A Veja passou batida

Acabei de ver a edição on-line de Veja com destaque de capa para a fase paz e amor instalada pelo presidente Bolsonaro. A revista vai fundo na tentativa de explicar o que levou o chefe da Nação, até então adepto do bateu, levou, para mudar seu comportamento. Só passou batido num detalhe fundamental: quem remove o estilo pavio curto do presidente, pacientemente, como maior bombeiro desta República depois de Marco Maciel, é o ex-presidente Michel Temer.

Só quem percebeu isso até agora foi o competente jornalista Tales Faria, do UOL, em Brasília. Segundo apurou Tales, foi Temer que convenceu Bolsonaro a demitir o ex-ministro Weintraub, da Educação. E esse namoro de Bolsonaro com Temer começou, mas a Veja ignorou, na live do ex-presidente ao meu blog, quando quis saber dele se aceitaria integrar um Conselho de Notáveis no Governo.

Temer respondeu que sim e que se sentiria honrado. Imediatamente, interlocutores de Bolsonaro entraram em campo e conseguiram reaproximar Temer do presidente. Já trocaram vários telefonemas. Temer só não bate ainda o ponto na assessoria especial de Bolsonaro para o habitual cafezinho quente palaciano por causa da quarentena.

Pelo visto, a Veja apurou mal a reportagem de capa.

Publicado em: 04/07/2020