Cientista maluco-beleza descobriu o VĂ­rus do Bem

Por Jose Adalbertovsky Ribeiro*

MONTANHAS DA JAQUEIRA – O tempo voa. O tempo é um passarinho. Estamos no ano 2050 depois de Cristo e depois da Covid-19. Um cientista maluco-beleza morava numa ilha deserta no Oceano Transatlântico Pacífico. Em sua caverna, ao navegar a bordo da namorada, aliás, a bordo de um cérebro eletrônico, subitamente, não mais que subitamente, sentiu um estalo no cérebro, à moda do “Estalo de Vieira”.

Eureka! O bicho descobriu o vírus do Bem e da Felicidade, Paz e Amor!  Eis o novo Coronavirus-50. Com seu olhar de raio-X, o cientista maluco-beleza desvendou o código genético do micróbio. Assim decretou: Haverei de transmiti-lo aos gregos e troianos, pernambucanos, sicranos, paraibanos, baianos, beltranos, maometanos, americanos, agregados marianos, fulanos de tal.

O cientista maluco-beleza tinha uma namorada, por sinal muito popozuda e saborosa. O nome dela era Jessica, aliás era Jennifer. Ele cruzou com a namorada, cientificamente, cromossomo com cromossomo, XX mais XY, para inocular o vírus Sars-Cov-2050. Nasceram filhotinhos Paz e Amor, os Covidinhos do bem.

O bilionário George Soros mandou um Zap. Propôs que o Vírus do Bem adotasse o ideário do globalismo de esquerda, sob a bênção do Papa. Os conservadores capitalistas seriam excluídos da contaminação. A fabricação do Vírus da Felicidade, segundo Soros, dependeria da aprovação da Organização Municipal de Saúde e apoio do Império Comunista Chinês. O cientista maluco-beleza ficou com uma pulga atrás da orelha.

Os caboclos mamadores, prefeitos, governadores e empresários vivaldinos disseram que o cientista maluco-beleza tava doidão, pois a verdadeira felicidade é respirar com ajuda de respiradores superfaturados da Covid-19 sem licitação. E haja pandemia de corrupção!

A Tv dos Glóbulos vermelhos terroristas anunciou que o Vírus do Bem Coronavirus-50 será transmitido nas ondas politicamente corretas através das surubas, orgias e aulas de patifarias das novelas e do programa Big Coliforme Brasil. Plim!  O cientista maluco-beleza decretou que a transmissão do Vírus do Bem seria feita através de beijos e abraços e confraternizações.

Um juiz supremacista havia decidido, monocraticamente, que todos os habitantes do planeta seriam proibidos de compartilhar o Vírus da Felicidade, porque o Caput do Inciso do artigo da lei prevê que este é um privilégio exclusive dos semideuses terrestres. O bicho maluco-beleza revogou a sentença, no peito e na raça.

*Jornalista

Publicado em: 08/06/2020