Jaboatão - Nova UBS PET

11/02


2020

O míssil chamado Tonca I

A política de Pernambuco pode entrar numa importante fase histórica de explosões e implosões. Trata-se do que batizei de “O Míssil Chamado Tonca”. Irmão único de Eduardo Campos, o advogado e escritor Antônio Ricardo Accioly Campos, conhecido como Tonca, chegou ao limite do suportável e decidiu abrir todas as informações para o Ministério Público Federal sobre os esquemas montados pelo grupo político originalmente formado por seu irmão, mas que hoje é liderado, nas sombras, pela viúva Renata de Andrade Lima Campos.

De acordo com diversas fontes ouvidas pelo blog, a gota d’água deve ter sido a matéria da revista Época, na qual, claramente, o grupo de Renata manobrou para desmoralizar Tonca, forçando a barra ao apresentar o seu cunhado como um completo desequilibrado, que só faz loucuras, até do tipo de dar tiro em bar. Além do mais, construíram o quadro de um político fracassado, que pretende ser líder, mas não conseguiu nem se eleger prefeito de uma cidade de porte médio como Olinda, tendo tão míseros votos para deputado estadual que sequer vereador recifense se elegeria.

O que membros desse grupo falam de Tonca nos bastidores, inclusive, é impublicável. Tem os mais macabros requintes de crueldade. O difamam não só como “oportunista”, “mercenário” e “psicopata”, mas, sobretudo, uma pessoa sem moral e até depravado. Apontam as piores armas sujas quanto a pecaminosas manias sobre aspectos sexuais. Falam de horrores que Tonca fez contra Eduardo, indicando que este, nos últimos dias de vida, tinha verdadeiro ódio mortal pelo irmão único. São histórias que não cabem nem nos mais terríveis livros de horror. Por isso que não iremos, em nenhuma hipótese, mencionar vários detalhes aqui.

Frente a tantas maldades contra Tonca, resolvemos fazer uma investigação a fundo, de forma livre e destemida. Passamos horas sem fim conversando, sob completo sigilo, com mais de 40 pessoas testemunhas oculares de muitos episódios, colhendo alguns depoimentos de amigos e colaboradores de Eduardo e de Tonca ao longo de décadas, bem como outros de relações mais recentes, porém operando dentro da máquina eduardista ou do circuito tonquiano. Registro que o próprio Tonca não nos atendeu por conta do sigilo do seu depoimento ao Ministério Público Federal.

O apurado é muito diferente do que o grupo de Renata e seus principais seguidores e executores de decisões, Paulo Câmara e Geraldo Júlio, tentam difamar contra Tonca. Detectamos, de maneira crítica e independente, que Eduardo e Tonca tinham uma relação bipolar, de amor e ódio. Verdadeira narrativa para um drama quase tragédia, podendo servir ao teatro, cinema ou novela de TV.

Na parte do amor, Tonca, inclusive, era muito mais afetuoso, generoso, atencioso e presente do que o irmão em relação a ele. Sempre socorria Eduardo, entrando em ação direta para todo e qualquer assunto ou momento quando o irmão estava em apuros ou necessitava de apoio. Ouvimos muitos relatos no sentido de Tonca ter nutrido uma verdadeira adoração por Eduardo. Amor que nem sempre era correspondido pelo irmão à altura da intensidade tonquiana.

A verdade é reconhecida por aqueles que não entraram no jogo do ódio venenoso: toda a vez que Eduardo tinha um problema, de qualquer tipo, mas, sobretudo, de natureza jurídica, era Tonca quem ajudava de forma desmedida, fazendo realmente de tudo e muito mais para resolver o que quer que fosse. O próprio Eduardo algumas vezes reconhecia isso quando falava sobre o irmão e em diferentes oportunidades chegou até a se emocionar contando o quanto Tonca era solidário com ele.

Ocorre aí um problema, até natural: Tonca de forma legítima esperava contrapartidas do irmão. Só que quando Eduardo estava por cima existia uma barreira intransponível contra Tonca: Renata. Ela desenvolveu uma animosidade que chegou à aversão crescente e extrema contra o cunhado, procurando de todas as formas afastarem os dois irmãos, que inclusive eram também compadres, pois Tonca é padrinho da única filha de Eduardo, a arquiteta Maria Eduarda.

FONTE DE VENENO

Pelo que investigamos, conclui-se, claramente, que Renata sempre foi a maior fonte do veneno da relação entre Tonca e Eduardo. A opinião de muitos é porque ela tinha máxima insegurança e queria a qualquer custo deter o monopólio total e absoluto de todos os tempos e espaços de Eduardo. Renata carregava uma obsessão quase doentia para controlar tudo da vida do marido. Algo que muitos consideram ser mesmo patológico, pois tinha ciúme doentio até do cunhado e da própria sogra. Isso para não falar de outras pessoas, sobretudo, aí com razão, de incontáveis mulheres das mais variadas idades e estado civil que se apaixonaram loucamente por Eduardo.

Segundo as informações obtidas, por conta dessa insegurança patológica quanto ao marido, sempre existiu a mais completa ação por parte de Renata de colocar os membros da sua família Andrade Lima cercando Eduardo. Adicionalmente, fazia de tudo para cooptar novos quadros emergentes como seus agentes de poder, detendo assim o máximo possível de instrumentos para exercer o mais integral controle sobre o marido.

Aquele realmente importante e acima de todos foi Aldo Guedes Álvaro, casado com Patrícia Andrade Lima, uma das primas mais queridas de Renata. Eduardo foi então levado por Renata a colocar Aldo como o único a cuidar de todos os assuntos financeiros do marido, em quaisquer aspectos, pessoais, familiares, políticos e empresariais. Por exemplo, quando Eduardo foi nomeado ministro, Aldo foi trabalhar oficialmente com ele, colocado como coordenador de captação de recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Mas era, sobretudo, na parte de captação de recursos ilegais para a política que Renata conseguiu colocar Aldo com ainda maior força, como o único e exclusivo operador do marido (vide esse link que mostra inclusive que Renata participava de reuniões que tratavam dos temas financeiros https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/533773/noticia.html?sequence=1).

Todos que fizeram política com Eduardo, bem como os empresários que tiveram negócios com o governo dele, sabiam que só Aldo tinha autoridade para receber e era obviamente também o caixa-único de pagamentos.

A HISTÓRIA DO AVIÃO

Não por acaso, o avião que tragicamente encurtou a vida de Eduardo foi comprado por manobras ilegais de Aldo, sendo a articulação desastrosa com os laranjas João Carlos Lyra e Apolo Santana Vieira, conduzida pessoal e diretamente por ele. Toda e qualquer coisa que se relacionasse com Eduardo e dinheiro, era Aldo quem só e somente tinha poderes para executar, gozando da mais completa e irrestrita confiança de Renata, sempre acompanhando e controlando tudo.

Além do mais, Renata também levou Eduardo a ter Aldo como seu sócio numa estranha suposta produção de café no município de Brejão, no Agreste Meridional, juntamente com a prima e sócia Patrícia, na Fazenda Esperança, propriedade da empresa dos dois casais, a Agropecuária Nossa Senhora de Nazaré Ltda. O que se comenta é que, através de Aldo, seu parente, Renata controlava toda a vida financeira de Eduardo e assim podendo exercer o máximo poder.

Apurou-se por pessoas ligadas tanto a Tonca quanto aos Andrade Lima, que logo ao surgir o escândalo, Renata procurou aparentar distância de Aldo e da prima Patrícia. Porém recentemente já estão mais livres, leves e soltos se socializando, sem tentar construir falsas aparências. Isso deve, inclusive, estar sendo monitorado pela própria Polícia Federal, segundo o que escutamos em fontes policiais.

Muitas pessoas confirmaram o que pode ser uma das origens do conflito de Renata com Tonca: fechar o cerco contra o cunhado e não permitir acesso a nada que tinha a ver com influência no Governo ou alguma forma de relação com a vida do marido. Tudo se exponencializava por ela considerar Tonca mulherengo e farrista, o que poderia ser uma influência inaceitável junto ao irmão charmoso, fogoso, com olhos verdes azulados de galã conquistador. Tonca, portanto, era uma ameaça geral e irrestrita ao domínio absoluto que Renata tinha com relação a Eduardo.

Ou seja, tudo era bloqueado para o cunhado, pois através de Aldo existia o mais absoluto controle de qualquer assunto relevante de negócios junto a Eduardo. E Tonca, como advogado, tentou várias vezes viabilizar projetos que foram terminantemente barrados por Renata, tanto diretamente junto ao próprio Eduardo quanto via Aldo. Além disso, tinha também o bloqueio puramente no plano pessoal, pelas mais diversas vias de controle severo exercido por Renata e seu esquema de vigilância policialesca quanto a todos os movimentos do marido.

APOIO SÓ PARA FLIPORTO

Esse jogo de poder só foi se agravando ao longo do tempo, pois Tonca ficou crescentemente marginalizado durante os governos de Eduardo. O máximo que conseguia era algum apoio para o evento literário idealizado por ele, a Fliporto, grande sucesso nacional e mesmo internacional, algo que orgulhava Eduardo e irritava Renata. Em todo caso, a ordem de Renata e de Aldo era de não se fazer nada em favor de Tonca, com exceção deste “apoio cultural”.

Isso, naturalmente, deixava Tonca furioso, levando-o a vários embates diretamente com o irmão poderoso. Um pouco antes da morte de Eduardo, existiu, inclusive, um conflito extremamente feroz entre os dois. E, pelo que fomos informados, Renata só fazia inflamar mais o marido, estimulando inclusive a ruptura definitiva. Membros da equipe de Eduardo nos contaram que ele estava extremamente angustiado e sofrendo com essa situação. Chegou até mesmo a chorar relatando o que estava se passando. Ele mesmo falou coisas contra Tonca que são impublicáveis de tão agressivas.

Fontes internas nos informaram que em alguns episódios Eduardo ficava hiper irritado também com Renata, pedia para ela não se meter na relação entre ele e o irmão, chegando algumas vezes até ao limite da explosão. Confirmamos que Eduardo, ao seu modo, gostava muito do irmão. E não era nada ingênuo, pois sabia que esses tipos de conflitos são parte do jogo dentro de famílias ambiciosas. Só que Renata estava ali colada no marido e o cercava de todas as formas. Enfim, o ambiente era mais que complexo, paradoxal, extremamente neurótico, doentio.

AS DIFERENÇAS DOS IRMÃOS

Todos que o conheceram sempre percebiam que Eduardo era uma pessoa superdotada de inteligência e humor, hiper perceptivo e astuto, incontrolável sedutor para tudo o que ele decidisse fazer. Ele naturalmente sabia das qualidades e dos defeitos do irmão. Admirava o quanto Tonca era erudito, o que ele próprio não era. Enquanto o irmão sempre foi um leitor voraz, Eduardo aprendia de ouvido, observando, capturando o que estava no ar, pois raramente lia. Em grande medida, Eduardo sabia que Tonca era complementar a ele.

Também sempre soubemos que Eduardo podia ser uma pessoa explosiva, raivosa, perseguidora. E isso parece que ele fez com o próprio irmão, incentivado por Renata. Lógico, ele também conhecia Renata como ninguém, sabendo de suas qualidades e seus defeitos. Com a imensa habilidade, buscava se concentrar no que Renata tinha de bom, que era um ambiente familiar forte, que Eduardo não tinha. Mas sempre dormia com um olho aberto por conta da ânsia enlouquecida por poder e controle que ele sentia na esposa em relação a ele.

Ou seja, apuramos que Eduardo sofreu muito com essa guerra anunciada da mulher contra o irmão único. Oscilava de um extremo a outro, ora demonstrando amor por Tonca, mas em outros momentos revelando fúrias de ódio. Essa bipolaridade quanto ao que sentia em relação ao irmão doía demais nele, de acordo com pessoas que conviveram trabalhando na intimidade do ex-governador. Era realmente dilacerante para Dudu ou “o galego”, como muitos o chamavam carinhosamente.

Leia amanhã o capítulo 2


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A direita pira. Essa turma só sabe mistificar.

EDIVAN BARBOSA BARRETO

A esquerda pira. Essa turma roubou a população. Não pode sair impune.

ABAIXO FALSO MORALISMO

Magno leão lobo , João Kleber,

Yramilson Sá de Oliveira

Magno, vê se tem uma vaga no Programa de Sônia Abraão kkkkk ou no fofocalizando


Cabo - Pavimentação e Drenagem

Confira os últimos posts



27/09


2021

Valdemar Costa Neto pede demissão de diretoria do Banco do NE

O presidente nacional do Partido Liberal, Valdemar Costa Neto, pediu, hoje, a demissão de toda a diretoria do Banco do Nordeste. A atual direção do banco foi indicada pelo Partido Liberal.

“Fui surpreendido, na sexta-feira à noite, com WhatsApp do presidente da República me questionando se eu tinha conhecimento no Banco do Nordeste, que tinha um contrato lá de aproximadamente R$ 600 milhões com uma ONG”, afirma em vídeo. O valor seria anual.

Segundo o Partido Liberal, já foi enviado ofício ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e à ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, com o pedido da demissão do presidente e de toda a diretoria.

“Achei uma barbaridade um banco contratar uma ONG por R$ 600 milhões por ano, aproximadamente. E isso há muitos anos. Quando eles entraram no banco, já tinham esse contrato, e nós não tínhamos conhecimento. Nós não podemos ter uma ONG contratada num banco da importância do Banco do Nordeste”, diz.

“O Partido Liberal não pode manter diretores em um banco que encontram uma situação dessas e não tomam providências”, completa Costa Neto.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

27/09


2021

Senadores derrubam veto à união de partidos em federações

Os senadores derrubaram, por 45 votos a 25, hoje, durante sessão do Congresso Nacional, o veto integral do presidente Jair Bolsonaro a um projeto que permite a dois ou mais partidos se unirem em uma federação partidária e atuarem de forma unitária em todo o país. As informações são do Portal G1.

O veto ainda precisa passar pela análise dos deputados, em sessão a ser realizada ainda na noite de hoje. Se for derrubado na outra Casa, a federação já valerá para as próximas eleições.

A proposta é uma bandeira dos partidos menores, como Rede e PCdoB, que temem não alcançar a chamada "cláusula de barreira", criada para extinguir legendas que não tenham um desempenho mínimo a cada eleição. Com a mudança, o desempenho seria calculado para a federação como um todo, e não para cada partido individualmente.

A federação de partidos, pelo texto aprovado no Congresso, permite a união de siglas com afinidade ideológica e programática, sem que seja necessário fundir os diretórios. A união deve durar, pelo menos, quatro anos. O partido que se desligar antes desse período perde, por exemplo, o acesso ao fundo partidário.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

27/09


2021

Jornal O Poder lança grupos de WhatsApp temáticos

O jornal O Poder, o único em circulação através das redes sociais, lançou, com exclusividade, uma série de grupos temáticos de política no WhatsApp.

Nos grupos, serão divulgadas as matérias que já são publicadas no site, de acordo com os temas de cada comunidade.

Para fazer parte de um grupo, o leitor deve clicar no link disponível e escolher os temas de sua preferência: www.jornalopoder.com.br/grupos/


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


27/09


2021

Bolsonaro: Nada não está tão ruim que não possa piorar

"Nada não está tão ruim que não possa piorar", afirmou, hoje, o presidente Jair Bolsonaro em discurso durante solenidade no Palácio do Planalto. Bolsonaro fez a declaração na cerimônia de comemoração dos mil dias do governo, à qual estavam presentes ministros e parlamentares da base do governo.

"Alguém acha que eu não queria a gasolina a R$ 4? Ou menos? O dólar R$ 4,50 ou menos? Não é maldade da nossa parte. É uma realidade. E tem um ditado que diz: 'Nada não está tão ruim que não possa piorar'. Nós não queremos isso", afirmou.

Na última sexta-feira, o preço médio da gasolina era R$ 6,09, e, nesta segunda, o dólar é cotado a R$ 5,37. O contexto do discurso não permite afirmar se, na declaração, Bolsonaro estava se referindo à economia durante o governo dele ou atribuindo a governos anteriores a alta do combustível e do dólar.

