Candidatos continuam trocando acusações

Ao longo do segundo bloco do debate, o tucano Geraldo Alckmin insistiu nas denúncias de corrupção e disse que a grande diferença entre os governos tucanos e administração petista é o caráter. Ele citou o ex-governador de São Paulo, Mário Covas.

- A diferença é de caráter. Covas dizia se alguém errar, foi eu que errei, porque fui eu que pus lá. Eu não jogo culpa nas costa de amigos, eu assumo - afirmou o tucano.

Lula rebateu dizendo que era mesmo verdade que Mário Covas era um homem de caráter, ''tão de caráter que PSDB não queria que ele fosse candidato a presidente'' E argumentou que o escândalo do valerioduto começou em Minas Gerais, no governo de Eduardo Azeredo (PSDB), e também levantou a questão das privatizações e da suspeita de compra de votos de para reeleição de Fernando Henrique.

- O governador poderia dizer onde começou a compra devotos espúrios no país, da eleição de 1994. É melhor aparecer a corrupção combatendo ela, do que não aparecer porque não se combate.

Alckmin rebateu, insistindo nas denúncias que pesam sobre o PT.

- Privatização foi um leilão público, na frente da imprensa, na frente do povo. É muito diferente de dólar na cueca, de dólar em caixa de uísque, de dólar no quarto hotel.

O candidato Lula também destacou os investimentos sociais de seu governo, citando pesquisas que mostraram que na sua administração a desigualdade social foi reduzida e cerca de seis milhões de pessoas saíram da condição de miséria.

Alckmin rebateu dando ênfase a questão da saúde, que a seu ver, era muito melhor tratada no governo Fernando Henrique e na sua própria administração no estado de São Paulo, do que no governo Lula.

- Política social aqui em São Paulo quem faz somos nós. Fizemos19 hospitais, o governo Lula zero.

Na resposta, Lula disse que reformou 74 hospitais e dobrou os gastos com saúde da família.

- Criamos o programa de saúde bucal para que os pobres possam tratar de dente, a farmácia popular que permite comprar remédios pagando 10% do valor e estamos reformando 74 hospitais. Não queira que em quatro anos, eu conserte o que vocês destruíram em quatro séculos - disse Lula. (Globo Online)

Publicado em: 08/10/2006