Coluna da sexta-feira

Lula não quis afrontar Humberto

Não se pode levar a sério e ao pé da letra a declaração do ex-presidente Lula, ontem, em Brasília, informando que no Recife o projeto majoritário também é de candidatura própria, dependendo, no entanto, da boa vontade do diretório municipal. Na verdade, Lula não foi mais enfático em relação à candidatura de Marília Arraes para não provocar a ira do senador Humberto Costa, que é contra.

Uma fonte do diretório nacional do PT disse ao blog que ainda não é o momento do ex-presidente se expor, gerar atritos e abrir o jogo, já que o prazo para definição da situação ficou acertado para abril na reunião que ocorreu em São Paulo, entre a executiva nacional e os representantes do diretório petista no Recife. Ele não quer contrariar a corrente liderada por Humberto.

Mas o próprio Humberto já está convencido de que a candidatura de Marília é irreversível, assunto resolvido dentro do diretório nacional, a começar pelo entusiasmo da presidente Gleisi Hoffman, com quem Marília tem falado com frequência desde em que recebeu dela própria, no encontro de São Paulo, que desta vez o partido não a deixaria no sereno, levando sol e chuva.

Em tese, também, não é o que se justifique mais um veto à Marília, que não disputou o Governo do Estado em 2018, com chances de vitória, porque o que se priorizou foi a salvação do mandato de Humberto, que passava por uma composição com o PSB, que também salvou a reeleição do governador Paulo Câmara.

O que eles podem alegar agora para queimar Marília? Nada e é bom ressaltar que a pré-candidata não é mais uma simples vereadora do Recife, mas agora revestida de deputada federal, a segunda mais votada no Estado em 2018, abaixo apenas do deputado e principal adversário na corrida pelo Recife, João Campos (PSB).

Segurança garantida – A segurança do carnaval do Ceará, que vive momentos de tensão e horror devido à greve dos policiais militares, está garantida e será feita pela Força Nacional. O presidente Jair Bolsonaro, a pedido do governador Camilo Santana (PT), assegurou a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), pondo o Exército nas ruas de Fortaleza, a capital, e no Interior. O ministro Luiz Eduardo Ramos comunicou o fato ao governador, que, por sua vez, fez um comunicado nas redes sociais. Além disso, a Força Nacional já atua em território cearense desde o episódio em que Fortaleza se viu dominada pelo crime organizado, há um ano.

Ciro detona Bolsonaro – Do ex-ministro Ciro Gomes, ontem, ao falar sobre o episódio em que o irmão Cid levou dois tiros: “Isso não está isolado do que está acontecendo no Brasil. Nós temos um momento de destruição do Estado Democrático de Direito no Brasil, liderado por um presidente boçal, canalha, de uma família de canalhas. Porque se algum policial atirou, apertou o gatilho, ele não faria isso se não fosse esse clima de absoluto desrespeito às regras da convivência democrática, que é absolutamente claramente estimulada pelo presidente da República e sua família de canalhas, e ele, Jair Bolsonaro, o maior canalha de todos”.

Risco de descontrole – Uma parte do Governo está vendo com um olhar de preocupação o motim de policiais militares no Ceará. Primeiro, porque essa situação afeta o governo federal de diversas maneiras. E uma delas decorre do fato de o Ministério da Justiça ter puxado o combate à criminalidade para o colo da administração federal. Logo, um evento infeliz e alarmante como o ocorrido com o senador Cid Gomes (PDT-CE) e a situação preocupante no Ceará repercutem no governo federal. De um ponto de vista objetivo, porque a Força de Segurança Nacional foi enviada para o Estado pela segunda vez no intervalo de um ano.

Mendonça une mais – Ao contrário do que noticiamos aqui, há dois dias, é mais fácil o pré-candidato do Cidadania, Daniel Coelho, jogar a toalha e apoiar a candidatura de Mendonça Filho, pelo DEM. Pesquisas internas e as já divulgadas no Recife apontam que Mendonça têm mais potencial eleitoral para enfrentar o rolo compressor do Palácio, em torno da candidatura de João Campos. Além disso, Daniel, apesar de vir fazendo um bom mandato federal, agregaria menos do que Mendonça. Há, ainda, o fator Patrícia Domingos, do Podemos, que será chamada para o entendimento em torno de candidatura única na oposição.

CURTAS

MARCOLA NO DF – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou, ontem, um pedido do Governo do Distrito Federal para que a Corte determinasse a transferência de chefes de facção criminosa da Penitenciária Federal de Brasília. Entre eles, o traficante Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, condenado a 330 anos de prisão por diversos crimes. O argumento central da ação apresentada pelo governo local é de aumento de risco à integridade de autoridades dos três poderes, como ministros de Estado, parlamentares, ministros de tribunais superiores, além de representações estrangeiras.

VANDALISMO – A decoração do carnaval no Recife foi alvo de novo ato de vandalismo, desta feita na Ponte Maurício de Nassau, que liga o Bairro do Recife a Santo Antônio, na região central. A Guarda Municipal recebeu um chamado para evitar a depredação, a terceira em menos de uma semana. A Fundação de Cultura prestou queixa à Polícia Civil. Em nota a corporação explicou que o ato é considerado crime, conforme está previsto no artigo 163 do Código Penal Brasileiro. Caso o vandalismo seja praticado contra o patrimônio público, a pena é de seis meses a três anos de detenção.

AOS LEITORES – No Carnaval, que começa, oficialmente, hoje, este blog e o Frente a Frente, que apresento pela Rede Nordeste de Rádio, ficam sem atualização e programas novos. A coluna, portanto, só volta na quinta-feira pós folia e o Frente a Frente na quarta-feira de cinzas. Aos nossos leitores e ouvintes, um bom carnaval. Aproveito a paradinha para repor as energias para enfrentar um ano eleitoral, de muito trabalho.

Perguntar não ofende: Carnaval dá resultado político e eleitoral para quem aproveita?

Publicado em: 21/02/2020