Coluna da terça-feira

Janaina também é golpista?

Alguns leitores desavisados reagiram, ontem, ao texto contundente que postei, logo cedo, pregando o afastamento imediato do presidente Jair Bolsonaro pelo comportamento insano dele na manifestação de domingo passado, em Brasília, quando descumpriu, de forma irresponsável, as regras básicas de prevenção do coronavírus recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Não sou golpista, longe disso. Mas o presidente foi de uma insensatez sem limites.

Na mesma linha, ontem mesmo, a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) afirmou em discurso na Assembleia Legislativa daquele Estado que o presidente deve ser afastado de suas funções após ter endossado e participado das manifestações realizadas em Brasília. Janaina classificou a decisão de Bolsonaro de confraternizar com apoiadores em frente ao Palácio do Planalto como um “crime contra a saúde pública” em meio à pandemia do coronavírus.

O presidente havia recebido a recomendação para ficar isolado até realizar um novo teste para o coronavírus. Ele teve a rotina alterada desde que integrantes de sua comitiva na viagem aos Estados Unidos, na última semana, foram diagnosticados com a doença. “Quando as autoridades têm o poder e o dever de tomar providências para evitar um resultado danoso, e assim não procedem, elas respondem por esse resultado. Isso é homicídio doloso”, disse a parlamentar.

Conforme abordei, para Janaína, o que o presidente cometeu foi um crime contra a saúde pública. “Ele desrespeitou a ordem do seu ministro da Saúde”, afirmou. Ela pediu para o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), assumir a chefia do Executivo Federal. “Esse senhor tem que sair da Presidência da República. Deixa o Mourão, que entende de defesa. Nosso País está entrando numa guerra contra um inimigo invisível. Deixa o Mourão que é treinado para a defesa conduzir a nação”, pregou.

E acrescentou: “Não tem mais justificativa. Como um homem que está possivelmente infectado vai para o meio da multidão? Como um homem que faz uma live na quinta e diz pra não ter protestos vai participar desses mesmos protestos e mandam as deputadas que são paus mandados dele chamar o povo para a rua”.

Como muitos brasileiros a esta altura do campeonato se arrependeram do voto, Janaina também. “Eu me arrependi do meu voto. Que país é esse? Como esse homem vai lá, potencialmente contaminando as pessoas, pegando nas mãos e beijando? Ele está brincando? Ele acha que ele pode tudo? As autoridades têm que se unir e pedir para ele se afastar. Nós não temos tempo para um processo de impeachment. Estamos sendo invadidos por um inimigo invisível e precisamos de pessoas capazes e competentes para conduzir a nação. Quero crer que o Mourão possa fazer esse trabalho por nós”, declarou.

Na mesma linha – Do jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog, na mesma linha do que escrevi ontem: “Já observei que fazia sentido a resposta discreta que os Poderes Legislativo e Judiciário vinham dando a Jair Bolsonaro, deixando que o presidente, digamos, falasse sozinho. É claro que as coisas mudaram de patamar. E é preciso que a palavra “impeachment” comece a frequentar o vocabulário de deputados e senadores. Os senhores parlamentares têm de ter claro que estão a lidar com um agente provocador, de mentalidade golpista, disposto a investir no impasse. Então é necessário que as medidas políticas de defesa da democracia e do estado de direito comecem a ser debatidas”. Bolsonaro já cometeu uma penca de crimes de responsabilidade. Neste domingo, mais alguns, como já demonstrei. Também há os crimes comuns”.

O alambrado – Reinaldo Azevedo foi mais além: “Depois deste domingo, creiam, mais gente vai falar sobre o impeachment no Congresso por dois motivos conjunturais, entre muitos outros fundamentais: ficou claro que Bolsonaro não tem limites, aposta no impasse e não tem receio de atentar contra a segurança dos brasileiros em nome de seus interesses e de suas convicções. Seu apoio de rua se resume, agora, aos aloprados francamente golpistas, que não acreditam nem em coronavírus. Será assim tão distante falar do impeachment? Acreditem: não mais! Como diria o velho Leonel Brizola, Bolsonaro começou a costear o alambrado.

Patrono – O filósofo e educador Paulo Freire virou Patrono da Educação de Pernambuco. A lei, originada de um projeto do deputado Professor Paulo Dutra (PSB), foi sancionada pelo governador Paulo Câmara, num ato que contou com a presença do parlamentar e do secretário de Educação e Esportes, Fred Amâncio. Vice-presidente da comissão de educação e cultura da ALEPE, o Professor Paulo Dutra comemorou a sanção da lei fazendo uma reflexão sobre a educação. “Acreditamos na importância de Paulo Freire frente ao atual cenário da educação nacional, que carece de mais cuidado e atenção. No nosso Estado, temos o orgulho de ter uma educação que funciona e tem evoluído cada vez mais”.

Liberação – O Ministério da Economia anunciou, ontem, novas medidas para reduzir os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. Segundo o governo, serão empregados R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais para socorrer setores da economia e grupos de cidadãos mais vulneráveis, além de evitar a alta do desemprego. Desse valor, R$ 83,4 bilhões devem ser destinados à população mais pobre e/ou mais idosa. A ideia é que esses valores sejam injetados na economia nos próximos três meses. A lista inclui medidas que já foram anunciadas desde a última sexta-feira, entre elas antecipar a primeira parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para abril – liberação de R$ 23 bilhões.

CURTAS

NAS ACADEMIAS – A Prefeitura do Recife anunciou mais 12 medidas de prevenção, ontem, contra o coronavírus, entre as quais a suspensão do funcionamento das 19 Academias Recife e das 42 Academias da Cidade, para evitar o contágio. “Estamos criando um aplicativo para que as pessoas não interrompam seus exercícios diários e possam, a cada dia, baixar exercícios com níveis diferentes e façam aulas em casa, orientados por professores das academias municipais”, afirmou o prefeito. A decisão afeta, ainda, as bibliotecas públicas de Afogados, na Zona Oeste, e Casa Amarela, na Zona Norte, que passam a funcionar exclusivamente para o empréstimo de livros.

ÁGUA É AMEAÇA – O aumento no número de confirmações em Pernambuco de casos da Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus, tem preocupado moradores de áreas do Grande Recife em que há racionamento de água. Eles questionam como é possível reforçar hábitos de higiene diante das torneiras vazias. O professor Evandro Ferreira mora em um condomínio localizado na rodovia PE-22, no bairro de Maranguape, em Paulista. Segundo ele, os problemas com abastecimento são recorrentes na área, mas as torneiras estão sem água há cerca de quatro meses.

AULAS – As prefeituras de Paulista e de Igarassu, no Grande Recife, também anunciaram a suspensão das aulas nas redes municipais de ensino, por causa da pandemia de coronavírus. Em Paulista, a medida entra em vigor a partir de hoje e, em Igarassu, amanhã. De acordo com a Prefeitura de Paulista, a medida tem validade por tempo indeterminado e, por causa disso, kits de alimentação serão distribuídos semanalmente às famílias dos alunos, para garantir a alimentação dos estudantes.

Perguntar não ofende: Quando Bolsonaro vai chamar os governadores para um plano em conjunto de prevenção ao coronavírus?

Publicado em: 16/03/2020