TCU: nota fria justifica uso de cartão da Presidência

 Uma despesa de R$ 206 mil paga com cartão corporativo usado pela Secretaria de Administração da Presidência da República foi justificada com notas frias de uma locadora de veículos de Ponta Porã, a 335 quilômetros de Campo Grande, no sul de Mato Grosso do Sul. A fraude foi constatada por auditores do Tribunal de Contas da União (TCU).

A despesa foi paga pela segurança da Presidência. Os nomes do funcionário que usou o cartão e da empresa contratada, assim como o período do gasto, estão sob sigilo e foram omitidos pelo relatório do TCU referente ao processo nº 7512/06-0. Sem esses dados, a assessoria de imprensa da Presidência da República informou que não poderia se pronunciar.

O gasto de R$ 206.640,07 foi justificado com 25 notas fiscais. A fraude foi descoberta após uma consulta à secretaria municipal de receita de Ponta Porã. As notas não tinham autorização para impressão de documento fiscal (AIDF), ou seja, foram emitidas sem conhecimento da autoridade fiscal. Diante do indício de irregularidade, o TCU enviou em 2006 uma equipe de auditores de sua Secretaria de Controle Externo a Ponta Porã. Na cidade, os analistas descobriram que o endereço era falso. Do Portal Terra.

Publicado em: 08/02/2008