FMO janeiro 2020

18/10


2021

Coluna da segunda-feira

O candidato é Geraldo

Nas mais reiteradas notas em que se manifestou sobre a sucessão estadual em 22, o ex-prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) mentiu. Para não ser tão agressivo na sintaxe, escondeu o jogo. É candidatíssimo ao Palácio do Campo das Princesas! Com quem conversei nos últimos dias, gente, inclusive, da cozinha de Paulo Câmara, a quem caberá a coordenação do processo da alternativa governista, apurei que, na hora certa, o nome de Geraldo será anunciado.

Desgastado, o ex-prefeito adotou a estratégica eduardista: só trata de eleição a partir de janeiro, ano do pleito. Há vários fatores que levam ao silêncio sepulcral: o noticiário negativo das consequências das sete operações da Polícia Federal em sua gestão, envolvendo investigação de desvios de recursos federais enviados para o combate à pandemia é o principal.

Vários nomes próximos a ele, como o ex-secretário de Saúde Jailson Correia e Felipe Bittencourt, seu braço direito, estão na marca do pênalti no andamento dos processos na Justiça. O que Geraldo mais teme é que os estragos nessa área sejam mais amplos do que possa imaginar. E tem razão.

Na sexta-feira passada, por exemplo, o todo-poderoso Renato Thièbaut, que seria um dos operadores do Governo Paulo Câmara, rastreado sua influência desde a era Eduardo, foi alvo de operação da Federal. Denominada Payback, a operação resultou de desdobramento das investigações deflagradas em junho deste ano que apuram esquema milionário de direcionamento de licitações na compra emergencial de materiais médicos para utilização no combate à pandemia do novo coronavírus.

Além desse aspecto escandaloso, que foge da alçada de controle dele, Geraldo enfrenta o fogo amigo no Governo do Estado. Desde que disse não ser candidato a governador, em três momentos distintos, ninguém de peso do staff palaciano ou do PSB saiu em defesa do seu nome, com exceção do presidente estadual da legenda, o tarefeiro Sileno Guedes.

De quem de fato gostaria de receber manifestações mais contundentes, como Paulo Câmara e o prefeito do Recife, João Campos, Geraldo não contou. Mas raros são os deputados federais e estaduais do PSB que tem dúvida de que o candidato, apesar de todos os pesares, será Geraldo. O que se diz é que o ex-prefeito ainda goza da confiança da viúva Renata Campos, que dá a palavra final, e que seu nome, além de ser natural, é o mais competitivo.

Geraldo, entretanto, vai continuar dizendo que não é candidato, para que possa, mais na frente, receber uma “convocação” das forças do Governo e dos mais diversos partidos que integram a Frente Popular. Com isso, terá a justificativa do discurso de que não queria ser, mas que foi forçado a ser. É por aí.

Bancada já sabe – Apurei, também, que as lideranças nacionais do PSB, nas conversas em torno da aliança em apoio à candidatura do ex-presidente Lula ao Planalto, já passarão a citar o nome de Geraldo como consensual dentro da Frente Popular. Em Brasília, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, já teria dito ao próprio Lula que o candidato a governador será o ex-prefeito. “A bancada federal já foi comunicada, ainda não formalmente, mas já está ciente disso”, informou um deputado socialista em reserva.

Candidata banguela – Piadinha engraçada ouvida nos últimos dias nas rodas politicas do Estado: Raquel Lyra, a Mainha, prefeita de Caruaru, não será candidata ao Governo do Estado porque o PSDB, seu partido, não consegue montar sequer chapa para deputado federal e estadual. “Como um dos pré-requisitos de um candidato majoritário é ter chapas para Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa, Raquel virou uma candidata banguela, sem chapa”, conclui, em tom de deboche, uma fonte tucana.

Trégua deu resultado – Ainda é cedo para apontar tendências, mas algumas pesquisas recentes, como a do PoderData, mostram que houve leve melhora ou, no mínimo, uma estabilização da taxa de reprovação do governo Jair Bolsonaro. Segundo o levantamento, houve queda de cinco pontos percentuais nos últimos 15 dias e o índice está hoje em 58% — embora ainda muito alto. A aprovação oscilou 2 pontos para cima, de 31% para 33%. O nível de “ruim e péssimo” na avaliação pessoal de Bolsonaro também caiu cinco pontos e ficou em 53%, contra 29% de “bom e ótimo”, uma variação na margem de erro. Na interpretação dos especialistas em pesquisas, esses resultados incipientes podem mostrar que a trégua arquitetada por Michel Temer entre o presidente e o STF funcionou a favor de Bolsonaro.

Nova ameaça – Depois de declararem "estado de greve" desde sábado passado, representantes de caminhoneiros confirmam que uma eventual paralisação ocorrerá "principalmente" em Santos (SP). "Se não houver resposta concreta (do governo) em cima dos direitos dos caminhoneiros autônomos, no dia 1º de novembro o Brasil todo (ficará) parado, principalmente Santos", disse o presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam), Luciano Santos, em pronunciamento no encerramento de encontro nacional da categoria, no último fim de semana.

Ministro forte de Lula – O mercado continua sonhando e rezando por uma terceira via, mas as últimas declarações de Lula em relação à economia e temas como responsabilidade fiscal tranquilizaram alguns setores. O influente PIB paulista se dedica a tentar descobrir quem seria o possível ministro da Fazenda e principal interlocutor econômico de um eventual governo Lula. Entre os nomes que circulam, o que mais agrada a esse pessoal é o do governador da Bahia, Rui Costa (PT). Fez um governo equilibrado no estado, em aliança da esquerda com partidos como PP e PSD, e dialoga com todo mundo.

CURTAS

ACENO – Lula, que no Nordeste andou dizendo que poderia nomear um político para a Fazenda a fim de ter facilidade de negociação com o Congresso — a exemplo do que fez no primeiro governo com Antonio Palocci — atiçou a torcida por Rui Costa. Mas ele tem colocado Fernando Haddad na linha de frente de conversas com empresários e representantes do mercado. E tem também em Aloízio Mercadante, no comando do Instituto Perseu Abramo, um conselheiro na área.

SÓ FIRULA – Jair Bolsonaro, Paulo Guedes e Arthur Lira fizeram coro para defender a venda da Petrobras. Faltam 14 meses para o fim do governo, e eles sabem que uma proposta como essa não se resolve em véspera de eleição. Ou seja, as declarações só servem para confundir e não fazem sentido no momento. Tanto que a repercussão das falas foi bem menor do que seria em outros tempos, traduzindo a falta de credibilidade para levar adiante a ideia.

Perguntar não ofende: Por que as lembranças em torno de uma possível candidatura da secretária Fernandha Batista (Infraestrutura) faz Geraldo Julio roer as unhas? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - Família Acolhedora

Confira as últimas colunas

29/11


2021

Coluna da segunda-feira

Cenário sombrio para Raquel

Na medição do potencial de um candidato na disputa majoritária, sobretudo se for ainda desconhecido pela grande massa do eleitorado, os marqueteiros recorrem a dois tipos de pesquisa: quantitativa e qualitativa. Na primeira, se constata a receptividade do eleitor em geral, incluindo uma sondagem de campo, enquanto que na segunda, feita com um grupo interno e exclusivo, as conclusões são resultado da avaliação de entrevistados selecionados por segmentos da população.

Em ambas, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, pré-candidata do PSDB ao Governo de Pernambuco, aparece bem. Na última do Opinião, postada com exclusividade por este blog, no final de setembro, a tucana lidera. O que não parece bem para ela é o horizonte político que vai se desenhando. Raquel tomou gosto pelo sonho de ser a primeira mulher a governar o Estado quando fechou um acordo com o PL, liderado pelo prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, que já admitia concorrer o Senado na chapa dela.

Mas veio o pior, cenário que a tucana não contava: amanhã, num grande ato em Brasília, o presidente Bolsonaro põe as mãos no Partido Liberal, formalizando seu ingresso na legenda para concorrer à reeleição. Aterrissa com aval da cúpula liberal para interferir nas alianças estaduais, com exceção de São Paulo, Estado do presidente Valdemar Costa Neto. Em Pernambuco, o que pode acontecer?

Anderson só não perderá o controle da legenda se aliar-se a Bolsonaro, que não é o candidato de Raquel. No acordo com Valdemar, Bolsonaro impôs outra condição: a proibição de alianças do PL com o PT e PSDB. De antemão, PL, para Raquel, é carta fora do baralho. Nas prévias tucanas, Raquel fez campanha aberta e declarada para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Jogou certo. Leite é fato novo, cara nova, algo que poderia dar certo na corrida presidencial pela terceira via.

Mas quem ganhou as prévias foi João Doria, com carimbo de antinordestino, olho grande, aventureiro, oportunista, um diabinho. Tudo que o eleitor não quer, nome pesado e difícil para Raquel carregar nas costas em Pernambuco, quando pelo lado contrário, o PSB, estará Lula, casado com o PSB. Embora tenha comandado o maior assalto aos cofres públicos da história republicana, sendo preso e sua quadrilha também, o ex-presidiário ainda consegue enganar um segmento do eleitorado pernambucano.

Sem PL e um candidato frágil ao Planalto, Raquel tende a ficar com o pincel na mão. Seu partido não tem sequer condições de montar, hoje, uma chapa proporcional, tanto para a Câmara dos Deputados quanto para a Assembleia Legislativa. Resta-lhe apenas o Cidadania, o ex-PPS, de Roberto Freire, que tende a acolher em seus quadros a deputada Priscila Krause, vista como opção de Raquel para compor a sua chapa como vice.

Mas, convenhamos, Priscila, pelo histórico conservador de militância política de direita – passou a vida inteira no DEM –, filiar-se a um partido comunista para atender aos caprichos de Raquel é abusar da boa-fé do seu eleitorado. É tentar fazer o casamento de jacaré com cobra d´água.

Sem mandatos decidiram - O resultado oficial mostra que Doria só não foi escolhido pelos vereadores, que deram preferência a Leite. Os demais filiados, com cargo ou sem, deram a vitória ao governador de São Paulo em votações apertadas. Entre prefeitos e vice-prefeitos, por exemplo, o placar foi de 393 a 363. Nas bancadas federal e estaduais, a diferença foi de sete votos para Doria, que somou 37, e na chamada "elite tucana" - que reuniu senadores, governadores e vice e ex-presidentes do partido -, o paulista obteve 27 votos, contra 24 dados a Leite. A maior diferença foi marcada mesmo entre tucanos sem mandato: 15.646 votaram em Doria e 9.387 optaram pelo gaúcho.

Ação imediata – Tão logo cessou a tromba d’água que caiu em Arcoverde, sábado passado, deixando a cidade completamente inundada, o prefeito Wellington Maciel (MDB) visitou as áreas mais afetadas com secretários para avaliar os estragos e anunciar medidas. A chuva foi tão forte que, por pouco, não põe abaixo por completo as instalações feitas para o show do cantor João Gomes. Marcada para o início da noite, a apresentação do artista foi transferida para duas horas da madrugada.

Discurso pela paz – Dos tucanos históricos, FHC e José Serra declararam votos a favor de Doria. Tasso Jereissati, José Aníbal e Geraldo Alckmin votaram em Eduardo Leite. As prévias tiveram momentos de altos e baixos entre os principais concorrentes. Houve embates e trocas de acusações entre Doria e Leite. Mas ambos ensaiaram, ontem, o discurso da paz, logo após o resultado, pregando a unidade. Bruno Araújo disse que as prévias garantem que o desempenho em 2022 será superior ao de 2018 – quando o partido não soube entender o eleitor, nas palavras do dirigente partidário. Araújo arrisca um número para quantos deputados devem ser eleitos pela sigla: “Não faremos menos de 40”. Hoje, são 30.

Modelo polêmico – A votação nas prévias se deu em dois formatos. Para os filiados sem mandato e vereadores (39.737), o voto foi pelo aplicativo desenvolvido pelo partido, alvo de críticas tanto de Doria quanto de Leite. Já os eleitores qualificados (governadores, deputados, presidentes e ex-presidentes do partido) foram a Brasília para votar em urnas eletrônicas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). As prévias tiveram os votos divididos em quatro grupos, cada um com 25% do peso. Doria e Virgílio foram contra o sistema. Queriam que todos os votos valessem de forma igual.

Mais profissional – Doria teve equipes para sua campanha em 21 Estados, além de ter enviado 17 pessoas para morar nas unidades da Federação. A organização e profissionalismo da equipe seguiram moldes de campanhas presidenciais, com divisão interna de tarefas, hierarquização de papéis e trabalho de coleta de dados em um data center. O governador também viajou a municípios de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Pará, Amazonas, Distrito Federal, Mato Grosso, Tocantins, Minas Gerais, Sergipe, Paraíba, Ceará, Bahia e Rio Grande do Sul. A campanha dele é coordenada por Wilson Pedroso e tem como marketeiro Daniel Braga, que trabalhou no passado com Doria e cunhou o termo “João Trabalhador “. Braga também foi da equipe de Henrique Meirelles e foi responsável pelo grupo que criou o slogan “Chama o Meirelles “.

CURTAS

Ainda bem! – A Secretaria de Saúde confirmou, ontem, que não há registro de casos da nova variante ômicron em Pernambuco até o momento. A nova cepa da Covid-19 foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma "variante de preocupação" e colocada no mesmo grupo de versões que já causaram impacto na progressão da pandemia: alfa, beta, gama e delta. A confirmação de variantes ocorre por meio de sequenciamento genético. A ômicron foi originalmente descoberta na África do Sul.

Serra sem voo – A Azul está sem operar o voo do Recife para Serra Talhada desde o início da semana passada, mas não dá a menor satisfação aos passageiros que compraram bilhetes e que têm urgência no deslocamento. Os voos diários a terra de Lampião são feitos numa aeronave de pequeno porte, com capacidade para apenas nove pessoas.

Perguntar não ofende: Anderson Ferreira fica no PL com o ingresso na legenda, amanhã, do presidente Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Claro que fica, lambe-botas ficam onde o acéfalo mandar!


ALEPE - Ações Sociais

27/11


2021

Coluna do sabadão

Nova variante preocupa

Por Houldine Nascimento, repórter do Blog

Em meio à quarta onda da Covid-19, a Europa toma medidas restritivas para evitar o avanço da doença. Há toques de recolher e bloqueios em diversas nações do Velho Continente. A Áustria, por exemplo, está em seu quarto lockdown desde a última segunda-feira (22).

A partir de 1º de fevereiro, o governo austríaco pretende tornar obrigatória a vacinação. Existe um movimento antivacina liderado pelo Partido da Liberdade, de extrema-direita. Consta que a cobertura vacinal chegou a 66% da população. No entanto, esta é uma das taxas mais baixas da Europa Ocidental.

Portugal voltou a exigir o uso de máscaras em locais fechados, além de estabelecer passaporte sanitário em hotéis e restaurantes. Em testemunho dado ao Blog, o médico pernambucano Gilvaney Silva alertou que outros países estão impedindo o acesso devido ao aumento de casos, a exemplo da Holanda.

Com isso, ele resolveu antecipar o retorno de Lisboa ao Recife. No leste europeu, a Eslováquia e a República Tcheca estão entre as nações com as maiores taxas de infecção do coronavírus. Lá, pessoas não vacinadas estão proibidas de frequentar bares, restaurantes, hotéis e salões de beleza.

A identificação de uma nova variante na África do Sul, batizada de “ômicron” pela Organização Mundial da Saúde, elevou o alerta. A Bélgica foi o primeiro país da Europa a registrar o primeiro caso no continente da cepa. A própria OMS considera preocupante a variante por apresentar evidência de reinfecção.

A Itália proibiu a entrada de pessoas vindas da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Moçambique, Namíbia e Zimbábue. A preocupação também toma conta da América do Norte: o Canadá restringiu o acesso a visitantes das sete nações sul-africanas, assim como os EUA, que também vetaram o Malawi.

Aeroportos abertos – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) rebateu um apoiador que sugeriu o fechamento dos aeroportos brasileiros a visitantes estrangeiros para conter o avanço da nova cepa do coronavírus. “Não vai vedar, rapaz, mas que loucura é essa? Se fechar aeroporto, o vírus não entra? Já está aqui dentro”, disse ao seguidor, ontem, na entrada do Palácio da Alvorada.

Governo segue Anvisa – Apesar da declaração de Bolsonaro, o Governo Federal acatou a orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vai fechar as fronteiras para passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. O anúncio foi feito pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, na noite de ontem, pelo Twitter. Segundo ele, a decisão foi tomada em conjunto com os ministérios da Infraestrutura, Saúde e Justiça, passando a vigorar na segunda (29).

Tucanos retomam prévias – A partir das 8h, o PSDB retoma as prévias para definir o pré-candidato do partido à Presidência. No último domingo (21), o processo foi interrompido devido a falhas no aplicativo de votação, impedindo o registro do voto de milhares de filiados. Durante a semana, houve troca de farpas entre os três postulantes: os governadores Eduardo Leite (RS) e João Doria (SP), além do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio, que se uniu às queixas do gestor paulista contra o gaúcho.

Desbloqueio – A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) ordenou que a 13ª Vara Federal de Curitiba desbloqueie os bens do ex-presidente Lula (PT). O julgamento teve início em agosto e foi retomado no último dia 19. A conclusão ocorreu ontem, com o depósito dos votos no plenário virtual. Os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Nunes Marques decidiram a favor do petista, enquanto o relator do caso, Edson Fachin, votou contra.

Natal encantado – Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano, abre oficialmente o "Natal Encantado". A cerimônia ocorre amanhã, a partir das 19h, na Praça dos Estudantes. De acordo com o prefeito Fábio Aragão (PP), diversos pontos foram amplamente decorados com enfeites e luzes. Ele montou uma grande programação cultural, que inclui apresentações teatrais, musicais, cinema, além da Vila Gastronômica e a do Papai Noel. A PE-160 também estará iluminada até 6 de janeiro.

CURTAS

DE CAMAROTE – O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, disse que quer “assistir de camarote o que os governadores e prefeitos vão fazer” em relação ao Carnaval. Em entrevista à Jovem Pan, ele também contestou o veto a fiéis em igrejas.

POSSE – A nova diretoria do PSOL Olinda para o biênio 2021-2023 toma posse logo mais, às 18h30, em solenidade no Teatro Fernando Santa Cruz, no Mercado Eufrásio Barbosa, no bairro do Varadouro, Olinda. Atual presidente, Eugênia Lima será reconduzida ao cargo.

Perguntar não ofende: Com uma nova variante do coronavírus em circulação, prefeitos e governadores vão promover Carnaval em 2022?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem

26/11


2021

Coluna da sexta-feira

Lula pode não ser candidato

Fechando a semana, duas novas pesquisas sobre a corrida presidencial – a primeira do Paraná e a segunda, ontem, do Poder Data – mostram que o ex-presidente Lula entrou numa onda declinante. Em ambas, sua distância para o presidente Bolsonaro foi reduzida a seis pontos percentuais, praticamente dentro da chamada margem de erro.

Isso mostra que Lula nunca foi nem tampouco é imbatível. Pode indicar também que as pessoas começam a despertar para o mal da era petista ao Brasil. Foram nos governos Lula e Dilma que ocorreram os maiores assaltos aos cofres públicos da história da República. Só na Lava Jato, mais de R$ 44 bilhões levados pelos petistas traquinos.

A roubalheira levou Lula e mais 40 da sua quadrilha para o xadrez, inclusive Marcelo Odebrecht, até então o empreiteiro mais rico do País, que bancava a farra de Lula e seus asseclas. Desconfio que Lula não será candidato. Teme sair às ruas, vez por outro afirma que ainda não decidiu e deixa a impressão que jogará, mais uma vez, Fernando Haddad na fogueira.

Fato que despertou atenção nos dois levantamentos foi a tendência do nome do ex-juiz Sérgio Moro se consolidar como a terceira via preferida dos que não querem Lula nem tampouco Bolsonaro. Moro já desponta com 11% das intenções de voto e hoje é candidato mais competitivo do que Bolsonaro na disputa em um eventual segundo turno com Lula, conforme atesta a pesquisa do Poder Data.

Moro tem se posicionado com muita segurança, brilho e competência nos assuntos que dizem respeito as maiores preocupações dos brasileiros no momento, como a volta da inflação e o combate à corrupção. Além disso, tudo indica que haverá uma onda no Brasil em torno da sua candidatura na medida em que percorrer o País.

Norte bolsonarista – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem maiores intenções de voto no 1º turno das eleições presidenciais de 2022 entre homens e entre moradores da região Norte. No primeiro estrato, o chefe do Executivo marca de 36% a 37%. Já no 2º grupo, tem 37% ou 47%. Os dados foram aferidos na mesma pesquisa. As variações apresentadas pelo possível candidato dependem do cenário testado. Nesta rodada, foram dois: um com João Doria e outro com Eduardo Leite, que disputam as prévias do PSDB para candidatura ao Palácio do Planalto.

Só faltou declarar o voto – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o deputado Gonzaga Patriota (PSB) se derramou em elogios ao prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, pré-candidato ao Palácio das Princesas. Só não declarou que vota com ele para não ficar em maus lençóis no seu partido. “Não posso deixar de reconhecer que Miguel fez a maior gestão de Petrolina”, disse, deixando a impressão de que seu coração balança para eleger um governador saindo do São Francisco.

Forte do Nordeste – Já o ex-presidente Lula (PT) tem maiores intenções de voto no primeiro turno das eleições presidenciais em 2022 entre as mulheres e entre os moradores da região Nordeste. No primeiro estrato, o petista pontua de 41% a 44%, dependendo do cenário avaliado. No segundo grupo, chega a 43%. As variações apresentadas pelo possível candidato dependem do cenário testado. Nesta rodada, foram dois: um com João Doria e outro com Eduardo Leite, que disputam as prévias do PSDB para candidatura ao Palácio do Planalto.

Freitas disputa em SP – O presidente Jair Bolsonaro disse que o nome do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, já está definido para concorrer ao Governo de São Paulo nas eleições de 2022. Disse que haverá aceitação do indicado no Estado pelo fato de ser “um baita de um gestor”, competente, responsável e por fazer um “grande trabalho” no seu governo. A declaração foi feita em entrevista ao canal ISTV, no YouTube. Bolsonaro descreveu as qualidades do possível candidato, sem revelar o nome. Ao ser questionado pelo entrevistador se o nome seria o de Tarcísio, o presidente riu, fez sinal de positivo, e afirmou: “É, parece que é ele, parece que você acertou”.

De direita – O senador Wellington Fagundes (PL-MT) disse em entrevista ao site Poder360 que o PL (Partido Liberal) não influenciará para mudar a forma de comunicação do presidente Jair Bolsonaro depois que ele se filiar à legenda. Afirmou, porém, que a tendência de um possível segundo governo sob a batuta da sigla será de centro-direita e não de direita. “Nós não queremos mudar a figura pessoal, a capacidade de liderança do presidente Bolsonaro. Cada pessoa tem seu jeito de ser, não vai e não deve mudar. Agora, é claro, vamos contribuir, porque o presidente Bolsonaro é muito claro, tem uma política de direita”.

CURTAS

BOM EXEMPLO – O município de Carpina, na Zona da Mata, anunciou o cancelamento das programações de Carnaval e da Festa de Reis, evento tradicional na cidade, devido à pandemia da Covid-19. O prefeito Manuel Botafogo (sem partido) informou a decisão por meio de uma gravação publicada em uma rede social. Esta é a primeira cidade de Pernambuco a anunciar o cancelamento de eventos de carnaval, de acordo com a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe).

PÉSSIMA NOTÍCIA – O cenário de infecção pelo novo coronavírus está se agravando em Serra Talhada, a 420 km do Recife. Segundo o site Farol, foram registrados 28 casos da Covid-19 em apena 24 horas, elevando para 219 positivados só no mês de novembro. Um número recorde, uma vez que a tendência era de queda.

Perguntar não ofende: Quem ainda acredita que Lula é candidato?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Jose Roberto Correia de Jesus

Só o fã clube da ladroeira

R.Soares

Lula é candidato sim e sera eleito com a força do povo

gilson

Candidato apoiado pelo bloqueio Magno é sempre derrotado, Moro não passa de 15 % dos votos, é odiado pela direita e esquerda, contribuiu para todo que está ai, num país sério, estaria na cadeia.



25/11


2021

Coluna da quinta-feira

Candidato, mas de Bolsonaro

Na conversa que teve, ontem, em Brasília, com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, saiu convencido de que não lhe faltará apoio da sua atual legenda para qualquer projeto majoritário no Estado em 22, seja o Governo do Estado ou o Senado, mas com uma única condição: estar no palanque de Bolsonaro.

Para entrar no PL, o presidente da República só se submeteu a um capricho do atual comando liberal: não interferir no acordo fechado em São Paulo, reduto eleitoral de Costa Neto. No restante dos Estados, só fica no PL quem estiver no palanque da reeleição de Bolsonaro. Anderson terá que avaliar com prazo chegando ao final em abril, etapa final de filiações.

Sua pré-campanha ao Governo do Estado tem sido centrada num mote só: distanciamento das forças governistas, evitando qualquer ligação com o bolsonarismo. “Ele tem nosso apoio para qualquer candidatura, mas terá que estar do nosso lado, do lado de Bolsonaro”, disse, claramente, Valdemar, segundo uma fonte do diretório nacional do PL.

Se até abril, o cenário estiver mais confortável para Bolsonaro, com vistas à sua reeleição, é bem provável que Anderson passe a ouvir muito mais Costa Neto e a cúpula do PL, que torcem e trabalham pelo seu alinhamento ao Planalto, do que mesmo Raquel Lyra e Armando Monteiro, as estrelas tucanas do Estado, com quem firmou uma espécie de pacto para estarem juntos nas eleições do ano que vem.

Como a política é muito dinâmica e ninguém gosta de perder nada, muito menos um partido com chances de vir a ter, como o PSL na era Bolsonaro, o maior fundo eleitoral entre todos os partidos, com chances de ocupar cadeiras na Esplanada dos Ministérios, o que se sabe, hoje, é que Anderson não tem ainda uma decisão amadurecida. Não sabe se fica no PL e sai candidato a governador abraçado com Bolsonaro ou se permanece fiel às juras de amor que fez a Raquel.

Jogou a toalha – A cúpula do União Brasil, fruto da fusão entre o DEM e o PSL, concluiu, ontem, que a única terceira via possível nas eleições presidenciais de 2022 é a do ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O partido pretendia lançar o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta ao Palácio do Planalto em 2022, mas ele deverá abrir mão da disputa. Filiado ao DEM, o nome de Mandetta havia sido aventado tanto pelo seu atual partido quanto pela legenda futura como opção viável para a disputa eleitoral, mas a entrada de Moro no jogo inviabilizou sua possível candidatura.

Voo de galinha – Quem torce o nariz para o possível apoio de Bolsonaro à candidatura de Anderson Ferreira a governador é a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, que tem um acordo fechado para fazer a campanha de braços dados com o prefeito de Jaboatão, ela na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas, ele para o Senado. Sem o PL e, consequentemente, Anderson, a tucana terá que rever a sua postulação, calculando o risco de largar o certo pelo duvidoso, ou seja, mais dois anos na Prefeitura por um voo de galinha.

Segurança zero – Recife continua campeã em violência, sem distinção de cor, sexo, faixa etária e classe social. Ontem, na Rua do Progresso, na Boa Vista, área central do Recife, um homem armado chegou de bicicleta, na frente de um prédio e roubou o celular de uma advogada que esperava um carro de aplicativo de transporte. Após o assaltante apontar a arma para a mulher, de 42 anos, ela correu, jogou o celular no chão e entrou no edifício. Em seguida, o ladrão pegou o aparelho e fugiu na bicicleta, sem que tivesse um só policial nas imediações.

Boa notícia – O governador garantiu, ontem, a ampliação da oferta do ensino integral em escolas de nível fundamental e médio e a criação de novas escolas técnicas. De acordo com a Secretaria de Educação e Esportes, 75% das escolas de ensino médio passam a ser integrais em 2022. Para 2022, estão previstas mais 11 Escolas Técnicas Estaduais, sendo que seis delas são unidades de referência que viram técnicas e cinco que estão em construção. Além disso, 104 escolas estaduais existentes serão transformadas em unidades de referência em Ensino Médio (Erem), Fundamental e Médio (Eremfem) e fundamental (Eref), todas com oferta de aulas em tempo integral.

Felizes para sempre? – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou, ontem, a sua filiação ao PL (Partido Liberal) na próxima terça-feira, às 10h30. Afirmou que está “tudo certo para ser um casamento” e serem “felizes para sempre”. “Marcou para terça. Tudo bem, acertamos São Paulo e o resto do Brasil. Está tudo certo para ser um casamento e sermos felizes para sempre”, disse. Deu declaração no caminho a pé de volta para o Palácio do Planalto depois de participar de solenidade na Câmara dos Deputados em que recebeu a Medalha de Mérito Legislativo.

CURTAS

MUDANÇAS NO TCE – Pernambucano de Orocó, o conselheiro Ranilson Ramos foi eleito e anunciado, ontem, novo presidente do Tribunal de Contas do Estado para o biênio 22/23. Talhado para a vida pública, Ramos é considerado um arraesista histórico, tinha livre trânsito com Eduardo Campos, por quem foi nomeado para o TCE, e deixou como herdeiro na política o deputado Lucas Ramos.

NO CEARÁ – Líder dos trabalhadores em segurança pública do Ceará, o deputado federal Capitão Vagner, do Pros, ingressa no PL e será apoiado pelo presidente Bolsonaro na disputa pelo Governo cearense em 22.  Ele se notabilizou por liderar um motim da Polícia Militar do Ceará em 2011, no qual gerou insegurança a população e trouxe caos para a cidade de Fortaleza com uma quarentena forçada. Na ocasião, trocou insultos com o então governador Cid Gomes e seu irmão Ciro Gomes.

Perguntar não ofende: Não aceitando ser liderado por Bolsonaro, para quais braços Anderson correrá?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina outubro 2021

24/11


2021

Coluna da quarta-feira

Para caixinha das almas?

Depois de um lenga-lenga, ontem, a cúpula do PSDB deu a mão à palmatória, se convenceu que caiu numa cilada, contratando um aplicativo por R$ 1,3 milhão a uma faculdade do Rio Grande do Sul, e anunciou que decidiu contratar uma nova empresa para concluir o sistema de votação de suas prévias presidenciais.

No último domingo, o partido foi obrigado a suspender o processo de escolha do candidato tucano ao Palácio do Planalto após uma série de falhas apresentadas pelo aplicativo da Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), contratada para o serviço. Agora, a Relatasoft foi escolhida para cuidar do novo aplicativo, o D. Voto, desde que o novo sistema passe pelo “teste de estresse” ao qual será submetido.

A empresa integra o Projeto Eleições do Futuro, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ideia agora é retomar a votação o mais rapidamente possível. Mas, além dos ajustes técnicos, a nova data depende das negociações políticas entre os candidatos. Disputam as prévias os governadores João Doria (São Paulo), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

Segundo dirigentes do PSDB, os técnicos da Faurgs não forneceram explicações convincentes sobre o problema envolvendo a ferramenta de votação nem teriam oferecido soluções seguras para que continuassem participando das prévias. O aplicativo custou cerca de R$ 1,3 milhão. “O PSDB foi vítima de um problema técnico nas prévias para escolher seu candidato à presidência da República e busca meio para retomá-las”, disse a direção do partido por meio uma de nota.

Que acrescenta: “Entre as possibilidades, já há empresa que será submetida ao teste de estresse por todas as candidaturas. Mais alternativas estão em análise. Ainda não foi apresentado diagnóstico do ocorrido pela Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), desenvolvedora do aplicativo que apresentou falhas. O fundamental é garantir o voto dos filiados já cadastrados.  Os votos já registrados na urna e em aplicativo estão válidos e serão computados”.

Uma saída necessária e esperada, mas vale uma perguntinha: e os R$ 600 mil que o PSDB já pagou ao aplicativo fajuto? A Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs) vai devolver ou essa dinheirama vai tomar o caminho da caixinha das almas?

Rachado ao meio – A troca de empresa ainda deve provocar mais acusações entre os candidatos do PSDB. Doria e Virgílio estão alinhados e apoiam a substituição imediata do aplicativo. Já Eduardo Leite tem colocado obstáculos à mudança da plataforma de votação. Desde o início das prévias, Leite defendeu o uso do aplicativo desenvolvido pela Faurgs. Doria era contrário. Seja com qualquer desfecho, o PSDB sai desse processo tendo de administrar o desgaste pela interrupção da votação e pelo aprofundamento de sua divisão política, especialmente entre os grupos de Doria e Leite.

Terra maltratada – Reportagem postada ontem neste blog, fruto da minha passagem por Águas Belas, segundo maior produtor de leite do Estado, apontando o descaso do Governo com a bacia leiteira, chamou atenção e despertou curiosidade de um grande número de leitores por um detalhe inusitado: juntas, Águas Belas e Itaíba representam os principais colégios eleitorais do secretário estadual de Agricultura, Claudiano Martins. Se a terra do dono das decisões no campo no Governo Paulo Câmara está assim, imagine o restante!

Guerra declarada – Os policias penais estão em pé de guerra contra o Governo do Estado. Segundo o Sindicato, o governador trata com “desrespeito toda categoria e insiste em não cumprir o acordo coletivo assinado. Esse acordo prevê a criação do Departamento da Polícia Penal, negociação de reajuste salarial, novos enquadramentos por tempo de serviço e alteração do plano de cargos. Os policiais apontam que atuam com baixo efetivo e poucas condições de trabalho. Além disso, afirmam que, nos últimos quatro anos, têm perdas de ganhos salariais e com congelamento de salários.

E Recife? – Apesar do avanço da vacinação, ao menos 70 cidades do interior de São Paulo já cancelaram o carnaval de 2022 motivadas pela pandemia de covid-19. As prefeituras alegam o risco de um aumento nas infecções pelo vírus, por causa do fluxo de pessoas e aglomerações, e ainda o respeito às famílias que perderam entes queridos. Há casos também de prefeituras sem recursos para bancar a festa, por terem investido no controle da doença. Estâncias climáticas – como Caconde, Santo Antônio do Pinhal e São Bento do Sapucaí – estão na lista dos que não preveem a festa.

Ao deus-dará – Embora petista e aliado do Governo socialista, o prefeito de Águas Belas, Luiz Aroldo, não tem papas na língua. Durante minha passagem pela cidade, na última segunda-feira, não teve nenhum tipo de cerimônia para colocar o dedo na ferida. Segundo ele, o município só não assume uma posição de vanguarda na exportação de gado holandês de alta linhagem genética porque o Governo Paulo Câmara não ajuda em nada. “Sequer os produtores de leite têm assistência técnica porque o secretário de Agricultura fechou o IPA”, disse o gestor petista.

CURTAS

FIM DA FOLIA – O deputado estadual Cleiton Collins (PP) reforçou a bancada da Assembleia que pressiona o governador para não promover o Carnaval. Ao proibir, Paulo Câmara, segundo ele, estará prevenindo a chegada de nova onda da pandemia no Estado. “Não há uma festa que aglomere mais do que o carnaval. Acho uma loucura promover a folia diante de tudo que enfrentamos e sofremos”, alertou.

INVESTIGAÇÃO – Líder do PSB na Câmara dos Deputados, Danilo Cabral ganhou mais uma trabalheira, ontem: será relator do Grupo de Trabalho para investigar a crise envolvendo o Enem e o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Eleitorais Anísio Teixeira), responsável pela realização do exame. O órgão, segundo o parlamentar, está sucateado e não tem a menor condição de conduzir o Enem.

Perguntar não ofende: E Bruno Araújo, presidente do PSDB, não vai sofrer penalizações por ter pago R$ 600 mil por um aplicativo que não funcionou nas prévias?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Eliana C de Souza

Bruno Araujo cara dura! pergunta da verba do metrô de recife aonde está? Tucano coitado rebaixado a representar essa gente.


Sindicontas

23/11


2021

Coluna da terça-feira

Desafio do PSDB é a união pós-prévia

Por Ítala Alves, editora do Blog

Em entrevista ao programa Frente a Frente, na noite de ontem, o ex-senador Armando Monteiro Neto falou sobre a importância dos próximos passos após as prévias nacionais do PSDB. Ainda sem data para uma nova votação, depois do fracasso do último domingo, a legenda agora terá que enfrentar os problemas internos e lutar pela união em torno do nome escolhido, seja ele o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ou o governador de São Paulo, João Doria, caso queira apresentar um nome forte como terceira via em 2022.

No âmbito local, o grupo de Armando, também composto pela presidente estadual do partido e prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, votou no candidato Eduardo Leite. O jovem governador aparece como liderança promissora na legenda e, apesar da pouca idade, tem serviços relevantes já prestados e perfil agregador. “Ele (Leite) tem um ambiente com sinalização de alianças, diferente do governador João Doria, que tem um perfil mais combativo e, num primeiro momento, sem expectativas para alianças, mesmo tendo um bom Governo, reconhecido até por adversários”, disse Armando.

Questionado se Raquel apoiaria a candidatura de João Dória, caso ele vença as prévias, já que ela depositou seu voto em Leite, Armando foi categórico e afirmou que o grupo está unido ao partido independentemente do candidato que vier a ser escolhido. Da mesma forma que Raquel não sofrerá retaliações como pré-candidata ao Governo de Pernambuco, visto que Doria tem apreço por ela e uma excelente relação com o seu pai, o ex-governador João Lyra Neto.

“Não haverá problema se for Doria ou Leite, vamos estar juntos. O grande desafio do PSDB, hoje, é o pós-prévia. Precisamos garantir que o partido possa juntar os segmentos e atestar a unidade. A luta já se assegura difícil na chamada terceira via, o ambiente está congestionado, então imagine se o partido não estiver unido? O nosso objetivo é a união do partido”, concluiu o ex-senador.

Aumento de 107% em propaganda – O vereador Alcides Cardoso (DEM) questionou, em reunião plenária na Câmara dos Vereadores, ontem, o aumento de 107% do orçamento da Prefeitura do Recife destinado à propaganda, que saiu de R$ 26,8 milhões para os atuais R$ 55,8 milhões, após várias suplementações. Para o parlamentar, há uma “completa inversão de prioridades” ao se comparar a execução do orçamento da área com o da habitação. “É uma propaganda do mundo do faz de conta. O que está na televisão não é o que acontece nas ruas do Recife. Uma cidade marcada por graves problemas sociais crônicos, tendo sido considerada a capital mais desigual do País”, disse o parlamentar.

Mais estrutura para os bombeiros – O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel (PSL), deu entrevista à Rádio Arari FM, ontem, e cobrou mais estrutura para os bombeiros militares do Araripe. “A gente sabe que se tivermos um incêndio de grandes proporções, como ocorreu na última sexta-feira, um carro apenas não seria suficiente para combater o fogo. Graças a Deus não tivemos vítimas, mas a tensão foi muito grande, porque o incêndio colocou em risco o tempo todo as lojas vizinhas. Então eu quero registrar aqui, mais uma vez, a falta de estrutura que os nossos bombeiros sofrem para trabalhar, tanto aqui na região como no Estado”, ressaltou.

Irregularidades em Sirinhaém – A Prefeitura de Sirinhaém abriu sindicância para apurar possíveis irregularidades no leilão ocorrido na gestão anterior, que apontam indícios de falha na avaliação nos valores dos automóveis. Como exemplo, duas Amaroks (ano 2015) foram arrematadas por R$ 35 mil e R$ 40 mil, valores bem abaixo dos praticados no mercado. Entre os indícios de irregularidades, não houve comprovação de que os veículos realmente não serviam para uso, além de vícios no edital para o chamamento da empresa leiloeira. Se confirmados os indícios, o Poder Público Municipal deverá entrar com a devida ação legal para reparar os danos aos cofres públicos.

Sem fonte para o Auxílio-Brasil – O secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Esteves Colnago, afirmou que o governo ainda não identificou uma fonte de recursos permanente que permita custear um Auxílio Brasil de pelo menos R$ 400 nos próximos anos. Até esta segunda, o governo federal dizia que o Auxílio Brasil – programa que substitui o Bolsa Família – seria complementado até o valor mínimo de R$ 400 apenas até o fim de 2022. “O que nos falta tecnicamente para que o programa seja permanente é a questão da fonte permanente [de recursos]. A gente não tem hoje uma fonte permanente para que essa despesa seja permanente”, disse Colnago durante divulgação do relatório de receitas e despesas do governo federal.

Sudene – O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, deu posse, ontem, ao novo superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), general Carlos César Araújo Lima. Desde março do ano passado, o cargo era ocupado por Evaldo Cruz Neto. Ao ser empossado, o novo superintendente fez questão de ressaltar que é cearense e que, portanto, conhece profundamente as limitações e, também, as possibilidades do Nordeste. "Ao sair do Exército Brasileiro, imediatamente, eu fui trabalhar no Governo do Estado do Rio Grande do Norte, na Secretaria de Recursos Hídricos, onde eu tive a oportunidade de conhecer praticamente todo o interior do Nordeste e, depois de algumas experiências, vi que é possível ampliá-las para todo o Nordeste. A minha intenção é exatamente essa, contribuir com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reduzindo os desequilíbrios regionais", afirmou.

CURTAS

BOM JARDIM – Após a vereadora do município de Bom Jardim Jêssica de Janjão (PSC) se licenciar do mandato para assumir a Secretária Municipal de Desenvolvimento Urbano e Obras, o suplente Damião Ruan Silva do Nascimento, o “Ruan de Herculano” (PSC), assumiu a cadeira na Câmara Municipal. A cerimônia aconteceu na manhã de ontem e foi comandado pelo presidente do Legislativo, o vereador Lenílson Lima (PSC). Abastecimento, infraestrutura das estradas e ações para saúde deverão estar na pauta de reivindicações do novo parlamentar.

AÇUDES – Análises de satélites feitas ao longo de três décadas apresentaram mudanças graves na Caatinga, bioma situado predominantemente na região Nordeste. Na região, foi constatada a perda de cobertura vegetal em áreas de conservação do Oeste baiano e o aumento do albedo, energia solar que é refletida de volta à atmosfera, no Sertão pernambucano. Além disso, mais de 1.300 açudes desapareceram no interior de Alagoas. A degradação do meio ambiente no Semiárido nordestino foi avaliada em uma pesquisa da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

Perguntar não ofende: O PSDB tem força para ser uma terceira via?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Novembro

22/11


2021

Coluna da segunda-feira

O vexame tucano

As prévias do PSDB não se encerraram ontem, não se tem noção de quando chegarão ao fim, nem tampouco quem, será, finalmente, escolhido candidato ao Palácio do Planalto, fruto de um suposto processo democrático. O que se constatou da vexatória eleição de ontem é que a legenda tucana, que, no poder, de tão organizada, copiava o modelo das convenções americanas, virou laboratório do improviso, da incompetência, da desorganização e do amadorismo.

Bagunçadas, desorganizadas e caras, com um aplicativo de votação ao custo de R$ 1 milhão - e que não funcionou, diga-se de passagem - as prévias traduzem o sentimento que impera no partido hoje: não pode um político sem mandato, sem brilho, sem capacidade e sem competência, como o pernambucano Bruno Araújo, ser o xerife de uma legenda da dimensão do PSDB, que polarizou a disputa pelo poder nos últimos 30 anos com o PT, exceto a eleição passada, vencida por Bolsonaro.

Anunciadas para mostrar que o PSDB pensa e age diferente, respeitando as instâncias de poder em qualquer processo pelo voto livre e soberano, as prévias saem, também, como exemplo de verdadeiro assalto aos cofres públicos. Cada candidato – e foram três – recebeu mais de R$ 1 milhão para a campanha e o partido gastou ainda R$ 1 milhão com um aplicativo que não deu em nada, além de mais R$ 2 milhões com outras despesas. Toda essa dinheirama foi jogada no lixo. Ou no bolso de alguém, provavelmente.

Cabe ao Ministério Público investigar essa imoralidade, um escárnio. Fundo eleitoral é dinheiro do contribuinte, do suor do brasileiro. O MP prestaria um relevante serviço à sociedade brasileira. Além disso tudo, as prévias passaram a impressão de que a tucanada vive hoje no esgoto da política. Ao longo do dia de ontem não faltaram acusações gravíssimas, de compra de voto pelos candidatos a pagamento de propina para travar o aplicativo da votação. João Doria e Eduardo Leite foram acusados de desmandos e de compra de voto.

Se tudo isso não fosse suficiente, uma deputada tucana do Acre, com DNA bolsonarista, armou o maior barraco no local da votação presencial, em Brasília. Aos berros, dizia que que tinha provas de que haviam tentado comprar o seu voto, mas não as apresentou. Ficou a imagem de que foi usada pelo bolsonarismo para estragar uma festa que já havia virado um verdadeiro picadeiro.

Política não é para amadores. A autoria da frase não se sabe até hoje. Atribuíram a Tancredo e até a Tom Jobim, mas este, na verdade, disse que o Brasil não é para amadores. Cai, entretanto, como uma luva para os que insistem num comando tucano incompetente e amador.

Versão para boi dormir – A fundação que desenvolveu o aplicativo de prévias do PSDB afirmou que está investigando as possíveis causas da instabilidade na tecnologia. O partido precisou pausar o pleito devido aos problemas no aplicativo. A Faurgs (Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul) negou que falha seja por falta de licenças na tecnologia para suportar o reconhecimento facial dos filiados. “Os votos até agora registrados não serão perdidos, e a segurança do sistema não foi afetada”, disse a Faurgs. A fundação informouj que a investigação começou desde os primeiros relatos de lentidão.

Raquel dependente – Agora, mais do que nunca, a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, presidente estadual do PSDB, precisa estar mais alinhada ao prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL). O PSDB se apresenta com um problemão para montar chapa proporcional. As prévias são uma demonstração de que o partido não revela vitalidade em Pernambuco e será refém de uma bancada elitista com base em São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. No restante do País, especialmente em Pernambuco, não tem chapa nem chapinha. No eixo do Sudeste a tucanada pode até cantar de galo, mas no restante da Federação, incluindo a terra de Nassau, dependerá da boa vontade dos outros aliados.

Maçã podre – Arthur Virgílio, candidato tucano nas prévias sem a menor chance, disse que o deputado Aécio Neves é uma “maçã podre” que está “estragando bastante as outras”. O ex-prefeito de Manaus também criticou o comportamento “bolsonarista” da bancada tucana em votações no Congresso. A fala foi feita nas prévias, ao lado do governador de São Paulo, João Doria, também candidato. “Considero o PSDB um caminhão carregado de maçãs boas, mas tem uma que está estragando as outras. E dou nome e sobrenome: Aécio Neves”. A declaração veio um momento de racha no PSDB, depois de uma confusão sobre o desfecho das prévias. O partido pausou o processo que realizava, ontem, por instabilidades no aplicativo de votação dos filiados sem mandato e vereadores.

Compra de voto – O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) insinuou que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, pagou pessoas para manifestarem apoio ao seu nome nas prévias do partido, em Brasília. Leite disputa com João Doria e Arthur Virgílio a candidatura da sigla à Presidência da República nas eleições de 2022. O congressista disse que impediu pessoas de fazer boca de urna a favor de Leite no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, local da votação presencial nas prévias. Frota também afirmou que pessoas com a camisa do gaúcho no local disseram que receberam R$ 50, além de lanche para fingirem ser torcedores do candidato. “Não sabiam o número do Leite, não sabiam quem era o Leite e ainda confirmaram estar aqui por dinheiro”, declarou.

E agora, Raquel? – O racha nacional tucano traz mais incertezas à candidatura de Raquel Lyra ao Governo do Estado. Além de não ter chapa proporcional, a tucana terá que engolir João Doria na disputa pelo Planalto. Calcinha apertada, como é conhecido o governador paulista, deve vencer as prévias, derrotando Eduardo Leite, apoiado por Raquel. Se as urnas confirmarem, a prefeita abre palanque para Doria no Estado ou usa a rachadura tucana como pretexto para cair fora?

CURTAS

SEM PLANO B – As equipes de João Doria e Arthur Virgílio afirmaram que o PSDB não tem plano B caso o aplicativo das prévias não funcione. O partido interrompeu as prévias presidenciais por causa de instabilidades no app usado para que filiados sem mandato e vereadores votassem na disputa. Os dois candidatos defendem que a disputa seja retomada no próximo domingo, por 12 horas, das 6h às 18h.

REPRESENTAÇÃO – O deputado Ivan Valente (Psol-SP) anunciou em sua conta no Twitter, ontem, que dará entrada numa representação à PGR contra o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o ministro da Secretaria Geral da Presidência, general Luiz Eduardo Ramos. O motivo são as emendas de relator, recursos que o governo e Lira usam para negociar apoio em votações na Câmara.

Perguntar não ofende: O PSDB é uma página virada?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Feira da Sulanca

20/11


2021

Coluna do sabadão

Quem é o presidente?

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) retornou ao Brasil na última quinta-feira (18) após viagem oficial ao Oriente Médio. Em seis dias, o chefe do Executivo visitou Emirados Árabes, Bahrein e Catar a pretexto de estreitar as relações com as três nações que se destacam pela produção de petróleo e atrair investimentos.

Uma grande comitiva acompanhou o presidente, incluindo nomes não relacionados ao governo. Dois de seus filhos, o deputado federal Eduardo (PSL-SP) e o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), estiveram no grupo.

A primeira parada foi em Dubai, no último sábado (13), para participar da Expo 2020, além de se reunir com algumas autoridades. Na terça (16), Bolsonaro foi a Manama, capital do Bahrein, onde inaugurou uma embaixada. No dia seguinte, rumou para Doha, capital do Catar. Lá, visitou um dos estádios da Copa do Mundo de Futebol e chegou a passear de moto.

Quase simultaneamente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez um périplo pela Europa. Um dos primeiros compromissos foi encontrar o futuro chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, no último dia 12. Pelas redes sociais, o político alemão disse que estava muito satisfeito com a conversa. No fim de outubro, o sucessor de Angela Merkel passou despercebido por Bolsonaro durante sua passagem pelo encontro do G20, em Roma.

Lula discursou no Parlamento Europeu, na Bélgica, segunda passada (15), durante uma conferência do bloco social-democrata voltada à América Latina. Dois dias depois, foi recebido com honras pelo presidente da França, Emmanuel Macron, no Palácio do Eliseu, em Paris. Segundo o porta-voz do governo francês, a crise sanitária e questões ambientais estiveram na conversa que durou mais de uma hora.

Ontem, foi a vez de o petista se reunir com o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, em Madri. A comparação entre as duas agendas é inevitável, sendo assunto na imprensa nos últimos dias e causando irritação no presidente Bolsonaro: “Eu vi na GloboNews: ‘Bolsonaro decepciona, Lula é um sucesso’. Ah, pelo amor de Deus”, esbravejou.

Contrastes – Na viagem à Europa, Lula esteve com líderes do primeiro escalão da política mundial, eleitos democraticamente. Em contrapartida, segue apoiando ditaduras de esquerda na América Latina. Já Bolsonaro visitou nações do Golfo Pérsico chefiadas por ditadores. O emir de Dubai, Mohammed bin Rashid al-Maktoum, com quem o presidente se reuniu, mantém a filha em cativeiro. Essa questão costuma ser minimizada no jogo econômico entre os países. A China, por exemplo, é o principal parceiro comercial do Brasil. Isso mostra que a ideologia é deixada de lado quando o assunto é dinheiro.

“Malucos” – O presidente Bolsonaro chamou de “malucos” os eurodeputados que aplaudiram Lula durante discurso do petista no Parlamento Europeu. “Tinha 20 deputados do PSOL deles, o equivalente. Num universo de 600 parlamentares, tinha 20, 30 presentes. Lógico que pessoal bate palma, tem maluco em tudo quanto é lugar”, afirmou em transmissão pelas redes sociais ontem.

Andar pelo Brasil – Bolsonaro teceu outros comentários sobre a viagem do ex-presidente Lula à Europa. Para ele, o petista teria de “andar pelo Brasil”. O chefe do Executivo também classificou a própria viagem como “excelente” e afirmou que teve “conversas excepcionais”. “O Brasil cada vez mais assumiu destaque no mundo. Há um grande interesse em várias áreas, em especial o agronegócio, a necessidade de segurança alimentar”, defendeu o presidente.

Prévias decepcionam – As prévias do PSDB para a definição do pré-candidato do partido à Presidência da República estão mantidas para amanhã (21). O governador de São Paulo, João Doria, é apontado desde o início como o favorito, mas tem Eduardo Leite, governador gaúcho, no encalço. O ex-senador Arthur Virgílio é o outro nome que compete, sem chance. Há cerca de 1,3 milhão de filiados, mas apenas 44,7 mil se cadastraram para votar (3,4%), segundo o jornal Valor. A maioria (26,1 mil ou 58,5%) é de São Paulo.

Iminência de racha – A situação entre os tucanos é tão pesada que Virgílio tem falado sempre que pode em “desbolsonarizar” o partido. No debate na CNN, na última quarta (17), o ex-prefeito de Manaus perguntou se Eduardo Leite seguiria no PSDB em caso de derrota. Se a vitória de João Doria for confirmada, pode haver uma debandada da sigla, capitaneada pelo deputado federal Aécio Neves (MG), desafeto do gestor paulista. Doria também não é bem-visto em outros estados, como Pernambuco. Presidente estadual da sigla, a prefeita caruaruense Raquel Lyra anunciou apoio a Leite.

CURTAS

NOVA VIAGEM – O prefeito João Campos (PSB) passa novo final de semana fora do Recife. Ele está no Rio de Janeiro, onde chegou a se reunir com o prefeito Eduardo Paes (PSD). O socialista defende um comitê executivo para as cidades que realizam os maiores carnavais no Brasil.

CRÍTICAS – Em um dos flagras nas redes sociais, João apareceu em um encontro informal com o deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ), que é pré-candidato ao Governo do Rio. Críticas ao prefeito recifense tomaram conta da publicação. "Servidores altamente desvalorizados por esse prefeito", trazia um dos comentários.

Perguntar não ofende: É prudente que o prefeito João Campos esteja pensando em Carnaval diante de uma doença ainda imprevisível como a Covid-19?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Arcoverde novembro 2021

19/11


2021

Coluna da sexta-feira

Xô, Carnaval!

Em entrevista, ontem, o secretário estadual de Saúde, André Longo, pôs em dúvida a realização do Carnaval no Recife e nos principais polos de animação do Estado, como Olinda, Bezerros e Triunfo. Alegou que ainda estão no registro do controle sanitário da sua pasta cerca de 600 mil pessoas sem ter recebido a segunda dose da vacina contra a covid-19.

“Hoje, não há segurança sanitária para grandes eventos que gerem aglomeração”, afirmou o secretário de Saúde, André Longo, adiantando que a preocupação das autoridades sanitárias está relacionada à sazonalidade das viroses respiratórias, que no verão têm seu pico. "Hoje, nossa preocupação não é com o carnaval, é com a sazonalidade”, enfatizou.

Isso, segundo ele, para que o Estado não tenha, mais uma vez, de regredir o plano de convivência e suspender atividades. “Só há um caminho, que é a vacinação massiva da população antes da chegada da sazonalidade", afirmou.  Para garantir o Carnaval, o Estado teria que chegar em fevereiro com as melhores condições sanitárias possíveis, com mais de 90% de cobertura vacinal com segunda dose e de pelo menos 2 milhões de pessoas com mais de 55 anos com dose de reforço tomada, além dos trabalhadores da saúde, para uma possível terceira onda.

Pelo tom do secretário, dá para perceber que o Governo de Pernambuco está inclinado a não autorizar o Carnaval, como já fizeram, de forma açodada e irresponsável, os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Festa mundana, da carne como diz a Bíblia, o Carnaval provoca grandes aglomerações, colocando em risco a vida de todos.

Abre, igualmente, uma janela para a população se abraçar com uma nova onda de covid-19, como se observa hoje em alguns países europeus. O Estado, é verdade, sofre uma forte pressão do segmento carnavalesco, que está no prejuízo econômico há dois anos, mas isso não vale nada. O que vale é a preservação da vida das pessoas.

Faz Carnaval não, governador!

Apelo para vacinação – O secretário de Saúde fez um apelo para as pessoas que não estão com o esquema vacinal contra a Covid-19 atualizado. Para tentar reverter o quadro, ele disse que todos os municípios se comprometeram a participar, entre 20 e 26 de novembro, de uma campanha de mega vacinação anunciada pelo Ministério da Saúde. "Precisamos chegar em fevereiro com as melhores condições sanitárias possíveis e, para isso, a gente precisa de mais de 90% de cobertura vacinal”, destacou. Pernambuco totalizou 636.774 casos confirmados da Covid-19, sendo contabilizados 212 novos casos, dos quais 15 de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e outros 197 leves.

Condado abandonada – Prefeito de Condado, na Mata Norte do Estado, pela segunda vez, o empresário Antônio Cassiano é tratado como adversário pelo Governo do Estado, embora o Republicanos, seu partido, integre a base de apoio na Assembleia. Em cinco anos de mandato, o governador não atendeu sequer o pedido para concluir uma pracinha que serve de apoio para os kombeiros que fazem o transporte alternativo no município. E não se trata de uma dinheirama: apenas R$ 63 mil para as obras de acabamento de um teto. Que horror, governador!

Briga no STF – O grupo de deputados que pediu para o Supremo Tribunal Federal anular a votação da PEC dos Precatórios na Câmara entrou com nova petição na Casa. Querem que o Tribunal reconsidere sua 1ª decisão, de negar o pleito. Eles focam na votação em 1º turno, concluída na madrugada de 4 de novembro. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), manobrou e permitiu que deputados em viagem autorizada pela Casa votassem à distância. Além disso, Lira admitiu uma emenda aglutinativa em situação fora da praxe da Câmara. A aglutinativa foi apresentada antes da emenda que seria aglutinada.

Recife entre as seis – Finalmente, uma boa notícia para o Recife: a cidade aparece entre as seis capitais brasileiras mais promissoras do mundo para atrair investimentos. Trata-se do ranking global elaborado todos os anos pela consultoria Kearney. Apesar de todos os problemas sociais e econômicos que se intensificaram em decorrência da pandemia de covid-19, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife figuram entre os 156 melhores destinos com potencial para reter negócios, pessoas e ideias.

Garanhuns iluminada – O prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB), transforma a cidade, hoje, a partir das 19 horas, num grande quarteirão de luzes. O clarão do Natal Luz terá seu start dado em frente à Catedral de Santo Antônio, nas proximidades do Palácio Celso Galvão, com a presença do governador Paulo Câmara. O projeto, coordenado pelo multiartista Diorges Albuquerque, traz como tema “Contos de Esperança “, uma perspectiva de dias melhores. Promete trazer um enredo que se desenvolverá pelos pontos turísticos de Garanhuns, como o Relógio de Flores e Praça da Fonte Luminosa, além das Avenidas Santo Antônio e Rui Barbosa. A ampliação da Magia vai contemplar a Praça da Bíblia, o Polo Heliópolis, a Praça Dom Moura, a Praça João Pessoa e o Marco Zero, além da entrada da cidade.

CURTAS

BRONCA – Uma operação realizada ao longo do dia de ontem, pela Polícia Civil do Estado, prendeu 16 pessoas por crimes como homicídio, tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Entre os presos, estão servidores e ex-funcionários do Governo de Pernambuco, do Ministério Público de Pernambuco e do Poder Judiciário.

CRIME – O vereador de Itapevi, no interior paulista, Denis Lucas (Republicanos) morreu, ontem, após ser baleado na Avenida Brasil, no centro da cidade que faz parte da região metropolitana de São Paulo. Ele tinha 47 anos. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), o crime ocorreu por volta das 23 horas, após ele estacionar o carro na garagem.

Perguntar não ofende: Vai ter mesmo o casamento do PL com Bolsonaro? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Vamos nos vacinar. Tenho certeza que o Bolsonaro se vacinou. Essa da vacina ter efeitos colaterais é balela, basta ver o quantitativo dos vacinados e a redução dos internamentos. Ficar acreditando que um paciente morreu por ter tomado a vacina, não tem fundamento.


Serra Talhada 2021

18/11


2021

Coluna da quinta-feira

PL recua e filia Bolsonaro

O que parecia ter se transformado numa travessia que havia virado letra morta, diante do tom agressivo veiculado na mídia como resultado de um bate-boca entre Bolsonaro e o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, para que começa a tomar outros caminhos navegáveis. Chega a notícia de Brasília de que o diretório do Partido Liberal decidiu, por unanimidade, dar “carta branca” a Costa Neto para negociar diretamente com o presidente da República as indicações para candidaturas nos Estados em 2022.

Esse era o principal entrave que barrava a filiação do chefe do Executivo. Presidentes regionais do partido afirmam que as divergências serão discutidas individualmente, mas que “dificilmente” o partido se coligará a siglas adversárias de Bolsonaro no pleito do próximo ano. A bola agora está com o presidente da República, e a data de filiação segue em aberto.

Valdemar terá a missão de, por exemplo, tentar encontrar um novo nome que agrade a Bolsonaro em São Paulo–como o do ministro Tarcísio Freitas– ou apoiar outra coligação. A possibilidade do “BolsoGarcia” fica mais remota. No Piauí – onde o deputado estadual e presidente do PL no Estado, Fábio Xavier, foi secretário das Cidades na gestão do petista e é próximo do governador – a mesma situação.

Aliados de Wellington Dias (PT-PI) estão irritados com o aceno do PL a Bolsonaro. Com isso, Dias deve esperar a poeira abaixar e só em janeiro concentrará esforços para negociar alianças. A decisão se deu em reunião organizada por Valdemar com presidentes regionais ou representantes das 27 Unidades da Federação em Brasília.

Os senadores Jorginho Mello (PL), de Santa Catarina, e Wellington Fagundes (PL), do Mato Grosso, foram escalados na reunião para conversar com jornalistas. Os dois são presidentes regionais do partido em seus estados e apoiadores de Bolsonaro. Nenhum presidente regional ligado à esquerda falou em nome do partido.

Jorginho Mello afirmou que o PL acatou de forma unânime a filiação do presidente Jair Bolsonaro à sigla. “O partido está dando ao presidente Valdemar carta branca para acertar com o presidente Bolsonaro todas as arestas de possibilidades em qualquer canto do Brasil”, declarou. “O partido entrega procuração ao presidente Valdemar para que ele trate com o presidente Bolsonaro. Todo mundo vai receber o presidente de braços abertos”, completou.

Adversidade em Jaboatão – No caso do PL em Pernambuco, o quadro, hoje, não é favorável a ele. Presidente da legenda, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, tem acordo fechado com a pré-candidata tucana ao Governo, Raquel Lyra, pelo qual um abre para outro. Como se sabe, a prefeita de Caruaru é do PSDB e está trabalhando para o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, vencer as prévias presidenciais no próximo domingo. Estando alinhada a Leite, Raquel tende a levar Anderson para o palanque tucano. Se isso ocorrer, o prefeito perde o controle da legenda, conforme carta branca que o diretório nacional deu a Valdemar.

Mudança no sistema – O ex-presidente Michel Temer (MDB) voltou a defender uma reforma considerável no sistema político brasileiro. Segundo ele, o Congresso Nacional tem tempo hábil para estruturar um projeto e aprová-lo até março do ano que vem. A medida mudaria drasticamente o rumo das eleições presidenciais de 2022. “No Brasil, há muito tempo se fala em fazer uma grande reforma política, mas jamais se conseguiu levar adiante”, disse. Nas palavras de Temer, o seu êxito na presidência da República foi alcançado por ter o Congresso governando junto. “Eu trouxe o Congresso para governar comigo não apenas porque era da nossa formação democrática, mas o fato é que no presidencialismo você também não pode governar sem o Congresso Nacional “, afirmou.

Sem pagamentos – O Tribunal de Contas da União (TCU) publicou uma medida cautelar determinando que o Governo de Pernambuco não utilize recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no pagamento de aposentadorias e pensões. A decisão foi aprovada na sessão plenária do TCU no último dia 10. O relator do processo foi o ministro Walton Alencar Rodrigues. A medida atende a representação conjunta do Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco e do Ministério Público de Contas em Pernambuco (MPCO).

Ameaça dos não vacinados – Conforme as temperaturas diminuem e as infecções por coronavírus aumentam em toda a Europa, países introduzem cada vez mais restrições direcionadas a pessoas não vacinadas, responsáveis por uma nova onda de contágios que coloca em risco retomadas econômicas, a saúde pública e um possível retorno às liberdades pré-pandemia. A Áustria estabeleceu um novo padrão para medidas desse tipo no Ocidente. Encarando um aumento de 134% dos casos de covid-19 nas duas últimas semanas, o governo austríaco passou a restringir o movimento em viagens, trabalho, escolas, comércios e assistência médica de pessoas não vacinadas com mais de 12 anos.

Guerra contra folia – A vereadora Michele Collins, da bancada do PP na Câmara do Recife, abriu guerra contra a realização do carnaval. Ela teme que as grandes aglomerações típicas da festa provoquem uma quarta onda da Covid-19 com o aumento de casos já observado em outros países. “Um boletim da Organização Mundial de Saúde aponta que houve um aumento, na última semana de outubro, dos casos de covid, sendo registrados 1,8 milhão de novos casos e 24 mil novas mortes relatadas. Eles já estão vendo a questão do lockdown novamente. Como vamos fazer uma aglomeração do tamanho do carnaval em Recife, que no Galo da Madrugada, reúne mais de 2 milhões de pessoas?”, questionou.

CURTAS

CANIBAIS – Os desembargadores da 2ª Câmara Criminal do TJPE mantiveram as condenações das três pessoas que ficaram conhecidas como "Canibais de Garanhuns". Os advogados de Jorge Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva tinham recorrido da sentença relacionada aos homicídios de duas mulheres, em Garanhuns, no ano de 2012. O júri popular aconteceu em dezembro de 2018. Jorge tinha recebido a pena de 71 anos de prisão, Isabel de 68, e Bruna de 71 anos e 10 meses.

MÍNIMO – A Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia faz projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deste ano subindo de 8,4% para 10,04%. O INPC é a base da correção anual do salário mínimo pelo governo. Se esse aumento previsto se confirmar e não houver mudança no cálculo, o reajuste do salário mínimo em 2022 também será maior que o estimado anteriormente. Com a nova previsão, o valor subiria para R$ 1.210,44 no ano que vem.

Perguntar não ofende: Lula pode bancar a candidatura de Humberto a governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC - Férias de Janeiro

17/11


2021

Coluna da quarta-feira

Almir, o grande vitorioso 

Ao arrancar, ontem, num grande sufoco, a vitória do advogado Fernando Ribeiro com uma diferença de apenas 300 votos, o comando da OAB de Pernambuco recebeu um claro e indiscutível recado da categoria: não pode continuar gerindo a instituição em torno de um grupo. Não fosse a forte e poderosa estrutura montada pelo ex-presidente Ronnie Duarte, que comandou nos bastidores, com mão de ferro, a eleição de Fernando, o jovem advogado Almir Reis teria sido eleito.

O postulante da oposição, na verdade, sai da eleição como o grande vitorioso moral. Foi um gigante, quase põe abaixo os poderosos numa campanha limpa, em cima de propostas, recorrendo ao discurso da palavra sóbria do convencimento pela mudança. Com botas de sete léguas, andou o Estado inteiro, venceu no Recife, o maior colégio eleitoral, mas acabou derrotado pela força da máquina da situação com os votos desfavoráveis apurados no Interior.

A alternância de poder é salutar e necessária em qualquer instância e instituições, como a OAB. Ribeiro, presidente eleito, representa os interesses e os compromissos de um grupo que manda e desmanda na Ordem há muito tempo, que não conseguiu passar na campanha uma mensagem que conquistasse a confiança dos associados de que a política de grupos mudaria, principalmente para os mais jovens, que votaram maciçamente na oposição, apostando em novos tempos.

Mesmo derrotado, Almir Reis se transforma, a partir de agora, na maior, mais expressiva e jovem liderança da advocacia pernambucana, com chances de encerrar o ciclo dos poderosos no próximo pleito. Quem venceu a eleição da OAB-PE não foi Fernando, foi a máquina, o aparelhamento da instituição. O termo “aparelhamento" aplica-se à tomada de controle de órgãos ou setores da administração pública por representantes de grupo de interesses corporativos ou partidários, mediante a ocupação de postos estratégicos das organizações do Estado, de modo a colocá-las a serviço dos interesses do grupo.

O pequeno Almir de estrutura física, mas de espírito gigante de guerreiro, por pouco não quebra também esse aparelhamento, observado no Estado, hoje, em quase todas as instituições representativas da sociedade sob o viés de um falso e intragável socialismo de mentirinha.

Futuro de Bolsonaro – O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, tem encontro agendado, hoje, com os dirigentes regionais do partido para discutir o imbróglio da filiação do presidente Jair Bolsonaro. Será às 15h na sede do partido em Brasília. O chefe da sigla quer resolver conflitos regionais para facilitar a entrada de Bolsonaro, seus filhos e aliados no partido. Na última segunda-feira, Bolsonaro disse que as pendências para a filiação são o acerto do partido com o pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo e as alianças com governadores de siglas de esquerda no Nordeste.

Pronto para a guerra – Recém filiado ao Podemos, o ex-juiz Sergio Moro afirmou, ontem, ao programa Conversa com Bial, da Globo, que “está pronto” para construir um projeto à Presidência da República. “Estou pronto para liderar esse projeto, e construindo um projeto consistente com o povo brasileiro. Se o povo brasileiro tiver essa confiança, o projeto segue adiante”, afirmou ao jornalista e apresentador Pedro Bial. Moro disse que tem discutido suas ideias para o “projeto” com especialistas em assuntos, principalmente, econômicos. Citou apenas o escritor e economista Affonso Celso Pastore como um “guru” a nível macroeconômico.

Mosca azul – O pacote de obras orçado em R$ 5 bilhões que o Governo do Estado vem tocando em todas as regiões, com destaque para gargalos que irritam e trazem prejuízos à população, como estradas novas e repaginadas no Sertão e Agreste, estaria estimulando o governador Paulo Câmara a rever a sua decisão de ficar no mandato até o fim. Quem passa no Palácio para tomar o cafezinho frio, típico de fim de governo, percebe que Câmara já sonha em disputar o Senado.

À frente dos EUA – O Brasil superou os Estados Unidos na porcentagem de pessoas com imunização completa contra covid-19, apontam dados da plataforma Our World in Data, gerida por pesquisadores da Universidade de Oxford. Atualmente, a parcela de brasileiros que receberam duas doses ou dose única é de 59,75%, ante 57,62% dos americanos. Mesmo tendo largado atrás e enfrentado problemas de falta de vacinas, o Brasil acelerou o ritmo da vacinação principalmente a partir de agosto. Com aumento na disponibilização de doses, a adesão da população brasileira passou a ser determinante para o cenário de hoje.

Prévias tucanas – O presidente do PSDB, Bruno Araújo, decidiu que as prévias do PSDB serão mantidas em 21 de novembro. A mudança chegou a ser proposta pelo ex-deputado Jutahy Júnior (BA), aliado do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que polariza a disputa com o governador de São Paulo, João Doria. Foi feita em reunião interna da sigla na semana passada. O governador gaúcho, no entanto, se disse contrário a qualquer mudança. “Não faz sentido postergarmos a decisão em um processo no qual trabalhamos com absoluta confiança na vitória. Queremos todos os filiados com o aplicativo em mãos e decidindo o futuro do PSDB no dia 21”, negou Leite.

CURTAS

SEM CRUZEIROS – O Governo do Estado desistiu de liberar os cruzeiros turísticos para Fernando de Noronha. A volta, na temporada 2021/2022, foi anunciada na última quinta-feira. Fernando de Noronha não recebe navios turísticos desde 2013. Por 23 anos, os cruzeiros foram realizados, com escalas regulares, e há oito anos foram suspensos. Ao longo dos últimos anos, poucos cruzeiros fizeram escalas em Noronha e não houve uma linha regular, como ocorria no passado.

ESCOLAS – Já as escolas da rede estadual foram autorizadas a voltar a funcionar desde a última segunda-feira, com a capacidade total dos alunos presencialmente nas salas de aula. Outra mudança é que o distanciamento de um metro entre os estudantes e a aferição de temperatura na entrada das unidades de ensino deixou de ser exigido.

Perguntar não ofende: Se o PL desistir, qual legenda abrigará Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes novembro 2021

16/11


2021

Coluna da terça-feira

E se Bolsonaro estivesse em alta?  

Se as tratativas de abocanhar um partido para chamar de seu com o PL, do mensaleiro, ex-lavajatista e boquirroto Valdemar Costa Neto, deram para trás, imagine o cenário que se apresenta adiante para o presidente Bolsonaro! No universo do Centrão, base fisiológica do seu Governo no Congresso, só restam o PP, de Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, e o Republicanos, do deputado Marcos Pereira.

Notícias que correm em Brasília dão conta que o PP não quer Bolsonaro em suas fileiras em hipótese alguma, a começar por Ciro, que deixou vazar ontem que tentará apaziguar o PL, junto a Valdemar, para que o presidente não desista da filiação e esqueça o PP. Já Pereira revelou ao site O Antagonista que nunca o Republicanos convidou o chefe da Nação para ingressar na legenda.

Em ano pré-eleitoral, mesmo em se tratando da autoridade máxima do País, não é fácil encontrar um cobertor partidário. Com raríssimas exceções, todas as legendas, independente do alinhamento em cima, na corrida presidencial, embaixo, na disputa pelos governos estaduais, já são fortemente comprometidas.

No caso do PL, Bolsonaro queria o controle de pelo menos cinco diretórios estaduais, entre eles São Paulo e Pernambuco, mas Valdemar já assumiu compromissos com esses dirigentes e resiste às pressões. Se vier a optar pelo PP, nem em São Paulo nem tampouco em Pernambuco será diferente. No caso de São Paulo, o PP está comprometido até a medula com o PSDB – leia-se governador João Doria.

Em Pernambuco, o PP vai de PSB. Seu presidente, Eduardo da Fonte, donatário da maior bancada na Assembleia Legislativa, tem compromisso velado com o candidato a governador que será escolhido e anunciado por Paulo Câmara (PSB). Bolsonaro, portanto, vai ter de comer o pão que o diabo amassou para se abrigar partidariamente até abril, quando se esgota o prazo para filiações e troca de partidos.

Tudo isso se remete, principalmente, ao momento de dificuldades que o presidente e o seu Governo enfrentam. Se estivesse bem avaliado, com amplas chances de ser reeleito logo no primeiro, Bolsonaro escolheria qualquer partido e ainda seria extremamente paparicado. Seu horizonte adverso e sombrio está atrelado ao seu ibope. E tende a não mudar nem tão cedo.

PL com Doria – Em entrevista a jornalistas em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, Bolsonaro deixou claro que as pendências para a filiação são o acerto do partido de Valdemar Costa Neto com o pré-candidato do PSDB ao Governo de São Paulo e as alianças com governadores de siglas de esquerda no Nordeste. “Conversei com o ministro Tarcísio de Freitas e ele aceita discutir uma possível candidatura dele ao Governo de São Paulo. Se ele vier candidato tem tudo pra levar”, declarou. E acrescentou: “É um tocador de obras, é gestor, conhece muito do Brasil e tem como rapidamente se inteirar do que acontece em São Paulo. Uma vez eleito, se vier candidato, da mesma forma como eu fui, sem dever nada para ninguém, tem como botar um bom secretariado e fazer um bom trabalho.”

Acredite se quiser – Bolsonaro disse que foi melhor adiar a data de sua filiação, antes anunciada para 22 de novembro, para não começar o casamento com pendências. E comentou a “intensa troca de mensagens” que, nas palavras do próprio presidente do PL, definiu o cancelamento da data inicial: “Não sei como divulgam uma matéria de que eu teria trocado ofensas [com Costa Neto], foi uma rápida troca por WhatsApp, nem falei por telefone.” Apesar dos impasses que ele pede para o presidente do PL resolver como condição para sua filiação, Bolsonaro afirmou que ele “tem tudo para casar e ser feliz”, recorrendo mais uma vez à metáfora do matrimônio para descrever suas articulações políticas.

Filhos atrapalham – O impasse para se filiar ao PL tem outras razões. O clã Bolsonaro se desentendeu com o mandachuva Valdemar Costa Neto por causa das composições políticas em São Paulo, Bahia, Pernambuco e Piauí. Na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, a ideia do Planalto é forçar o PL a desfazer o acordo para apoiar a candidatura do vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB). O presidente tem um time de conselheiros para tratar da filiação. Ele tem conversado nos últimos dias sobre a escolha do partido com os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira (Progressistas), das Comunicações, Fábio Faria (PSD), e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (sem partido).

Ainda em discussão – O PL não decidiu como vai atender as solicitações de Bolsonaro, mas ainda trabalha em ajustar um acordo. Valdemar deu tempo para Bolsonaro poder administrar internamente a questão. Uma reunião com a participação do comando da legenda e das bancadas na Câmara e no Senado está marcada para acontecer hoje, na sede do PL, em Brasília. Integrantes do partido avaliam que um acordo só vai efetivamente começar a ser desenhado após uma conversa cara a cara entre Bolsonaro e Valdemar. O chefe do Poder Executivo volta ao Brasil na próxima quinta-feira.

Portas dos fundos – Após ser demitido pela CNN Brasil, o jornalista Evaristo Costa decidiu mover uma ação na Justiça Cível contra a emissora, exigindo indenização. Acusa a emissora de desrespeito profissional e danos morais e materiais. Ele tomou conhecimento do desligamento enquanto assistia à nova chamada de programação do canal. De férias, notou que o programa que apresentava, CNN Séries Originais, não constava na grade. O jornalista acredita que o correto seria ter sido o primeiro a ser informado da demissão, e considerou humilhante a forma escolhida pela direção para o corte. "Me chutaram pelas portas dos fundos", desabafou.

CURTAS

PIADINHA PRONTA – O senador Humberto Costa não se cansa de plantar a notícia de que o PSB poderá apoiar a candidatura dele a governador, para que Paulo Câmara possa disputar o Senado. O que a viúva Renata Campos e os seus áulicos acham da ideia de o PSB dar de mão beijada o poder ao PT? Humberto governador seria sepultar a ideia de João Campos ser candidato a governador, caso venha a ser reeleito.

ABERTURA – O comércio de rua e os shoppings do Recife começaram, ontem, a abrir todos os dias até o Natal. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Fred Leal, diz estar otimista com as vendas para o final de ano. “Existem fatores positivos e negativos. Estamos com um índice de vacinação muito bom, o que faz com que a gente tenha uma expectativa da volta dos setores, movimenta festas, bares e restaurantes, o que repercute no setor de acessórios, confecções e bebidas”, declarou.

Perguntar não ofende: Doria e Eduardo Leite, que disputam as prévias para virar candidato do PSDB ao Planalto, engolem a ideia de Alckmin vice de Lula? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Quem tá doido em se aliar ao Bozo (inepto)? Apenas o capeta, o gado e os lambe-botas de PE.

Wellington Antunes

Partidos políticos e os políticos não tem vocação para o suicídio. Ninguém quer proximidade com esse defunto mal cheiroso a caminho do cemitério e quem ousar a pegar na alça do caixão, corre o risco de cair na sepultura. Quem tá doido em se aliar com o Bozo?


Pousada da Paixão

15/11


2021

Coluna da segunda-feira

PT e PSDB se merecem!  

Um dos mais importantes filósofos do iluminismo francês, o Barão de Montesquieu dizia que a corrupção dos governantes quase sempre começa com a corrupção dos seus princípios. Ao saber que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, está “avaliando” e propenso a ser o candidato a vice-presidente na chapa do ex-presidiário Lula, lembrei não apenas da inteligência de Montesquieu, mas também do sábio Luis Fernando Veríssimo.

Em 1983, em seu décimo volume de crônicas inéditas, Veríssimo lançou um personagem de muito sucesso, a Velhinha de Taubaté, definida como "a única pessoa que ainda acredita no governo e nos políticos”. O ingênuo personagem, que dera a seu gato de estimação o nome do porta-voz do Presidente-General Figueiredo, marcava a decadência do governo militar brasileiro, que já estava quase completando 20 anos.

Mas, anos depois, em plena democracia, Verissimo faria reviver a Velhinha de Taubaté ironizando a credibilidade dos presidentes civis. É também dele a provocante frase: “Brasil, esse estranho País de corruptos e corruptores”. Estranho para nós, cidadãos mortais, pagadores de impostos para deleite dos políticos sem escrúpulos. Menos para eles, que brigam por tudo, xingam a mãe um do outro e suas mulheres, mas se unem pelo poder, a velha tese do poder pelo poder.

Dá náuseas imaginar PT x PSDB juntos, agora, depois de digladiarem a vida inteira pelo poder, um xingando o outro de ladrão e bandido. Com muita hipocrisia, o PSDB utilizou o mensalão para desgastar o PT e depois a Lava Jato, esquema em que aparecem citados como irmãos siameses na ladroagem. É o sujo falando do mal lavado.

É sempre bom lembrar que o PSDB protagonizou alguns dos maiores escândalos de corrupção da história, como a chamada “privataria tucana” dos anos do governo FHC. O PT, por sua vez, fez campanha para provar que o mensalão “nunca existiu”, que o escândalo foi uma tentativa de “golpe” contra o governo Lula. Igualmente, que a Lava Jato foi uma invencionice do ex-juiz Sérgio Moro, mas nunca explicou porque a quadrilha que foi presa, incluindo Lula, mas nunca pediu de volta dos R$ 4 bilhões do roubo recuperados na operação Lava Jato.

Juntos, PT e PSDB podem criar até um slogan: “A diferença entre nós é uma questão de cifras”. Por tantos e mega escândalos, fica difícil saber quem roubou mais ou menos. A diferença que conta, entretanto, não é a que está nos números, mas nos princípios. E, nos princípios, será que PT e PSDB é diferente um do outro? PT e PSDB ficaram tão parecidos que se merecem. As duas legendas estão a tal ponto espelhadas uma na outra que agora projetam o sonho de partilharem a corrupção com Lula presidente e Alckmin vice.

Deus socorra o Brasil!

Bagagem da impunidade – PT e PSDB quando governaram o Brasil foram protagonistas de episódios que entraram para o anedotário. Malas pretas apreendidas, cuecas que voaram entupidas de dinheiro, do meu, do nosso dinheiro que reservamos duramente para educar os meninos mais pobres que nós, para cuidar, gratuitamente, da saúde deles e dos seus pais. PT e PSDB são responsáveis por um dinheiro que viajou por muito tempo na bagagem da impunidade. Santo Agostinho já dizia: “Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me corrompem”. Vale para Alckmin!

E agora, Raquel? – Não saindo Alckmin do PSDB e recebendo o aval do partido para o acordo mais espúrio da história recente do Brasil, a juntada da tucanada com a petralhada, como ficará a pré-candidata tucana ao Governo de Pernambuco, Raquel Lyra? Vai engolir e aterrissar em outra legenda? Com a palavra, a própria prefeita, que, certamente, não acredita na possibilidade, na medida em que enxergar o caminho do PSDB na candidatura própria do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, para quem sairá vitorioso nas prévias.

PT nada fez – Do Estadão, ontem, em editorial: “Agora, o PT propõe a mesma receita: crescimento via gastos públicos. Mas se furta a explicar de onde virá o dinheiro. Sem dúvida, recursos públicos podem servir de estímulo à economia. A pandemia explicitou a importância do Estado para amortizar choques e promover políticas anticíclicas. O problema não é o gasto em si, mas o gasto sem controle e sem critério. Na maré alta do ciclo das commodities, o PT nada fez para disciplinar a expansão dos gastos obrigatórios – ao contrário. Na maré baixa, consumiu a capacidade de investimento do País e arruinou sua saúde fiscal”.

Rejeição – Ainda segundo o Estadão, dados da pesquisa Genial/Quaest mostram as principais dificuldades da candidatura de Sérgio Moro na largada. Para vencer, o ex-juiz terá de tocar os corações dos mais pobres, especialmente no Nordeste. A rejeição a Moro entre quem ganha até dois salários mínimos por mês está em 74%, praticamente a mesma de Jair Bolsonaro nessa faixa, 73%. Há, porém, um complicador para o presidente: seu ex-ministro da Justiça vai um pouco melhor entre quem recebe de dois até cinco salários: 49% rejeitam Moro; 65%, Bolsonaro, no segmento. Os dados escancaram os limites do discurso anticorrupção do homem da Lava Jato e da guerra cultural do “Mito”.

Mudança na OAB – Candidato da oposição na briga pela presidência da OAB-PE, o advogado Almir Reis está animado. A eleição ocorre amanhã. “As pesquisas apontam vantagem ao nosso projeto. Essa foi uma caminhada limpa, bonita e propositiva, na qual andamos por mais de 130 cidades, visitamos mais de sete mil colegas e mais de 400 escritórios. Estamos prontos e legitimados pela advocacia pernambucana para começarmos a gestão a partir do ano que vem”, diz. Como opositor, ele se apoia na máxima que diz não existir democracia sem alternância no poder.

CURTAS

MESMO GRUPO – A mais legítima provocação de Almir Reis sobre seu adversário: “Ele representa os mesmos grupos, as mesmas pessoas fazendo rodízios das cadeiras. Ao longo dos últimos cinco mandatos, foi desse jeito. Agora chegou o momento de oxigenar a instituição, de colocar na gestão os jovens, as mulheres, os interioranos, para que a gente possa ter uma gestão realmente antenada com os anseios das advocacias militantes”, desabafa.

SEM MÁSCARA – A flexibilização do uso da máscara, com autorização para não a usar em locais abertos, começa a valer na próxima quarta-feira em Fernando de Noronha. Apesar disso, inúmeras pessoas foram vistas sem usar o item obrigatório durante a gravação do DVD da Banda Eva, quinta-feira passada, na Praia da Conceição, dentro da programação do Réveillon do Ansiosos. O protocolo contra Covid-19 em vigor na ilha atualmente é o mesmo válido em todo o Estado.

Perguntar não ofende: PSDB e PT unidos pela corrupção? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Wellington Antunes

O que o ministro do turismo vai trazer de útil para o Brasil depois do passeio em Dubai?

Wellington Antunes

Por que o blogueiro lambe-botas não escreve um monossílabo sobre o passeio turístico a Dubai do Bozo, familiares e amigos com o uso do nosso dinheiro?

Joao

Perguntar não ofende: o blog é o blogueiro já fez está mesma pergunta ao Valdemar Costa Neto, ao acéfalo e ao Arthur Lira. Será que está união ao centrão é para quê?



13/11


2021

Coluna do sabadão

Fato novo em 2022?

Por Houldine Nascimento, da equipe do Blog

Por mais que a disputa à Presidência tenha sido antecipada, quase metade do eleitorado não se decidiu quanto ao postulante na corrida ao Palácio do Planalto em 2022. O levantamento Exame/Ideia divulgado ontem mostra que 44% dos consultados não sabem em quem votar na pesquisa espontânea, aquela em que o entrevistado precisa lembrar do candidato sem a ajuda de uma lista.

Neste mesmo cenário, o ex-presidente Lula (PT) é citado por 25%, enquanto o presidente Jair Bolsonaro – na iminência de se filiar ao PL – aparece com 18%. Na visão de Maurício Moura, fundador do Ideia, essa simulação concentra os eleitores mais fiéis dos dois pré-candidatos. “E é esse o dado que ainda mostra uma desconexão de grande parte do eleitorado, que não consegue verbalizar um nome sequer de um presidenciável”, completa.

Esses números dão esperança à chamada terceira via, ainda bastante pulverizada. Na última quarta-feira (10), o ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro se juntou a esse grupo ao ingressar no Podemos, com um evento pomposo em Brasília. A pesquisa Exame/Ideia entrevistou 1,2 mil eleitores entre os dias 9 e 11 de novembro e por isso ainda não conseguiu detectar qual é o real impacto da entrada de Moro na corrida.

Na consulta estimulada, o ex-juiz da Lava Jato varia de 5% a 9% em dois cenários, surgindo numericamente atrás do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que chega a 12% e segue como o terceiro colocado na pesquisa, mas bem atrás de Lula (35% a 40%) e de Bolsonaro (25% a 28%).

Em todos os cenários, o petista lidera. Nos confrontos de segundo turno, Lula também bate todos os adversários. Ele se sai melhor no duelo com João Doria, que disputa as prévias do PSDB: 50% x 22%. A simulação menos confortável é contra Ciro (44% a 31%). Sobre Bolsonaro, Lula abre 17 pontos (48% a 31%) e uma frente de 22 pontos para Moro (47% a 25%).

Sem nova chance – A pesquisa Exame/Ideia também perguntou ao eleitorado se o presidente Bolsonaro merece ser reeleito. Para 64%, o chefe do Executivo não deve ser reconduzido ao cargo, enquanto 29% avaliam que ele merece um segundo mandato. Apenas 7% não sabem. Já o ex-presidente Lula não deve voltar à Presidência para 55% dos eleitores e 44% acreditam que ele merece retornar. Só 1% não se posicionou.

Reprovado – O levantamento consultou os eleitores sobre o governo Bolsonaro. A pesquisa mostra que 52% consideram a gestão ruim ou péssima. Já 23% avaliam como boa ou ótima e 22% apontam que é regular. Quando a pergunta é sobre a maneira que o presidente Bolsonaro está lidando com a Presidência, 54% desaprovam e apenas 23% aprovam. Já 20% não aprovam nem desaprovam.

Difícil reversão – Para Maurício Moura, é difícil que Bolsonaro se recupere: “Apesar de ter um nível de aprovação sólido e constante nos últimos meses, o presidente Jair Bolsonaro tem níveis de aprovação abaixo de seus pares que tentaram a reeleição. No terceiro ano de mandato, todos tinham um patamar de aprovação acima de 30% e menor rejeição. E, para serem reeleitos, precisaram melhorar sua performance de popularidade no ano eleitoral. No caso de Bolsonaro, essa recuperação teria de ser recorde.”

Queda entre evangélicos – A consulta Exame/Ideia destaca, ainda, que 28% dos evangélicos avaliam o governo Jair Bolsonaro como ótimo ou bom. Isso representa uma queda de 11 pontos percentuais em relação à rodada anterior, divulgada no último dia 22. Este segmento costuma ser apontado como um dos principais pilares de apoio ao presidente.

Desconforto – Com a filiação de Jair Bolsonaro ao PL, o presidente da sigla em Pernambuco e prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, fica em uma situação bastante delicada. Isso ocorre devido à aliança com a prefeita de Caruaru e líder do PSDB no Estado, Raquel Lyra, firmada por meio do movimento “Levanta Pernambuco”, que também reúne PSC e Cidadania. Ainda visto como um apoiador do presidente da República, Anderson terá de abdicar de vez dessa ligação com Bolsonaro se quiser seguir com a tucana.

CURTAS

AUTONOMIA – O presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, afirmou em nota que Anderson terá autonomia para montar chapas no Estado: “As decisões tomadas pela direção da legenda em Pernambuco contam com pleno apoio da direção nacional do partido.”

MORADIA – O Ministério do Desenvolvimento Regional entregou 300 moradias a famílias de baixa renda em Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, na última quinta (11). Elas passam a morar no Residencial Vila Bela 1, que teve R$ 21 milhões de investimento federal.

Perguntar não ofende: Anderson Ferreira vai largar Bolsonaro de vez?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


12/11


2021

Coluna da sexta-feira

Só falta definir Anderson  

Está praticamente acertado: Priscila Krause, ex-DEM, está arrumando as malas para desembarcar no Cidadania, reforçando a chapa da tucana Raquel Lyra, candidata à sucessão do governador Paulo Câmara. Para fechar a chapa, com o nome para o Senado, falta definir o destino do prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, principal liderança do PL no Estado até se confirmar a filiação do presidente Bolsonaro.

Apurei, ontem, em Brasília, que o presidente da República impôs algumas condições para bater o martelo com o PL: o controle absoluto de cinco diretórios estaduais, estando Pernambuco entre eles. Se isso se confirmar, Anderson perde as condições de sair na disputa para o Senado filiado ao Partido Liberal.

Bolsonaro quer entregar o controle do PL no Estado ao ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, atualmente sem filiação partidária. Machado é o nome mais citado no Planalto para disputar o Governo de Pernambuco no agrupamento partidário com forte ressonância no Planalto. Filiado ao PL, pode abrir o palanque para Bolsonaro no Estado.

Soube que Anderson teve uma longa conversa com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, depois que se confirmou a filiação de Bolsonaro. A primeira versão dá conta que Valdemar manteve a liderança do prefeito de Jaboatão na legenda. A segunda, trata de que será expurgado o quanto antes, para deixar Gilson Machado à vontade na estruturação do diretório estadual e dos núcleos municipais.

Numa conversa com este blogueiro, ontem, em Brasília, Roberto Freire disse que as portas do Cidadania estão abertas para Priscila. “Ela só não entrará se não quiser”, afirmou, adiantando ter informações que a deputada está decidida a ingressar na legenda. Quanto ao fato de ser entregue o cargo de vice na chapa de Raquel ao Cidadania, Freire desconversa. “O que está bem adiantando é a aliança em apoio a Raquel. O resto a gente tem tempo pela frente para discutir”, destacou.

Novo comunismo – Quanto ao perfil de Priscila, marcado pela direita e o conservadorismo histórico, Roberto Freire não vê impedimento para ela se transformar numa neocomunista. “O mundo mudou, os parâmetros de direita e esquerda hoje não são mais os de 500 anos atrás”, enfatiza. Em tempo, o Cidadania é, hoje, a versão mais flexível do Partido Comunista do Brasil, liderado pelo próprio Freire, refundador do comunismo no Brasil. Além de ser de direita, Priscila passou a vida inteira num só partido, o DEM, antes Frente Liberal e depois PFL.

Sem saída aparente – Se vier a se confirmar a entrega do PL ao ministro Gilson Machado Neto em Pernambuco, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, teria, a princípio, a legenda do PSC para se abrigar. No Estado, o mandachuva do Partido Social Cristão, com forte disseminação no meio evangélico, é o deputado federal André Ferreira, irmão de Anderson. Só tem um problema ou problemão: o PSC, em nível nacional, está na sombra do poder, no guarda-chuva do presidente Bolsonaro.

Nordeste sombrio – Eleitores das regiões Sudeste e Nordeste são os que mais avaliam o trabalho do presidente Jair Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo”. O dado é da pesquisa PoderData, de 8 a 10 de novembro últimos. No Sudeste, 63% avaliam o chefe do Executivo desta forma. Na região Nordeste, 62% dizem o mesmo. Os percentuais são os maiores entre as 5 regiões brasileiras. Juntas, as duas regiões concentram 101,7 milhões de eleitores –o que corresponde a 69% do total de pessoas aptas a votar no Brasil, segundo estatísticas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) atualizadas em outubro de 2021.

Discurso chinfrim – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou, ontem, o discurso do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, Sérgio Moro, durante sua filiação ao Podemos. O ex-juiz se colocou como pré-candidato à Presidência. “Vocês gostaram do discurso lido pelo cara ontem? O cara leu. Eu assisti porque foi meu ministro, né? Li o discurso, tinham dois teleprompters lá. Não aprendeu nada, não aprendeu nada. Ficou um ano e quatro meses ali, não sabe o que é ser presidente nem ser ministro”, disse a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Para Cristiana Lôbo – Da jornalista Eliane Cantanhêde em homenagem a Cristiana Lôbo, jornalista da Globo News que morreu ontem em São Paulo, mas com atuação em Brasília: “Era um furacão. Adorava o jornalismo, os furos de reportagem, a correria do dia a dia, mas antes de mais nada adorava a vida. Linda, exuberante, super bem casada com o Murilo, mãe atenta da Bárbara e do Gustavo, avó sempre presente, nunca deixou de ser vaidosa — "chiquérrima", como sempre se dizia em Brasília — nem de frequentar as missas aos domingos. Uma vida completa. Para nós, amigos e colegas, ela deixa a imagem de uma veterana generosa, sempre pronta a alavancar um novo talento, dar uma bronca num repórter mais atrevido, explicar uma notícia complexa. Nas entrevistas coletivas, dava uma aula de como combinar seriedade com humor, para arrancar as melhores revelações, as frases mais contundentes”.

CURTAS

FORA DO AR – O acesso aos serviços online da Prefeitura do Recife fica indisponível, a partir de hoje até a manhã da próxima terça-feira, para a instalação de um novo centro de processamento de dados. A gestão municipal informou que a suspensão temporária é por "medidas de segurança" durante a implantação dos novos equipamentos. Com isso, também fica suspenso o acesso ao aplicativo do Conecta Recife, plataforma para agendar a vacinação contra a Covid-19.

PATRIMÔNIO – Rima e improviso são as principais marcas do Repente. A manifestação artística que faz parte da identidade do Nordeste foi reconhecida, ontem, como patrimônio cultural do Brasil durante reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O pedido de registro da cantoria foi formalizado em 2013 pela Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno.

Perguntar não ofende: Qual partido vai abrigar Anderson Ferreira depois da sua expulsão voluntária com o ingresso de Bolsonaro na legenda?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha