Novas fotos de Guaidó com supostos traficantes

Novas fotos de Guaidó ao lado de supostos traficantes colombianos são divulgadas. Líder de oposição na Venezuela afirma que imagens não se passam de montagem

Da Folha de S. Paulo – Por AFP

 

Novas fotografias do líder opositor da Venezuela Juan Guaidó ao lado de supostos membros dos Los Rastrojos, grupo criminoso surgido na Colômbia após a dissolução das unidades paramilitares no país, foram divulgadas pelo governo venezuelano nesta sexta (20).

A nova remessa é apresentada uma semana após a ONG colombiana Fundación Progresa publicar imagens semelhantes em uma rede social.

Nas novas fotos, apresentadas na televisão estatal da Venezuela pelo ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, Guaidó aparece sendo abraçado por Jonathan Orlando García, conhecido como Patrón Pobre, e ao lado de Iván Posso Pedrozo, chamado de Nandito. 

Segundo o ministro, Posso, detido recentemente, relatou às autoridades venezuelanas como um grupo de membros do Los Rastrojos levou Guaidó para o território colombiano em 22 de fevereiro deste ano.

No dia em questão, Guaidó assistiu a um show beneficente e um dia depois tentou, sem sucesso, fazer entrar no país ajuda humanitária vinda da Colômbia.

O ministro afirmou que as fotos foram tiradas pelos próprios paramilitares para chantagear Guaidó em um eventual governo de oposição a fim de traficar drogas.

Juan Guaidó, que é reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, qualificou as imagens como "montagem" e negou as denúncias sobre sua suposta ligação com paramilitares colombianos.

"Esta nova montagem representa mais um capítulo na novela criada pelo regime usurpador para fustigar, perseguir e deter [seus adversários]", disse em nota.  

Quando das primeiras fotos divulgadas, Guaidó se defendeu afirmando que, ao longo da travessia até a cidade de Cúcuta, onde o evento ocorreu, tirou diversas fotos com muitas pessoas e que era impossível verificar quem fazia os pedidos.

"Interpretar erroneamente essas fotografias é jogar o jogo do regime de Maduro", disse na última semana. 

Nesta sexta, o líder opositor afirmou que o governo trata de incriminá-lo com "testemunhos forçados" para encobrir as denúncias sobre o apoio de Maduro a guerrilheiros colombianos.

Publicado em: 21/09/2019