FMO janeiro 2020

27/02


2020

Coluna da quinta-feira

Traidor da Constituição é traidor da pátria

O presidente Jair Bolsonaro não deve estar no seu melhor estado mental. Compartilhar de seu celular um vídeo convocando a população para protestar contra o Congresso, no próximo dia 15 de março, beira à loucura, uma insanidade. Cabe a um chefe de Estado trabalhar, diuturnamente, pela madura e democrática relação entre os poderes, nunca instigar qualquer instituição que seja.

Incitar manifestações contra poderes e instituições é ferir a Constituição. Quando promulgou a Constituição de 88, o então presidente Ulysses Guimarães, eternizado pelo Senhor Diretas, fez uma defesa ardorosa da Carta Magna. Disse que não era a Constituição perfeita, mas útil. “Será luz, ainda que de lamparina, na noite dos desgraçados. É caminhando que se abrem os caminhos. Ela vai caminhar e abri-los. Será redentor o caminho que penetrar nos bolsões sujos, escuros e ignorados da miséria”, pregou num discurso antológico.

Não é a primeira vez no atual Governo que o seu chefe e asseclas mandam recados ao retrocesso. Seu filho Eduardo e o general Heleno já defenderam a volta do AI-5, o Ato Inconstitucional que fechou o Congresso, entregou o poder aos militares, baniu e perseguiu políticos, abrindo a janela para a tortura e a repressão.

Ao invés de ficar instigando a sociedade, representada pelas mais notáveis instituições, como o Congresso, o Judiciário e o Ministério Público, Bolsonaro deveria pôr os olhos no retrovisor e não se deixar tentado pelo mal. Reproduzir parte do discurso de Ulysses aqui possa servir a uma reflexão, para tirar da cabeça dele ideias malucas, que só atrapalham o seu Governo e comprometem o País.

“A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa, ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca. Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio, o cemitério. A persistência da Constituição é a sobrevivência da democracia”.

Que fique o exemplo do Doutor Ulysses!

O que está rolando – Depois das críticas do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, ao Congresso, grupos de direita que apoiam o Governo vêm convocando uma manifestação contra o Supremo e o Congresso, o que tem sido visto como ameaças a dois pilares do sistema democrático. Na terça passada, Bolsonaro usou sua conta pessoal no WhatsApp para divulgar a alguns correligionários a convocação da manifestação, sem citar o Supremo e o Congresso. Cobrado, disse que a Imprensa e os políticos fizeram ilações maldosas à sua fala.

Tensão institucional – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao ser abordado sobre o vídeo de Bolsonaro, afirmou em rede social que “criar tensão institucional não ajuda o País a evoluir. Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir. Só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a Nação pelo diálogo. Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas”, disse.

A imagem diz tudo – Declaradamente contrário à candidatura de Marília Arraes à Prefeitura do Recife, o senador Humberto Costa, principal liderança do PT no Estado, aproveitou os festejos carnavalescos para dar uma demonstração pública de que vai lutar até o fim para manter na capital a aliança petista com o PSB em apoio ao deputado João Campos. Fez questão de posar para fotos na abertura oficial do Carnaval ao lado não apenas do pré-candidato socialista, mas também do governador Paulo Câmara e do prefeito Geraldo Júlio, ambos com suas respectivas esposas.

Mágoa de Carreras – O prefeito de Triunfo, cidade turística, João Batista, a caminho do PSB, por onde deve disputar a reeleição, não esconde de ninguém mágoas do ex-secretário estadual de Turismo, Felipe Carreras, por nunca ter prestigiado um só evento na cidade e nunca ter colocado os pés no seu chão. Ao mesmo tempo, não se cansa de elogiar o atual titular da pasta, Rodrigo Novaes, que, na última terça-feira, voltou ao município para prestigiar o Carnaval. “Felipe nunca nos atendeu em nada. Já Rodrigo é atencioso e até generoso com Triunfo”, afirma.

CURTAS

OS SEM FOLIA – Não foi apenas o Ceará que ficou sem carnaval por um fato localizado, a greve da polícia militar. Levantamento da Confederação Nacional dos Municípios aponta que mais de 40% das cidades brasileiras não investiram na folia, preferindo guardar os minguados recursos para aplicar em saúde e educação. Serra Talhada, administrada pelo petista Luciano Duque, se insere entre as que rifaram a folia. Por não ter a festa tradicional de momo, Serra, segundo Duque, ganhará investimentos em outras áreas. Mesmo assim, adversários criaram memes nas redes sociais para bater em Duque.

RISCO DE BLOQUEIO – Por falar em crise, os municípios brasileiros têm até amanhã para homologar as informações sobre o sexto bimestre de 2019 no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde, o Siops. Até a semana passada, 2,5 mil prefeitos não haviam alimentado o sistema e correm o risco de sofrer bloqueios das transferências de recursos constitucionais a partir de 1 de março. O Siops tem o seu próprio portal, canal pelo qual os prefeitos devem atualizar as informações. Quem não correr até amanhã, vai sofrer um baita prejuízo.

O ATAQUE DE CIRO – De Ciro Gomes ao ser informado do vídeo que Bolsonaro está convocando o povo a protestar contra o Congresso: “Atenção, senhor Jair Messias Bolsonaro, canalha-mor: as instituições brasileiras serão defendidas. Eu vou te enfrentar, presidente canalha. E a sua família de canalha. Eu conheço por dentro o Congresso Nacional. E posso dizer que Bolsonaro sempre foi ligado a tudo o que não presta, em matéria de corrupção”.

Perguntar não ofende: O ano 2020 começou agitado com as ameaças de Bolsonaro às instituições?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro cumpre promessa de campanha e devolve Brasil a 1968. Bolsonaro mal sabe ler e escrever. Mal pensa (pensa?). Ele só entende de milícias e grupos de extermínio.

Fernandes

O grande segredo de Joice Hasselmann sobre Bolsonaro. Sei o que vocês fizeram no verão passado disse Joice. Façam suas apostas, vai pegar fogo cabaré. KKKK

marcos

Vamos pra rua foda-se

Fernandes

DO GOLPE PRA CÁ CAMINHONEIROS JÁ GASTARAM 200 mil REAIS A MAIS, POR CONTA INTERNACIONALIZAÇÃO. DO PREÇO DO DIESEL

Fernandes

Este presidente é a maior vergonha de nossa história!, diz Ciro Gomes.


Abreu e Lima

Confira as últimas colunas

28/03


2020

Coluna do sabadão

Reaja rápido, governador!

Até o fechamento desta coluna, que escrevo e programo para entrar à meia noite no blog, não vi uma só manifestação do Governo do Estado em relação às manifestações de rua que estão sendo anunciadas no Recife e em várias cidades do Interior entre hoje e segunda-feira. Petrolina, por exemplo, tem chamada nas redes sociais para uma carreata hoje em torno da orla do Rio São Francisco. Soube que há convocações também para Arcoverde.

No Recife, também carreata, está prevista para às 10 horas, concentrada no Marco Zero, no bairro velho da cidade. Todas elas têm uma só finalidade: pedir a revogação do decreto do governador que proíbe a aglomeração acima de dez pessoas, restabelecendo imediatamente as atividades econômicas no Estado, paralisadas em função das medidas de prevenção para o avanço do Covid-19, transmissor do vírus que está dizimando milhares de pessoas no mundo inteiro.

Diante do silêncio do Governo, o Ministério Público alertou, em nota, que as manifestações vão contra as determinações impostas pela lei assinada pelo governador. O MP foi mais além e disse que baixou uma recomendação para que a Polícia apreenda os carros que, porventura, participem do ato. Segundo Francisco Dirceu Barros, procurador-geral de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, toda decisão será baseada em laudos técnicos e em consonância com o que determina a lei.

"Essa convocação nos deixa muito triste, o MPPE não vai entrar em debate ideológico político, somos técnicos jurídicos, não temos capacidade de fazer uma análise econômica e de saúde. Mas estamos lastreados em laudos técnicos e temos que seguir a lei. Existe um decreto que proíbe a aglomeração de mais de dez pessoas, inclusive uma orientação do Ministério da Saúde e também de órgãos internacionais da saúde", disse.

O MP reagiu de imediato e está fazendo a sua parte. Mas, cadê a palavra ameaçadora do governador aos que querem ferir à sua lei? Não fala nada? O Estado não pode ser desmoralizado por setores que acham que a economia é mais importante do que salvar vidas. Aja, governador! Mostre que tem pulso e que quem manda no Estado, até segunda ordem, é o senhor!

Ameaça corretíssima – As carreatas, tanto a do Recife quanto a de Petrolina e Arcoverde, convocam empresários, comerciantes, motoristas de aplicativos, profissionais liberais, além da população de uma forma geral. "Sei que é um momento de crise, estamos vivendo um estado de guerra que há danos para a saúde. As pessoas podem morrer e também podem morrer com a crise econômica, mas temos que seguir a lei. Por isso, vou recomendar aos oficiais de Justiça que recomendem a Polícia para apreender os carros de quem vá para a carreata. Não estou me envolvendo em polêmicas de partido, mas, enquanto chefe do MPPE, preciso fazer cumprir a lei", alerta o procurador-geral de Justiça.

Em outros estados – As carreatas organizadas por empresários e comerciantes, que pedem a volta da normalidade com comércio e indústria retomando as atividades, não se restringem a Pernambuco. Na última quinta-feira, foi feito um registro no balneário de Camboriú, em Santa  Catarina. A manifestação foi flagrada em vídeo. Reuniu um grande número de pessoas e chamou a atenção para os problemas que podem ser criados com a paralisação das atividades econômicas. Está no centro da discussão causada pela pandemia do coronavírus. O medo é de que uma profunda depressão econômica se apodere do País nos próximos meses, segundo faixas exibidas pelos manifestantes.

O mundo isolado – Aos que querem fazer carreatas: pelo menos 2,8 bilhões de pessoas, o que representa mais de 1/3 da população mundial, vivem atualmente sob algum tipo de restrição de circulação para conter o rápido avanço da Covid-19, aponta um balanço da agência France Press (AFP). Em um momento em que pandemia se acelera em uma taxa exponencial – os últimos 100 mil novos casos no mundo foram registrados em apenas dois dias, a OMS recomenda que os países tomem medidas duras que favoreçam o isolamento físico das pessoas, apesar do custo social e econômico significativo. "Sem ação agressiva em todos os países, milhões poderão morrer”, declarou o diretor-geral da organização, Tedros Ghebreyesus.

Números atualizados – O Ministério da Saúde divulgou, no início da noite de ontem, o mais recente balanço dos casos da Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais números são: 92 mortes, 3.417 casos confirmados, 2,7% é a taxa de letalidade, São Paulo concentra 1.223 casos, e o Rio, 493. No balanço anterior, que marcou o primeiro mês da circulação do novo coronavírus Sars-Cov-2 no Brasil, os números apontavam 77 mortes e 2.915 casos confirmados. Em relação às mortes, o aumento foi de 19%, e de 17% em relação aos casos do dia anterior.

CURTAS

MEDIDAS – O Governo Federal anunciou, ontem, finalmente, uma linha de crédito emergencial para pequenas e médias empresas e que vai ajudá-las a pagar os salários de seus funcionários pelo período de dois meses. Anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o programa vai disponibilizar no máximo R$ 20 bilhões por mês, ou seja, R$ 40 bilhões em dois meses. Feito no Palácio do Planalto, o anúncio se deu após o aumento da pressão sobre Bolsonaro para que adote medidas semelhantes às vistas em outros países para facilitar medidas como o isolamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reduzir o crescimento no número de doentes pela Covid-19.

DOAÇÃO EM OLINDA – Se todo empresário agisse como Inácio Neto, diretor-presidente da Faculdade de Medicina de Olinda, provavelmente não faltaria equipamentos para os profissionais de saúde no trabalho rotineiro nos hospitais: entregou uma doação de 10 mil máscaras à Prefeitura de Olinda. Fez questão de fazer o repasse à secretária de Saúde, Luciana Lopes, na presença do vice-prefeito Márcio Botelho (SD), em ato acompanhado pela diretora acadêmica da FMO, Teresa Miranda. Há muitos municípios que estão precisando urgentemente de equipamentos. Chegou a hora de o empresariado ajudar a salvar vidas protegendo os profissionais que atuam na Saúde.

ENGAVETADOR – Por falar em Olinda, o presidente da Câmara, Jorge Federal (PL), engavetou, literalmente, o projeto do prefeito Lupércio (SD) que reduz em 10% o salário dele, do vice-prefeito e dos secretários para usar na compra de insumos e de material no combate à disseminação do Covid-19. A proposta foi encaminhada ao Legislativo na última segunda-feira, um dia após o prefeito fazer o seu anúncio num vídeo pelas redes sociais. Ninguém está entendendo a postura do presidente da Câmara. Certamente, ele teme que a população cobre o mesmo gesto aos nobres vereadores que integram o poder.

Perguntar não ofende: Quem confia hoje no que diz o presidente quando trata do mal do coronavírus?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula avisou que vai doar R$ 3 milhões do pacto de Sangue com Emilio odebrecht para a compra de respiradores em prol do hospital de Caetés.

marcos

Povo brasileiro vejam a falta que está fazendo os U$D 785 Bilhões de dólares que Lula e Dilma doaram para os países de ditadura comuna amigas.

marcos

Primeiro a gente cuida da saúde, depois leva os Boletos para Lula Ladrão Pagar. Kkkkkkkkk

marcos

Fake Mortadela, abaixo de 60 de volta ao trabalho.

Fernandes

BASTOU TRUMP Mandar tudo mundo ficar em casa que Bolsonaro vai lá e muda de opinião Brasil não tem presidente têm um peso morto.



27/03


2020

Coluna da sexta-feira

Falta um estadista ao País

Na primeira conferência reunindo os 27 governadores sem a presença do presidente Bolsonaro, na última quarta-feira, para tratar de coronavírus, dá para concluir que houve, na prática, uma desordem federativa. Pela primeira vez, chefes de Estado se confrontaram, na lei e no direito, com o presidente da República. Saíram do encontro ignorando qualquer recomendação do Planalto.

Foram para o confronto. Além de serem unânimes na reprovação ao tom do discurso do presidente na noite anterior em rede nacional de rádio e TV, afirmaram que suas medidas, mesmo desagradando frontalmente o Planalto, estavam mantidas. Em português claro, isso é desobediência civil. Nunca um presidente foi tão desmoralizado. Bolsonaro insultou os governadores na TV, mas nenhum se curvou a ele.

O Brasil é uma Federação de Estados e o ente mandatário é a União, estando os Estados subordinados e obedientes ao que vier de cima. É verdade que o mundo está em pânico e não convém flexibilizar ou afrouxar medidas para conter o avanço do coronavírus no País, como deseja o presidente. Mas o País não tem, na verdade, um líder, um mandatário, um estadista para um momento tão dramático.

Governador nenhum tem instrumentos para se rebelar contra a União. Os Estados estão quebrados, de pires nas mãos, reféns da União, mas, politicamente, nesse episódio, os governadores se fortalecem, falam grosso diante do que seria o rei soberano, porque tomaram medidas em sintonia com a sociedade, em nome da vida, para evitar que a pandemia resultasse no ceifamento de muitas almas.

O País passa pelo momento mais difícil e complicado dos últimos anos. Em meio às turbulências na saúde e na economia, cresce o questionamento sobre a falta de um governante de visão mais ampla de Estado. Estadista é aquele versado nos princípios ou na arte de governar, ativamente envolvido em conduzir os negócios de um governo e em moldar a sua política.

São nos momentos de turbulências que aparecem as qualidades do estadista. Sob seus ombros e sua responsabilidade, decisões são tomadas. Um líder detentor de autoconfiança consegue determinar os caminhos de uma Nação. São nas crises que se agigantam os líderes que dão novo rumo ao sistema político e aos rumos de seus países. É certamente por isso que Jair Bolsonaro não é a mais genuína definição do que vem a ser um estadista.

Conflito aberto – Com uma postura de minimizar a Covid-19 e criticar medidas tomadas por estados e municípios para evitar a disseminação da doença, o presidente Jair Bolsonaro entrou em conflito com quase todos os chefes de Executivos dos entes federativos. Os ânimos se acirraram de vez durante a videoconferência de Bolsonaro com os governadores do Sudeste. Isso porque Doria e Witzel, possíveis candidatos às eleições de 2022, vêm trocando farpas com o presidente desde o passado. A reunião foi marcada por um bate-boca entre Bolsonaro e Doria. Ao contrário do que insinuava o presidente, os governadores disseram que a prioridade era seguir as determinações da Organização Mundial de Saúde, a OMS, para salvar vidas.

O diplomático – Primeiro governador a decretar medidas de restrição no combate ao coronavírus, como suspensão de aulas e fechamento do comércio, Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal, foi diplomático ao comentar o pronunciamento de Bolsonaro. Para ele, o chefe do Executivo federal tem razão em parte ao defender que o país não pode parar: “Não é hora de politizar ou polemizar. Bolsonaro tem parte da razão. Afinal, muitos municípios pequenos, sem qualquer caso de coronavírus, estão fechando”.

Recado da OMS – O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, foi questionado ontem sobre as declarações recentes do presidente Jair Bolsonaro de que a doença seria similar a um resfriado. Ele comentou que em várias nações há muita necessidade agora de atendimentos de urgência, por causa da doença. “Em muitos países, o coronavírus é uma doença muito séria”, frisou. “A responsabilidade é de todos, especialmente a liderança política. O governo inteiro deve estar envolvido.”

Mais uma polêmica – O presidente Jair Bolsonaro deu, ontem, mais uma declaração polêmica.  Ao chegar no fim da tarde à residência oficial do Palácio da Alvorada, disse que o brasileiro precisa ser "estudado" porque é capaz de pular "no esgoto" sem que nada aconteça com ele. Bolsonaro deu a declaração ao ser indagado se o Brasil não chegará à situação dos Estados Unidos, que, após um mês, acumula quase 66 mil infectados e mais de mil mortos em razão da pandemia do coronavírus. Segundo o presidente, muitos brasileiros já foram infectados e adquiriram anticorpos, o que, afirmou, "ajuda a não proliferar isso daí".

CURTAS

AUXÍLIO MENSAL – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse, ontem, que o valor do auxílio mensal a ser pago aos trabalhadores autônomos, informais e sem renda fixa durante a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus pode ser elevado para R$ 500. O valor consta de um projeto de lei que deve ser votado pela Câmara nesta quinta. Em entrevista, Maia também defendeu que a prioridade neste momento não é "o impacto fiscal", ou seja, a queda de arrecadação do governo devido à crise gerada pela epidemia. Para o presidente da Câmara, o mais importante é dar condições para que os brasileiros consigam passar pele crise.

VEM AÍ O PACOTE – A equipe econômica finaliza os detalhes de um pacote para ajudar na manutenção de empregos no País durante a crise do coronavírus. O valor será de pelo menos R$ 36 bilhões ao longo dos próximos três meses. Segundo informaram fontes da equipe econômica, o pacote cria faixas para que o governo subsidie progressivamente o pagamento dos salários, de forma a manter a renda dos empregados e permitir que as empresas não quebrem, em especial micro e pequenos estabelecimentos. O plano é subsidiar até 80% dos empregos formais no país.

ABAIXO AO DECRETO – Do empresário pernambucano Marcelo Luz ao defender, ontem, a volta ao trabalho mantendo os grupos de riscos preservados: “A ordem é preservar somente nossos idosos e doentes, e vamos à guerra! Somos um povo guerreiro! Já sobrevivemos a situações bem piores e delas tiramos muitas lições. Não existe guerra sem baixas! Neste momento, somos todos soldados. Ser soldado, estar em uma guerra e não querer lutar é coisa de covarde. Eu não me incluo entre os covardes. Vamos, portanto, voltar a trabalhar, brigar para derrubar este decreto do governador do Estado e voltar ao trabalho!

Perguntar não ofende: Quando teremos um novo duelo entre o presidente e os governadores?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozolóide defenda o governo Bolsonaro sem as palavras, Lula, Dilma, esquerda, globo, comunismo e PT. Justifique a sua resposta.

Fernandes

Faça como Bolsonaro nos debates. Fique em casa!

marcos

Fique em casa e mande seus Boletos para Lula Pagar. Kkkkkkkkk

Fernandes

Nunca tinha conseguido entender como Jim Jones conseguiu convencer tanta gente a praticar suicídio coletivo. Até agora.

Fernandes

Atenção! Quem me mandar morar em Cuba ou Venezuela, vou retribuir mandando morar em Nova York ou Milão!


Prefeitura de Serra Talhada

26/03


2020

Coluna da quinta-feira

O socialismo do impostômetro

Para quem está fora do balcão, ou seja, o grande público, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), aparenta um discurso descolado, moderno, de gestão e gabinetes de gerenciamento. Não é bem assim a realidade. A decisão de antecipar o pagamento do IPTU de 2021, por exemplo, põe abaixo, rasga a fantasia do seu governo. Mostra que gestão de primeiro mundo só existe para os seus áulicos, os que batem continência para ele.

Ao tentar abocanhar uma receita extra obrigando o contribuinte a pagar, num mesmo exercício, duas faturas de um imposto extremamente caro, o socialista dá uma demonstração de insensibilidade, de que Recife quebrou em suas mãos. Quebrada, a Prefeitura não paga a ninguém. Que digam os fornecedores, muitos com até três meses sem receber suas faturas. Se já estava ruim das pernas, com a crise econômica do coronavírus o Recife foi jogado, literalmente, na UTI.

Por outro lado, o gestor recifense vai na contramão de todos. Prefeitos de capitais e governadores também, ao contrário dele, praticam a política de alongamento de prazos para pagamentos de impostos. Olho grande, provavelmente para concluir o que prometeu no campo da imprevisibilidade, Geraldo quer antecipação de tributos. Pelo amor de Deus! Não sabe ele que o País parou, a usina deixou de moer, como diz um amigo meu?

É de se concluir o seguinte, sem arrodeios: se a Prefeitura estivesse de fato organizada e com previsibilidade sobre a crise atual, o prefeito não precisaria passar a sacola em momento tão inoportuno. Deu o gancho para a oposição, se realmente tivesse oposição na Câmara, a cobrar um quadro real da situação financeira da Prefeitura. O socialismo, pelo que se vê, não deu certo em lugar nenhum do mundo.

Não poderia dar certo no Recife. A capital pernambucana não é uma ilha!

Reação dura – Do bloco da oposição, a única voz em defesa do contribuinte do Recife, que seria obrigado a pagar duas taxas de IPTU, foi a do ex-ministro Mendonça Filho, pré-candidato do DEM a prefeito. “É absurdo, numa crise econômica devastadora gerada pelo coronavírus, querer que o recifense pague o IPTU dobrado, de 2020 e 2021, para aumentar a receita municipal. A Prefeitura tem que cortar despesas, reduzir custos e adotar políticas públicas para socorrer quem está sem renda, perdendo emprego como autônomos, profissionais que vendem produtos na praia, nas feiras e o comércio de bairro”, reagiu Mendonça.

Crise agravada – O discurso do presidente Bolsonaro na TV, anteontem, mostrando desequilíbrio na crise do coronavírus, serviu para afastá-lo ainda mais dos governadores de todas as regiões do País. Nenhum deles, a começar pelo aliado Ronaldo Caiado, de Goiás, concordou com o afrouxamento das medidas de isolamento tomadas pelo próprio Governo. Reunidos, ontem, numa superconferência, os 27 governadores decidiram agir na contramão do que pregou o presidente, anunciando que todas as medidas tomadas, divergentes das do Governo Bolsonaro, estão mantidas.

Bate-boca – Pela manhã, numa videoconferência com todos os governadores, o presidente, além de não se sair bem, teve um bate-boca com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), depois de este fazer uma intervenção na qual afirmou não ter gostado do seu comportamento no pronunciamento à Nação. “Na condição de cidadão, de brasileiro, e também de governador, início lamentando os termos do seu pronunciamento à nação. O senhor como presidente da República tem que dar o exemplo. Tem que ser mandatário para comandar, para dirigir, liderar o país, e não para dividir", afirmou o governador. Bolsonaro, na resposta, disse que Doria “apoderou-se” do seu nome para se eleger governador e que depois “virou as costas”, passando a atacar o governo federal.

Quem bate mais – Coube ao governador Paulo Câmara a sugestão da reunião dos 27 chefes de Estado, ontem, através de videoconferência, sem a presença do presidente Bolsonaro. Nela, com exceção de apenas dois governadores – Rondônia e Roraima – todos prometeram manter as medidas para conter o avanço do coronavírus. Câmara fez uma dura fala. "Enquanto líderes de vários países tomam medidas necessárias para conter o avanço no novo Coronavírus, aqui no Brasil, em pronunciamento veiculado em Rede Nacional, o presidente Jair Bolsonaro vai contramão do que defendem autoridades sanitárias e o próprio Ministério da Saúde”, afirmou, para acrescentar: “O País está sem comando”.

CURTAS

CARTA 1 – Da carta assinada, ontem, pelos governadores do Nordeste ao final da primeira videoconferência sobre o coronavírus. “É um momento de guerra contra uma doença altamente contagiosa e com milhares de vítimas fatais. A decisão prioritária e a de cuidar da vida das pessoas, não se esquecendo da responsabilidade de administrar a economia dos estados. O momento é de união, de se esquecer diferenças políticas e partidárias. Acirramentos só farão prejudicar a gestão da crise. Entendemos que cabe ao Governo Federal ação urgente voltada aos trabalhadores informais e autônomos”.

CARTA 2 – Ainda da carta dos governadores do Nordeste no confronto com o Palácio e o presidente Bolsonaro: “Agressões e brigas não salvarão o País. O Brasil precisa de responsabilidade e serenidade para encontrar soluções equilibradas. Ao mesmo tempo, solicitamos a necessidade urgente de uma coordenação e cooperação nacional para proteger empregos e a sobrevivência dos mais pobres. Ficamos frustrados com o posicionamento agressivo da Presidência da República, que deveria exercer o seu papel de liderança e coalizão em nome do Brasil”.

SERTÃO VIRA MAR – No Sertão do Pajeú, os prefeitos passaram a administrar outro problemão além da crise na saúde e na economia provocada pelo coronavírus: as enchentes. Em Afogados da Ingazeira, uma ponte foi destruída pelo estouro de uma barragem isolando o acesso ao centro. Choveu tanto que várias famílias que moram à beira do Rio Pajeú foram atingidas, perdendo móveis e até o teto. O prefeito José Patriota teve que sair da quarentena imposta pelo mal do século para percorrer os principais pontos atingidos pelas cheias.

Perguntar não ofende: Até quando o ministro Mandetta, da Saúde, vai ficar no cargo tendo um presidente insensível às medidas que ele toma?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

O CINISMO É PRIVILÉGIO DOS IDIOTAS. KKKK

marcos

Primeiro a gente cuida da saúde. Depois leva o boleto pra Lula pagar. Kkkkkkkkk

marcos

Senhor Nehemias é a pura verdade. Acredite se quiser!

marcos

O nosso Mito é foda, atenção todos que estão em casa por ordem dos prefeitos, governadores e imprensa, peguem seus boletos, carnês e listas de supermercado e levem para a sua prefeitura ou para o seu Governador. Kkkkkkkkk kkkkkkkkk

Fernandes

O CINISMO É PRIVILÉGIO DOS IDIOTAS. KKKK



25/03


2020

Coluna da quarta-feira

Fim de filiação bate à porta

É impossível continuar tratando aqui de coronavírus quando há muita curiosidade em relação ao pleito municipal se de fato ocorrerá mesmo. As dúvidas são as mais dispares possíveis, mas o calendário avança e já no próximo dia 4 vence o prazo de filiação partidária para quem vai entrar na disputa, seja para prefeito ou vereador. Aos que acham que esse prazo será alargado por causa da crise na saúde e na economia, é bom tirar o cavalinho da chuva.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já montou uma estrutura online para o recebimento da documentação dos candidatos, evitando assim a forma presencial. Quem não se ligou, que cuide de acelerar o passo, pois faltam menos de 15 dias. A opção partidária é a decisão mais importante que um candidato pode tomar, especialmente os que entrarão na briga por um mandato de vereador devido ao fim das coligações.

Com isso, será um salve-se quem puder no mundo das siglas. Saem perdendo as pequenas legendas, muitas delas enfrentando dificuldades em montar chapa. Ganham os grandes partidos, principalmente os que estão no poder. O PSB, por exemplo, leva nítida vantagem. Detém o controle da Prefeitura, tem candidato a prefeito e um grande número de vereadores de mandato na chapa, aliás, um chapão, para ser mais preciso.

Sem condições de montar chapa de vereador um partido pequeno como o Podemos, da delegada Patrícia Domingos, desponta pela frente com cenário adverso para a disputa. A tendência é que os poucos candidatos competitivos que ali estejam filiados mudem de legenda até o dia 4, para tentar garantir o mandato parlamentar em outro cenário partidário mais confortável. O DEM, de Mendonça Filho, também não vive situação privilegiada.

Nem tampouco o Cidadania, que aposta na candidatura de Daniel Coelho. Neste caso, o revés sobra para o próprio candidato majoritário, que passa a não contar com um exército de postulantes ao Legislativo trabalhando para ele. Já as convenções, etapa seguinte do calendário eleitoral, só vinga em agosto. Até lá, se houver eleição, o cenário cinzento de hoje estará bem  mais clareado.

Nota fofa – O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, produziu uma nota sem convencer para agradar à prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PSB), quanto à notícia de que o Palácio e a própria direção socialista haviam perdido a paciência com a demora da aliada na escolha do candidato, optando por uma composição com o PP, do deputado Eduardo da Fonte. O que se diz nos bastidores é que Dudu, como é mais conhecido o presidente estadual do PP, impôs ao Palácio e ao PSB como condição para apoiar João Campos no Recife que em Arcoverde a prefeita apoiasse o delegado Israel Rubis, pré-candidato do PP.

Corte violento – Governadores e prefeitos, que já vinham sofrendo com cortes nas transferências constitucionais, que se cuidem: a crise do coronavírus na economia vai implicar em corte da ordem de R$ 4 bilhões nos repasses do FPE (Fundo de Participação dos Estados) e FPM (Fundo de Participação dos Municípios) por mês. Na prática, isso vai representar R$ 16 bilhões levando em consideração os quatro meses, prazo que o Governo está planejando para superar a difícil etapa do coronavírus. O corte é oficial, segundo entrevista do secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, ontem, na mídia nacional.

Ao poeta – O programa Frente a Frente de ontem, ancorado por este blogueiro, prestou uma linda homenagem ao poeta Valdir Telles, que morreu domingo passado, de infarto fulminante, aos 64 anos, em Tuparetama, no Sertão do Pajeú. O deputado Bruno Cunha Lima, do PSDB da Paraíba, definiu assim o poeta: “O sangue era do Cariri, o coração do Pajeú. Não tinha não como ser poeta. Deus colocou Valdir nesse roteiro porque tinha um propósito - um propósito poético. Valdir fez a vida e a família no braço da viola. Junto com doma Elsa criou família, rodou o mundo, fez história, formou os filhos e partiu. Diferente da infância, quando bateu as asas e deixou a Paraíba, feito um passarinho que beija os céus sem deixar a terra, dessa vez o poeta voou mais longe, foi pra imensidão, onde o olho não alcança, onde a mão não toca, mas onde o coração sente”.

Redução de salários – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, ontem, que partidos articulam a elaboração de uma proposta prevendo a redução dos salários de servidores públicos e parlamentares durante o período da crise do coronavírus no país. Maia defendeu que os três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário devem dar uma "contribuição" neste momento. “Os partidos estão tratando disso e, certamente, eles vão apresentar uma proposta coletiva, de todos, que acho que represente a posição pelo menos de parte dos partidos políticos”, afirmou.

CURTAS

MAIS CURAS – O Governo de Pernambuco confirmou, ontem, que mais duas pessoas tiveram cura clínica da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Com isso, subiu para cinco a quantidade de pacientes recuperados. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, desde a última segunda-feira, não houve novos casos, mantendo o número do boletim anterior, com 42 confirmações. Ao todo, segundo o secretário de Saúde, André Longo, foram feitos 108 testes para o novo coronavírus, mas, ontem, nenhum deles deu positivo.

FISCALIZAÇÃO – Para conter a disseminação do novo coronavírus, as forças de segurança de Pernambuco deram início, ontem, a uma operação de fiscalização e repressão ao transporte clandestino de passageiros. O Estado tem 42 casos confirmados da Covid-19, de acordo com boletim divulgado na segunda-feira passa pelo governo. A ação conjunta, envolvendo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV), Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) e a Empresa Pernambucana de Transporte Coletivo Intermunicipal (EPTI), tem como meta coibir a aglomeração de pessoas, limitada a no máximo 10 pessoas, segundo decreto estadual publicado na segunda-feira. No mesmo documento, ficou proibido o uso de mototáxi.

CONTRA PRORROGAÇÃO – O presidente estadual do PTB, Armando Monteiro Neto, é contra prorrogar o mandato dos atuais gestores em dois anos. “Não é razoável de maneira nenhuma. Eu acho que essa discussão tem que ser de forma equilibrada para não ferir alguns princípios do processo democrático, como a questão da temporalidade dos mandatos e, portanto, é preciso que o congresso examine isso tudo de forma muito equilibrada. Pode haver eventualmente a necessidade de se fazer um ajuste no calendário, mas não imaginar que se possa adotar essa tese de estender os mandatos atuais até 2022”, disse.

Perguntar não ofende: De onde a União vai tirar dinheiro para atender a exigência do plano emergencial de R$ 400 bilhões sugerido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Coronavírus mostra jornalismo com papel fundamental na TV. O mundo parou devido à pandemia do novo coronavírus. As pessoas estão confinadas em suas casas e as emissoras de TV precisaram rever suas programações. Em meio a todo este caos, é o jornalismo que tem o seu papel fundamental em destaque para o público que busca informações a todo momento.

Fernandes

Nietzsche escreveu:É preciso o caos para que nasça uma estrela.façamos do caos, uma oportunidade para transformar esse mundo num lugar melhor.

Fernandes

Agora que Dória não pode crescer em cima da figura do Lula utiliza o Bolsonaro para se projetar nacionalmente.

Fernandes

NA HISTÓRIA DO MUNDO SEMPRE HAVERÁ UM HITLER, CAMUFLADO DE HOMEM HONRADO, DE FAMÍLIA E EXTREMAMENTE RELIGIOSO.

Fernandes

Fim do isolamento é pressão de quem está perdendo dinheiro na Bolsa. Com certeza o covarde energúmeno Bolsonaro, sucumbe a pressão do mercado financeiro, em detrimento à saúde do povo brasileiro.


O Jornal do Poder

24/03


2020

Coluna da terça-feira

Longo: “A cura existe sim”

Na semana passada, o Governo de Pernambuco anunciou as três primeiras curas de pacientes pelo Covid-19, o vírus da morte que atende pelo nome de peste corona. Só não explicou como se deu o fim da enfermidade, se aplicando o Cloroquina, medicamento utilizado no tratamento da malária, que teve alguns resultados importantes contra o coronavírus. O primeiro caso de cura é o de uma idosa de 66 anos. Ela e o marido, de 71 anos, tiveram os dois primeiros testes confirmados no Estado.

"A mulher com cura clínica está internada, mas já tem condições de alta. O esposo dela e os outros oito pacientes estão internados. Três estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas estão todos estáveis”, declarou o secretário de Saúde do estado, André Longo. Procurei, ontem, o próprio Longo para me tirar essa dúvida: se não há cura ainda, como o Estado curou? O remédio ainda não é um atestado oficial, mesmo com bons indicativos de completo sucesso em estudos avançados.

Diz o secretário: “Não há remédios específicos para a doença, mas há cura sim.  Na grande maioria dos casos, as pessoas se recuperam completamente após 14 dias e isso se chama cura clínica. Registramos os primeiros casos de cura em Pernambuco após 15 dias de doença dos referidos pacientes”. Se entendi, o vírus tem vários níveis de agressão, tendo os dois referidos pacientes curados numa escala de baixo risco.

As duas outras pessoas curadas são uma adolescente de 16 anos, que foi diagnosticada com a Covid-19 após retornar de uma viajem aos Estados Unidos, e uma mulher de 30 anos que não tinha histórico de viagem anterior. Ambas estavam em isolamento domiciliar. As curas em Pernambuco, portanto, não se deram testando o medicamento hidroxicloroquina.  Há uma boa notícia de que o presidente americano Donald Trump solicitou aos reguladores de saúde para acelerar a aprovação de terapias potenciais para tratar a Covid-19. 

O mandatário informou que dois medicamentos estão sendo avaliados, a hidroxicloroquina e o Remdesivir, para o tratamento do novo vírus. De acordo com o presidente, o remédio poderá ser aprovado em breve pelo órgão regulador de medicamentos dos EUA, o Food and Drugs Administration (FDA). A droga hidroxicloroquina já é utilizada no tratamento da malária. E se isso prosperar, junto com uma vacina, também em estudos bem avançados, o mundo estará, finalmente, livre do mal do século.

Mais proibições – O Estado determinou, ontem, que estão proibidas reuniões com mais de 10 pessoas e transporte de passageiros via mototáxi como medidas conter o avanço do novo coronavírus no Estado. O anúncio foi feito pelo próprio governador Paulo Câmara (PSB), através de um pronunciamento em vídeo divulgado na internet. "A melhor estratégia no combate à disseminação do vírus, neste momento, é o isolamento social. Por isso, estamos editando um novo decreto hoje com proibição de reuniões e aglomerações de mais de 10 pessoas e do transporte de passageiros via mototáxi", afirmou.

Sessões online – Por causa da pandemia da Covid-19, a Câmara Municipal do Recife adota, a partir de hoje, um sistema de debates e votação à distância. Os vereadores decidirão sobre as matérias em discussão de suas casas, por meio do Sistema de Deliberação Remota (SDR). As discussão e votações virtuais na Câmara Municipal fazem parte de novas medidas para minimizar o avanço do novo coronavírus. Também foi anunciado que todos os gabinetes da Câmara Municipal estarão fechados e que apenas os departamentos essenciais funcionarão com regime de rodízio entre os servidores. Os demais funcionários trabalharão de suas residências.

Água em Noronha – O rodízio para abastecimento de água em Fernando de Noronha foi reduzido em 24 horas, a partir de ontem. Segundo a Compesa, a medida tem o objetivo de combater a pandemia do novo coronavírus no Estado. A Compesa deu início a manobras operacionais no sistema que permitem a redução do rodízio de abastecimento. Com essa mudança, os moradores recebem água um dia para cada cinco racionados. O uso de água no arquipélago diminuiu desde que as atividades turísticas foram suspensas e trabalhadores temporários deixaram Noronha.

Caos em Paulista – Na pior crise de saúde do País, o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), deu um péssimo exemplo: ao invés de estar à frente de decisões que possam minimizar os efeitos do coronavírus no município, se recolheu à sua fazenda em Sairé, no Agreste, com a esposa, a secretária de Saúde, Fabiana Bernart, passando à gestão, extraoficialmente, ao secretário de Governo, Francisco Padilha, que é o seu candidato em potencial a prefeito. Se a crise é na saúde, ele deveria pelo menos ter deixado a secretária no batente, já que Padilha atua mais perdido do cego em tiroteio.

CURTAS

GOELA-ABAIXO – A prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PTB), está refém do coronavírus em sua casa, cuida apenas nas medidas emergenciais, mas esqueceu de acelerar a escolha do seu candidato a prefeito, o que levou a cúpula do PSB e o Palácio a fechar um acordo com o PP, à sua revelia, em apoio à candidatura do delegado Israel Rubis. O engraçado disso tudo é que o delegado foi protagonista de um episódio que levou à população às ruas pedindo à sua manutenção no cargo, depois dele investigar denúncias envolvendo a Câmara de Vereadores e aliados da prefeita. O delegado chegou a ser transferido para Vitória de Santo Antão, mas voltou ao município, se filiou ao PP e é candidato à sucessão de Madalena.

VAI ANDAR – A Justiça do Rio decidiu, ontem, que o senador Flávio Bolsonaro continue a ser investigado pelo Ministério Público estadual por crimes que teria praticado durante o seu mandato como deputado estadual. A advogada Luciana Pires, que defende o senador, disse que não irá se manifestar sobre a decisão. De acordo com o Ministério Público estadual, o senador é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, em um suposto esquema de "rachadinhas" – no qual funcionários do então deputado devolveriam parte do salário pago por ele quando era deputado estadual, na Assembleia Legislativa (Alerj).

RISCO NA CÂMARA – Ontem, no mesmo dia em que revelamos neste espaço que os servidores dos gabinetes dos deputados federais estavam em pânico porque continuavam a dar expediente, duas servidoras no segundo andar do Anexo 4 foram levadas ao hospital com sintomas do coronavírus. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já determinou o completo isolamento dos servidores nesses gabinetes mediante um rodízio semanal com a presença de apenas uma pessoa por gabinete.

Perguntar não ofende: Quais as notícias mais recentes sobre os testes da vacina para cura do coronavírus?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro Miliciano. Inépcia total para governar! É mentiroso e mau caráter mesmo!

marcos

E agora canalha, vai dizer ao povo que foi melhor construir Estádios para Roubar?

marcos

Lula só queria construir Estádios para Roubar, cabra safado Ladrão.

marcos

Os governos do PT Lula e Dilma Roubaram o dinheiro da Saúde e o sonho dos brasileiros. Canalhas.

Fernandes

Começa a ganhar mais força dentro do governo a defesa da saída do ministro da Economia, Paulo Guedes, em meio à pandemia do coronavírus. O cotado Pedro Duarte Guimarães.Sai um vagabundo incompetente e entra outro incompetente vagabundo.


Banner de Arcoverde

23/03


2020

Coluna da segunda-feira

Sebá é o pai da ideia

Volto, hoje, à temática do adiamento das eleições municipais, abordada na coluna de sábado passado, forçado pela declaração do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Em teleconferência, ontem, com prefeitos de capitais, Mandetta admitiu, pela primeira vez, que o pleito pode ser adiado, sendo transferido para 2022, coincidindo com a de presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual, a chamada eleições gerais. Há muito, o Congresso levanta a lebre em propostas de reformas eleitorais, mas nunca teve coragem de enfrentar.

Se há um bem que o coronavírus traz para o Brasil é a efetivação de uma tese há muito adormecida por interesses os mais diversos. É impossível um País pobre como o Brasil se dar ao luxo de promover eleição de dois em dois anos, a primeira para prefeito e vereador, a segunda mais ampla, para presidente, governador, assembleias legislativas e Congresso (senador e deputado federal). O custo é alto, a cada eleição se perde pelo menos um ano, com os arranjos da sua estrutura, logística e a própria campanha.

“Estou alertando que todos vocês precisam, com todas as diferenças políticas (se entender). Aliás, eu faço aqui até uma sugestão para vocês discutirem. Está na hora de o Congresso olhar e falar: ‘olha, adia (as eleições)’. Faça um mandato tampão desses vereadores e prefeitos. Eleição no meio do ano vai ser uma tragédia. Vai todo mundo querer fazer ação política. Eu sou político. Não esqueçam disso”, alertou Mandetta, para prefeitos atônitos, sem saber o que fazer para conter a disseminação do corona.

A propósito, unificação de eleições dá muita mídia e debate. A partir de agora, muitos deputados e até senadores devem aparecer como pai da ideia, mas justiça seja feita quem saiu na frente foi o deputado pernambucano Sebastião Oliveira, o Sebá, atualmente no PL, mas a caminho do Avante, partido que já sob à sua liderança no Estado, em compartilhamento com o irmão, Valdemar Oliveia, presidente estadual, suplente do senador Humberto Costa.

Em tempos de sessões virtuais, Sebá, que está no Recife em regime de quarentena, já encaminhou a proposta à mesa diretora da Câmara dos Deputados, para ser, oficialmente, protocolada, indo nos próximos dias ao debate na Casa. “Não há mais clima para eleição no País. O Brasil e o mundo estão amortecidos pelo coronavirus”, alerta o deputado. Segundo ele, o sentimento de suas bases é de plena aceitação.

Mandato de 5 anos – Um detalhe que chama a atenção da proposta do deputado Sebastião Oliveira: na coincidência das eleições gerais em 2022, cai por terra o direito de disputar a reeleição, ou seja, chega ao fim o instrumento da reeleição. Para compensar, o parlamentar amplia de quatro mais cinco anos o mandato de todos os cargos, de presidente da República a vereador. A principio, prorrogar mandatos não é algo aceitável pela sociedade, mas diante da tragédia e dos estragos do coronavírus não dá para rejeitar, porque será o caminho mais natural para evitar um mal pior.

Drama é nacional – No momento em que se acirra o conflito entre o Palácio do Planalto e governadores, o presidente Bolsonaro promove, hoje, uma videoconferência com os chefes dos Executivos do Nordeste e do Norte, para discutir o combate ao coronavírus. O encontro foi articulado entre o Consórcio do Nordeste e a Secretaria de Governo, do general Luiz Eduardo Ramos, a pedido dos próprios governadores das duas regiões. Auxiliares de Bolsonaro dizem que o Governo está disposto a conversar com os demais governantes, mas que até agora não foi procurado. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) fez um pedido de encontro com o presidente em nome do Fórum dos Governadores, que representa os 26 estados e o DF. Seria muito mais lógico, até porque o problema não é regional, mas nacional.

Vai ter jeito? – Do cantor Daniel Bueno: “Para fazer uma Copa do Mundo, foram gastos – pasmem – R$ 25,5 bilhões, dos quais R$ 8 bilhões com estádios de futebol, obras supérfluas num País com favelas, palafitas, escolas sucateadas e presídios superlotados. O estádio de Brasília custou R$ 1 bilhão e meio. Dá prejuízo todo mês. Outro exemplo é a Arena Pernambuco, um ralo que suga dinheiro público sem servir para absolutamente nada. Agora, diante de uma séria ameaça à vida de todos nós, vemos – estupefatos – que faltam leitos, medicamentos e respiradores para tratar as vítimas do coronavírus, sem contar o caos do dia a dia. Ao invés de construir escolas, creches e hospitais, nossos dirigentes ergueram elefantes brancos, totens da ignorância, num paradoxo terrível que revolta – ou pelo menos deveria revoltar – o povo brasileiro. Eu pergunto muito arretado: Quando esta porra de País vai tomar jeito?”

Evandro rifado – Articulista deste blog, a advogada Diana Câmara afirma que, pela jurisprudência da Justiça Eleitoral, não acredita na salvação da candidatura do ex-prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro (Avante), mesmo o advogado Walber Agra afirmando que reverte a decisão desfavorável no STF. “O que pode acontecer é uma campanha subjudice e, antes do pleito, trocar o candidato”, observa, adiantando: “Evandro se aproveita para se vender como candidato por um tempo com o objetivo de angariar militantes e grupos políticos. Mas uma coisa é certa: não chega candidato até as eleições, porque é inelegível”. Segundo Diana, a última condenação sofrida por Evandro, no STJ, num processo de improbidade administrativa, com nota de enriquecimento ilícito, já é suficiente para ensejar o indeferimento do seu registro pela Justiça Eleitoral.

CURTAS

BARATAS TONTAS – Perdi as contas das medidas já anunciadas pelo prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), para conter o avanço do coronavírus na capital. Até aonde consegui contar, eram 120. O que tem chamado a atenção de muita gente é a confusão mental na cabeça dos menos esclarecidos. O que ele busca, afinal, é quantidade, qualidade ou eficácia? Afinal, não se tem até o momento medidas para os morros, por onde pode jorrar o grande foco da doença. É lá que moram os sem água em tetos sem a menor estrutura. Também não se viu uma só medida em relação aos moradores de rua. O que parece lógico é que Geraldo quer chegar a 200 ou mais medidas para deixar todos atônitos, como baratas tontas.

PRIMEIRO ALERTA – No plano nacional, quem, na verdade, advertiu, pela primeira vez, sobre o risco de as eleições municipais serem canceladas em função do avanço do coronavírus foi Diana Câmara, advogada especialista em legislação eleitoral. Em artigo no meu blog, escreveu: “Pelo que se desenha, não causaria espanto se tivéssemos que chegar ao extremo de ter que adiar as eleições municipais. Isto não está sendo tratado agora. As autoridades esperam que em outubro o coronavírus seja página virada. Assim, todos os prazos eleitorais devem ser mantidos e respeitados”. Isso se deu no último dia 18.

RISCO NOS GABINETES – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), restringiu o acesso de populares aos recintos da Casa, mas esqueceu de dispensar ou pelo menos estabelecer normas de rodízio dos funcionários nos gabinetes dos deputados. Servidores que trabalham nos gabinetes do Anexo 4, o maior da Câmara, estão apavorados, porque continuam trabalhando em conjunto, quando a ordem é evitar aglomerados humanos. O pior, no entanto, é que os deputados que resistem à quarentena ficam viajando de avião e entram a todo instante nos seus gabinetes, sem darem a mínima as recomendações de prevenção do coronavírus.

Perguntar não ofende: Por que o presidente Bolsonaro não fala, na crise do corona, a mesma linguagem corajosa e precavida do seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro. Inépcia total para governar! É mentiroso e mau caráter mesmo!

Fernandes

É duro ter que lidar com um vírus e um verme, simultaneamente. O respeito por Bolsonaro despenca cada vez mais, junto com a sua popularidade.

Fernandes

Governo Bolsonaro deu um jeito de virar o idiota útil da China, Em tom de crítica, o colunista Mathias Alencastro, doutor em Ciência Política pela Universidade de Oxford, afirma que Jair Bolsonaro conseguiu o feito inédito de atrelar o seu destino político à curva de crescimento do coronavírus. A evolução da situação tornará o despreparo do seu governo cada vez mais evidente.

Fernandes

Bozonaro volta atrás mais uma vez, tira de MP artigo que previa 4 meses sem salário para trabalhador. Esse Bozonaro é um boneco Fantoche.

Fernandes

A irresponsabilidade do Bolsonaro, já é rotina. Para mim, necessário é uma atitude que reverta esse quadro desastroso, caótico que Bolsonaro tem causado para o Brasil.


Prefeitura de Limoeiro

21/03


2020

Coluna do sabadão

Eleições gerais em 2022

Mesmo que o Tribunal Superior Eleitoral finja, é difícil acreditar que a extensão da gravidade do coronavírus não leve ao adiamento das eleições municipais previstas para outubro. Fala-se no pico da moléstia para os próximos 15 dias e um cenário de horror em meados de maio atropelando junho. Até lá, tudo é imprevisível. A partir de hoje, por exemplo, a sociedade está proibida de ir aos shoppings, aos restaurantes e até às feiras para estocar comida em casa.

Amanhã, o que será o amanhã? Cidades desertas, um emaranhado de gente olhando para a vida lá fora da janela do quarto ou da varanda. Famílias inteiras em prisão domiciliar, com medo do contágio com doentes portadores do corona. Crianças, sem entender o que se passa nas ruas, berrando por liberdade, por parques verdes, por passeios ou o simples contato com outras crianças, também proibido.

O corona já riscou do calendário a chamada fase pré-eleitoral. Candidatos a prefeito fogem do vírus como o diabo da cruz, são vistos apenas online pelas redes sociais. Tempos difíceis para um mundo globalizado, em que a comunicação flui na palma da mão pelo celular. Não há mais abraços, apertos de mão, troca de afetos e carinhos. O temor dos políticos é o mesmo da sociedade: o da morte.

Se não há o menor sinal de campanha pela frente, o que se pode dizer da própria eleição? Qualquer pleito está condicionado a um calendário eleitoral que, mesmo sob a insistência de ser mantido pelo TSE, passa a ter etapas atropeladas pelo clima de terror do coronavírus. A justiça eleitoral já não funciona com a exigência presencial do candidato para registrar sua candidatura.

As sedes dos partidos políticos foram fechadas e as filiações de candidatos, com prazo a ser vencido em 4 de abril, mesmo com densidade eleitorais, passaram a ser feitas online, por conferência na internet. Se tudo isso foi arrastado pelo coronavírus, cuja gravidade maior ainda está por vir, parece ser sóbria a proposta do deputado Sebastião Oliveira, do PL a caminho do Avante, adiando as eleições para 2022, quando haveria, pela primeira vez no País, as eleições gerais.

Fim da reeleição – O projeto de Sebastião Oliveira inclui, também, a ampliação do mandato do presidente, governador, senador, deputado federal, deputado estadual, prefeito e vereador de quatro para cinco anos, pondo fim, por outro, ao instrumento da reeleição em todos os níveis. “Há o aumento do mandato para cinco anos, mas poremos abaixo um mal muito maior ao País, que é a reeleição”, diz Sebastião. Sua proposta será, oficialmente, encaminhada à mesa diretora na próxima semana, podendo entrar na pauta da Câmara em caráter de urgência devidos aos prazos do calendário eleitoral do pleito deste ano.

Armando com corona – Em tempos de coronavírus, antecipei, ontem, neste blog, que o exame para o coronavírus deu positivo para o presidente estadual do PTB, o ex-ministro Armando Monteiro Neto, mas ele está bem, sem febre, sem qualquer sintoma forte da doença, se recuperando em sua casa. Há suspeitas de que ele tenha sido contagiado em Brasília no contato com políticos e empresários que estiveram recentemente no exterior. “Estou bem e acompanhado pelo meu médico”, confirmou o líder trabalhista, que recebeu o resultado do teste na tarde de ontem.

Evandro disputa – O blog consultou, ontem, o advogado que tranquilizou o eleitorado do ex-prefeito de Camaragibe, Jorge Alexandre, afirmando que ele está apto para disputar as eleições longe de se configurar em inelegibilidade. É o mesmo caso, segundo ele, do ex-prefeito de Serra Talhada, Carlos Evandro. Filiado ao Avante, Evandro lidera todas as pesquisas na terra de Lampião. Quanto ao processo que corre em Brasília, gerado através de um contrato em sua gestão com uma OS – Organização Social – o ex-prefeito tende a reverter. Contratou um craque, o advogado Walber Agra. Mesmo no caso de Agra não conseguir liminar no STF, o processo de Brasília não tira Evandro do páreo, porque todas as suas contas foram aprovadas pela Câmara.

União com delegada – O fato novo na disputa pela Prefeitura do Recife seria a renúncia das pré-candidaturas de Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, do Cidadania, em apoio à delegada Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos. Ocorre que nem Mendonça nem Daniel admitem essa hipótese, até porque Patrícia tem colocado seu projeto como inegociável. Uma pesquisa que o blog teve acesso, entretanto, aponta que com o apoio de Mendonça e de Daniel, a delegada teria amplas chances de chegar ao segundo turno.

CURTAS

CASO DE CURA – Chegou a 31 o número de casos confirmados do novo coronavírus, em Pernambuco. Segundo o boletim divulgado ontem, houve a primeira cura clínica de paciente diagnosticada com a Covid-19, doença causada pelo vírus. O governo também decretou estado de calamidade pública. O caso de cura é o de uma idosa de 66 anos. Ela e o marido, de 71 anos, tiveram os dois primeiros testes confirmados no Estado. "A mulher com cura clínica está internada, mas já tem condições de alta. O esposo dela e os outros oito pacientes estão internados. Três estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas estão todos estáveis”, declarou o secretário de Saúde, André Longo.

CELEBRAÇÃO – O chefe do setor de infectologia do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Recife, Demétrius Montenegro, celebrou a cura clínica da paciente e disse que, na maioria dos casos, os pacientes têm registrado boa resposta ao tratamento. “Apesar de ter passado um período na UTI, a mulher não se encontrava em situação de gravidade, foi muito mais para vigilância. Ela desenvolveu uma infecção, que é esperado que aconteça, foi tratada e está em condições clínicas de alta hospitalar", disse.

O JUIZ E O ACIDENTE – O desembargador Cláudio Jean, envolvido num acidente, quinta-feira passada em Afogados da Ingazeira, sem prestar socorro às vítimas, foi juiz de Delitos de Trânsito na capital. Sua escolha para desembargador ocorreu pelo critério de antiguidade. Especializado em Administração Judiciária e Direito Público e Privado, Cláudio Jean Nogueira Virgínio iniciou a carreira jurídica como advogado. Em 1985, ingressou no TJPE como juiz da Comarca de Parnamirim. Em 1989, assumiu a 2ª Vara Criminal de Jaboatão dos Guararapes, indo para o Recife três anos depois, como juiz substituto da 1ª Vara dos Crimes de Delito de Trânsito e Contravenção Penal (atual 19ª Vara Cível). No biênio 2003/05, respondeu cumulativamente pelo Distrito Estadual de Fernando de Noronha.

Perguntar não ofende: Por que o empresário que teve sua loja de equipamentos médicos invadida pelo Governo numa ação policial pediu desculpas ao governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozonaro é alvo de panelaços pelo sexto dia seguido. Bozonaro foi alvo de um Panelaço de Aniversário, uma campanha nas redes sociais que ficou entre os termos mais comentados do Twitter e fazia referência ao aniversário do Bozonaro, que completou 65 anos de idade. Coisa linda.

Fernandes

Muito solidário né? O velho da Havan defensor do Bozonaro comunicou que vai demitir 22 mil empregados...

Fernandes

ATENÇÃO PATRIOTAS! ONDE ESTÁ O EXÉRCITO, MARINHA E AERONÁUTICA, NESSA GUERRA CONTRA COVID 19?

Fernandes

De quem é essa frase ? Primeiro salvamos o povo, depois a economia.

Fernandes

Guedes elogia o Bolsa Família e diz que Lula mereceu ganhar duas eleições. Para ministro, ex-presidente soube gastar pouco para atingir um grande número de pessoas.


Shopping Aragão

20/03


2020

Coluna da sexta-feira

Enfim, uma bela notícia!

Os brasileiros não poderiam ter recebido melhor notícia no dia de ontem: o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou que o país descobriu um medicamento que poderá ser utilizado para a cura do coronavírus (covid-19). O remédio poderá ser aprovado em breve pelo órgão regulador de medicamentos dos EUA, o Food and Drugs Administration (FDA). A droga hidroxicloroquina, que é o medicamento mencionado pelo mandatário, já é utilizada no tratamento da malária.

O presidente afirmou que todos os cidadãos que possuírem prescrição médica poderão adquirir o remédio. Segundo Trump, o medicamento poderá ser distribuído tanto em consultas médicas quanto em hospitais. “Os médicos vão distribuir o medicamento, os Estados também, vai ser excelente. Esse pode ser ou não o momento de virada. Estados individuais lidam com isso, médicos lidam com isso, acho que vai ser ótimo”, afirmou o presidente norte-americano durante uma entrevista coletiva.

Além disso, o mandatário ressaltou ainda que um dos benefícios é que o remédio já é utilizado, portanto, passou por testes e já foi aprovado. “Se você começa a desenvolver uma droga do zero, não sabe o que vai acontecer”, disse Trump. Já cientistas do Instituto Flamenco de Biotecnologia (VIB), na Bélgica, encontraram um anticorpo capaz de neutralizar o novo coronavírus. A descoberta ainda não é uma cura, mas representa um passo a mais em direção a um tratamento antiviral para a covid-19.

O anticorpo foi desenvolvido em parceria com laboratórios nos Estados Unidos. De acordo com o anúncio feito hoje, já estão em andamento pesquisas adicionais para confirmar os resultados obtidos pelos pesquisadores. O anticorpo foi desenvolvido em parceria com laboratórios nos Estados Unidos. De acordo com o anúncio feito hoje, já estão em andamento pesquisas adicionais para confirmar os resultados obtidos pelos pesquisadores.  "Os novos resultados indicam que o anticorpo pode impedir o novo coronavírus de infectar células humanas", afirma o laboratório.

Curta duração – No comunicado americano, o instituto também aponta que o anticorpo pode "ser produzido em larga escala utilizando processos comuns na indústria biofarmacêutica". Diferentemente das vacinas, os anticorpos agem imediatamente, já que a pessoa que recebe o tratamento não precisa produzir as próprias células de defesa. Por outro lado, eles têm efeito de curta duração. O VIB sugere que, se confirmado, o tratamento seria indicado para profissionais da saúde ou outras pessoas com alto risco de exposição ao novo coronavírus, que poderiam se beneficiar dos efeitos a curto.

Gesto elogiável – Após receber inúmeras críticas por não falar muito sobre a epidemia do Covid-19 (coronavírus), que teve início na China, o ator Jackie Chan, que nasceu no País, resolveu fazer uma boa ação para amenizar a repercussão negativa nas redes sociais que envolvia seu nome. Anunciou que vai doar um milhão de yuans (moeda chinesa), equivalente a R$ 615 mil na cotação atual, para qualquer pessoa ou instituição que desenvolva um medicamento eficaz no combate ao vírus. Por meio da rede social chinesa Weibo, o astro do cinema afirmou em postagem: “Superar a epidemia é inseparável do apoio da ciência e da tecnologia, acredito que muitas pessoas pensam o mesmo que eu”.

Sem cobrança – Chegou a 28 o número de casos confirmados do novo coronavírus, em Pernambuco. De acordo com o boletim divulgado, ontem, são seis casos a mais que na quarta-feira, com 508 notificações para a doença Covid-19. Além disso, o Estado anunciou medidas para melhorar o abastecimento e informou que vai deixar de cobrar a conta de água a mais de 120 mil pessoas. Segundo o Estado, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai isentar de pagamento as pessoas enquadradas na categoria social. Essa tarifa é cobrada a quem tem renda de até um salário mínimo e consumo residencial de até 10 metros cúbicos por mês, em média.

Olinda reage – A Prefeitura de Olinda ampliou, ontem, as ações de combate à transmissão da Covid-19. A principal delas foi a suspensão de todas as atividades turísticas e de equipamentos culturais na cidade. Além disso, eventos públicos estão limitados a 50 pessoas, como já havia sido decretado pelo Governo do Estado. A determinação da Prefeitura atinge museus, biblioteca, prédios históricos e serviço de transporte de turistas no Sítio Histórico. Outra medida é que visitantes ou até moradores de Olinda que cheguem à cidade após voos internacionais devem ficar isolados por sete dias, mesmo que não apresentem sintomas do novo coronavírus.

CURTAS

RISCO DE PRISÃO – Todas as pessoas que chegarem ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes/Gilberto Freyre precisam ficar em quarentena por sete dias, sobretudo, os que tiveram como origem países com casos de coronavírus. Segundo o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Antônio de Pádua Cavalcanti, quem descumprir o decreto, assinado do na última terça-feira, pode sofrer punições, que vão de multa até detenção, de um mês a um ano. As penas estão previstas no artigo 268 do Código Penal: infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

CONTRATAÇÕES – A Prefeitura do Recife anunciou, ontem, a contratação temporária de 194 profissionais de saúde para trabalhar na rede pública durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo a administração, são 15 médicos para a atenção básica e 179 pessoas para os novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e de retaguarda, que serão abertos pelo estado. As contratações fazem parte de um novo pacote de medidas anunciadas pela Prefeitura. Ao todo, são 20 ações para o enfrentamento ao novo coronavírus. Com isso, o plano já conta com 112 determinações.

CORONA E ENCHENTE – Em Afogados da Ingazeira, além do enfrentamento ao coronavírus, o prefeito José Patriota (PSB) perdeu o sono com os problemas causados pelas fortes chuvas dos últimos dias, que provocaram o transbordamento da barragem de Brotas sobre o leito do Rio Pajeú. Com isso, algumas casas às margens do manancial foram atingidas e os moradores transferidos para abrigos. As estradas vicinais também foram atingidas, em alguns trechos quase provocando o isolamento das pessoas no acesso ao centro urbano da cidade. A lâmina do transbordamento de Brotas, segundo ele, é de 30 centímetros.

Perguntar não ofende: Como o Congresso vai reagir à PEC do deputado Sebastião Oliveira propondo o adiamento da eleição municipal e eleições gerais em 2022?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Só lembrando: Ronaldinho Gaúcho é patrimônio brasileiro. LIBERDADE PARA RONALDINHO GAÚCHO.

Fernandes

Vocês Direitopatas Bozonaristas que fazem apologia a ditadura, que acreditam no Exército...Não foi o Exército que atestou a incapacidade mental do Troglodita Bozonaro, afastado-o da instituição? Então, vocês acreditam ou não no Exército?

Fernandes

A incrível dificuldade da família Bozonaro de se preocupar com o Brasil. Às portas da catástrofe sanitária e econômica, estão mais preocupados com a guerra ideológica que lhes serve de combustível nas redes sociais.

Fernandes

Lula: Primeiro vamos cuidar das pessoas, depois vamos cuidar da economia. Os direitopatas Bozonaristas não tem o QI desse mestre.

Fernandes

Desembargador Gebran Neto do TRF4 admite que manteve arbitrariamente Lula na prisão. Isso todo já sabia.



19/03


2020

Coluna da quinta-feira

Panelaços são mau agouro

Movimentos sociais, centrais sindicais e outras entidades resolveram transformar as mobilizações de rua contra o Governo em panelaços e mobilizações virtuais, em decorrência da expansão do coronavírus no País e as recomendações para se evitar aglomerações. Na última terça-feira e ontem, centenas de pessoas por todo o País, de maneira espontânea, anteciparam o protesto e foram às janelas com um uníssono grito de “fora, Bolsonaro” e barulho de panelas batendo.

Apesar da manifestação oficial ter marcada para 20h30 de ontem, a população resolveu se antecipar novamente e promoveu um grande panelaço durante a coletiva de Jair Bolsonaro e ministros na noite da terça-feira. Os protestos ocorreram depois de Bolsonaro falar, mais de uma vez, em “histeria” em relação ao novo coronavírus e dizer que ações de governadores sobre isolamento prejudicam a economia.

À noite, o governo anunciou que pedirá ao Congresso para reconhecer estado de calamidade pública em razão da pandemia. No domingo, o presidente descumpriu monitoramento por coronavírus, participou de um ato a favor do governo e cumprimentou apoiadores no Distrito Federal. Na terça, Bolsonaro disse que o segundo teste para o coronavírus deu negativo.

Segundo o último balanço do Ministério da Saúde, há 291 casos confirmados de coronavírus, mais de 8 mil suspeitos e uma morte. Pelas redes sociais, moradores de diferentes regiões postaram vídeos de seus panelaços locais, como no Recife, com epicentro em Boa Viagem e Casa Forte. Bolsonaristas, com o apoio dos filhos do presidente, definiram como estratégia lançar palavras de ordem contra o Congresso Nacional, o mesmo mote que levou às ruas manifestantes em apoio ao governo no dia 15 de março, mesmo com recomendações das autoridades de saúde pública que fossem evitadas aglomerações – o próprio presidente chegou a cumprimentar manifestantes em frente ao Palácio do Planalto.

Os panelaços de ontem e terça ocorreram depois de o deputado distrital de Brasília Leandro Grass, da Rede, ter apresentado ao Congresso o primeiro pedido de impeachment contra Bolsonaro após o início da crise envolvendo o coronavírus. De manhã, Bolsonaro voltou a afirmar que há “uma certa histeria” em relação à doença. “Esse vírus trouxe uma certa histeria. Tem alguns governadores, no meu entender, posso até estar errado, que estão tomando medidas que vão prejudicar e muito a nossa economia”, disse em entrevista à rádio Super Tupi.

“A vida continua, não tem que ter histeria. Não é porque tem uma aglomeração de pessoas aqui e acolá esporadicamente que tem que ser atacado exatamente isso. Tirar a histeria. Agora, o que acontece? Prejudica”, acrescentou. Se continuar agindo assim, o presidente caminhará para à forca, enfrentando de um lado a insatisfação da população diante das medidas de prevenção do coronavírus e por ouro a ira do Congresso, aviltado pelo próprio presidente.

A GloboNews e o picareta – Passava das 23h da última terça-feira quando o principal telejornal noturno da GloboNews, o J10, comandado por Heraldo Pereira, de Brasília, destacou os panelaços contra Jair Bolsonaro em grandes cidades brasileiras. A âncora no estúdio do Rio, Cecília Flesch, listou bairros de classe média, como a Barra da Tijuca, onde o presidente tem casa, com manifestações ruidosas. “Picareta, picareta!”, ouviu-se em um dos vídeos mostrados. “Fora Bolsonaro!”, no áudio de outra gravação. Foram transmitidas imagens caseiras feitas também por moradores de São Paulo, assim como vídeos captados no Recife, em Belo Horizonte e Brasília. O comentarista de política Merval Pereira, homem de confiança da família Marinho, disse que os panelaços são feitos por eleitores de classe média que se arrependeram do voto em Bolsonaro.

Reação – O presidente disse que a ida dele a um ato pró-governo no último fim de semana provocou “histeria”. Declarou também que o panelaço contra ele foi uma “manifestação da democracia”. Bolsonaro deu as declarações ao conceder uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto, na qual falou sobre medidas do governo para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Os protestos contra o presidente foram registrados na noite desta terça em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Distrito Federal e Recife. “Não interessa o que vier a acontecer. Qualquer manifestação popular nas ruas ou dentro de casa com panelaço nós, políticos, devemos entender como uma pura manifestação da democracia”, declarou.

Fechamento geral – Em São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) assinou, ontem, um decreto determinando o fechamento do comércio na cidade de São Paulo a partir de amanhã, até o dia 5 de abril, por causa da crise do coronavírus na cidade. Segundo o prefeito, a restrição atinge apenas os atendimentos presenciais do comércio. As lojas poderão continuar vendendo produtos através do telefone ou das vendas online. No caso do Recife, desde ontem, o horário do funcionamento dos shoppings foi alterado, sendo reduzido em duas horas, abrindo agora somente ao meio dia e fechando às 20 horas ao invés de 22 horas.

Juntos, novamente – Depois que esta coluna registrou o distanciamento do governador Paulo Câmara do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, nos primeiros anúncios de emergência de enfrentamento ao coronavírus, eles adotaram a estratégia de anunciar novas medidas juntos, como se estivessem bem, quando não é verdade. Isso foi mais uma vez observado, ontem, na coletiva de confirmação de 22 casos de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. São três a mais do que no boletim divulgado na terça-feira passada. Além disso, o Estado anunciou que vai reativar dois hospitais particulares para receber os pacientes. Outra medida foi o cancelamento de cirurgias que já estavam marcadas, a partir de amanhã.

CURTAS

SEM RISCO – Diante da pandemia do novo coronavírus, o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, garantiu, ontem, que não há, neste momento, risco de desabastecimento em supermercados e mercadinhos do Estado. A afirmação foi feita após reunião com representantes da Associação Pernambucana de Supermercados (Apes), na sede da secretaria, no Centro do Recife. De acordo com Pedro Eurico, responsável pela Secretaria que gerencia o Procon de Pernambuco, não há necessidade de as pessoas correrem para as lojas para abastecer suas casas.

ENFIM, CEDEU – Depois de expor a vida de muitos usuários, com filas enormes, quando a recomendação da OMS para se prevenir do coronavirus é não promover aglomerações, o Detran anunciou medidas para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Alguns serviços tiveram redução de até 50% no atendimento, como a captura de imagem para a carteira de motorista e emissão do documento do veículo. O órgão também prorrogou, por 15 dias, a data de vencimento de multas locais. Ainda de acordo com o plano, os agendamentos para exames práticos, nas categorias A e B, estão suspensos. Além disso, o número de vistorias dos automóveis terá uma redução em 50%, em todo o Estado.

CENSO ADIADO – A assessoria de imprensa do Senado informou, ontem, que o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), contraiu o novo coronavírus. De acordo com a assessoria, o primeiro teste ao qual ele foi submetido deu negativo, mas, na noite da última terça, o presidente do Senado fez um novo exame, que deu resultado positivo. “Davi Alcolumbre, no entanto, está bem, sem sintomas severos, salvo alguma indisposição, e segue em isolamento domiciliar, conforme determina o protocolo de conduta do Ministério da Saúde e a OMS”, acrescentou a assessoria.

Perguntar não ofende: Cadê o resultado do teste do corona do presidente da Embratur, Gilson Machado Neto?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Brasil acima de tudo e Deus acima de todos....... \"Você que está indo bater panela na janela, misturando política partidária com o gravíssimo Covid 19, não está ajudando em nada nosso país e nosso povo. Tentar desestabilizar o governo nesse momento, nada mais é do que egoísmo e irresponsabilidade, que beiram a desumanidade. O momento é de união e foco para mitigar os efeitos da pandemia, para não passarmos o que a Itália está vivendo. Diante da gravidade do que nosso povo ainda vai enfrentar, não deveria importar pra ninguém o partido do seu Prefeito, do seu Governador, ou do Presidente. Não estamos mais em época de eleição. Mais inacreditável ainda é ir bater panela na janela num momento como esse, onde o mundo se vê diante de algo jamais visto, desconhecido e assustador. Depois vão para as redes sociais publicar paz empatia respeito ficaemcasa. Tenha paciência! Outro exemplo dessa irresponsabilidade foi a edição do JN de hoje (18/03/20). Jamais vi um desserviço tão assustador ao nosso povo, onde milhares correm ou ainda irão correr risco de morte. Os primeiros 20 minutos se restringiram a ataques ao Presidente e às demais autoridades sentadas a mesa, com detalhes irrelevantes pro momento que vivemos. Uma verdadeira obsessão em desestabilizar um governo democraticamente eleito. Qual a contribuição ao publicarem imagens antigas das bobagens já ditas pelo Presidente com relação a Pandemia? Qual a contribuição para a solução do problema ao atacar de forma covarde um governo que se encontra no meio da maior crise de saúde da história recente da humanidade? Sinceramente não consigo vislumbrar nada de positivo nisso. Pelo contrário. Acabam por colocar ainda mais, brasileiros contra brasileiros, num momento em que a união de todos é uma importante arma mitigadora dos riscos. O momento não é de enfrentamento partidário nem de tentativa de reverberar ódio, pois a eleição acabou no final de 2018. Gritar bozo ou Luladrao na janela é tudo que nosso país não precisa. Estamos em guerra contra um poderoso inimigo invisível. Nossos médicos estão colocando suas vidas em risco para salvar os doentes suspeitos ou já confirmados. O sangue que corre em nossas veias é da mesma cor! Esse tipo de manifestação, nesse momento, seja qual for a ideologia, só fortalece esse inimigo invisivel, que é o mesmo para todos os brasileiros, independente de ideologias político partidárias\".

Fernandes

Panelas devolvem a Bozonaro à sua condição humana. as panelas foram às janelas para recordar a Bozonaro que supostos mitos também estão sujeitos à condição humana. Na terça-feira, o panelaço soara uma vez. Na quarta, ecoou três vezes em diferentes capitais. Coisa linda.

Fernandes

Não há antipetismo possível que faça sumir a imagem de terra arrasada do governo Bozonaro. O fascista é um portento em matéria de desgraça coletiva. Nem estou colocando na conta seu laranjal, fantasmas milicianos, Queiroz, o cheque da Michelle, o patrimônio do Flávio e as inúmeras picaretagens de Eduardo e Carluxo, o pavão misterioso da Fake News. Muito menos quero falar agora do assassinato de Marielle e do sumiço do porteiro que dedou seu Jair. Vou pular por enquanto a nuvem cinza que paira sobre os 39 kg de cocaína encontrados pela polícia espanhola no avião da comitiva de Bozonaro e outros tantos episódios bisonhos envolvendo seu governo e sua família. Vou me ater apenas aos recordes negativos.

Fernandes

Bozonaro Bate Todos Os Recordes Negativos: Desemprego, Bico, Desmatamento, Miséria, Dólar Nas Alturas E Fuga De Capitais.

Fernandes

Jornalista alemão alerta: Bozonaro é um psicopata e pode matar milhares de brasileiros.



18/03


2020

Coluna da quarta-feira

Eleição corre risco de adiamento

“Pelo que se desenha, não causaria espanto se tivéssemos que chegar ao extremo de ter que adiar as eleições municipais. Isto não está sendo tratado agora. As autoridades esperam que em outubro o coronavírus seja página virada. Assim, todos os prazos eleitorais devem ser mantidos e respeitados”, alertou, ontem, em artigo no meu blog, no espaço reservada para ela às terças-feiras, a advogada Diana Câmara, especialista em legislação eleitoral, PHD em campanhas e do jogo político.

Na sua visão, até outubro há um árduo caminho que a sociedade terá que enfrentar e importantes e drásticas mudanças de comportamentos que, com certeza, terão impacto nas eleições e na forma de se fazer campanha eleitoral. Muito provavelmente a internet, em especial as mídias sociais e o WhatsApp, será o local mais seguro e hábil para se fazer campanha.

“Há um indicativo de que os próximos meses serão de restrição social, sendo proibida aglomerações, reuniões políticas, comícios, caminhadas, porta a porta, abraços, apertos de mãos e tantos outros atos típicos de campanha eleitoral que envolvem interação entre pessoas. Mais uma vez vamos ter que nos reinventar usando a criatividade e o bom senso”, acrescentou Diana Câmara.

Competente e antenada com o momento, Diana Câmara é a primeira especialista em Direito Eleitoral a levantar a lebre. É possível não ocorrer as eleições municipais deste ano? Vai depender, claro, do cenário que o mundo, especialmente o Brasil, irá se deparar daqui para a frente. O mundo está em pânico, todas as nações assustadas. Parece algo do Apocalipse, dos fins dos tempos previstos na Bíblia.

Nunca se viu algo tão assustador. A população, trancafiada em casa, refém do medo, não cumpre mais agenda social, não vai ao local de trabalho, não tem aulas, os shoppings esvaziaram e nem o direito de frequentar um bom restaurante para sair da rotina da comida caseira é possível. O que se constata, politicamente, nesse instante, é que não temos campanha nem previsão de colocar as candidaturas nas ruas.

Quanto à eleição, só Deus sabe!

Pedido de impeachment – Enquanto o calendário eleitoral se apresenta como uma grande incerteza, no Congresso foi pedido, ontem, o impeachment  do presidente Bolsonaro, através do deputado Leandro Grass (Rede-DF). Dentre os motivos apresentados, estão os constantes ataque do chefe do Executivo contra a imprensa, aos poderes e o recente endosso do presidente para que acontecessem, a despeito das orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS), as manifestações do último domingo. Bolsonaro, que deveria estar de quarentena por ainda ter a possibilidade de estar com coronavírus, compareceu a uma delas, e, ao lado de cartazes contra o Legislativo e o Judiciário, tirou fotos com os manifestantes e pegou nas mãos deles, contrariando orientações do Ministério da Saúde.

Sem apreço – Para Grass, o conjunto de crimes praticados por Bolsonaro, demonstra que ele não tem apreço pelas normas constitucionais e nem pelas responsabilidades do cargo. “Não é lícito ao Chefe da Nação convocar manifestações de ataque aos demais poderes e desacreditar o processo eleitoral. Descabe ao Presidente refutar decisões judiciais sobre pleito que, pasme-se, ele foi eleito. Não é possível que o Presidente aja sem qualquer decoro, publicando material pornográfico em redes sociais, ofendendo jornalistas todos os dias e, ao fim e ao cabo, incentivando a comemoração do Golpe Militar de 1964”, afirmou.

Estoque zerado – Muito grave o alerta feito pelo Sindicato dos Médicos de que o Estado não dispõe mais de máscaras, álcool gel, gorros, capotes e luvas, equipamentos de proteção individual usados pela classe médica e a população em geral para se proteger do coronavírus. Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, Walber Steffano, o Estado, cobrado fortemente pela categoria, não apresentou uma saída emergencial para comprar o material.  "Estamos diante de uma calamidade, que exige urgência”, diz Steffano. O estoque dos equipamentos está zerado também na rede de farmácias do Estado. E quando se encontra, o preço está impraticável. O álcool gel subiu de R$ 11,99 para R$ 49,00 e a máscara, que custava centavos, agora está sendo vendida a R$ 7,00.

Vergonha – Enquanto em Salvador, o prefeito ACM Neto (DEM) anunciou, entre outras medidas, a doação de 140 mil cestas básicas para os alunos da rede municipal de ensino, no Recife o prefeito socialista Geraldo Júlio, que quer emplacar de todo jeito o filho de Eduardo Campos, João Campos, como sucessor, decidiu distribuir um kit de merenda escolar com as famílias dos estudantes matriculados na rede municipal. Mas não foi boa a receptividade entre os pais e mães da garotada diante da pobreza franciscana do kit, resumido a um pacote de leite em pó integral, biscoitos de baunilha e goiaba, duas laranjas, uma maçã e uma goiaba, além de uma paçoca de amendoim.

CURTAS

SHOPPINGS MUDAM – Por causa da pandemia do novo coronavírus, shoppings do Grande Recife anunciaram o cancelamento de eventos e mudanças em horários de funcionamento. A medida, que vale por tempo indeterminado, tem o objetivo de seguir o decreto do governo estadual para evitar aglomerações e diminuir o risco de contágio. De acordo com a Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), foi sugerido um novo horário de funcionamento dos centros de compras, a partir de amanhã.  A entidade indica que os shoppings devem funcionar do meio-dia às 20h. Ainda segundo a associação, farmácias, clínicas, supermercados, órgãos públicos podem adotar outros horários.

NOS PRESÍDIOS – Com 18 casos confirmados do coronavírus no Estado, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos adotou medidas de prevenção em todo o sistema penitenciário. A partir do próximo sábado, os detentos podem receber a visita de apenas um parente por semana. Antes, era permitida a entrada de até três familiares por visita. O objetivo é reduzir a circulação diária de pessoas nos presídios, mesmo que não haja no sistema prisional do Estado nenhum caso suspeito da Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus.

CENSO ADIADO – O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmou, ontem, que a realização do Censo Demográfico foi adiada para 2021 diante do avanço do surto coronavírus no país. A coleta de dados estava programada para neste ano. Segundo o IBGE, o próximo Censo terá como data de referência 31 de julho de 2021. A coleta será realizada entre 1º de agosto e 31 de outubro de 2021. O concurso com 208 mil vagas destinado para a realização do levantamento foi suspenso. Os candidatos que já fizeram o pagamento da inscrição serão reembolsados.

Perguntar não ofende: Se a eleição for adiada, os mandatos dos prefeitos e vereadores serão prorrogados?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Brasil acima de tudo e Deus acima de todos......... \"Você que está indo bater panela na janela, misturando política partidária com o gravíssimo Covid 19, não está ajudando em nada nosso país e nosso povo. Tentar desestabilizar o governo nesse momento, nada mais é do que egoísmo e irresponsabilidade, que beiram a desumanidade. O momento é de união e foco para mitigar os efeitos da pandemia, para não passarmos o que a Itália está vivendo. Diante da gravidade do que nosso povo ainda vai enfrentar, não deveria importar pra ninguém o partido do seu Prefeito, do seu Governador, ou do Presidente. Não estamos mais em época de eleição. Mais inacreditável ainda é ir bater panela na janela num momento como esse, onde o mundo se vê diante de algo jamais visto, desconhecido e assustador. Depois vão para as redes sociais publicar paz empatia respeito ficaemcasa. Tenha paciência! Outro exemplo dessa irresponsabilidade foi a edição do JN de hoje (18/03/20). Jamais vi um desserviço tão assustador ao nosso povo, onde milhares correm ou ainda irão correr risco de morte. Os primeiros 20 minutos se restringiram a ataques ao Presidente e às demais autoridades sentadas a mesa, com detalhes irrelevantes pro momento que vivemos. Uma verdadeira obsessão em desestabilizar um governo democraticamente eleito. Qual a contribuição ao publicarem imagens antigas das bobagens já ditas pelo Presidente com relação a Pandemia? Qual a contribuição para a solução do problema ao atacar de forma covarde um governo que se encontra no meio da maior crise de saúde da história recente da humanidade? Sinceramente não consigo vislumbrar nada de positivo nisso. Pelo contrário. Acabam por colocar ainda mais, brasileiros contra brasileiros, num momento em que a união de todos é uma importante arma mitigadora dos riscos. O momento não é de enfrentamento partidário nem de tentativa de reverberar ódio, pois a eleição acabou no final de 2018. Gritar bozo ou Luladrao na janela é tudo que nosso país não precisa. Estamos em guerra contra um poderoso inimigo invisível. Nossos médicos estão colocando suas vidas em risco para salvar os doentes suspeitos ou já confirmados. O sangue que corre em nossas veias é da mesma cor! Esse tipo de manifestação, nesse momento, seja qual for a ideologia, só fortalece esse inimigo invisivel, que é o mesmo para todos os brasileiros, independente de ideologias político partidárias\".

marcos

Ô mortadela, tu com esse português doente e com a ortografia na UTI já lesse algum livro na vida?

Fernandes

Coisa Linda. Muita adrenalina assistindo esse panelaço arretado!

marcos

Lula confessou que nunca leu um livro em toda a sua corrupta vida. Aí tu vai querer que os mortedalinhas leiam? Kkkkkkkkk

Fernandes

O problema dos Direitopatas não é ideológico, é psicológico. Carregam dentro de si um ressentimento colossal. Sentem-se diminuídos diante dos que tem maior conhecimento, leitura sensibilidade, compreensão dos fatos e das artes. Raiva de conquistas, méritos e aplausos alheios.



17/03


2020

Coluna da terça-feira

Janaina também é golpista?

Alguns leitores desavisados reagiram, ontem, ao texto contundente que postei, logo cedo, pregando o afastamento imediato do presidente Jair Bolsonaro pelo comportamento insano dele na manifestação de domingo passado, em Brasília, quando descumpriu, de forma irresponsável, as regras básicas de prevenção do coronavírus recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Não sou golpista, longe disso. Mas o presidente foi de uma insensatez sem limites.

Na mesma linha, ontem mesmo, a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) afirmou em discurso na Assembleia Legislativa daquele Estado que o presidente deve ser afastado de suas funções após ter endossado e participado das manifestações realizadas em Brasília. Janaina classificou a decisão de Bolsonaro de confraternizar com apoiadores em frente ao Palácio do Planalto como um “crime contra a saúde pública” em meio à pandemia do coronavírus.

O presidente havia recebido a recomendação para ficar isolado até realizar um novo teste para o coronavírus. Ele teve a rotina alterada desde que integrantes de sua comitiva na viagem aos Estados Unidos, na última semana, foram diagnosticados com a doença. “Quando as autoridades têm o poder e o dever de tomar providências para evitar um resultado danoso, e assim não procedem, elas respondem por esse resultado. Isso é homicídio doloso”, disse a parlamentar.

Conforme abordei, para Janaína, o que o presidente cometeu foi um crime contra a saúde pública. “Ele desrespeitou a ordem do seu ministro da Saúde”, afirmou. Ela pediu para o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), assumir a chefia do Executivo Federal. “Esse senhor tem que sair da Presidência da República. Deixa o Mourão, que entende de defesa. Nosso País está entrando numa guerra contra um inimigo invisível. Deixa o Mourão que é treinado para a defesa conduzir a nação”, pregou.

E acrescentou: “Não tem mais justificativa. Como um homem que está possivelmente infectado vai para o meio da multidão? Como um homem que faz uma live na quinta e diz pra não ter protestos vai participar desses mesmos protestos e mandam as deputadas que são paus mandados dele chamar o povo para a rua”.

Como muitos brasileiros a esta altura do campeonato se arrependeram do voto, Janaina também. “Eu me arrependi do meu voto. Que país é esse? Como esse homem vai lá, potencialmente contaminando as pessoas, pegando nas mãos e beijando? Ele está brincando? Ele acha que ele pode tudo? As autoridades têm que se unir e pedir para ele se afastar. Nós não temos tempo para um processo de impeachment. Estamos sendo invadidos por um inimigo invisível e precisamos de pessoas capazes e competentes para conduzir a nação. Quero crer que o Mourão possa fazer esse trabalho por nós”, declarou.

Na mesma linha – Do jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog, na mesma linha do que escrevi ontem: “Já observei que fazia sentido a resposta discreta que os Poderes Legislativo e Judiciário vinham dando a Jair Bolsonaro, deixando que o presidente, digamos, falasse sozinho. É claro que as coisas mudaram de patamar. E é preciso que a palavra “impeachment” comece a frequentar o vocabulário de deputados e senadores. Os senhores parlamentares têm de ter claro que estão a lidar com um agente provocador, de mentalidade golpista, disposto a investir no impasse. Então é necessário que as medidas políticas de defesa da democracia e do estado de direito comecem a ser debatidas”. Bolsonaro já cometeu uma penca de crimes de responsabilidade. Neste domingo, mais alguns, como já demonstrei. Também há os crimes comuns”.

O alambrado – Reinaldo Azevedo foi mais além: “Depois deste domingo, creiam, mais gente vai falar sobre o impeachment no Congresso por dois motivos conjunturais, entre muitos outros fundamentais: ficou claro que Bolsonaro não tem limites, aposta no impasse e não tem receio de atentar contra a segurança dos brasileiros em nome de seus interesses e de suas convicções. Seu apoio de rua se resume, agora, aos aloprados francamente golpistas, que não acreditam nem em coronavírus. Será assim tão distante falar do impeachment? Acreditem: não mais! Como diria o velho Leonel Brizola, Bolsonaro começou a costear o alambrado.

Patrono – O filósofo e educador Paulo Freire virou Patrono da Educação de Pernambuco. A lei, originada de um projeto do deputado Professor Paulo Dutra (PSB), foi sancionada pelo governador Paulo Câmara, num ato que contou com a presença do parlamentar e do secretário de Educação e Esportes, Fred Amâncio. Vice-presidente da comissão de educação e cultura da ALEPE, o Professor Paulo Dutra comemorou a sanção da lei fazendo uma reflexão sobre a educação. “Acreditamos na importância de Paulo Freire frente ao atual cenário da educação nacional, que carece de mais cuidado e atenção. No nosso Estado, temos o orgulho de ter uma educação que funciona e tem evoluído cada vez mais”.

Liberação – O Ministério da Economia anunciou, ontem, novas medidas para reduzir os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. Segundo o governo, serão empregados R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais para socorrer setores da economia e grupos de cidadãos mais vulneráveis, além de evitar a alta do desemprego. Desse valor, R$ 83,4 bilhões devem ser destinados à população mais pobre e/ou mais idosa. A ideia é que esses valores sejam injetados na economia nos próximos três meses. A lista inclui medidas que já foram anunciadas desde a última sexta-feira, entre elas antecipar a primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para abril – liberação de R$ 23 bilhões.

CURTAS

NAS ACADEMIAS – A Prefeitura do Recife anunciou mais 12 medidas de prevenção, ontem, contra o coronavírus, entre as quais a suspensão do funcionamento das 19 Academias Recife e das 42 Academias da Cidade, para evitar o contágio. “Estamos criando um aplicativo para que as pessoas não interrompam seus exercícios diários e possam, a cada dia, baixar exercícios com níveis diferentes e façam aulas em casa, orientados por professores das academias municipais”, afirmou o prefeito. A decisão afeta, ainda, as bibliotecas públicas de Afogados, na Zona Oeste, e Casa Amarela, na Zona Norte, que passam a funcionar exclusivamente para o empréstimo de livros.

ÁGUA É AMEAÇA – O aumento no número de confirmações em Pernambuco de casos da Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus, tem preocupado moradores de áreas do Grande Recife em que há racionamento de água. Eles questionam como é possível reforçar hábitos de higiene diante das torneiras vazias. O professor Evandro Ferreira mora em um condomínio localizado na rodovia PE-22, no bairro de Maranguape, em Paulista. Segundo ele, os problemas com abastecimento são recorrentes na área, mas as torneiras estão sem água há cerca de quatro meses.

AULAS – As prefeituras de Paulista e de Igarassu, no Grande Recife, também anunciaram a suspensão das aulas nas redes municipais de ensino, por causa da pandemia de coronavírus. Em Paulista, a medida entra em vigor a partir de hoje e, em Igarassu, amanhã. De acordo com a Prefeitura de Paulista, a medida tem validade por tempo indeterminado e, por causa disso, kits de alimentação serão distribuídos semanalmente às famílias dos alunos, para garantir a alimentação dos estudantes.

Perguntar não ofende: Quando Bolsonaro vai chamar os governadores para um plano em conjunto de prevenção ao coronavírus?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Take in ass.

Fernandes

marluxo (marcos de camaragibe), I want your brioco. Ui.

marcos

Quem chama o nosso Mito de bozo Queima a Rosca. Ui mortadela.

Fernandes

Começou o panelaço contra o Bozo, ele vai cair.

marcos

É uma pena Mariza Leticia está morta, Senão ela mandava o povo enfiar as panelas no Cu!



16/03


2020

Coluna da segunda-feira

Quem paga o prejuízo?

União, Estados e Municípios partiram para a política da radicalização nas medidas de prevenção ao coronavírus e o Brasil entrou em pânico, numa paranoia geral. O exemplo, no entanto, veio das grandes potências infectadas. Os Estados Unidos fecharam as portas para o mundo, paralisando as operações de pouso e decolagem nos seus aeroportos. A França fechou até os cafés românticos do bom papo para encontros que celebram o amor, a amizade, a vida em geral.

Pernambuco não poderia ficar na contramão e tomou medidas tão duras e oportunas quanto as mundiais. Mas uma pergunta que não ofende a ninguém, como costumo fazer ao final desta coluna: quem vai pagar a conta do prejuízo? Celebrada há 50 anos, a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, por exemplo, orgulho brasileiro pela beleza, qualidade e cenário deslumbrante, foi adiada para setembro, mês que não se perdoa os pecados de ninguém. Setembro é abertura de praias, é verão no Nordeste, começo da alta estação. Nada a ver com Páscoa.

Meu amigo Robinho Pacheco, que passa o ano inteiro organizando o evento com celebridades globais, estrutura caríssima, perdeu o sono. Quem vai indenizar as suas perdas? O Estado, a União? A lei não deixa dúvidas: se ficar comprovado que o Estado negligenciou o que lhe cabia fazer nas ações de combate e prevenção a doenças, ele poderia, sim, ser responsabilizado pelos danos causados à população. Entenda-se aí Estado como o Governo Federal, Governo do Estado e Prefeitura que deixaram o Carnaval sem campanhas educativas sobre o coronavírus.

O Tribunal de Justiça de São Paulo examinou, recentemente, um caso curioso, que tem tudo a ver, em que um homem processou o município por ter contraído dengue. Não deixa de ser um precedente. Argumentou justamente a omissão da Prefeitura em realizar ações contra a doença. O Tribunal afastou a pretensão do homem, mas vale registrar as razões de julgamento, relatado pelo desembargador Paulo Magalhães da Costa Coelho (Apelação nº 0001648-47.2014.8.26.0156).

“Conforme se extrai dos autos, a epidemia de dengue não se limitou à municipalidade de Cruzeiro, abrangendo, também, outros municípios da região. Em razão disso, deveria o apelante, ao menos, haver demonstrado que contraiu a enfermidade na referida localidade, mas não o fez. Nesses termos, resta a conclusão de que as alegações foram incapazes de formar a convicção de que tenha havido conduta efetivamente apta a ensejar o dano por ele experimentado, motivo pelo qual não há como caracterizar a responsabilidade civil”

Dessa forma, fica claro que, no aspecto jurídico, o Estado pode, sim, ser responsabilizado em caso de contágio de doença. Por outro lado, a prova da omissão do poder público em combater e tomar medidas preventivas caberá a quem alegar, ao mesmo tempo em que caberá a este a prova de qual a localidade onde veio a sofrer o dano. Só resta agora a quem está no prejuízo tomar as devidas providências para recuperar o dano sofrido.

Os estrados danosos – Por ser um grande evento, de caráter internacional, a Paixão de Cristo é uma gota no oceano. O trade turístico está em polvorosa com o cancelamento de voos, de reservas em hotéis, cancelamentos de shows e eventos de peso. Em Caruaru, um grupo promotor de eventos musicais já havia vendido quase todos os ingressos para um grande show na Arena Caruaru, o antigo Paladium, daqui a duas semanas, quando soube, no sábado passado, da decisão do governador Paulo Câmara de proibir todo e qualquer evento com público acima de 500 pessoas. Quem vai indenizar eles, que vivem disso?

Triunfo no prejuízo – Em Triunfo, cidade que vive do turismo puxado por grandes eventos, o prefeito João Batista (PSB) entrou em parafuso ao tomar conhecimento, oficialmente, da drástica medida governamental. Ali, há muitos anos uma multidão invade a cidade para assistir o também emocionante drama da Paixão de Cristo, durante a Semana Santa. Como Nova Jerusalém, mas numa dimensão muito menor, claro, o prefeito inaugurou, recentemente, um mini teatro ao ar-livre, num parque da cidade para servir de palco ao espetáculo. Na mesma data, iria ocorrer o Festival do Vinho.

Manhattan – Por ter capacidade abaixo do decreto do governador, para apenas 300 pessoas e não 500, o Manhattan Café, em Boa Viagem, informa que tomou todas as precauções para manter o restaurante e seus shows funcionando. “O Manhattan explica a todos os seus clientes que a casa tem capacidade para 300 pessoas. Sendo assim, é permitido continuar funcionando normalmente. Todas as nossas superfícies, corrimãos e cartões são desinfetados com álcool a 70, como recomendado. Além de dispor de banheiros com água, sabão e papel toalha, todos os nossos clientes dispõem de álcool em gel. Também providenciamos a limpeza de todos os filtros do ar condicionado”, diz a nota assinada por Ronald Menezes, seu proprietário.

Carta e vídeo – No dia seguinte a ter seu nome confirmado pela direção nacional do PT como candidata a prefeita do Recife, a deputada Marília Arraes fez um manifesto por escrito ao Recife, trazendo a confiança em seu povo na capacidade de mudança apostando em seu projeto. Disse, enfaticamente, que sua aliança é com o povo. O mesmo texto foi aproveitado para a edição de um vídeo com ela própria narrando. Nas imagens, o destaque para o saudoso ex-governador Miguel Arraes, seu avô, a quem buscou inspiração para entrar na vida pública e a forma responsável de fazer política, além do cuidar das pessoas.

CURTAS

QUEM VAI ABRIR? – A confirmação da candidatura de Marília Arraes já era esperada pelo bloco de oposição no Recife. Como consequência dela, a principal vai ser o aceleramento do entendimento entre Mendonça Filho, do DEM, e Daniel Coelho, Cidadania, em busca de uma candidatura única. Mas poucos acreditam que isso venha de fato a prosperar, simplesmente porque não se vê, de ambos os lados, disposição de abrir mão de suas candidaturas. E o que vai balizar como critério para um deles jogar a toalha em apoio ao outro? Apenas uma pesquisa de intenção de voto? O mediador do entendimento é o ex-senador Armando Monteiro Neto, presidente estadual do PTB, para quem o fator Marília força Mendonça e Daniel a um entendimento.

O FATOR DELEGADA – O pacto pelo Recife entre Mendonça e Daniel não sai antes do próximo dia 4, quando fecha o prazo troca de partidos e novas filiações a quem vai se colocar no páreo municipal. Se Marília foi um fator que se esperava até então, há outro: como o PSB vai se comportar em Jaboatão, segundo maior colégio eleitoral do Estado? Disputa com a delegada Gleide Ângelo ou se compõe com a família Ferreira, em apoio à reeleição do prefeito Anderson Ferreira? Isso pesa, é verdade, porque a delegada, se entrar, come o cartão dos Ferreira em Jaboatão.

ARCOVERDE – Principal líder do Avante no Estado, o deputado federal Sebastião Oliveira fez uma maratona de filiações pelo Interior no último fim de semana. A principal conquista para o partido foi da vereadora Cybele Roa, a mais votada na eleição passada, agora candidata à prefeita do município. Com ela no páreo, Arcoverde deve bater recorde de candidaturas: já estão em pré-campanha o ex-prefeito Zeca Cavalcanti (PTB) e o delegado Israel Rubis (PP). O candidato da prefeita ainda vai ser anunciado. São, portanto, quatro candidaturas.

Perguntar não ofende: O que há por trás da morte repentina do ex-ministro Gustavo Bebianno?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Mas afinal quem mandou matar Marielle Franco, Adriano da Nóbrega miliciano ligado ao clã Bozonaro? Te cuida Queiroz!

marcos

Lula é sinônimo de Roubo e Corrupção.

marcos

Mas afinal quem mandou matar Celso Daniel?

Fernandes

Bolsonaro é sinônimo de morte, destruição, miséria e desgraça!

Fernandes

O Brasil quer a autopsia de Bebbiano e seu dossiê sobre o desgoverno BolsoNERO.



14/03


2020

Coluna do sabadão

Dirceu já vê ambiente para golpe

Na passagem, ontem, por Caruaru, o ex-ministro José Dirceu deu uma longa entrevista à Rádio Cultura do Nordeste, integrante da Rede Nordeste de Rádio, retransmissora do Frente a Frente, programa que ancoro para 35 emissoras, tendo como cabeça a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Nela, disse, categoricamente, que o presidente Bolsonaro, se quiser, tem apoio dos militares para dar um golpe.

“Fatos atuam contra o mandato dele. Agora, se ele vai concluir a gestão é imprescindível. A sociedade está impaciente com ele e até a revista Isto É já pediu o impeachment dele. Ele tem o apoio dos militares para dar um golpe e já tem golpe militar na América Latina”, afirmou. Dirceu fez uma autocritica do seu passado e do PT também. “Nós erramos quando não estivemos onde o povo estava. Lógico que lutamos e fizemos um governo que nos dá essa base social e eleitoral, mas que se perde. Nós estamos a cada dois anos de uma eleição, temos que ter uma estrutura de luta política social”, disse.

O ex-ministro disse que faltou para o PT o povo ao seu lado, para impedir o impeachment da ex-presidente Dilma (Rousseff) e a prisão do Lula. O ex-ministro defendeu a unidade do campo da esquerda para combater o chamado “bolsonarismo”, afirmando, inclusive, que o presidente Jair Bolsonaro, conservador e de extrema direita, pode legalmente dar um golpe de estado. “Bolsonaro atua com luta política, cultural e ideológica, todo dia e toda semana. E com o fortalecimento da base eleitoral dele. Nós temos que correr atrás do prejuízo”, enfatizou.

José Dirceu citou o uso das redes sociais pelo presidente Bolsonaro e sua base aliada. “Nós estamos apanhando de dez a zero das redes, e já são 12 anos. Não é um problema técnico, é um problema de decisão de prioridade e investir pesado. O retorno disso é extraordinário, mas para se ter uma ideia, nossos sindicatos não têm 10% de endereço eletrônico”, afirmou, incentivando o uso das plataformas digitais para dialogar com as pessoas.

“Se tudo mudou, nós temos que mudar. Nós podemos ganhar as eleições de 2022, vai ser complicado, como sempre foi. Do que estamos com medo? O Lula tem 40% de votos, estamos no maior partido que já houve neste País com meio milhão de militantes. Do que estamos com medo? Agora, temos que construir uma frente de esquerda unida”, pontuou.

Bombardeio na economia – O ex-ministro criticou à condução econômica e política do presidente. Ele chamou atenção para o momento vivenciado pela crise internacional com a guerra do petróleo entre a Rússia e Arábia Saudita, somado a epidemia do novo coronavírus, que fizeram as bolsas despencarem. “Todos os governos fazem planos emergenciais e adotam medidas para se anteciparem, menos este”, afirmou. Para ele, o Brasil tem condições de enfrentar uma crise, como Lula pegou em 2008 e 2009. “O certo, agora, seria pegar R$ 100 bilhões das reservas e fazer um fundo para investir na infraestrutura, social e econômica, principalmente com habitação e saneamento”, sugeriu.

Jantar palaciano – Na última terça-feira, quem recebeu o ex-capitão do time de Lula para um jantar em Palácio foi o governador Paulo Câmara, conforme antecipei neste blog. “Foi um jantar muito simples. Nós tivemos uma conversa informal de quem foi ministro e que tem uma história importante no País. Além disso, existe uma parceria com o PSB. Então, estivemos no Palácio para fazer uma visita”, explicou o presidente estadual do PT, o deputado estadual Doriel Barros, que participou do convescote, que em nenhum momento foi confirmado pelo Governo porque era secreto.

Longe do ex-capitão – Em Caruaru, entretanto, os deputados José e Wolney Queiroz, pai e filho, o primeiro estadual e o segundo federal, não recepcionaram, ontem, o ex-ministro na sua ida aos estúdios da Rádio Cultura. Por lá, estava apenas o presidente municipal do PT,  Léo Bulhões. Mas, ao longo da entrevista na Mesa Redonda da Cultura, o ex-ministro informou que esteve antes com Queiroz e o seu filho Wolmer, este empresário, numa conversa sobre o quadro político. Mas o líder do PDT na Câmara, Wolney Queiroz, evitou aparecer em público com o ex-ministro.

Vestiu o pijama – Extremamente desgastado, sendo, provavelmente, o prefeito mais rejeitado do Estado, Hélio dos Terrenos (PTB), de Belo Jardim, jogou a toalha, ontem, e assumiu logo o apoio ao vereador Wilsinho Maciel, que ingressou na legenda trabalhista para entrar na disputa pelo grupo do prefeito. O ato da desistência do prefeito contou com a participação do presidente estadual do PTB, ex-senador Armando Monteiro Neto. O que se diz que é Hélio foi forçado a pendurar as chuteiras depois de receber uma pesquisa encomendada pelo PTB na qual não tinha a menor chance de reeleição.

CURTAS

REAÇÃO AO CORONA – Mais de 30 ações do Plano Municipal de Contingência do Covid-19, realizadas pela Prefeitura do Recife, foram anunciadas, ontem, pelo prefeito Geraldo Julio após a confirmação dos dois primeiros casos da nova doença Covid-19 em Pernambuco. Em reunião com o secretariado no Museu da Cidade, no Forte das Cinco Pontas, apresentou as iniciativas que estão sendo tomadas pelo Comitê Municipal de Resposta Rápida, montado pela Secretaria de Saúde do Recife desde o dia 28 de janeiro e que já realizou 19 ações na cidade até ontem.

GAZETA PARA SESSENTÕES – A deputada Soraya Santos, primeira-secretária da Câmara dos Deputados, enviou ofício à mesa diretora informando novas medidas administrativas para conter o coronavírus. Entre elas, a isenção temporária de sanções administrativas, por motivo de falta, aos parlamentares e servidores com idade acima de 60 anos. A medida também abrange gestantes e aqueles que tenham se submetido a cirurgias recentemente. O uso do ponto eletrônico também foi suspenso para todos os servidores da Câmara pelos próximos 15 dias. A justificativa é de que o coletor biométrico pode ser potencial transmissor do vírus.

DUELO – No enfrentamento com o Congresso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, ontem, que o Governo irá ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Tribunal de Contas da União (TCU), para questionar a derrubada do veto do presidente Jair Bolsonaro a um projeto de lei que eleva o limite de renda para a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com a mudança, terão direito ao benefício idosos com mais de 65 anos e pessoas com deficiência com renda familiar per capita inferior a meio salário mínimo – R$ 522,50, pelo salário vigente de R$ 1.045. Atualmente, o limite é um quarto de salário, ou R$ 261,25 por membro da família.

Perguntar não ofende: A revelação do exame positivo para o corona no presidente foi a maior ação até agora na indústria das fake news?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é sinônimo de morte, destruição, miséria e desgraça!

marcos

Lula é o ex presidente mais Ladrão e Corrupto de Todos os tempos no Brasil, afirma Reinaldo Azevedo.

Fernandes

Os psicopatas estão sempre entre nós. Em tempos tranquilos nós os exterminamos. Em tempos difíceis eles nos governam.

Fernandes

O pobre é que vai se dar mal. Se não fosse o Bolsonaro, nós teríamos aqui milhares de médicos cubanos para ajudar o Brasil a vencer o Coronavírus . E com o medicamento Cubano.

Fernandes

Desembargadora do TJ suspende investigação contra Flávio Bolsonaro. Caso das rachadinhas só poderá ser retomado após assunto ser julgado pela Câmara Criminal. A desembargadora Suimei Meira Cavalieri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), determinou a suspensão das investigações sobre rachadinha do senador Flávio Bolsonaro (RJ) até que o colegiado julgue o assunto. Esse é bandido bom. KKKK



13/03


2020

Coluna da sexta-feira

O buraco é mais embaixo

Os estragos da decretação do estado de pandemia do coronavírus, pela Organização Mundial de Saúde, força o Governo brasileiro tomar medidas urgentes de caráter preventivo para evitar o pior para a população. Em duas semanas, segundo previsões de estudiosos, cerca de 500 casos podem ser confirmados no País ante os 77 já oficialmente identificados até ontem, segundo o Ministério da Saúde.

Isso implica, naturalmente, numa conjugação de esforços políticos. O presidente Bolsonaro terá que promover, imediatamente, um plano de contingência em conjunto com os 26 Estados da Federação e o Distrito Federal. Isso diante da triste realidade de que as periferias dos grandes centros urbanos têm maior potencial de ajuntamento de pessoas. Uma das recomendações preventivas é evitar justamente aglomerados humanos.

Uma ação coletiva é imprescindível para Estados angustiados e apreensivos com o alastramento de um vírus que se apresenta devastador com viés ainda desconhecido, sem que o Governo tenha tomado medidas eficazes e duradouras para evitar o pior para a sociedade brasileira. Os Estados Unidos e os países da Europa saíram na frente na tomada de medidas, como o fechamento de aeroportos para voos oriundos da Europa.

No caso do Brasil, do ponto de vista político, preocupa o distanciamento do presidente com os Estados, especialmente os que não adotam a sua cartilha política, como os do Nordeste. Sem exceção, os nove chefes de Estado da região são de oposição e por isso mesmo o Governo tem dificuldades de operações em conjunto imprescindíveis, como ocorreu no Ceará na greve dos policiais militares durante o Carnaval.

Ao invés de convocar os governadores, o presidente prefere subestimar a ameaça real de epidemia do coronavírus no País. Durante discurso em um evento em Miami, nos Estados

Unidos, afirmou que a “questão do coronavírus” não é “isso tudo” e se trata muito mais de uma “fantasia” propagada pela mídia no mundo todo. A prática está mostrando ao presidente que o buraco é muito mais embaixo.

Resultado sai hoje – O presidente Jair Bolsonaro e família, políticos e membros do Governo que viajaram para os Estados Unidos fizeram exames, ontem, para identificar se contraíram o novo coronavírus. A testagem de toda a comitiva foi decidida porque o secretário de Comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, contraiu o vírus e está em isolamento domiciliar. Ele fez o exame em São Paulo, e o resultado da contraprova, que confirmou a infecção, foi divulgado ontem mesmo. O presidente, a primeira-dama Michelle e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) fizeram o teste no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República. O resultado só será conhecido hoje.

Balanço nacional – Novo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, ontem, apontou que o Brasil tem 77 casos confirmados de novo coronavírus. Com mais registros, o Estado de São Paulo tem 42 pacientes infectados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), agente causador da doença Covid-19. Os principais dados do balanço são: 77 casos confirmados, eram 52 casos na quarta-feira 1.427 casos suspeitos 1.156 descartados. No novo balanço, pela primeira vez aparecem casos confirmados em Pernambuco e no Paraná. O balanço ainda não considera novas confirmações divulgadas por secretarias estaduais de saúde. Em São Paulo, já há 46 casos confirmados, quatro além do que consta no balanço.

Cenário estadual – Já em Pernambuco, os primeiros dois casos confirmados do coronavírus foram importados. Os pacientes são uma mulher de 66 anos e um homem de 71 com viagem recente para a Itália, segundo país com mais casos do vírus no mundo. Ambos residem no Recife. Ela está em um hospital privado na capital pernambucana e ele na UTI desta mesma unidade de saúde. Os sintomas relatados pelo casal são febre, tosse e problemas respiratórios. As informações foram divulgadas em coletiva de imprensa pelo secretário de Saúde do Estado, André Longo. Além dos dois confirmados, um dos 17 casos suspeitos do novo coronavírus teria tido contato com o casal.

Barrados no baile – Os senadores Jorginho Mello (PL-SC) e Nelsinho Trad (PSD-MS) receberam a orientação de não irem ao Congresso nos próximos dias. Ambos integraram a comitiva brasileira que foi aos Estados Unidos, juntamente com o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, infectado com o novo coronavírus. Os dois trabalharam normalmente ontem no Congresso. Eles ainda farão o exame para saberem se também estão infectados.

CURTAS

EXEMPLO CUBANO – Segundo o ministro da Saúde Pública de Cuba, José Ángel Portal Miranda, a ilha continua sem casos confirmados do novo coronavírus que já afetou 104 nações. Até o momento, trinta viajantes foram admitidos para estudo e depois de realizar sete novas análises especificamente para o Covid-19, que, como as oito anteriores, foram negativas, o país permanece sem a doença. O país também criou um medicamento, o ‘Interferon alfa 2B’ (IFNrec), produzido desde 25 de janeiro na fábrica cubana Chang-Heber, localizada na cidade de Changchun, província de Jilin, na China. Pode ser o caminho para descoberta da vacina.

PERNAMBUCO BATE O BRASIL – A Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem) divulgou, ontem, os números do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado referente ao ano passado, que chegou a R$ 205,0 bilhões em valores correntes. O boletim da entidade, desenvolvido através da Diretoria de Estudos, Pesquisas e Estatísticas, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE – apontou que o PIB cresceu 1,9% em 2019 em relação ao ano anterior, o que mostra que a economia pernambucana apresentou um comportamento mais acelerado do que a economia nacional no ano, já que o índice do PIB brasileiro foi de apenas 1,1%.

MOACYR FAZ SHOW HOJE – Está imperdível o show do cantor Moacyr Franco, hoje, às 21 horas, no Teatro Riomar. O repertório traz sucessos como “Doce Amargura”, “Coração sem Juízo”, “Querida”, “Milagre da Flecha”, “Balada das Mãos”, “Distante dos Olhos”, “Cartas na Mesa”, “Suave é a Noite”, “Balada nº 7”, “Eu Te Darei Bem Mais”, “Ainda Ontem Chorei de Saudade” e “Seu Amor Ainda é Tudo”. Também o hit que trouxe Moacyr Franco para perto do público jovem, “Tudo Vira Bosta”, sucesso na voz de Rita Lee. Atualmente, Moacyr atua como ator no elenco do seriado Segunda Chamada, da Globo, com estreia em abril. Quem ainda não assegurou a presença no espetáculo é bom correr à bilheteria do Teatro Riomar, que funciona no horário comercial.

Perguntar não ofende: O que Bolsonaro já fez para prevenir o Brasil de uma epidemia do coronavírus?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

REINALDO AZEVEDO. A tentativa de enganar a imprensa e o flerte de Bolsonaro com o impeachment.

Fernandes

15 de março. Dia do Orgulho Gado. Ninguém solta o casco de ninguém!

Fernandes

Moro passa vergonha tentando tirar Ronaldinho da prisão no Paraguai. Segundo informações do ministro do Interior do Paraguai, Euclides Acevedo, Moro entrou em contato no dia 7 de março para perguntar se Ronaldinho e o seu irmão, Assis, “poderiam ser libertados”. “Respondi que não depende de mim”, rebateu o paraguaio.

Fernandes

Juiz diz que País vive merdocracia neoliberal neofascista. Magistrado critica gestão Bolsonaro em sentença; para ele, onda neofascista promove genocídio dos direitos humanos.

marcos

Mas todo mundo sabe que Lula o carniça é Ladrão.



12/03


2020

Coluna da quinta-feira

O grito do Nordeste é Coruja

O Sertão do Pajeú, representado pelo time de Afogados, simbolizado pela Coruja, vai unir o Estado, hoje, de canto a canto, numa torcida tensa e fervorosa. Estará em jogo, diante da Ponte Preta, em Campinas, o futuro de Pernambuco na Copa do Brasil. Credos, torcedores das mais variadas agremiações, cores, corações do Litoral ao Semiárido, todos, enfim, formarão, na verdade, uma forte corrente na torcida pelo Estado diante da TV.

O mundo mudou e o futebol também. O natural a se observar, hoje, em Campinas, seria a estampa tricolor, rubronega ou alvirrubra, representantes da elite futebolística do Estado. Mas quem estará em campo será um representante do Sertão, região ainda profundamente estigmatizada pelo banditismo de Lampião, pelos desdentados e analfabetos, os retirantes e caminhantes sem destino, personagens célebres de Vidas Secas, retratadas na pena romanceada e dolorida de Graciliano Ramos.

A Coruja é a subversão da ordem, novo paradigma de uma face nova que vem sendo escrita em terras euclidianas, cunhada pela frase “O sertanejo é antes de tudo um forte”. Para quem enxergou o Sertão pelo viés da enxada e da foice, o carro de boi, o vaqueiro derrubando gado brabo na caatinga, os aboios dos vaqueiros ou a viola gemendo em versos improvisados por glosadores e repentistas, tudo que passa agora em tempo real se apresenta como filme de ficção ver pela TV matutos transformados em profissionais da bola.

Amacia, entretanto, o ego de todos nós, sertanejos. Deixa-nos extremamente orgulhosos. No lugar do gibão e do chapéu do couro, a única imagem simbólica do Sertão que nos restará, hoje, no gramado do estádio da Ponte Preta, em contraste com a camisa tricolor, as chuteiras modernas e os calções cheios de propaganda, será o boné do goleiro Wallef, que deveria proteger apenas o sol, mas à noite ganha o charme do luaral.

O grito de guerra pela Coruja, hoje, não se restringirá, na verdade, ao universo pernambucano. Vai extrapolar. Afogados, hoje, é Bahia, Alagoas, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe, Piauí, Ceará e Maranhão. É o Nordeste de um sotaque só. A corrente está acesa. É sustentada pelo sol ardente e escaldante do Sertão.

Salve a Coruja!

A pior notícia – No dia de ontem, não poderia ter se confirmado uma notícia tão ruim: a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia para o Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus. Casos, mortes e números de países atingidos devem aumentar, disse a organização. Segundo a OMS, uma pandemia é a disseminação mundial de uma nova doença. É um termo usado com mais frequência em referência à gripe e geralmente indica que uma epidemia se espalhou para dois ou mais continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

Quem ri por último...– Policiais militares, pensionistas e bombeiros, categorias mais prejudicadas pelo recolhimento de dois meses de contribuição ao Funafim, o fundo previdenciário, em decisão equivocada do governador Paulo Câmara, abriram, ontem, um champanhe para comemorar o recuo do Governo. Mas só verão a volta do dinheiro garfado em suas contas na próxima terça-feira. Uma fonte da Secretaria de Administração calcula que o montante a ser devolvido aos cerca de 15 mil militares passa da casa dos R$ 10 milhões.

Apunhalado – Em política, a maior virtude é a lealdade, mas o oportunismo acaba se sobrepondo. A última remanescente do Mendoncismo na Câmara do Recife, a vereadora Goretti Queiroz, debandou de vez para a ala socialista, vestindo-se de vermelha. Ex-assessora de Mendonça Filho, Goretti também não resistiu às chantagens do prefeito Geraldo Júlio e assinou a ficha de filiação ao PSB como tábua de salvação do seu mandato. Nessas horas, ideologias e correção viram letra morta. O ex-ministro da Educação, porém, foi, literalmente, apunhalado.

Governo derrotado – O Congresso derrubou, ontem, o veto do presidente Jair Bolsonaro a um projeto de lei que eleva o limite de renda para a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Com a mudança, terão direito ao benefício idosos com mais de 65 anos e pessoas com deficiência com renda familiar per capita inferior a meio salário mínimo – R$ 522,50, pelo salário vigente de R$ 1.045. Atualmente, o limite é um quarto de salário, ou R$ 261,25 por membro da família. O veto derrubado seguirá para promulgação por parte do presidente. Se o presidente não promulgar no prazo de 48 horas, a tarefa caberá ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

CURTAS

PÂNICO EM BRASILIA – A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados suspendeu, ontem, por prazo indeterminado, as sessões solenes, os eventos de lideranças partidárias e de frentes parlamentares, a visitação institucional ao Palácio do Congresso e todos os eventos que não sejam diretamente relacionados à atividade legislativa do Plenário e das comissões. A medida visa prevenir a infecção e a propagação do Covid-19 no âmbito da Casa e preservar a saúde dos deputados, servidores e visitantes. Enquanto o Ato da Mesa estiver em vigor, somente terão acesso à Câmara os congressistas, servidores, terceirizados, profissionais de veículos de imprensa e assessores de entidades e órgãos públicos.

BATENDO O MARTELO – O ex-presidente Lula deve bater o martelo sobre a candidatura de Marília Arraes à Prefeitura do Recife neste fim de semana. Nova reunião da executiva nacional foi convocada para amanhã e sábado, em Brasília. A ordem é acelerar o processo, mesmo contra a vontade do senador Humberto Costa, que trabalhará em sentido contrário até o último minuto do prazo da prorrogação. Tem muita gente ainda descrente, mas petistas de proa ouvidos, ontem, pela coluna, garantiram que o PT já fechou com Marília e que disputar Recife com candidatura própria é caminho sem volta.

É AMANHÃ – Está imperdível o show do cantor Moacyr Franco, amanhã, às 21 horas, no Teatro Riomar. O repertório traz sucessos como “Doce Amargura”, “Coração sem Juízo”, “Querida”, “Milagre da Flecha”, “Balada das Mãos”, “Distante dos Olhos”, “Cartas na Mesa”, “Suave é a Noite”, “Balada nº 7”, “Eu Te Darei Bem Mais”, “Ainda Ontem Chorei de Saudade” e “Seu Amor Ainda é Tudo”. Também o hit que trouxe Moacyr Franco para perto do público jovem, “Tudo Vira Bosta”, sucesso na voz de Rita Lee. Atualmente, Moacyr atua como ator no elenco do seriado Segunda Chamada, da Globo, com estreia em abril. Quem ainda não assegurou a presença no espetáculo é bom correr à bilheteria do Teatro Riomar, que funciona no horário comercial.

Perguntar não ofende: O governador vai anunciar a mini-reforma do secretariado antes ou depois de o PT anunciar a candidatura de Marília?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Por que Moro tem interesse pessoal no caso Ronaldinho?

Fernandes

Avaliação negativa aumenta e 40% já são a favor do impeachment de Bolsonaro.

Fernandes

Não temos mais o governo popular que tiraria de letra essa crise capitalista. Não temos mais pleno emprego, agora há cerca de 50 milhões de brasileiros desempregados ou em trabalhos precarizados. Não temos mais o mercado interno sólido, capaz de aguentar essa crise sem pânico. A desvalorização da nossa moeda chegou a um nível de insustentabilidade comercial.

Fernandes

Pronunciamento de Bolsonaro não passa de um líder de facção. Incrível: o Bozonaro faz um pronunciamento à nação sobre o maior risco que corremos nos últimos anos e prefere endereçar sua preocupação aos manifestantes que iriam às ruas no domingo para apoiá-lo e atacar STF e Congresso Nacional. Bolsonaro não passa de um líder de facção.

Fernandes

Desembargadora suspende processo contra Flávio Bolsonaro! Esse é bandido bom!


Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores