Coluna desta sexta na Folha

Primeiro turno em Petrolina

Candidato à reeleição, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), desponta como amplo favorito a emplacar seu segundo mandato. Conforme pesquisa do Instituto Opinião, postada ontem no meu blog, ele aparece com 32 pontos à frente dos seus principais adversários. Se a eleição fosse hoje, teria 47% dos votos contra 13% de Júlio Lóssio, do PSD, e Odacy Amorim, do PT, também com 13%. O vereador Gabriel tem 6% e o deputado Lucas Ramos (PSB), 4%.

Abstraindo-se os votos brancos e nulos, Miguel teria 56% das intenções de voto, liquidando a fatura logo no primeiro turno. Miguel aumenta suas chances de ser reeleito logo de largada, porque detém a menor taxa de rejeição entre os candidatos e aprovação impressionante da sua gestão. Tem 65% de ótimo e bom e mais 22% de regular.

Dificilmente gestor bem avaliado num país de tamanhos buracos negros na economia com taxas acima de 60% são atropelados pelas urnas. Miguel vende uma Petrolina transformada num grande canteiro de obras, com investimentos da ordem de R$ 300 milhões. Quem num deserto de verba pública consegue fechar as contas e entregar tantas obras?

Discurso do contra – Em último lugar na pesquisa, mas candidato oficial do Palácio e do PSB em Petrolina, o deputado Lucas Ramos avalia que o grande adversário de Miguel é a associação do seu nome ao presidente Bolsonaro. "Quero saber se ele vai botar o presidente no seu palanque"?

Desmistificação – O presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, administrador do complexo de Angra dos Reis, disse, ontem, a deputados pernambucanos, que não existe nenhum risco de radioatividade na operação de uma provável usina nuclear em Itacuruba. "Risco zero", garante.

Só ganhos – Já o prefeito de Angra dos Reis, Antônio Jordão (MDB), tentou convencer a comissão parlamentar em visita ao complexo, pela experiência. "Já sou prefeito pela terceira vez e, em 44 anos de funcionamento das usinas, nunca tivemos um só acidente", afirmou.

Visão de futuro – O presidente da Eletronuclear revelou que houve um amplo estudo para Itacuruba surgir como opção de centro nuclear. No campo político, disse que o principal defensor foi o ex-governador Eduardo Campos.

Recife aprova – Um dado que chamou a atenção, ontem, em Angra, foi a revelação de uma pesquisa de opinião de sondagem à população sobre a usina nuclear. Recife aprovou a ideia com mais de 60%. A maior rejeição partiu da própria Itacuruba.

Golpe – Presente, ontem, na recepção à comissão parlamentar em Angra, o vereador Timóteo Cavalcanti, do PL de Angra, exibiu seu perfil bolsonarista e defendeu um golpe militar, em entrevista ao Frente a Frente.

Perguntar não ofende: O deputado João Paulo correu da visita à Angra temendo patrulhamento?

Publicado em: 18/10/2019