Coronavírus: 1700 profissionais de saúde contaminados na China

Presidente chinês prometeu fortalecer o sistema de saúde. A partir de agora, todos que chegarem a Pequim vão ter que se isolar por 14 dias.

Por TV Globo 

O governo chinês anunciou que o novo coronavírus contaminou mais de 1,7 mil profissionais de saúde que cuidavam dos doentes.

O novo coronavírus não dá margem para erro. Mas quem cuida dos outros também se descuida. O governo chinês sabe que o trabalho de médicos e enfermeiros é extremamente pesado. Eles não param; têm horas limitadas de descanso e pressão psicológica grande.

Quase 90% dos 1.716 profissionais de saúde infectados estão na província onde a doença surgiu. Em toda a China, seis desses trabalhadores morreram, incluindo o médico que tentou alertar sobre o perigo do novo coronavírus, em dezembro, mas foi reprimido pela polícia.

Os hospitais são ambientes de muito espirro, muita tosse, muita pressa, mas de pouca proteção. A China declarou que faltam equipamentos.

O presidente chinês assumiu ontem que “o novo coronavírus expôs fraquezas”. Xi Jinping prometeu fortalecer o sistema de saúde. A partir de agora, todo mundo que chegar a Pequim vai ter que se isolar por 14 dias. O governo disse que, quem se recusar, vai ser punido. Mas não deu mais detalhes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) se comprometeu a identificar os gargalos na distribuição de kits médicos. Onde há pacientes, todo cuidado é pouco. A OMS declarou que o cruzeiro de bandeira britânica de quarentena no Japão é o único lugar fora da China onde a doença se espalha rapidamente.

No último balanço, a OMS contava mais 1.380 mortos, na China. O número total de infectados passa de 64 mil. Desses, quase 7 mil já foram curados.

É o caso de seis chineses de Xangai que deixaram a quarentena, mas fizeram questão de voltar para o hospital. Eles doaram o sangue para ajudar nas pesquisas contra o coronavírus.

Cientistas chineses descobriram no plasma sanguíneo anticorpos que poderiam gerar uma vacina e atacar onde o vírus se descuida.

Autoridades do Egito confirmaram, ontem, o primeiro caso do novo coronavírus no país. É, também, o primeiro de todo o continente africano.

Publicado em: 15/02/2020