Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

27/12


2018

Marcelo Canuto na Cultura e João Suassuna na Fundarpe

EXCLUSIVO

Por Arthur Cunha – especial para o blog

O governador Paulo Câmara deve designar para a Secretaria de Cultura um ex-titular da pasta: Marcelo Canuto, que atualmente está como secretário executivo da Casa Civil. Para a Fundarpe, o nome deve ser o do advogado João Suassuna, que foi secretário executivo de Juventude na atual gestão – ele também concorreu à Alepe em 2018.

Os dois quadros do PSB são pessoas do diálogo, com experiência em gestão pública e trânsito no segmento da Cultura – João, por sinal, tem uma ligação histórica com a área porque é neto do escritor Ariano Suassuna. Escolhas acertadas, vão ajudar o governador. 

Atualmente no comando da Secult, o PCdoB será remanejado para outra secretaria no primeiro escalão. Ex-secretário da pasta, Marcelino Granja se envolveu em uma polêmica no FIG, quando a gestão dele vetou a realização de uma peça onde Jesus foi retratado como travesti. Granja deixou o cargo pouco tempo depois, mas o PCdoB foi mantido.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

O Jornal do Poder

Confira os últimos posts



25/01


2021

Estados pedem auxílio emergencial ao Congresso

Secretários da Fazenda de 18 estados brasileiros enviaram carta ao Congresso Nacional em que defendem a prorrogação do pagamento do auxílio emergencial no Brasil. Este benefício foi suspenso em 31 de dezembro. As informações são do Blog do Riella.

Os secretários pedem também a prorrogação do estado de calamidade pública e do orçamento de guerra por seis meses. Querem ainda a suspensão do pagamento de precatórios, além da manutenção da suspensão dos pagamentos de amortização e juros à União.

Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul (além do DF) não referendaram esta carta. A Câmara dos Deputados e o Senado elegem suas novas Mesas no início da próxima semana, quando retomam os trabalhos legislativos.

O documento ao Congresso é assinado por: Piauí, Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Abreu no Zap

25/01


2021

João manteve no cargo sobrinha de Sileno investigada pela PF

EXCLUSIVO

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), assinou portaria mantendo na equipe da Secretaria de Saúde do Recife a assessora comissionada Mariah Bravo, sobrinha do presidente estadual do PSB, Sileno Guedes. A recondução de Mariah foi publicada discretamente no Diário Oficial de sábado (23). 

Mariah foi alvo de mandados de busca e apreensão em operações da Polícia Federal sobre gastos da covid-19 em 2020. Ainda, foi apontada como suposta responsável por irregularidades em relatórios dos auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Na terceira fase da Operação Apneia, a Polícia Federal pediu a prisão de Mariah, mas a mesma foi negada pela Justiça Federal. 

A Polícia Federal solicitou, em julho de 2020, as prisões do secretário de saúde, Jailson Correia; do diretor financeiro da Secretaria de Saúde do Recife, Felipe Bitencourt, e da fiscal de contrato da Secretaria de Saúde, Mariah Bravo. 

"Mariah, junto com Felipe, autorizou a contratação de empresa para fornecimento dos respiradores, apesar dela não cumprir requisitos da dispensa da licitação, e atestou o recebimento de 50 respiradores, sendo que o total entregue foi de 35", disse o delegado federal Daniel Silvestre, em coletiva, na época.

O prefeito João Campos a manteve como "gerente de conservação da rede" da Secretaria de Saúde do Recife, mesa pasta em que Mariah trabalhava em 2020, na qual foi alvo de investigações da Polícia Federal.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/01


2021

De volta ao meu aconchego Brasília

Arrumando a mala para embarcar rumo à Brasília. Vou cobrir a eleição das mesas diretoras da Câmara e do Senado, dia 1, o que vem movimentando intensamente os bastidores do Congresso, que perderam muito a graça depois a pandemia do coronavírus.

Praticamente, foi um ano perdido em votações presenciais. Morei 15 anos em Brasília. Na verdade, nunca deixei a cidade. Minha rotina de trabalho, antes da pandemia, era a ponte aérea Recife-Brasília. Confesso que estou morrendo de saudade, do burburinho político e dos meus amigos.

Catia Kubel, ex-Caras, colega de grandes coberturas de Congresso, disse ontem que vai movimentar um jantar na casa dela com alguns jornalistas em nome da nossa amizade. Luiz Queiroz, que me sucedeu na sucursal do Diário de Pernambuco, também já marcou um café para colocarmos a conversa em dia.

Não posso deixar também de promover a confra dos amigos do blog em Brasília, sob a coordenação do embaixador Aristeu Plácido Júnior. Desde março também não vejo a boa turma candanga para jogar conversa fora, como faço na confra do Recife às sextas-feiras.

Brasília é meu terceiro ventre materno, berço que divide meu coração com Recife e Afogados da Ingazeira. Tão logo conclui meu curso de Jornalismo no Recife em 84 peguei o avião e fui morar em Brasília. Trabalhei inicialmente de free no Globo, depois fui para o Correio Braziliense, em seguida Jornal de Brasília, Agência Globo e Agência Meridional. Abri a sucursal do DP e fui eleito presidente da Câmara dos Deputados.

Casei pela primeira vez com uma jornalista de Brasília, Cleyde Amorim, ex-TV Globo, hoje morando nos Estados Unidos, onde também reside minha segunda ex, a também jornalista Regina Beltrão, mãe dos meus filhos Felipe e André Gustavo. Felipe, meu primogênito, nasceu em Brasília.

Vivi fases inesquecíveis em Brasília. Momentos históricos da vida nacional, como as diretas já, a eleição de Tancredo, a agonia e morte dele no hospital de Base. Cobri a primeira eleição direta para presidente, o clássico Lula X Collor, a Constituinte, o Governo Sarney, o impeachment de Collor e depois o de Dilma. Assisti o Congresso ser invadido e quebrado pelos sem teto e sem terra.

Cobri o Congresso num tempo que dava gosto ouvir discursos. Gente que tinha o que dizer nos prendia a atenção pela eloquência: Pedro Simon, Ujysses Guimarães, Fernando Lyra, Cristina Tavares, Afonso Arinos, Lula, então líder do PT, Mário Covas, Ciro Gomes, Antônio Carlos Magalhães, Sarney e tantos outros.

Saudade cívica!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


25/01


2021

CEO da Eletrobras renuncia ao cargo

A Eletrobras (ELET3) anunciou, ontem, que o presidente da companhia e membro do Conselho de Administração, Wilson Ferreira Junior, decidiu renunciar ao cargo. Em fato relevante, a estatal afirma que a decisão foi tomada "por motivos pessoais" e que o executivo permanecerá no cargo até o dia 5 de março.

Por conta disso, foi agendada uma teleconferência com os todos investidores de empresa nesta segunda-feira (25), às 15h. Ferreira Junior, que assumiu a empresa em junho de 2016, era grande defensor da privatização da companhia, movimento prometido pelo presidente Jair Bolsonaro, mas que já foi atrasado diversas vezes.

"Sob sua gestão, a Companhia atingiu lucros históricos, reduziu sua alavancagem a patamares compatíveis com a geração de caixa, reduziu custos operacionais com privatizações de distribuidoras e programas de eficiência, colocou em operação obras atrasadas", diz a nota.

"Simplificou a quantidade departicipações acionárias, com a venda, incorporação e encerramento em cerca de 90 sociedades de propósito específico, aprimorou seu Programa de Compliance, padronizou estatutos sociais e alçadas de aprovação das Empresas Eletrobras e resolveu contenciosos importantes nos Estados Unidos decorrentes de reflexos da Operação Lava Jato, dentre outras realizações relevantes”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Banco de Alimentos

25/01


2021

Barrabás era ladrão de oxigênio

O bicho-grillo Adalbertovsky faz uma revelação histórica bombástica em seu sermão nas montanhas da Jaqueira: “Barrabás era ladrão de oxigênio nos Estados  amazônicos da Galileia e da Judéia. As pessoas começaram a morrer por falta oxigênio no Estado do Amazonas quando ladrões do serviço público e empresários ladrões começaram a superfaturar o preço de respiradores artificiais. Os ladrões roubam oxigênio, hidrogênio, nitrogênio, gazes, esparadrapos, band-aids, seringas, roubam a atmosfera, o solo e até o subsolo de nosso planeta”.

“O roubo se converte em mortes. Os bandidos que roubaram balões de oxigênio hoje respiram o oxigênio da natureza com ajuda dos aparelhos garantistas da impunidade. Roubar oxigênio somente pode ser considerado crime na undécima instância”.

“Quem é inocente, Cristo ou Barrabás?” Perguntou o juiz do Estado amazônico da Galileia, Pôncio Pilatos? A galera gritou: “Barrabás, Barrabás! Solta Barrabás!” Havia inscrições “Barrabás livre!” em camisetas, bonés e bandeiras, nas ruas e nas praças. “Lavo minhas mãos com creolina e álcool gel”, disse o doutor Pôncio Pilatos na hora de conceder habeas-corpus ao desgraçado”.

“A universidade federal da Galiléia era infestada de ativistas pró-Barrabás livre. E também a Rede Galinácea da Galiléia, onde era exibido o programa de surubas Big Brother Barrabás – BBB. Ao participar do programa, em sendo sexualmente correto, Barrabás transou com todos os gêneros, monofásicos, binários e polifásicos da casa, venceu o paredão e conquistou o premio de 1 milhão de denários. Virou celebridade no reino de Pindorama”.

“Quem não conhece Lolita não conhece esta cidade lendária Recife. Quem não conhece Barrabás não conhece o reino verde-amarelo de Pindorama. Lolita vive, Elvis vive, Barrabás vive no reino de Pindorama. *Dedico esta crônica ao meu amigo o procurador federal Ricardo Queiroz, um dos pesquisadores mais argutos das Repúblicas da Jaqueira e de Pindorama”. O sermão invocado do bicho-grilo Adalbertovsky está postado no menu Opinião.   


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/01


2021

Serra Talhada, novo boom do Sertão

Na coluna deste blog, postada à meia noite, destaco Serra Talhada, a 415 km do Recife, como novo eldorado do semiárido nordestino, a cidade que mais cresce no Sertão. Segundo PIB do Sertão e décimo oitavo do Estado, a capital do xaxado deixou de ser conhecida apenas como a pátria de Lampião.

Sua nova faceta inclui aeroporto, com voos diários para o Recife, duas grandes redes de supermercados e um moderno shopping. É também o quarto polo médico de Pernambuco e virou um grande centro universitário, com oito instituições de ensino superior. Nos últimos oito anos, com o petista Luciano Duque pilotando a Prefeitura, atraiu R$ 200 milhões de investimentos e em breve sua rede hoteleira será reforçada com uma unidade do Ibis, maquete que ilustra esta postagem.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jornao O Poder

24/01


2021

Sindirepa-PE atua para fortalecer setor automotivo

Fundado há 31 anos, o Sindicato da Indústria da Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de Pernambuco está desenvolvendo iniciativas que ajudem seus associados neste momento difícil em razão da pandemia. A instituição tem como sede a Casa da Indústria, na Avenida Cruz Cabugá, 767, Santo Amaro, área central do Recife.

Pedro Paulo de Medeiros Moraes é o presidente do Sindirepa-PE, que conta com 132 empresas associadas. De acordo com ele, o setor tem uma atuação robusta em Pernambuco. “2180 empresas se declaram com CNAE da reparação automotiva em nosso Estado, mas este número pode ser bem maior, se considerarmos MEIs e as empresas não legalizadas”, analisa.

Uma das ações implantadas é o projeto “Oficina Legal”, feito em parceria com o Sebrae, que busca desenvolver a cultura da gestão da qualidade, inovação e regulamentação do setor da reparação automotiva - formado pelas oficinas mecânicas, funilaria e pintura, retíficas, convertedores de GNV e autocentros. Em dezembro de 2020, o Sindirepa-PE firmou a renovação do convênio com o Sebrae, em uma reunião na sede da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), onde está situada a Casa da Indústria.

“É um projeto exitoso, que visa profissionalizar, modernizar e capacitar os empresários, gestores e colaboradores das oficinas, retificas e autocentros. Estamos fazendo uma transformação na rede de serviços, trazendo qualificação e melhoria para todas as oficinais filiadas, com certificação das empresas e dos trabalhadores”, conta Pedro Paulo Moraes.

Além do “Oficina Legal”, há o projeto “Oficina Legal Avançado”, com foco em áreas diversas: tributárias, fiscal, logística, marketing, gestão financeira, ambiental e operacional. Ainda de acordo com o presidente do Sindirepa-PE, existe uma movimentação na aquisição de novos equipamentos, contribuindo para a modernização do setor.

“Alguns deles já estão no Recife, como um que faz o diagnóstico de suspensão, facilitando a vida das oficinas e dando mais segurança para os condutores”, revela.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/01


2021

Comércio entre Brasil e EUA é o pior em 11 anos

Do G1

Nem aproximação do governo de Jair Bolsonaro com o ex-presidente americano Donald Trump impediu uma queda expressiva do comércio entre Brasil e Estados Unidos em 2020, em meio à pandemia do coronavírus.

Levantamento da Amcham Brasil com base nos dados do Ministério da Economia dá conta de que o intercâmbio comercial entre os países teve o pior resultado em 11 anos, desde o desenrolar da crise do subprime.

Além de uma pauta comercial baseada em produtos mais trabalhados, as barreiras tarifárias impostas por Trump, que não puderam ser revertidas, prejudicaram a indústria brasileira, segundo a entidade.

De acordo com dados oficiais, a corrente de comércio em 2020 — soma entre exportações e importações — foi de US$ 45,6 bilhões, redução de 23,8% em relação a 2019. Foram vendidos US$ 21,5 bilhões (-27,8%), enquanto as compras somaram US$ 24,1 bilhões (-19,8%). Houve, portanto, déficit de US$ 2,6 bilhões.

O resultado destoa da média da balança comercial brasileira. A somatória das movimentações foi de US$ 368,847 bilhões em 2020 contra US$ 401,4 bilhões em 2019, uma redução de 9%.

O Brasil exportou US$ 209,9 bilhões e importou US$ 158,9 bilhões, quedas de 6,1% e 9,7%, respectivamente. No agregado, houve superávit de US$ 50,9 bilhões.

"O setor siderúrgico foi muito afetado. Há restrições em vigor desde 2018, que tiveram efeito nos dois anos passados, mas foram ainda mais negativas em 2020", afirma Abrão Neto, vice-presidente executivo da Amcham Brasil.

A matéria completa está disponível no G1.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Quando a gente pensava que o Bozo já fez merda demais, que coisas piores não mais poderiam vir, aparece mais essa: \"Comércio entre Brasil e EUA é o pior em 11 anos.\" De quê adiantou ficar de quatro para os EUA? De quê adiantou o Bozo ficar lambendo as botas de Trump ? Agora com Biden a coisa vai ser disso pra pior, ou o Bozo entra nos eixos na política ambiental, ou teremos problemas mais sérios ainda. Bozo incompetente adota uma política diplomática suicida com um Ministro Chefe das Relações Exteriores terraplanista, um acéfalo e sem noção que só sabe agredir e adotar uma política externa destrutiva. É muita desgraça e incompetência que esse governo Bozo promove. Meu voto essa mizéra não teve.



24/01


2021

Pazuello viaja a Manaus sem data para voltar

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, viajou na noite de ontem para Manaus. De acordo com o ministério, Pazuello "não tem voo de volta" e ficará na cidade "o tempo que for necessário". A viagem ocorreu horas após o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito justamente para apurar a postura do ministro durante a crise de saúde no Amazonas, que sofre com a falta de oxigênio hospitalar. As informações são de O Globo.

Pazuello chegou a Manaus por volta de 23h30, junto com um lote de 135,5 mil doses da vacina da Universidade de Oxford e da AstraZeneca. Segundo o Ministério da Saúde, Pazuello "vai comandar de perto as ações emergenciais de combate à Covid-19, ao lado da equipe do Ministério da Saúde que já trabalha para apoiar a população do amazonense".

Neste domingo, seis carretas transportando oxigência chegaram a Manaus para atender o colapso na rede de saúde da cidade. A operação foi coordenada pelo governo federal por meio do Ministério da Infraestrutura. De acordo com um comunicado do Ministério da Saúde, no entanto, os 160 mil metros cúbicos do insumo não resolvem o problema.

"A chegada dos 160.000m³ alivia, mas não resolve em definitivo o problema do abastecimento da rede hospitalar. É necessário conter os níveis de contágio por Covid-19, reduzindo as internações para que o consumo possa ir, gradativamente, voltando aos níveis anteriores. A equipe da pasta, instalada em Manaus, está atuando neste sentido, como apoio ao governo do Estado", disse a nota.

A previsão era de que sete carretas chegassem à capital na tarde deste domingo, mas um dos veículos " sofreu danos durante o caminho" e só chegara à noite.

O ministro esteve em Manaus no dia 11 de janeiro. Três dias depois, o sistema de saúde da cidade entrou em colapso, com diversas pessoas morrendo por falta de oxigênio. O governo federal já havia sido avisado sobre o "iminente colapso" dias antes da chegada do ministro à cidade.

No sábado, Augusto Aras encaminhou ao STF um pedido de abertura de inquérito contra Pazuello, feito a partir de representações de partidos políticos, que relataram omissão do ministro e de sua equipe.

A partir das representações, Aras já havia instaurado no último domingo uma apuração preliminar e pediu esclarecimentos ao Ministério da Saúde. Depois de analisar as informações, apresentadas em ofício de quase 200 páginas, e levando em conta a calamidade em Manaus, Aras considerou necessária a abertura de inquérito para investigar os fatos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

Esse aí não adianta correr e nem se esconder embaixo da cama Vai se ferrar, o Bozo jogou nas costas dele toda a responsabilidade, muy amigo esse Bozo.



24/01


2021

Poeta Genésio Cavalcanti morre de Covid-19

O poeta, escritor e empresário pernambucano Genésio Cavalcanti morreu, hoje, por complicações da Covid-19. A informação foi divulgada pelo Portal PE10.

De Palmares, Genésio estava internado há alguns dias no Hospital Regional de Palmares (HRP). De acordo com o boletim médico, durante a internação, seu estado de saúde teria se agravado e ele precisou ficar na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

No sábado, ainda segundo o boletim, seu estado de saúde era estável com “pressão arterial normal, função renal normal. Porém, sedado, entubado e sob ventilação mecânica total. Sem febre ou outras anormalidades”.

Neste domingo (24), o quadro teria se agravado e o empresário acabou não resistindo. Genésio é autor de várias obras como Noites Ensolaradas, Poéticas de Amor, Alma de Poeta e Tempo de Amar. Ele também era integrante da Academia Palmarense de Letra (APLE) e empresário.

Nas redes sociais amigos e familiares desejavam melhoras ao artista e realizavam orações pela recuperação. Genésio Cavalcanti deixa esposa e dois filhos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores