Congresso Nordestino de Educação Médica

22/05


2019

Desaprovação a governo supera aprovação, diz pesquisa

A desaprovação do governo Jair Bolsonaro superou, pela primeira vez, a aprovação, conforme pesquisa divulgada nesta terça, 21, pela consultoria Atlas Político. São 36,2% os que consideram o governo “ruim” ou “péssimo”, contra 28,6% acreditam que o governo é “ótimo” ou “bom” e 31,3% que consideram o governo “regular”. Em fevereiro, 38,7% dos entrevistados aprovavam o governo e a desaprovação estava em 22,5%.

A pesquisa foi feita com 2 mil pessoas entre os dias 19 e 21 de maio. A margem de erro é de dois pontos porcentuais.

No domingo, a popularidade do presidente será testada na manifestação a favor do governo e contrária ao Congresso.

O ato não é consenso entre aliados do presidente nem dentro do PSL, partido de Bolsonaro. O MBL também se opôs à convocatória por, segundo a entidade, seu caráter “antirrepublicano”.  (Estado)


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Governo de PE

Confira os últimos posts



25/06


2019

Jornalismo sem outro lado é panfleto

Por José Nêumanne*

Numa das primeiras intervenções que fiz sobre a revelação de pretensas mensagens em celulares dos integrantes da Operação Lava Jato e seu juiz foi a de que o jornalista e seu site que as revelaram têm garantido o direito de manter o sigilo da fonte pela Constituição federal. Isso continua valendo, mesmo que a fonte não fique eximida de responder por eventual crime de quebra de sigilo, direito fundamental da cidadania também definido claramente no escopo do Estado de Direito vigente no País. A primeira lembrança que me acorreu sobre o episódio foi a de Dilma Rousseff reclamando dos vazamentos seletivos. Seletivos ou não, vazamentos são crimes de quem os pratica, no caso, agentes do Estado de posse da informação original. Os jornalistas que os recebem e retransmitem ao público cumprem sua obrigação de ofício, não cometem crime algum. Isso valia no tempo de Dilma e continua valendo hoje, sem tirar nem por.

No caso específico do vazamento de eventuais mensagens que reproduzem, segundo os veículos de informação envolvidos no momentoso caso em questão, Glenn Greenwald, seu site The Intercept Brasil e seus parceiros na divulgação, Folha de S.Paulo e BandNews FM, só incorrerão em delito se publicarem mentiras, informações falsas. Para não cair nessa esparrela, o jornal O Globo, que tem dado noticiário com insistência, mas sem declarar parceria, se apressou a desmentir notícia não confirmada pelos fatos segundo aos quais a procuradora federal Laura Tessler foi dada como ausente em sessões de julgamentos da Lava Jato, depois de nota oficial da força-tarefa da operação noticiando sua presença em sessões. O jornal carioca publicou a seguinte nota: “O Globo errou ao informar que o ministro da Justiça, Sergio Moro, havia pedido a substituição de uma procuradora em arguição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no curso da Operação Lava Jato. Em mensagens de 2017 obtidas pelo site The Intercept, Moro, então juiz da força-tarefa, apenas critica o desempenho de Laura Tessler. O atual ministro diz que Tessler é ‘excelente profissional, mas para inquirição em audiência ela não vai muito bem’. E pede ao procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa, que, ‘com discrição’, ‘tente dar uns conselhos’ e sugere um treinamento. A informação estava em reportagem sobre nova leva de mensagens do site The Intercept, publicada nesta quinta, e que já foi corrigida”.

Para esclarecer melhor essa questão toda, convém lembrar que o leitor ou espectador é o beneficiário da liberdade de informação, expressão e opinião e, em última análise, também o julgador final do material, ao exercer seu pleno direito de dar audiência aos noticiosos de emissoras de rádio ou televisão e assinar ou comprar em bancas exemplares de jornais e revistas que preferir. O tirocínio e o livre arbítrio do consumidor de notícias representam, de fato, a última instância sobre qualquer edição ou publicação envolvendo assuntos de qualquer natureza ou teor.

Diante disso o bom jornalismo recorre a expedientes que facilitam a separação do joio no trigo do noticiário. A técnica mais empregada no jornalismo num Estado de Direito é dar a qualquer personalidade pública denunciada em qualquer eventual ilícito o direito de ter sua versão adicionada à notícia por ela protagonizada. Aquela prática repetida nos telejornais de ouvir as partes citadas em reportagens logo após os fatos revelados é ao mesmo tempo a oportunidade de dar voz ao outro lado e uma defesa prévia para eventuais ações judiciais que vierem a questionar a correção das notícias divulgadas.

Na era pré-Internet, os meios de comunicação utilizaram checagem permanente do material a ser divulgado. O caso mais célebre é o do escândalo Watergate, no qual os repórteres Bob Woodward e Carl Bernstein, do Washington Post, checavam cada notícia a ser publicada com uma “fonte” confiável na administração Nixon, o Deep Throat (Garganta Profunda), pseudônimo que reproduz título de um famoso filme pornô.

Até agora, The Intercept Brasil e seus parceiros brasileiros não apresentaram nenhum atestado de autenticidade das mensagens que obtiveram e isso reduz, a cada dia que passa, a credibilidade dos diálogos reproduzidos. Principalmente depois que a Polícia Federal informou que o hacker que teria invadido o celular do ministro da Justiça, Sergio Moro, passou por ele em comunicação com um interlocutor. Essa dúvida só será resolvida quando as mensagens reproduzidas forem autenticadas por registro de fé pública.

Outra questão que compromete a credibilidade da denúncia é que ela visou exclusivamente a agentes de combate à corrupção no aparelho judicial estatal numa clara tentativa de desqualificá-lo e desmoralizá-lo. Em confronto com isso, eventuais vazamentos e delações premiadas no bojo da Lava Jato nunca privilegiaram políticos ou partidos. Foram denunciadas quase todas as organizações partidárias do espectro político brasileiro: o Partido dos Trabalhadores (PT), seus aliados e até uma legenda tida como opositora, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), foram todos alcançados pela lente de ampliação das investigações e dos vazamentos que a petista Dilma chamava de “seletivos”. Bom, seletiva, mesmo, é a espionagem dirigida exclusivamente para agentes da lei que devassaram, investigaram, processaram, muitas vezes condenaram e até conseguiram repor dinheiro roubado do erário. Esta é uma das razões pelas quais a denúncia do site The Intercept Brasil perdeu substância e impacto desde o domingo 9 de junho, quando as primeiras revelações vieram a lume.

Parte de sua credibilidade também foi se desmanchando à medida que foi possível perceber que a forma da denúncia original foi reduzida pela tática do conta-gotas em que vazamentos, como aquele citado no início deste texto, contendo o desmentido do Globo, tinham pouco a ver com a relevância dada pelos comentários prévios de Greenwald sobre o que ainda tinha a ser revelado, sempre com uma promessa de algo bombástico.

Em dois jornais que têm reproduzido com mais destaque o material do site – Folha e Globo –, o colunista Elio Gaspari referiu-se explicitamente a esse erro de origem cometido pelo militante americano. Em suas colunas de domingo 23 de junho nesses diários ele publicou: “Num ponto o ministro Sergio Moro tem alguma razão: o site Intercept Brasil deveria divulgar todo o acervo de grampos que amealhou. A divulgação parcial e seletiva dos grampos, acompanhada por insinuações ameaçadoras do repórter Glenn Greenwald, é um feitiço que pode se virar contra o feiticeiro. Antes da internet era comum que revelações jornalísticas fossem expostas em séries, mas Greenwald vem fazendo bem outra coisa. Promete isso ou aquilo, às vezes em tom de vaga ameaça. A divulgação de denúncias num regime de conta-gotas foi uma das piores táticas dos procuradores da Lava-Jato”.

Mais do que essa questão específica, o cidadão, beneficiário que é da liberdade de expressão e informação, deve ser informado antes de qualquer coisa que Glenn Greenwald não se comportou em nenhum momento como repórter (como definido por Gaspari), mas, sim, como ativista político. Isso não quer dizer que o que ele divulgou não tem valor ou que ele mesmo mente. Significa apenas que o material que ele tem exposto é unilateral, sem checagem, autenticação e, sobretudo, sem nenhum cuidado em dar ao lado exposto o direito elementar de expor a própria verdade a respeito dos fatos. Na democracia a militância política deve ser aceita, tolerada, ouvida e reproduzida. Mas essa parcialidade implícita precisa ser marcada como elemento fundamental da informação que é dada. Guardadas as devidas proporções, é um caso similar à propaganda comercial em veículos de comunicação de massa. A publicidade de produtos, negócios ou bens é e continuará sendo sempre elemento importante de informação para leitores e espectadores, mas ela só cumpre essa função se sua parcialidade for explicitada em forma e conteúdo.

A tentativa de fazer passar propaganda política como informação neutra é tão nociva ao negócio da comunicação de massa como à prática política em sociedades livres. O militante político que se faz passar por um jornalista em atividade profissional lesa o público, a sociedade e a democracia. E isso também tem de ser levado em conta nesse episódio.

*Jornalista, poeta e escritor


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Caruaru

25/06


2019

Morre, aos 105 anos, Elzita Santa Cruz

Diário de Pernambuco

Faleceu, na madrugada de hoje, aos 105 anos, Elzita Santa Cruz, mãe do desaparecido político Fernando Augusto Santa Cruz e do vereador de Olinda, Marcelo Santa Cruz. Nascida em Água Preta, interior de Pernambuco, era símbolo de luta pelo movimento democrático no país. Foi incansável na busca por notícias do filho, que desapareceu no Carnaval de 1974, aos 26 anos de idade, no Rio de Janeiro, a caminho de um encontro com ativistas da Ação Popular Marxista-Leninista. Outros dois de seus dez filhos, Marcelo e Rosalina, também foram perseguidos pela ditadura. O velório de dona Elzita acontece na Câmara Municipal de Olinda. O corpo será cremado amanhã, em cerimônia provavelmente restrita à família.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

São João Petrolina

25/06


2019

Bolsonaro decide revogar decreto de armas

O presidente Jair Bolsonaro decidiu revogar o decreto que facilitou o porte de armas de fogo. A informação foi dada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em reunião com senadores na tarde de hoje.

Bolsonaro editou, em maio, dois decretos sobre posse e porte de armas de fogo e uso de munições. A pacote de mudanças foi alvo de críticas e, na semana passada, o plenário do Senado aprovou parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que pede a suspensão dos decretos.

O parecer seguiu para análise da Câmara dos Deputados. As regras previstas nos decretos continuarão valendo até que a Câmara vote o tema e, eventualmente, aprove a suspensão dos decretos.

O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa. É diferente da posse, que só permite manter a arma dentro de casa.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

STF decide julgar hoje dois pedidos de liberdade de Lula

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu retomar, hoje, o julgamento de dois habeas corpus apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão foi tomada pelos cinco ministros que integram o colegiado no início da sessão a pedido da defesa do petista. Ao final da análise do caso, Lula pode ser libertado.

O julgamento estava agendado para ser retomado nesta terça, porém, havia sido adiado ontem depois que o ministro Gilmar Mendes pediu a retirada de um dos pedidos de liberdade de pauta.

No entanto, no início da sessão desta terça-feira, o advogado Cristiano Zanin Martins, responsável pela defesa do ex-presidente, pediu a palavra e, da tribuna do colegiado, solicitou prioridade no julgamento do habeas corpus argumentando que Lula está preso há mais de 400 dias. "Estamos diante de um caso cujo julgamento já foi iniciado", ponderou o criminalista.

Os ministros da Segunda Turma vão analisar dois habeas corpus nesta terça-feira:

  • Um no qual os advogados do ex-presidente questionam a atuação do relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer
  • Outro em que é apontada a suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, durante o processo no qual o ex-presidente foi condenado


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

No túnel do tempo

Este blogueiro com o jornalista José Adalberto Ribeiro e o ex-governador Joaquim Francisco em 1990, ano em que coordenei a área de Imprensa da campanha vitoriosa de Joaquim, que derrotou Jarbas Vasconcelos.

Foi um clássico, mas Joaquim venceu no primeiro turno. Um grande aprendizado para quem, como eu, tinha apenas 30 anos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ArcoVerde

25/06


2019

Roraima pede socorro

Por Márcio Accioly

O senador Mecias de Jesus (PRB) tem repercutido, no Congresso Nacional, relatório produzido pela CDH, Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Roraima, onde é analisado impacto produzido no Estado pela grande quantidade de refugiados provenientes da Venezuela. O cenário é caótico e assustador.

Apesar de confundir o gravíssimo problema do afluxo de refugiados, como “crise migratória”, a Comissão aponta abalos que tal movimento tem exercido, pois dentro em pouco existirá em Roraima “um país inteiro dentro de um estado”. Calcula-se que 30% dos que ali vivem, no momento, são refugiados venezuelanos.

De acordo com a CDH, “a saúde é uma das mais atingidas”. Além de “crise financeira sem precedentes”, decorrente da má gestão estadual anterior, a situação se agravou em razão de conflitos ocorridos na fronteira entre os dois países. O fluxo de refugiados superlotou hospitais roraimenses e esgotou medicamentos ainda disponíveis.

Mecias de Jesus tem peregrinado através de Ministérios, órgãos federais e no Palácio do Planalto. Nos contatos efetuados no Senado, tem buscado partidários para a sua causa na tentativa de encontrar urgente saída para o imbróglio. Mas ele percebe com inquietação que a distância dos fatos não oferece real noção da tragédia que se desenrola.

Recentemente, diante da notícia de que moradores do município de Pacaraima estariam expulsando venezuelanos, a Rede Globo inseriu passagem numa de suas novelas, afirmando que os roraimenses estão hostilizando os venezuelanos. Jogou contra a população, resumindo o desastre a querelas vãs.

O fato motivou, inclusive, manifestação do senador durante a presença do ministro da Justiça, Sérgio Moro, em depoimento numa das Comissões daquela Casa. Mecias falou do clima de medo e apreensão existente no estado, em função dos altos índices de criminalidade por conta das ações de parte dos refugiados.

A presença maciça de venezuelanos tem sobrecarregado gastos e custos no desempenho da administração estadual. Se não forem tomadas providência urgentíssimas, o colapso será inevitável. No Relatório da CDH, o caso é mostrado com clareza, inclusive com números que indicam abalos significativos na educação.

Somente no último mês de abril, quase três mil alunos foram matriculados em escolas públicas do estado, sem contar os que se abrigaram na rede municipal. É como se a Venezuela estivesse transferindo seu contingente populacional para Roraima, sem que houvesse aumento proporcional na receita estadual para enfrentar o problema.

A verdade é que Roraima pede e necessita de socorro. Quem está distante dessa encrenca, vivendo em outras regiões do país, não deve esquecer que brasileiros do extremo Norte anoitecem e amanhecem vivendo desdita que não emite sinais de arrefecimento. Pelo contrário, a pressão aumenta a cada dia.

Num país onde cuidados costumam levar anos de estagnação, à espera de medidas paliativas, a questão dos refugiados venezuelanos se encontra inserida entre as de maior premência dentre todas. É matéria de sobrevivência de um estado. E de um povo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Camaragibe: Nadegi acompanha problemas no feriado

Em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, entre os dias 22 e 24 de junho, o clima foi de trabalho para a recém-empossada prefeita Nadegi Queiroz (DC). No lugar dos festejos juninos, a gestora, que tem atuado fortemente para normalizar os serviços essenciais do município, andou por toda a cidade acompanhada de sua equipe técnica, momento onde teve a oportunidade de fiscalizar e conhecer a realidade das mais diversas áreas.

Entre as visitas, a prefeita, já acompanhada do novo secretário de Saúde, Arnon Nascimento, esteve no Hospital Municipal Doutor Aristeu Chaves e na Maternidade Amiga da Família, na área central de Camaragibe, e no Centro de Especialidades Médicas de Camaragibe (CEMEC), no bairro de Vera Cruz. Na ocasião, eles avaliaram as dependências das unidades, a situação dos estoques de medicamentos e ainda conversaram com os profissionais para entender o cenário das várias áreas.

Atualmente, a situação financeira da área da saúde é uma das grandes preocupações da gestora. De acordo com o último levantamento financeiro do Fundo Municipal de Saúde, realizado no dia 20 de junho, o saldo em caixa era de apenas R$ 34,00. “Encontramos essas unidades com falta de insumos básicos, medicamentos e até de profissionais, entre eles, médicos. Já estamos resolvendo isso de forma emergencial e agora vamos trabalhar para garantir o melhor atendimento de saúde aos camaragibenses”, disse, bastante otimista.

Hoje, a gestora retomou as atividades na Prefeitura, onde permanecerá ao longo do dia tratando sobre das questões financeiras e administrativas do município.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bm4 Marketing 7

25/06


2019

Escola da Alepe promove curso sobre eleições

Com o objetivo de revisar as principais alterações feitas nas regras eleitorais que vigorarão nas eleições do próximo ano, a Escola Legislativa da Assembleia de Pernambuco promoverá nesta quinta-feira (27), em Petrolina, o curso “Eleições Municipais de 2020, novas regras”.

Esse será o primeiro de uma série de cursos que se estenderão a várias regiões do Estado no sentido de evitar atos ilícitos por parte de servidores públicos, candidatos ou não.

O curso será promovido pela Escola Legislativa da Alepe em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral, a Escola Judiciária Eleitoral e a União de Vereadores de Pernambuco.

Segundo o presidente da Escola Legislativa, José Humberto Cavalcanti, a ideia é fechar um calendário de cursos que abordarão temas como janela partidária e migração de partido em parcerias que devem evoluir para um convênio de cooperação técnica da Alepe com o Tribunal de Justiça do Estado.

Nesse primeiro encontro, a capacitação está voltada para candidatos a vereador e assessores de câmaras municipais.

Os palestrantes convidados são o desembargador e diretor da Escola Judiciária Eleitoral, Delmiro Campos, que abordará os temas extinção das coligações e propaganda eleitoral; o chefe da Auditoria de Contas Eleitorais Partidárias do TRE, Marcos Andrade, que falará sobre prestação de contas; e o procurador-geral de Petrolina, Diniz Eduardo Cavalcante, que traçará as expectativas para o próximo ano.

O curso “Eleições Municipais de 2020, novas regras” acontece das 8h às 13 horas desta quinta (27) na Câmara Municipal de Petrolina.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Londres comovida

Por Ângelo Castelo Branco

Há dez anos, estava em Londres e a morte de Michael Jackson se espalhou rapidamente. O inesperado morto ia fazer um show numa arena londrina dali a alguns dias e pontos de vendas de ingressos anunciavam o evento.

Em Trafalgar Square, sob a perplexidade da coluna memorial dedicada ao almirante Nelson, as pessoas formaram um grande círculo onde acendiam velas e cantavam as musicas de Michael embaladas por um aparelho de som que surgira do nada.

Uns acendiam suas velas nas chamas das outras e logo formavam um comovente cenário de fãs manifestando um sentimento incomum aos meus olhos de londrino amador. E assim fluiu aquele dia na cidade de Elizabeth, a minha rainha predileta.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A VAZA JATO É UM ABALO NA EXTREMA DIREITA: SÓ SE DERROTA O AUTORITARISMO DESNUDANDO SUAS ENTRANHAS. A VAZA JATO TEM TRAZIDO à tona a falta de ética e a parcialidade presentes na mais importante operação anticorrupção da história do Brasil. Não é novidade para ninguém que conchavos e relações corruptas institucionais atravessam o sistema político e legal brasileiro. O que surpreende, contudo, é até onde uma parte da população e da sociedade civil está disposta a compactuar com a imoralidade. Como disse recentemente o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro em seu Twitter, é a tragédia da verdade: “ainda que eles não possam impedir que a verdade seja revelada, eles podem fazer com que ela tenha pouca ou nenhuma consequência”.

Fernandes

Gleen Greenwald: Herói Nacional. O Brasil está do seu lado por revelar a verdade.



25/06


2019

Deputado quer serviço médico especializado para idosos

O deputado federal Ossesio Silva (PRB-PE) registrou o Projeto de Lei 3606/2019, que altera o Estatuto do Idoso para garantir o funcionamento de pelo menos um serviço especializado de atenção à saúde da pessoa idosa em cada estado.

“Vamos cuidar melhor das pessoas da terceira idade e valorizá-las. Precisamos de um serviço médico melhor para atender a esse público”, afirma o parlamentar.

O Estatuto da Pessoa Idosa foi um significativo avanço na proteção dos direitos dos brasileiros que tem 60 anos de idade ou mais. Sendo assim, este projeto pretende determinar que cada estado tenha o serviço especializado para atender a essa faixa etária com promoção, prevenção e assistência à saúde.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Hospital estava certo

Ao contrário do que noticiamos, a nota oficial do hospital de Gravatá informou que o paciente João Campos, conselheiro do TCE, vítima de infarto fulminante sábado passado, deu entrada na unidade de saúde às 11h48m e não 23h48. Abaixo a nota.

Nota oficial

O paciente João Henrique Carneiro Campos, 49 anos, deu entrada às 11h48 deste sábado (22), no Hospital Municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa com quadro de parada cardiorrespiratória.

De acordo com a direção do hospital, o paciente foi  direcionado de imediato para a sala vermelha, sendo atendido pela equipe de médicos plantonistas da unidade e recebendo toda a assistência necessária. O paciente constatou óbito às 12h28.

A Secretaria Municipal de Saúde de Gravata lamenta o ocorrido  e solidariza com a família.

Hospital Municipal Doutor Paulo da Veiga Pessoa


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Barroso suspende MP das terras indígenas

O ministro Luís Roberto Barroso acaba de suspender os efeitos da medida provisória 886 naquilo que trata da transferência da responsabilidade sobre a demarcação de terras indígenas para o Ministério da Agricultura. Com isso, a Fundação Nacional do Índio (Funai) volta a decidir sobre demarcações.

A MP 886 foi editada pelo presidente da República na quarta-feira (19). Bolsonaro havia anulado decisão do Congresso, que no final de maio transferiu da pasta da Agricultura para a Funai o poder de decisão sobre terras indígenas durante a votação da MP 870, da reforma administrativa do governo. Clique aqui e confira a matéria do jornalista Tales Faria na íntegra.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Gravatá: 60 mil pessoas curtem encerramento do São João

Após dois finais de semana com apresentações em três polos culturais, o São João de Gravatá 2019 encerrou, ontem, com os shows de Forró do Loirão, Banda Pinga Fogo e Leonardo. O sucesso do evento consagra mais uma vez o município como um dos mais procurados destinos no período junino e que se destaca pela organização, segurança e atrações de peso.

Nesta véspera de São João, a Polícia Militar contabilizou uma média de 60 mil pessoas e registrou novamente uma noite de tranquilidade para quem foi curtir a festa no Pátio de Eventos Chucre Mussa Zarzar.

"A cidade recebeu muito visitante. O reflexo disso está na superlotação da rede hoteleira, no aumento do faturamento da rede gastronômica e em vários outros setores da economia. Foi uma festa preparada com muito carinho, pensada por meses. Discutimos cada detalhe ao lado de uma equipe de profissionais, aos quais eu só tenho o que agradecer pela parceria. Parabenizo a todos os envolvidos pelo trabalho realizado," destacou o Prefeito Joaquim Neto.

O prefeito subiu ainda ao palco no final do evento e agradeceu de forma especial a todos os presentes. Ao lado da primeira-dama, Fátima Felix, o gestor presenteou o cantor Leonardo com uma escultura do Divino Espírito Santo, uma das peças de maior sucesso de vendas do Polo Moveleiro da cidade.

"Fico feliz demais em ter a sorte de ter passado minhas vésperas de São João nesta terra que é abençoada por Deus. O prefeito é meu amigo e eu sei o quanto ele é merecedor do sucesso de mais um grande evento como esse. Se for da vontade de Deus e do público de Gravatá, espero ano que vem estar aqui novamente para fazer mais um showzaço," afirmou Leonardo.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Bolsonaro põe reeleição em marcha

Jair Bolsonaro enquadrou os generais e colocou em marcha seu projeto de reeleição, sem Hamilton Mourão a tiracolo e demarcando o território em relação a potenciais adversários, como João Doria Jr. Esta é a conclusão de Eliane Cantanhêde em sua coluna desta quarta-feira no Estadão.

“Câmara e Senado trabalham a pleno vapor, como, justiça seja feita, algumas áreas técnicas do governo. Enquanto isso, o presidente está no palanque, com criancinhas no colo, fazendo flexões, envolto por multidões e metido em camisas do Flamengo. Se a economia se recuperar, pode até dar certo. Se não, parece pouco para garantir a reeleição”, escreve.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/06


2019

Desarmamento deu chabu

O Estatuto do Desarmamento deu chabu e a bandidagem continua cada dia mais armada no Brazil, afirma o bicho-grilo Adalbertovsky.“Sob inspiração da Madre Superiora, em referendo popular em 23 outubro 2005, como parte do Estatuto do Desarmamento de 2003, 59.109.265 pessoas de coração generoso disseram “sim” e uma dizima periódica de 33.333.045 pessoas malvadas foram contra a venda de paus de fogo e munição em todo o País”.

“Os brasileiros bem intencionados devolveram revólveres, metralhadoras, pistolas, espingardas de dois canos, de três canos, tanques de guerra, canhões. Eu mesmo devolvi minha garrucha de estimação do tempo em que lutei nas volantes contra o bando do cangaceiro Lampião. Naqueles idos, cortei muitas cabeças de cangaceiros com meu facão. Também lutei na guerra do Paraguay e ajudei a dizimar o Exército de Solano Lopes. Eu era malvado”.

“Entonces eu pergunto: de 2005 até hoje, pra quer serviu o Estatuto do Desarmamento? Para morrer mais gente de morte matada?! Desde então, na base de 60 mil mortes violentas por ano, mais de 900 mil almas verde-amarelas foram para o Além. Se o freguês quiser comprar metralhadora, revólveres, bombinhas atômicas de São João dos Carneirinhos, remédios para perebas e outros mangaios, basta dar um pulo na Feirinha de Peixinhos do Paraguay, é tiro e queda. A Feirinha de Peixinhos só não vende peixinhos”.

“De minha parte, não tenho armas nem pretendo ter, mas defendo o direito de quem quiser possuir o seu pau de fogo. Eu sou um pacifista-belicista”. “Se vis pacem, para bellum”, se queres a paz, prepara-te para a guerra, diz o provérbio em latim. É o princípio dissuasório. Assim acontece nas sociedades democráticas do mundo. A cantoria do bicho-grilo Adalbertovsky está postada no Menu Opinião.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A VAZA JATO É UM ABALO NA EXTREMA DIREITA: SÓ SE DERROTA O AUTORITARISMO DESNUDANDO SUAS ENTRANHAS. A VAZA JATO TEM TRAZIDO à tona a falta de ética e a parcialidade presentes na mais importante operação anticorrupção da história do Brasil. Não é novidade para ninguém que conchavos e relações corruptas institucionais atravessam o sistema político e legal brasileiro. O que surpreende, contudo, é até onde uma parte da população e da sociedade civil está disposta a compactuar com a imoralidade. Como disse recentemente o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro em seu Twitter, é a tragédia da verdade: “ainda que eles não possam impedir que a verdade seja revelada, eles podem fazer com que ela tenha pouca ou nenhuma consequência”.

Fernandes

Gleen Greenwald: Herói Nacional. O Brasil está do seu lado por revelar a verdade.

Wellington Antunes

Quem escreve sem conhecimento de causa termina se expondo ao ridiculo de escrever asneiras. Dá só uma olhadinha nas estatísticas, não custa nada


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores