Uchoa e a imprensa

O Facebook nos acorda todos os dias com recordações que o tempo, voando de Boeing, não é capaz de passar a borracha. Hoje, trouxe esta imagem do lançamento do meu último livro, Histórias de Repórter, ao lado do meu fraterno amigo Luiz Piauhylino e do ex-deputado Guilherme Uchoa, já falecido.

Uchoa é um caso que merece estudo. Juiz, abandonou o direito de sentenciar em troca da política partidária, apaixonado pela vida pública em busca do poder. Quando o conseguiu, se eternizou. Foi o mais longínquo presidente de um Legislativo na história recente do País: seis mandatos, numa Assembleia em que o regime proibia reeleição.

Apreciador de um bom uísque, boêmio e amigo dos amigos, Uchoa se converteu num coronel do asfalto. Aos inimigos, a lei. Nunca temeu pauleira de jornalista. Corajoso, deixou como referência das suas passagens pela presidência da Casa as modernas instalações do Legislativo pernambucano, antes um velho sobrado histórico na Rua da Aurora.

Da minha caneta, sofreu duras críticas. Ficou sem falar comigo um bom pedaço da sua história parlamentar, intriga acentuada depois da eleição de Eduardo Campos para o Governo do Estado. Mas o respeitava e admirava sua forma de enfrentar os contratempos com a mídia. O da construção da nova Assembleia, num tempo em que gastar era verbo proibitivo, acabou metralhado, mas resistiu até o fim e hoje suas modernas instalações orgulham Pernambuco.

Uchoa foi contaminado pelo DNA perseguidor de Eduardo. Era de ligar e de mandar recados desaforados, mas tinha, em alguns momentos, a grandeza de compreender o meu papel. Seu filho Uchoa Júnior, hoje deputado e herdeiro político, confessou, recentemente, que minha coluna era a primeira e obrigatória leitura do pai saudoso. "Ele foi forçado a navegar na internet com o advento do seu blog", disse Júnior.

Uchoa morreu de bem com a vida e comigo, particularmente. Relação de jornalista com político é sempre pautada pela gangorra dos altos e baixos. Quando uma nota enche o seu ego, vira anjo. Do contrário, quando arranha a imagem, se converte num diabinho.

Publicado em: 31/05/2020