"Não quero peixe pequeno'''', diz irmã da juiza morta

 A prisão preventiva no último domingo (11) de três policiais militares acusados de terem participado do assassinato da juíza Patrícia Acioli não convenceu os familiares da magistrada. Em missa realizada nesta segunda-feira na Igreja da Candelária, no centro do Rio, para marcar o um mês da morte de Acioli, eles cobraram a solução do caso e a prisão dos mandantes do crime. "Não quero saber de peixe pequeno. Esses PMs são culpados porque executaram o crime, mas são peças de xadrez. Quero saber quem mandou matar a minha irmã, quem foi o mandante", disse Márcia Acioli, 44, irmã da magistrada.

Publicado em: 13/09/2011