O Jornal do Poder

07/08


2020

A educação tem muito o que aprender

Por Arnaldo Santos*

De uma forma geral, desde primeiro de junho último que a economia brasileira iniciou seu processo de flexibilização dos setores, através do Plano de Retomada das Atividades Econômicas e Comportamentais. Segundo informações que vêm sendo publicadas pelos governos estaduais e municipais, quase todas as atividades já se encontrariam aptas a funcionar, restando, entretanto, segmentos como o de eventos, bares, cinemas e as aulas presenciais nas escolas e universidades.

No que se refere ao último segmento, o educacional, pais, educadores, alunos, professores, funcionários, ministério e defensoria pública, dentre outros, vêm discutindo como se dará o retorno das aulas presenciais, haja vista os riscos que possa oferecer essa decisão, no momento em que os índices de infecção e mortes pelo coronavírus, apesar de terem diminuído, ainda são uma ameaça.

Embora existam estudos indicando que crianças e adolescentes são menos propensas a se infectarem pelo vírus, no Ceará, por exemplo, o Governador Camilo Santana e o Prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, mantendo a prudência e a responsabilidade que se espera de um chefe do poder executivo, comunicaram semana passada que as aulas presenciais, só retornariam em setembro, se o cenário da COVID-19 oferecer segurança. É do conhecimento geral e dessa realidade poucos devem discordar que as escolas, mesmo as particulares, possam ser um foco de reincidência perigoso dado a seu caráter aglomerativo, o que vai exigir uma ampla estrutura de testagem e monitoramento, quando do retorno.

Como esperado, a maior pressão sobre as autoridades públicas, para um retorno imediato, procede do setor privado, ao alegar prejuízos financeiros, sendo este, inclusive, um aspecto ocorrente na maioria dos estados brasileiros. Deparamos, também, entretanto, um problema relevante, o de definir responsabilidades por eventuais mortes de professores e alunos, visto que a maioria das escolas não oferece condições para redefinição de uma nova configuração dos seus espaços que garantam o distanciamento exigido pelos protocolos sanitários. Até que se tenha uma vacina, que garanta imunidade a todos, o sistema híbrido, com aulas presenciais e turmas divididas, para permitir o distanciamento no mesmo espaço, e on-line, exprime-se, decerto, como a alternativa mais segura.

No concernente à ideia defendida por alguns – de que, após a reabertura das escolas, cabe aos pais a decisão sobre permitir ou não que seus filhos voltem a frequentar as aulas presenciais – é crucial se atentar para dois fatos que submetem a dúvidas mencionada opção. O primeiro é que a covid-19, sendo um problema de saúde pública com alta taxa de letalidade, cabe ao Estado regular e decidir o momento mais seguro. O segundo reside na noção de que, para oferecer essa alternativa, o Poder Público terá que disponibilizar infraestrutura digital (computador e internet) para os estudantes que não dispuserem desses recursos, que, como sabemos são muitos, para não agravar ainda mais o já comprometido aprendizado.

Em paralelo a essa discussão, a pandemia carreou para o centro dos debates, em escala global, a necessidade de se reformar o modelo tradicional de ensino, não apenas nos conteúdos mas também no seu formato, iniciando uma gradual substituição do ensino presencial pela modalidade on-line  e educação em casa, antecipado pela emergência da doença.

Refletindo sobre o modelo de ensino adotado pelas escolas no Mundo, em seu livro 21 Lições para o século XXI, o historiador Yuval Noah Harari descreve que “[…] as escolas continuam concentradas em ensinar as habilidades acadêmicas tradicionais e numa aprendizagem mecânica, quando melhor seria priorizar o pensamento crítico que é mais importante para o sucesso dos alunos no futuro”.

Em um contexto de país em desenvolvimento, como o Brasil, assim como para alguns estados da África, e outros periféricos, não constitui surpresa que a ideia de educação vigente ainda seja a mesma de uma escolaridade arraigada na maneira como os nossos antepassados a imaginavam – estruturas físicas como as que temos hoje, ocupadas pelos estudantes, com o professor sendo centro das atenções e única referência do saber. As modernas tecnologias já desfizeram essa concepção e transportaram o conhecimento para a palma das mãos dos alunos.

É notória a ideia de que, no atinente a qualidade da educação, maneiras de ensino, nível de aprendizado dos alunos, papel docente e outros temas correlatos, a matéria é quase tão antiga quanto a criação do quadro negro, ou lousa, criado pelo professor escocês James Píllans, ainda no século XVIII. Referimo-nos à mais tradicional e revolucionária tecnologia de ensino no Mundo, pois perpassou dois séculos, já está no terceiro, e nem as modernas tecnologias digitais a fizeram perder a utilidade em sala de aula. 

Como observador que acompanha atentamente as transformações sociais, culturais e tecnológicas sucedidas no Mundo, não é sem propósito afirmar que, nos últimos quarenta anos, quase tudo se desenvolveu e se modernizou, mas a educação e o nosso sistema de ensino ainda têm muito o que aprender, para, pelo menos, situarem-se no tempo corrente.

Essa afirmação é facilmente verificada todos os dias em sala de aula, (pelo menos era, até a pandemia provocar o fechamento das escolas no Mundo), quando, em plena Era Digital e de Inteligência Artificial, os professores da maioria da escolas e universidades públicas, e também privadas, não só no Brasil, ainda são obrigados a usar, em sala, uma caderneta, caderno ou diário de classe, com a lista dos alunos,  perdendo de 15 a 20 preciosos minutos, fazendo a velha e tradicional chamada para verificar a comparência dos alunos. Essa prática é a autodeclaração do atraso do nosso sistema de educação.

Adite-se o fato de termos uma escola de ensino fundamental e médio, pelo menos no Brasil, de concepção do século XIX, com professores do século XX, ensinando crianças e adolescentes, na sua totalidade nascidas no século XXI, antenadas com as novas tecnologias, cujo cérebro parece já trazer impressa uma placa com alguns milhões de megabytes no processador, e outros tantos terabytes de memória, bem como um ministro da Educação que ainda fala no uso da palmatória. Não é preciso dizer mais sobre o quanto a educação ainda tem que aprender.

O documento The covid 19 pandemic: shocks education and policy responses aponta que, mesmo antes da pandemia, o Mundo já enfrentava uma crise de aprendizado, e 258 milhões de crianças e jovens em idade escolar primária e secundária estavam fora da escola; e, pela crise na qualidade do ensino, os que estavam estudando aprendiam muito pouco. “[…] A taxa de aprendizagem da pobreza nos países de baixa e média renda era de 53% - o que significa que mais da metade das crianças de 10 anos não conseguia ler e entender uma história simples”.

É nesse contexto que o novo coronavírus impôs o fechamento das escolas, em 190 países, deixando fora das salas de aula 1,6 bilhão de alunos, segundo dados da Unesco. Isso representa 90% das crianças em idade escolar no Mundo, com grave repercussão no desenvolvimento intelectual dos estudantes, afetando, mais agudamente, os mais pobres, além das repercussões na vida acadêmica de todas elas. Na perspectiva de Richard Amitage, da Divisão de Saúde Pública e Epidemiologia da Universidade de Nottinghan, apesar desses problemas, eles “[…] não devem ser tomados como justificativa para reabri-las”.

Dentre as várias lições que o Mundo teve de aprender com a pandemia, a mais tangível se refere ao papel que as tecnologias estão aptas a desempenhar para o ensino e a aprendizagem on-line, além da digitalização dos vários processos em uso pela sociedade em geral, pois a doença fez antecipar o futuro, nesse e em muitos outros aspectos da vida em geral.

Nessa direção, num estudo desenvolvido pela Universidade de Harvard – Mind the Skills (Gap), os pesquisadores descobriram que, na economia global atual, o conhecimento que adquirimos na faculdade dura apenas cinco anos, tornando-se obsoleto desde então. Isso impõe a todos, especialmente aos professores, não imaginar que suas habilidades têm validade premente, quando o Universo está em permanente evolução e transformação.

Para remate desses comentários, talvez, a lição mais importante a ser tirada do que a pandemia impôs é que, quando o sistema escolar voltar a funcionar e a se estabilizar, os países devem investir ainda mais na inovação das suas estruturas educacionais e nos seus modelos de ensino, não só para atenuar os efeitos negativos desse período, mas, também e principalmente, não desperdiçar a oportunidade de dar o “salto de qualidade” que a educação está a exigir. Com esse objetivo, deve cuidar para não reproduzir os erros do pré-covid, mas desenvolver sistemas aprimorados e aprendizado acelerado para todos os alunos.

Como nos ensina Albert Einstein “[…] A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original”.

*Jornalista, sociólogo e doutor em Ciências Políticas


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Potencial Pesquisa & Informação

Confira os últimos posts



23/09


2020

Bate papo da manhã analisa pesquisa no Recife

No “Bate Papo da Manhã”, programa que apresento todos os dias, no meu canal do YouTube, o assunto hoje foi a pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Opinião no Recife e divulgada por este blog hoje. Vale a pena conferir!

Para assistir ao meu programa diariamente, basta se inscrever no meu canal, o https://www.youtube.com/blogdomagno, e ativar as notificações clicando no sininho.

A propósito, minha gente, preciso que meu canal no YouTube cresça e apareça! Vamos ampliar essa corrente. Quem me segue aqui ou é amigo entre os cinco mil amigos e os 17 mil seguidores e ainda não se inscreveu no canal do meu blog vai lá, dá uma forcinha. Imprensa livre e independente se faz com a ajuda e a colaboração de quem gosta e se sente representado pelo nosso trabalho. Inscreva-se no link acima e indique para mais alguém.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

23/09


2020

Yves Ribeiro reúne aliados e pede união na campanha

O candidato à Prefeitura de Paulista pelo MDB, Yves Ribeiro, se reuniu, na noite da última segunda-feira, no Colégio Santa Joana, no bairro do Janga, com candidatos ao Legislativo municipal e lideranças políticas.

Às vésperas do início da campanha eleitoral – que acontecerá oficialmente no próximo domingo –, Yves fez um apelo pela unidade das forças políticas que dão sustentação à sua candidatura. "Vamos fazer uma corrente de união e esperança, levando nossa mensagem de compromisso com a mudança e moralização da máquina pública", pontuou.

O prefeiturável lamentou, ainda, a situação pela qual atravessa a gestão municipal, onde o prefeito Júnior Matuto (PSB) e colaboradores são alvo de investigações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Segundo ele, isso se reflete na caótica situação dos serviços prestados pela prefeitura à população. Na ocasião, prometeu que – se eleito –, vai levar Paulista a um lugar bem melhor.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Marília critica ausência de debates

A candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes, comentou, ontem, a decisão da TV Globo em restringir a participação nos debates a quatro candidatos.

Marília defende que o debate sobre o Recife, sobretudo em função de todas as dificuldades pelas quais a cidade vem passando, deve ser sempre o mais amplo e aberto possível, para que todos possam apresentar suas propostas e discutir a cidade. Ela espera que a emissora possa rever a sua posição, dando oportunidade para que todos participem. 

Ainda de acordo com Marília, o importante é que os principais meios de imprensa se coloquem à disposição para realizar seus debates, que possam contribuir com a discussão sobre o futuro da cidade.

Para ela, é importante também o compromisso dos candidatos em participar dos debates e cita como exemplo o primeiro debate que será o da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que já aponta candidatos que não confirmaram participação.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


23/09


2020

Marília tem frente apertada com 2º lugar indefinido

Na primeira pesquisa de intenção de voto para prefeito do Recife feita pelo Instituto Opinião em parceria com este blog, logo após a realização das convenções, a candidata do PT, Marília Arraes, aparece na frente, numericamente, mas num quadro de quase empate técnico entre os demais candidatos, nesta ordem João Campos (PSB), Mendonça Filho (DEM) e Patrícia Domingos (Podemos). Os demais postulantes aparecem bem distantes, com percentuais abaixo de 3,5%.

Se a eleição hoje, Marília teria 19,1% dos votos, João Campos viria em seguida com 14,3%, um ponto a mais que Mendonça Filho, que aparece colado, com 13,5%. A delegada Patrícia pontuou com 12,5%, Marco Aurélio, do PRTB, 3,3%, Alberto Feitosa, do PSC, 2,3%, Thiago Santos, da Unidade Popular, 0,5%, Carlos Andrade Lima, do PSL, com 0,3%, Cláudia Ribeiro, do PSTU, 0,3%, e, por fim, Charbel Maroun, do Novo, com 0,1%. Brancos e nulos somam 19,6% e indecisos chegam a 14,2%.

