Caudilhismo sertanejo

Por Marlos Porto*

A propósito do anúncio feito aqui em Arcoverde, de que o candidato escolhido pela prefeita é o empresário Wellington Maciel, lembrei que João do Skate, do PRTB municipal, afirmou ontem em uma rede social que "em política, quem toma decisão é a maioria, não 2 ou 3 gatos pingados".

Postei um comentário a respeito, concordando com a afirmação do líder partidário e tecendo algumas considerações sobre esse processo de escolha de sucessores tão viciado e que já deveria ter sido superado.

Não fazia ideia que haveria esse anúncio, com tanta pompa (fogos, aglomeração, etc.) e em circunstâncias tão inadequadas, pelo grave momento que vivemos em decorrência da pandemia - em suma, de forma tão atabalhoada, como bem classificou o arguto jornalista Magno Martins em seu atualizado, moderno e prestigiado blog.

Considero oportuno aqui transcrever o comentário que fiz: "Caro João Do Skate, acho correta e apropriada sua afirmação. Triste que em Arcoverde, desde 2004, só ganham os escolhidos pelo(a) prefeito(a), cujo prestígio é posto na briga em favor do seu sucessor.

Rosa foi a última a representar uma ruptura de hegemonia de um grupo, uma virada no comando da prefeitura, ocorrida na campanha de 1996. Presenciei aquela campanha e o sentimento de mudança era muito forte. A oxigenação da política e a alternância de poder é muito saudável para a democracia.

Observou-se, porém, que não apenas deixou de haver alternância de grupos desde então, mas que tanto Rosa Barros quanto Zeca Cavalcanti se decepcionaram com seus respectivos sucessores. Ou seja, tais escolhas não foram, certamente, as mais apropriadas.

Joga-se o peso da prefeitura numa sucessão, o que é indevido. Prefeito não é para estar em palanque de A, B ou C. É para governar para todos e não utilizar a máquina a favor desse ou daquele candidato. Só assim poderá ter uma postura moral irretocável.

A tradição de nossa política, porém, é que o prefeito se veja na obrigação de defender um determinado nome como sucessor, para assim defender a sua gestão de críticas, defender o seu legado. Considero esse um equívoco prático das democracias em geral.

Ora, a defesa de sua gestão será a própria qualidade da gestão, o trabalho deixado tem ou não valor e isso por aí só basta para a defesa desse mesmo trabalho.

Para ser honesto no seu discurso, todo candidato que adota essa prática de trabalhar pela eleição do sucessor deveria colocar esse item no seu projeto de governo - o que não acontece e que, se ocorresse, não deixaria de ser ridículo. Isso porque ser um bom gestor nada tem a ver com eleger o seu sucessor.

Assim, depois de eleito o sucessor, este lhe volta as costas, os antigos aliados brigam e se dividem em grupos rivais... Mas se o eleitor prestar atenção, estavam todos juntos, Zeca e Madalena, em 2004, em 2006, em 2008, em 2010, em 2012 e mesmo em 2014 (tirando o fato de que nesse ano divergiram nos apoios a candidatos a governador e presidente).

Assim que, voltando ao início, concordo que a maioria é que decide e essa prática de se julgar tão poderoso(a) a ponto de eleger seu sucessor é uma ilusão que, às vezes pode fazer o governante cair do cavalo. Abraço!"

Pois bem. Não sou filiado ao PSB e não tenho intenção de meter a colher onde não sou chamado, mas tomo a liberdade de dizer, como cidadão, que seria muito bonito se em Arcoverde o candidato apoiado pela prefeita fosse escolhido por meio de prévias partidárias. Seria um sinal de grande maturidade política em nosso município. E penso que o candidato que ganharia as prévias seria o combativo João Justino ou, quem sabe, a experiente vereadora Célia Cardoso.

Enfim, da forma que foi feito, ganhou o caudilhismo. Triste que tanta gente qualificada se cale. Hora de o eleitor arcoverdense refletir e ver se não é hora de buscar alternativas mais consentâneas com as aspirações dos mais variados segmentos sociais, em vez de sucumbir aos ditames arcaicos da elite econômica e política da terra do Cardeal.

*Funcionário público e membro do partido Cidadania em Arcoverde.

Publicado em: 04/07/2020