Ciro: os Bolsonaro são “canalhas” e permitiram que milícias controlassem o Rio

Por ISTOÉ

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) respondeu ontem as críticas do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) contra o senador licenciado Cid Gomes, irmão de Ciro. Pelo Twitter, Eduardo havia dito que o senador não teve “o mínimo de inteligência” para lidar com os policiais grevistas do Ceará.

“Deputado Eduardo Bolsonaro, será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro”, rebateu Ciro, também por meio do Twitter.

A resposta de Ciro faz referência à relação do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), irmão mais velho de Eduardo, com o miliciano e ex-policial Adriano Magalhães da Nóbrega, morto no último dia 9 na Bahia.

Em 2005, Flávio propôs que Nóbrega recebesse a Medalha Tiradentes, mais alta honraria do Legislativo fluminense. À época, o miliciano estava preso por suspeita de homicídio.

Cid Gomes foi baleado

Na tarde de quarta-feira (19), o irmão de Ciro foi atingido por um disparo na cidade de Sobral, no interior do Ceará. Um vídeo mostra o momento em que Gomes, dirigindo um trator, avança sobre um portão de um quartel da Polícia Militar; do outro lado estavam pessoas mascaradas, de onde vem o disparo.

O Hospital do Coração de Sobral, onde o senador foi internado, informou que Cid foi vítima de ferimento por arma de fogo em região torácica. Ele apresenta boa evolução clínica, estando “lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos”.

Publicado em: 20/02/2020