Na espontânea, modelo pelo qual o entrevistado é estimulado a lembrar o nome do seu candidato sem a lista disponível, Marília também lidera com 7,1%, João Campos vem em seguida com 5%, Mendonça e Patrícia aparecem empatados, com 3,9%. Marco Aurélio foi lembrado por 0,5%, Feitosa por 0,3%, Carlos Andrade Lima por 0,1%, Cláudia Ribeiro, por 0,1%, e Thiago Santos por 0,1%. Neste cenário, brancos e nulos representam 14% e indecisos sobem para 62%.

No quesito rejeição, o candidato do PSB está na frente. Dos entrevistados, 19,5% disseram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido de Mendonça Filho, com 10,9% dos que afirmaram que não votariam nele de jeito nenhum. Depois, aparece Marilia, com um percentual de 5,4%. Em seguida, pela ordem, Alberto Feitosa, com 5,1%, Marco Aurélio, com 2,9%, Patrícia Domingos, com 2,6%, Charbel, com 2%, Carlos Andrade Lima, com 1,5%, Thiago Santos (0,9%) e Cláudia Ribeiro (0,6%). Ainda entre os entrevistados, 14% disseram que rejeitam todos os candidatos e 34,6% disseram que não rejeitam nenhum dos candidatos. 

2º TURNO: MARÍLIA BATE TODOS

O Instituto Opinião testou cenários de segundo turno com os candidatos mais competitivos. Marília Arraes aparece na frente de todos os adversários. No embate com João Campos, venceria com 36,9% dos votos contra 25,6%. Diante de Mendonça, o placar seria de 39,6% contra 28,9%. Já com a delegada Patrícia, Marília teria 39,4% e a delegada 30,1%.

A disputa com outros atores também foi testada. Num enfrentamento Mendonça x João Campos, o democrata venceria com 32,4% ante 30,6% do socialista. Já num cenário em que estivessem num segundo turno a delegada e João, ela venceria. Segundo o levantamento, Patrícia teria 33,1% e João 32,8%. Já numa disputa entre a delegada e Mendonça, a candidata do Podemos também ganharia. Teria 35,4% contra 28,9%.

O Instituto Opinião, que é de Campina Grande (PB), e tem parceria com este blog há 14 anos, com 98% de acertos, aplicou 800 questionários no Recife entre os dias 19 e 20 deste mês. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos, com intervalo de confiança estimado em 95%. A pesquisa está registrada na justiça eleitoral com o número de protocolo PE-01565/2020.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

Estratificando a pesquisa, Marília tem suas maiores taxas de intenção de voto entre os eleitores com grau de instrução superior (26,3%), entre os eleitores jovens, na faixa etária de 16 a 24 anos (21,3%) e entre os eleitores com renda familiar até dois salários (18,1%). Por sexo, 19,7% dos seus eleitores que declararam voto são mulheres e 18,4% são homens.

João Campos, por sua vez, tem concentração maior de eleitores entre os com grau de instrução até o 9º ano (20%), entre os eleitores jovens (18%) e entre os eleitores entre dois e cinco salários (16%). Por sexo, 15,8% dos seus eleitores que declararam o voto são mulheres e 12,3% são homens.

Mendonça Filho tem suas melhores indicações de voto entre os eleitores com renda superior a cinco salários (20,3%), entre os eleitores com grau de instrução até o 9º ano (16,1%) e entre os eleitores na faixa etária entre 35 a 44 anos (16,5%). Por sexo, 15,6% dos seus eleitores que declararam o voto são homens e 11,8% são mulheres.

Patrícia Domingos, por fim, tem suas taxas de intenção de voto maiores entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos (20%), entre os eleitores com grau de instrução superior (14,9%) e entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários-mínimos (13,4%). Por sexo, 15,1% dos eleitores que declararam o voto são homens e 10,4% são mulheres.

AVALIAÇÃO DE GESTÃO

O Instituto Opinião também levantou o grau de satisfação da população do Recife com as gestões do município, do Estado e da União. O Governo Geraldo Júlio tem aprovação de 47,4% dos entrevistados, enquanto 45,4% desaprovam.

O Governo Paulo Câmara tem desaprovação maior. Entre os entrevistados, 53,4% disseram que desaprovam e 37,5% afirmaram que aprovam. O Governo Bolsonaro, enfim, tem aprovação de 40,5% e desaprovação de 50,8%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Opinião volta a fazer pesquisa no Recife

Em razão da pandemia, que dificultou a realização de pesquisas presenciais, o Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), que tem uma parceria histórica de 14 anos com este blog, volta, hoje, a fazer levantamentos eleitorais no Recife e nos principais colégios eleitorais do Estado.

A meia noite, postaremos a primeira pesquisa sobre o quadro da sucessão do prefeito Geraldo Júlio (PSB). Traz não apenas o retrato deste momento, uma semana após as convenções partidárias, mas também as projeções de segundo turno e a avaliação das gestões de Geraldo, Paulo Câmara e Bolsonaro.

O Recife tem razão para dormir um pouco mais tarde hoje!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Mendonça: João precisar sair do Recife do conto de fadas

O candidato a prefeito do Recife pelo Democratas (DEM), Mendonça Filho, afirmou, na noite de hoje, que o candidato socialista, João Campos (PSB), precisa sair do Recife do conto de fadas, dos muros do palácio e da propaganda, para andar no Recife real, da capital do desemprego, da corrupção, que tem 57% da população sem acesso a tratamento de esgoto e déficit de 70 mil moradias. “João Campos desconhece a realidade do Recife. Negar isso é colocar na condição de invisível e inexistentes milhões de recifenses que sofrem diariamente com o descaso da gestão socialista”, rebateu.

Mendonça afirmou que o Recife que ele está debatendo é o real, o do desemprego, com índices elevados muito antes da pandemia do coronavírus, da violência, da falta de moradia e das palafitas, dos esqueletos habitacionais abandonados há muitos anos, e não o Recife da ilusão, da falsa propaganda, do conto de fadas de João Campos.

Na avaliação de Mendonça Filho, o candidato socialista precisa explicar à população do Recife todo o cenário que vem se desenhando desde muito antes do isolamento social causado pelo novo coronavírus. “Ainda bem que ele apareceu, pois estava escondido, se valendo dos seus tutores para iludir o eleitor recifense. Ele tem que explicar respiradores testados apenas em porcos sem aval da Anvisa, as denúncias de corrupção na compra de luvas e máscaras, os conjuntos habitacionais abandonados, a educação estagnada com falta de creches para as crianças, cujos recursos estavam garantidos pelo MEC durante minha gestão”, disse Mendonça Filho. 

O democrata lembrou, mais uma vez, resultados desastrosos de uma pesquisa realizada pela FGV, que apontou que a renda do trabalhador caiu 29,5% no Recife e 26,9% em Pernambuco, durante a pandemia do novo coronavírus. Também reforçou que um dia após o PSB realizar a convenção que homologou a chapa de João Campos como candidato a prefeito no Recife, a prefeitura, governada pelo PSB há oito anos, foi alvo de mais uma operação da Polícia Federal sobre denúncias de corrupção durante a pandemia. Já são ao todo seis operações no Recife e, na mais recente, estão sendo investigados desvios da ordem de R$ 60 milhões de recursos federais da pandemia destinados a salvar vidas ameaçadas pela Covid-19.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

João Campos responde alfinetada de Mendonça Filho

Caro Magno,

Tenho debatido a cidade diretamente com a população. Que reconhece os avanços e também, com todo o direito, apresenta suas demandas. O eterno candidato Mendonça parece não compreender bem a realidade do Recife, nem da economia brasileira. Quer insistir no debate vazio dos ataques, das acusações distorcidas, uma política ultrapassada que o povo do Recife rejeitou, inclusive nas frustradas tentativas que ele tem feito, em eleições.

Apesar do tempo que tem na política, inclusive tendo sido ministro de Temer, governo do desemprego e da subtração de direitos dos trabalhadores, passa a sensação de que não amadureceu. Tenho muito orgulho de fazer parte de uma ampla frente, democrática, que sabe debater em outro nível, e buscar convergências. Foi assim que o Recife começou a mudar. Mas temos muito a fazer. Inclusive debates mais oportunos e produtivos.

João Campos – deputado federal e pré-candidato do PSB à Prefeitura do Recife


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Em Caruaru, Raffiê apresentará Plano de Governo em Braille

O pré-candidato a prefeito de Caruaru pelo PSD, Raffiê Dellon, contemplou de modo prioritário a temática da acessibilidade na sua campanha e anunciou que irá protocolar junto à ACACE (Associação Caruaruense de Cegos), o seu Plano de Governo em Braille, sistema de escrita tátil utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão. A ACACE foi a primeira entidade de Caruaru que foi procurada pelo pré-candidato para a construção do Plano de Governo, ainda no início do ano.

“O Plano de Governo é algo que é atualizado cotidianamente e foi construído ouvindo muita gente, nos quatro cantos de Caruaru, em sua Zona Urbana e Rural. A temática da acessibilidade será um dos carros chefes. No DETRAN de Caruaru eu criei a Junta Médica Especial para as pessoas com Deficiência, que só existia em Recife, lá também implementamos a prova teórica para Deficiente Auditivo em Caruaru, sem ser necessário vir alguém de Recife para aplicar. Sobre Acessibilidade falo com propriedade de quem já fez por essa Política Pública”, comentou Raffiê.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Elias é condenado a pagar multa por propaganda eleitoral negativa

A 15ª Zona Eleitoral do Cabo de Santo Agostinho emitiu sentença, na tarde de hoje, condenando o candidato a prefeito Elias Gomes (MDB) a pagar multa de R$ 5 mil por falar mal, indevidamente, do candidato à reeleição, Lula Cabral (PSB), durante convenção realizada dia 15 de setembro e ter postado os vídeos nas redes sociais, configurando propaganda eleitoral negativa.

Segundo a decisão, assinada pelo juiz Ivanhoé Holanda, o vídeo representa propaganda antecipada, com grave “potencial lesivo da propaganda negativa antecipada, haja vista à publicação da live da Convenção do Partido, em sua rede social, mesmo após ser finalizado o ato” (SIC), explica. A multa de R$5 mil foi aplicada e reafirmada a retirada do vídeo do ar. “Mantendo a retirada do vídeo postado na inicial, pois ratifico o entendimento de configuração de propaganda negativa antecipada”, diz a sentença.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

“Quero debater o Recife com João”, desafia Mendonça

O candidato a prefeito do Recife pela coligação Recife Acima de Tudo, Mendonça Filho (DEM), renovou, hoje, a cobrança à gestão do PSB pelos resultados desastrosos do Recife e de Pernambuco, em uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), sobre o mercado de trabalho e perda de renda durante a pandemia do novo coronavírus, e afirmou que está disposto a discutir os problemas da cidade com quem pleiteia ser prefeito. “Quero debater o Recife e seus muitos problemas com João Campos, e não com um de seus tutores, que a todo momento tentam blindá-lo dos graves fatos e iludir a população. O eleitor do Recife está cansado dessa conversa fiada”, disse Mendonça Filho.

A afirmação do democrata é uma resposta ao deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB), líder dos socialistas na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), que hoje acusou o candidato do DEM de "oportunismo" e "falta de sensibilidade", após as cobranças feitas pelo prefeiturável, ontem, em relação ao estudo da FGV, no qual Recife e Pernambuco tiveram a maior queda registrada na renda do trabalhador em todo o Brasil desde o início do isolamento social causado pela Covid-19, com percentuais de 29,5% e 26,9%, respectivamente. Para Mendonça Filho, os números da pesquisa, coordenada pelo economista Marcelo Neri, e que utilizou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), considerando trabalhadores formais, informais e desocupados, mostram o real legado da gestão do PSB.

“O estudo dos impactos da pandemia é sobre a economia dos municípios brasileiros, não se está falando nem comparando com o resto do mundo. Aliás, é um ótimo momento para João Campos vir a público explicar as seis operações da Polícia Federal no Recife, a partir das denúncias de superfaturamento e outros indícios de irregularidade, isto sim. Recife tem o dobro de mortes por Covid-19, em relação a outras cidades, como Salvador. Lá, o índice ficou em cerca de 3%, enquanto aqui atingiu quase 8%”, disse Mendonça Filho.

Em agosto, a capital baiana registrava 65 mortes pela doença por 100 mil habitantes. O Recife, por sua vez, apresentou, no mesmo período, 130,5 óbitos para o mesmo coeficiente. “Ou o líder do PSB na Alepe acha que a população já esqueceu os cerca de 500 respiradores pulmonares artificiais comprados pela gestão de Geraldo Julio, testados apenas em porcos e sem o aval da Anvisa, e as máscaras e luvas compradas de forma superfaturada para combater a pandemia?”, questionou o democrata. 

Mendonça Filho também reforçou que a população do Recife sabe que as dificuldades em todo o Brasil em relação à pandemia são as mesmas, bem como as políticas federais adotadas também são uniformes na concepção, apesar de que o Auxílio Emergencial criado pelo Governo Federal para auxiliar a população mais carente durante o isolamento, por exemplo, foi maior em estados como Pernambuco, que têm um número significativo de pessoas mais necessitadas.

“Ao contrário do que o líder do governo na Alepe diz, o Auxílio Emergencial foi criado, lançado e chegou na ponta, ou seja, na conta dos trabalhadores, em tempo recorde. Esta foi a política social de maior orçamento até hoje executada pelo Governo Federal em sua história e gerou um cadastro importante para ser usado em um próximo programa social a ser lançado. Além disso, quem definiu o valor de R$ 600 não foi o Congresso Nacional, e sim o presidente Jair Bolsonaro. Não adianta iludir a população atribuindo o sucesso da medida emergencial ao Congresso, o povo sabe a verdade”, ressaltou Mendonça Filho.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Deputado pede a Bolsonaro prioridade na duplicação da BR 423

O deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE) foi recebido, hoje, pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, em audiência no Palácio do Planalto. Na pauta, o parlamentar fez um pedido ao presidente: priorizar a obra de duplicação da BR-423, no trecho entre São Caetano e Garanhuns.

O valor total de investimentos será de R$ 600 milhões, no entanto, a obra será dividida em dois lotes. O primeiro, entre São Caetano e Lajedo com valor de aproximadamente R$ 100 milhões e o segundo, de Lajedo a Garanhuns, com orçamento previsto de R$ 500 milhões. O deputado Fernando Rodolfo, já se comprometeu com o ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em garantir na Comissão Mista de Orçamento (CMO) o recurso necessário para assegurar o início das obras no primeiro lote.

“Já estive por diversas vezes com o ministro Tarcísio e na última, em uma agenda no Ceará, eu me comprometi em buscar recursos junto à CMO para o início dos trabalhos no primeiro lote. Eu já conversei inclusive com a liderança do meu partido na Câmara e estou muito confiante de que vamos conseguir garantir o recurso. Essa é a diferença de ter um deputado da terra brigando por isso aqui em Brasília. Esta sempre foi uma prioridade do nosso mandato, por isso hoje pedi a sensibilidade do presidente Bolsonaro para que essa obra finalmente saia do papel. Um sonho antigo da população do Agreste”, concluiu Rodolfo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Carnaval fora de época em Tacaratu

No último domingo, o município de Tacaratu, no Sertão, viveu cenas de um verdadeiro carnaval fora de época. A festa contou com trio elétrico e multidão dançando ao som dos jingles de campanha da pré-candidata do PSB à Prefeitura, Sandra Cabeleireira. O ato de campanha, além de acontecer fora do período permitido, violou todas as regras impostas pela OMS e o decreto do Governo do Estado sobre distanciamento social e uso de máscaras de proteção. Um verdadeiro absurdo!

Se você quer denunciar algum político que está desrespeitando as leis eleitorais e as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus na sua cidade, faça um vídeo ou foto e mande para (81) 9.8222-4888. Tenha certeza de que o sigilo será preservado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Padre Airton evita falar de política em Arcoverde

Fundada pelo padre Airton Freire em 1984, a Fundação Terra, localizada em Arcoverde, está comemorando 36 anos de funcionamento ininterrupto. A organização surgiu em uma área conhecida como Rua do Lixo naquela cidade, portão de entrada do Sertão. No local funcionava o lixão do município. Com o trabalho da fundação, hoje há escola, creche, biblioteca, instituição de longa permanência para idosos e várias ações sociais.

