FMO janeiro 2020


06/10


2021

Coluna da quarta-feira

Hora da mudança na OAB

Instituição com mais de 40 mil associados, com alto índice de inadimplência – algo em torno de 50% (o que não dá direito ao voto) – a Ordem dos Advogados de Pernambuco (OAB) vive clima eleitoral. Em 16 de novembro, seu conselho será renovado em pleito livre e direto, marcado por uma disputa polarizada entre Fernando Ribeiro, candidato da continuidade, e Almir Reis, postulante da oposição.

Primeiro a registrar a chapa, Almir Reis fez, ontem, um manifesto à categoria destacando a necessidade de mudança. “A Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco clama por renovação. É urgente tirá-la da inércia em que se encontra por mais de uma década, figurando na visão de muitos como mera recolhedora de anuidades. Urge o encerramento de um ciclo vicioso, decadente e inóspito, para que volte a atender aos anseios de sua classe e passe a exercer seu protagonismo na sociedade, na defesa da Constituição”, afirmou.

E acrescentou: “As bases que alicerçam o grupo que atualmente comanda a instituição estão desconectadas dos anseios da advocacia militante, frustrando a esperança e os sonhos de toda uma geração de operadores do direito, especialmente da jovem advocacia. Como advogado militante percorri todo o Estado, do Litoral ao Sertão, testemunhando a majoritária decepção da advocacia com os rumos dados à instituição. A extrema vulnerabilidade da atual gestão da OAB-PE e o desequilíbrio claro na relação da entidade com o Judiciário são pontos incontestes”.

Jovem, bastante atuante, com trânsito em todas as esferas da instituição, Almir Reis atraiu importantes apoios e é a grande esperança para tirar a OAB de um grupo que tem sólidas ligações com o PSB no Estado, com o governador Paulo Câmara, e o prefeito João Campos. Mais do que isso, que deixou, com o tempo, ser aparelhada, o que é muito ruim para a categoria. Por isso, há um nítido crescimento do candidato da oposição em setores da advocacia que até então eram ligados ao atual grupo.

“A adesão à nossa candidatura toma o caráter de um movimento em defesa da OAB, dos recém-formados, das nossas prerrogativas profissionais, do zelo ao ensino jurídico, de uma forte atuação da Escola Superior de Advocacia (ESA), como braço qualificado de auxílio à inserção no mercado de trabalho. As mais variadas matrizes ideológicas declaram espontaneamente seu apoio a esse projeto de mudança na OAB-PE. Trata-se de uma vasta coalizão, completamente apartidária e que reúne jovens e veteranos advogados e advogadas, autônomos, atuantes no serviço público, no magistério, em escritórios pequenos, médios e grandes”, prega Almir.

E conclama: “Juntos, abriremos caminho para convergir o incremento da atividade advocatícia com políticas tecnológicas consistentes e criativas. Encerraremos assim o lamentável processo de precarização e a corrosão do poder e do respeito à nossa entidade. O que nos move é a certeza de que somos maiores do que todos os desafios. É chegada a hora da renovação: vamos juntos!”

Vai se quiser – A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou o convite ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para que expliquem as atividades de suas offshores. O requerimento de convocação do ministro Paulo Guedes foi elaborado por Jean Paul Prates (PT-RN) e Paulo Rocha (PT-PA). No entanto, durante a votação, a convocação se transformou em convite, que foi estendido ao presidente do Banco Central. Nesse caso, Guedes e Campos Neto podem optar por não comparecer à reunião – marcada para 19 de outubro.

Rio sem máscaras – O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD-RJ), afirmou, ontem, que o Comitê Científico carioca acredita atingir cobertura vacinal de 75% em apenas 11 dias, abolindo assim o uso de máscaras em locais abertos e sem aglomeração. Em ata da reunião do Comitê de 9 de outubro de 2021 divulgada pelo prefeito, o processo de redução gradual das medidas restritivas segue três etapas que devem ocorrer até o próximo dia 15 de novembro. As etapas de redução gradual das medidas de restrição devem acontecer ao atingir, na primeira etapa, 50% da população vacinada, na segunda 65% da população vacinada, e terceira etapa e última ao atingir 75% da população vacinada.

Bolsonaro indiciado – O relatório final da CPI da Covid, que apura a atuação do Governo Federal na crise sanitária, "com certeza" pedirá o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro. A declaração foi dada, ontem, pelo senador e relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL). "Com certeza será [indiciado]. Nós não vamos falar grosso na investigação e miar no relatório. Ele com certeza será, sim, pelo o que praticou", confirmou o senador em resposta a jornalistas ao chegar na comissão.

Noronha ameaçada – A Agência Nacional do Petróleo (ANP) vai leiloar, amanhã, 92 blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural e, entre as áreas, está uma região na Bacia Potiguar próxima a Fernando de Noronha e Atol das Rochas. O leilão é criticado por ambientalistas e também preocupa moradores da ilha. Uma ação civil pública tenta barrar a licitação. Numa nota técnica do Instituto Chico Mendes (ICMBio), disponível na página da 17ª rodada da ANP, o instituto afirmou ser "temerária" a inclusão dessa área por causa da proximidade com Noronha e Atol das Rocas, ambos berçários naturais.

Amazon no Cabo – O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Keko do Armazém, recebeu uma boa notícia ontem: a Amazon anunciou uma nova expansão das operações no Nordeste no Cabo. O empreendimento passa a ser o terceiro desse tipo na Região para empresa americana, um deles no Ceará, unidade que deve ser inaugurada nos próximos meses. “O Nordeste é uma região de extrema importância para a Amazon, tanto que estamos inaugurando a nossa segunda operação em Pernambuco”, disse Ricardo Pagani, diretor de operações da Amazon no Brasil.

CURTAS

PROTESTO – Integrantes de maracatus fizeram, ontem, um protesto em frente à sede da Prefeitura do Recife, no Cais do Apolo. Os grupos reivindicaram ações para preservar a manifestação cultural, declarada como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil em 2014. Os manifestantes bloquearam as faixas da Avenida Cais do Apolo ocasionando desvios no trânsito. O ato foi organizado pela Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco (Amanpe) e, segundo eles, contou com a presença de representantes de mais de 20 maracatus.

CONEXÃO DUBAI – O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, compartilhou em seu Instagram pessoal o aeroporto do Recife passando a ser a única capital do Nordeste com conexão com Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. A reunião aconteceu presencialmente em Dubai e o comunicado foi realizado por ele com um entusiasmo incomum.

Perguntar não ofende: As mudanças em Pernambuco começam pela eleição da OAB?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão - Família Acolhedora


05/10


2021

Coluna da terça-feira

PT mente descaradamente  

Seria cômica se não fosse trágica a fala da presidente do PT, Gleisi Hoffman, no encontro do ex-presidente Lula, ontem, em Brasília, com a bancada petista no Congresso, quando conclamou aliados para terem um discurso alinhado de rebate aos escândalos na era petista de Lula e Dilma. “Podemos fazer módulos específicos, com umas três horas, para a bancada, explicando tintim por tintim o que aconteceu. Mostrar o que aconteceu na lava jato, as mentiras que foram contadas, no que culminaram, o que falaram sobre a Petrobras. Temos que estar com isso na ponta da língua. Temos muitos argumentos e vamos encarar nosso debate”, disse ao lado do ex-presidente.

Joseph Goebbels, ministro de Propaganda Hitler na Alemanha Nazista, dizia que uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade. Não é o caso do que aconteceu nos governos petistas, campeões em roubalheira no País, a começar do Mensalão, no primeiro mandato de Lula. Só não deu em impeachment porque o pernambucano Severino Cavalcanti, então presidente da Câmara, engavetou todos os pedidos feitos pela oposição.

O escândalo estourou em 6 de junho de 2005, quando o deputado Roberto Jefferson disse ao jornal Folha de São Paulo que o Partido dos Trabalhadores (PT) pagou a vários deputados R$ 30 mil por mês para votar favorável aos interesses do Governo na Câmara dos Deputados. Os fundos supostamente vieram dos orçamentos de publicidade das empresas estatais, canalizados através de uma agência de publicidade de propriedade de Marcos Valério. O que Hoffman tem a dizer sobre isso? Mentira, cara pálida?

Quanto à lava jato, exclusividade do seu discurso, foi resultado de um conjunto de investigações, realizadas pela Polícia Federal do Brasil, que cumpriu mais de mil mandados de busca e apreensão, de prisão temporária, de prisão preventiva e de condução coercitiva, visando apurar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou bilhões de reais em propina. Ao longo de seus desdobramentos, entre outras pessoas relevantes que acabaram sendo presas, o próprio ex-presidente Lula.

Também ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o seu sucessor Luiz Fernando Pezão, ainda durante o mandato. Ainda ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, os ex-ministros da Fazenda, Antonio Palocci e Guido Mantega, o publicitário João Santana, o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, e o empresário Eike Batista. Ao final de dezembro de 2016, a Operação Lava Jato obteve um acordo de leniência com a empreiteira Odebrecht, que proporcionou o maior ressarcimento da história mundial, que causou graves danos à ordem econômica brasileira.

O acordo previu o depoimento de 78 executivos da empreiteira, gerando 83 inquéritos no STF, e de que o ministro Edson Fachin. Do STF, retirou o sigilo em abril de 2017. Aonde está a mentira, Gleisi Hoffman, cara pálida?

Maior do País – A operação Lava Jato investigou crimes de corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, organização criminosa, obstrução da justiça, operação fraudulenta de câmbio e recebimento de vantagem indevida. Foi apontada como uma das causas da crise político-econômica de 2014 no País. De acordo com investigações e delações premiadas, estavam envolvidos em corrupção membros administrativos da empresa estatal Petrobras, políticos dos maiores partidos do Brasil, incluindo presidentes da República, presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal e governadores de estados, além de empresários de grandes empresas brasileiras. A Polícia Federal considera-a a maior investigação de corrupção da história do País.

Olho na bancada – Presente ao encontro, o ex-presidente Lula destacou a necessidade de o PT eleger uma bancada expressiva no Congresso nas eleições de 2022. “É importante formar uma bancada grande para ter um bom apoio”, afirmou. “Só não vou conversar com quem não quiser conversar comigo”, disse Lula. A agenda do ex-presidente em Brasília deve se estender pelo menos até sexta-feira. Na quinta-feira, visitará uma cooperativa de catadores de materiais recicláveis na Cidade Estrutural, na periferia de Brasília. Lula também planeja para os próximos meses ao menos duas viagens internacionais. Uma para a Europa, onde deve ir à Bélgica, França e Alemanha. Depois, à América Latina, começando pela Argentina.

Folia sem restrição – Apostando na vacinação em massa da população até o final do ano, Rio e São Paulo saíram na frente e já anunciaram a volta do Carnaval em 2022. No Rio, por exemplo, será sem nenhum tipo de restrição, como o uso de máscaras. Da mesma forma, a capital paulista. O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, anunciou que a festa será realizada sem medidas de restrição “se a questão sanitária estiver da forma como está”. Declaração foi dada em fala a jornalista no Hospital Municipal da Bela Vista, no centro. “Tanto o Carnaval de rua quanto o do Sambódromo, não conseguiríamos fazer se não houvesse uma preparação antes. Não dá pra esperar até fevereiro para eles começarem a fazer toda a preparação”, afirmou.

Ciro busca Datena – O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o apresentador José Luiz Datena se reuniram neste fim de semana durante um jantar em São Paulo para discutir uma possível aliança para 2022. O presidente do PDT, Carlos Lupi, e a mulher de Ciro, Giselle Bezerra, também participaram do encontro. O jantar marca a primeira reunião presencial entre Ciro e Datena depois que o apresentador foi convidado pelo PDT a se filiar ao partido. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, eles conversaram sobre o “futuro do Brasil” e “possíveis alianças”.

É bronca! – Se Lula optar pelo nome de Marília Arraes para disputar o Senado pelo PT, nome mais forte da legenda no Estado, como a deputada reagirá, tendo em vista que será obrigada a participar de uma aliança liderada pelo PSB? E da parte do PSB, suas principais lideranças, que enxergam em Marília uma inimiga e não adversária, haverá disposição para entendimento? Eis uma equação que só o próprio Lula será capaz de resolver!

CURTAS

NO PÉ DE GUEDES – O deputado Alexandre Frota (PSDB-SP) apresentou, ontem, um ofício contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Ele afirma que as offshores mantidas por ambos configura os crimes de tráfico de influência, advocacia administrativa e improbidade administrativa. A acusação de Frota foi enviada a PGR (Procuradoria Geral da República.

ELEIÇÕES LIVRES – O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou, ontem, que o Brasil terá eleições livres em 2022 e com as instituições funcionando. Barroso deu as declarações ao discursar na abertura do "Seminário Internacional: Integridade Eleitoral na América Latina – Experiências Recentes e Perspectivas", organizado em parceria pelo TSE e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Perguntar não ofende: Sem coligações, MDB, SD e Avante se unem numa federação partidária?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

O blogueiro fã do acéfalo, já começou a elaborar a lista de mentiras do seu ídolo, bem como as cifras desviadas via rachadinhas da família (cia)?


ALEPE - Ações Sociais


04/10


2021

Coluna da segunda-feira

PSB dá adeus a Geraldo  

A um ano da eleição, no PSB, partido que detém o poder em Pernambuco, o cenário é de indefinição quanto ao candidato do partido que será posto à mesa para disputar a sucessão do governador Paulo Câmara. Ex-prefeito do Recife, respondendo hoje por Suape (a pasta que dirige se resume ao porto), Geraldo Júlio deixou de ser o nome natural. Abandonado pelo próprio partido – nem sequer aparece nos atos do Governo no Interior –, parece ser carta fora do baralho.

Criou incompatibilidades com Deus e o mundo. Não está bem com o governador, perdeu a interlocução no âmbito familiar (leia-se Renata Campos e herdeiros de Eduardo), deixou de ter voz ativa no núcleo duro do PSB, e o mais grave, que o levou a tornar público, reiteradas vezes, que não é candidato: não aparece uma só voz em defesa das acusações que levaram sua imagem para o fundo do poço.

Tudo começou com as sete operações da Polícia Federal em sua gestão para apurar desvios de recursos federais da covid. No comando de Suape, não consegue emplacar uma só licitação, postas abaixo por suspeitas de direcionamento ou superfaturamento pelos órgãos de controle. De paparicado quando detinha o poder e parecia ser o sucessor natural de Eduardo (até no vestuário imitava o ex-governador vestindo camisas brancas), Geraldo se transformou em indigente político.

Sumiu da mídia, ninguém fala mais em sua candidatura, virou um burocrata que bate ponto na pasta que dirige. Quando deu a primeira nota da suposta desistência, não apareceu uma só voz, nem dentro do partido, para choramingar sua atitude. Esperava que houvesse uma reação conjunta dos líderes da Frente Popular para lhe buscar em casa como a tábua de salvação. Não houve. Nem João Campos, a quem ajudou eleger como sucessor, abriu a boca e não se manifesta mais em favor da sua candidatura.

Isolado, Geraldo virou um político sem torcida dentro do seu próprio grupo. Não tem sequer tarefeiros para cumprir missões indesejadas. Maquiavel dizia que o primeiro método para estimar o tamanho de uma liderança política é olhar para os homens à sua volta. A política não se faz com uma pessoa só. É por isso que é imprescindível prestar atenção nos grupos que constituem um projeto de candidatura majoritária.

Os grupos de poder e partido, no PSB e no conjunto da Frente Popular, abandonaram o ex-prefeito. Preferem lembrar os nomes de Zé Neto, secretário da Casa Civil, do deputado Tadeu Alencar, e da secretária de Infraestrutura, Fernandha Batista. Maquiavel também ensinou que a política sem amor nos deixa egoístas, e a fé sem amor nos torna fanáticos. Para exercer a política e a fé, devemos pensar nos outros com empatia e com compaixão. Senão, seguiremos apenas os nossos interesses e objetivos.

Geraldo esqueceu os princípios básicos de Maquiavel.

O amor se foi – O que se diz no Palácio das Princesas, onde até o Curió com o seu canto belo sabe, é que o governador e o ex-prefeito Geraldo Júlio estão de relações estremecidas já tem um bom tempo. E, a depender de Paulo Câmara, não haverá o menor esforço para que possam cantar a musicazinha “Amigos para sempre”. O coração de Câmara para 22 balança em torno de Zé Neto ou Fernandha. Como diz o preceito bíblico, viva que o tempo dirá!

Carta fora – De um socialista que bate ponto nas Princesas, vez por outra, para sentir para que direção o vento vai soprar na construção da candidatura governista à sucessão de Paulo Câmara: “De uma coisa, eu tenho certeza: Geraldo é carta fora do baralho.” Ele chegou a soprar no ouvido do governador para correr, porque o tempo voa. A eleição de 22 será realizada exatamente daqui a um ano. Em janeiro, as campanhas já estarão nas ruas.

Candidatíssimo – Já no bloco da oposição, uma só certeza: o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), não tem mais caminho de volta no projeto de disputar o Governo do Estado. Não se tem a mesma certeza em relação aos outros dois pré-candidatos da mesma linhagem oposicionista: Raquel Lyra (PSDB), a Mainha, prefeita de Caruaru, e Anderson Ferreira (PL), prefeito de Jaboatão dos Guararapes. Quanto a estes, o que se diz é que já teriam fechado um acordo pelo qual o que estiver melhor nas pesquisas em abril abre para o outro. No Recife, em 2020, Mendonça Filho foi nessa com Daniel Coelho e se deu mal.

Só serve ao PCdoB – Aprovada no bojo da mini reforma politica pelo Congresso, as chamadas federações partidárias não resolvem a vida da expressiva maioria da bancada federal de Pernambuco. Servirão apenas para fechar uma coligação branca entre PT e PCdoB. Nenhum outro partido adere a essa federação. O PSB, por exemplo, que poderia ser o terceiro, não deseja ficar atrelado a compromissos que duram todo o mandato de quatro anos. Deputados ameaçados de não emplacarem a reeleição só se salvariam de fato se o Senado não tivesse dado um não ao regresso das coligações.

Terceiro mais poderoso – Para onde caminha o PDT em Pernambuco? “Tenho compromisso com Ciro e vou com ele até o fim”, garante o deputado Wolney Queiroz, líder do partido na Câmara dos Deputados. Quem imaginar que o deputado trairá Ciro, pulando para o palanque de Lula, tendência majoritária dos demais partidos que dão sustentação, hoje, ao Governo Paulo Câmara, pode tirar o cavalinho da chuva. Na hierarquia de poder nacional do PDT, Wolney hoje é o terceiro, ficando abaixo apenas do presidente nacional, Carlos Lupi, e do próprio presidenciável Ciro.

CURTAS

Já era esperado – Não houve surpresas nos resultados das eleições suplementares para prefeito de Capoeiras e Palmeirina realizadas ontem. Nêgo do Mercado, eleito pelo PSB em Capoeiras, além de ser o comerciante mais forte da cidade, tinha o apoio do grupo que está no poder. Já a delegada Thatianne Macedo, do Solidariedade, aparecia à frente de todas as pesquisas em Palmeirina, onde derrotou dona Marili, 77 anos, mãe do ex-prefeito Eudson Catão (MDB).

Sem eleições – Não há mais previsão de eleições suplementares em Pernambuco. Em Arcoverde, o prefeito Wellington Maciel (MDB) já derrubou o processo de anulação da sua eleição em todas as instâncias. Já em Pesqueira, o que se diz por lá é que o processo da volta do Cacique Marquinhos (Republicanos), eleito e afastado, depende apenas de uma leitura do STF em relação à interpretação do seu afastamento por se encaixar na lei da ficha limpa, que seria favorável a ele.

Perguntar não ofende: Por que o povo não foi às ruas atendendo ao chamamento da oposição? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Cabo - Pavimentação e Drenagem


02/10


2021

Coluna do sabadão

Oposição nas ruas

Por Houldine Nascimento – interino

A esquerda brasileira capitaneia, hoje, atos contra o Governo Bolsonaro. Várias centrais sindicais e frentes, como Central Única dos Trabalhadores, Brasil Popular, Direitos Já e Povo sem Medo, organizam as manifestações. De acordo com eles, há pelo menos 260 protestos marcados em 251 cidades e 16 países. As pautas se concentram em temas como desemprego, fome, inflação e repúdio à Reforma Administrativa (PEC 32).

Líderes de ao menos 21 partidos confirmaram presença na Campanha Nacional Fora Bolsonaro – como é intitulado o ato: PT, PSOL, PSB, PSD, MDB, PSDB, DEM, PV, PSL, UP, PCB, PSTU, PCO, PCdoB, PDT, PL, Rede, Podemos, Cidadania, Solidariedade e Novo. Mesmo com a esquerda predominando nos protestos, são esperados nomes do centro à direita.

Em Pernambuco, seis cidades têm atos marcados: Araripina, Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns, Petrolina e Recife, que terá a Praça do Derby, na área central da capital pernambucana, como o ponto de concentração, a partir das 9h. O trajeto está previsto para seguir vias importantes do Centro, com destino ao Pátio do Carmo, no bairro de Santo Antônio.

Existe uma expectativa dos organizadores de que esta seja a maior manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) este ano. No último dia 12, protestos marcados por grupos de direita, como Movimento Brasil Livre, Vem Pra Rua e Livres, tiveram baixíssima adesão. Cinco pré-candidatos à Presidência chegaram a comparecer em São Paulo: Ciro Gomes (PDT), João Doria (PSDB), Simone Tebet (MDB), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Alessandro Vieira (Cidadania).

Antes, no feriado da Independência, houve grande mobilização em prol do chefe do Executivo, sob um clima de tensão quanto aos desdobramentos. Na ocasião, Bolsonaro disse que não mais obedeceria a decisões do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, a quem chamou de “canalha”. Dois dias depois, fez uma declaração à Nação, com a ajuda do ex-presidente Michel Temer (MDB), baixando a temperatura e evitando uma ruptura entre os Poderes.

Hoje, os maiores protestos são aguardados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Nomes como Ciro Gomes, Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL), que disputaram a Presidência em 2018, devem marcar presença, às 13h, na Avenida Paulista, em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). A ver se as manifestações cumprirão a expectativa.

Andanças – O titular deste Blog, Magno Martins, está visitando cidades do interior pernambucano, relatando fatos bons e ruins do Estado nas últimas semanas. O jornalista visitou o Agreste Central, ontem, e mostrou como o cooperativismo da pequena Alagoinha tem obtido êxito na produção e exportação de queijo de cabra. No lado negativo, a precária situação de rodovias administradas pelo Governo do Estado.

Inseparáveis – O deputado federal Silvio Costa Filho (Republicanos) tem acompanhado o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), em diversas agendas. O parlamentar compôs a comitiva do gestor por cidades do Sertão, nos últimos dois dias. Cotado para disputar o Senado pela Frente Popular, Silvio Filho segue Câmara até em entrevistas para rádios e está se distanciando do Governo Bolsonaro, mesmo com aliados ocupando cargos na máquina pública federal.

Aporte – Líder da Oposição na Alepe, o deputado estadual Antonio Coelho (DEM) anunciou a destinação de R$ 1 milhão em recursos para a infraestrutura de Xexéu, na Mata Sul pernambucana. O comunicado ocorreu, ontem, em visita à cidade, que comemora 30 anos de emancipação. O parlamentar foi recebido pelo prefeito Thiago de Miel (PSC). O aporte é resultado de uma articulação do democrata com o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) e será investido em obras de pavimentação asfáltica a serem executadas pela Codevasf.

Críticas – Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Governo Dilma, o ex-senador Armando Monteiro Neto criticou a paralisação do acordo Mercosul-União Europeia. Ele culpa a gestão Bolsonaro: “Infelizmente, em função da má condução da política ambiental pelo atual governo, o processo de ratificação está travado no Parlamento Europeu. Nesse sentido, o Brasil precisará reafirmar seus compromissos com a sustentabilidade ambiental e recuperar nossa credibilidade nessa área.”

Presidente no relatório – O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que o nome do presidente Jair Bolsonaro vai estar no relatório final da comissão, apesar de o chefe do Executivo não constar como investigado. “Caso típico é o do presidente da República, pelas digitais, participação, omissão, pela forma como deixou de comprar na hora certa as vacinas. Pelo crime que significou ele não responder às ofertas da Pfizer, do Butantan, da OMS, que dariam naquela oportunidade quase 170 milhões de doses de vacina”, disse à GloboNews.

CURTAS

ENTREGAS – Em Tuparetama (PE), o prefeito Sávio Torres (PTB) promove entregas, hoje, a partir das 15h30. Ao lado do deputado federal Ricardo Teobaldo (Podemos), o gestor lança a pedra fundamental de uma creche, apresenta um caminhão para coleta de lixo e cinco ônibus escolares, com a ajuda de emendas do parlamentar.

APURAÇÃO – A Procuradoria da República no DF vai investigar a suposta atuação da primeira-dama Michelle Bolsonaro para favorecer empresas de amigos com recursos da Caixa Econômica Federal. A revista Crusoé obteve documentos de indicados para receber empréstimos e aponta que Michelle tratou diretamente com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Perguntar não ofende: Os protestos de hoje contra o Governo Bolsonaro farão frente às manifestações a favor do presidente no Dia da Independência?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



01/10


2021

Coluna da sexta-feira

Domingo tem eleição  

Capoeiras e Palmeirina, no Agreste Meridional, voltam às urnas no próximo domingo. Em eleição suplementar, escolherão seus prefeitos. Eleitos em outubro passado, Dudu (PL) e Eudson Catão (PSB), dos respectivos municípios, entraram na lista dos fichas sujas e perderam a batalha fora da instância do voto popular, na justiça eleitoral.

Ambos, quando governaram Capoeiras e Palmeirina tiveram contas rejeitadas. O primeiro indicou a esposa Celina (PL) para disputar em seu lugar, enquanto o segundo optou pela mãe Marili, de 80 anos. Se eleita, será a mais longeva prefeita do Estado. Em Palmeirina, o clima é de guerra. A campanha corre solta nas ruas.

Em Capoeiras, não. A juíza proibiu todo e qualquer ato de campanha. Engessou a disputa, mas não evitou a guerra dos ataques verbais. Candidato novamente, tendo perdido no pleito anterior para Dudu por uma diferença de apenas 200 votos, Nêgo do Mercado (PSB) chama a adversária de laranja e forasteira. No rebate, Celina acusa o adversário de práticas irregulares na venda de produtos do seu supermercado para a merenda escolar na gestão passada.

Em Palmeirina, Catão usa sua força política para eleger a mãe. Já governou o município e diz que a mãe, apesar da idade avançada, entrou na disputa por uma convocação do povo. “Ela encarna o desejo de mudança na cidade”, sintetiza o filho. A briga em Palmeirina envolve duas mulheres. A adversária de Marili é a delegada Thatianne, do Solidariedade (SD), de 44 anos, a xerife do município.

Páreo duro para o grupo de Catão. Tanto em Capoeiras quanto em Palmeirina, o Governo do Estado reforçou a segurança para garantir a lisura e tranquilidade da eleição. “É só por precaução, não há sinais de violência em nenhuma das duas cidades”, diz uma fonte do Governo.

Gás mais barato – Com apoio de todos os partidos, com exceção do Novo e da base do governo, a Câmara aprovou a criação do “Desconto Gás”, subsídio mensal pago pelo Governo e destinado às famílias de baixa renda para a compra de gás de cozinha. A aprovação foi simbólica, sem a contagem de votos, e o texto segue agora para o Senado. De acordo com o texto, terão direito ao Desconto Gás as famílias inscritas no Cadastro Único, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo, ou que tenham entre seus integrantes pessoa que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Tadeu na mesa – Nos bastidores, a nova aposta do PSB para o Governo do Estado é o deputado Tadeu Alencar. Além de ter laços familiares com a viúva Renata Campos – seu filho é casado com a filha dela – Tadeu já era o nome preferido de Eduardo Campos em 2014. Preparado, educado, culto e com trânsito fácil em Brasília, o parlamentar tem chances ainda de unir em torno da sua candidatura toda a Frente Popular e leva a vantagem de não ter as arestas de Geraldo Covidão.

O partido de Bolsonaro – O PTB realizou uma reunião virtual para debater a possível filiação do presidente Jair Bolsonaro à sigla. Ficou decidido que será redigido um documento com a assinatura de todos os presidentes estaduais para incentivar a ida do chefe do Executivo ao partido, segundo comunicado. A conferência foi convocada pela presidente em exercício do PTB, Graciela Nienov. No encontro, ela relatou ao grupo a conversa que teve com Bolsonaro sobre a filiação e reiterou que o partido está preparado para recebê-lo. Bolsonaro vira trabalhista, mas o comando da legenda continua nas mãos de Roberto Jefferson.

MDB com Lula – O ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE) receberá o ex-presidente Lula (PT) em um jantar em sua casa na próxima quarta-feira, em Brasília. O ex-presidente é aliado de Eunício. O jantar deve contar também com a presença do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do ex-presidente José Sarney (MDB). O senador e relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), estava na lista de convidados, mas recusou o convite, alegando que só aceitaria participar de encontros políticos depois da segunda quinzena de outubro, data da entrega do relatório final da CPI no Senado.

A Gramado nordestina – O Natal deste ano de Garanhuns, com quase a totalidade da sua população vacinada, voltará a ser iluminado. O prefeito Sivaldo Albino (PSB) já decidiu devolver à população o “Natal Luz”, que transforma a cidade na Gramado do Nordeste, desde o Relógio das Flores, na entrada, ingressando pela Avenida Santo Antônio, que fica belíssima, até chegar ao Palácio Celso Galvão, prédio histórico, sede do poder da chamada Suíça brasileira”.

CURTAS

CANDIDATOS – Por falar em Garanhuns, a cidade terá quatro candidatos da terra disputando um mandato para Assembleia Legislativa em 2022: o ex-prefeito Izaías Régis (PSDB), Zaqueu Lins, que disputou pelo PP a eleição passada para prefeito, Cayo Albino (PSB), filho do prefeito Sivaldo Albino, e o Coronel Campos (PL), que já disputou um mandato federal. 

CAPRINOS – O Piauí tem um rebanho de 1,9 milhão de cabeças de caprinos, conforme pesquisa realizada pela Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2020, pelo IBGE. Ficou atrás apenas da Bahia - com 3,6 milhões - e Pernambuco - com 3,1 milhões. A cada 100 cabeças de caprinos existentes no País, 15 estão no Piauí, e isso acontece porque o rebanho piauiense representa 15,8% do total brasileiro.

Perguntar não ofende: Não sendo candidato a governador, Covidão disputa um mandato de deputado federal?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina outubro 2021


30/09


2021

Coluna da quinta-feira

As regras do jogo  

O Congresso já promulgou a reforma eleitoral estabelecida pela Emenda Constitucional 111. As novas regras já serão aplicadas a partir das eleições de 2022. Aprovada no Senado na semana passada, entre os principais pontos está a contagem em dobro dos votos dados a candidatos negros, índios e mulheres para efeito da distribuição dos recursos dos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022 a 2030.

A medida também abre uma possibilidade para deputados e vereadores não perderem o mandato se deixarem os partidos, desde que haja anuência das legendas para essa saída. Além disso, fica prevista a mudança na data das posses de presidente da República e governadores. No caso do primeiro, a posse será no dia 5 de janeiro, e no dos governadores, no dia seguinte, 6 de janeiro. Essa mudança valerá a partir da eleição de 2026.

Para o presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a reforma é “enxuta, mas com preceitos que contribuem para o equilíbrio da atividade política brasileira”. “No final das contas, o entendimento do Senado Federal foi um entendimento de que o sistema eleitoral deveria e deve ser aquele que estabelecemos em 2017: o sistema proporcional, sem coligações partidárias, com cláusula de desempenho que façam que os partidos possam funcionar e ter acesso ao fundo partidário, tempo de TV e rádio, desde que cumpram determinadas metas ao longo do tempo. Primeira eleição federal com essa regra é esta de 2022”, argumentou o parlamentar.

Outro trecho mantido foi a possibilidade de realização de plebiscitos municipais durante o processo eleitoral. A ideia é utilizar a estrutura já dispensada nas eleições em plebiscitos que sejam necessários em determinado município. Medida semelhante é empregada, por exemplo, nas eleições dos Estados Unidos.

União Brasil – Integrantes do PSL e do DEM chegaram a um consenso, ontem, sobre o nome do novo partido que derivará da fusão entre as duas legendas. Ele se chamará União Brasil e terá o número de urna 44. A nova identidade deverá ser anunciada oficialmente em 6 de outubro, quando as duas siglas realizarão uma convenção nacional conjunta para homologar a fusão. Inicialmente, cogitou-se usar o atual número do DEM, o 25, mas a ideia foi deixada de lado. Uma pesquisa encomendada pelos dois partidos mostrou o que teria mais apelo junto aos eleitores.

Sem campanha – Em Capoeiras, onde estive ontem, não há nada que lembre que no próximo domingo haverá uma eleição suplementar para prefeito do município, tudo porque a juíza proibiu todos os atos de campanha, diferente de Palmeirina, onde a briga política tomou conta da cidade, tendo até comícios, carreatas e caminhadas. Não fossem umas tímidas bandeiras na principal praça ninguém saberia que a população será obrigada a voltar às urnas, porque a eleição de outubro passado foi anulada pela justiça eleitoral.

 

Virou um santo – A juíza Pollyanna Kelly Maciel, da 12ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, voltou a negar, ontem, uma ratificação de denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e demais acusados no caso do sítio de Atibaia. A magistrada já havia rejeitado em agosto um pedido do MPF (Ministério Público Federal) para reabrir o caso por considerar que o material probatório usado foi o mesmo apresentado pelos procuradores da extinta força-tarefa da Lava Jato de Curitiba quando o caso tramitava no Paraná.

Modelo chinês – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acha que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quer adotar o modelo econômico chinês no Brasil, caso seja eleito em 2022. A mudança, segundo Bolsonaro, acabaria com direitos trabalhistas dos brasileiros. “Agora há pouco assisti a um vídeo do ex-presidente Lula dizendo que o modelo econômico da China é o que deve ser imposto no Brasil”, disse o presidente em evento de entregas do governo em Boa Vista (RR), na manhã de ontem. “Obviamente, o primeiro passo que deveria ser feito aqui no Brasil, se esse cara viesse a ocupar a Presidência para seguir o modelo chinês, seria acabar com a CLT, seria acabar com o 13º [salário], acabar com as férias, acabar com o Fundo de Garantia, acabar com a hora extra”, atacou.

Uma aberração corrigida – A justiça, enfim, fez justiça, ontem, ao inocentar a ex-prefeita de Olinda, Jacilda Urquisa, de um pecado que não cometeu. Quando prefeita, ao final da sua gestão em 2000, seu secretário de Finanças jogou na conta única do município o valor de um convênio federal e com esse dinheiro pagou pessoal. Jacilda cansou de explicar isso nas diversas instâncias em que o processo tramitou, mas chegou a ser condenada, ficando ilegível. Agora, tanto tempo depois, com o estrago feito, o Tribunal Regional Federal reconheceu a sua inocência. Antes tarde do que nunca. Jacilda é uma pessoa honesta, capaz, séria e de extrema sensibilidade social.

CURTAS

BOA NOTÍCIA – Atingidas pela pandemia, as atividades culturais do Recife contarão com verbas para impulsionar a retomada. O prefeito João Campos lançou, ontem, o programa “Recife Virado na Cultura”, com previsão de investir R$ 10,3 milhões, sendo R$ 2 milhões dos cofres municipais e R$ 8,3 milhões da Lei Aldir Blanc, que é federal.

MAIS EMPREGOS – Pernambuco teve resultado positivo na criação de empregos formais em agosto, segundo levantamento do governo federal que apontam 47.637 contratações e 30.422 demissões, um saldo de 17.215 postos de trabalho. Foi o melhor mês de agosto para a geração de vagas desde 2011. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregos (Caged) e estão no site do Ministério do Trabalho e Previdência.

Perguntar não ofende: Eduardo Leite bate Dória nas prévias do PSDB destinadas à escolha do candidato ao Planalto?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Carlos Souza

Lula teve 8 anos para adotar tal modelo, por que não o fez?! Bolsonaro não tá nem aí pro trabalhador brasileiro, prova que já tá em campanha enquanto o país derrete economicamente.


Sindicontas


29/09


2021

Coluna da quarta-feira

Casuísmo aberrante 

Aprovada pelo Congresso, em sessões vapt-vupt, as federações partidárias, vetadas pelo presidente Bolsonaro, representam um tremendo casuísmo. Na prática, os deputados e senadores encontraram uma saída bem no jeitinho brasileiro para coligações disfarçadas. Com isso, três ou quatro partidos poderão se juntar numa frente partidária nacional reproduzida nos Estados também na disputa proporcional.

As federações são dispositivos que podem salvar da extinção ou do ostracismo partidos políticos ameaçados pela cláusula de desempenho – que condiciona o acesso ao fundo Partidário ao desempenho nas eleições. Dois ou mais partidos poderão se juntar para superar a cláusula e eleger mais deputados e vereadores. Os recursos dos fundos Partidário e Eleitoral irão para as federações e serão divididos entre as legendas participantes conforme acordarem a partilha.

Essas entidades precisarão ter validade de no mínimo quatro anos. Teriam de ser constituídas até as convenções partidárias para serem válidas nas eleições do ano. Será necessário aos partidos participantes elaborar um programa comum. A legenda que deixar uma federação antes do prazo sofrerá punição. Elas funcionarão nas instâncias de representação como um único partido.

Se três legendas firmarem aliança desse tipo, terão direito a apenas uma estrutura de liderança na Câmara, por exemplo. Será possível às siglas federadas, porém, manter estruturas separadas, como sedes, dirigentes e funcionários. As burocracias ficariam preservadas. Ao vetar as federações, o Executivo afirmou que elas inaugurariam “um novo formato com características análogas à das coligações partidárias”, hoje vetadas na Constituição para eleições proporcionais.

“A vedação às coligações partidárias nas eleições proporcionais, introduzida pela Emenda Constitucional 97, de 4 de outubro de 2017, combinada com as regras de desempenho partidário para o acesso aos recursos do fundo partidário e à propaganda gratuitas no rádio e na televisão tiveram por objetivo o aprimoramento do sistema representativo, com a redução da fragmentação partidária e, por consequência, a diminuição da dificuldade do eleitoral de se identificar com determinada agremiação”, escreveu o governo.

Valendo em 2022 – A sessão da derrubada do veto presidencial às federações partidárias foi adiantada de ontem para segunda-feira, para reduzir as chances de não haver tempo para cumprir os trâmites burocráticos em caso de rejeição do veto. Isso porque só valem nas eleições de 2022 as alterações nas regras que estejam em vigor até o dia 1º de outubro deste ano. Com a mudança na data, a equipe técnica do Congresso terá um dia a mais para encaminhar a burocracia necessária. A análise do veto começou pelo Senado porque a tramitação sempre se inicia pela Casa de onde a proposta se origina.

Herói na pandemia – O ex-presidente Michel Temer (MDB) afirmou no programa Roda Vida da segunda-feira passada que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) perdeu a chance de ser um “herói” no enfrentamento à pandemia de covid-19 no Brasil. Para o emedebista, Bolsonaro deveria ter centralizado o poder e reunido governadores e autoridades dos Três Poderes para uma “união” nacional, podendo ser exemplo nacional e internacionalmente. “Se ao começo da pandemia, ele [Bolsonaro] tivesse assumido, e até mesmo centralizado o controle –reunindo os 27 governadores, os presidentes dos Poderes e até a oposição, comprando vacinas– hoje ele seria um verdadeiro herói”, disse.

Sem impeachment – Temer (MDB) avalia que não seria conveniente iniciar neste momento um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Ele ressalta que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid pode concluir que o presidente teve "incúria" no combate à covid-19, o que eventualmente pode levar o Ministério Público a pedir o afastamento de Bolsonaro. Entretanto, Temer acredita que o momento não é o ideal para este processo. "Se você me perguntasse um ano atrás, eu diria que talvez fosse o caso de começar um impedimento. Nesse momento, eu não acho adequado", disse ele, na mesma entrevista.

Desvio em Glória – O ex-prefeito de Glória de Goitá, Zenilton Miranda Vieira (PTB), e mais sete suspeitos de envolvimento em uma fraude para a compra de merenda escolar no município, se tornaram alvo de ações penal e de improbidade administrativa. Segundo o Ministério Público Federal, foram desviados R$ 310 mil de recursos federais entre 2013 e 2015. O valor foi atualizado, conforme o Ministério Público Federal. O dinheiro era do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O Ministério Público Federal informou que foram descobertos contratos irregulares na administração municipal.

Hora da vingança – O grupo da prefeita de Tabira, Nicinha Melo (MDB), esposa do ex-prefeito Dinca Brandino, fechou com a pré-candidatura do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, a governador. O casal não apenas esteve presente no ato de filiação do emedebista ao DEM, sábado passado, no Recife, como declarou publicamente, no dia seguinte, ao blog de Marcelo Patriota, de São José do Egito, a adesão formal ao projeto de Miguel. Desde a eleição de Eduardo Campos, votam no PSB. Depois da morte do ex-governador, passaram a ser tratados como patinho feio no município. “Chegou a hora da vingança”, disse um aliado da prefeita.

CURTAS

CORRUPÇÃO NO BN – Um contrato suspeito de R$ 600 milhões da instituição financeira com a ONG Instituto Nordeste Cidadania, entidade parceira do BNB na operacionalização do Crediamigo e Agroamigo, levou o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, a pedir ao presidente Bolsonaro a demissão de toda a diretoria do banco.

JÁ ALGEMADO – Dono das lojas Havan e aliado do governo Bolsonaro (sem partido), o empresário Luciano Hang publicou vídeo em suas redes sociais provocando os senadores que vão interrogá-lo, hoje, na da Covid-19. “Se, por acaso, não aceitarem aquilo o que vou falar, já comprei, pra não gastarem dinheiro com algema, já comprei, vou entregar uma chave pra cada senador, e que me prendam”, desafiou, exibindo para a câmera um braço já algemado.

Perguntar não ofende: O que muda nas pré-candidaturas presidenciais com a aprovação das federações partidárias?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Ipojuca - Novembro


28/09


2021

Coluna da terça-feira

Pernambuco às moscas  

Quando Deus o chamou em 2014, numa fatalidade que comoveu o País, o ex-governador Eduardo Campos partiu com a imagem de gestor ousado, inovador e moderno. Mais do que isso, que havia tirado o Estado da sarjeta, fazendo inveja ao Ceará e a Bahia, rivais na atração de investimentos. Na prática, não era bem assim. Eduardo não era marqueteiro, mas  governava como tal.

Com a sua morte precoce, o Estado, que parecia bem, no rumo certo, foi se deteriorando. Tudo hoje, como bem disse, ontem, o cantor Alcymar Monteiro, é sinônimo de abandono. O Recife, por exemplo, perdeu a liderança do PIB regional para Fortaleza e Salvador, estando em terceira posição. Suape virou um elefante branco. Mais de 90% das frutas saídas de Petrolina via navio para o mercado internacional se dão pelo porto de Pecém, no Ceará.

Tudo porque são caríssimas as tarifas portuárias praticadas pelo porto pernambucano. O estaleiro, que seria uma das tábuas de salvação da economia, virou tempestade do Norte, só produzindo até agora um navio. É outro elefante branco. Milhares de trabalhadores treinados e contratados para produzir navios estão a ver navios, literalmente desempregados. A refinaria, que seria o carro-chefe da geração de renda e emprego, não anda. Aliás, anda, a passos de tartaruga.

Há muito, Recife não sabe o que é uma obra de infraestrutura. A cidade continua campeã em engarrafamento, suja, calçadas malcuidadas e com o simbólico bairro Antigo jogado às moscas. O Estado não tem estradas. De norte a sul, a começar pela BR-232, a mais movimentada, que Jarbas Vasconcelos construiu com o dinheiro da venda da Celpe, se trafega driblando buracos, colocando e vida em risco. Pernambuco também não tem segurança. A Região Metropolitana continua sanguinária como nos tempos do cangaço.

Na semana passada, ao botar o pé na estrada, constatei, mais uma vez, a cara do abandono do Interior. Em Fazenda Nova, o Parque Nilo Coelho de Esculturas Monumentais, uma das vitrines do turismo no passado, está coberto pela caatinga, sem receber um só visitante. Trata-se de um equipamento cultural fantástico. Enormes blocos de granito viraram esculturas de dois a sete metros, algumas chegando a 15 toneladas, 37 peças foram agrupadas por temas em nove setores, investimento de mais de R$ 2 milhões jogado fora.

Já ontem, postei no blog o retrato da sucata em que foi transformado o prédio histórico do bicentenário Diário de Pernambuco, um dos cartões postais do passado compondo a paisagem cultural da famosa e lendária Pracinha do Diário. Mário Quintana dizia que o que mata uma cidade não é o abandono. É o olhar de quem passa por ela indiferente, como os governantes insensíveis do Estado. Quando um patrimônio público é abandonado, a vizinhança é a solidão. A indiferença e o abandono, na verdade, causam danos irreversíveis à história e a cultura.

Sem perseguição – O novo partido que sairá da fusão entre PSL e DEM não será governista, segundo afirmou o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, que assumirá a função de secretário-geral da legenda em formação. Atual presidente do DEM, ele diz, no entanto, que a sigla "não criará constrangimentos" a filiados e diretórios que decidam apoiar o presidente Jair Bolsonaro. A postura é semelhante à do DEM hoje. Oficialmente, a sigla não integra a base aliada, mas tem dois ministros no governo (Onyx Lorenzoni e Tereza Cristina) e maioria das bancadas na Câmara e no Senado alinhada ao Palácio do Planalto.

Em faixa própria – Um dos objetivos da fusão – que deve criar uma das maiores legendas da atualidade – é lançar candidato próprio ao Palácio do Planalto em 2022. "A gente acha que nasce com musculatura suficiente para isso", afirmou. O dirigente partidário ressaltou que, apesar disso, os diretórios municipais e regionais da nova legenda ficarão livres para apoiar outros candidatos. "Ter candidatura própria a presidente não significa que a gente pretenda estabelecer qualquer tipo de constrangimento para as lideranças e figuras do partido que eventualmente em seus Estados tenham uma situação distinta da nacional", disse.

Ceará desconectado – Apesar de figurar entre os dez estados com os maiores acessos a computadores para alunos durante a pandemia do novo coronavírus, estudantes da rede pública no Ceará têm menos conectividade com a internet, segundo o IBGE. A disponibilidade de computadores e tablets no Estado é 60,8% para matriculados nas unidades públicas e 78,0% na rede particular. O levantamento mostra ainda que salas ou laboratórios de informática estavam disponíveis para 75,2% dos escolares, sendo 76,5% na rede pública e 66,2% na rede privada.

Nordeste ameaçado – O Governo Federal anunciou um projeto para reduzir os incentivos fiscais fornecidos à iniciativa privada nos próximos anos, criando um espaço maior para compensar os impactos no orçamento gerados pela crise da pandemia do novo coronavírus. Especialistas ponderam que a inciativa poderá reduzir o potencial de desenvolvimento regional no Norte e no Nordeste, elevando ainda mais a disparidade econômica. De acordo com o plano elaborado pela Receita Federal, a previsão é cortar mais de R$ 22 bilhões em gastos tributários, sendo R$ 15 bilhões cortados já no primeiro ano.

Renovação na bancada – Um dos maiores atacadistas do polo de confecções do Agreste, com negócios entre Santa Cruz do Capibaribe e Santa Catarina, o empresário Robson Ferreira, líder do movimento bolsonarista na região, deve disputar um mandato de deputado federal em 2022, com chances de se revelar na mais surpreendente novidade da eleição proporcional. Foi ele que liderou o grupo responsável pela organização da motociata pro-Bolsonaro, no último dia 4, saindo de Santa Cruz em direção a Caruaru, atraindo mais de 70 mil motociclistas.

CURTAS

VOLTA AOS ESTÁDIOS – Jogos de futebol profissional voltaram a ser realizados com público a partir de ontem em Pernambuco. Para todos os eventos esportivos, o Governo autorizou a presença de até 2,5 mil pessoas ou 20% da capacidade do local, o que for menor, desde que elas tenham sido vacinadas contra a Covid-19. Além disso, também foi ampliada a quantidade de pessoas em shows, eventos culturais, sociais e corporativos em todo o Estado, que podem receber até 2,5 mil pessoas ou 50% da capacidade total do local onde o evento deve ser realizado.

VACINA OBRIGATÓRIA – Reunidos virtualmente, os integrantes da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa aprovaram, ontem, por unanimidade a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 para todos os servidores efetivos ou que prestam serviço ao poder público estadual. A medida se estende a servidores, militares estaduais, contratados temporários, empregados de empresas estatais e prestadores de serviços e também se aplica aos outros poderes e órgãos estaduais, como Legislativo, Judiciário e Ministério Público.

Perguntar não ofende: Quem será, afinal, o candidato do PSB a governador de Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Caruaru - Feira da Sulanca


27/09


2021

Coluna da segunda

Miguel pede passagem  

"Quem é coxo, parte cedo”, já dizia Ulysses Guimarães, o Senhor Diretas, estadista que inaugurou a nova ordem democrática no Brasil com a Constituição de 88, após 21 anos de ditadura militar. Valente, conciliador, nacionalista convicto, Ulysses participou de todas as campanhas pelo retorno do País à democracia, inclusive liderou a luta pela anistia ampla, geral e irrestrita. Com o fim do bipartidarismo em 1979, o MDB converteu-se em Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), do qual virou presidente nacional vitalício.

Com as sandálias da humildade, um jovem de 30 anos, representante da nova geração aguerrida do clã Coelho, remanescente das terras secas euclidianas, simbolizadas pelas caras assustadoras saídas das mãos de Ana das Carrancas, botou os pés no Recife, sábado passado, para assinar a ficha do DEM, apresentando-se assim: “Muito prazer, Pernambuco! Sou Miguel Coelho, prefeito de Petrolina”. Seu gesto franciscano foi aplaudido por uma plateia de quase mil pessoas, que foi ao delírio.

Na linguagem convencional, Miguel foi ovacionado. As palmas e os gritos partiram de caras velhas e novas da política estadual, de partidos das mais diferentes cepas ideológicas, do DEM, sua nova legenda, ao PSB, incluindo o PSDB, que tenta também criar uma candidatura de oposição ao Palácio do Campo das Princesas com a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra. O barulho ensurdecedor da plateia dava a sensação de uma resposta assim em couro: “Seja, bem-vindo! Pernambuco precisa de ti, Miguel.”

O cenário armado para a filiação e, ao mesmo tempo, o pré-lançamento da candidatura de Miguel ao Palácio do Campo das Princesas lembraram as convenções americanas e os lendários atos do ex-governador Eduardo Campos. Aliás, tão visionário quanto ousado como Eduardo, Miguel quer Pernambuco lhe dando oportunidade para mostrar a ilha de exceção de gestão que transformou a sua Petrolina.

Quando sonhou com o Planalto, Eduardo também pediu para apresentar sua vitrine ao País. Eduardo foi ulyssista, partiu cedo, mas foi impedido de sonhar por uma fatalidade que lhe roubou a vida. Miguel também adotou a filosofia Ulysses Guimarães. É coxo, porque sua obra só ganhou vitrine até agora no Sertão. Para torná-la ampla, geral e massificada, tem que calçar botas de sete léguas para percorrer, além do seu Sertão, o Agreste, a Zona da Mata e a Região Metropolitana.

Dos três pré-candidatos da oposição, Miguel é o que tem o maior acervo de obras e projetos estruturadores como cartão de apresentação ao grosso do eleitorado concentrado na Região Metropolitana do Recife, onde ainda é uma cara estranha. Daí, a humildade de se apresentar pedindo passagem para seu bloco desfilar na avenida.

Muito prestigiado – Segundo os organizadores do ato pró-Miguel, 34 prefeitos foram bater palmas para ele, sendo quatro de outros estados. Os 500 lugares reservados foram todos ocupados e muita gente ficou em pé. Contou ainda com lideranças de nove siglas: DEM, MDB, PSB, PSL, PP, Podemos, Avante, PSDB e PV. Entre os principais nomes, o presidente nacional do Democratas, ACM Neto, o vice-presidente do PSL, Antônio Rueda; o presidente estadual do DEM, Mendonça Filho, os prefeitos de Florianópolis, Gean Loureiro, de Salvador, Bruno Reis (ambos do DEM); e de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD).

O palanque nacional – Nos discursos celebrando o ingresso de Miguel ao DEM e seu start rumo ao Palácio das Princesas, ninguém associou seu palanque estadual ao nacional. Mas se o PSD, de Kassab, se entender com o DEM e o PSL, que virarão um único partido com a fusão prevista para o próximo dia 5, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), tem chances de se transformar no candidato apoiado por Miguel em Pernambuco, constituindo, assim, de fato e de direito a chamada terceira via.

Ameaça ao PSB – Caso o PSD de Kassab marche junto com Rodrigo, o PP tanto pode se agregar a essa frente quanto ficar com Bolsonaro. Caso adira a Pacheco, em Pernambuco Miguel passa a ser o candidato com mais chances de provocar uma fissura na Frente Popular, atraindo o grupo do deputado federal Eduardo da Fonte, presidente estadual da legenda. Miguel passa a ser, portanto, o postulante da oposição mais temido pelo PSB, muito mais que Raquel e Anderson, que não teriam esse guarda-chuva nacional.

Três de olho no TCU – Atual líder do Governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho está cotado, sim, para a vaga que será aberta no Tribunal de Contas da União com o pedido antecipado de aposentadoria do ministro Raimundo Carreiro. A vaga é da cota do Senado, não tem interferência do presidente Bolsonaro, mas Fernando tem concorrentes: o senador mineiro Antônio Anastasia (PSDB) e a senadora Kátia Abreu , do PP de Tocantins. A antecipação da aposentadoria de Carreiro depende de um gesto de Bolsonaro: convocá-lo para assumir uma embaixada no Exterior.

Fica no DEM – Uma das principais lideranças do DEM no Estado, a deputada Priscila Krause tem uma relação melhor e mais estreita com Raquel Lyra, até porque foi apoiada pela prefeita tucana nas eleições passadas. Com o sepultamento das coligações pelo Senado, o melhor caminho para Priscila renovar o seu mandato na Alepe é o DEM. Até porque uma candidatura própria a governador, como a de Miguel, além de facilitar a montagem da chapa proporcional, não será obra do partido, mas da fusão com o PSL. Custaria um preço caro para a deputada se rebelar apenas porque teria uns votinhos colada a Raquel. Candidata a governadora, a tucana, vale a ressalva, não poderá ter candidato preferencial ao parlamento.

CURTAS

ORGULHO – Do presidente nacional do DEM e ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, em discurso no ato de sábado passado: "Petrolina consagrou a primeira gestão de Miguel. Um gestor público que nos orgulha. Muito mais que qualquer palavra que eu possa falar neste encontro, o reconhecimento do seu povo o qualifica para seguir uma nova jornada na sua nova vida pública."

ENGAJAMENTO – De Mendonça Filho em seu discurso: “A gente tem muita fé de que Miguel vai tocar o coração do povo, apresentar boas ideias, propostas, num diálogo aberto para que a gente possa mudar Pernambuco. A gente vai ajudar onde quer que a gente esteja, no Agreste, na Mata, no Sertão ou mesmo aqui na capital e Região Metropolitana.”

Perguntar não ofende: Depois de Miguel, quem dirá que é candidato a governador em ato formal: Raquel ou Anderson?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Arcoverde novembro 2021


25/09


2021

Coluna do sabadão

Miguel apresenta credenciais

Por Houldine Nascimento – interino

Na noite que antecede o ato de filiação ao Democratas, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, disse estar com “as energias carregadas” para, em suas palavras, “construir um projeto de Estado e de futuro para Pernambuco”. A mensagem veio durante um encontro promovido com a imprensa, em um restaurante no Pina, Zona Sul do Recife.

Mesmo enfatizando que o propósito da reunião era o de confraternizar, o pré-candidato do DEM ao Governo de Pernambuco já deu algumas pistas sobre seu projeto, além de marcar posição contra a Frente Popular. Miguel falou em “devolver o brilho e a altivez” ao Estado, além de ressaltar indicadores ruins de Pernambuco.

“Nós temos o estado que mais cobra imposto no Nordeste e o que menos gera emprego no Brasil. É o pior estado em distribuição de água e o nono mais violento do Brasil. Está muito claro que o pernambucano está insatisfeito e tem o direito de estar. Cabe a nós, lideranças políticas, ter a habilidade e entender esse sentimento e poder ofertar ao eleitor um projeto que ele se sinta parte”, afirmou.

Miguel Coelho também disse não ter pressa e falou em “construir caminhos” para o pleito em 2022. Sobre uma eventual nacionalização na corrida eleitoral, o prefeito de Petrolina assegurou que não está preocupado: “Se você olhar as eleições nacionais e estaduais, o eleitorado pernambucano sempre votou desassociado. É óbvio que tem uma influência, mas o eleitor percebe a perspectiva do voto útil, o que melhor agrega ao seu estado.”

“Se a gente ficar falando muito de Brasil no debate estadual, a gente vai falar pouco de Pernambuco, e Pernambuco precisa ser tratado. A gente precisa gastar energia e tempo para encontrar uma solução para esses problemas que não são novos, mas continuam tirando o sono de 3,7 milhões de pernambucanos, que estão desalentados”, continuou. No jantar, também estiveram presentes o presidente estadual do DEM, Mendonça Filho, o deputado estadual Antonio Coelho e o deputado federal Fernando Coelho Filho, ambos do DEM.

Para o ato de filiação, hoje, são aguardados 500 políticos e convidados. Das lideranças nacionais, o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, os prefeitos de Salvador, Bruno Reis, e Florianópolis, Gean Loureiro, além do presidente nacional do Democratas, ACM Neto. Antonio Rueda, vice-presidente do PSL, partido que fará fusão com o DEM, também é aguardado, assim como o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), pai de Miguel, Antonio e Fernando.

“Unidade continua” – Miguel Coelho comentou o anúncio da formação de um bloco oposicionista integrado por PL, PSDB, PSC e Cidadania, contendo ao menos dois pré-candidatos ao Governo do Estado: os prefeitos de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, e de Caruaru, Raquel Lyra. “Avalio como muito positivo, afinal de contas mostra que a gente está na mesma página”, disse. “Foi um movimento de parte da oposição em prol da oposição. Nem tentem criar uma separação porque não existe. A unidade continua”, prosseguiu.  

Aceno – Durante um breve discurso, o prefeito Miguel Coelho fez referência à deputada estadual Priscila Krause (DEM), um dos destaques do partido no Estado: “Não tenho como fazer esse agradecimento a Mendonça sem registrar também o acolhimento que recebi de todos do DEM, desde o nosso anúncio. Em nome da deputada Priscila Krause, que tem uma história belíssima dentro do partido e com certeza tem muito o que contribuir com esse projeto, mas acima de tudo com o futuro de Pernambuco.” Miguel também ressaltou que Priscila foi a primeira pessoa que ele procurou ao decidir ingressar no DEM, além de falar em gratidão. 

Incógnita – Paira uma indefinição sobre o destino de Priscila em 2022. Nos últimos dias, cresceram rumores sobre uma ida para o PSDB, que é presidido por Raquel Lyra em Pernambuco. A proximidade entre as duas é um fator levado em conta nessa especulação. Contudo, fontes de DEM e PSDB ouvidas pelo Blog negaram essa mudança, pelo menos por ora. Um aliado da própria Priscila definiu como “boato”. A boa relação com Mendonça pode pesar para a permanência. Como nada é definitivo na política, segue a dúvida.

Dia D – O Governo do Estado alertou os 184 municípios para o fato de 780 mil pernambucanos estarem com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 atrasada. A data de hoje foi escolhida para esta mobilização visando à aplicação em massa do imunizante. “Estamos com 65% da nossa população vacinada com a primeira dose, mas apenas 33% com a imunização completa. É fundamental que consigamos avançar nesse público”, declarou o governador Paulo Câmara.

Covidário – Depois de o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testar positivo para a Covid-19, outros integrantes do Governo Federal também foram diagnosticados com a doença: a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e o chefe da Advocacia-Geral da União, Bruno Bianco. Filho “03” do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também está com Covid. Ele não integra o Governo, mas esteve na comitiva presidencial que foi à ONU, assim como Queiroga.

CURTAS

DESPEITO – O vereador Neudo da Itã (DEM), de Carnaíba, se insurgiu contra as inúmeras homenagens feitas ao saudoso compositor Zé Dantas. “Eu quero saber o que tanto ele fez por Carnaíba para ter tanta honraria”, chegou a dizer sobre o conterrâneo ilustre, famoso pela parceria com Luiz Gonzaga.

MUTIRÃO – Liderado por Anderson Felipe e Severo, o projeto social Todos promove hoje, das 14h às 17h, um mutirão na comunidade do Bode, no Pina, Zona Sul do Recife. Atendimentos jurídico, psicológico e nutricional, aferição de pressão arterial e glicose estão entre os serviços ofertados na Rua Oswaldo Matos.

Perguntar não ofende: Priscila Krause seguirá no DEM?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021


24/09


2021

Coluna da sexta-feira

Ameaça à reeleição 

O Senado barrou a volta das coligações partidárias já para as eleições de 2022, casuísmo praticado pelos deputados pegando carona na mini reforma eleitoral em discussão pelo Congresso. O plenário do Senado manteve o texto do relatório da senadora Simone Tebet (MDB-MS). Na prática, poder ter obrigado muita gente a dar adeus ao parlamento.

Porque, na prática, sem as coligações, boa parte da Câmara Federal não se renova. Serve para todos, inclusive penaliza grande parte da bancada de Pernambuco, especialmente dirigentes de partidos sem expressão em termos de representação no Congresso. Simplesmente, poucos terão condições de montar chapa competitiva para alcançar o coeciente eleitoral – 190 mil votos para federal e 90 mil para estadual.

O fim das coligações havia sido aprovado pelo Congresso em 2017, mas só foi testada por enquanto nas eleições de 2020, para vereadores. Até o momento não vigorou nas disputas para deputados federais, estaduais e distritais. Especialistas avaliam que as coligações poderiam deturpar o voto dado pelos eleitores, porque acaba privilegiando candidatos de outras legendas. A expectativa é que a parte da PEC que passou pela Câmara e foi aprovada pelo Senado vá a promulgação em breve, a fim de valer já para as eleições do próximo ano.

O texto aprovado prevê a contagem em dobro aos votos dados a mulheres e negros para Câmara dos Deputados, para fins de distribuição de recursos dos fundos partidário e eleitoral, até 2030. A medida tem por objetivo estimular essas candidaturas, sub-representadas no Parlamento. O texto alterou a data da posse do presidente da República para 5 de janeiro e governadores, para 6 de janeiro, valendo para os eleitos no pleito de 2026.

Essa mudança decorre do fato que a data anterior, no dia 1º, dificultava a participação de autoridades e personalidades de outros países. A proposta também muda critérios de fidelidade partidária, acabando com a punição de deputado ou vereador que mudar de partido em caso de haver concordância da legenda.

Visão da relatora – "A coligação nas eleições proporcionais é objeto de crítica e tentativa de supressão nas duas Casas do Congresso Nacional desde a década de 1990", justificou a senadora Simone Tebet, relatora na PEC. O retorno das coligações é uma reivindicação de partidos pequenos. Para eleger mais parlamentares, essas legendas dependem das alianças. Suas chapas ao Legislativo têm poucos votos, embora alguns candidatos sejam bem votados. Em defesa do fim das coligações proporcionais, argumenta-se que estimulam a proliferação de legendas de aluguel e bancadas pulverizadas. Em consequência, ocorreriam com problemas de governabilidade.

Perdeu o sono – O fim das coligações ameaça a reeleição de uma penca de deputados federais da bancada pernambucana. Um dos mais assustados é Raul Henry. Seu partido, o MDB, não tem chapa e, consequentemente, chances de levá-lo à reeleição. Para sobreviver e tentar salvar o seu mandato terá que mudar de legenda, uma travessia complicada, já que é presidente estadual do MDB, partido no Estado controlado pelo senador Jarbas Vasconcelos, de quem Henry é uma espécie de herdeiro político.

Haja Lexotan! – Presidente estadual do PSD, o deputado André de Paula também passou a tomar tranquilizantes para fazer o reencontro com o sono depois que o Senado pôs fim ao projeto casuístico da ressurreição das coligações. Sua legenda, que é nanica, não tem candidatos competitivos para montagem da chapa. Igual drama vive também Augusto Coutinho, dono de outro pingo no oceano partidário, o Solidariedade (SD). 

Parcelamento de débitos – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou, ontem, decreto que permite o parcelamento de débitos de outorgas pelas emissoras de rádio e TV. Antes do decreto, os valores deveriam ser pagos à vista. Conforme o texto, emissoras de rádio e TV em situação de inadimplência, ou seja, com valores do preço público da outorga em aberto, podem solicitar o parcelamento do saldo remanescente. Segundo o Ministério das Comunicações, responsável pelas outorgas, o objetivo do decreto é promover a regularização de débitos e facilitar o processo de outorgas no País. A inadimplência desses valores soma um total de R$ 224 milhões.

Dias contados – Uma fonte bem próxima ao comando do PSB estadual revelou, ontem, ao blog, que o tempo de sobrevivência na legenda do prefeito de João Alfredo, Zé Martins, será encurtado depois do gesto rebelde de bater palmas, amanhã, ao prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, no seu ingresso oficial ao DEM, partido que será fundido ao PSL e pelo qual disputará o Governo do Estado nas eleições do ano que vem. Ao Frente a Frente, quarta-feira passada, Martins disse que não estava nem aí com as pressões e ordenou: “Que me expulsem”.

CURTAS

NORONHA – A equipe de Meio Ambiente da Administração de Fernando de Noronha iniciou a fiscalização no aeroporto para impedir a entrada de vegetação exótica na ilha. Os objetivos são conscientizar e informar a comunidade sobre a proibição da entrada ou importação de plantas, sementes e mudas de quaisquer espécies. A entrada de espécies exóticas em Noronha é proibida, através de uma portaria de 2020, para evitar impactos na vegetação nativa.

BURAQUEIRA – Não são apenas as estradas do Sertão que estão abandonadas pelo Governo Paulo Câmara. Os acessos até Fazenda Nova, seja por Jataúba, cidade próxima, ou pelo Lampião, para quem vem de Caruaru, viraram tábua de pirolito. E olha que Fazenda Nova, com o teatro de Nova Jerusalém, é território cobiçado por turistas brasileiros e internacionais.

Perguntar não ofende: Cadê o plano de recuperação das estradas, governador?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

SESC - Férias de Janeiro


23/09


2021

Coluna da quinta-feira

A senha da expulsão

Na entrevista que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, o prefeito de João Alfredo, Zé Martins, histórico socialista, disse algumas verdades que os gestores socialistas no Estado em geral vivem a situação na pele, mas não têm coragem de se manifestar em público. Martins disse, por exemplo, que o governador Paulo Câmara foi extremamente desatencioso com ele, a ponto de sequer dar um telefonema de parabéns pela vitória eleitoral.

Isso atesta, mais uma vez, que Câmara continua um estranho no ninho da política, que foi um aluno fracassado do seu mestre, o ex-governador Eduardo Campos. Duvido que Eduardo, em vida, seja no exercício do mandato de governador, ministro ou deputado federal ficasse alheio às comemorações de um aliado eleito prefeito. Era o primeiro a ligar, sem interferência de secretária, direto do seu celular pessoal. Na essência da palavra, Eduardo foi um animal político.

Paulo Câmara deve ter deixado de cumprimentar uma penca de prefeitos pela vitória municipal em 2020. Diferente de Eduardo, o governador e sucessor não ternura ninguém, nem os que têm voto e cheiro do povo. Não é do ramo. Outra verdade que Martins disse: até agora, com nove meses de gestão, não recebeu um centavo do Governo do Estado, nem mesmo na gestão da pandemia. Não só ele, um exército de prefeitos se encontra nessa situação, mas nada falam, temendo represálias.

Zé Martins disse que era independente. E é mesmo. Não dependeu do PSB para ser eleito. Chegou ao poder pela força popular que detém. E faz uma gestão em sintonia com a população, com quase 80% de aprovação, segundo o Instituto Opinião, de Campina Grande (PB). Por isso mesmo, controla o eixo da venta e tem a liberdade de ir prestigiar o ato de filiação do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ao DEM, mesmo sabendo que vai desagradar à cúpula do PSB.

“Não estou nem aí, se quiserem me expulsar fiquem à vontade”, desabafou, adiantando que não irá sozinho ao lançamento da pré-candidatura de Miguel ao Governo do Estado. “Vou levar uma caravana para bater palmas para ele, que é um grande gestor e merece ser governador”, disse. Aos bons entendedores, o prefeito de João Alfredo, terra de Severino Cavalcanti, deu a senha para ser expulso.

Porteira – Zé Martins é o primeiro, mas não será o único a mostrar que tem cabelo na venta para contrariar o partido. Soube que outros prefeitos do PSB, extremamente agradecidos pelo apoio recebido do senador Fernando Bezerra Coelho, pai de Miguel, na transferência de recursos federais, irão ao ato de filiação e lançamento da pré-candidatura do prefeito de Petrolina a governador, assim como uma penca de vereadores. O corajoso Zé Martins pode ter dado o start para abertura da porteira.

Turismo religioso – O prefeito de Limoeiro, Orlando Jorge (Podemos), comemora desde ontem uma bela notícia: enfim, a Caixa deu o aval para celebrar o convênio para liberação de recursos federais ao projeto de revitalização do Alto do Cristo, área que tende a se constituir no futuro um chamariz para o chamado turismo religioso. A emenda é do deputado federal Ricardo Teobaldo, presidente estadual do Podemos, e padrinho político do prefeito.

Pontualidade – Um relatório elaborado pela empresa Cirium, especializada em dados para a aviação, com base nas informações do mês de agosto, revelou que o Aeroporto Internacional do Recife é o mais pontual da região Nordeste. Além de ser destaque no Brasil, o terminal também foi considerado como o 4º mais pontual do mundo entre os aeroportos de médio porte. Durante o mês de agosto, o índice de pontualidade do local ficou em 92,2%. “O Aeroporto do Recife vem colecionando números positivos durante a retomada do turismo. Desde a malha aérea até às questões estruturais e técnicas. Estamos muito satisfeitos com o resultado apontado pelo estudo e nos destacamos sendo o único do Nordeste a figurar no ranking”, disse o secretário de Turismo, Rodrigo Novaes.

Alinhado ao PSB – Na coluna de ontem, cometi um equívoco. Informei que o prefeito de Tacaimbó, Álvaro Marques, a única exceção petista de gestor municipal eleito no Agreste Setentrional, era favorável à tese da candidatura própria ao Governo do Estado nas eleições de 22. “Sou aliado do Governo Paulo Câmara e por isso mesmo favorável a que o PT se alinhe ao PSB, mas vou esperar a palavra final do comando do meu partido”, ressaltou. Está feita a correção, prefeito!

O grito de Casagrande – Casagrande engrossou a lista dos artistas que partiram para o ataque contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após o discurso do “capitão” na Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas). Para o comentarista da Globo, o político contou mentiras para o mundo. O desabafo do ex-jogador aconteceu durante o Seleção SporTV e foi motivado em razão da crise vivida dentro da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) por causa das acusações de assédio contra Rogério Caboclo. “Nós temos um presidente, na ONU, que não para de falar mentiras, é isso que ele fez lá, contar mentiras”, disparou.

CURTAS

CIRURGIAS – As cirurgias eletivas foram retomadas, ontem, no Hospital Otávio de Freitas, no Sancho, na Zona Oeste do Recife. Os procedimentos sem urgência tinham sido suspensos na quinta-feira passada, durante uma semana, por causa da superlotação da unidade. A decisão de suspender os procedimentos marcados para pacientes sem risco de morrer foi anunciada pela direção do Otávio de Freitas.

MÃO ESTENDIDA – Um programa de apoio a empresas privadas foi lançado, ontem pelo Governo do Estado. O Estado vai pagar, por seis meses, metade do salário mínimo (R$ 550) para cada novo trabalhador contratado. Para participar, os interessados devem se cadastrar a partir de 1º de outubro e seguir uma série de pré-requisitos saiba quais são eles. Com o Emprego PE, o estado planeja reforçar as ações de recuperação da economia após os impactos da pandemia.

Perguntar não ofende: Depois de Zé Martins, quem vai abrir o bico para contar as verdades do PSB?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes novembro 2021


22/09


2021

Coluna da quarta-feira

A notícia é dos andarilhos

Com o advento da internet, criou-se o jornalismo Control+C, Control-V, o chamado copia e cola. É o da acomodação e da enganação. O verdadeiro, corajoso e atrativo jornalismo está na busca da notícia in loco, na fonte, o que faço desde quando ingressei na profissão na década de 80 como correspondente do Diário de Pernambuco em Afogados da Ingazeira, minha terra natal.

Na corrida incessante da notícia, vivo na estrada ou no ar. Os fatos batem em mim, muitas vezes. Nas últimas três semanas, troquei o avião, rumo a Brasília, por um veículo quatro rodas. Na estrada, enfrentando buracos ou comendo poeira, levanto as notícias que mais tarde, por outros veículos que vivem do copia e cola, viram pauta ou também manchetes. Todo repórter tem que ser estradeiro.

Foi na estrada que, na semana passada, no Araripe, descobri que existe uma estrada da maior importância econômica para dois Estados – Pernambuco e Ceará – que só a parte cearense tem asfalto. A pernambucana continua na poeira. Foi também lá que vi falar pela primeira vez – e fiz uma bela matéria – do gesso agrícola, destinado a enriquecer o solo dos que vivem do agronegócio no Norte e Centro Oeste.

Também no contato com povo, tomei conhecimento – e produzi postagem – que a pequena Tacaimbó, que vive praticamente da cultura de subsistência, está abastecendo todo o Nordeste de maxixe, rompendo fronteiras, como Manaus, capital do Amazonas. Mais um exemplo, diga-se de passagem, de que o Nordeste é uma região rica e próspera, não tendo sucumbido pelos efeitos da pandemia.

Foi ainda andando pelo Interior que conheci o jardineiro Valmir, de Ouricuri. Sua postagem, revelando um carinho impressionante no trato com as plantas das praças públicas da cidade, emocionou muita gente, gerando um grande número de compartilhamentos.

Em João Alfredo, ontem, soube que o município está enfrentando uma das secas mais prolongadas da sua história, o que tem levado o prefeito a buscar alternativas, entre elas a construção de poços artesianos, já em torno de 20 feitos pela Prefeitura.

Este meu estilo e jeito de fazer jornalismo é, também, o da cidadania, em defesa dos que não têm voz, esquecidos pela tradicional mídia, que ainda tem a falsa cultura de que o Interior não gera notícias. Aliás, para este segmento gera: as negativas, para jogar os municípios na sarjeta.

Por fim, viajar, abrir espaço para gente esquecida, dar o tom que o Interior abandonado merece, isso me faz muito bem. Faz-me botar, todas as noites, a cabeça no travesseiro e dormir o sono dos justos.

Rio sai na frente – A cidade do Rio de Janeiro (RJ) entrou, ontem, em uma nova fase de flexibilização. A partir de agora, estão permitidos eventos em locais abertos com até 500 pessoas e a presença de público em estádios e ginásios, desde que vacinados contra a covid-19. As novas regras foram publicadas na edição de ontem do Diário Oficial do município. Na última segunda-feira, o prefeito Eduardo Paes (PSD) comemorou que 99% dos adultos da cidade receberam ao menos uma dose de vacina anti-covid. Desde a última quarta-feira, o Rio exige a apresentação de certificado de vacinação para entrada em locais de uso coletivo, como academias e cinemas.

Herança maldita – Prefeito de Passira, no Agreste Setentrional, a terra da renda e dos bordados, o prefeito Severino Silvestre (PSD) está em tempo de perder os últimos fios de cabelo na gerência dos pepinos herdados pela ex-prefeita Rênya Medeiros (PP), que deixou uma montanha de débitos impagáveis na Celpe, Compesa, servidores ativos e inativos, além de uma porção expressiva dos chamados cheques “voadores”. Cadê os órgãos de controle do Estado?

Nova Belo Jardim – Já o prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela (DEM), que também recebeu uma fortuna de débitos de gestões passadas, além regularizar o CAUC, serviço que disponibiliza informações acerca da situação de cumprimento de requisitos fiscais necessários à celebração de instrumentos para transferência de recursos do governo federal, pelos entes federativos, seus órgãos e entidades, e pelas Organizações da Sociedade Civil (OSC), tem entregado obras à população e investido fortemente na área de saúde.

Passaporte da vacina – A partir de 1º de outubro, Fernando de Noronha passa a adotar novo protocolo para a entrada de turistas, com a cobrança do "passaporte" da vacina contra a Covid-19. A administração vai exigir a apresentação da carteira digital com a comprovação de duas imunizações. A segunda dose tem que ser tomada, no mínimo, 21 dias antes da viagem. Segundo a administração da ilha, estão previstas outras exigências. Quem tomou uma dose terá que apresentar carteira digital e mais um dos seguintes exames: resultado negativo do teste RT-PCR, realizado 48 horas antes do embarque ou menos, ou resultado do exame IgG por sorologia. Testes rápidos não serão aceitos.

Candidatura própria – Egresso do Central de Caruaru, onde jogou como volante, o prefeito Álvaro Marques (PT), de Tacaimbó, a capital do maxixe, a 170 km do Recife, é o único gestor petista na região do Agreste Setentrional. Militante raiz da sigla vermelha, Marques não está convencido de que o melhor caminho para o PT seja restaurar uma aliança com o PSB estadual. Defensor de candidatura própria para governador, acha que Lula pode vir tão forte na disputa presidencial que levaria o PT a arrebatar do PSB as rédeas do Governo de Pernambuco.

CURTAS

POLUIÇÃO – Moradores do distrito de Frexeiras, em Escada, na Zona da Mata, têm sofrido com as queimas da palha de cana-de-açúcar, principal atividade agrícola de Pernambuco. A cidade, com 70 mil habitantes, é cercada por canaviais e, em época de colheita, fica tomada pela fumaça resultante do uso de fogo pelos produtores. O impacto ambiental do processo também afeta a região.

Que Deus o tenha! – Muito lamentada pela classe artística a morte do violonista e compositor Henrique Annes, na noite da última segunda-feira, aos 75 anos. De acordo com familiares, ele sofreu uma parada cardíaca quando estava sendo levado para uma cirurgia, no Hospital Santa Terezinha, na Iputinga, na Zona Oeste do Recife. O violonista atuou em sinfônicas e orquestras de câmara no exterior e no Brasil. Foi professor no Conservatório Pernambucano de Música, por quase 40 anos. Também integrou a Orquestra de Cordas Dedilhadas de Pernambuco e a Orquestra Armorial.

Perguntar não ofende: O nome de Fernando Bezerra Coelho será emplacado por Bolsonaro na indicação para o TCU?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão


21/09


2021

Coluna da terça-feira

Protagonismo das mulheres

Ao participar de uma mesa de debates da Marketing Week da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP), o professor Josmar Andrade perguntou a jornalista Adriana Vasconcelos se o protagonismo das mulheres nas eleições é uma realidade ou ainda vamos conviver com muitas candidatas laranjas para cumprir cotas partidárias? Minha resposta foi taxativa: as mulheres vieram para ficar”, respondeu.

E acrescentou: “Ninguém se engane, as candidaturas laranjas são invenções dos homens e não das mulheres. Ainda que alguns partidos, normalmente comandados por homens, prefiram se arriscar burlando a lei, em vez de investirem em novas lideranças femininas, esse quadro começa a mudar. O protagonismo feminino, pouco a pouco, vem se impondo por méritos próprios”.

Adriana destacou que o tapete vermelho que será estendido, amanhã, pelo PSB, para filiação da deputada Tábata Amaral (SP) e a recepção calorosa preparada pelo Cidadania para a senadora Leila Barros (DF) no mês passado, confirmam tudo isso. Após garantir na Justiça Eleitoral o direito de se desfiliar do PDT sem perder o mandato, Tábata anunciou no programa “Conversa com Bial”, na Globo, sua filiação ao PSB.

“Há quem possa insinuar que a festa pela chegada dela ao PSB se deva, em parte, ao prestígio do namorado e prefeito de Recife, João Campos, filho do ex-governador Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo quando disputava a eleição presidencial em 2014. Mas não há como negar as qualidades dessa jovem deputada federal, que vinha sendo cortejada por várias legendas. Tábata foi a 6ª parlamentar mais votada da bancada paulista e se destaca na nova geração de políticos que chegou ao Legislativo em 2018”, assinalou a jornalista em texto no site Poder360.

A luz e opiniões próprias de Tábata, segundo Adriana Vasconcelos, incomodaram veteranos da política, como o presidenciável Ciro Gomes, que descambou para ataques pessoais contra a novata ao criticar o voto favorável dela à reforma da Previdência, contrariando então a posição fechada pelo PDT. “Incomodo as pessoas porque sou diferente. A agressividade maior é porque sou mulher”, atesta a deputada, que mesmo já tendo cumprido dois anos e meio de mandato, até hoje ainda é barrada por engano por alguns seguranças da Câmara dos Deputados, por conta de sua pouca idade e da condição feminina.

Lugar ao sol – O avanço das mulheres na política brasileira já é considerado um caminho sem volta. Até porque em alguns lugares elas já conseguiram dominar a cena. Dos oito deputados federais eleitos por Brasília, por exemplo, na eleição passada, cinco são mulheres. Entre elas, Flávia Arruda, a mais votada, é ministra da Secretaria de Governo. O protagonismo feminino chamou a atenção em outros estados da federação, onde candidatas mulheres também despontaram como as mais votadas entre os eleitos. É o caso das deputadas Rose Modesto (PSDB-MS), Mara Rocha (PSDB-AC) e Rejane Dias (PT-PI).

Fim da cota – Por falar em espaço da mulher na política, há um movimento no Congresso para acabar o sistema de cotas para candidaturas femininas, na qual elas têm a garantia de 30% dos recursos do Fundo Eleitoral em campanhas. Parte dessas mudanças foram introduzidas na reforma eleitoral aprovada pela Câmara dos Deputados, que deverá ser submetida à votação agora na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A ex-ministra Luciana Lóssio, do TSE, acha que os bons resultados colhidos pela bancada feminina em 2018 se devem, sobretudo, ao fato de que essa foi a primeira eleição na qual as candidatas mulheres tiveram assegurado recursos financeiros para suas campanhas. O não cumprimento das cotas passou a ser punido efetivamente pela Justiça Eleitoral.

Remoção de conteúdos – O presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso um projeto de lei que pretende mudar o Marco Civil da Internet e dificultar a remoção de conteúdos por parte das grandes plataformas de redes sociais. A ideia é vista por especialistas como uma forma de limitar a moderação na internet e facilitar a desinformação. O novo projeto é uma tentativa de ressuscitar a Medida Provisória n.º 1.068, que tinha a mesma finalidade e foi editada por Bolsonaro às vésperas dos atos de 7 de setembro.

Professores na pior – Os professores brasileiros nos anos finais do ensino fundamental têm os piores salários entre 40 países avaliados em um estudo da Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE). Dados do levantamento sobre o impacto da pandemia do novo coronavírus também mostraram que o Brasil foi o País que fechou as escolas por mais tempo durante a pandemia. O piso salarial dos docentes brasileiros se mostrou o mais baixo entre 37 nações do bloco e dos três países parceiros representados no levantamento. Em média, um professor brasileiro recebe R$ 131.407 (US$ 25.030), por ano no nível pré-primário; R$ 133.171 (US$ 25.366), no nível primário; R$ 135.135 (US$ 25.740), no nível secundário inferior geral; e R$ 140.301 (US$ 26.724), no nível secundário superior geral.

A pá de cal – A senadora Simone Tebet (MDB-MS), relatora da minirreforma eleitoral que prevê a volta das coligações partidárias nas eleições de 2022, já retirou a ideia do seu relatório, o que está contrariando a Câmara dos Deputados. Segunda ela, a livre coligação distorce o sistema, pois incentiva a união de partidos pouco compatíveis do ponto de vista ideológico. Assim, de acordo com o parecer, um eleitor poderia votar em um candidato que segue determinado programa e ajudar a eleger outro que, mesmo estando na mesma coligação, defende outras posições políticas.

CURTAS

APOIO EM TRINDADE – Não reeleita deputada estadual nas eleições passadas por menos de 400 votos, a médica Socorro Pimentel, esposa do prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, do PSL, já garantiu o apoio de seis vereadores de Trindade, município vizinho, ao projeto de disputar um novo mandato para a Alepe. E deve receber também a confirmação da própria prefeita Helbinha em seu palanque. 

EMPREENDEDORISMO – O Armazém da Criatividade em parceria com o Sebrae-PE e o Comciti promove de hoje até 8 de outubro um evento de empreendedorismo em Caruaru. O Programa Centelha visa estimular a criação de empreendimentos inovadores e disseminar a cultura empreendedora. O programa vai oferecer através da Rede de Inovação Mestre Vitalino uma série de capacitações, recursos financeiros e suporte para transformar ideias em negócios de sucesso. O evento é remoto com certificado de participação digital.

Perguntar não ofende: Quem escapa na bancada federal com a manutenção das proibições das coligações partidárias? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



20/09


2021

Coluna da segunda

Polarização nos Estados

A campanha nos Estados dificilmente escapará da polarização nacional envolvendo o duelo Lula x Bolsonaro pelo Palácio do Planalto. Mas os três principais pré-candidatos a governador de Pernambuco pelo bloco da oposição – Miguel Coelho (DEM), Raquel Lyra (PSDB) e Anderson Ferreira (PL) – não se alinharão ao Planalto.

O que mais poderia virar o candidato bolsonarista, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, por ser filho do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), ao ingressar no DEM, no próximo sábado, em grande ato no Recife, já decifra seu recado: está longe de Bolsonaro. Por um motivo muito simples: o DEM, seu novo partido, está sendo fundido ao PSL.

Da nova legenda, surgirá a maior bancada na Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado pernambucano Luciano Bivar, atual dirigente do PSL, partido que entregou de bandeja a Bolsonaro para ser candidato em 2018. Eleito presidente, Bolsonaro foi se afastando de Bivar e com ele acabou rompendo num processo desgastante, sem volta. É claro que Bivar não vai aceitar qualquer alinhamento de Miguel aos caminhos que levem ao palanque bolsonarista no Estado.

Diante do fato novo – a entrada de Miguel numa legenda que, fundida ao PSL, vira o grande gigante partidário no Congresso – Raquel Lyra, prefeita de Caruaru, e Anderson Ferreira, prefeito de Jaboatão – já fecharam um acordo para estarem juntos em 2022. Mas, quem vai abrir para quem? Há uma desconfiança de que a tucana, nesse entendimento, desponta como cabeça de chapa, e Anderson candidato ao Senado, isolando Miguel Coelho.

Raquel, aliás, começou a se distanciar de Miguel no momento em que ele foi a Caruaru estender o tapete vermelho para o PDT, de Wolney e José Queiroz, adversários da prefeita no município. Nos últimos dias, Raquel e Anderson têm conversado quase diariamente. A pauta é um samba de uma nota só: isolar Miguel, que, na leitura deles, é candidato de todo jeito, agora muito mais em função da opção partidária que fez, que lhe dará maior tempo na TV para propaganda eleitoral e um robusto fundo eleitoral.

Construindo um palanque na oposição de enfrentamento a Miguel, Raquel e Anderson também, naturalmente, não assumirão o bolsonarismo no Estado, o que abre espaço para o presidente escolher o seu candidato, que, neste cenário, tende a ser alguém muito identificado com ele e o seu Governo. Neste caso, o perfil que mais se encaixa como uma luva é o do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Caso a polarização nacional Lula x Bolsonaro se reproduza no Estado, o que tende a ser natural, a tendência é Miguel e Raquel ficarem fora do jogo. Afinal, Pernambuco não é uma ilha. No resto do País, as duas seitas – o lulismo e o bolsonarismo – guerrearão também na disputa para os governos estaduais. Alguém tem dúvida? A política não é uma ciência exata como a matemática, mas tem uma lógica.

Start da largada – A filiação de Miguel Coelho ao DEM, no próximo sábado, no Recife, se transformará num ato de lançamento da sua pré-candidatura a governador. É o que ele deixa claramente nas ligações que tem feito convidando lideranças politicas estaduais dos mais diferentes segmentos e cores partidárias. Outra grande estrela da festa será o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, presidente nacional do DEM, confirmado, ontem, segundo o ex-ministro Mendonça Filho.

Em qual acreditar? – Há duas versões de bastidores para a última jogada de toalha do ex-prefeito do Recife, Geraldo Júlio, em relação a 2022. A primeira é que, ao dizer que não será candidato de jeito nenhum a governador, sendo na realidade postulante, evitará o tiroteio antecipado. Já a segunda é que, de fato, tanto o governador quanto aliados do PSB estão certos que Geraldo está fora porque perdeu todas as condições naturais de candidato, principalmente em razão do seu isolamento e do andamento dos processos de investigação sobre as sete operações da Federal em sua gestão, aliado tudo isso ao temor de que os que assinaram como ordenadores de despesas venham a ser presos.

Duas dúvidas – O presidente Bolsonaro está tendo o mérito de resistir até chegar tão perto da eleição que os adversários começam a pensar mais nela e menos em derrubá-lo. Qual é a dúvida? São duas. Como reagirá o presidente quando, e se, a situação eleitoral dele prenunciar a possibilidade real de derrota? E como reagirá a oposição “de centro” se o campo dela continuar disperso mais tempo do que seria saudável? O céu deu uma acalmada, mas as nuvens estão ali no horizonte.

Ainda o apagão – O Brasil corre risco de sofrer apagões nos próximos meses mesmo com as medidas adotadas pelo governo na crise hídrica. É o que indicou a área técnica do TCU em relatório que ainda não foi levado para votação em plenário. As conclusões apontadas no parecer fazem parte de um processo de acompanhamento das medidas adotadas pela Creg (Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidro energética) para garantir o fornecimento de energia durante a crise hídrica. O documento também afirma que há indícios de que faltam “previsibilidade e razoabilidade” nas ações governamentais e de que não há plano formal para o caso de agravamento da situação, como no caso da nova bandeira tarifária que recebeu o nome de “bandeira de escassez hídrica”.

O dia D para Arcoverde – O processo de uma possível eleição suplementar em Arcoverde, a janela do Sertão, distante 250 km do Recife, se afunilou e terá seu desfecho na próxima quinta-feira pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Tem muita gente roendo as unhas na cidade. A ex-prefeita Madalena Britto, peça importante na eleição, anda se distanciando do prefeito Wellington Maciel (MDB), segundo ouvi na semana passada quando estive na cidade por uma fonte bem próxima ao gestor.

CURTAS

Protesto – O desafio dos organizadores do protesto de 2 de outubro é rivalizar com os expressivos atos pró-Bolsonaro de 7 de setembro. Precisarão mobilizar mais que a militância, precisarão colocar povo na rua. Os atos de 12 de setembro foram surpreendidos no contrafluxo, depois da distensão momentânea em Brasília.

Sem políticos – Três vezes prefeita de Santa Cruz da Venerada, no Sertão do Araripe, responsável pelos grandes avanços que o município alcançou desde que se libertou da condição de distrito de Ouricuri, Eliane Soares (Avante) nunca escolheu um secretário político para a sua equipe. Todos os seus auxiliares são técnicos. E tem dado certo.

Perguntar não ofende: Algum prefeito do PSB vai ao ato de Miguel Coelho no próximo sábado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Arnaldo Rodrigues Freitas

O bolsonarismo está na origem do Prefeito Miguel, no seu DNA. O seu pai como Líder do Governo Bolsonaro no Senado colocou um caminhão de dinheiro na Prefeitura de Petrolina e agora o filho quer cuspir no prato que comeu. Filho de peixe, peixinho é!


Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros