanos e advogado popular;

48. Manuela Abath Valença, Professora de Direito da UFPE;

49. Marcelo Cafrune, Advogado e Professor de Direito;

50. Marcelo Neves, Professor de Direito;

51. Marcelo Uchôa, Advogado e Professor de Direito/UNIFOR;

52. Marco Aurélio Carvalho, Advogado e Coordenador do Grupo de Prerrogativas;

53. Marcus Edson de Lima, Defensor Público;

54. Mari-Silva Maia, advogada, Professora de Direito/UNDB e integrante da ABJD;

55. Maurício Rands, Advogado e Doutor em Direito;

56. Michelle Agnoleti, Advogada e professora de Direito da UEPB;

57. Yanne Teles, Advogada, Professora de Direito e integrante da ABJD;

58. Paulo Freire, Advogado;

59. Paulla Newton, Professora Doutora UEPB/ UFPB;

60. Pedro Carreillo, Defensor Público;

61. Pedro Serrano, Advogado e Professor da PUC/SP;

62. Ricardo Estevão de Oliveira (Thibau), Advogado;

63. Roberto Efrem Filho, Professor de Direito da UFPB;

64. Roberto Tardelli, Advogado;

65. Robson de Souza, Defensor Público Federal e integrante da ABJD;

66. Sandro Couto, Advogado;

67. Tiago Botelho, coordenador do curso de direito da UFGD;

68. Torquato Castro, Professor Titular de Direito Civil da UFPE;

69. Vinícius Neves Bomfim, Advogado, Diretor de Comunicação do MATI e membro da ABJD;

70. Carlos Freitas, Professor de Direito e Advogado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Mas esperar o quê de bozolóides? O bozo na maior cara de pau, um mentiroso contumaz, já tá dizendo que nunca falou que o Covid era só uma gripezinha, então, pela lógica, os bozoloides esquecem rápido

Wellington Antunes

Bozoloide nunca enxerga o lamaçal do governo do bozo e vem da uma de tiozão imparcial e isentão. Ei bozolóide, o governo do bozo tem ministros indiciados r denúnciados pelo MPF. E tu já tá esquecido das rachadinhas? E a milícia junto com a família bozo? E a tentativa de aparelhar a PF para não ser investigado? Isso é o quê, bozoloide? Bozoloide esquece rápido e vem com discurso moralista. O choro é livre ou aceita que dói menos.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Apoio se dá a quem quiser. Somente não concordo com o ...Democracia e Ética na Política... apoio a um partido que tem como seu esteio maior um bandido julgado e condenado. Um corrupto que expressa suas ideias dizendo que os petistas devem ser fascistas, nazistas, comunistas, só não democratas. Aí não. Esse Grupo por apoiar um partido sem ética, que prega contra a democracia, não deve ser chamado de Grupo de Juristas por Democracia e Ética na Política.



27/11


2020

Frente a Frente especial do segundo turno

No próximo domingo, quando eleitores de 18 capitais e mais 39 cidades acima de 200 mil eleitores voltam às urnas, em eleição decisiva de segundo turno, volto a ancorar o programa especial da marcha das eleições transmitido pela Rede Nordeste de Rádio.

Desta vez, ao lado dos convidados José Nivaldo Júnior, Ângelo Castelo Branco e Roberto Santos estarei nos estúdios da Rede Nordeste de Rádio, mas a cabeça do sistema continua sendo a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. No primeiro turno, nossa base foi a própria Hits. 

Meus convidados formam um time de craques na análise da política e dos seus bastidores. Escritor, jornalista e marqueteiro, José Nivaldo Júnior é, também, comentarista do Frente a Frente e meu sócio no jornal O Poder.

Ângelo Castelo Branco, jornalista tarimbado, ex-secretário de Imprensa do Governo de Pernambuco, é autor de vários livros sobre política, entre eles Marco Maciel, o Artífice do Entendimento, que conta bastidores do ex-vice presidente da República, de quem foi secretário e assessor no Ministério da Educação.

Roberto Santos, por sua vez, é cientista político e blogueiro em Jaboatão dos Guararapes. O especial da marcha das eleições começa às 17 horas e só encerra na contagem do último voto, com destaque para Recife e mais sete capitais do Nordeste, além de Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

Se ligue nessa!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/11


2020

Yves pede mais rigor na repressão ao crime eleitoral

A coligação .”Pra Paulista ser Feliz (MDB, Rede e PV)”, que dá sustentação política à candidatura de Yves Ribeiro (MDB) à Prefeitura de Paulista, protocolou ofício aos juízes eleitorais do município, ao superintendente da Polícia Federal e ao comandante da Polícia Militar de Pernambuco solicitando providências acauteladoras para garantir a lisura da eleição no próximo domingo (29).

O representante da coligação, Wellington Hermógenes de Figueiredo, disse que na eleição do primeiro turno ocorreram fatos que afrontaram gravemente os princípios do direito eleitoral.

Segundo Wellington, denúncias, fotografias e filmagens que circulam pelas redes sociais demonstram que a fiscalização e repressão aos agentes públicos foram insuficientes do ponto de vista ostensivo e enérgico. "Do contrário, muito provavelmente teria sido flagrado e também apurado o crime de compra de voto, distribuição de panfletos e a presença de pessoas padronizadas fazendo abordagem visando a captação de votos", comentou.

Ainda de acordo com ele, esses crimes devem ser combatidos pela Justiça Eleitoral. "Todavia, não houve oposição necessária para a repressão ostensiva. Talvez por falta de contigente dos agentes públicos civis e militares, capitaneados pela própria Justiça Eleitoral", observou.

Em vídeo postado nas mídias sociais, que foi anexado ao documento, um homem dentro de um carro, com um pacote de dinheiro, vangloriasse do poder que tem para comprar votos a pessoas e ainda promete repetir a prática no dia da eleição do segundo turno.

Para o responsável pela coligação, tudo isso merece uma rigorosa investigação por parte da Polícia Federal, porque põe em dúvida a capacidade de ação do estado para coibir o odioso crime.

Em razão dos fatos relatados, o pedido encaminhado às autoridades recomenda que os agentes públicos em serviço nas seções e prédios coíbam de maneira veemente o ingresso de eleitores na cabina de votação portando celular, máquina fotográfica ou filmadora, de acordo com o artigo 14 da Constituição Federal, sob pena de responderem por crime eleitoral. 

Além disso, reivindica a presença de policiamento efetivo e de viaturas para impedir o derrame de santinhos em frente aos colégios, a exemplo do que foi verificado na primeira etapa da eleição.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/11


2020

Lavareda em live com O Valor

Meu amigo César Felício, editor de política do jornal O Valor, entrevista, daqui a pouco, às 11 horas, o professor Antônio Lavareda, na condição de presidente do Ipespe. Uma boa oportunidade para conhecer a visão de quem entende como ninguém do processo eleitoral no País, com foco em pesquisas.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/11


2020

Secretário da PCR orienta servidores em campanha para João

O secretário de Administração e Gestão de Pessoas da Prefeitura do Recife, Marconi Muzzio, foi visto orientando uma equipe de campanha do candidato da situação a prefeito, João Campos (PSB). Vários vídeos mostram o titular da pasta dando inúmeras orientações a um grupo de apoiadores do candidato, no qual estariam diversos servidores da administração municipal, entre comissionados e terceirizados.

"Não vamos aqui falar palavras fáceis: é uma eleição duríssima. O resultado do primeiro turno e a reversão da primeira pesquisa e da segunda mostram uma realidade duríssima para a gente enfrentar. A chance que a gente tem de reverter esse quadro é fazendo o que a gente vem fazendo nesses seis dias, sete dias: não tem mais feriado, não tem mais descanso. É todo dia, todo mundo", fala Muzzio.

Em dado momento, ele menciona a presença de outros membros do primeiro escalão da Prefeitura, a exemplo de Ana Rita Suassuna, titular da pasta de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos.

Essa prática flagrada em vídeo é vedada pelo Tribunal Superior Eleitoral e pela própria Constituição Federal. O TSE é bastante claro ao caracterizar como abuso de poder político: "O abuso de poder político ocorre nas situações em que o detentor do poder vale-se de sua posição para agir de modo a influenciar o eleitor, em detrimento da liberdade de voto. Caracteriza-se, dessa forma, como ato de autoridade exercido em detrimento do voto."

Ainda de acordo com o Tribunal, esta atitude pode levar à inelegibilidade do candidato beneficiado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fabiano

Magno, o patético. Kkkkkkk

Fernandes

Esse cara é chato, insuportável.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Mais um erro do Magno. Fora do horário de Trabalho e fora das dependências da instituição pública, não existe nenhuma anormalidade. Tá demais o Magno. Agora ele passa a ser censor. Desespero total; 29 está chegando e os eleitores decidirão em quem votar. Democracia é isso e pronto.