Coluna desta terça na Folha

Miguel, a aposta para 2022

Em visita, ontem, ao Grupo EQM, do empresário Eduardo Monteiro, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a caminho do MDB, mostrou números de investimentos no município de deixar qualquer um de queixo caído, principalmente num deserto de verbas públicas em que se transformou o universo municipalista.

Em três anos, R$ 300 milhões em obras de infraestrutura, educação e saúde. Só neste ano, R$ 160 milhões. Desconheço algum município com capacidade de atrair tamanha montanha de dinheiro, o que levou Petrolina a manter sua tradição histórica na dianteira como maior polo gerador de empregos, segundo estatísticas oficiais.

Miguel é a grande aposta do Grupo Coelho para o futuro. Se reeleito, pode já ser preparado para disputar a sucessão do governador Paulo Câmara. Mas como é muito jovem, pode aguardar 2026. O tempo, que é o senhor da razão, apontará qual caminho.

Corda em Henry – Tão logo deixou o gabinete de Eduardo Monteiro, na Folha, Miguel Coelho foi ao encontro do presidente estadual do MDB, Raul Henry, com quem acertou a data de filiação para novembro. Ao Frente a Frente, disse que encontrou Henry super animado e disposto a disputar a Prefeitura do Recife. “Henry é um quadro extremamente qualificado para governar a capital”, assinalou.

Briga feia – Ganhou contornos do imprevisível o duelo pelo controle do PSL entre o presidente Bolsonaro e o deputado Luciano Bivar, dirigente máximo da legenda. Ontem, enquanto o chefe da Nação anunciava que seus advogados haviam recorrido à justiça para abrir a caixa preta do PSL, deputados fiéis ao Planalto eram expurgados sumariamente por Bivar.

Fome de poder – Enquanto o PT tinha com Lula e asseclas projeto para 30 anos de poder, o grupo Bolsonaro já fala, modestamente, em 12 anos. “O Governo vai dar tão certo que vamos ficar 4, 8, 12 anos”, disse a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, na conferência da CPAC – Conservative Action Conferense Brasil – trazida dos Estados Unidos para São Paulo.

Povão – Mendonça Filho (DEM) deu uma demonstração, ontem, de que está construindo a sua candidatura a prefeito do Recife com bases fincadas no povão, ao anunciar a primeira chapa coletiva para disputar uma vaga na Câmara do Recife. Os pré-candidatos são da comunidade do Coque.

Etanol – O líder do PSC na Câmara, André Ferreira, teve uma participação decisiva para levar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a vencer o embate do etanol importado. Não vai vingar, como o Governo gostaria, a elevação da cota livre da cobrança de importação do produto.

ELEIÇÕES – Foi um sucesso o primeiro seminário vapt-vupt de ontem, no Recife, sobre as novas regrais eleitorais para o pleito de 2020, promovido pelos advogados Paulo Souza, Danubia Souza e Caroline Rosendo, com a participação da palestrante Yanne Teles. Caravanas de vários municípios participaram.

Perguntar não ofende: No embate do PSB com Fernando Bezerra sobre a cessão onerosa do pré-sal de que lado ficará Raul Henry?

Publicado em: 15/10/2019