Em entrevista ao Frente a Frente, o Padre Airton, cuja missão pastoral se confunde com a trajetória da instituição, fala pela primeira vez sobre política. Diz que nunca se envolveu com nenhum grupo político do município e apenas reage com um sorriso quando perguntado sobre a disputa eleitoral hoje em Arcoverde entre dois grupos que no passado estiveram unidos e falando a mesma linguagem.

“Quem me apresentou o Zeca Cavalcanti foi a Madalena, aqui mesmo na Fundação. Eram do mesmo grupo, unidos, agora estão separados”, lembra, em tom de lamento. Ele não sabe precisar se isso é benéfico ou prejudicial ao município, numa demonstração de que não pretende contrariar nenhum segmento político da cidade.

Quanto à Fundação, informa que sofreu um baque em sua receita por causa da pandemia e anuncia que pretende fazer uma campanha para que seus projetos e programas não sejam paralisados. O programa começa às 18 horas pela Rede Nordeste de Rádio, com mais de 40 emissoras, presente hoje nos Estados de Pernambuco, Alagoas e Bahia. Se você deseja ouvir pela internet, clique no botão Rádio acima ou baixe o aplicativo da Rede Nordeste de Rádio na play store.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Ipojuca: Candidato do PSB faz propaganda antecipada

A juíza da Comarca de Ipojuca, Ildete Veríssimo de Lima, determinou a retirada de uma propaganda eleitoral antecipada das redes sociais do pré-candidato do PSB à Prefeitura de Ipojuca, Carlos Santana.

A Justiça Eleitoral determinou que o pré-candidato retire a propaganda, bem como que se abstenha de promover novos atos de campanha até o próximo dia 27, quando o processo eleitoral de fato se inicia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


22/09


2020

Estudantes comemoram aniversário de Petrolina

Estudantes da Educação Infantil ao Ensino Fundamental – Anos Finais, da Escola Municipal João Ferreira Gomes, em Satisfeito, zona rural de Petrolina, em Pernambuco, foram presenteados, ontem, com a doação de livros de literatura. A iniciativa surgiu através do projeto ‘Fuscateca’, dos clubes de leitura ‘Leia’, ‘Leia Mais’ e ‘Viva a Leitura’, do Plenus Colégio e Curso.

Em comemoração ao aniversário de 125 anos da cidade, a ação que foi denominada “No aniversário de Petrolina, nosso melhor presente é o livro”, este ano doou 432 obras infantis, infanto-juvenis e clássicos da literatura brasileira e mundial, arrecadados em sistema de Drive-thru pelo Plenus. As obras foram recebidas pelos alunos da escola João Ferreira Gomes: Alisson Sabino Souza (1º Ano); João Diego Macedo Rodrigues (4º Ano) e Danilo de Araújo Macedo (8º Ano).

A gestora do educandário João Ferreira Gomes, Claudete Macedo do Nascimento, agradeceu as doações e afirmou: "esses livros, ricos em conteúdo, histórias e exemplos, serão por demais importantes para as nossas crianças e adolescentes. Muita gratidão". 

Segundo a diretora Pedagógica do Plenus, Silvia Santos, a iniciativa, desenvolvida em conjunto com outros programas de incentivo à leitura, idealizados pela escola, existe há 8 anos. E que em virtude da pandemia, não foi possível fazer a entrega em uma reunião com todos os alunos da escola. “O projeto que já distribuiu 7 mil livros em comunidades da zona urbana e rural, a exemplo do João de Deus, Cosme e Damião e Condomínio Vivendas; tinha as suas obras entregues em um Fusca, mas por causa das restrições à Covid-19, algumas mudanças tiveram de ser feitas”, explica.

Sílvia Santos acrescentou ainda que a leitura humaniza, educa e conscientiza o leitor. “Descobrimos vários universos quando lemos. Portanto, o colégio não vê presente melhor para a sociedade do que um livro”, concluiu.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha