Os bastidores do poder e da
política em primeira mão

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Jaboatão orientação
Pernambuco 28.05.2022 21:00

Governo e prefeituras escolheram esperar dinheiro da União na habitação popular que não vem mais

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

Tragédias como as que o Recife e municípios da Região Metropolitana do Recife servem para mostrar a incapacidade dos governos estaduais e municipais em priorizar a questão da habitação popular enquanto aguardam verbas da União para terem oportunidades de fazer eventos de inaugurações de habitacionais como se eles fossem uma prioridade. As informações são do colunista do Jornal do Commercio, Fernando Castilho. 

É importante observar que nenhuma cidade brasileira pode suportar o volume de chuvas que a RMR recebe em apenas uma semana e, muito menos, como nesta madrugada depois de uma semana de chuvas intensas.

Não dá para fazer muita coisa além ajudar a encontrar os corpos das vítimas fatais e socorrer os feridos e ajudar as famílias a prantear e enterrar seus entes queridos. Mas o Governo do Estado e as prefeituras não podem ficar só nisso.

Nos últimos anos, com as dificuldades da economia, as prefeituras da RMR, como as de todo o Brasil, passaram a entender que fazer casa em lugar seguro para pobre era atribuição do governo federal e que, no máximo, poderiam entrar com o terreno.

Isso funcionou razoavelmente enquanto o contribuinte bancou a conta como nos governos do PT com programas como o Minha Casa Minha Vida (MCMV) que pagou perto de 2 milhões de unidades nas faixas populares.

Mas no governo de Jair Bolsonaro o dinheiro para isso foi cortado de modo que hoje simplesmente não tem financiamento novo para obras para que hoje é pobre e mora longe. E com essa nova realidade, prefeituras esqueceram a questão habitacional e foram cuidas de suas vidas sem desenvolver ações de redução de danos para ajudar a quem invadiu um morro e fez sua casa por conta e risco.

Ainda está na memória do recifense a tragédia do Córrego do Boleiro. A do Jardim Monte Verde será a nova a ser lembrada. Famílias vão ficar sem parentes e suas casas construídas irregularmente, por absoluta falta de outro lugar.

Naturalmente, dirigentes estaduais e federais vão fazer visitas nas chamadas inspeções de emergência e vão gravar vídeos com anúncios de medidas emergenciais. E, no caso de Pernambuco, sem aparecer juntas diante do fato de que na próxima campanha eleitoral não querem imagens juntas. E o problema vai continuar depois que suas excelências voltarem para Brasília.

Mas a tragedia vai continuar anunciada. E acontecerá de novo se a questão da habitação popular não virar uma questão como é hoje a Educação e a Saúde que tem dotações especificas além da inevitável folha de servidores.

Em 1988, quando o legislador escreveu a nova Constituição definiu que 40% da arrecadação deveria ser para as duas grandes prioridades em 1988. O dinheiro, como se sabe, vem sendo usado para fazer escola e hospital cuja necessidade de manutenção estoura o orçamento das prefeituras.

Enquanto isso, as famílias sem casa foram fazendo as suas moradias por conta e risco.

Cidades como Recife e as da RMR precisam entender que terão que colocar a partir de agora dinheiro para não apenas fazer mais habitações, mas ajudar a que as já existentes não sejam as próximas vítimas. Fazer casa ou construir proteção virou despesas feito a coleta de lixo.

É importante não achar que isso é o caminho mais adequado. Não é. Numa situação ideal talvez seja mais barato remover as populações para habitacionais próximo e reconstruir a vegetação do morro como área verde de convivência. Mas isso não é possível o que obriga as prefeituras a destinar dinheiro para proteger o morro usando tudo que tiver de modelos de engenharia construtiva.

Claro que é mais caro. Mas não dá para achar que a prefeitura resolve o problema colocando lonas plástica e pedir a Deus que não chova tanto. A abordagem da questão das habitações não pode ser focada apenas na construção de transferência de que hoje habita palafitas e favelas.

Quem já chegou antes e construiu sua casa num morro precisa de algo mais que lona plástica. Isso custa dinheiro e determinação do prefeito em tirar de outras áreas.

E se é verdade que a partir de agora fenômenos como a concentração de chuvas como a que tivemos serão o padrão é necessário repensar a questão. É importante não deixar de reconhecer que poucas cidades no Brasil têm estrutura para não ter problemas como a ocorrência de 200 milímetros de chuvas em 24 horas.

Mas a tragédia do Monte Verde escancara uma nova realidade que lona plástica, entrega de escritura câmeras de monitoramento já não é mais suficiente. Por isso, é bom que os prefeitos se acostumarem com a ideias de botar dinheiro para proteger o morro de quem construir nele sem todas a soluções possíveis de engenharia é tão importante como construir mias escola, novas UPAs e equipar a guarda municipal. Virou despesa obrigatória.

Sabendo que os governos estadual e federal podem até ajudar. Embora, como se viu até agora, não estejam muito interessados nisso. Embora nessas horas sempre tenha alguém fardado de um "colete" novo da Defesa Civil como no visível na imagem da TV prometendo soluções paliativas para problemas crônicos. 

compartilhamentos

Últimos posts

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Petrolina - São João
Brasil 25.06.2022 16:15

Ministro do STF é tachado de mentiroso em evento no Reino Unido

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso afirmou, hoje, que o Brasil se tornou um “país de ofensas” após ser interrompido em um evento no Reino Unido, quando defendia o processo eleitoral brasileiro. As informações são da CNN Brasil.

Barroso dizia que, quando presidiu o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entre 2020 e 2022, precisou “oferecer resistência aos ataques contra a democracia e impedir esse abominável retrocesso que seria a volta do voto impresso com contagem pública manual, que sempre foi o caminho da fraude no Brasil”.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Ipojuca - Maio 2022
Brasil 25.06.2022 16:00

Estratégia de reeleição de Bolsonaro se impõe e estados já sabem que vão perder receitas de ICMS até no STF

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

A sabedoria popular ensina que contra fatos não há argumentos. E a política é a arte de transformar fatos em narrativas. Vale para o Governo como para quem está na oposição. As informações são do colunista Fernando Castilho, do Jornal do Commercio.

Os estados sabem agora que a decisão de confrontar o governo na questão do ICMS - quando ainda poderiam articular uma negociação assim que os preços do barril do petróleo explodiram e começaram a turbinar as receitas dos estados - foi um equívoco, embora sempre seja muito difícil fechar acordos com Jair Bolsonaro.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Caruaru - Junho 2022
Pernambuco 25.06.2022 15:30

Rodrigo garante coordenar e estar à frente da campanha de Raquel em Caruaru

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

Ele tem 40 anos e menos de três meses como gestor de uma das maiores cidades do interior pernambucano. Formado em administração/marketing, o prefeito de Caruaru, Rodrigo Pinheiro (PSDB), vem mostrando garras de leonino. Nos festejos juninos, recebeu em seu camarote, no Pátio de Eventos, todos os pré-candidatos ao Governo de Pernambuco. Os adversários elogiaram a acolhida e observaram a inquietação do jovem. As informações são da Folha de Pernambuco.

A aliada e ex-prefeita, também pré-candidata ao Governo, Raquel Lyra, chegou a se irritar e achar estar perdendo espaço. Nos bastidores, todos desconfiam que, solteiro e sem filhos, o prefeito esteja aproveitando para consolidar seu projeto político e construir sem amarras um caminho para reeleição, em 2024. Com o mesmo prazer de praticar exercícios, comer massas e reunir amigos (alguns que guarda da infância), garante coordenar e estar à frente da campanha de Raquel. Tem gente pagando para ver.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Cabo - Unidade de Saúde da Família
Brasil 25.06.2022 15:10

Casal de idosos é morto a facadas num prédio de luxo no Rio

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

Um casal de idosos foi morto a facadas na madrugada de hoje em um condomínio no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio. De acordo com as primeiras informações da Divisão de Homicídios, que investiga o caso, suspeito do crime, que é oficial da Marinha, seria namorado do filho do casal e teria atacado as vítimas supostamente motivado por ciúmes. As informações são do G1/RJ.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o pedido de socorro foi feito pouco depois da meia noite e atendido pelo Quartel do Humaitá. Ao chegarem no local, um apartamento na Rua Pio Corrêa, os bombeiros encontraram os idosos já mortos e um homem inconsciente, apontado pela polícia como suspeito do crime.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Arcoverde - São João 2022
Brasil 25.06.2022 15:00

Impeachment, a dúvida da oposição se vale a pena ou não nesse momento

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

O escândalo da gravação que joga responsabilidade para cima de Jair Bolsonaro, no caso do ex-ministro Milton Ribeiro (Educação), não foi celebrado com salva de fogos pela oposição. Não na devida dimensão do episódio. Hoje, com as redes sociais, é fácil medir o alcance de um fato e sua repercussão. As informações são do Blog do Noblat.

Em outros tempos, o PT, por exemplo, já estava na rua com a campanha “Fora, Bolsonaro” mais ruidosa do que nunca. Por muito menos, o partido fez isso com Fernando Henrique Cardoso (FHC). Os tucanos não esquecem jamais do “Fora, FHC”.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Toritama
Brasil 25.06.2022 14:30

Minha história com Gonzaguinha

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

*Por Irineu Tamanini

O então presidente Fernando Collor visitou no dia 3 de abril de 1991 a cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará. Valter Lima, da Rádio Nacional viajou dois dias antes no escalão precursor da Presidência da República para transmitir, direto da terra de Padre Cícero, o programa “Revista Nacional”.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Serra Talhada 2021
Brasil 25.06.2022 14:00

PF alegou falta de recursos para transferir Milton Ribeiro, mas dispõe de três jatos

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

A Polícia Federal tem três jatos da Embraer, mas alegou que não tinha recursos para transportar o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, na quarta-feira passada, data de sua prisão. Apesar de haver uma ordem judicial para que Ribeiro fosse transferido de Santos (SP), onde reside, até Brasília, a PF manteve o ex-ministro em São Paulo. As informações são do Estadão.

O descumprimento da ordem judicial foi citado pelo delegado Bruno Calandrini, que preside o inquérito sobre a existência de um gabinete paralelo no Ministério da Educação operado por Ribeiro e dois pastores, como indicação de interferência na investigação.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Belo Jardim 1 - Abril
Brasil 25.06.2022 13:00

A lei da lasquinha

Por Magno Martins, edição de Ítala Alves compartilhamentos

* Por Marcelo Tognozzi

Logo depois de proclamar a Independência, o Brasil foi obrigado a pagar uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas à Coroa Portuguesa. Num tratado intermediado pelos ingleses, o Brasil pagaria pelo reconhecimento de que éramos uma nação livre, melhor: um reino livre.

...



compartilhamentos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Bandeirantes Maio 2022