Coluna da segunda-feira

Quem já pode encomendar a beca

Faltando menos de dois meses para as eleições de 15 de novembro é possível se constatar situações extremamente confortáveis para quem está no jogo bruto da política. Na Região Metropolitana do Recife, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), é um desses casos que já pode encomendar a beca da posse. Está sem adversários, voando em céu de brigadeiro.

Caruaru, no Agreste, depois dos grupos José Queiroz (PDT) e Tony Gel (MDB) virarem castelos de areia, com a desistência de ambos, que já governaram o município, a prefeita Raquel Lyra (PSDB) só não se reelege no primeiro turno se vier a ser atropelada por um fato que tenha relevância e seja assimilado como ojeriza pelo seu eleitorado cativo e exigente. Ficou igualmente extremamente bem posicionada, sem concorrentes.

Outro que pode encomendar também a roupa da posse é o prefeito Miguel Coelho (MDB), de Petrolina. Deve sair das urnas, aliás, como o mais votado no Estado. Seu principal adversário, o ex-prefeito Odacy Amorim (PT), deixou de há muito representar qualquer ameaça que atropele a reeleição do emedebista. O ex-prefeito Júlio Lossio (PSD), que representa o maior grupo de oposição, jogou o filho Julinho (PSD) na fogueira, depois de ver Lucas Ramos, seu candidato preferido, jogar a toalha, fritado pelo PSB e o Palácio.

Entrando para o Interior, em municípios acima de 40 mil habitantes, Afogados da Ingazeira, minha terra, também não tem eleição. Ali, quem poderia ir para o enfrentamento com Alessandro Palmeira (PSB), candidato apoiado pelo prefeito José Patriota, era o ex-prefeito Totonho Valadares (MDB), que acabou se compondo com o prefeito. Indicou um filho para vice. Só restou a candidatura do vereador Zé Negão, do Podemos, que não é nem nunca será páreo para a estrutura de Patriota.

Também no Pajeú, Itapetim, o berço imortal da poesia, se insere nesse universo sem disputa. O prefeito Adelmo Moura (PSB) vai ser reeleito pela quarta vez sem nenhuma ameaça. Tudo porque tem aprovação recorde não apenas da gestão atual, mas também das duas anteriores. É um dos melhores quadros técnicos e de gestão da atualidade. Ainda no Pajeú, em Carnaíba o prefeito Anchieta Patriota, também no terceiro mandato, é daqueles que nem precisam fazer campanha. Se ficar em casa, ainda assim será reeleito. Não tem adversário.

Há, também, casos inusitados, como dos municípios de Jupi, Alagoinha e Terezinha, no Agreste, cujos prefeitos vão à reeleição como candidatos únicos, sem adversários na oposição. Em Jupi, o prefeito Marcos Patriota, do DEM, não tem adversário nem na eleição proporcional. Ali, todas as nove cadeiras da Câmara são ocupadas por correligionários e os dezoito postulantes a vereador são aliados do prefeito. Um cenário dos sonhos para qualquer gestor.

Marcos Patriota avalia que a inexistência de opositores é fruto de boa gestão. “Nós trabalhamos em prol do povo e temos o reconhecimento até da oposição, que retirou a candidatura para que o trabalho que está sendo feito continue por mais quatro anos”, disse. Para quem não gosta da rinha política, Jupi deve deixar muitos políticos com uma pitadinha de inveja saudável.

Condições favoráveis – Há outros municípios com candidatos extremamente favoritos, mas sem poder ainda comemorar de véspera. Um desses casos é Zeca Cavalcanti, candidato do PTB em Arcoverde. Duas vezes prefeito, ex-deputado federal, responsável pela eleição da prefeita Madalena Britto (PSB), criatura que se rebelou contra o criador, Zeca abriu 20 pontos de diferença na pesquisa do Instituto Opinião frente aos seus dois adversários – Wellington Maciel (MDB) e Cibely Roas (Avante). Zeca, entretanto, já está enfrentando uma campanha baixa e agressiva. Ali, a temperatura tende a ficar um deserto do Saara.

Cotação alta – Outro potencial candidato a levantar o canudo na posse é Silvino Duarte, candidato do PTB em Garanhuns. Além de ter largado com 11 pontos de frente diante dos seus dois adversários, tem a seu favor o passado de excelente prefeito e ser apoiado por um gestor muito bem avaliado, o também trabalhista Izaias Régis, um dos prefeitos mais populares do Estado. Quem conhece a política municipal sabe que gestores em sintonia com a população têm amplas chances de reeleição, quando estão em disputa por um segundo mandato, ou de emplacar o sucessor, o que se aplica neste caso a Izaias.

Cenários – Há municípios, entretanto, que não se pode arriscar palpites, com eleições disputadíssimas: Paulista, Igarassu, Abreu e Lima, Salgueiro, Tabira, São Lourenço da Mata, Santa Cruz do Capibaribe e Taquaritinga do Norte. Em Serra Talhada, o prefeito Luciano Duque é um dos raros dos quadros petistas com chances de emplacar a sua candidata Márcia Conrado. O adversário mais competitivo era o ex-prefeito Carlos Evandro, que o elegeu, mas preferiu ficar de fora depois de uma intervenção cirúrgica no coração, indicando sua esposa Socorro Brito (Avante), que em sua gestão assumiu com bastante êxito a área social em seus dois mandatos. No Cabo, o prefeito Lula Cabral (PSB) tem tudo para emplacar o quarto mandato.

Toritama – Terra do jeans, Toritama também tem cenário favorável para reeleição do prefeito Edilson Tavares (MDB), que repete a sua chapa tendo na vice Romero Filho (PSDB), filho do prefeito Romero Leal, de Vertentes, também na disputa pela reeleição em céu de brigadeiro. Em Pesqueira, a liderança nas pesquisas é do Cacique Marquinhos, do Partido Republicanos. Já em Custódia e Sertânia, duas das principais cidades do Moxotó, é dada como certa a reeleição dos prefeitos Manuca (PSD) e Ângelo Ferreira (PSB), respectivamente. Em Tuparetama, Sertão do Pajeú, o prefeito Sávio Torres (PTB) é favorito a conquistar o seu quarto mandato.

CURTAS

INFERNO DE DANTE – Se depender de claridade nos logradouros públicos para ser reeleito, o prefeito de Paudalho, Marcelo Gouveia (PSD), está frito. Ninguém sabe o que ele faz, na verdade, do dinheiro arrecadado com a taxa de iluminação pública. A cidade está num breu total, mas parecendo com o Inferno de Dante. Nem as lâmpadas das principais áreas da cidade ele repõe. Se Paulo Marques estivesse vivo e ainda com o seu programa de grande ibope na radiofonia pernambucana, esse prefeito tinha presença cativa no quadro da carrocinha, que ridicularizava e expunha gestores relapsos, sem compromisso com a população.

NETINHO NA LIVE – A live de hoje deste blog será com o cantor baiano Ernesto de Souza Andrade Júnior, o Netinho, um dos precursores do axé music no País. Na pauta, a relação artística com o presidente Bolsonaro e o tratamento que a categoria recebe do Governo. Também sua carreira, os desafios do mercado musical hoje no Brasil, o cenário nacional e suas posições políticas, inclusive um movimento que lidera em favor de adeptos do Governo Bolsonaro. Será às 19 horas pelo Instagram. Se você ainda não segue o Instagram do blog, anote aí o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Mais uma segunda, a mesma perguntinha: a quem Polícia Federal vai dar bom dia esta semana?

Publicado em: 20/09/2020