Porteira escancarada no STJ; cinco soltos só nesta quinta

Por Heron Cid

Dois meses de Calvário chegam ao fim para presos da Operação que vem sacudindo a Paraíba. A decisão da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao apreciar habbeas corpus do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), criou o que os juristas convencionaram chamar de efeito extensivo.

Todos os demais investigados e presos preventivamente entraram com recursos junto a relatora Laurita Vaz, ministra do STJ.

Como não poderia deixar de ser, ela tem que fazer valer para todos o que vale para Coutinho, acusado de liderar esquema de desvios de recursos da saúde e educação paraibana.

De terça-feira, data do julgamento, para cá, a Justiça já mandou soltar Bruno Miguel Avelar Pereira, Márcio Vignoli, Hilário Ananias, Vladmir Neiva e Coriolano Coutinho, irmão de Ricardo.

O julgamento da Sexta Turma abriu as celas da Penitenciária Média de Mangabeira

Publicado em: 20/02/2020