Um Fagner que poucos conhecem

Mergulhar na biografia do cantor Raimundo Fagner, o cearense que se projetou mundialmente pelo canto do seu canto, é descobrir um homem extremamente dedicado ao bem cuidar das pessoas, zelador de grandes amizades, brincalhão, sempre de bem com a vida, mas extremamente perfeccionista.

Inquieto, amoroso, apaixonado por futebol, amigo da geração ouro do escrete canarinho da década de 70, como Pelé, Zico, Rivelino e tantos outros. Fagner abriu um campo de futebol, uma areninha, na Fundação que leva  seu nome em Fortaleza. Na pelada de inauguração, quase todo os campeões da seleção brasileira de 70 bateram o ponto lá.

Todos os nomes aparecem  registrados na placa oficial que conferi na visita à instituição. Fagner é um encanto de pessoa e a leitura do seu livro, além de  prazerosa, é uma redescoberta da vida dele, da sua musicalidade e do seu jeito mansinho, feito mineiro, de conquistar novos amigos, entre os quais ele me inclui, para honra deste pobre plebeu.

Publicado em: 16/02/2020