Marina chama Bolsonaro de "desprezível" e "machista"

Do Último Segundo

A ex-ministra do Meio Ambiente durante o governo Lula, Marina Silva (Rede), afirmou que Jair Bolsonaro "insiste em se comportar de maneira abjeta, desprezível e completamente incompatível com a função que ocupa", após o presidente ter insinuado, ontem, que a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de S. Paulo , teria trocado informações por sexo. 

Marina Silva publicou no Twitter a crítica à insinuação de Bolsonaro. "Tem gente que aplaude esse tipo de baixaria machista", disse a ex-ministra sobre a fala do presidente. O mandatário afirmou que a jornalista "queria dar o furo a qualquer preço contra mim".

A declaração de Bolsonaro se refere a um depoimento Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, que afirmou durante a CPMI das Fake News que a repórter "queria sair" com ele em troca de informações para uma reportagem. A jornalista, no entanto, comprovou que o depoimento é falso. 

Sobre o caso e a fala do presidente, Marina Silva afirmou que "sobra desrespeito e falta civilidade".

Publicado em: 19/02/2020