FMO - Previnir é a melhor forma de lutar

31/08


2018

Marina se impôs no Jornal Nacional

Helena Chagas - Blog Os Divergentes

A sorte ajudou ao deixá-la na posição de última entrevistada da semana, e é inegável que, no seu caso, a artilharia reunida pelo Jornal Nacional é menor do que em relação aos demais candidatos. Marina Silva parece ter sido a presidenciável que saiu com menos arranhões da primeira rodada inquisitória do JN em 2018. Se alguém ganhou votos na entrevista, o que é raro, deve ter sido a candidata da Rede, que, com toda a sua fragilidade física, conseguiu em diversos momentos levantar a voz e se impor a William Bonner e Renata Vasconcelos.

Não cronometrei, mas apostaria que, dos quatro entrevistados, terá sido Marina que conseguiu manter Bonner e Renata calados por mais tempo, ouvindo suas respostas -uma tarefa para lá de difícil. Deu boas cortadas às réplicas dos entrevistadores, que acabaram sendo enfadonhas. Mais de cinco minutos, por exemplo, foram gastos em argumemtos sobre os problemas de organização da Rede.

Ficou até meio patética a tentativa de grudar em Marina a pecha de falta de liderança por causa das dificuldades do partido e de falta de firmeza em relação a reformas como a da Previdência. Bonner e Renata não se conformavam com o fato de a candidata ter dito que pretende debater pontos da reforma como a idade mínima para aposentadoria. Já não foi muito debatido? – indagaram.

Não, respondeu ela, completando que o atual governo ouviu só um lado e mandou a proposta que quis ao Congresso – e que talvez estejamos acostumados a receber pacotes prontos, em vez de debater, como se deve fazer em qualquer democracia.

Marina nadou de braçada também quando indagada sobre a suposta demora em licenciamentos ambientais quando era ministra do governo Lula, enumerando as liberações feitas e queixando-se de que, nesse caso, muita gente fala sem entender do assunto – claro, com a educada ressalva de que “este não é o seu caso, Bonner”.

A candidata passou firmeza e se impôs. Mas o público, como ocorreu nas outras entrevistas do JN, ficou grande parte do tempo assistindo a perguntas, respostas, réplicas e tréplicas sore temas secundários e periféricos. Saúde, educação, ajuste fiscal e outras questões cruciais para o país neste momento continuaram de fora.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Problemas sexuais fazem homens sexualmente insatisfeito a apoiar Bolsonaro.A insatisfação sexual ou a sexualidade reprimida fazem com que homens acabem adotando comportamento machistas e venerando comportamento de outros machistas É um tipo de compensação . O homem não consegue se satisfazer sexualmente e acaba buscando no machismo e em figuras machistas uma forma de se afirmar como macho já que não consegue exercer esse papel corretamente em sua intimidade.

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Helena, comunista de carteirinha e mulher do terrorista Franklin Martins que foi ministro do desgoverno do Lula ladrão. Como sabe que o candidato do PT não vai sequer ficar em terceiro lugar, quer valorizar a Marina santa do pau oco que é petista disfarçada. Pior, mesmo tendo sido defenestrada do governo pelo Lula ladrão, ainda vive a cortejar essa corja. Não adianta esses blogs petralhas defender comunistas que nossa Bandeira nunca será vermelha. Bolsonaro neles.


Jaboatão - Mutirão de Vacinação

Confira os últimos posts



24/10


2021

Raquel lidera com Geraldo e Miguel em segundo

A menos de um ano das eleições 2022, a pré-candidata do PSDB ao Governo de Pernambuco, Raquel Lyra, aparece na dianteira com 19,9% das intenções de voto, segundo pesquisa do Instituto Opinião em parceria exclusiva com este Blog. Em segundo lugar, num cenário de empate técnico, despontam o pré-candidato do PSB, Geraldo Julio, com 14,4%, e igualmente pré-candidato do União Brasil, Miguel Coelho, com 12,4%.

Prefeito de Jaboatão e pré-candidato do PSL, Anderson Ferreira vem em seguida com 8,7% e Gilson Machado Neto (sem partido), provável candidato apoiado pelo presidente Bolsonaro no Estado, se situa em último lugar, com 1,7%. Brancos e nulos somam 20,2% e indecisos um pouco mais – 22,7%. Em relação ao levantamento anterior, em maio passado, Raquel e Miguel foram os que mais apresentaram crescimento.

