FMO janeiro 2020

21/02


2020

Bolsonaro: "Democracia nunca esteve tão forte"

Por Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro declarou ontem pelo Twitter, que "a democracia nunca esteve tão forte". O tuíte, lacônico, aparece na sequência de uma série de desentendimentos entre o governo e o Congresso.

Também nesta quinta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Congresso "não precisa pisar no nosso pé", em referência às emendas impositivas demandadas pelos parlamentares.

Na quarta-feira, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, disse que o governo não poderia aceitar o que chamou de chantagem do Congresso, em diálogo captado em transmissão ao vivo. A fala de Heleno repercutiu mal entre os presidentes do Senado e da Câmara, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), respectivamente.

"Uma pena que um ministro com tantos títulos tenha se transformado num radical ideológico contra a democracia, contra o Parlamento. É muito triste", declarou ontem Rodrigo Maia.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

IPTU Cabo

21/02


2020

Coluna da sexta-feira

Lula não quis afrontar Humberto

Não se pode levar a sério e ao pé da letra a declaração do ex-presidente Lula, ontem, em Brasília, informando que no Recife o projeto majoritário também é de candidatura própria, dependendo, no entanto, da boa vontade do diretório municipal. Na verdade, Lula não foi mais enfático em relação à candidatura de Marília Arraes para não provocar a ira do senador Humberto Costa, que é contra.

Uma fonte do diretório nacional do PT disse ao blog que ainda não é o momento do ex-presidente se expor, gerar atritos e abrir o jogo, já que o prazo para definição da situação ficou acertado para abril na reunião que ocorreu em São Paulo, entre a executiva nacional e os representantes do diretório petista no Recife. Ele não quer contrariar a corrente liderada por Humberto.

Mas o próprio Humberto já está convencido de que a candidatura de Marília é irreversível, assunto resolvido dentro do diretório nacional, a começar pelo entusiasmo da presidente Gleisi Hoffman, com quem Marília tem falado com frequência desde em que recebeu dela própria, no encontro de São Paulo, que desta vez o partido não a deixaria no sereno, levando sol e chuva.

Em tese, também, não é o que se justifique mais um veto à Marília, que não disputou o Governo do Estado em 2018, com chances de vitória, porque o que se priorizou foi a salvação do mandato de Humberto, que passava por uma composição com o PSB, que também salvou a reeleição do governador Paulo Câmara.

O que eles podem alegar agora para queimar Marília? Nada e é bom ressaltar que a pré-candidata não é mais uma simples vereadora do Recife, mas agora revestida de deputada federal, a segunda mais votada no Estado em 2018, abaixo apenas do deputado e principal adversário na corrida pelo Recife, João Campos (PSB).

Segurança garantida – A segurança do carnaval do Ceará, que vive momentos de tensão e horror devido à greve dos policiais militares, está garantida e será feita pela Força Nacional. O presidente Jair Bolsonaro, a pedido do governador Camilo Santana (PT), assegurou a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), pondo o Exército nas ruas de Fortaleza, a capital, e no Interior. O ministro Luiz Eduardo Ramos comunicou o fato ao governador, que, por sua vez, fez um comunicado nas redes sociais. Além disso, a Força Nacional já atua em território cearense desde o episódio em que Fortaleza se viu dominada pelo crime organizado, há um ano.

Ciro detona Bolsonaro – Do ex-ministro Ciro Gomes, ontem, ao falar sobre o episódio em que o irmão Cid levou dois tiros: “Isso não está isolado do que está acontecendo no Brasil. Nós temos um momento de destruição do Estado Democrático de Direito no Brasil, liderado por um presidente boçal, canalha, de uma família de canalhas. Porque se algum policial atirou, apertou o gatilho, ele não faria isso se não fosse esse clima de absoluto desrespeito às regras da convivência democrática, que é absolutamente claramente estimulada pelo presidente da República e sua família de canalhas, e ele, Jair Bolsonaro, o maior canalha de todos”.

Risco de descontrole – Uma parte do Governo está vendo com um olhar de preocupação o motim de policiais militares no Ceará. Primeiro, porque essa situação afeta o governo federal de diversas maneiras. E uma delas decorre do fato de o Ministério da Justiça ter puxado o combate à criminalidade para o colo da administração federal. Logo, um evento infeliz e alarmante como o ocorrido com o senador Cid Gomes (PDT-CE) e a situação preocupante no Ceará repercutem no governo federal. De um ponto de vista objetivo, porque a Força de Segurança Nacional foi enviada para o Estado pela segunda vez no intervalo de um ano.

Mendonça une mais – Ao contrário do que noticiamos aqui, há dois dias, é mais fácil o pré-candidato do Cidadania, Daniel Coelho, jogar a toalha e apoiar a candidatura de Mendonça Filho, pelo DEM. Pesquisas internas e as já divulgadas no Recife apontam que Mendonça têm mais potencial eleitoral para enfrentar o rolo compressor do Palácio, em torno da candidatura de João Campos. Além disso, Daniel, apesar de vir fazendo um bom mandato federal, agregaria menos do que Mendonça. Há, ainda, o fator Patrícia Domingos, do Podemos, que será chamada para o entendimento em torno de candidatura única na oposição.

CURTAS

MARCOLA NO DF – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou, ontem, um pedido do Governo do Distrito Federal para que a Corte determinasse a transferência de chefes de facção criminosa da Penitenciária Federal de Brasília. Entre eles, o traficante Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, condenado a 330 anos de prisão por diversos crimes. O argumento central da ação apresentada pelo governo local é de aumento de risco à integridade de autoridades dos três poderes, como ministros de Estado, parlamentares, ministros de tribunais superiores, além de representações estrangeiras.

VANDALISMO – A decoração do carnaval no Recife foi alvo de novo ato de vandalismo, desta feita na Ponte Maurício de Nassau, que liga o Bairro do Recife a Santo Antônio, na região central. A Guarda Municipal recebeu um chamado para evitar a depredação, a terceira em menos de uma semana. A Fundação de Cultura prestou queixa à Polícia Civil. Em nota a corporação explicou que o ato é considerado crime, conforme está previsto no artigo 163 do Código Penal Brasileiro. Caso o vandalismo seja praticado contra o patrimônio público, a pena é de seis meses a três anos de detenção.

AOS LEITORES – No Carnaval, que começa, oficialmente, hoje, este blog e o Frente a Frente, que apresento pela Rede Nordeste de Rádio, ficam sem atualização e programas novos. A coluna, portanto, só volta na quinta-feira pós folia e o Frente a Frente na quarta-feira de cinzas. Aos nossos leitores e ouvintes, um bom carnaval. Aproveito a paradinha para repor as energias para enfrentar um ano eleitoral, de muito trabalho.

Perguntar não ofende: Carnaval dá resultado político e eleitoral para quem aproveita?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/02


2020

Presidente defende reforma tributária

Do Terra - Por Reuters

O presidente Jair Bolsonaro defendeu na noite desta quinta-feira a realização de uma reforma tributária e destacou que tem falado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para, se for o caso, tratar dos impostos federais nas mudanças tributárias.

Em transmissão feita nas redes sociais, Bolsonaro disse saber que não é fácil fazer uma reforma dessas, mas ressalvou que, no final das contas, a mudança nas regras só não pode resultar numa carga tributária maior.

Até o momento, o governo federal não enviou uma proposta ao Congresso nem externou claramente o que pretende com essa reforma. Por ora, a intenção do Executivo Federal é de fazer sugestões a um eventual texto de consenso da Câmara e do Senado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

acolher

20/02


2020

Perito da família de Adriano vê tiro à queima-roupa

Por Estadão Conteúdo

O perito aposentado Francisco Moraes Silva, de 81 anos, contratado pela família do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega para acompanhar a nova necropsia feita na tarde desta de hoje, no Instituto Médico-Legal do Rio, disse que o disparo que acertou o ex-capitão do BOPE no tórax tem características típicas de um tiro à queima-roupa.

“É a típica marca em que a extremidade distal da arma encosta no tegumento (pele)”, afirmou.

Ex-diretor do IML do Paraná, o especialista está acompanhado de outros três peritos e um fotógrafo. Ele esclareceu que ainda não examinou o corpo e que sua análise foi feita com base em fotografias.

“Esse crime, da forma como foi, é o mais importante dos últimos 20 anos”, alegou.

O novo exame cadavérico está sendo feito por peritos do IML do Rio. O resultado só sairá dentro de quinze dias. Depois disso, a equipe de Moraes filho tem outros quinze dias para elaborar um parecer sobre o laudo. Segundo ele, o corpo está “putrefato”, ou seja, apodrecido, mas não o suficiente para atrapalhar o exame.

Sobre a necropsia feita no IML de Alagoinhas, na Bahia, Moraes Silva disse que os peritos poderiam ter dado mais informações sobre o orifício de entrada no tórax.

“O novo laudo será feito por peritos do Rio que têm muita experiência com tiros de fuzil e carabina “, afirmou.

A Justiça da Bahia autorizou na noite da terça-feira, 18, a realização do novo exame. O pedido havia sido feito pelo Ministério Público da Bahia e também pela família de Nóbrega. Na decisão, o juiz Augusto Yuzo Jouti determina que o exame seja feito por peritos do IML do Rio, onde o corpo está desde o último domingo, 16. De acordo com a decisão, no entanto, a família e o MP da Bahia podem indicar peritos independentes para acompanhar o exame.
 
Moraes Silva já foi denunciado por supostamente fraudar um laudo de necropsia nas investigações da morte de uma mulher no Paraná. Outro perito que o acompanhou no IML nesta tarde, Ari Fontana, já foi preso. Foi acusado de extorsão para liberar veículos furtados, quando era diretor-geral do Instituto de Criminalística do Paraná, em 2006. Não foi possível questioná-los sobre as acusações.

Tortura em Adriano

O objetivo do novo exame é determinar a distância aproximada entre os policiais e Adriano no momento dos tiros, o trajeto percorrido pelas balas no interior do corpo do ex-PM e o calibre das armas usadas. Será possível averiguar também se houve tortura, como foi alegado pelo senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ).

Segundo os promotores, tais questões não foram devidamente esclarecidas na primeira necropsia, feita no IML de Alagoinhas, cidade vizinha à Esplanada. Com esses esclarecimentos, acreditam, será possível determinar se houve, de fato, uma troca de tiros ou uma execução.

Estão pendentes, ainda, os resultados de exames importantes feitos na Bahia. São eles o residuográfico (que determina se Nóbrega, de fato, fez algum disparo de arma de fogo), o das marcas de bala no escudo usado pela PM na invasão do sítio (o que poderia indicar uma reação) e o da perícia da casa onde ele foi alvejado.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha


20/02


2020

Petroleiros suspendem temporariamente a greve

Por Agência Brasil

Os petroleiros da Petrobras decidiram hoje suspender a greve da categoria. O anúncio foi feito pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), que representa 13 sindicatos da categoria no país. Está marcada para esta sexta-feira (21), uma audiência entre representantes da categoria e da Petrobras com o ministro Ives Gandra, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Os petroleiros estavam em greve desde 1º de fevereiro, contra as demissões previstas na Araucária Nitrogenados (Ansa/Fafen-PR), que pertence à Petrobras. Segundo a Federação Única dos Petroleiros, mil empregos serão perdidos com o fechamento da fábrica de fertilizantes, decisão tomada pela Petrobras porque a unidade gera prejuízos e não despertou interesse de compradores.

A Petrobras informa que planeja 396 demissões e oferece acordos indenizatórios que incluem manter assistência médica e educacional por um período. De acordo com o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, outras demissões podem ocorrer, ou não, já que se referem a empregados de empresas contratadas pela petrolífera. A FUP destaca que o acordo coletivo de trabalho prevê que demissões coletivas sejam discutidas previamente com o sindicato.

Em 20 dias de paralisação, a FUP afirma que a greve chegou a ao menos 121 unidades da Petrobras, entre elas 58 plataformas. Apesar disso, Castello Branco, disse hoje que “nenhuma gota” deixou de ser produzida, já que a empresa contratou equipes de contingência para manter as atividades.

A paralisação foi parar na Justiça, e decisões do Tribunal Superior do Trabalho e do Supremo Tribunal Federal determinaram que 90% dos profissionais continuassem em suas funções durante a greve. Nesta semana, o ministro do TST Ives Gandra Martins Filho declarou a greve ilegal por não ter cumprido decisões liminares.

Diante da abertura de uma mesa de negociação no TST, que terá início amanhã (21), a FUP indicou ontem (19) a suspensão provisória da greve.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cúpula Hemisférica

20/02


2020

Bolsonaro confirma envio de reforma só depois do carnaval

Por Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, hoje, que a reforma administrativa deverá ser encaminhada ao Congresso somente após o feriado de carnaval.

“Vamos deixar para depois do carnaval, né?”, disse Bolsonaro, quando chegava ao Palácio da Alvorada. Mais cedo, em cerimônia no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que a reforma está “madura”, embora ainda não esteja pronta.

Ele também defendeu o atraso no envio da proposta ao Congresso. Segundo Bolsonaro, de nada adianta o governo enviar a matéria e depois ter que pedir modificações no texto aos parlamentares.

Antes, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que Bolsonaro “está dando uma olhada na reforma administrativa” e que “são corretas” as alterações que pretende fazer no texto.

Guedes também disse que é “normal” Bolsonaro pedir modificações em trechos que não considere corretos. O ministro citou como exemplo a possível exigência de que os funcionários públicos não tenham filiação partidária.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Prefeitura de Serra Talhada

20/02


2020

Ciro: os Bolsonaro são “canalhas” e permitiram que milícias controlassem o Rio

Por ISTOÉ

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) respondeu ontem as críticas do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) contra o senador licenciado Cid Gomes, irmão de Ciro. Pelo Twitter, Eduardo havia dito que o senador não teve “o mínimo de inteligência” para lidar com os policiais grevistas do Ceará.

“Deputado Eduardo Bolsonaro, será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro”, rebateu Ciro, também por meio do Twitter.

A resposta de Ciro faz referência à relação do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), irmão mais velho de Eduardo, com o miliciano e ex-policial Adriano Magalhães da Nóbrega, morto no último dia 9 na Bahia.

Em 2005, Flávio propôs que Nóbrega recebesse a Medalha Tiradentes, mais alta honraria do Legislativo fluminense. À época, o miliciano estava preso por suspeita de homicídio.

Cid Gomes foi baleado

Na tarde de quarta-feira (19), o irmão de Ciro foi atingido por um disparo na cidade de Sobral, no interior do Ceará. Um vídeo mostra o momento em que Gomes, dirigindo um trator, avança sobre um portão de um quartel da Polícia Militar; do outro lado estavam pessoas mascaradas, de onde vem o disparo.

O Hospital do Coração de Sobral, onde o senador foi internado, informou que Cid foi vítima de ferimento por arma de fogo em região torácica. Ele apresenta boa evolução clínica, estando “lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos”.


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

No Ceará não precisa de milicianos pois já tem a família Gomes.


Prefeitura de Limoeiro

20/02


2020

Porteira escancarada no STJ; cinco soltos só nesta quinta

Por Heron Cid

Dois meses de Calvário chegam ao fim para presos da Operação que vem sacudindo a Paraíba. A decisão da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao apreciar habbeas corpus do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), criou o que os juristas convencionaram chamar de efeito extensivo.

Todos os demais investigados e presos preventivamente entraram com recursos junto a relatora Laurita Vaz, ministra do STJ.

Como não poderia deixar de ser, ela tem que fazer valer para todos o que vale para Coutinho, acusado de liderar esquema de desvios de recursos da saúde e educação paraibana.

De terça-feira, data do julgamento, para cá, a Justiça já mandou soltar Bruno Miguel Avelar Pereira, Márcio Vignoli, Hilário Ananias, Vladmir Neiva e Coriolano Coutinho, irmão de Ricardo.

O julgamento da Sexta Turma abriu as celas da Penitenciária Média de Mangabeira


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

JOÃO FREIRE CORRÊA LIMA

Essa é a nossa \"justiça\". Brasil, paraíso dos bandidos.


Banner de Arcoverde

20/02


2020

Bolsonaro vê situação de "guerra urbana" no Ceará

Por G1

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje que a situação no Ceará é de "guerra urbana" e que, com a chegada de militares ao estado, "o bicho vai pegar".

Bolsonaro deu as declarações em uma transmissão ao vivo em uma rede social. Mais cedo, nesta quinta, o presidente assinou um decreto no qual autorizou o envio de tropas das Forças Armadas ao Ceará para reforçar a segurança pública no estado. 

O Ceará enfrenta uma crise na segurança em meio a um motim de policiais militares. A categoria se diz insatisfeita com a proposta de reajuste salarial apresentada pelo governo local.

"O pessoal que está cometendo delitos, crimes nessas regiões – onde, por um motivo qualquer, por um motivo justo, estão indo as Forças Armadas para lá – tem que entender que o pessoal verde está chegando e o bicho vai pegar. Porque, se é para tratar com flor essa galera, não fiquem enchendo nosso saco e vão pedir para outras instituições para cumprir esta missão", afirmou Bolsonaro na transmissão ao vivo.

"Isso é coisa de responsabilidade, coisa séria. Se estamos em guerra urbana, temos que mandar gente para lá para resolver esse problema", acrescentou o presidente.

Nesta quinta, homens encapuzados cercaram policiais civis e tomaram a viatura. Na quarta, homens também encapuzados em um carro da PM ordenaram, e comerciantes fecharam as portas na cidade de Sobral.

De acordo com a Secretaria de Segurança do Ceará, mais de 300 policiais militares do estado já respondem a Inquérito Policial Militar (IPM) e a processos disciplinares por envolvimento no movimento.

Confira a íntegra da reportagem aqui: Bolsonaro vê situação de 'guerra urbana' e diz que 'bicho vai ...


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Publicidade

Opinião

Publicidade

Parceiros
Publicidade
Apoiadores