Coluna desta quinta na Folha

Falta coragem cívica a Henry

Não teve a repercussão esperada o ato de filiação do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ao MDB, segunda-feira passada, naquela cidade sertaneja. Embora só tenha faltado o senador Jarbas Vasconcelos, estavam lá o presidente nacional Baleia Rossi (SP), o presidente estadual Raul Henry, o governador do DF, Ibaneis Rocha, e o senador anfitrião Fernando Bezerra Coelho, pai do prefeito.

FBC fez o discurso mais incisivo, colocando a bola na marca do pênalti para Henry fazer o gol, quando o lançou candidato à Prefeitura do Recife. O acanhamento, típico da personalidade dele (Henry), ou frouxura, impediram que a solenidade reverberasse. O deputado, de perfil urbano, identificado com as causas da capital, só não será candidato se não quiser.

Baleia Rossi disse que da parte da direção nacional não faltará oxigênio (apoio logístico, político e financeiro). Henry, entretanto, ainda não criou a chamada coragem cívica.

Briga em Araripina – O ex-prefeito de Araripina, Alexandre Arraes (PSB), diz que o prefeito Raimundo Pimentel (PTB) mente quando afirma que não assinou contrato com a CEF porque o adversário e antecessor deixou uma dívida de mais de R$ 1 milhão em empréstimos consignados. Pimentel, entretanto, enviou à coluna documentos que comprovam de fato o papagaio herdado do socialista.

Baixaria – Rasteja o nível da Câmara de Vereadores de Jaboatão, segundo maior colégio eleitoral do Estado. Na sessão de ontem, o vereador Nando Ceres (PDT), insuflado pelo colega Márcio do Curado (PTdoB), partiu para agressão no campo físico, sendo contido. Na semana passada, Toto (PP) trocou impropérios impublicáveis com o presidente da Casa, Adeildo da Igreja (PSDB).

Escuridão – A missa de sétimo dia da morte do ex-prefeito Fanão, de Santa Cruz da Baixa Verde, ao lado de Triunfo, no Sertão do Pajeú, assassinado na semana passada, está marcada para hoje sem que, até o momento, a polícia tenha esclarecido tratar-se de crime político, passional ou vingança. Ele foi alvejado por vários tiros no trecho da estrada entre Calumbi a Serra Talhada.

Caiu de pau – O sinal vermelho da Justiça ao empréstimo feito pela prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), à CEF, provocou a ira do ex-prefeito José Queiroz. “Deixei a Prefeitura arrumada do ponto de vista fiscal. A prefeita mostra incompetência até num pedido de empréstimo. Lamentável”, alfinetou.

Colapso – Depois que Roberto Tavares foi rifado da Compesa, a administração no Interior foi ao fundo do poço. Em Afogados da Ingazeira, o gerente foi mudado, mas a falta de água virou pandemônio para a população. Bairros inteiros ficam sem abastecimento por mais de uma semana. 

ADESÃO – Vice-líder do PRB na Câmara Federal, o deputado Silvio Costa Filho diz que o governador Paulo Câmara (PSB) se rendeu à política de Bolsonaro, ao enviar para apreciação da Assembleia Legislativa projetos para aderir ao Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal do ministro Paulo Guedes.

Perguntar não ofende: A suspensão do empréstimo da CEF tomado pela Prefeitura de Caruaru aponta para o desequilíbrio fiscal da tucana Raquel Lyra?

Publicado em: 14/11/2019