Coluna da quarta-feira

Patrícia pode ser o fato novo

A sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), está pintando para ter um fato novo. Os pré-candidatos que se apresentam já são velhas caras conhecidas da política pernambucana. Embora jovens, os deputados João Campos e Marília Arraes, respectivamente do PSB e PT, nunca disputaram uma eleição majoritária, mas se apresentam amparados por velhas estruturas.

O novo ainda está por vir e atende pelo nome de Patrícia Domingos, que dirigiu a Decasp – Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos, extinta em novembro de 2018 pelo governador Paulo Câmara (PSB) quando ia fisgar peixes graúdos da política. Coordenou 15 operações, que culminaram na prisão de 49 gestores públicos e empresários, R$ 3 milhões em espécie apreendidos e R$ 10 milhões em bens bloqueados.

Só não foi à frente porque, inexplicavelmente, a Delegacia foi rifada do mapa e a Patrícia não restou outra alternativa a não ser a de requerer uma licença prêmio, não sabendo ainda onde atuar quando esgotar o prazo de seis meses. Um lote de partidos está de olho no seu potencial eleitoral. A delegada nem assumiu ainda o protagonismo de pré-candidata e já aparece bem situada nas pesquisas de intenção de voto.

Entre os partidos que tentam laçar Patrícia está o Podemos, do senador Álvaro Dias. Os entendimentos até que avançaram, mas recai sobre ela uma grande dúvida se entra de fato na política partidária oferecendo-se como alternativa à Prefeitura ou volta a exercer a sua carreira de delegada investigativa, premiada nacionalmente.

A segunda saia – Se Patrícia se dobrar as pressões, na prática será a segunda mulher a entrar na briga pela Prefeitura do Recife. A primeira, a petista Marília Arraes, depende da boa vontade do senador Humberto Costa, que manda no PT. Quando esteve no Recife, o ex-presidente Lula encheu a cara num jantar na casa de Marília e saiu de lá dizendo que ela seria a candidata, mas, estranhamente, em entrevista ao Estadão, não incluiu Recife entre as capitais com candidatura própria.

O cangaceiro – No debate com a delegada Patrícia Domingos, na última segunda-feira na CBN, ancorado pelo competente Aldo Vilela, o secretário de Segurança Pública do Recife, Murilo Cavalcanti, não conseguiu se desvencilhar da faceta agressiva e machista de Lampião, herdado de sua Cabrobó, no Sertão. Ao tentar vender uma paz que não existe no Recife, contestada pela delegada, pegou ar e por pouco não agride a fina e elegante Patrícia.

Olhar brilhante – Líder do Governo no Senado, o pernambucano Fernando Bezerra Coelho (MDB) prestigiou, ontem, a filiação do ex-prefeito Yves Ribeiro, que volta a disputar a Prefeitura de Paulista. “O que a gente percebe em Paulista está presente no olhar das pessoas, mostrando que a esperança está voltando ao coração do povo”, disse FBC, em discurso no ato de assinatura do novo aliado ao MDB.

Vice descartada – A vice-prefeita de Igarassu, Elcione Ramos (PTB), está perdendo a queda de braço para o ex-secretário de Finanças, Péricles Rocha (sem partido), na escolha pelo prefeito Mário Ricardo (PTB) candidato oficial à sua sucessão. Por uma razão muito simples: bolsonarista de carteirinha, Elcione entraria na disputa enfraquecida num território marcado pelo lulismo-petismo. Mas Ricardo ainda não bateu o martelo, o que só deve fazer após o carnaval.

CURTAS

O MELHOR – Em entrevista ao Frente a Frente de ontem, agora com a Nova Recife FM 98,7 como cabeça de rede da Rede Nordeste de Rádio, o líder do PSD na Câmara, André de Paula, deixou o prefeito Geraldo Júlio enciumado ao afirmar, sem arrodeios, que ACM Neto, de Salvador, é o melhor prefeito do País. De Paula disse, inclusive, que a capital baiana, sob a batuta do neto de Antônio Carlos Magalhães, o Toninho Malvadeza, virou referência nacional.

CANDIDATO – Após seis meses sem dar declarações sobre a sucessão em Caruaru, o deputado Tony Gel (MDB) rompeu o silêncio, ontem, no blog, ao afirmar que não será Miriam Lacerda a candidata do seu grupo, mas ele próprio. Gel, entretanto, não tem pressa. Diz que vai esperar o afunilamento do processo. Com razão, até porque não se sabe ainda se Raul Henry será ou não candidato no Recife.

FLORESTA – Para desespero do grupo do secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, a ex-prefeita de Floresta, Rorró Maniçoba (PSB), já acendeu a chama da sua candidatura, aparecendo na liderança de todas as pesquisas de intenção de voto no município. Primo do secretário, Gustavo Novaes, o candidato de Rodrigo, não é nem de longe páreo para a imbatível Rorró.

Perguntar não ofende: Por que o deputado João Campos tomou Doril depois da entrevista da sua avó Ana Arraes ao blog?

Publicado em: 22/01/2020