Durante o discurso, momentos antes de se referir ao preço da gasolina e à cotação do dólar, o presidente faz menções aos governos petistas. "Se a facada [que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018] fosse decisiva naquele momento, é só imaginar quem estaria no meu lugar. O perfil dessa pessoa, o seu alinhamento com outros países do mundo, em especial, aqui da América do Sul, onde nós estaríamos agora", afirmou em um trecho da fala, depois de se referir à Venezuela.

Em outro ponto, ele se exime de responsabilidade pela situação econômica do país: "Mil dias de governo com uma pandemia que muitos acham que o que acontece hoje no tocante à economia – inflação, preço de combustíveis, de alimentos, entre outros problemas – está acontecendo porque eu sou presidente. E não, em grande parte, pelo que nós passamos e estamos passando ainda."

No discurso, ele também se refere aos anos de governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff (entre janeiro de 2003 e maior de 2016): "Você já sabe qual o filme do futuro porque você viveu 14 anos passados esse filme. E pode ter certeza, não serão apenas mais 14 anos. Serão no mínimo 50. É isso que queremos para a nossa pátria?".

O discurso culmina com o comentário sobre a gasolina e o dólar: "Nada não está tão ruim que não possa piorar", afirmou, antes de fazer menção a uma passagem bíblica e encerrar o pronunciamento.

Na mesma cerimônia, Bolsonaro também disse que as Forças Armadas não cumprirão eventual ordem dele ou de outro governante considerada "absurda" e assinou a revogação de 892 decretos com normas consideradas desnecessárias por já terem perdido validade ou eficácia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Seja qual fosse o presidente eleito em 2018, menos essa desgraça que aí está, seria muito melhor. Presidente inepto, cercado de lambe-botas incompetentes, todos guiados por uma ideologia imbecil, associado a um fanatismo evangélico idiota, comandado por gente como Silas mala sem alça.


Ipojuca - Microempreendedores

27/09


2021

Prefeito celebra conquista de motoniveladora para Brejo

O gestor do município de Brejo da Madre de Deus, Roberto Asfora, conquistou, através do secretário nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional, Tiago Pontes Queiroz, uma máquina motoniveladora (Patrol) 0 km. A patrol é de última geração, além de todos os itens necessários aos serviços de terraplanagem a máquina oferece mais conforto e segurança ao operador, já que possui cabine coberta, com vidro nas laterais e equipada com som e ar-condicionado.

O prefeito Roberto Asfora reuniu-se com Tiago Pontes e falou sobre a parceira que tem rendido frutos para o município. “Tiago Pontes é um irmão que tem ajudado muito nosso município, conseguimos essa nova Patrol para melhorar trafegabilidade na zona rural e em breve novas conquistas estarão vindo para melhorar a qualidade de vida de nova população”, disse.

O município tem mais de 840km quadrados e é detentor de uma das maiores áreas rurais do Estado de Pernambuco, são aproximadamente 2 mil quilômetros de estradas rurais. Na sua primeira passagem pelo poder público, Asfora conquistou duas motoniveladoras que sempre serviram às comunidades rurais, ao voltar, Roberto encontrou apenas uma máquina funcionando. Com a nova conquista, agora são três máquinas conquistadas pelo governo Roberto Asfora. “Sempre busquei trabalhar nas comunidades rurais. Estradas boas trazem dignidade ao homem do campo que depende delas para escoar seus produtos e aquecer nossa economia. Nossa gestão vai recuperar a outra máquina e vamos ter as três em pleno funcionamento”, enfatizou o prefeito.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru volta as aulas 2021

27/09


2021

Floresta: Rorró assina ordem de serviço de quadra poliesportiva

Na última quinta-feira, a prefeita de Floresta, Rorró Maniçoba (PSB), assinou a ordem de serviço para início da obra de construção de um ginásio poliesportivo no distrito de Nazaré do Pico, zona rural do município. O novo espaço de esporte e lazer é fruto da emenda parlamentar do ex-deputado federal Kaio Maniçoba, atual presidente do IPA (Instituto Agronômico de Pernambuco) e contrapartida da Prefeitura Municipal.

Segundo a prefeita, serão investidos R$ 810.112,80 mil na construção do novo equipamento que levará mais opção de lazer e esportes para os jovens e a população daquela comunidade. Em sua fala, Rorró se disse feliz por poder trabalhar para melhorar a vida dos florestanos.

