Coluna da terça-feira

Longo: “A cura existe sim”

Na semana passada, o Governo de Pernambuco anunciou as três primeiras curas de pacientes pelo Covid-19, o vírus da morte que atende pelo nome de peste corona. Só não explicou como se deu o fim da enfermidade, se aplicando o Cloroquina, medicamento utilizado no tratamento da malária, que teve alguns resultados importantes contra o coronavírus. O primeiro caso de cura é o de uma idosa de 66 anos. Ela e o marido, de 71 anos, tiveram os dois primeiros testes confirmados no Estado.

"A mulher com cura clínica está internada, mas já tem condições de alta. O esposo dela e os outros oito pacientes estão internados. Três estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas estão todos estáveis”, declarou o secretário de Saúde do estado, André Longo. Procurei, ontem, o próprio Longo para me tirar essa dúvida: se não há cura ainda, como o Estado curou? O remédio ainda não é um atestado oficial, mesmo com bons indicativos de completo sucesso em estudos avançados.

Diz o secretário: “Não há remédios específicos para a doença, mas há cura sim.  Na grande maioria dos casos, as pessoas se recuperam completamente após 14 dias e isso se chama cura clínica. Registramos os primeiros casos de cura em Pernambuco após 15 dias de doença dos referidos pacientes”. Se entendi, o vírus tem vários níveis de agressão, tendo os dois referidos pacientes curados numa escala de baixo risco.

As duas outras pessoas curadas são uma adolescente de 16 anos, que foi diagnosticada com a Covid-19 após retornar de uma viajem aos Estados Unidos, e uma mulher de 30 anos que não tinha histórico de viagem anterior. Ambas estavam em isolamento domiciliar. As curas em Pernambuco, portanto, não se deram testando o medicamento hidroxicloroquina.  Há uma boa notícia de que o presidente americano Donald Trump solicitou aos reguladores de saúde para acelerar a aprovação de terapias potenciais para tratar a Covid-19. 

O mandatário informou que dois medicamentos estão sendo avaliados, a hidroxicloroquina e o Remdesivir, para o tratamento do novo vírus. De acordo com o presidente, o remédio poderá ser aprovado em breve pelo órgão regulador de medicamentos dos EUA, o Food and Drugs Administration (FDA). A droga hidroxicloroquina já é utilizada no tratamento da malária. E se isso prosperar, junto com uma vacina, também em estudos bem avançados, o mundo estará, finalmente, livre do mal do século.

Mais proibições – O Estado determinou, ontem, que estão proibidas reuniões com mais de 10 pessoas e transporte de passageiros via mototáxi como medidas conter o avanço do novo coronavírus no Estado. O anúncio foi feito pelo próprio governador Paulo Câmara (PSB), através de um pronunciamento em vídeo divulgado na internet. "A melhor estratégia no combate à disseminação do vírus, neste momento, é o isolamento social. Por isso, estamos editando um novo decreto hoje com proibição de reuniões e aglomerações de mais de 10 pessoas e do transporte de passageiros via mototáxi", afirmou.

Sessões online – Por causa da pandemia da Covid-19, a Câmara Municipal do Recife adota, a partir de hoje, um sistema de debates e votação à distância. Os vereadores decidirão sobre as matérias em discussão de suas casas, por meio do Sistema de Deliberação Remota (SDR). As discussão e votações virtuais na Câmara Municipal fazem parte de novas medidas para minimizar o avanço do novo coronavírus. Também foi anunciado que todos os gabinetes da Câmara Municipal estarão fechados e que apenas os departamentos essenciais funcionarão com regime de rodízio entre os servidores. Os demais funcionários trabalharão de suas residências.

Água em Noronha – O rodízio para abastecimento de água em Fernando de Noronha foi reduzido em 24 horas, a partir de ontem. Segundo a Compesa, a medida tem o objetivo de combater a pandemia do novo coronavírus no Estado. A Compesa deu início a manobras operacionais no sistema que permitem a redução do rodízio de abastecimento. Com essa mudança, os moradores recebem água um dia para cada cinco racionados. O uso de água no arquipélago diminuiu desde que as atividades turísticas foram suspensas e trabalhadores temporários deixaram Noronha.

Caos em Paulista – Na pior crise de saúde do País, o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), deu um péssimo exemplo: ao invés de estar à frente de decisões que possam minimizar os efeitos do coronavírus no município, se recolheu à sua fazenda em Sairé, no Agreste, com a esposa, a secretária de Saúde, Fabiana Bernart, passando à gestão, extraoficialmente, ao secretário de Governo, Francisco Padilha, que é o seu candidato em potencial a prefeito. Se a crise é na saúde, ele deveria pelo menos ter deixado a secretária no batente, já que Padilha atua mais perdido do cego em tiroteio.

CURTAS

GOELA-ABAIXO – A prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PTB), está refém do coronavírus em sua casa, cuida apenas nas medidas emergenciais, mas esqueceu de acelerar a escolha do seu candidato a prefeito, o que levou a cúpula do PSB e o Palácio a fechar um acordo com o PP, à sua revelia, em apoio à candidatura do delegado Israel Rubis. O engraçado disso tudo é que o delegado foi protagonista de um episódio que levou à população às ruas pedindo à sua manutenção no cargo, depois dele investigar denúncias envolvendo a Câmara de Vereadores e aliados da prefeita. O delegado chegou a ser transferido para Vitória de Santo Antão, mas voltou ao município, se filiou ao PP e é candidato à sucessão de Madalena.

VAI ANDAR – A Justiça do Rio decidiu, ontem, que o senador Flávio Bolsonaro continue a ser investigado pelo Ministério Público estadual por crimes que teria praticado durante o seu mandato como deputado estadual. A advogada Luciana Pires, que defende o senador, disse que não irá se manifestar sobre a decisão. De acordo com o Ministério Público estadual, o senador é investigado por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa, em um suposto esquema de "rachadinhas" – no qual funcionários do então deputado devolveriam parte do salário pago por ele quando era deputado estadual, na Assembleia Legislativa (Alerj).

RISCO NA CÂMARA – Ontem, no mesmo dia em que revelamos neste espaço que os servidores dos gabinetes dos deputados federais estavam em pânico porque continuavam a dar expediente, duas servidoras no segundo andar do Anexo 4 foram levadas ao hospital com sintomas do coronavírus. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já determinou o completo isolamento dos servidores nesses gabinetes mediante um rodízio semanal com a presença de apenas uma pessoa por gabinete.

Perguntar não ofende: Quais as notícias mais recentes sobre os testes da vacina para cura do coronavírus?

Publicado em: 23/03/2020