Coluna desta quinta na Folha

PT dividido no Recife e Brasília

O PT ainda não tem em Brasília uma convicção firmada de que o melhor para o partido no Recife é continuar abraçado ao PSB em aliança para as eleições do ano que vem. Como acontece com a direção estadual, a nacional está rachada ao meio.

Em entrevista exclusiva, ontem, ao Frente a Frente, o líder das Minorias na Câmara dos Deputados, o cearense José Guimarães, cotado para líder do PT no próximo ano, está fechado com a tese de que o partido deve estimular e apoiar a deputada Marília Arraes. Guimarães, aliás, já sugeriu a ela própria que anunciasse a pré-candidatura e disse que falava também em nome de Lula, a quem tem visitado constantemente na prisão, em Curitiba.

Já a corrente do senador Humberto Costa tem um pé atrás com candidatura própria e, embora admita ser uma possibilidade discutível dentro do PT, trabalha nos bastidores para a legenda apoiar a candidatura de João Campos (PSB).

Visões diferentes – Na longa entrevista que concedeu a este colunista e blogueiro, o deputado José Guimarães (PT-CE) revelou que, se Lula vier a ganhar liberdade em final outubro, prazo que o partido julga mais realista, a tese de candidaturas próprias nas principais capitais ganha consistência. Humberto já acha o contrário. Diz que Lula é aliancista e vai trabalhar para agregar forças já com vistas a 2022.

Mão estendida – Os produtores de álcool do Nordeste, entre eles o presidente do Grupo EQM, empresário Eduardo Monteiro, voltaram aos seus Estados, ontem, mais animados com o compromisso firmado perante eles pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de barrar a portaria ministerial que dá tratamento diferenciado à importação do etanol dos Estados Unidos.

Casa civil – Na reforma ministerial que se avizinha, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, pode ser remanejado para a pasta de Educação. A princípio, o nome mais cotado para assumir o lugar de Lorenzoni, responsável pela coordenação do Governo, é o do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB). Agrada a gregos e troianos da base governista no Congresso.

Deu força – Por falar em Fernando Bezerra Coelho, a Confederação Nacional dos Prefeitos reconhece o papel que o líder do Governo teve para manter na Câmara o mesmo texto da cessão de direitos do leilão do pré-sal aprovado no Senado. O critério do fatiamento permanece como base o FPE e FPM.

Queima de arquivo? – A notícia de que o ex-vice-presidente do grupo Odebrecht, Henrique Valladares, foi encontrado morto na sua residência, no Rio, caiu como uma bomba em Brasília. Foi ele que afirmou em depoimento na Lava Jato ter pago R$ 50 milhões ao agora deputado Aécio Neves (PSDB-MG).

ABRIGO – O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, está cumprindo o que prometeu aos deputados do PSB punidos por terem votado a favor da reforma da Previdência. Felipe Carreras, por exemplo, voltou a ser titular da Comissão de Defesa do Consumidor. Com a palavra, o presidente Carlos Siqueira.

Perguntar não ofende: O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), age certo ao boicotar as reuniões dos seus colegas do Nordeste?

Publicado em: 18/09/2019