A tucana estava com 9%, no cenário em que Marília Arraes (PT) liderava com 26,8%, subindo dez pontos percentuais. Já Miguel saiu de 5,6% para 12,4%, oscilação positiva de sete pontos percentuais. Geraldo Julio também melhorou sua performance, saindo de 6,7% para 14,4%, ganho de oito pontos percentuais. Já Anderson foi o que teve a menor variação positiva, saindo de 7,4% para 8,7%, abaixo da margem de erro, que é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Na nova pesquisa, quando o nome de Marília Arraes é posto, considerando um cenário quase que improvável, a candidatura do PT em faixa própria, a petista lidera com 23,1% e Raquel vem em segundo, com 15%. Na ordem seguinte, aparecem Geraldo com 9,9%, Miguel com 9,5%, Anderson com 7,7% e Gilson Machado com 1,2%. Brancos e nulos somam 16,7% e indecisos 16,9%.

No cenário em que o nome de Geraldo Júlio, do PSB, é substituído por Zé Neto, secretário da Casa Civil, Raquel Lyra permanece na liderança com 22,9% e Miguel Coelho é o segundo, com 13,6%. Anderson aparece com 10,4% e Gilson 2,3%. Brancos e nulos somam 24,5% e indecisos chegam a 24%. Já quando Zé Neto é substituído pelo ex-ministro José Múcio, Raquel lidera com 22,4%, Miguel se mantém em segundo com 13,3% e Anderson se mantém na casa dos 10%, desta feita com 10,2%, enquanto Gilson aparece com 2,3% e Zé Múcio com 5,3%. Brancos e nulos somam 23,1% e indecisos 23,4%.

Por fim, no cenário em que Fernandha Batista seria a candidata do PSB, Raquel se mantém à frente com 23,4% e Miguel em segundo, com 13,9%. Anderson aparece com 10,6%, Gilson 2,7% e a própria Fernandha se situa apenas com 0,7%. Brancos e nulos somam 23,7% e indecisos 25%.

No capítulo rejeição, Geraldo Julio é o que detém a maior taxa. Entre os que foram entrevistados, 14,9% disseram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido por Anderson Ferreira, com 7,1%, Raquel Lyra, com 6,6%, Miguel Coelho, com 6% e Gilson, o menos rejeitado, com 4,4%. Entre os entrevistados ainda, 18,5% disseram que rejeitam todos e 42,5% disseram que não rejeitam nenhum dos nomes apresentados na cartela.

A pesquisa foi a campo entre os dias 16 a 20 de outubro, sendo aplicados dois mil questionários em 80 munícipios do Estado. O intervalo de confiança estimado é de 95,5% e a margem de erro máxima estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

ESTRATIFICAÇÃO

Raquel Lyra tem seus melhores percentuais de indicação de voto entre os eleitores com renda familiar a cima de cinco salários (25,4%), entre os eleitores com grau de instrução superior (22,3%) e entre os eleitores na faixa etária de 16 a 24 anos (21,8%). Por sexo, 20,3% dos seus eleitores são homens e 19,6% são mulheres.

Já Geraldo Julio aparece melhor situado entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos (17,6%), entre os eleitores com renda familiar até dois salários mínimos (15,1%) e entre os eleitores com grau de instrução no ensino médio (15,6%). Por sexo, 15,4% dos seus potenciais eleitores são homens e 13,6% são mulheres.

Miguel Coelho, por sua vez, tem melhores indicações de voto entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários (18,7%), entre os eleitores com grau de instrução no ensino médio (13,2%) e entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos (13,1%). Por sexo, 12,6% dos seus potenciais eleitores são mulheres e 12% são homens.

A pesquisa mostra ainda que Anderson Ferreira tem suas maiores taxas de indicação de voto entre os eleitores com grau de instrução superior (10,9%), entre os eleitores na faixa etária de 45 a 59 anos (9,9%) e entre os eleitores com renda familiar acima de cinco salários (9,7%). Por sexo, 9,1% dos potenciais eleitores dele são homens e 8,4% são mulheres.

Por fim, Gilson Machado tem suas melhores taxas de intenção de voto entre os eleitores na faixa etária de 35 a 44 anos (2,8%), entre os eleitores com grau de instrução até a 9ª série (2,3%) e entre os eleitores com renda familiar até dois salários (1,8%). Por sexo, 2,1% dos seus eleitores são homens e 1,3% são mulheres.

POR REGIÃO

À frente dos demais candidatos, Raquel Lyra tem seus maiores percentuais de intenção de voto justamente na região na qual é mais conhecida – o Agreste. Ali, 43,5% dos entrevistados disseram que votariam nela. Nas demais regiões, a tucana tem 16,4% das intenções de voto no Sertão geral, 15,1% na Zona da Mata, 10,4% na Região Metropolitana do Recife e 7,6% no Sertão do São Francisco.

Geraldo Júlio, por sua vez, aparece melhor onde também é mais conhecido, na RMR. Dos entrevistados no Grande Recife, 23,7% disseram que votariam nele. Nas demais regiões, sua pontuação foi a seguinte: Zona da Mata (15,8%), Agreste (5,4%), Sertão geral (5,8%) e Sertão do São Francisco (1,5%).

A mesma lógica de Raquel e Geraldo se aplica na pesquisa a Miguel Coelho. Oriundo do Sertão do São Francisco, região em que se localiza Petrolina, município que governa, ali ele tem nada menos do que 82,6% das intenções de votos dos eleitores. Nas demais regiões, a situação dele é a seguinte: Sertão geral (31,9%), Agreste (4,4%), Zona da Mata (5%) e Região Metropolitana (3,5%).

Igualmente cenário foi identificado para Anderson Ferreira. Na Região Metropolitana, onde está Jaboatão, município que governa, tem sua maior taxa de indicação de eleitores que votariam nele – 17,4%. Nas demais regiões, seus percentuais são os seguintes: Zona da Mata (6%), Agreste (1,4%) e Sertão geral (1,3%). No Sertão do São Francisco, não pontuou (0%).

Por fim, Gilson Machado tem 1,8% das intenções de voto entre os eleitores da Região Metropolitana, 1,8% do Agreste, 1,7% da Zona da Mata, 1,3% do Sertão geral e 0,8% no Sertão do São Francisco. 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Abdias Felix

Êita Magno Martins, foi dada a largada para 2022


Cabo - Pavimentação e Drenagem

24/10


2021

Lula tem triplo de votos sobre Bolsonaro em PE

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O ex-presidente Lula (PT) segue tendo a preferência absoluta dos eleitores pernambucanos, segundo levantamento do Instituto Opinião para este Blog. No primeiro cenário, o petista chega a 51,6% das intenções de voto, bem à frente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que aparece em segundo, com 17,4%. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) é o terceiro, com 4,8%, seguido pelo apresentador José Luiz Datena (PSL), 2,5%, e o ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro – prestes a entrar no Podemos –, com 2,4%.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), tem 1% e o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) possui 0,7%. Brancos e nulos somam 12% e os que não sabem em quem votar são 7,6%. O segundo cenário traz o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, como o representante tucano, em substituição a Doria. Mandetta também sai de cena porque, quando a pesquisa foi a campo, Pacheco ainda estava no DEM.

Lula soma 51,1% das intenções, enquanto Bolsonaro tem 17,1%. Ciro vai a 4,9%, Datena possui 2,7% e Moro atinge 2,6%, com números semelhantes ao primeiro cenário. Eduardo Leite tem apenas 0,3% e Pacheco aparece com 0,2%. Brancos e nulos são 11,9% e os indecisos chegam a 9,2%. Em comparação à pesquisa anterior, publicada em maio, Lula (53,2%) e Bolsonaro (20%) oscilaram dentro da margem de erro, enquanto Ciro (4,8%) se manteve estável. Doria (1,5%) recuou 0,5%.

Na espontânea, quando o entrevistado diz em quem vai votar sem recorrer a uma lista, Lula foi citado por 39,2%, Bolsonaro por 15,3% e Ciro Gomes por 1,8%. Outros mencionados: Luciano Huck (0,3%), Sergio Moro (0,3%), Datena (0,2%), João Doria (0,2%), Cabo Daciolo, Guilherme Boulos e Mandetta (ambos com 0,1%). Neste cenário, os indecisos chegam a 32,2% e brancos e nulos somam 10,2%.