“Se tem uma coisa que me deixa feliz é saber que vamos realizar algo para melhorar a vida de muita gente. Iniciaremos as obras do Ginásio Poliesportivo, graças a emenda do ex-deputado Kaio Maniçoba, que sempre tem trabalhado por nossa gente”, afirmou.

A solenidade realizada no Distrito de Nazaré do Pico contou com as presenças do ex-deputado e atual presidente do IPA, Kaio Maniçoba; do administrador distrital, Rominho; dos vereadores Victor Laert e Pedro Henrique Lira, além de secretários municipais.

Durante o evento, a prefeita também ressaltou que a sua gestão está investindo R$ 163.166,33 em novos veículos, complementando emendas dos Deputados Gonzaga Patriota (PSB) e Fabrizio Ferraz, recebidas para a compra de carros para a saúde. Segundo Rorró Maniçoba, esses investimentos só estão sendo possíveis devido a equilíbrio promovido nas contas da prefeitura de Floresta e a ousadia de investir no melhor para a população.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

27/09


2021

Governadores discutem inovações sustentáveis

A crise hidroenergética vivenciada atualmente no Brasil é um problema sistêmico que exige uma articulação para políticas públicas integradas, com soluções ágeis e agregadoras para um futuro sustentável. Para apoiar no enfrentamento desta crise e preparar o país para o contexto de incerteza hídrica, o Centro Brasil no Clima (CBC) vem articulando com governadores o desenvolvimento de soluções socioeconômicas inovadoras, no âmbito das parcerias estratégicas para a implementação do Acordo de Paris (SPIPA, em inglês). Entre elas está o projeto HidroSinergia, que será tema do Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis na próxima terça-feira (28) e visa fomentar uma economia verde e inclusiva comprometida com o Acordo de Paris.

O “Encontro Estratégico Inovações Sustentáveis”, das 10h às 11h30 por plataforma virtual, terá participação do senador Jacques Wagner, presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, do governador de Pernambuco, Paulo Câmara, do governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, do governador da Bahia, Rui Costa, do Embaixador da União Europeia, Ignacio Ybáñez, do diretor executivo do Centro Brasil no Clima (CBC), Guilherme Syrkis, do coordenador de Energia do iCS, Roberto Kishinami, da coordenadora do Programa de Hidrogênio Verde da GIZ, Kristina Kramer, e dos secretários de Meio Ambiente de Pernambuco, José Bertotti, da Bahia, Marcia Telles, do Ceará, Artur Bruno e do Espírito Santo, Fabricio Machado.

O HidroSinergia é um projeto do Instituto Clima e Sociedade (ICS) e do Centro Brasil no Clima (CBC) e abrange quatro eixos: (1) a regeneração hidroambiental do Rio São Francisco, (2) a produção de hidrogênio verde para substituir combustíveis fósseis, (3) a expansão das energias renováveis (eólica e solar) em áreas secas e pobres do semiárido e (4) a capacitação profissional com geração de empregos verdes para reduzir desigualdade.

Segundo o coordenador do projeto, Sérgio Xavier, trata-se de uma aliança para interligar políticas públicas, conhecimentos, ideias e investimentos no Nordeste brasileiro. “A questão da sustentabilidade e da economia verde é urgente. Além da pandemia, o Brasil vive uma grave crise hidroenergética e um contexto de deterioração ambiental, com aumento do desmatamento e das emissões de CO2. Somado a isso, o país precisa enfrentar índices crescentes de pobreza e desemprego”, afirma.

O HidroSinergia soma-se à iniciativa “Governadores Pelo Clima”, coalização que conta com a união de 25 governadores brasileiros comprometidos com o enfrentamento à crise climática e o desenvolvimento de um pacto para a construção de uma nova economia focada na descarbonização do planeta. O HidroSinergia atua com as   principais instituições ambientais do Brasil e dos Estados que compõem o Semiárido brasileiro e/ou se relacionam com a Bacia do São Francisco – Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, que juntos buscam soluções para questões climáticas, sociais e econômicas.

De acordo com Roberto Kishinami, coordenador do portfólio de energia do iCS, “o Nordeste brasileiro tem potencial de assumir um papel central no processo de descarbonização mundial e, como consequência, prover mais oportunidades de autonomia e mais qualidade de vida para sua população. A região já possui a geração eólica mais barata do mundo e tem tudo para se tornar um polo global de produção de hidrogênio verde, permitindo que esse insumo se torne competitivo mais rapidamente”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

27/09


2021

Morre o cardeal Dom José Freire Falcão

O cardeal Dom José Freire Falcão, arcebispo emérito de Brasília, morreu, ontem, vítima da Covid-19. O religioso tinha 95 anos e estava internado no Hospital Santa Lúcia, na Asa Sul, desde 17 de setembro.

Segundo informações da Arquidiocese de Brasília, o sacerdote foi internado após tentar positivo para o novo coronavírus. Em seguida, em 24 de setembro, Dom Falcão teve piora do quadro respiratório renal e precisou ser intubado.

"Sua ausência é sentida profundamente por toda a Arquidiocese de Brasília, amigos e fiéis", disse a arquidiocese.

O corpo do religioso está sendo velado hoje, na Catedral Metropolitana de Brasília Nossa Senhora Aparecida. Devido à pandemia de Covid-19, o velório é restrito a familiares e ao clero. O sepultamento, no entanto, será aberto ao público. O enterro ocorrerá amanhã, entre 8h e 14h, na Cripta da Catedral de Brasília.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) lamentou a morte do sacerdote. Em uma rede social, o chefe do Executivo disse que "Brasília perde um de seus maiores guias religiosos".


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Agosto 2021

27/09


2021

Gilson inaugura obra do Governo Federal em Caruaru

Em comemoração aos mil dias de Governo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizará, amanhã, uma série de eventos e inaugurações, por todo o País, para mostrar que o Governo trabalha incansavelmente para superar as dificuldades.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, visita a cidade de Caruaru, no Agreste, para inaugurar a Pracinha da Cultura. A cerimônia tem início às 10h, na Avenida Zé Tatu, no bairro Maria Auxiliadora, e contará também com a presença do secretário especial da Cultura, Mario Frias.

De acordo com o Governo Federal, as Pracinhas da Cultura reúnem ações culturais, práticas esportivas e de lazer, qualificação, serviços sócios assistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital. A que será inaugurada em Caruaru tem 3000 m² teve investimentos de R$ 1,95 milhão do Ministério do Turismo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Dá nojo a puxação de saco desse cara!


Bandeirantes Agosto 2021

27/09


2021

Guilherme Coelho celebra isenção do imposto do milho

Para conhecer melhor as atividades conectadas com o agronegócio em Pernambuco, Guilherme Coelho visitou cinco municípios do estado. Na última semana, ele conversou com representantes de associações e produtores de segmentos da avicultura, pecuária e agricultura de Salgueiro, Arcoverde, Buíque, Tupanatinga e Caruaru. O objetivo da escuta foi identificar os principais gargalos enfrentados e sugerir soluções para o enfretamento dos problemas e, assim, fortalecer agro no estado.

De acordo com Guilherme Coelho, a principal necessidade do segmento é organizacional. “Fiquei impressionado com o potencial desses municípios, a união entre os produtores será a chave do sucesso. Um dos caminhos para esse crescimento, seria a criação de cooperativas para ajudá-los nas negociações e conseguirem melhores preços de venda. Estou à disposição para contribuir com articulação política e com meu conhecimento sobre agronegócio”, afirmou.

Em Caruaru, Guilherme Coelho conheceu uma granja que produz cerca de 650 mil ovos diariamente e investe em tecnologia para modernizar o setor. Ele também almoçou com representantes da avicultura do município e, na ocasião, o grupo celebrou a publicação em Diário Oficial da isenção do PIS/Cofins do milho importado.

“Esse foi um pleito antigo que estava correndo no Ministério da Agricultura desde agosto do ano passado. Além da nossa associação, muitas pessoas e entidades ajudaram para que fosse atendido, como o Guilherme Coelho, que esteve em Brasília e reforçou o pedido. A isenção desse imposto representa uma queda importante no custo da saca do milho”, constatou o presidente da Associação Avícola de Pernambuco, Giulliano Malta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha