Coluna desta segunda na Folha

Bolsonaro quer abrir caixa preta

Bolsonaro endureceu o jogo com Luciano Bivar. Passou a defender como bandeira principal a abertura da “caixa preta” dos fundos eleitorais e partidários do PSL, sob o controle absoluto do deputado pernambucano, a quem acusa de administrar a dinheirama de forma autoritária e coronolesca.

O presidente acha que é dinheiro demais – algo em torno de R$ 1 bilhão entre os anos de 2019 a 2022, somando-se as reservas eleitorais e partidárias (são dois fundos, portanto duas receitas) – para ficar apenas sob o domínio de uma só pessoa. Sugere que Bivar socialize as contas e pede que a sigla aja com transparência, alegando que as contas partidárias estão em situação grave.

“A gente quer transparência. Eu não quero que estoure um problema e depois a imprensa me culpe ‘ah, você não sabia? ”. O desabafo de Bolsonaro soa como mera perseguição a Bivar, um jogo do tudo ou nada para enxotá-lo do PSL e assumir o seu controle.

Petrolina no pacote – Em sua conta no Twitter, o presidente Bolsonaro, ao destacar, ontem, o programa de privatizações de aeroportos, incluiu o de Petrolina, no Sertão do São Francisco. Talvez seja a saída para acabar com o monopólio e carestia da Azul Linhas Aéreas, que cobra tarifas exorbitantes entre Recife-Petrolina. A passagem é mais cara do que o trecho Recife-Brasília.

Cair na real – Se quiser ser candidato a prefeito do Recife, o deputado Túlio Gadelha (PDT) está sendo aconselhado por aliados a mergulhar fundo nos problemas da cidade. E nos finais de semana trocar os holofotes com Fátima Bernardes em restaurante e baladas por caminhadas na periferia, para discutir o drama das chagas sociais e alternativas para reduzir o fosso.

Candidato – Cresce em Arcoverde um movimento popular para convencer o delegado Israel Rubis, transferido da Regional do Moxotó pelo governador para Vitória de Santo Antão e obrigado a retornar por liminar judicial, a se filiar a um partido e entrar na disputa pela Prefeitura. Já existem pesquisas internas de que seria imbatível. O xerife, no entanto, recua.

Pecado fiscal – O ex-secretário de Saúde de Olinda na gestão de Luciana Santos (PCdoB), João Veiga, cometeu um pecado fiscal que levou o TCE a rejeitar as contas da hoje vice-governadora. A corte aplicou ainda ao médico uma multa de R$ 77 mil para quitar em até 15 dias.

Bagunça – Belo Jardim paga um preço caro com a eleição do prefeito Hélio dos Terrenos (PTB). Mais uma vez, a cota do FPM do último dia 10 chegou zerada aos cofres do município. Enquanto isso, o trabalhista já torrou cerca de R$ 500 mil com diárias, entre janeiro e julho deste ano.

PETROLINA – De passagem pelo Recife, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a caminho do MDB, faz uma visita, hoje, ao presidente do Grupo EQM e desta Folha, Eduardo Monteiro. Filho do senador Fernando Bezerra, Miguel se revela com visão moderna e empreendedora.

Perguntar não ofende: A Finatec deixou João Paulo (PCdoB) inelegível para disputar a Prefeitura de Olinda?

Publicado em: 14/10/2019