No quesito rejeição, o presidente Bolsonaro lidera com sobras: 51,5% dos eleitores disseram que não votarão nele de jeito nenhum. Lula vem na sequência, com 19,1% de rejeição. Completam a lista com índices menores: Moro (2,2%), Doria (2,1%), Ciro (1,9%), Datena (1,1%), Mandetta (0,6%), Rodrigo Pacheco (0,5%) e Eduardo Leite (0,3%). Entre os consultados, 9,7% disseram que rejeitam todos e 11% afirmaram não rejeitar nenhum dos candidatos.

A pesquisa foi feita entre os dias 16 e 20 de outubro, com a aplicação de dois mil questionários em 80 cidades de Pernambuco. O intervalo de confiança estimado é de 95,5% e a margem de erro máxima estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

ESTRATIFICAÇÃO

Quando ocorre a estratificação os três candidatos que mais pontuaram, o levantamento mostra que Lula tem o melhor desempenho entre o eleitorado com renda de até dois salários (57,5%), entre os que estudaram até o 9º ano (60,4%) e entre os eleitores dos 44 aos 59 anos de idade (55,7%). Por sexo, tem a preferência de 52,3% das mulheres e de 50,1% dos homens entrevistados

Já Bolsonaro vai bem entre os que possuem renda acima de dez salários (37,3%), entre os eleitores com grau de instrução ensino superior (25,7%) e entre os que estão na faixa etária dos 35 aos 44 anos (20,2%). Por sexo, 19,5% dos homens e 15% das mulheres disseram que votariam nele.

Ciro Gomes, por sua vez, se sai melhor entre os eleitores dos 16 aos 24 anos de idade (8%), entre os que possuem grau de instrução superior (7,2%) e entre os que têm renda entre cinco e dez salários (8,2%). Ele tem 5,6% dos homens e 4,3% das mulheres entre seus potenciais eleitores.

A região mais favorável para o ex-presidente Lula é o Sertão em geral (66,4%), seguido do São Francisco (62,1%), Zona da Mata (53,8%), Agreste (52,8%) e Região Metropolitana do Recife (43,7%). Bolsonaro aparece melhor no Grande Recife (20,2%), Agreste (18,8%) e Zona da Mata (14,4%), além do São Francisco (11,4%) e do Sertão (8,4%). Por fim, Ciro tem 9,3% no Sertão geral, 9,1% no São Francisco, 4,6% no Agreste, 4,4% na RMR e 1,7% na Zona da Mata.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina setembro 2

24/10


2021

Armando lidera corrida para o Senado

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

A nova pesquisa do Instituto Opinião (PB) feita com exclusividade para este Blog aponta que o ex-ministro Armando Monteiro Neto (PSDB) lidera com folga a corrida eleitoral para o Senado, com 23,1%. Os demais pré-candidatos aparecem tecnicamente empatados.

O deputado federal André de Paula (PSD) surge com 7,1%, seguido pelo colega de Câmara Silvio Costa Filho (Republicanos), que tem 6,8%. O deputado Eduardo da Fonte (PP) é o quarto, com 4,8%, e o jornalista Magno Martins (sem partido) tem 3,2%. Brancos e nulos somam 26,9% e os indecisos chegam a 28,1%. Dos nomes estimulados nesta consulta, apenas Armando (14,8%) e Da Fonte (1,7%) haviam aparecido no levantamento anterior, em maio deste ano.

Já na pesquisa espontânea, modelo em que o entrevistado precisa lembrar o nome do candidato de preferência sem o auxílio da lista, 20 nomes foram mencionados. Armando Monteiro foi o mais citado (2,5%), acompanhado por Humberto Costa (1%), André de Paula (0,9%), Dudu da Fonte (0,6%), Fernando Bezerra Coelho (0,6%), Silvio Costa Filho (0,4%), Anderson Ferreira (0,3%) e Miguel Coelho (0,3%).

A lista segue: Geraldo Julio (0,2%), Gilson Machado Neto (0,2%), Jarbas (0,2%), Marília Arraes (0,2%), Paulo Câmara (0,2%); Albanise, Clarissa Tércio, Mendonça Filho, Fernandha Batista, João Campos, Liana Cirne e Renildo Calheiros (ambos com 0,1%). Neste cenário, os indecisos saltam para 78,2% e brancos e nulos vão a 13,5%.

Quando o eleitorado é perguntado em quem não votaria para senador, Armando Monteiro também surge em primeiro: 10,8% dos entrevistados afirmaram que não votariam nele, enquanto 8,3% rejeitam Silvio Costa Filho, seguido por Eduardo da Fonte (7,5%), André de Paula (5,1%) e Magno Martins (2,7%). Dos consultados, 24,2% disseram rejeitar todos e 41,4% declararam não rejeitar nenhum dos nomes estimulados.  

SOBRE A PESQUISA

O levantamento foi a campo entre os dias 16 e 20 de outubro e aplicou 2 mil questionários em 80 municípios pernambucanos. O intervalo de confiança estimado é de 95,5% e a margem de erro máxima estimada é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

A modalidade de pesquisa adotada envolveu a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram realizadas entrevistas pessoais e domiciliares.

ESTRATIFICAÇÃO

Armando Monteiro chega aos melhores índices entre os eleitores com renda familiar entre dois e cinco salários (25,5%), entre os eleitores com ensino médio (24,1%) e entre os idosos (27,1%). Por sexo, 24,1% dos homens o apoiam, enquanto 22,3% das mulheres votam nele

André de Paula, por sua vez, tem os maiores percentuais entre os que possuem renda familiar de dois a cinco salários (8,4%), entre os eleitores com grau de instrução superior (7,2%) e entre os eleitores na faixa etária dos 16 aos 24 anos (9%). Ele tem a preferência de 7,7% das mulheres e de 6,3% dos homens

Já Silvio Filho atinge os melhores indicadores entre os que estudaram até o ensino fundamental (7,2%), entre os eleitores com renda familiar de até dois salários (7,5%) e entre os eleitores com faixa etária dos 16 aos 24 anos (9%). Por sexo, 7% dos seus potenciais eleitores são homens e 6,5% são mulheres.

Ainda segundo a pesquisa, Eduardo da Fonte alcança os maiores índices entre os eleitores com faixa etária dos 16 aos 24 anos (6,2%), entre os que estudaram até o 9º ano (5,6%) e os que possuem renda de dois a cinco salários (6%). Dos consultados, 5,3% dos homens e 4,4% das mulheres declararam voto nele.

O jornalista Magno Martins tem melhor desempenho entre os eleitores que concluíram o ensino superior (5,2%), entre os que possuem renda familiar acima de dez salários (6,7%) e entre os que estão na faixa etária dos 35 aos 44 anos (4,2%). Por sexo, tem a preferência de 4,4% dos homens e de 2% das mulheres.

POR REGIÃO

Na liderança absoluta na projeção para o Senado, Armando Monteiro tem maior densidade no Sertão do São Francisco (34,8%) e no Sertão em geral (32,3%), seguido do Agreste (25,2%), Região Metropolitana do Recife (19,6%) e Zona da Mata (17,1%). Já André de Paula se apresenta melhor na Zona da Mata (11,1%), no Agreste (7,9%) e no Grande Recife (7,1%). Ele atinge 2,7% dos eleitores no Sertão e 1,5% no São Francisco.  

Silvio Costa Filho tem a preferência de 10,1% dos eleitores da Zona da Mata, 7,9% da RMR, 6,8% do São Francisco, 4,4% do Agreste e 3,5% do Sertão geral. Eduardo da Fonte se sai melhor na Metropolitana (5,5%), seguido do Sertão (4,9%), Zona da Mata (4,7%), Agreste (4,4%) e São Francisco (2,3%). Magno Martins, por sua vez, tem melhor desempenho no Sertão geral (7,5%), no Agreste (5%) e no São Francisco (4,5%). No Grande Recife, chega a 1,7% e na Zona da Mata, vai a 0,3%.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


24/10


2021

Logo mais, à meia-noite, tem pesquisa Opinião

Este Blog traz logo mais, à meia-noite, a segunda pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), sobre a corrida sucessória para presidente, governador e senador em Pernambuco. Foram aplicados dois mil questionários em 80 municípios entre os dias 16 a 20 deste mês, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Vale a pena dormir um pouco mais tarde hoje!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Sindicontas

24/10


2021

Mais homenagens a Guilherme Robalinho

"Referência de gerações

Dr. Robalinho, como carinhosamente o chamávamos, foi e é uma referência para muitas gerações. Preocupava-se com a juventude e a sua inserção na vida pública. Dedicava tempo a esse propósito e nos estimulava a enxergar a boa política como dimensão fundamental da vida das pessoas.

Na época em que ele foi secretário de saúde da cidade do Recife, tive privilégio de ser um dos seus “orientandos”, ao lado de Eduardo Holanda - seu fiel companheiro e amigo das jornadas da saúde - e de Bruno Brito. Recentemente, antes de assumir o mandato na Anvisa, colhi dele orientações valiosas, que me são muito uteis no trabalho da vigilância sanitária.

Seu maior legado: o exemplo, seja como sanitarista vocacionado, seja como homem público de retidão inquestionável. Pernambuco se despede de um dos seus mais ilustres filhos. 

Siga em paz, Dr. Robalinho."

Alex Campos, diretor da Anvisa

"Hoje, perdi um amigo, um irmão. Depois de Carlos Garcia, recebo a notícia da morte do meu querido Guilherme Robalinho, amizade que começou nos anos 40, quando ainda de calças curtas aprendemos o B.A.Ba, no Instituto Brasil das irmãs Mousinho...

Enquanto, ele trilhou a Faculdade de Medicina, eu fui morar no Rio de Janeiro, de onde voltei em 1966, para iniciar minha carreira de repórter. Foi na sucursal do Estadão, no início dos anos 70, que voltei a reencontra-lo, abençoado pelo Carlos Garcia.E fortalecemos nossa amizade, por mais de 50 anos, num vai e vem de muitas confidencias: na vida profissional e política. Ele meu médico e eu um responsável paciente.

Na política, comungamos dos mesmas amizades: Jarbas, Lyra e Egídio Ferreira Lima. E dos mesmo ideais. Hoje, a notícia da sua morte me chegou pela madrugada, lá pelas 2 da manhã, através da minha filha Anna Carolina, que sempre recebeu de Guilherme um tratamento de filha. Pernambuco fica mais pobre: perdeu um brilhante médico e um dos mais respeitáveis administradores público.

Vai amigo, que depois eu vou... e no infinito (paraíso), muito em breve, estaremos ao lado do amigo Garcia para fazermos uma reunião política, para analisar os passos certos e errados dos atuais políticos pernambucanos... principalmente os seus graves erros, que sempre cometem envergonhando o nosso povo.

Amigo, me aguarde... eu já estou indo." 

Ricardo Carvalho, jornalista


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Outubro

24/10


2021

Blog traz cenário da disputa pelo Governo

Logo mais, às 23h59, este blog vai trazer a segunda pesquisa feita em parceria com o Instituto Opinião (PB) sobre a disputa pelo Governo de Pernambuco em 2022. Do PSB, partido que detém o poder no Estado, houve o teste dos nomes de Geraldo Julio, Zé Neto e Fernandha Batista, enquanto na oposição foram incluídos Raquel Lyra (PSDB), Miguel Coelho (DEM), Anderson Ferreira (PL), Gilson Machado Neto (sem partido) e Zé Múcio (sem partido). 

Em outro cenário, que considera a hipótese de o PT disputar em faixa própria, o nome de Marília Arraes foi testado. A pesquisa do Opinião incluiu 80 municípios, com a aplicação de 2 mil questionários. A margem de erro é de 2,2 pontos para mais ou para menos.

Vale a pena conferir!


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Transparência em 1° Lugar

24/10


2021

Para minha sobrinha linda

A família Martins está se ramificando por todos os recantos do Estado. Olga Sophia Martins, nutricionista, minha sobrinha, filha do mano Augusto Martins e sua Socorro, botou os pés em Vitória de Santo Antão, terra do ex-governador Gustavo Krause, há 11 anos. Ontem, casou em grande estilo com o vitoriense Victor Frasão, servidor concursado da Compesa.

Linda e emocionante, a cerimônia religiosa foi na Igreja do Rosário, na Praça Central da Vitória. Fui com minha Nayla, sua filha Maria Beatriz e meus filhos Magno Filho e João Pedro. Da minha família também choraram de emoção Ana Regina, minha irmã, madrinha com o seu esposo Paulo Tosta, e Marcelo, meu irmão, que estava com sua Suzana e os filhos Caíque e Ana Júlia. 

A parentada se ampliou com as presenças de muitos sobrinhos, como Tassila e Tarsia, com seus amores Gustavo e Tomaz. De Afogados da Ingazeira, nossa pátria amada, vieram o ex-prefeito José Patriota, com sua esposa Madalena Leite, o amigo Clóvis Lira, com sua amada Izilda, Humberto do Cartório e sua esposa Sonia, Fabrício Vieira e sua Anita, Alexandro Queiroz e Evângela, Fernando (zubinha) e Solange, entre tantos outros amigos que prestigiaram com a honrosa presença. 

A recepção foi na belíssima casa de eventos Village, que serviu um bufê irrepreensível, muita bebida, salgadinhos e docinhos maravilhosos. Tudo perfeito, a começar pela banda Oara, do meu amigo Beto, de Arcoverde. A orquestra é igual a vinho: quanto mais o tempo passa, melhor. Olga estava linda, com maquiagem caprichada por Roberta Xavier e vestido da Vertsophistique.

Fotografia, inclusive a que ilustra esta postagem, de Weliton Oliveira e filmagem da Tap Produções, com transmissão ao vivo pela Márcio Lima Atual. O bolo, lindíssimo, teve a assinatura de Evandir Galindo e o cerimonial a cargo da competente Elizangela. A festa rolou até o amanhecer com salão cheio e animado pelos noivos.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021

24/10


2021

Os grandes escultores pernambucanos

Da coluna de João Alberto

Vitalino: Filho de uma artesã e um lavrador, Vitalino Pereira dos Santos, o Mestre Vitalino, tornou-se um dos maiores nomes da arte do barro no Brasil. Desde criança mostrava seu talento, moldando pequenos animais com as sobras do barro tirado do Rio Ipojuca, que sua mãe usava para produzir panelas comercializadas na Feira de Caruaru. Sua arte simples acabou encantando o mundo e o tornou famoso. Fazia o que os especialistas chamam de arte figurativa. Morou a vida inteira no Alto do Moura, em Caruaru, onde produziu suas peças, com a ajuda dos filhos, que vendia na Feira de Caruaru. Sua vida começou a mudar em 1947, quando foi convidado por Augusto Rodrigues para participar da Exposição de Cerâmica Popular Pernambucana no Rio de Janeiro.

Suas peças, mostrando violeiros, bois, vacas, cangaceiros, ciranda, zabumba, cavalo-marinho, noivos, cavalos, Lampião e Maria Bonita, vaquejada e carros de boi fizeram o maior sucesso. Dois anos depois, sua fama começou a crescer, com uma mostra no Masp de São Paulo e ganhou dimensão  internacional com a exposição “Arte Primitiva e Moderna”, em Neuchâtel, na Suíça. Suas peças estão no acervo de museus famosos, como no Louvre de Paris. As duas maiores coleções das suas peças, que hoje são valorizadíssimas, estão no apartamento do senador Jarbas Vasconcelos e no Museu Casa do Pontal, no Rio de Janeiro.

Rinaldo Silva: Além de escultor, é professor de artes plásticas e arte-educador. Nasceu em São Paulo em 1961, quando seus pais, devido ao êxodo rural do agreste pernambucano, deixaram Toritama. Uma, cidade contemplada com o Rio Capibaribe e eternizada no simbólico nordestino em Morte e Vida Severina. Aos nove meses de idade veio para Recife onde vive e trabalha atualmente fazendo uma produção autoral também nas áreas de pintura, objeto e gravura. Com dezenas de exposições, sempre teve um trabalho inovador e desafiante.

Mirella Andreotti: Nasceu em Livorno, na Itália, e começou a pintar ainda criança. Com 24 anos, em 1950, emigrou para o Brasil acompanhada do marido, Romano Andreotti. Viveu inicialmente em Londrina, passando depois por São Paulo e, finalmente, se instalando no Recife. O casal fez o maior sucesso também na nossa vida social. Depois de morar dois anos nos Estados Unidos, onde aprimorou sua técnica especialmente em painéis usando o aço, voltou para a capital pernambucana. Participou de dezenas de exposições e realizou painéis em vários estados do Brasil, nos Estados Unidos e Europa. Uma das suas peças está na portaria de TV Guararapes.

Ferreira: Autodidata, José Ferreira de Carvalho produziu vários murais em mosaicos e cerâmicas, o mais famoso deles, de grandes proporções, está na sede da Chesf, no Bongi. Suas peças têm um colorido intenso e marcante. Outra peça icônica sua está na sede do Country. Produziu também desenhos e pinturas em diversas técnicas e suportes, quase todos inspirados em temas locais. Tem um detalhe curioso: na maioria das suas peças aparece uma figura de uma mulher grávida. Seu ateliê, em Campo Grande, é um verdadeiro museu, com centenas de suaspeças, que estão também em coleções particulares.

Thina Cunha: nasceu na Pennsylvânia, nos Estados Unidos, mas é naturalizada brasileira. Desde a infância tinha o hábito de pintar e modelar no barro com Zé do Carmo em Goiâna. Com vários cursos na área artística, fez parte de um grupo de escultores, estudou iniciação de desenho e pintura na Escola de Belas Artes do Recife. Tem ateliê em Boa Viagem, onde costuma fazer exposições das suas criações. Uma curiosidade: foi cunhada do político baiano Luiz Eduardo Magalhães.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão

24/10


2021

Robalinho era uma usina de ideias, diz Tito Lívio

"Soube pela manhã do falecimento de Robalinho. Não posso ser econômico nesse depoimento. Robalinho foi um personagem muito importante para o sistema de saúde em Pernambuco.

No período em que era professor da Faculdade de Medicina da UFPE, teve destaque na sua especialidade, Gastroenterologia. Talvez tenha sido um dos primeiros a destacar a área Psicossomática na medicina do estado.

Como gestor da saúde, implantou os Distritos Sanitários no Recife, o Centro de Zoonoses, deu outro destaque a Epidemiologia e Vigilância Sanitária e estruturou o Controle e Avaliação na Secretaria de Saúde do Recife. Criou o SOS Recife que depois veio a ser transformado no SAMU.

Na sua gestão na Prefeitura do governo Jarbas Vasconcelos, soube dar liberdade de ação para seus colaboradores, com decisões definidas por um colegiado. Era uma “usina de ideias”, o que pude constatar nas inúmeras reuniões das quais participamos.

Já como Secretário de Saúde do Estado, contribuiu decisivamente para manutenção do LAFEPE como laboratório do estado, em um momento em que muitos tentavam privatiza-lo. Investiu nessa época 17 milhões, com apoio do governo federal, implantando novo “chão de fábrica “ com áreas de medicamentos voltados para combate a AIDS.

Agradeço a ele e a Ruy Pereira, as oportunidades que tive de participar do processo de construção do SUS em Pernambuco. Não posso deixar de destacar que nos anos de chumbo no país, em 1973, nos acolheu (a mim e outros estudantes) para dormir em sua casa, quando a polícia política estava prendendo estudantes do diretório acadêmico de medicina.

Descanse em paz."

Tito Lívio de Barros e Souza, médico


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC Outubro 2021

24/10


2021

Políticos lamentam morte de Guilherme Robalinho

Armando Monteiro Neto, ex-ministro: "Uma grande perda para Pernambuco a morte de Guilherme Robalinho. Além do brilhante gestor na área de saúde e de sua formação como médico, tinha preparo intelectual e especial gosto pela atividade política. Sempre muito lúcido na compreensão dos problemas do País e do nosso Estado. Meu abraço e sentimentos a toda a família."

Cristovam Buarque, ex-ministro: "Robalinho foi um dos poucos que uniam todos de uma geração de militantes pernambucanos: lúcido e amigável. Com ele morre um pouco de todos nós."

Anderson Ferreira, prefeito de Jaboatão dos Guararapes: "Lamentei muito o falecimento de Guilherme Robalinho, que foi e continuará sendo referência na Medicina pernambucana e deixou sua marca como secretário de Saúde. Meus sentimentos à família e amigos nesse momento de perda."

Bruno Araújo, presidente nacional do PSDB: "Recebi com tristeza a notícia  do falecimento de Guilherme Robalinho que, como médico e secretário do Recife e de Pernambuco, fez muito pela saúde em nosso estado. Deixo aqui meu abraço à família e seus inúmeros amigos neste momento de despedida."


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes outubro 2021
Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros