Blog do Magno 15 Milhões de Acessos 2

05/12


2020

Coluna do sabadão

Um drible na Constituição

Há muitos trechos da Constituição que, por estarem redigidos de forma extremamente cristalina, não admitem nem mesmo possibilidade de interpretações divergentes. Um desses casos é o do parágrafo que trata sobre a reeleição de membros da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Está bastante claro ali que, na eleição seguinte àquela ocorrida no primeiro ano de cada legislatura, nenhum membro das Mesas Diretoras pode ser reeleito para o mesmo posto.

Portanto, diante dos questionamentos sobre a possibilidade do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) se reelegem para as presidências de suas casas legislativas em 2021, terceiro ano da atual legislatura, a resposta de qualquer um que leia o texto constitucional é um certeiro “não”.

Mas não é o que começou a ocorrer ontem. Liderados pelo relator Gilmar Mendes, outros quatro ministros (Dias Toffoli, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski e Kassio Nunes Marques) consideraram essa reeleição possível, em clara contradição com o texto constitucional. Uma única exceção, bastante pífia, foi levantada pelo novato Nunes Marques, para quem Maia não poderia se reeleger por já ter se beneficiado com a reeleição em 2019. Até o fim da tarde de ontem, apenas Marco Aurélio Mello tinha sido contrário, defendendo a Constituição.

Se parlamentares vivem recorrendo ao STF para resolver suas desavenças, é porque sabem que os ministros sempre estarão dispostos a atropelar a Constituição em nome de conveniências políticas.

Foi assim em 2016, quando Lewandowski, então presidente da corte, ignorou o parágrafo único do artigo 52 para permitir que Dilma Rousseff sofresse o impeachment sem perder seus direitos políticos. Tem sido assim nos casos de afastamento de parlamentares fora das condições estabelecidas nos artigos 53 e 55. E, agora, tudo indica que os ministros farão o mesmo com o artigo 57. Em todos esses casos, trata-se de textos bastante claros, e não nos parece que nem parlamentares nem ministros tenham algum tipo de deficiência cognitiva que os impeça de capturar o sentido das palavras ali escritas. Lamentável.

Eriberto vence – O deputado Eriberto Medeiros (PP) foi reeleito para a Presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco. Ele recebeu 31 votos e, com isso, derrotou o petebista Álvaro Porto, que contabilizou apenas 14. Houve um voto branco e um nulo. Esta é a terceira vez consecutiva que Eriberto Medeiros vai ocupar a Presidência da Casa. A primeira foi em 2018, após a morte do ex-presidente Guilherme Uchoa. O pepista assume novo mandato em 1º de fevereiro de 2021 e seguirá à frente da Alepe até 31 de janeiro de 2023.

Só uma mulher – Em eleição realizada hoje, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) definiu os membros da Mesa Diretora para o próximo biênio. A deputada Alessandra Vieira (PSDB) vai ocupar a quarta-secretaria sendo a única mulher a ocupar uma vaga como titular na mesa diretora da Alepe. “Conquistamos mais um espaço importante no nosso mandato e mais uma oportunidade de presença e trabalho da liderança feminina na política. Ocupar como titular esta cadeira na Mesa Diretora da Alepe e contar com as suplências das deputadas Dulcicleide Amorim, Simone Santana e Fabíola Cabral significa que poderemos articular junto à Casa ainda mais ações em prol das pernambucanas e pernambucanos aproximando ainda mais a população da Assembleia Legislativa, que é a Casa de todos nós”, declarou a parlamentar.

Nova distribuição de cargos – O governo Bolsonaro já deu sinal verde para uma nova redistribuição de cargos com o objetivo de influenciar a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados. Não só ministérios, mas postos cobiçados no segundo escalão já estão na mira de partidos do Centrão para consolidar a candidatura do deputado Arthur Lira (PP-AL), nome que tem apoio do presidente Jair Bolsonaro. Integrantes do Centrão acreditam na máquina do governo para consolidar o nome de Lira, independentemente da votação no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a possibilidade de reeleição para os comandos da Câmara e do Senado.

Absolvido – A Justiça absolveu o deputado federal Arthur Lira (PP-AL) da acusação de 'rachadinha' na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), um esquema de apropriação de parte dos salários de servidores quando ele era deputado estadual, entre os anos de 2003 e 2006. A decisão foi assinada pelo juiz Carlos Henrique Pita Duarte na quinta-feira. Cabe recurso da decisão. A acusação tinha sido feita pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal, mas foi encaminhada ao Tribunal de Justiça de Alagoas porque fatos sem relação com o mandato não ficam mais no STF. A absolvição aconteceu no mesmo dia em que foi tornada pública a denúncia que indicava que Lira havia comandado o esquema quando era deputado estadual na ALE.

CURTAS

ACIDENTE – Pelo menos 10 pessoas morreram na queda de um ônibus de turismo de um viaduto na BR-381, na altura de João Monlevade (MG), informa o jornal mineiro O Tempo. 20 pessoas ficaram feridas. Relatos iniciais indicam que o veículo despencou de uma altura aproximada de 15 metros e pegou fogo após a queda.

CAIXA – Hoje, 755 agências da Caixa Econômica Federal (CEF) abrem, em todo o Brasil, para atender beneficiários do Auxílio Emergencial e Auxílio Emergencial Extensão, liberados pelo governo federal. O funcionamento dos bancos acontece das 8h às 12h. Em Pernambuco, funcionam 45 unidades.

Perguntar não ofende: Álvaro Porto foi traído ou vítima do rolo compressor?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Deixa de ser chato. Pega o beco, marcos Lolita mamador de piroca, teu passatempo é queima a tua rosca.

marcos

Sinovac subornou autoridades para aprovar vacinas de 2002 a 2011, diz Washington.......................... A empresa chinesa Sinovac, desenvolvedora da vacina para Covid-19 que será produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, ligado ao governo estadual de São Paulo, envolveu-se em casos de suborno ao governo chinês.

marcos

Boa noite Nehemias Fernanda Jaques vulgo Gretchen do Cabo de Santo Agostinho, e aí boneca do bundão desse esse rabo a quantos maloqueiros na Charneca hoje?

Fernandes

Pega o beco, marcos Lolita mamador de piroca, teu passatempo é queima a tua rosca.

marcos

O PT não está mais entre os dez (10) maiores partidos do Brasil. ?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


O Jornal do Poder

Confira as últimas colunas

28/01


2021

Coluna da quinta-feira

Samba de uma nota só

Faltando quatro dias para a eleição da nova Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, que acontece na próxima segunda-feira, a temática se resume ao impeachment do presidente Bolsonaro como nota de um samba só. Falando no Frente a Frente da última terça-feira, quando esteve no Recife, o candidato do MDB e do bloco da oposição, Baleia Rossi (SP) disse que não se comprometeu pela abertura da investigação, mas apenas em analisar.

Ontem, falando com jornalistas em Brasília, o deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara com o apoio do Planalto, disse que é necessário ter “cuidado” ao discutir a possibilidade de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) sobre a gestão da pandemia pelo governo de Jair Bolsonaro. “Qualquer CPI tem seus pré-requisitos e eu não posso, como presidente, ou candidato a presidente e presidente se os nossos amigos escolherem, dizer ‘eu vou instalar essa comissão ou não vou instalar essa comissão’”, declarou.

E acrescentou: “Precisa das 171 assinaturas, precisa de um fato específico, precisa de um fato gerador claro, precisa que essa situação não seja politizada. Acho que nesse assunto pandemia nós temos que ter muito cuidado. Não é momento para que a gente tensione politicamente. Se tiver fato determinado, qualquer assunto, e tiver o pré-requisito de assinaturas, não tem problema, essa Casa vai discutir. Só não pode precificar e falar sobre hipótese”.

O principal adversário de Lira na eleição, Baleia Rossi (MDB-SP), disse em entrevista ao Frente a Frente: “Papel do parlamentar é legislar, fiscalizar e representar as suas bases. E quando se diz fiscalizar, um dos instrumentos cabíveis é uma CPI. Vamos aguardar para ver se os requisitos estão contemplados para poder tocar essa agenda”.

Antes, Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Câmara e principal articulador da campanha de Baleia, havia se declarado favorável a uma comissão para investigar a conduta do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, durante a pandemia. Lira é aliado de Bolsonaro. Aproximou-se do presidente da República ao longo de 2020. Concorre à principal cadeira da Câmara com apoio do governo federal. Também é líder do grupo conhecido como Centrão.

Sem receita – Arthur Lira tem dito que não há uma receita para lidar com o coronavírus. Por isso, não haveria um parâmetro para avaliar a gestão. “Não temos uma receita de bolo”, diz ele, que pondera também que mesmo países desenvolvidos estão com problemas. O Brasil tem até o momento 218.878 mortes confirmadas pelo coronavírus. Teve destaque no noticiário o caso de Manaus (AM), que ficou sem oxigênio para tratar os pacientes da doença. Pazuello foi à cidade no sábado passado.

Lira favorito – Se a eleição na Câmara fosse hoje, provavelmente Arthur Lira seria eleito presidente. A votação será em 1º de fevereiro, e o cenário pode mudar até lá. Para ser eleito é necessário ter ao menos 257 votos, caso todos os 513 deputados votem. Quem vencer terá mandato de dois anos à frente da Casa. Além de Lira e Baleia, outros sete deputados se colocam na disputa. Têm, porém, poucas chances de obter votação expressiva.

Influência – O presidente Bolsonaro afirmou, ontem, que vai, “se Deus quiser, participar e influir na presidência da Câmara”. A declaração foi feita depois de um café da manhã com 30 deputados do PSL e transmitida na página oficial da deputada Carla Zambelli (SP). “Viemos fazer uma reunião com 30 parlamentares do PSL. Vamos, se Deus quiser, participar e influir na presidência da Câmara com esses parlamentares, de modo que possamos ter um relacionamento pacífico e produtivo para o nosso Brasil”, disse.

PSL dividido – O PSL, presidido pelo deputado pernambucano Luciano Bivar, integra o bloco de apoio de Arthur Lira (PP-AL), líder do Centrão e apoiado pelo Planalto na disputa pela presidência da Câmara. A cúpula do PSL, no entanto, preferia Baleia Rossi (MDB-SP), principal adversário de Lira. Os blocos são formados em toda eleição da Câmara. Candidatos a presidente da Casa tentam aglutinar o maior número de aliados para ter maioria de votos também na Mesa Diretora.

Vai virar paulista – Já sabendo que seu grupo será derrotado com a candidatura de Baleia Rossi, o atual presidente da Câmara, o carioca Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve aceitar o convite do governador de São Paulo, João Doria, para coordenar a área política do seu governo instalado na Casa Civil, conforme antecipou, ontem, o site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues. Aliados de Artur Lira (PP-AL), favorito na disputa, calculam que ele terá entre 310 a 320 votos, bem além dos 257 que precisa para sentar na cadeira de Maia a partir da próxima segunda-feira.

CURTAS

PLACAR – A cinco dias da eleição na Câmara, somente oito dos 29 deputados do DEM declaram voto em Baleia Rossi (MDB-SP), mostra o placar do jornal O Estado de São Paulo confirmando o racha interno na legenda. Oficialmente, a sigla do presidente da Casa, Rodrigo Maia, integra o bloco de apoio ao emedebista. Pelo levantamento, outros oito deputados da sigla declaram voto no rival de Baleia, Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado por Jair Bolsonaro – 12 não quiseram responder em quem vão votar.

PISADA DE BOLA Na passagem por Recife, com vistas a cabalar votos para presidente da Câmara, o paulista Baleia Rossi (MDB) pisou na bola ao não dar sequer um telefonema para a deputada Marília Arraes, da bancada do PT, partido fechado com sua candidatura. Tratamento diferenciado à petista deu Arthur Lira, que fez questão de ir ao encontro dela no escritório do deputado Silvio Costa Filho.

Perguntar não ofende: Por que o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, sumiu da fauna política?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O maior castigo para votou em Bolsonaro é ter que inventar, a cada dia, uma nova desculpa para defendê-lo.

Fernandes

Quem tem [email protected] tem medo, só marcos Bundeiro de camaragibe não tem já que empresta o dele.

Fernandes

Está claro que neste material está a prova de muitos mais crimes deles e dessa vez com implicações jurídicas, já que está sendo com autorização judicial. Constatados os crimes, eles poderão até ir para cadeia.

Fernandes

Ministros do STF estranham medo de Dallagnol com entrega de mensagens da Vaza Jato a Lula O pedido para que o ex-presidente Lula não tenha acesso às conversas contradiz com a postura adotada pelos procuradores quando comandavam a Lava Jato, segundo a jornalista Mônica Bergamo.

Fernandes

Governo justifica leite condensado e chicletes: “potencial energético” e “higiene bucal”. A lista de compras é longa, diversa e também inclui legumes, verduras, carne, mas também geleia de mocotó, chantilly, batata frita, bacon defumado, etc. Apesar da série de guloseimas na lista, o Ministério da Defesa diz ser responsável pela promoção da saúde e de uma alimentação nutricionalmente balanceada às Forças Armadas. Ao justificar os mais de R$ 2 milhões gastos em chicletes, o ministério diz que a goma de mascar “ajuda na higiene bucal das tropas, quando na impossibilidade de escovação apropriada, como também é utilizada para aliviar as variações de pressão durante a atividade aérea”. Pode isso? marcos Bundeiro de camaragibe, Lolita!


Abreu no Zap

27/01


2021

Coluna da quarta-feira

O pragmatismo de João

O PSB é um partido, no mínimo, estranho. De um lado, a maior autoridade do Estado, o governador Paulo Câmara, reafirma alinhamento à posição tomada pela bancada na Câmara em apoio à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Casa, enquanto na outra ponta, o prefeito do Recife, João Campos, liderança em ascensão na seara socialista, embora não vote, como Câmara, está fechado com o candidato do Planalto, o deputado alagoano Arthur Lira (PP).

Baleia saiu do Recife, ontem, depois de um encontro com o governador, afirmando ter o sentimento de que terá a maioria dos votos da bancada. Pernambuco tem 25 votos nesse colégio eleitoral que definirá o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Pelos cálculos de Baleia, 13 votos estariam garantidos dos 25, sendo 12 de Lira. Já os aliados do deputado alagoano garantem que ele tem 15 votos na bancada.

Entre esses votos, contabilizam três dissidentes do PSB, os deputados Felipe Carreras, Gonzaga Patriota e Danilo Cabral, este, aliás, o próximo líder da bancada na Câmara, sucedendo a Alexandre Molon (RJ). Se o futuro líder não se dobra à decisão da executiva nacional, o que se pode dizer deste partido? Na verdade, o PSB perdeu o prumo desde a morte da sua principal liderança, o ex-governador Eduardo Campos.

Felipe, Patriota e Danilo têm lá suas razões e interesses para votar no candidato que o PSB não quer, por ser, sobretudo, alinhado ao Planalto, mas como explicar a euforia e o trabalho silencioso de João Campos, cabalando votos nos bastidores para garantir a eleição de Lira? O que se diz é que, eleito, Lira vai abrir a porta da esperança do Planalto para o prefeito, que herdou uma verdadeira massa falida de Geraldo Júlio.

Tem lógica. Como Lira iria recusar em ser a ponte formal e oficial de João com o Planalto, para Bolsonaro fazer jorrar recursos federais no Recife, capazes de viabilizar projetos produtos de tantas promessas de campanha na eleição que derrotou Marília Arraes? Como deputado, João seguiu cegamente a cartilha da esquerda e da oposição, batendo sistematicamente em Bolsonaro e no seu Governo.

Como prefeito do Recife, jamais poderia trilhar por esse mesmo caminho. Sabido igual ao pai, o que ele está fazendo, na verdade, é o exercício explícito e persistente do jogo pragmático do poder. O que está em jogo, desde que foi eleito, é a sua gestão, garantir o êxito e para isso tem que construir uma relação com o Governo Federal. Era assim que seu pai agiria se tivesse vivo. Afinal, do outro lado do balcão, o que teria Rodrigo Maia a oferecer sem o poder da caneta?

Apoio petista – Rompido da boca para fora com o Governo, o PT deu as caras, ontem, no Palácio das Princesas, para recepcionar o candidato do MDB à presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP). Foi representado pelo parlamentar sertanejo Carlos Veras, aliado de primeira hora do senador Humberto Costa. A Baleia, Veras garantiu o seu voto, afirmando que segue fielmente o acordo fechado pela bancada na Casa de alinhamento ao grupo de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Baleia não viu por lá Marília Arraes, a segunda representante do PT na bancada pernambucana.

Em quem vota? – Assessores de Baleia e ele próprio contabilizam também no PT o voto de Marília Arraes, que, na verdade, ainda não se definiu. Quando passou pelo Recife, há dez dias, o candidato do Planalto, Arthur Lira (PP-AL), teve um encontro reservado com Marilia no escritório do deputado Silvio Costa Filho. Este serve a dois senhores, em Brasília apoia Bolsonaro e em Pernambuco é, igualmente, governista, mas de linhagem vermelha, mesmo não tenho nem alma nem coração que combinem com o socialismo.

Aceno ao DEM – O deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, disse, ontem, em Brasília, que espera ter maioria dos votos na bancada do DEM. Trata-se da sigla de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa e principal articulador da campanha de Baleia Rossi (MDB-SP). Baleia disputa o cargo com Lira. “Espero ter a maioria no DEM e mais alguns partidos que não compõem ainda o nosso bloco”, declarou Lira. Ele falou depois de almoço com os deputados da bancada do Distrito Federal.

Choro de Maia – Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse em reunião com deputados de diversos partidos no Rio de Janeiro, que o DEM pode ser visto como “partido da boquinha”. Também demonstrou que gostaria de mais empenho do presidente da sigla, ACM Neto, na eleição da Câmara. Maia é um dos principais apoiadores da candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Câmara. Mas há mais deputados em seu partido que demonstram apoio ao adversário, Arthur Lira (PP-AL), que a Baleia.

Madeira de lei – Efetivado na Câmara na vaga aberta com a eleição de João Campos, o deputado Milton Coelho é voto contrário ao que seria dado pelo prefeito se ainda estivesse na Casa. Está trabalhando pela eleição de Baleia Rossi, a quem recebeu, ontem, nas Princesas, ao lado do governador. Histórico socialista, tendo já presidido o PSB no Estado, Coelho é da fauna rara hoje em dia, de palavra que se cumpre, jogando apenas num lado, o lado que milita desde que ingressou na vida pública, o campo da esquerda plural e democrática.

CURTAS

EM CAMPANHA – Já em campanha para deputado estadual nas eleições de 22, o ex-prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque (PT), bateu o martelo no apoio ao seu projeto com a ex-prefeita de Calumbi, Sandra da Farmácia, também petista. Ele quer sair eleito da região do Pajeú e para isso já está em plena articulação com prefeitos da região.

COM MEU PAI – Já o deputado Gonzaga Patriota voltou a usar botas de sete léguas no contato com as suas bases no Sertão e Agreste. Em apenas três dias, passou por mais de 20 municípios numa disposição de fazer inveja. Sobrou até um tempinho para bater um papo com o meu pai Gastão Cerquinha, em Afogados da Ingazeira, quando rememoraram momentos de trabalho conjunto na Rede Ferroviária Federal.

Perguntar não ofende: Com quem, afinal, o DEM está na eleição da mesa diretora da Câmara?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O impeachment do Bolsonaro só não cabe nas cabeças de camarão dos Direitistas.

Fernandes

A jornalista Laís Gouveia informa: depois que vieram a público as despesas com alimentação do governo Bolsonaro em 2020, como R$ 15 milhões em leite condensado e R$ 2,2 milhões em chicletes, o Portal da Transparência do governo federal ficou inacessível.

marcos

Estado de saúde de Lula não é bom após o Covid-19, afirma Dr Sabino Grenfield. Eu acho que foi o negão Cubano que enfiou o Vírus Chinês com muita força no Cu do líder petista!

marcos

Ô Gretchen tu ainda acha que Baleia Rossi ganha?............ Eu acho que Rossi virou Piaba. kkkkkkkkk

marcos

Site Metrópoles responsável por Fake News contra Bolsonaro faz retratação no episódio do leite condensado . . Em resposta Bolsonaro disse que as latas de leite condensado são para enfiar no rabo da imprensa.. Mito é Mito. kkkkkkk



26/01


2021

Coluna da terça-feira

A primeira traição

Winston Churchill, estadista britânico, famoso por sua atuação como primeiro-ministro do Reino Unido durante a 2ª Guerra Mundial, dizia que todo Governo que ousava fazer tudo, acabava não fazendo nada. Na campanha para prefeito do Recife, o não estadista João Campos prometeu o impossível e não cumpre sequer a palavra política empenhada.

Entre um discurso e outro, em meio a uma pancadaria sem igual, afirmou que em hipótese alguma o PT ocuparia espaço em seu Governo. Faltando apenas 10 dias para fechar o primeiro mês de gestão se rendeu às pressões de um PT que, supostamente, estaria abandonando a aliança, e nomeou um militante raiz da legenda, o ex-vereador Marcelo Santa Cruz, de Olinda, para a gerência de Articulação em Direitos Humanos na pasta tocada por Ana Rita Suassuna.

Na outra ponta, o governador Paulo Câmara, que já deu um chute no traseiro do ainda secretário de Agricultura, Dílson Peixoto, da tropa de choque do senador Humberto Costa, fez um agrado, certamente a pedido de João, e nomeou uma filha do próprio Dílson na secretaria de Desenvolvimento Social, sob o comando o disciplinado e tarefeiro Sileno Guedes.

Político em geral, com raras exceções, não tem palavra, ouvi muito do meu pai Gastão Cerquinha, ex-vice-prefeito de Afogados da Ingazeira, quatro mandatos de vereador. Governo, como disse certa vez José Sarney, o ex-presidente que escreveu Maribondos de fogo, é como violino: toma-se com a esquerda e toca-se com a direita. No caso de João é o inverso: montou uma ampla aliança de direita e dá sinais de que seu violino só afina com a esquerda.

A opção do prefeito para governar com o PT, banido de todas as capitais brasileiras nas eleições passadas e de praticamente grande parte de colégios acima de 200 mil eleitores, é uma afronta ao Recife. Até porque o PT se aplica muito bem ao estereótipo cravado numa frase de Paulo Maluf: “Se você tiver uma fazenda e na hora da colheita tiver que optar entre um administrador petista e uma nuvem de gafanhoto, fique com os gafanhotos”.

Recado de Marília – De Marília Arraes ao cobrar uma postura mais dura da oposição em relação às práticas de nomeações do PSB: “Temos que trabalhar na unidade com liderança de massa e apoio político. Cada vez fica mais difícil derrotar o PSB, que se enraizou no poder. Quantos conselheiros do TCE foram indicados na gestão do PSB? Quantos desembargadores? Eles vão se posicionando e construindo alianças e aliados em diversas instituições. Não que essas pessoas serão aliadas, mas foram indicadas e isso sempre conta de alguma maneira. Isso amplia o leque de atuação de um grupo”.

Porta da esperança – Um dos mais próximos aliados do prefeito João Campos, o deputado Felipe Carreras (PSB) passou a integrar de forma mais acintosa a tropa de choque do candidato governista à presidência da Câmara dos Deputados, o alagoano Arthur Lira (PP). Se Lira vier de fato a ser eleito, como indicam todos os prognósticos, tende a abrir a porta da esperança para João adentrar diretamente no gabinete do presidente Bolsonaro. Além de cabalar votos, Carreras faz e refaz os números da vitória do aliado. Prevê que Lira terá entre 310 a 320 votos, embora só precise de 257 para ser eleito.

O mais ousado – Dos três pré-candidatos a governador pelo bloco da oposição, Anderson Ferreira (PL), prefeito de Jaboatão, é o que tem mais se movimentado, ocupando espaço na mídia. Já Miguel Coelho, prefeito de Petrolina pelo MDB, como João Dória, só fala em vacina, enquanto a tucana Raquel Lyra administra um silêncio muito estranho, apesar de ser apontada como a mais forte. Raquel revelou-se excelente gestora, administra uma cidade simbólica, com repercussão numa região de, aproximadamente, 1,5 milhão de eleitores.

Carta branca – Indicado pelo PP para suceder a Dílson Peixoto na Secretaria de Agricultura, o deputado estadual licenciado Claudiano Martins toma posse na próxima sexta-feira com carta branca para montar sua própria equipe, extirpando os diretores vermelhos nomeados por Dílson e o senador Humberto Costa. De todas as pastas do Governo é a Agricultura a mais cobiçada pelos partidos aliados, tamanha a sua capilaridade para fazer a política do agrado e da boa vizinhança, que vai da hora do trator para construção de barreiros à distribuição de sementes. 

O dedo de Sebá – Na nova radiografia econômica de Serra Talhada, apontada, ontem, neste espaço, não destaquei, por um lapso de memória, o empenho e a influência que teve o deputado federal Sebastião Oliveira, principal liderança do Avante no Estado, para consolidação de projetos de ampliação da infraestrutura do município. Sebá, como é mais conhecido, alavancou o novo aeroporto, a faculdade de Medicina, o hospital regional e obras viárias via Governo do Estado. Como o município é governado pelo PT, Sebá faz a ponte com o Estado e também destinou várias emendas suas para projetos econômicos e sociais.

CURTAS

INVESTIMENTOS – Ainda em relação a Serra Talhada, postagem que teve uma impressionante repercussão, não citei, também, a construção de um moderno e amplo equipamento do Sesc, já em obras, e a chegada da faculdade Uni Nassau, grupo liderado pelo empresário Janguiê Diniz. O shopping, já em funcionamento, ganhará em breve, também, a Mercearia, restaurante top, do empresário Marcelo Duque. Gerente do aeroporto, Bernardino Magalhães comemora o boom de Serra. “A cidade vive uma nova era”, diz.

UVP PEGA FOGO – Ainda sem data marcada, a eleição para renovação do comando da União dos Vereadores de Pernambuco (UVP) tende a ser bastante disputada. No páreo, além do presidente Josinaldo Barbosa, candidato à reeleição; Fiapo, presidente da Câmara de Sertânia; Welber Santana, presidente da Câmara de Carnaubeira da Penha; e, por fim, Gilvan da Malhadinha, vereador em Cumaru.

Perguntar não ofende: Quantos apaniguados de Humberto Costa serão nomeados por João Campos?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

JÁ TENTARAM DE TUDO ................. -o Moro a vendedora de açaí - a facada - a urna eletrônica - os robôs do WhatsApp - os robôs do Twitter - o STF - o Bebiano - os Laranjas - o Queiroz - a Amazônia em chamas - a Marielle - o porteiro do condomínio - a avó da Michele, - embaixada nos EUA - o óleo venezuelano - as praias do Nordeste - os palestinos - a Joyce - o Frota - o Macron - a Greta - o Papa - a China - o Intercept - o Maia - a Globo - a imprensa ávida de $ - o Alcolumbre - os governadores do nordeste - o Witzel - o Doria - o Caiado - o operador de retroescavadeira, ex-ministro da Educação - o Centrão - os filhos - intrigas com os ministros - os militares - o relacionamento com o Mourão - os milicianos - o exame de corona vírus - o contato com o povo - a convocação para manifestações - a OMS - o embaixador Chinês - a PEC do Gilmar Mendes - as liminares de Lewandowisk - as decisões ultrapetistas de Alexandre Nosferatu de Moraes - as investidas de Maia e Alcolumbre - as tresloucadas do Joe Doriana - as MPs que Maia não pauta e perdem eficácia, Ou seja, a crise política atual nada tem a ver com o COVID-19 e as estratégias para combater a pandemia. O que querem mesmo é derrubar o presidente Bolsonaro, pois com ele no poder Executivo, ninguém mais consegue roubar o Brasil. E muita gente vai ter suas negociatas encerradas, como aquela TV. Manifestação via Facebook, WhatsApp e demais redes. Atenção Patriotas!!! Esta manifestação nasceu em Ribeirão Preto/SP, e é muito importante que isso seja mencionado, quando do repasse dessa mensagem. Explico o porque: caso ela chegue ao município de Macapá, o irmão patriota de lá saberá que ela atravessou o país inteiro e, será quase tão eficaz quanto as manifestações de rua. Achávamos que a guerra havia acabado, mas nos enganamos. Não acabou, não! O presidente Jair Bolsonaro vai precisar muito do nosso apoio, de todas as formas possíveis. O mimimi e o chororô esquerdista, com artistas ruanetistas milionários, os quais estão desesperados com o fim das mordomias e a vida fácil, vai ser uma constante. Portanto, a nossa reação também tem que ser de igual ou maior intensidade, contra essa idéia da política do império romano de \"panem et circenses\". “Fernanda Lima e Pedro Cardoso” falam mal dos eleitores de Bolsonaro, morando lá nos EUA e em Portugal, respectivamente. Parece que a palavra “hipocrisia” não existe no dicionário deles. Felipe Neto, descaradamente, anuncia que vai começar a destilar veneno ideológico sobre as crianças, seus ingênuos seguidores no YouTube. Paulo Pimenta, canalha, “et caterva” tentam desmoralizar junto aos organismos internacionais do tipo da ONU, o presidente eleito e os ministros indicados. Grupos de jornalistas socialistas de i-phone, revoltadinhos de cabelo roxo e piercing na sobrancelha, alocados em órgãos de imprensa falaciosa e em grupos comprados, como UOL, Globo, Folha , Valor econômico, Veja, Exame e etc,”inventam, cada vez mais, mentiras deslavadas e calúnias contra Bolsonaro” a e seus eleitores, NÓS O POVO PATRIOTA! Brigue, meu amigo! Não deixe isso correr quieto... É sabido que a Venezuela chegou àquele estado caótico e assassino, por conta da alienação e omissão absoluta dos seus cidadãos. O povo de lá dormiu!!!! Quando acordou era tarde demais... Já estava nas mãos de comunistas corruptos genocidas. Agora a sua reconstrução levará décadas... Você que é responsável, ama a sua família e o seu país, não se envergonhe, repasse à todos que puder! e, principalmente boicote à tudo o que vier da esquerda! Peças de teatro, shows, exposições de arte, canais de TV, programas, literatura, produtos, incluindo a não compra de patrocinadores da esquerda. Mostremos a nossa força, unidos somos fortes! O bem tem de prevalecer sobre o mal! Quando essa mensagem chegar a um irmão patriota do Nordeste, ele vai saber também que o país inteiro está apoiando a mudança em sua região e agora ela se tornará produtiva e próspera. Saberá que os seus rincões sairão do jugo cruel e desumano dos coronéis da seca, os quais vem há décadas escravizando o seu povo, sem um pingo de dó. Façamos esta mensagem circular e alcançar a todo cidadão brasileiro, Autoridades, políticos, religiosos e inclusive os artistas! Até ao próprio presidente eleito, pra ele saber que pode contar com o nosso apoio. MULTIPLIQUE!!! REPASSE E REPASSE!!! Além do que, repassar é muito mais rápido, fácil e barato. Essa ação acaba sendo mais um reforço eficaz para apoiar todas as manifestações de rua que ocorreram e que ainda deverão ocorrer!!!

Fernandes

O impeachment do Bolsonaro só não cabe nas cabeças de camarão dos Direitistas.

marcos

Os idiotas úteis além de Limitados, ignorantes, burros também são Analfabetos.É a geração Paulo Freire.

marcos

Mas afinal, quem mandou matar Celso Daniel?

marcos

Se o serviço médico de Cuba é tão bom como Gretchen fala, por que Lula voltou para o Brasil após contrair o Covid?



25/01


2021

Coluna da segunda-feira

Petrolina que se cuide!

Localizada nos arredores de uma montanha literalmente talhada, onde Lampião se escondia das tropas de choque da polícia, os “macacos”, na sua denominação, Serra Talhada, a 415 km do Recife, caiu na graça dos investidores. Virou, em apenas dois anos, a grande vedete da economia nordestina, vetor de desenvolvimento regional, em plena harmonia entre a indústria, a tecnologia, a saúde e o saber.

Criou, também, as bases sólidas em infraestrutura para disputar em igualdade de condições com a sua grande concorrente no semiárido pernambucano, a já afamada Petrolina, a Califórnia brasileira, capital do São Francisco, maior centro de produção de uva e vinho do Nordeste. Agamenon Magalhães, que já se foi, e Inocêncio Oliveira, que continua atuando discretamente na política, gente afamada por lá, nunca imaginaram que o chão seco de onde brotaram virasse a página da indústria da seca e da violência, o cangaço urbano.

Sim, depois de Lampião, havia um homem que matava muita gente em Serra Talhada: Vilmar Gaia. Como o rei do cangaço, fez derramamento de sangue em todo Sertão, marcando a cidade, como se ferra um boi, pelo símbolo da violência. Mas hoje os tempos são outros. Tempos construídos pela obstinação e a persistência do ex-prefeito Luciano Duque, uma ave rara petista no Pajeú que deu certo, filho de João Duque, empresário rico e afamado na região.

Com Duque, Serra Talhada saiu de patinho feio e virou a namoradinha do empresariado: atraiu duas grandes redes de supermercados - Assaí e Atacadão. Seu comércio pujante plantou as sementes de um shopping, já inaugurado, e na área de infraestrutura ganhou um aeroporto, com voos diários para o Recife pela Azul Linhas Aéreas. Em breve, a rede hoteleira ganha um plus, com a marca Ibis (imagem acima que ilustra a coluna).

Tem mais: Serra Talhada é, hoje, o segundo maior centro universitário do Sertão. São oito instituições de ensino superior, entre as quais uma de Medicina, mantida pela UPE – Universidade de Pernambuco. Na área de saúde, consolidou sua posição, uma marca já antiga, de 4º polo médico do Estado, com vários hospitais, prontos-socorros, maternidades e clínicas particulares. Está em fase de conclusão um hospital regional, com heliporto.

A namoradinha do PIB pernambucano alavanca, também, o turismo na sua cidade-irmã Triunfo, oásis em pleno Sertão, com temperatura média de 18 graus, chegando a 10 graus no inverno. Com os voos diários entre Recife e Serra, os que sonhavam em desfrutar do frio gostoso de Triunfo e suas atrações do turismo ecológico, como as cachoeiras e o Pico do Papagaio, 1.185 metros de altitude acima do nível do mar, onde se vê, a olho nu, cidades vizinhas entre Pernambuco e Paraíba.

MAIOR ATACADISTA - Com um investimento de R$ 40 milhões e a geração de 460 empregos diretos, o Assaí Atacadista, rede de atacado de autosserviço do GPA (antigo Grupo Pão de Açúcar), começou a funcionar em Serra Talhada no primeiro semestre de 2019. Oferece mais de sete mil itens de grandes marcas nacionais e importadas de alimentos, perecíveis (carnes, peixes, queijos, etc), higiene, bebidas e limpeza. A de Serra é a oitava unidade da rede no Estado, dentro do plano de expansão da rede, que cresceu 30% em 2020, taxa igual ao crescimento nacional.

CHEGOU ATACADÃO – Primeira entre as empresas do comércio varejista do Brasil, o Atacadão também está de vento em popa em Serra Talhada, com uma loja na BR 232, em frente à Tropical Piscinas. Disponibiliza uma diversidade de produtos para todas as necessidades de comerciantes, transformadores e consumidores finais, para compras em atacado ou varejo, além de alimentos em geral, frios e laticínios, hortifrúti fresquinho, conservas e enlatados, doces e biscoitos, higiene pessoal, limpeza, bazar, produtos para pets, automotivos e muitos outros itens.

SHOPPING SERRA – A exemplo de Petrolina, a capital do Xaxado, como também a cidade é conhecida, ganhou seu primeiro shopping, empreendimento com feição moderna e atrativa, investimento da ordem de R$ 30 milhões, gerando mais de 400 empregos diretos. O Shopping Serra Talhada representa uma mudança histórica para a cidade, com opções de compra e lazer também para municípios situados na sua área de influência expandida, que é de aproximadamente 500 mil habitantes.

OBRAS DO TERMINAL - Com dois voos diários para Serra Talhada saindo do Recife, em aeronaves com capacidade para apenas nove passageiros, a Azul pretende, em breve, fazer a rota com um avião maior, capacidade de 70 pessoas. Mas antes disso, o Governo de Pernambuco deveria tirar do papel as obras físicas do terminal de passageiros. Hoje, o aeroporto está improvisado num galpão, em condições precárias. O que se sabe é que já está no caixa de Paulo Câmara R$ 20 milhões para o terminal e ninguém dá um pio quanto ao atraso das obras do terminal.

SEM CONTINUIDADE – Radialista, empresário da comunicação, ex-presidente da Associação das Emissoras de Rádio e TV do Estado, Marcos Oliveira teve um papel importante também como secretário de Desenvolvimento na gestão Duque, atraindo o braço privado. “Nossa missão foi gerar empregos, criar um ambiente de negócio favorável para instalação de empresas no município. Com investimentos consolidados, Serra Talhada abriu mais de dois mil empregos diretos com Duque, mudando a sua matriz econômica”, diz Marquinhos, como é mais conhecido. Não se sabe lá as razões, mas a prefeita Márcia Conrado (PT), eleita por Duque, não o manteve na função.

CURTAS

REDE ÍBIS – A Rede Íbis comunicou aos empresários Marcelo e Murilo Duque, irmãos do ex-prefeito, proprietários do Shopping Serra Talhada, que seu plano de extensão no Nordeste contemplará a cidade que mais cresce, hoje, no Sertão do Pajeú. Investimento da ordem de R$ 10 milhões, a torre Ibis ficará localizada ao lado do shopping, dando, assim, mais suporte ao turismo de negócios na região.

FORA DO PT – Maior responsável pelo boom econômico que Serra Talhada vive, o ex-prefeito Luciano Duque é candidato a deputado estadual, mas sem a certeza de que disputará pelo PT. Está sendo sondado por vários partidos, entre os quais o PP, Republicanos e Podemos, com mais chances para a última legenda, comandada no Estado pelo deputado federal Ricardo Teobaldo.

Perguntar não ofende: O que o PT fará para segurar Luciano Duque na legenda?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozoneca sofre a maior manifestação de repúdio no Brasil inteiro. Carreata, coisa linda!

Fernandes

LEWANDOWSKI AUTORIZA INQUÉRITO CONTRA O GENOCIDA PAZUELLO.

marcos

Eu quero vê Lewandwisky autorizar inquérito contra o Genocida Xi Jinping!

marcos

Quem é mais côrno, Lula ou Paulo Bernardo?

marcos

De quem é a culpa das 2 134 210 mortes no mundo até hoje pelo Covid-19, do nosso mito, de Lula, do Papa ou de Xi Jinping?


Banco de Alimentos

23/01


2021

Coluna do sabadão

Supremo lava as mãos

A ministra Rosa Weber, vice-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) e responsável pelo plantão judicial até fevereiro, negou, ontem, um pedido de liminar (decisão provisória) para garantir a votação remota na eleição para a presidência da Câmara dos Deputados. Na segunda-feira, a Mesa Diretora da Câmara definiu, por 4 votos a 3, que a eleição, marcada para 1º de fevereiro, será somente no formato presencial.

Um dia depois, o PDT ingressou com mandado de segurança no Supremo, no qual pediu a liminar para que a votação ocorra em formato híbrido, permitindo o voto remoto ao deputado que assim preferir. Rosa Weber, no entanto, negou o pedido. Na decisão, a ministra defende que não cabe intervenção do Judiciário no assunto, por se tratar de questão interna da Câmara.

Ela destacou que a decisão da Mesa Diretora obedeceu aos procedimentos previstos e afirmou não ver “ameaça ao parâmetro constitucional do direito à saúde dos parlamentares com a densidade material necessária para provocar a excepcional intervenção do Poder Judiciário em assunto legislativo de cunho próprio”. Rosa Weber disse ainda que a decisão da Mesa Diretora foi tomada sob o argumento de que os deputados não poderiam receber tratamento diverso dos cidadãos, que em novembro do ano passado enfrentaram os riscos de contágio e compareceram às urnas nas eleições municipais de 2020.

Ao apresentar o pedido de liminar, o PDT classificou como “alarmantes” os níveis de contaminação pela covid-19 no Brasil e argumentou que “a possibilidade do voto à distância é fundamental para a preservação da saúde de deputados e funcionários da Casa, sobretudo aqueles que fazem parte do grupo de risco”.

Longe do debate – O deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, disse, ontem, que não vai ao programa de entrevistas Roda Viva, da TV Cultura, por conflito de agendas. Ele também afirmou que seu adversário, Baleia Rossi (MDB-SP), criticou-o por instrução do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que apoia a candidatura do emedebista. Na próxima segunda, o programa receberá o candidato do MDB. Lira foi convidado a participar, mas recusou. “Fugir do debate sobre os rumos do País é desrespeito aos colegas de Câmara e à sociedade”, disse Baleia Rossi sobre a recusa de Lira.

Fisiologismo – A deputada Luiza Erundina (Psol-SP), candidata a presidente da Câmara pelo partido, insinuou, ontem, que a sigla negocia para aderir a “fisiologismo”. Ela se referia à possibilidade de a legenda aderir ao bloco de Baleia Rossi (MDB-SP), um dos favoritos na disputa pela Câmara. Na última quinta-feira à noite, a CNN Brasil publicou que o partido cogitava a adesão – o que o presidente da sigla, Juliano Medeiros, negou. O partido lançou a candidatura de Erundina à presidência da Câmara, mas não havia consenso na bancada. Uma parte preferia apoiar Baleia Rossi, principal concorrente de Arthur Lira (PP-AL). Lira é apoiado por Jair Bolsonaro.

Metamorfose – O deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato a presidente da Câmara, disse por meio de sua conta no Twitter que seu principal adversário, Arthur Lira (PP-AL), não é previsível. Seria, segundo o deputado, “metamorfose ambulante”. A referência é a música de Raul Seixas de mesmo nome. A obra tem versos como “se hoje eu te odeio amanhã lhe tenho amor” e “eu quero dizer agora o oposto do que eu disse antes”. Um dos eixos da campanha de Arthur Lira é se colocar como um presidente que, se eleito, daria previsibilidade à Câmara dos Deputados. O candidato afirma que tem palavra e é cumpridor de acordos.

No prumo – Trabalhando feito um leão, em poucos dias o prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela (DEM), com quem estive, ontem, durante o encontro de presidentes de câmaras promovido pela UVP (União de Vereadores de Pernambuco), conseguiu dar uma guinada na arrecadação. Em apenas 11 dias, do dia quatro ao dia 15 deste mês, o setor de Tributos arrecadou a mais 2.850%, em contribuições tributárias, em relação ao mesmo período do ano passado. Em números reais, foram arrecadados R$ 236.742,64 ante apenas R$ 8.085,29 em 2020, prova de que o município agora encontrou o prumo.

CURTAS

ENCONTRO – O primeiro encontro do ano entre presidentes de câmaras municipais, em meio à pandemia do coronavírus, se deu de forma bem organizada, cumprindo todos os protocolos do Estado. À frente, o presidente da UVP, Josinaldo Barbosa, reeleito presidente da Câmara de Vereadores de Timbaúba. Ele convidou o ex-ministro Mendonça Filho, que é de Belo Jardim, local do evento, para encerrar, hoje, a programação de palestras, ao lado do prefeito anfitrião Gilvandro Estrela.

Rigor no Cabo – O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém (PL), proibiu, ontem, a entrada de ônibus e vans de turismo nos fins de semana e feriados. Também vetou comércio e serviços nas praias, das 18h às 8h, para tentar evitar disseminação da Covid-19. As restrições fazem parte de um decreto que impede, também, circulação, parada e estacionamento de ônibus de turismo ou excursão, micro-ônibus, vans e similares nas modalidades day use e city tour.

Perguntar não ofende: A suspensão do auxílio emergencial provocou o aumento da rejeição ao Governo Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A VERDADE É IMPLACÁVEL! PESSOAS FRACAS INSEGURAS INSTÁVEIS DEPRIMIDAS ANGUSTIADAS SÃO SONHO DE CONSUMO DO PASTOR, E BOZONECA.

Fernandes

Quanta merda marcos de camararibe Bundeiro, estás inspirada nesse domingo! .... Um conselho, a VÍRGULA pode ser usada. kkkkk

marcos

Esse Haddad é um danado, desrespeitou o direito do Gaydoso.(Gay idoso).

marcos

Fernando Haddad o nosso kit gay chama Ricardo Noblat de ¨Bicha Velha¨e a mídia não dá um pio. E aí Gretchen?

marcos

Ô Gretchen, o que porra é cresce luta?..... Menina fascista estuda um pouco. ... kkkkkkkkkkkkkkkkkkk



22/01


2021

Coluna da sexta-feira

Impasse na eleição da Mesa

Faltando apenas dez dias para a Câmara dos Deputados bater o martelo em cima do seu novo xerife, o PDT criou um impasse, deixando o modelo da votação sob suspense: acionou na justiça contestando a votação presencial ao invés de remota, decisão tomada pela Mesa Diretora diante do agravamento da pandemia do coronavírus no País.

A ação já está no Supremo Tribunal Federal com relator escolhido, o ministro Luís Roberto Barroso, através de sorteio. A eleição está marcada para o próximo dia 1. A Casa tem se reunido e votado projetos remotamente desde março de 2020 por causa da pandemia. Os deputados participam das atividades por meio de seus celulares. Foi a forma encontrada de continuar funcionando sem promover aglomerações que poderiam ajudar a espalhar o coronavírus.

Na ação, o PDT pede ao STF que conceda uma medida liminar que derrube a decisão da Mesa Diretora. A legenda quer um “sistema híbrido” de votação, com a possibilidade do voto remoto ou presencial. “Há a estimativa de 3.000 pessoas transitando na Câmara no dia da eleição, a aglomeração causa riscos devido à pandemia da covid-19. Com um modelo híbrido, deputados do grupo de risco podem votar pela internet. Quem quiser, poderia votar presencialmente”, alega a legenda na ação.

O sistema de voto remoto já foi usado em uma eleição na Câmara durante a pandemia. Quando o deputado Fábio Faria (PSD-RN) se tornou ministro das Comunicações, ficou vaga a 3ª Secretaria. Expedito Netto foi eleito a partir de votação à distância. Também foi eleito Paulão (PT-AL) como 4º suplente da Mesa. A votação, porém, foi por acordo. Diferentemente da eleição para presidente da Câmara, em que há forte disputa.

A decisão de voto presencial foi uma derrota para o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e uma vitória para Arthur Lira (PP-AL), candidato ao cargo. Lira se disse contra a possibilidade de votação remota. O deputado de Alagoas também afirmou que, se a votação fosse feita à distância, líderes partidários teriam a possibilidade de coagir o voto de deputados. Maia defendia que deputados do grupo de maior risco para covid-19 pudessem votar remotamente. “Vamos ter que trazer parlamentares de 27 Estados”, disse o deputado. “Eles vão trazer e levar o vírus para seus Estados”.

Céu iluminado – Nas redes sociais, a prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz (Republicanos), comemorou, ontem, a destinação de uma emenda federal no valor de R$ 500 mil, presenteada pelo deputado Daniel Coelho (Cidadania), para a primeira etapa de iluminação no Parque de Aldeia, localizado no KM 10,5. Nunca vi luminárias tão caras. Devem ser banhadas a ouro, porque, segundo a prefeita gastadora, se refere apenas ao start do projeto. Com certeza deve iluminar o céu também!

PSL com Lira – A adesão do PSL ao bloco de Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, foi publicada, ontem, no site da Casa. A cúpula da sigla está com Baleia Rossi (MDB-SP), adversário de Lira na disputa, mas a maioria dos deputados da legenda preferiu Lira. O candidato do PP conseguiu apoio de 36 dos 53 deputados da sigla. Como os blocos são formados por maioria de apoios na bancada, e não na cúpula das legendas, o movimento foi consumado. Lira anunciou a adesão do PSL ao seu bloco na terça-feira. Adesões de blocos, porém, costumam levar algum tempo para serem publicadas porque a equipe técnica da Câmara tem procedimentos como a conferência de assinaturas.

Boa notícia – O número de trabalhadores empregados na indústria brasileira registrou crescimento em dezembro. É a 1ª vez que o mês tem alta no total de funcionários no setor desde o início da série histórica, em 2011. O estudo faz parte da Sondagem Industrial, da CNI (Confederação Nacional da Indústria). O índice ficou em 50,5 pontos, acima da linha divisória de 50 pontos que marca o limite entre crescimento ou redução de postos de trabalho. A pesquisa entrevistou 1.887 empresas, sendo 741 de pequeno porte, 669 de médio porte e 477 grandes empresas, de 4 a 15 de janeiro. A atividade industrial encerrou o ano relativamente forte, embora os sinais de desaceleração já possam ser percebidos.

Erro do Blog – Ao noticiar às pressas, ontem, a operação da Polícia Federal em Agrestina, cidade vizinha a Caruaru, no Agreste, a primeira em nível estadual para investigar o derrame de dinheiro nas eleições, cometi um erro. Informei que a ação teria atingindo o grupo do prefeito Josué Mendes (PSB), mas, na verdade, foi ao contrário. Pegou a oposição: o ex-candidato a vice-prefeito na chapa adversária, liderada pela ex-prefeita Carmem Miriam, Paulo Sargento, ambos do DEM. Ao prefeito, as nossas desculpas. A pressa é inimiga da perfeição.

CURTAS

LULA 1 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outras sete pessoas que integravam uma comitiva que acompanhou o petista em uma viagem a Cuba cumpriram quarentena na ilha após testarem positivo para covid-19, informou a assessoria de Lula nesta quinta-feira, um dia após o grupo desembarcar de volta no Brasil.

LULA 2 – Segundo nota da assessoria do ex-presidente, Lula, sua mulher, Janja, e sete integrantes da comitiva fizeram testes da doença antes de viajar e na chegada a Cuba, dia 21 de dezembro. Os exames foram refeitos em 26 de dezembro, tendo dado positivo para Lula e outros 7 membros da comitiva, "confirmando se tratar de casos importados através da investigação epidemiológica", de acordo com o comunicado.

Perguntar não ofende: Por que o Ministério Público em Pernambuco se omite diante dos fura-fila da vacina da Covid-19?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Bolsonaro é doido..................... fez a gente ver:.............................. - Como funciona o pt. - Como funcionam as ongs. - Como funciona a França. - Como funcionam as reservas indígenas. - Como funciona o PSL. - Como funciona o STF. - Como incendiaram a Amazônia. - Como funcionam os presídios. - Como funcionam as favelas. - Como funciona o congresso. - Como funcionava a petrobrás. - Como funcionava o BNDES. - Como as nossas praias são poluídas com petróleo Venezuelano. - Como funciona o alto clero da igreja católica. - Como vive a Venezuela. - Como funcionava o mais médicos cubanos. - Como funcionava o MST. - Como funcionavam os sindicatos. - Como funcionam as manifestações esquerdistas. - Como funciona a Globo. - Como funciona a imprensa marrom. - Como funciona o ensino. - Como fucionavam os programas sociais. E agora mais uma coisa ficou clara pra todos nós, que o grande vilão, do porque os combustíveis permanecem tão altos! É porque os governadores não querem perder a boquinha deste ICMS, que no RS chega à 75% este imposto, e acabam prejudicando seu próprio povo. - Todo o funcionamento do Brasil está sendo revirado e dado conhecimento a todos os brasileiros....está além das nossas expectativas!!!!!! O Brasil a cada dia mais transparente!!!! Avante Bolsonaro! Copiem e cole e vamos mostrar a esses políticos corruptos que o povo tem voz. Vamos apoiar nosso Brasil, nosso presidente, nossa pátria_ ???????? Que DEUS te abençoe o nosso Presidente BOLSONARO

marcos

Calma Gretchen, tá nervozinha com a corrupção petista, mas isso todo o mundo já sabe.

Fernandes

Ô marcos de camaragibe Lolita mamador de piroca queima rosca, agora entendo quando tu chamas teu Bozo de mito é porque ele é um Genocida Ladrão Miliciano, e corno, né? Fora Bozonaro e marcos de camaragibe!

marcos

Dois anos e um mês Sem Corrupção no governo Federal. A esquerda Corrupta e os idiotas úteis metem o dedo no cu e rasgam. Kkkkk

Fernandes

Será que o Bolsonaro pagou a vacina, dobrado para aumentar o valor da rachadinha? … eis a questão!


Jornao O Poder

21/01


2021

Coluna da quinta-feira

A dor de uma tragédia

Quatro meses depois de deixar a vice-presidência dos EUA, em 2017, Joe Biden, que tomou posse, ontem, na presidência dos Estados Unidos, se reuniu com ativistas democratas em Washington. Ao fim do encontro, a mais jovem do grupo ficou de fora da fila para tirar fotos com o recém-saído da Casa Branca. “Não gosto muito disso”, disse a fundadora da ONG Run for Something, Amanda Litman. Um colega acenou chamando Biden mesmo assim.

Sem graça e sem alternativa, ela se aproximou para um clique. “Minha avó ficaria furiosa se eu não tirasse uma foto com você”, disse Amanda, um sinal de que ela mesma não nutria grande afeição pelo político. “Avó? Vamos ligar para ela!”, respondeu Biden, na noite em que a capital americana estava em polvorosa com a notícia de que o novo presidente, Donald Trump, havia demitido o chefe do FBI.

Em pé, Biden ouviu pelo telefone a avó da ativista contar com pesar que uma das filhas estava com um câncer em estágio avançado. Ele parou de sorrir. “Pais nunca deveriam enterrar um filho. É um pesadelo”, disse, antes de descrever seu próprio drama pessoal e relembrar suas noites ao lado da cama de hospital de Beau, seu filho mais velho, que morreu aos 46 anos em decorrência de um tumor no cérebro.

Os dois conversaram por 20 minutos. Ainda ao telefone, o democrata pegou o caderninho que sempre carrega e escreveu seu número de celular. Entregou a folha de papel a Amanda e pediu que avó e neta entrassem em contato, se ele pudesse ajudar. No mesmo ano, ao saber da morte da tia de Amanda, Biden escreveu duas cartas. Uma à avó e outra ao viúvo, com quem nunca tinha trocado uma palavra.

Com uma vida marcada por tragédias pessoais e superações, os episódios de empatia de Biden, que agora volta à Casa Branca como presidente dos Estados Unidos, se acumulam na imprensa e nas redes sociais, com cartas, fotos e vídeos de americanos que contaram com o apoio do ex-vice-presidente. A sensibilidade e proximidade com o eleitorado viraram um forte ativo em uma campanha feita no curso de uma pandemia que matou 230 mil americanos.

Malassombro no MP – O promotor Francisco Dirceu, ex-chefe do Ministério Público de Pernambuco, fez das tripas coração para emplacar Paulo Augusto Freitas como sucessor, mas deixou um abacaxi que cobram dele para descascar: arquivou uma investigação envolvendo pagamento de horas extras a um servidor privilegiado como se fossem gratificações. E não é pouco dinheiro, falam numa montanha de reais. Resta saber se o novo procurador-geral de Justiça vai ceder às pressões para reabrir esse caso cabeludo e mal-assombrado.

DEM com Lira – Menos da metade da bancada do DEM declara apoio a algum dos candidatos a presidente da Câmara dos Deputados. Dos 29 parlamentares da sigla, 14 declaram abertamente que votam em Arthur Lira (PP-AL) ou Baleia Rossi (MDB-SP). Baleia tem oito apoios declarados na sigla. Lira, 6. Trata-se do partido do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (RJ), o principal articulador da candidatura de Baleia, o que coloca em xeque o seu poder de decisão sobre a sua própria bancada. Nos bastidores, reservadamente, deputados aliados a Arthur Lira dizem que a maioria dos deputados demistas prefere o candidato do PP e não fala publicamente para evitar atritos no partido.

FAVORITO – A impressão mais comum na Câmara é que, se a eleição fosse hoje, Arthur Lira seria o vencedor. Ele tem o apoio do Governo Federal e é líder do Centrão. Também demonstrou força ao conseguir apoio de 36 dos 53 deputados do PSL. A cúpula do partido está com Baleia Rossi. O candidato do MDB tem o apoio, além do grupo de Rodrigo Maia, das cúpulas dos principais partidos de esquerda. A eleição será em 1º de fevereiro. Para ser eleito é necessário ter ao menos 257 votos, se todos os 513 deputados votarem. O vencedor terá mandato de dois anos.

Honório visita o TCE – O prefeito de Goiana, Eduardo Honório, começou sua agenda de visitas às instituições do Estado pelo Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE). Acompanhado do procurador do município, Gilmar Sena, e do assessor André Lubambo, ontem, ele conversou com o conselheiro Marcos Loreto. Eduardo Honório disse que o objetivo é estreitar o relacionamento com os principais órgãos do Estado, visando sempre uma convivência saudável e pacífica com os diversos poderes.

CURTAS

INSUMOS – O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, descartou, ontem, que as divergências políticas com a China sejam o motivo do atraso na entrega de insumos para produção de vacinas contra a covid-19 no Brasil. O Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ainda aguardam a chegada de matéria-prima do país asiático para iniciar a produção dos imunizantes no País.

IMPEACHMENT – O Cidadania, que reúne sete deputados e três senadores, decidiu engrossar o coro pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. A Executiva Nacional da sigla aprovou a defesa do processo no Congresso. Foram 13 votos favoráveis e 4 contrários. “Ninguém se pronunciou contra o impeachment, os quatro votos foram questão de oportunidade, avaliação de que talvez não seja esse o exato momento”, disse o presidente nacional da legenda, Roberto Freire.

Perguntar não ofende: O que muda nos Estados Unidos a partir de agora com o fim da era Trump?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é o maior aliado do Coronavírus no Brasil.

Fernandes

E preciso admitir: o genocida sabe exercer a especialidade da qual se gaba!

Fernandes

Pesquisa mostra como Bolsonaro executou estratégia pela propagação da Covid-19 A pesquisa mostra que o governo de Jair Bolsonaro teve um caráter negacionista diante da propagação e da gravidade do vírus, e buscou impedir medidas contra a contenção da doença

Fernandes

Adivinhe quem não quer tomar a vachina ? ...... Bozo corno, e marcos mamador de piroca queima rosca. ..... Acertou Mizeravi.

Fernandes

O (Corona) manda lembrar que Bolsonaro tirou R$ 9 bilhões do SUS! E comprou 4 navios de guerra por R$ 9,1 bilhões! Os mortos pela doença mandam lembrar que um decreto do Bolsonaro demitiu 10,6 mil agentes comunitários de saúde e extinguiu 14 mil postos de trabalho efetivo Profissionais de saúde mandam lembrar que se não fosse o Bolsonaro, teríamos mais 11 mil médicos cubanos ajudando o país durante a essa pandemia. Quem tá bom é marcos de camaragibe mamador de piroca queima rosca.



20/01


2021

Coluna da quarta-feira

Uma quase unanimidade

Em meio a um deserto de positividade no Governo Paulo Câmara, pelo menos na política algo vem dado mais do que certo, quase uma unanimidade na base de sustentação na Assembleia Legislativa: a bem-sucedida articulação entre os poderes conduzida pelo secretário da Casa Civil, José Neto. Desde que tomou posse no cargo, sumiram os ruídos, as insatisfações entre os deputados dos mais diversos partidos.

“Ele é habilidoso, paciente e atencioso”, diz o parlamentar que até então vinha tendo dificuldades na relação com o Governo. Sobrinho do ex-governador Joaquim Francisco, José Neto é uma espécie de curinga do governador Paulo Câmara, com quem tem uma relação de amizade que vem dos bancos escolares. Ele está tão bem na foto que já tem até quem lembre do seu nome para uma disputa proporcional e até majoritária, em 22.

Com Neto na Casa Civil, os embaraços da política ganham rapidez e soluções a curto e médio prazos, porque ele é da escola macielista: fino no trato, atencioso e retorna todas as ligações. É ainda daquele tipo que vai até a velório de parentes de aliados. Outra grande virtude é ser madrugador. Chega cedo ao gabinete e só fecha a porta para o final do expediente depois de atender a todas as demandas, já tarde da noite.

Formado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, funcionário público de carreira e auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE), José Neto cuida, igualmente, das demandas interioranas, atendendo prefeitos e vereadores governistas. Antes de assumir a Articulação Política, foi secretário-executivo de Pessoal e de Relações Institucionais da Secretaria de Administração no governo Eduardo Campos, de 2007 a março de 2010.

Em janeiro de 2011, foi nomeado secretário-executivo de coordenação institucional da Secretaria da Fazenda, cargo em que permaneceu até abril de 2014, quando nomeado novamente secretário de Administração. No ano seguinte, assumiu a chefia da assessoria especial do governador Paulo Câmara. Em 2017, esteve à frente da chefia de Gabinete do governador. No início de 2019 foi nomeado pela terceira vez secretário de Administração.

No mesmo ano, em agosto, recebeu a missão do governador para descascar os abacaxis da política, que até então pareciam intermináveis, e deu certo. Além de atender com capricho os deputados, Neto, vez por outra, principalmente antes da pandemia, surpreendia a base do Governo indo tomar um cafezinho com vários deputados na Assembleia, do presidente da Casa até o mais visível representante do chamado baixo clero da Casa. Por isso, virou quase uma unanimidade, tendo o aval até dos que vez por outra choramingam pelos corredores palacianos.

Revoada Bivarista – O deputado Arthur Lira (PP-AL) deu um passo relevante na consolidação de sua candidatura a presidente da Câmara. Anunciou, ontem, que elevou de 32 para 36 o número de apoios dentro da bancada do PSL, partido dirigido pelo deputado Luciano Bivar, trombado com Bolsonaro. Com isso, deve ter essa legenda formalmente no bloco que sustenta sua campanha. Os deputados Charlles Evangelista, Delegado Pablo, Nicoletti e Luiz Lima comunicaram o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), da adesão ao bloco de Lira. A eleição está marcada para o próximo dia 1.

Direitos – O PSL passa por uma situação curiosa desde 2019, quando rompeu com o presidente Jair Bolsonaro. Dos 52 deputados que elegeu em 2018, a legenda decidiu suspender 17. Esses congressistas não podem exercer várias atividades dentro da Câmara, inclusive não têm poder para opinar quando a agremiação faz ou desfaz um bloco partidário. Para entrar num bloco, metade dos deputados de uma legenda deve estar a favor. No caso do PSL, quando se considera o número de vagas conquistadas nas urnas (que é o que vale), são necessários 27 deputados. Dos 36 deputados do PSL que hoje apoiam Arthur Lira para ser o próximo presidente da Câmara, há 19 que têm plenos direitos dentro do partido.

Rejeitadas – Isso sepulta a chance de a legenda se aliar ao adversário de Lira na disputa, o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), apoiado pelo atual presidente da Câmara. O presidente do PSL, Luciano Bivar, está com a candidatura de Baleia Rossi. Sem o PSL formalmente no bloco pró-Baleia, diminuiu a força do grupo porque fica reduzida a proporcionalidade para obter cargos que essa chapa deseja na Mesa Diretora da Câmara. Presidente da Câmara e aliado de Baleia Rossi, Rodrigo Maia (DEM-J) jogou pesado: as novas assinaturas de deputados do PSL colhidas por Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente da Câmara, para levar o partido ao seu bloco devem ser rejeitadas pela Casa.

Sem excelência – Pressionado por críticas ao enfrentamento da pandemia da covid-19 e alvo de novos pedidos de impeachment, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, ontem, que não pode dizer que é um “excelente presidente”. Ele disse, contudo, estar “cumprindo uma missão” e fez referência a gestões anteriores. “Não vou dizer que eu sou um excelente presidente. Mas tem muita gente querendo voltar o que eram os anteriores. Já reparou? É impressionante. Estão com uma saudade de uma..., disse para apoiadores, sem concluir a frase.

CURTAS

PANELAÇOS – A fala do presidente se deu em meio a pressões sobre o Governo federal devido à atuação no combate à pandemia da covid-19. A sobrecarga do sistema de saúde em Manaus (AM) e a falta de oxigênio em hospitais afetou a imagem do governo e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que já adota tom defensivo em seus discursos. Na sexta-feira, o governo de Bolsonaro foi alvo de panelaços em todo o País.

REAÇÃO DE YVES – O prefeito de Paulista, Yves Ribeiro, ficou uma arara com o ex-prefeito Júnior Matuto, que o acusou de mentiroso diante da polêmica de que havia usado o dinheiro do Fundef para pagamento de pessoal, o que é proibido por lei. "Essa é a situação do ex-prefeito, que depositou recursos dos precatórios do Fundef em conta de uso geral. Ao invés de depositá-los em conta específica, resolveu realizar transferência para contas de caráter geral, com o objetivo descarado de burlar a lei", desabafou.

Perguntar não ofende: A quem interessa, neste momento em que o País começa a melhorar o ambiente com a vacinação, o impeachment de Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Se marcos de camaragibe mamador de piroca, queima rosca, tomar a vacina, e virar homem podemos catalogar uma nova espécie. Um pirobo?

marcos

Tudo Fake Mortadela, ninguém acredita mais em tu não Gretchen, melhora o português.

Fernandes

Com Biden no poder, EUA farão série de ações para enfraquecer Bolsonaro. Com o governo Biden, serão fortalecidas as condições políticas para a queda de Jair Bolsonaro.

Fernandes

Governo admite que ataques à China travam chegada de insumos para vacina. Integrantes do alto escalão do governo Jair Bolsonaro admitem que a relação conturbada do país com a China tem travado a importação de insumos para a produção das vacinas contra a Covid-19 no Brasil. O assunto foi um dos temas da reunião do presidente com ministros no Palácio do Planalto.

Fernandes

A Índia se nega a vender insumos para fabricação de vacinas para o Brasil, porque o Bolsonaro, para puxar o saco do Trump, foi contra a Índia em um pedido de suspensão temporária das patentes sobre suprimentos para o combate à Covid-19 – incluindo os imunizantes.



19/01


2021

Coluna da terça-feira

Risco da manipulação política 

Um dia após a Anvisa dar o aval, a Coronavac, vacina chinesa produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantã, começou a chegar no País inteiro. Em Pernambuco, a imunização começou ontem mesmo, para um público específico: 90 mil profissionais de saúde, 26 mil indígenas, 2,6 mil idosos residentes em asilos e 130 deficientes com até 18 anos de idade. O efeito imediato é mais tranquilizador e acena, em breve, a depender da produção e do estoque, para a vacinação em massa.

Para esse público específico, um lote de 270 mil vacinas, correspondente à primeira e segunda fases, não deixa de ser um alento e tanto para quem imaginava que o mundo da ciência não avançasse tão rápido em busca da salvação de vidas diante da pandemia. Marco histórico, essa largada sinaliza para dias melhores, uma volta à rotina das nossas vidas interrompidas de forma abrupta, instalando a era do isolamento social e de crise na economia, com fortes efeitos e danos psicológicos.

Hoje, apenas 6 milhões de doses estão no País e com aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial. Serão usadas em três milhões de pessoas, pois a imunização exige duas etapas. A Anvisa também liberou a aplicação de dois milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, mas a data para importação do produto da Índia ainda é incerta.

Governadores cobraram, ontem, do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que a Coronavac já seja usada agora em seis milhões de pessoas, com apenas uma dose, mas o Ministério considera este plano arriscado, pois ainda não há garantia de que outro lote com o mesmo volume estará disponível a tempo da segunda aplicação.

A logística do Governo falhou, ontem, na distribuição com os Estados, mas há uma grande indagação, para não classificar de temor, quanto ao uso político da vacina quando chegar ao Interior: se não houver fiscalização, quem garante que não haverá privilégios, com a imunização de afilhados de prefeitos não incluídos no grupo determinado?

Largada – No evento de ontem, start oficial da vacina, os governadores conheceram os estoques do Ministério da Saúde. Em seguida, foram conduzidos até a Base Aérea de Cumbica para acompanhar, de perto, os primeiros embarques dos lotes de vacina. Vários aproveitaram o momento para tirar fotos perto dos aviões cargueiros da FAB que estavam sendo abastecidos com as vacinas. Ao todo, foram enviadas 44 toneladas do imunizante. "Este é um momento de esperança para a população", afirmou o governador Hélder Barbalho, do Pará, diante da câmera de seus assessores, perto do avião. As primeiras aeronaves começaram a sair por volta das 10h para Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Pau em Dória – Governadores presentes à distribuição simbólica da vacina criticaram a iniciativa do governo paulista de iniciar a vacinação no domingo. “É um gesto que coloca os outros governadores em situação de segunda categoria. Um gesto que envolve a saúde pública não pode ser transformado em campanha eleitoral. A solidariedade precisa ser respeitada e não o foi ao se iniciar a campanha quando os outros governadores não tinham sequer vacina em seu Estado”, criticou o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM-GO).

Reação em cadeia – O governador do Piauí, Wellington Dias (PT-PI), reforçou as críticas ao governo paulista. “Foi uma decisão ruim. O Programa Nacional de Imunização é um programa nacional, que envolve todos os Estados. Deveria haver igualdade entre todos”, afirmou. A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), evitou comentar a aplicação da primeira dose em São Paulo. Por outro lado, ainda na reunião com os governadores, a chefe do Executivo estadual afirmou que "houve muito tumulto e descoordenação ao longo do período da pandemia.

Sem lockdown – Páginas amarelas de Veja, o ministro de Turismo, o pernambucano Gilson Neto, admite que pegou um grande abacaxi, o maior desafio da sua vida pública: “Estou assumindo o Ministério no pior momento possível. Posso prometer trabalho. Mas tudo vai depender de como será a pandemia. Aproveito para fazer um apelo aos governadores: o setor não aguenta outro lockdown. O empresário está com muito medo, não consegue se programar. De repente vem um decreto e põe tudo abaixo”. Gilson Neto mostrou amplo conhecimento do setor que dirige e fez muitos desabafos diante da pouca competitividade do Brasil, principalmente agora em tempos de pandemia.

CURTAS

VERGONHA – Ainda na entrevista, Gilson Neto criticou os que acham que o Brasil não é um grande destino turístico: “Acho que é desconhecimento, especialmente por parte das pessoas de maior poder aquisitivo. Sentir vergonha do Brasil é algo muito forte, porque o Brasil é o país mais bonito do mundo. Quem diz que sente vergonha do Brasil precisa se internar”.

POTENCIAL – Sobre a potencialidade dos Estados e regiões, o ministro disse o seguinte: “A que tem o maior potencial ainda é o Rio de Janeiro. É preciso resolver a questão da violência, outra prioridade do Governo, mas, quando você pensa em turismo na América Latina, a imagem que vem é a do Cristo Redentor. Para o estrangeiro, o Rio é a porta de entrada do Brasil”.

Perguntar não ofende: A vacina vai ser a grande temática das eleições presidenciais?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Miguel Reale Jr defende que PGR peça exame de sanidade mental de Bolsonaro. “Diante de todo esse quadro, o Ministério Público, que tem que salvaguardar o Brasil, poderia pedir o exame de sanidade mental”, diz o jurista em meio ao descaso que vive o Brasil.

marcos

Bens de irmão de Baleia Rossi são bloqueados pela Justiça e MP denuncia entrega de R$ 1 milhão em dinheiro vivo. Seria esse rapaz Baleia Rossi Lula da Silva?

marcos

Diz pro Miguel Reale que vai estocar Vento!

marcos

Lula diz a Odebrecht que os R$ 11 Milhões de Reais que Marisa Letícia deixou, foi uma Merreca, podiam ter botado Mais!

Fernandes

Bolsonaro diz na ONU que se houver queimadas no Brasil, ele quer que R$ 89 mil caiam na conta de sua mulher.



18/01


2021

Coluna da segunda-feira

Vacina com viés eleitoreiro

A ciência venceu morte e o vírus do fim do mundo está sendo guerreado e sepultado, mas depois de um rastro de horror: dois milhões de almas ceifadas, das quais 207 mil no Brasil. Europa e Estados Unidos saíram na frente sem marketing, sem contendas políticas, diferente do Brasil. Ontem, enquanto uma enfermeira negra, de 54 anos, entrava para a história, a primeira vacinada no Brasil, em São Paulo, por obra do governador João Doria (PSDB), em Brasília, no mesmo horário, o Governo Bolsonaro, por meio do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, acusava o golpe, classificando o ato paulista de puro marketing.

"O Ministério da Saúde tem em mãos, neste instante, as vacinas tanto do Butantan quanto da AstraZeneca. Nós poderíamos, num ato simbólico ou numa jogada de marketing, iniciar a primeira dose em uma pessoa. Mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso. Não faremos uma jogada de marketing", atacou o ministro, numa entrevista coletiva para roubar a cena do que estava ocorrendo em São Paulo.

"É o triunfo da vida contra os negacionistas, contra aqueles que preferem o cheiro da morte, ao invés do valor e da alegria da vida", rebateu, por sua vez, o governador de São Paulo, João Doria, ao lado da enfermeira Mônica Calazans, do Hospital Emílio Ribas, a primeira pessoa no Brasil a receber uma dose da Coronavac. Depois dela, vários outros profissionais do Hospital das Clínicas, onde foi realizada a coletiva, também foram vacinados.

Triste uma vacina ser obra de manipulação política por puro oportunismo do Governo paulista. Doria é candidatíssimo à Presidência da República em 2022. Fazendo um Governo medíocre e opaco, tanto que chegou a ser escondido da campanha do prefeito reeleito Bruno Covas, Doria tenta, agora, enganar a humanidade brasileira com a vacina, o político que chegou primeiro com a tábua da salvação, passando por cima do Governo Federal.

Pazuello fez o pronunciamento após autorização pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19 no Brasil, a coronavac, chinesa, produzida em parceria com o Instituto Butantan, e a inglesa, da Universidade de Oxford, na Inglaterra. No caso da Coronavac, os técnicos da Anvisa confirmaram, a partir de cálculos e análises próprias, os principais dados de eficácia e segurança apresentados pelo Butantan, mas detalharam incertezas que ainda permanecem sobre o produto.

Os técnicos da Anvisa confirmaram a eficácia de 50,4% da Coronavac, mas ressaltaram que não foi possível calcular a eficácia da vacina por faixa etária, principalmente entre idosos. Quanto à vacina de Oxford, também foi confirmada a segurança do imunizante e a eficácia média de 70,32%. O dado considera diferentes números, dosagens e intervalos entre doses. No Brasil, com duas doses completas, a eficácia ficou em 62%.

O ALVO – Em seu discurso, Doria fez críticas diretas ao presidente Jair Bolsonaro, seu adversário político, com quem vem travando discordâncias desde o início da pandemia, citando falas dele e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. "'E daí?', disse um brasileiro. 'Pressa para quê', disse outro brasileiro. 'Toma cloroquina que passa', disse um líder do País. A vacina é uma lição para vocês, autoritários que desprezam a vida, que não têm compaixão, que desprezam a atenção, a dedicação e a necessidade de proteger a brasileiros. Vocês não fizeram isso", disse.

E O RECADO – De olho no Palácio do Planalto, governador paulista também criticou o chamado "tratamento precoce" defendido por Bolsonaro e por Pazuello, que não tem nenhuma eficácia, de acordo com a ciência, contra a covid-19. "Espero que o comportamento do Ministério da Saúde seja pela vida e que parem de recomendar e distribuir a cloroquina", disse. “Hoje é um dia de esperança, de renascimento, de buscar mais forças para prosseguimos. A chegada da vacina não nos livra do uso da máscara, da necessidade do isolamento social e da necessidade de não aglomerar”, acrescentou.

OXIGÊNIO - Duas cargas de oxigênio encaminhadas pelo Governo Federal a Manaus, no mês de maio de 2020 e neste final de semana, daria para abastecer o Amazonas por apenas um dia. A cidade viveu colapso dos hospitais na semana passada, por falta do insumo, o que fez pacientes morrerem asfixiados e doentes serem transferidos para outros Estados. Ontem, o Governo anunciou que balsas atracaram no Porto de Manaus, durante a madrugada, com 70 mil metros cúbicos de oxigênio comprados pelo Governo do Amazonas. Na véspera, o presidente Jair Bolsonaro propagandeou nas redes sociais que no dia 3 de maio mandou um carregamento de 200 cilindros de oxigênio ao Estado, algo em torno de 2 mil metros cúbicos do produto.

DESABAFO DE MOURÃO – O vice-presidente Hamilton Mourão não acha que o presidente Jair Bolsonaro terá o mesmo destino de Donald Trump, que, a poucos dias de deixar a Casa Branca, viu o segundo pedido de impeachment ser aprovado pela Câmara. “Não vejo hoje que haja condição de prosperar qualquer pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro”, disse ele ao Estadão, para completar: "Aqui no Brasil, qualquer coisa é impeachment, né? Deixa o cara governar, pô!"

CURTAS

BONECO – Um ato pró-vacina foi organizado pela Frente Povo Sem Medo em frente à Anvisa na manhã de ontem antes da sessão na qual foi a anunciada a liberação emergencial das vacinas CoronaVac e Astrazeneca. Organizado com apoio do Psol e do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), grupo liderado por Guilherme Boulos (Psol), a manifestação contou com apenas 50 participantes. Foi exibido um boneco do presidente Jair Bolsonaro sujo de sangue, como forma de associa-lo às mortes por coronavírus.

ASSASSINO – O ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (PSDB) foi ao Twitter para criticar a atuação do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), pela morte de pacientes pela falta de oxigênio nos hospitais da cidade. “Wilson Lima, você é o pior governador que o Amazonas já teve e o que acontece em Manaus é assassinato aos moldes de Hitler, por asfixia. Isso é doloroso e cruel”, escreveu Virgílio.

Perguntar não ofende: Doria é hipócrita, oportunista ou agiu certo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos de camaragibe dois B, mamador de piroca queima rosca.

marcos

Quem chama o nosso presidente mito de Bozo queima a Rosca. Ui Gretchen.

Fernandes

VACINA DE BOLSONARISTA É CLOROQUINA... DEIXEM AS CHINESAS PARA OS HUMANOS!

Fernandes

Depois de tantos desaforos, a China faz suspense com o IFA. Oremos!

Fernandes

Direita enlouquecida, a salvação só vem dos comunistas: ou tomam a vacina da China, ou terão de respirar o oxigênio da Venezuela.



16/01


2021

Coluna do sabadão

Forca para o governador

Num país que vigora a pena de morte, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), seria executado em praça pública, culpado pela morte de mais de 50 pessoas por asfixia. Morrer de Covid virou rotina no Brasil, mas por falta de ar só por uma grande maldade, um atestado de assassino passado em cartório. A Covid matou muita gente, mas por falta de oxigênio, como se deu em Manaus, é genocídio.

Esse governador é um assassino, devia ser fuzilado em praça pública. Deixar faltar oxigênio na rede hospitalar é atestado de homicida. A Covid tem suas vertentes laterais, mas nunca se viu até então um paciente ser vencido e ir ao encontro da morte por culpa de um governante que não cuidou do básico: o oxigênio, ar artificial de sobrevivência dos internados pela Covid. Na China, seria executado em praça pública.

Mas no Brasil não acontece nada. As notícias que circularam ontem, de corrupção e desvios de recursos da pandemia, com indícios de uma quadrilha que escondeu cilindros de oxigênio em Manaus, soa aos ouvidos como um atentado à vida. Como um governador escolhe um secretário que deixa faltar oxigênio numa unidade hospitalar especializada em tratamento de pacientes da Covid? Este governador é um criminoso e deveria, no mínimo, ser preso e afastado das funções.

Lugar de criminoso é na cadeia, vale a ressalva com ênfase. Em países como a China crime hediondo é pena de morte. Por que o governador deixou doentes de Covid morrerem por falta de um balão de oxigênio? Cadeia nele! Se viesse a ser degolado, na verdade não faria a menor falta.

Fernando Pessoa, um dos poetas preferidos, dizia em relação à vida que ouvia passar o vento e só de ouvir o vento passar, valia a pena ter nascido. Não existe coisa melhor no mundo do que viver, curtir e gozar a vida, que passa rápido e daqui não levaremos nada, a não ser toda a experiência e as amizades. Mas o governador do Amazonas roubou tudo isso.

Todos desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim, mas o Governo do Amazonas não entende ou ignora a máxima. Os amazonenses, se o governador suicida não sabe, deve-se viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.

Forca para o governador!

Plano contra crise – O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, determinou, ontem, que o governo federal promova de forma imediata "todas as ações ao seu alcance para debelar a seríssima crise sanitária instalada em Manaus". Com recorde de internações, unidades de saúde da capital do Amazonas ficaram sem oxigênio. Lewandowski ordenou que o governo apresente em 48 horas um plano "compreensivo e detalhado" com as estratégias para enfrentar a situação de emergência. De acordo com o ministro, esse plano deverá ser atualizado a cada 48 horas.

Entrega imediata de vacina – O Ministério da Saúde enviou, ontem, ao Instituto Butantan um ofício no qual pediu a entrega "imediata" de 6 milhões de doses importadas da vacina contra a Covid-19. O documento é assinado pelo diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias, e endereçado ao diretor do instituto, Dimas Covas. "Solicitamos os bons préstimos para disponibilizar a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial perante a Anvisa", diz o documento.

Voo adiado – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai atrasar, em até três dias, a saída do Brasil do avião da companhia aérea Azul destacado para buscar na Índia 2 milhões de doses adquiridas do laboratório indiano Serum. A partida do avião estava programada ontem, do aeroporto de Recife. O avião é o maior da Azul Linhas Aéreas e está equipado com contêineres para acondicionar os imunizantes. Em entrevista à TV Bandeirantes, Bolsonaro falou em "pressões políticas" na Índia que, segundo ele, retardaram a partida do avião brasileiro.

PE disponibiliza leitos – Dez leitos para pacientes do Amazonas com Covid-19 foram abertos no Hospital das Clínicas (HC), ligado à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Zona Oeste do Recife. Da capital pernambucana, saiu um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com equipamentos para um hospital de campanha na capital amazonense. As medidas foram adotadas devido ao colapso no sistema de saúde em Manaus devido à falta de oxigênio. A cidade registrou recorde de internações pela doença.

CURTAS

ENEM – Os alunos da rede estadual de ensino de Pernambuco estão autorizados a usar o Passe Livre nos dias das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os testes ocorrem no domingo (17) e em 24 de janeiro. O anúncio foi feito, ontem, pelo Grande Recife Consórcio, que gerencia o sistema de transporte público no Grande Recife. Na quinta, a instituição informou que haverá reforço de 15 linhas de coletivos para as provas do exame.

TABATA – A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) testou positivo para Covid-19. A informação foi confirmada pela parlamentar em suas redes sociais. Ela relata que o resultado do seu último exame deu positivo e que segue em isolamento. Noiva do prefeito do Recife, João Campos, ela afirma que passa bem e que cancelou suas próximas agendas.

Perguntar não ofende: Bolsonaro vai se vacinar?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

marcos de camaragibe foi mamar piroca na praia de Calhetas, Fascista Cabra Safado. Pegou pegou ar, calma menina fascista. KKKKKK

marcos

17/17 ..... É o mito. Kkkk

marcos

Gretchen pegou ar, calma menina fascista. Kkkkkk

Fernandes

Já ia esquecendo marcos de camaragibe, mamador de piroca queima rosca, continua o Frango mais conhecido de camaragibe.

Fernandes

Agora sim 17! 17/01/2021, dia do sim a vida! Uma nova história inicia! Ciência, coerencia e sensatez salvam vidas!



15/01


2021

Coluna da sexta-feira

O jogo do poder

Uma eleição que envolve as mais variadas conjecturas, que vão além das partidárias. Mais do que isso, não tem cor ideológica. Prevalece muito mais os pontos de negociações, com predominâncias sobretudo individuais. Assim é qualquer disputa que está em jogo o controle do Legislativo.

No caso do Congresso, a eleição das mesas diretoras da Câmara e do Senado, se apequena. Vai para a miudeza da política. Severino Cavalcanti, que Deus já chamou, é o mais legítimo exemplo do produto de um protesto coletivo do chamado baixo clero. Deputados anônimos impuseram uma derrota histórica a Lula na fase mais poderosa do seu Governo, elegendo Biu, como era tratado, presidente da Câmara.

Passadas duas décadas do efeito Severino, Arthur Lira e Baleia Rossi medem forças buscando voto a voto. Ambos são de centro direita, mas têm brigado pelos votos de governistas e oposicionistas, com um detalhe que chama atenção e que nunca foi objeto de pauta eleitoral na Câmara: a faca no pescoço para que, no caso de Baleia, de oposição, assuma o compromisso de abrir o processo de impeachment do presidente da República. Onde já se assistiu um absurdo de tamanha natureza!

Foi o PT que exigiu e Baleia teve que engolir, mas isso não tem a menor importância. Deputado petista por mais que acredite na palavra empenhada de Baleia sabe que afastamento de presidente são circunstâncias e não depende de presidente A ou B pôr em pauta. Mas essa eleição da Câmara que se avizinha tem de tudo.

E algo que chama muito mais atenção: a aposta de quem é mais governista ou bolsonarista entre Lira e Baleia. Difícil acertar. Baleia é cria do ex-presidente Michel Temer, é do MDB, partido da base e com histórico pessoal em votações favoráveis ao Governo. Lira é o chefe do Centrão. Precisa dizer mais alguma coisa?

Maioria – A maioria da bancada do PSDB no Senado decidiu apoiar Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado. Dos sete senadores, quatro resolveram apoiar o candidato apoiado por Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Jair Bolsonaro. Outros três apoiarão Simone Tebet (MDB-MS). Com isso, Pacheco chega virtualmente ao número de votos mínimos necessários para vencer a eleição: 41. O voto, entretanto, é secreto, o que permite dissidências nas bancadas que já anunciaram apoios a um ou outro candidato. O PP por exemplo, que apoiou Pacheco, tem o senador Esperidião Amin (PP-SC) que declarou voto em Tebet.

Benesses – Ao menos três tribunais de Justiça, os de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia, concederam benesses a funcionários em dezembro de 2020, segundo apurou o site Poder360. Houve acréscimo no valor do auxílio-alimentação, progressão de carreiras e concessão de licenças de servidores pelo Estado. Esses benefícios são concedidos em geral no final do ano porque é quando se constata que há sobras na previsão orçamentária. Em vez de devolver o dinheiro ao Tesouro do Estado, encontra-se uma brecha legal para a distribuição de pagamento entre funcionários.

Na contramão – Os analistas do mercado financeiro são unânimes ao analisar a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro quer demitir o presidente do Banco do Brasil, André Brandão, que está no cargo desde o final de setembro. Eles acreditam que o episódio vai contra o discurso que ajudou a eleger Bolsonaro, de diminuição da máquina pública e gestão técnica das estatais, sem ingerência política. A proposta de fechar 112 agências e desligar cinco mil funcionários do BB irritou Bolsonaro por acontecer em um momento de busca de apoio para os candidatos do governo para as presidências da Câmara dos Deputados e do Senado.

Ranço ideológico – As rusgas do presidente Bolsonaro com o presidente do BB, André Brandão, começaram no campo ideológico. Em dezembro passado, o banco contratou o cantor Seu Jorge para fazer uma live para os funcionários no dia 5 de dezembro. Os ideólogos do governo criaram a maior confusão e reclamaram com o presidente, dizendo que Seu Jorge é ligado à esquerda e que o banco público contratar o cantor era um absurdo. O presidente concordou com as críticas e "anotou no caderninho”.

CURTAS

OAB OPOSIÇÃO – O advogado Almir Reis, especialista em legislação previdenciária, será o candidato da oposição na briga pela presidência da OAB, em eleição marcada para novembro. O jovem jurista é um dos mais gabaritados e respeitados da área que atua no País, com destaque no eixo Recife- Brasília-São Paulo. Articulado e respeitado, nos próximos dias começa um agendão de pré-campanha pelo Interior, a partir do Sertão do Pajeú.

DÍVIDAS – O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto que promove o equacionamento das dívidas dos entes federados com a União e altera o RRF (Regime de Recuperação Fiscal). A medida permite que as unidades da Federação com baixa capacidade de pagamento possam contratar operações de crédito com garantia da União, desde que se comprometam a adotar medidas de ajuste fiscal.

Perguntar não ofende: No encontro que teve com Arthur Lira, candidato do Centrão à Presidência da Câmara, Marília Arras prometeu ou não votar nele?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A ÍNDIA NÃO QUER MAIS VENDER INSUMOS HOSPITALARES E VACINAS P/O BRASIL, GALERA. PORQUE SERÁ? SERÁ MAIS UMA DO MALIGNO EFEITO 17?

Fernandes

POLÍTICOS APOIADORES DE BOZONARO QUE INSUFLARAM O POVO CONTRA O ISOLAMENTO EM MANAUS, depois da tragédia. CORREM P APAGAR SUAS POSTAGENS.

Fernandes

Lula lamenta tragédia em Manaus e condena indiferença passiva e desumana do governo federal.

Fernandes

Para quem votou 17 ou anulou o voto no 2.º turno das eleições presidências de 2018 é tão assassino quanto Bolsonaro!

Fernandes

Pessoas morrendo sufocadas e Bolsonaro iludindo o povo com vacina da Índia. Libera já a vacina, assassino miserável!



14/01


2021

Coluna da quinta-feira

Lira vai desbancar Baleia

Na coluna de ontem adiantei que o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), apoiado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), já podia preparar a beca para sucedê-lo no comando da Casa, como candidato apoiado pelo Planalto. Hoje, a aposta é que o sucessor de Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara será o alagoano Artur Lira (PP), que ontem passou pelo Recife tentando cabalar votos entre os 25 deputados que integram a bancada federal.

Na saída do encontro, Lira disse que a eleição será “de deputados “, e não de blocos ou partidos. “Essa eleição não é de líder, não é de bloco, não é de presidente de partido, essa eleição é de deputados. E os deputados sabem, conhecem e querem a mudança do que hoje acontece na Câmara dos Deputados”, afirmou. Lira afirmou que já ouviu de diversos chefes de partidos que suas bancadas apoiariam seu concorrente, Baleia Rossi (MDB-SP), mas que os deputados dessas bancadas não seguem a orientação.

Lira teria, hoje, um mínimo de 300 e um máximo de 320 votos, bem acima dos 257 necessários para liquidar a fatura logo no primeiro turno. Só na bancada de Pernambuco, dos 25 votos, o governista teria, hoje, 18. Já há quem aposte que Baleia Rossi (MDB), postulante da oposição, só teria na mesma bancada os votos dos deputados Renildo Calheiros (PCdoB), Fernando Bezerra Filho (DEM), Wolney Queiroz (PDT), Milton Coelho (PSB) e Luciano Bivar (PSL).

Na própria bancada do PSB, cujo partido faz oposição ao Governo no plano federal, Lira tem, hoje, o voto do dissidente Felipe Carreras e, provavelmente, de Danilo Cabral e Gonzaga Patriota. Posição incerta e não sabida são a dos petistas Marília Arraes e Carlos Veras. O PT fechou com Baleia Rossi, mas eles não simpatizam com o candidato. Acham que ele é muito mais governista do que Lira.

Em Brasília, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, reafirmou à repórter Hylda Cavalcanti, do Jornal de Brasília e colaboradora deste blog, que a determinação do partido é pelo voto no candidato do MDB. Como o voto é secreto, Siqueira, entretanto, não terá como saber quem traiu entre os 32 deputados que formam a bancada socialista.

Pau em Maia – Durante a conversa com jornalistas no Recife, Lira criticou ainda a maneira como o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conduz a Câmara. Disse que o “eu” foi fortalecido mais do que deveria e que será apenas um porta-voz da vontade da Câmara se for eleito. “O que sempre nós estamos ouvindo é que a Casa deve voltar a ser ‘nós somos a Câmara’ e não ‘eu sou a Câmara’. Hoje o ‘eu’ está exageradamente fortalecido em relação ao ‘nós’. Os deputados precisam ter voz.”

Reforço a Pacheco – O PP do Senado confirmou apoio a Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado. A bancada tem sete membros. O nome apoiado pelo atual presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Jair Bolsonaro, chega a prováveis 38 votos e estaria a três votos de vencer o pleito (são necessários ao menos 41 votos para isso). O demista concorrerá com Simone Tebet (MDB-MS), que teve seu nome oficializado pelo partido na terça-feira passada. Esta, por sua vez, apesar de ser da maior bancada da Casa (tem 15 membros depois de novas filiações), ainda não fechou nenhum apoio formal para o pleito.

Crise política – O plano de enxugamento do Banco do Brasil pode custar a cabeça do presidente André Brandão. Em campanha por Arthur Lira, Bolsonaro recebeu em um só dia oito deputados e ouviu reclamações sobre o fechamento de agências do BB em cidades menores. No ano passado, em um evento, o presidente já tinha sido cobrado por um manifestante para reabrir uma agência. Em 2019, Bolsonaro chegou a admitir que pediu ao Banco do Brasil que abrisse uma agência num município do Maranhão que o elegeu. Agora, o anúncio do fechamento de mais de uma centena delas, foi considerado um desgaste político inoportuno.

Vice da oposição – Depois de duas gestões bem sucedidas em Garanhuns, o ex-prefeito Izaías Régis pode adiar o seu projeto de disputar um mandato de deputado federal. Nomes com potenciais para entrar na briga pelo Governo do Estado em 22 já pensam em tê-lo na chapa como candidato a vice. “Ele tem um perfil excelente, soma e traz o voto do Agreste”, revela um desses já considerados pré-candidatos de olho em atrair o voto do interior. Izaías, embora não tenha feito o sucessor, deixou a Prefeitura de Garanhuns com a popularidade em alta, com quase 80% de aprovação.

CURTAS

CABO ELEITORAL – O presidente Jair Bolsonaro reservou a manhã de ontem para receber deputados federais em seu gabinete, no Palácio do Planalto. Ao todo, foram três reuniões diferentes, com oito parlamentares. O assunto dos encontros não foi divulgado, mas participantes admitem que as eleições no Congresso, marcadas para fevereiro, esteve entre os temas. Bolsonaro tem feito campanha a favor de Arthur Lira (Progressistas-AL), líder do Centrão que disputa o comando da Câmara contra Baleia Rossi (MDB-SP), do grupo de Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Casa.

APOIO TRABALHISTA – Um dos que participaram do encontro foi o deputado Wilson Santiago (PTB-PB). Seu partido tende a apoiar Lira, mas a bancada ainda não bateu o martelo. “É natural que se toque nesses assuntos (eleições na Câmara). Mas não houve, por parte do presidente, nenhuma cobrança no que se refere a posicionamento partidário”, afirmou o deputado na saída do Planalto.

Perguntar não ofende: Por que tanto entusiasmo de João Campos pela candidatura do bolsonarista Artur Lira?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A Venezuela vai resolver o problema. É isso mesmo?

marcos

Cadê o STF Que manda em tudo? Dá um prazo de 5 dias para o vírus chinês ir embora Lewandovsk.

marcos

Faz um Lockdow e fica em casa que resolve. Luiz Inácio Corona da Silva.

Fernandes

Morrer asfixiado com falta de ar é a morte mais cruel que pode existir, só se iguala a Câmara de gás de Hitler. O que está acontecendo em Manaus é um genocídio. SOS Manaus!

Fernandes

A Venezuela vai resolver o problema. É isso mesmo?



13/01


2021

Coluna da quarta-feira

Pacheco deve suceder Alcolumbre

Indicado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sob as benções do presidente Bolsonaro, para disputar à Presidência da Casa, o senador mineiro Rodrigo Pacheco (DEM) já pode, desde já, a preparar a beca da posse. Para atingir os 41 votos que garantem sua eleição no próximo dia 1 só faltam três votos. Sua contabilidade está em 38 votos com o anúncio fechado dos sete senadores do PP.

Na última semana, Pacheco fechou três apoios e se consolidou na dianteira da corrida eleitoral. Conta com a palavra de PSD (11), DEM (5), Pros (3), Republicanos (2) e PSC (1). Incrivelmente, ganhou até os votos da bancada do PT, partido de oposição frontal ao Governo. São mais seis votos no seu balaio, que deve ser recheado ainda mais ao longo desta e das próximas semanas.

Em eleição secreta, porém, sempre há surpresas por causa das traições de última hora, mas quem acompanha mais de perto o processo no Senado não tem dúvida em arriscar que Pacheco sucederá Alcolumbre. Já o MDB, maior bancada do Senado com 15 membros, confirmou, ontem, o nome de Simone Tebet (MDB-MS) como candidata da sigla à presidência da Casa.

O partido decidiu entre Tebet e Eduardo Braga (MDB-AM), líder da bancada. Tradicionalmente, o presidente do Senado é da maior bancada. Para que isso não ocorra, são necessárias condições muito específicas, como as vistas na eleição de Alcolumbre, em 2019. Na ocasião, o MDB rachou em torno de Renan Calheiros e Simone Tebet e acabou optando pelo senador alagoano. 

O MDB chegou a ter quatro postulantes a candidato da sigla e, por mais que pregue discurso de união na bancada, esse cenário pode não se concretizar até a eleição. Enquanto isso, na Câmara dos Deputados o ambiente está mais carregado, incerto, com tendência para vitória do também governista Arthur Lira, do PP alagoano. Diferente, entretanto, do comportamento no Senado, o PT está do outro lado do balcão na eleição da Câmara, na oposição, mesmo não tendo ainda fechado e anunciado apoio ao deputado Baleia Rossi, do MDB de São Paulo.

Para bater o martelo em apoio a Baleia, o PT exige que o candidato assuma o compromisso público de que, eleito, abra o processo de instalação do impeachment do presidente Bolsonaro. Há muitos pedidos nesse sentido engavetados pelo atual presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), que assumiu uma espécie de coordenação da campanha do adversário de Lira. Como não há um terceiro candidato, a menos que o PT decida caminhar em faixa própria, a eleição na Câmara tende a ser decidida em primeiro turno.

Razão do apoio – O líder do PT no Senado, Rogério Carvalho (SE), justifica a escolha do partido de oposição à candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) na disputa pelo comando da Casa pela falta de opções. “Não temos condição de escolher um candidato de oposição ao Bolsonaro porque não tem”, afirmou. A decisão da bancada petista chama a atenção porque Pacheco, líder da bancada do DEM, é o concorrente que tem o aval do presidente Jair Bolsonaro. Na Câmara, o PT aderiu à campanha do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) ao comando da Casa justamente sob o argumento de que não poderia estar com o Governo.

Marcar posição – Desde que Bolsonaro acertou com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (AP), o respaldo à candidatura de Pacheco, os governistas do MDB traçaram outra estratégia. Os líderes do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (PE), e no Congresso, Eduardo Gomes (TO), atenderam ao apelo de Bolsonaro e desistiram de entrar no páreo. Eduardo Braga, líder do MDB no Senado, seguiu o mesmo caminho ao perceber que não teria chance. Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Tebet é apontada nos bastidores como um nome que vai para a disputa apenas para marcar posição e indicar independência do partido em relação ao Planalto.

Reação à espionagem – O serviço de mensagens Telegram ultrapassou, ontem, os 500 milhões de usuários. Mais 25 milhões de pessoas aderiram ao aplicativo nas últimas 72 horas. No Brasil, a plataforma é vista como alternativa ao WhatsApp, que anunciou mudanças nos termos de uso, que incluem intercâmbio de informações com o Facebook, dono do serviço de mensagens instantâneas. Há temores de que a nova política permitirá que a empresa espione os usuários.

Roubo em calumbi – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o novo prefeito da pequena Calumbi, no Sertão do Pajeú, Erivaldo José da Silva, o Joelson, do Avante, disse que passados 12 dias da sua posse ainda não tem a menor noção da herança maldita deixada pela ex-prefeita Sandra da Farmácia (PT), porque não encontrou um só computador no gabinete ou na Secretaria de Finanças armazenando as informações sobre a saúde financeira do município. “Levaram tudo, nem pagamento de pessoal em tenho noção de como ficou. O que ouço é que não há atraso, mas nada oficial”, desabafou. Que vergonha!

CURTAS

SAÚDE – Último auxiliar escolhida em Serra Talhada pela prefeita Márcia Conrado (PT), a enfermeira Lisbeth Rosa, da pasta de Saúde, é mãe do seu esposo, o dentista Breno Araújo. Alexandra Novaes, que chegou a ser cotada para a função, foi escolhida para auxiliar a nova secretária como secretária-executiva. Na prática, a própria prefeita não vai ter dificuldades na área, porque passou seis anos à frente da pasta na gestão de Luciano Duque.

MERENDA – As empresas e fornecedores que se envolverem em fraudes na venda de merenda escolar ou entregarem comida fora do prazo ou sem qualidade ficarão proibidos de participar de licitações e de assinar contratos com o governo de Pernambuco por até dois anos. É o que determina lei promulgada na última segunda-feira. A norma foi publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa. Ela altera a Lei 12.525, de 30 de dezembro de 2003, que trata das licitações e contratações com a administração pública.

Perguntar não ofende: Com apenas 50% de eficácia, dá para tomar a vacina chinesa?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Inflação de alimentos continua massacrando os mais pobres. Quem tá achando bom é marcos de camaragibe mamador de piroca, queima rosca.

marcos

Já sei porque foi, ele descobriu o defeito de Lula o Ladrão. Falta um Dedo. Taokei.

Fernandes

BOLSONARO FOI ELEITO PELA MÍDIA INTERNACIONAL COMO O MAIOR DEFENSOR DOS “DEFEITOS HUMANOS”. O CARA NÃO É UM MITO, marcos de camaragibe mamdor de piroca, queima rosca?

Fernandes

Impeachment de Trump foi aprovado, que sirva de estímulo para nosso congresso!

Fernandes

Inflação de alimentos continua massacrando os mais pobres. Quem tá achando bom é marcos de camaragibe mamador de piroca, queima rosca.



12/01


2021

Coluna da terça-feira

15 milhões de muito obrigado!

Há 15 anos, completados em abril próximo, fui rotulado de maluco quando criei meu blog, o primeiro do Nordeste, o terceiro do País, dois anos após Ricardo Noblat se apresentar como o pioneiro no plano nacional. Naquela época, quando predominava fortemente a cultura da notícia em papel, seja em jornal ou revista, foi uma ousadia e tanto.

A semente do futuro foi plantada e deu frutos, graças a Deus. Ontem, recebi relatório do Google Analytics, que mede a audiência dos principais sites do mundo, apontando um crescimento do meu blog em 21%, de 2019 para 2020. Saímos de 12 milhões para 15 milhões de usuários únicos, com uma marca extraordinária: só em um único mês, o novembro da reta final das eleições municipais, fomos visitados por 2,5 milhões de leitores.

O crescimento foi linear, com mais presença no público jovem, de 16 a 24 anos, alcançando 31%. Pelos sites de buscas, o Google deu um banho nos demais quando novos leitores quiseram buscar informações em nossa plataforma política: 8,5 milhões de almas vivas espalhadas no mundo inteiro, com destaque para o Brasil.

Faço a ressalva que o levantamento oficial do Google Analytics não incluiu as redes sociais do blog e o meu face pessoal. Somadas as duas páginas do Facebook, a do blog e a minha, alcançamos mais de 40 mil seguidores. Já no Instagram, rede xodó da classe média formadora de opinião, são mais de 42 mil seguidores, além do Twitter, onde atingimos quase 20 mil seguidores.

Ainda engatinhamos no YouTube, rede social que chegamos por último, mas em menos de dois meses já temos cerca de 7 mil inscritos e nossa meta é atingir 100 mil seguidores. Para isso, uma campanha será lançada com direcionamento para o canal do blog. Se você deseja nos seguir no YouTube, anote aí: www.youtube.com/blogdomagno

Por fim, nossos números são dignos de uma grande comemoração, com direito a champanhe, porque o meu blog não pega carona em nenhum site nacional, ou seja, tem voo solo e não compartilhado. Os leitores que nos acessam não chegam por variantes em outros sites, como a maioria dos blogs, mas entrando diretamente no nosso endereço ou procurando nos sites de buscas, como o Google.

A você, caro leitor, razão desse estrondoso sucesso, o meu muito obrigado!

Sigilo do voto – A eleição das mesas diretoras da Câmara e do Senado está marcada para o próximo dia 1, em pelo recrudescimento da pandemia, mas os postulantes não querem nem ouvir falar em sessão remota. Candidato a presidente da Câmara, o alagoano Artur Lira (PP) acha que governadores e presidentes de partidos poderiam coagir deputados a votar conforme as instruções partidárias. “O que impede que uma bancada seja convocada por um governador ou presidente de partido bote dentro de uma sala para votar virtualmente?”, adverte. Segundo ele, isso quebraria o sigilo do voto.

Péssima notícia – A montadora americana Ford deu, ontem, a pior notícia para o início deste ano: o fim de uma história de um século de produção de carros no Brasil. A montadora, que já tinha encerrado, em 2019, a produção em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, comunicou que vai fechar neste ano as demais fábricas no País: Camaçari (BA), onde produz os modelos EcoSport e Ka; Taubaté (SP), que produz motores; e Horizonte (CE), onde são montados os jipes da marca Troller. Serão mantidos no Brasil a sede administrativa da montadora na América do Sul, em São Paulo, o centro de desenvolvimento de produto, na Bahia, e o campo de provas de Tatuí (SP).

BB murcha – Outra notícia ruim: o Banco do Brasil anunciou, ontem, um plano de reorganização administrativa com fechamento de 361 unidades de atendimento e demissão de cinco mil funcionários. As medidas foram publicadas em fato relevante. De acordo com a estatal, a expectativa é que seja possível economizar R$ 535 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões até 2025 com as medidas adotadas. A revisão e o redimensionamento da estrutura organizacional devem ser feitos no primeiro semestre deste ano. A intenção, segundo o comunicado, é dar ganhos de eficiência e otimização em 870 pontos de atendimento no País. No saldo, o banco terá 347 agências a menos.

Lupércio 2022 – Reeleito em Olinda num pleito que o PSB e a estrutura do Governo foram contra, apoiando o ex-prefeito do Recife, João Paulo, o Professor Lupércio (SD) é um quadro que se apresenta com alento para 2022. Tem o chamado voto urbano, cheiro de povo e sua gestão, inovadora, está servindo de referências para os novos prefeitos que saíram eleitos em 15 de novembro do ano passado nas diversas regiões do Estado. Seu nome, para o Governo do Estado, já está na lista em que aparecem também Miguel Coelho, de Petrolina, Raquel Lyra, de Caruaru, e Anderson Ferreira, de Jaboatão.

CURTAS

SERRA – Em entrevista ao Frente a Frente de ontem, a nova prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT), disse que o antecessor Luciano Duque (PT) passou o cargo com a folha de pagamento em dia, inclusive o 13º salário, e um leque de obras a ser inaugurado em breve. Destacou que Duque fez um belo governo graças ao apoio que recebeu da bancada federal, através de emendas e parcerias com o Governo Federal.

VACINA – Sobre a vacina de imunização contra a covid, Conrado informou que já enviou uma carta de intenções ao Instituto Butantã para comprar diretamente com recursos do tesouro municipal. Segundo ela, a doença já tirou a vida de 82 pessoas, mas a situação de hoje, apesar de uma média diária de 40 casas, está sob controle.

Perguntar não ofende: Por que Artur Lira, o candidato governista, se recusa agora a usar o DNA de Bolsonaro na campanha para presidente da Câmara?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro tem medo da vacina porque teme o povo na rua pressionando pelo impeachment. Quem não tá achando bom é marcos de camaragibe mamador de piroca, queima rosca.

marcos

Ninguém é maluco para abrir um paraquedas com 50% de chances.

marcos

Ô idiota o povo nas ruas hoje é contra a esquerda. Acabou a Mortadela , acabou o povo na rua defendendo a esquerda. Só dá o nosso mito Jair Bolsonaro. Ui negs

Fernandes

Bolsonaro tem medo da vacina porque teme o povo na rua pressionando pelo impeachment. Quem não tá achando bom é marcos de camaragibe mamador de piroca, queima rosca.

marcos

Vacina da coronavac com 50% de eficácia, kkk só pra idiotas úteis.