07/06


2021

Coluna da segunda-feira

O imexível Pedro Eurico

Na indiscutível sapiência da seleção do seu time, o ex-governador Eduardo Campos classificava seus auxiliares em dois patamares: os leiteiros e os sorveteiros. Reza a tradição do leiteiro acordar nos primeiros raios de sol no horizonte para a labuta diária da arte de sugar com as duas mãos, subtraindo das mamas da vaca no curral, o precioso leite das crianças.

Já o vendedor de sorvete só arrasta o carrinho com a sua mercadoria às ruas, na rotina de ir atrás do trocado diário, depois do meio-dia, tendo em vista que quase não existe seu consumo pela manhã por ser um produto gelado, bom para amenizar o calor.  Eduardo, claro, bom na pegada da ralação, admirava os sorveteiros, principalmente quando, brilhantes, rendiam bons resultados.

Mas, no fundo, só elogiava os leiteiros. Secretário de Justiça e Direitos Humanos do Governo Paulo Câmara, o advogado Pedro Eurico não é leiteiro nem sorveteiro. Mesmo assim, não sei por que razão ou milagres dessa vida caminhante, é um visgo de poder. Não cai nunca. É parte dos sanguessugas do serviço público: viram-se páginas de governo, mas ele está sempre lá.

E produzindo fábulas grotescas. Numa entrevista à TV Globo que virou meme pelas redes sociais, disse que o vírus da covid-19 não se pega em transportes públicos, seja em ônibus que as pessoas se transformam em salsichas, seja nos metrôs nos quais os passageiros passam pelo constrangimento de cheirar até o sovaco alheio, afora o assédio sexual.

“Ônibus não é vetor de contaminação”, proclamou ele, ao vivo, na poderosa global. Pedro Eurico é uma piada de mau gosto. Lá atrás, em 2016, liberou o número do seu celular para os presidiários. Os presídios, onde há rebeliões constantes, são subordinados a ele. “Eu vou ser cínico? Eu vou mentir? O celular existe e está lá. Além de dar o número do meu celular, eu disse: “Liguem a cobrar”.

Esta declaração, que na época gerou muita polêmica, foi sustentada, segundo ele, na suposta hipótese de um detendo sofrer tortura e ter a liberdade de denunciar por telefone. O governador não gostou nem um pouquinho, mas o manteve no cargo. No episódio mais recente, a repressão da PM aos manifestantes que foram às ruas contra o Governo Bolsonaro, Pedro Eurico disse que a ordem de bater e atirar bala de borracha não partiu do Governo e que não havia comando paralelo na polícia. Se não há comando paralelo, então partiu de quem, cara pálida, se não do Governo?

Pedro Eurico é uma piada de mau gosto! Teve cinco mandatos de deputado estadual. Ao final do último, encerrado em 2010, faz carreira na vida pública em todos os governos socialistas. Quer saber por que é imexível?

Eu não sei, mas talvez os pássaros que alegram as manhãs modorrentas do governador Paulo Câmara nos jardins do Palácio do Campo das Princesas tenham a resposta na ponta do bico.

No Livro dos Recordes – Pedro Eurico de Barros e Silva iniciou sua carreira política como militante da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Olinda e Recife. Durante a ditadura militar, defendia presos políticos, denunciava a tortura e a perseguição política. Em 1982 foi eleito vereador do Recife e em 1986, deputado estadual pelo PSB. No segundo Governo Arraes (1986-1990) ocupou a Secretaria de Habitação. Eleito, Eduardo Campos o nomeou secretário da Criança e da Juventude, sendo remanejado por Paulo Câmara para Justiça. Em 15 anos de governo socialista, Pedro Eurico se segura em cargos há nove anos. Candidatíssimo ao Guiness Book.

O rei dos memes – O super poderoso Pedro Eurico cometeu outro baita deslize verbal que viralizou como meme. Para tirar o Governo do bombardeio quando as concessionárias de automóveis foram excluídas do decreto de restrição de funcionamento na pandemia, afirmou o seguinte: "As concessionárias, primeiro, não agrupam muitas pessoas e, segundo, é um serviço essencial para que as pessoas possam exercer o direito de trocar, comprar seus veículos, como também isso funciona para supermercados, para farmácias".

Festas clandestinas – O decreto de restrições para tentar conter a Covid-19 no Estado foi desrespeitado na praia de Barra de Sirinhaém, sábado passado. Moradores e turistas se aglomeraram na orla. Em Pombos, na Zona da Mata Sul, a Polícia Militar descobriu uma festa clandestina com 35 pessoas e levou o organizador para a delegacia. Vídeos enviados para a TV Globo mostram uma fila de ônibus, vans e carros particulares perto da orla de Barra de Sirinhaém. Havia muitas pessoas na faixa de areia e no mar, inclusive em barcos e lanchas. A PM disse que orientou os banhistas a deixar o local.

No Supremo - O Cidadania e o PSOL anunciaram que vão ingressar, hoje, no Supremo Tribunal Federal (STF), para suspender a execução das emendas do orçamento secreto, esquema criado pelo presidente Jair Bolsonaro para aumentar sua base de apoio no Congresso em troca de liberação de recursos. Os dois partidos apontam inconstitucionalidade na utilização de verbas reunidas por emenda de relator-geral (RP9). A manobra foi revelada pelo jornal O Estado de São Paulo.

PT processa Amado - A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que vai processar o cantor Amado Batista depois que ele chamou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de “ladrão”. A declaração foi no Frente a Frente, programa que apresento pela Rede Nordeste de Rádio. Na entrevista, Batista defende o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com quem tem amizade, e ataca Lula e seus filhos. O cantor também criticou as últimas pesquisas de intenção de voto, que trazem Lula à frente de Bolsonaro nas simulações de 1º e 2º turno das eleições de 2022. Pelo Twitter, Gleisi Hoffmann escreveu que “quem faz acusações falsas tem que ser responsabilizado pelo que diz, famoso ou não”. A mídia nacional, entre os quais o site Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues, reproduziu a íntegra da entrevista.

CURTAS

MUDANÇA CLIMÁTICA – Do apresentador Luciano Huck, que ainda é visto no páreo na disputa presidencial de 2022, apesar de ter renovado seu contrato com a Globo: “A pandemia foi só um aviso da natureza. Um alerta sobre os maus tratos que ela vem sofrendo principalmente nos últimos 100 anos. A mãe de todas as pandemias será a mudança climática. E esta não tem vacina que resolva”.

NO CEARÁ TEM DISSO, SIM – No Ceará, a partir de hoje, o funcionamento dos shoppings e restaurantes será estendido até às 22 horas, voltando ao horário normal. Vale também para os restaurantes, que devem faturar alto no Dia dos Namorados, próximo sábado. Já em Pernambuco, os namorados terão que comemorar em casa. Tudo fechado!

Perguntar não ofende: Nem no Dia dos Namorados, os restaurantes podem faturar uma graninha, governador? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Jaboatão Habitacional Suassuna


05/06


2021

Coluna do sabadão

União abandona BR-232

As estradas de Pernambuco, as quais estou sempre nelas, seja em visitas ao meu pai em Afogados da Ingazeira ou em compromissos profissionais, não estão mal conservadas apenas nos trechos cuja manutenção é de responsabilidade do Governo do Estado. A União, que cuida das BRs, também abandonou grande parte, a começar pela mais movimentada, a rodovia 232.

Na vinda para Afogados da Ingazeira, onde estou desde quinta-feira passada, me deparei com obras tapa-buraco na 232 entre Recife e Caruaru, Caruaru x Recife. As eternas obras sonrisais: basta uma forte chuva para o asfalto ir embora. Não sei o que está acontecendo, mas antes essa manutenção da estrada até Petrolina era invejável, um verdadeiro tapete.

Agora, tudo mudou, embora o ministro de Infraestrutura, Tarcísio Freitas, responsável pelas estradas brasileiras, apareça nas redes sociais dizendo que tem duplicado muitas BRs e ampliado a malha viária até do Amazonas. Só esqueceu Pernambuco. O trecho, por exemplo, da mesma 232, entre Pesqueira e Arcoverde, está uma tábua de pirulito.

E não é de agora. Verdadeiras crateras têm colocado em risco a vida dos motoristas num pedaço da BR muito movimentado e perigoso. Já na BR-104, com 146,7 quilômetros em Pernambuco, importante elo entre os estados da Paraíba e Alagoas, como à BR-101, o Governo também esqueceu, embora esteja sendo duplicada.

Em Caruaru, ela cruza o trecho duplicado da 232, e precisa, urgentemente, dos bons olhares do Governo e da boa vontade do ministro Tarcísio. Quanto às estradas de responsabilidade do Governo de Pernambuco, a chiadeira é muito maior, as coisas acontecem lentamente, como é o caso do trecho entre Cruzeiro do Nordeste e Sertânia.

Sertaniense de origem e coração, a secretária Fernandha Baptista, de Infraestrutura, acha que fez um tapete, um trecho de apenas 9 km dos 48 km da via. Trata-se, porém, de uma obra muito malfeita. O restante, não se sabe ainda quando sairá, enquanto a operação tapa-buraco do trecho a ser restaurado, anda a passos de tartaruga.

Herança maldita – Segundo o Ministério da Infraestrutura, das 38 mil obras levantadas em cinco bancos de dados do Governo Federal, mais de 14 mil foram encontradas paralisadas pelo presidente Bolsonaro, ou seja, mais de um terço das obras que deveriam estar em andamento pelo País, cerca de 37%, não tiveram avanço ou apresentaram baixíssima execução nos últimos dois anos, analisados em cada caso. Juntas, elas alcançam um investimento previsto de R$ 144 bilhões, dos quais R$ 10 bilhões já foram aplicados.

Boa notícia – Pelos menos em Araripina, a secretária Fernandha Batista está com a bola cheia: conclui a pavimentação da estrada que dá acesso ao povoado de Lagoa do Barro, investimento de R$ 2,5 milhões. Obra executada pelo DER, a estrada é bastante esperada pelos moradores da região, porque vai melhorar o escoamento da produção de gesso e facilitar a circulação da população para o centro de Araripina e localidades ao entorno, e ainda, no escoamento da produção agropecuária e hortifrutigranjeira.

Comando questionado – De Rafael Alcaipani, gerente de relações institucionais do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em entrevista à repórter Beatriz Castro, da Globo, sobre a violência da PM no ato contra Bolsonaro no Recife: "As polícias militares têm a obrigação de seguirem a lei. Quando elas não seguem a lei, como aconteceu no Recife, é urgente que se descubra quem foram as pessoas, que elas sejam punidas, senão a gente quebra a ordem, a hierarquia e toda vez que a política entra no quartel, a hierarquia e a ordem saem por outro lado. E toda vez que a hierarquia e a ordem saem do quartel é o comando dos oficiais que fica questionado”.

Protesto isolado – Um grupo de pessoas fez um ato, ontem, no Recife, cobrando respostas sobre a repressão da PM ao protesto contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deixou vários feridos e dois homens sem parte da visão após serem atingidos por balas de borracha atiradas por policiais militares. Com curativos manchados com tinta vermelha nos olhos, eles pediram justiça por Daniel Campelo e Jonas Correia de França, os trabalhadores agredidos.

Senador festeiro – Os vizinhos do condomínio de luxo onde senador Romário mora, na Barra da Tijuca, no Rio, estão revoltados com a postura dele. Segundo informações do jornal O Dia, Romário estaria promovendo diversas festas em meio à pandemia do novo coronavírus. Nas celebrações, existe uma total falta de cuidado com a doença. Todos os convidados sem usar máscaras e muita aglomeração, com isso, indo contra os protocolos de segurança orientados pela OMS. Vale lembrar que em janeiro deste ano, Romário celebrou o seu aniversário em grande estilo e, mais uma vez, não respeitando a forte onda de Covid-19. Os 55 anos do Senador contou com vários convidados famosos, shows e uma lista para 500 pessoas.

CURTAS

Quem mata – O presidente Jair Bolsonaro se dirigiu à cúpula da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado para rebater críticas a sua decisão de trazer a Copa América para o Brasil. “Renan Calheiros, o que mata gente não é quem manda dinheiro para estádio, é quem desvia dinheiro do estádio”, disse em transmissão ao vivo nas redes sociais.

O ridículo FHC – Do ex-presidente FHC em defesa da CPI da Pandemia: “Pode parecer que é só o show, contém partes de show, mas além disso é um instrumento de defesa da sociedade. O governo não pode dormir porque a CPI acorda, sacode, né?”. “Às vezes há exagero, precisa entender, mas não tem problema. É melhor ter exagero do que não ter CPI”.

Perguntar não ofende: Até quando vai se estender o questionamento ao Governo sobre quem mandou bater nos manifestantes?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão


04/06


2021

Coluna da sexta-feira

Entre o poder e o afago do povo

Soube, ontem, quando cheguei em Afogados da Ingazeira, para visitar meu pai, através do também jornalista e meu amigo Mucíolo Ferreira, da morte do jornalista José Almir Borges, 75 anos. Deus chamou mais um grande amigo, um dos primeiros chefes que tive no start da minha carreira, nos anos 80. Trabalhei com ele no antigo SIP, o Serviço de Imprensa do Governo de Pernambuco, mais tarde, com status de primeiro escalão, elevado à Secretaria de Imprensa.

Grandes homens fazem com que todos se sintam pequenos diante deles, mas o grande e verdadeiro homem é aquele que faz com que todos se sintam gigantes lado a lado, face a face, com ele. Zé Almir era um desses. Mais que um jornalista, um notável gigante na comunicação e na relação humana. Seu maior valor, a humildade. Ensinava a arte da simplicidade, da tolerância.

Egresso do Maranhão, ingressou no Bandepe, por onde palmilhou uma longa carreira no serviço público. Descoberto por Ângelo Castelo Branco, pelas mãos de quem ingressei no velho e saudoso SIP, cuidou da imagem com quem trabalhou, entre os quais os governadores Marco Maciel, José Ramos e Roberto Magalhães, com um zelo invejável. Não conseguia dormir com uma simples nota numa coluna que contrariasse o interesse deles, principalmente Roberto Magalhães, de quem foi secretário de Imprensa.

Zé Almir era uma paixão ardente não apenas pelo jornalismo. Gostava de povo, do cheiro de gente simples, uma gente que se viu em coluna social pela primeira vez numa página assinada por ele, Soçaite nos Bairros, no Diário da Noite.

Durante o dia, de paletó e gravata, Zé Almir vivia o mundo do poder, de bastidores fantásticos, que guardou em segredo pelo resto da vida, fiel escudeiro a quem nele depositava confiança. De noite, com direito a virar a madrugada, era recebido, sem paletó e de calça jeans, com tapete vermelho, no Clube das Pás, nas gafieiras e bailes populares. O Zé Almir colunista do povo era celebridade entre os excluídos.

Deu voz a esse povo, conquistou uma legião de fãs, amigos e admiradores. A sua coluna, ilustrada com bumbuns gigantes clicados no roteiro boêmio periférico, era proibitiva às primeiras damas dos governadores com os quais trabalhou. A elite não lia Soçaite dos Bairros, lia João Alberto, lia Alex, Orismar Rodrigues.

Mas o povão delirava com uma foto na coluna dele. Zé Almir vai deixar muita saudade. Pensador e filósofo chinês, Confúcio nos ensinou a imitar os homens bons e desprezar os maus. No céu, Zé Almir vai ensinar humildade. Vai dizer que o topo da inteligência é a humildade. Vai ensinar também que quanto maiores somos em humildade, mais próximos estaremos da grandeza.

Zé Almir se foi, mas nos deixou um grande aprendizado:  gentileza, frugalidade e humildade. Afinal, os gentis podem ser corajosos, os frugais liberais e os humildes, condutores de homens.

Covax Facility – O governo dos Estados Unidos anunciou que irá compartilhar 75% das doses de vacinas contra a covid-19 que prometeu doar por meio do Covax Facility. O anúncio foi feito em nota divulgada pela Casa Branca, ontem. O Covax é uma aliança da OMS (Organização Mundial da Saúde) para o acesso igualitário à vacina, e outros parceiros para a distribuição das vacinas. Segundo a nota do governo norte-americano, cerca de 19 milhões de doses serão distribuídas entre a América Latina e o Caribe, o Sul e o Sudeste da Ásia e a África. O Brasil deve receber doses com o grupo da América Latina e Caribe, mas não foi informado o quanto será.

Vírus da insubordinação – Generais da reserva ouvidos pelo Blog do Gerson Camarotti, ontem, manifestaram preocupação com a decisão do comandante Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira de não punir o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde. O Regulamento Disciplinar do Exército e o Estatuto das Forças Armadas proíbem a participação de militares da ativa em manifestações políticas. Aberto um processo disciplinar, o comando do Exército considerou que não houve transgressão e anunciou que o caso está arquivado. “Isso pode disseminar o vírus da insubordinação”, alertou um dos três generais da reserva ouvidos pelo Blog na condição de anonimato.

Silencio de Mourão – O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, informou que não comentará a decisão do Exército de não punir o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, general da ativa, pela participação em um ato político com o presidente Jair Bolsonaro. A posição foi informada pela assessoria do vice. Mourão é general da reserva do Exército e, no mês passado, defendeu o respeito às regras das Forças Armadas que vedam a participação dos militares em atos políticos. O vice-presidente disse que a aplicação de uma punição poderia evitar "que a anarquia se instaure" nas corporações militares.

PSB contra a Copa América – Os deputados federais Danilo Cabral e Julio Delgado, ambos do PSB, ingressaram com uma ação popular, na Justiça Federal, para impedir a realização da Copa América no Brasil. Eles pedem que sejam anulados os atos administrativos relacionados à competição feitos pelo governo federal em razão da pandemia no país. “É, no mínimo, imoral a realização de um evento de tamanha envergadura, com vultuosos gastos, uso de recursos e patrimônio públicos para colocar em risco a população brasileira”, diz um trecho da ação.

Seu Direito – A TV Alepe, o canal da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), começa a veicular, hoje, o programa “Seu Direito”, produzido pela Escola Superior de Advocacia (ESA) da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Pernambuco. O programa semanal terá duração de 30 minutos e vai ao ar a partir das 14 horas. O objetivo é sempre abordar e debater temas relevantes do Direito que impactam a sociedade como um todo. A apresentação da primeira edição do “Seu Direito” será feita pela vice-diretora geral da ESA, Isabela Lessa, e pela coordenadora temática de Compliance na ESA, Mariana Teles, ambas advogadas.

CURTAS

BOULOS – O ex-candidato à Presidência da República pelo PSol nas eleições de 2018, Guilherme Boulos, estará no Recife, hoje, cumprindo agenda política e social na cidade. Às 11h, ele marca presença no ato simbólico em frente ao Palácio da Justiça. Boulos também inaugurará, às 12h30, uma “Cozinha Solidária do Brasil – Vila Santa Luzia”, na Torre, Zona Oeste do Recife. Esta é a 10º cozinha inaugurada pelo MTST no País.

PFIZER – Pernambuco recebeu, ontem, no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, a quarta remessa de vacinas da Pfizer/BioNTech, contendo 25.740 doses. Esse quantitativo será destinado ao grupo de pessoas com comorbidades, além das gestantes e puérperas em todo o Estado.

Perguntar não ofende: Os militares do Governo Bolsonaro não vão comentar a insubordinação de Pazuello?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



03/06


2021

Coluna da quinta-feira

Ordem foi do chefe maior

Quem deu a ordem para o Batalhão de Choque de Pernambuco agredir, atirar balas de borracha em gente inocente e reprimir os manifestantes que foram às ruas do Recife, sábado passado, protestar contra o Governo Bolsonaro? A polícia só um tem um comandante, o governador do Estado, no caso Paulo Henrique Saraiva Câmara, cidadão pernambucano, nascido no Recife em 8 de agosto de 1972, 49 anos de idade.

Foi Paulo Câmara, portanto, nome de guerra do governador. A menos que ele tenha perdido autoridade de chefe de Estado ou o Batalhão bata continência para um comando paralelo. Não sei qual situação pior, se ter autorizado ou a PM ter agido por conta própria. No segundo caso, as chances são muito remotas, porque o secretário de Defesa, Antônio de Pádua, foi flagrado numa sala acompanhando, com assessores, o desenrolar do episódio.

Estranhamente, o governador alimenta um silêncio que dói na sociedade como um soco no estômago. Tem um ditado popular que minha avó repetia muito, que diz que quem cala consente. Mais estranho, ainda, é o governador priorizar receber em audiência a vereadora agredida antes mesmo do seu secretário que dá as ordens ao Batalhão de Choque e a polícia em geral.

Ao ser abordado por deputados estaduais, o secretário disse, no mesmo dia que o governador dava tratamento de nobreza à vereadora petista, que não podia adiantar muitas informações aos nobres parlamentares porque não tinha tido, ainda, oportunidade de discutir tudo que havia se passado no sábado com mais profundidade com o próprio governador.

O governador deve uma satisfação ao povo pernambucano.

Certeza da ordem – Com a experiência de ter vindo do quartel, o deputado estadual Alberto Feitosa (PSC) gravou, ontem, e espalhou pelas redes sociais um vídeo contundente, cobrando do governador a resposta que toda a sociedade exige: quem deu a ordem para a PM reprimir no ato de sábado passado? Em outra gravação, ele diz não ter a menor dúvida que foi o governador. “O silêncio do governador é muito suspeito”, ironiza o parlamentar.

Nova posse – De volta ao cargo em Arcoverde, desde quando foi afastado em fevereiro passado, acusado de abuso de poder econômico na campanha, o prefeito Wellington Maciel (MDB) tomou posse na Câmara de Vereadores, depois recebeu o poder de volta, na sede da Prefeitura, pelo então prefeito interino Siqueirinha, que agora volta à Câmara Municipal reempossado presidente. Nas últimas 48 horas, Arcoverde celebrou com intensidade o regresso do empresário-gestor.

Decisão monocrática – Uma das responsáveis pela defesa do prefeito de Arcoverde, a advogada Diana Câmara corrige uma informação, ontem, nesta coluna, sobre o processo que definiu a volta ao cargo pelo prefeito eleito Wellington Maciel. Segundo ela, a decisão do ministro Alexandre de Moraes, em favor do prefeito, não se deu por liminar, mas por um julgamento monocrático e terminativo do ministro. Até cabe recurso, segundo ela, para o pleno do TSE, mas a decisão de Alexandre, pela sua robustez, foi do tipo final.

Partido problemático – O ministro Edson Fachin, do STF, encontrou “elevada gravidade” na acusação protocolada pelo vice-presidente do Patriota, Ovasco Roma Altimari, questionando as mudanças feitas na sigla pelo presidente, Adilson Barroso, para acomodar Jair Bolsonaro e seus filhos. “As alegações da petição inicial revestem-se de elevada gravidade e devem ser submetidas ao escrutínio do Estado-juiz”, disse o ministro na decisão. Fachin, que deu a decisão como parte da sua atuação no TSE, disse que é importante que o caso seja investigado pela autoridade competente.

Volta às ruas – Os movimentos sociais e centrais sindicais que organizaram os protestos realizados em todo o País, no último sábado, marcaram uma nova manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro para o dia 19 de junho. O ato deve novamente pedir o impeachment do presidente, o retorno do auxílio emergencial enquanto durar a pandemia e a vacinação em massa contra o coronavírus. Dezenas de milhares de pessoas foram às ruas em mais de 200 cidades do Brasil e do interior. Mesmo usando máscaras e buscando seguir recomendações de distanciamento social, houve aglomeração entre os manifestantes.

CURTAS

CEARÁ EM QUEDA - O número de pacientes com Covid-19 dando entrada nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza caiu 25% entre março e maio. A queda nos atendimentos foi observada logo após o pico da segunda onda da pandemia no Ceará. Além disso, os dados dão conta de que a gravidade dos casos diminuiu 51,7% entre abril e maio.

IRREGULARIDADE – De acordo com informações da Folha de S. Paulo, publicadas na edição de ontem, o Ministério da Saúde comprou máscaras impróprias a profissionais da saúde por um valor acima do praticado no mercado. O documento interno que mostra a compra foi enviado à CPI da Covid, no Senado, que está com um catatau de documentos em avaliação.

Perguntar não ofende: Governador, revele ao blog: quem deu a ordem?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha



02/06


2021

Coluna da quarta-feira

Volta quase irreversível 

Relator no Tribunal Superior Eleitoral do processo de afastamento do prefeito de Arcoverde, Wellington Maciel (MDB), o ministro Alexandre de Moraes julgou, ontem, procedente a volta do gestor ao poder, do qual foi obrigado a deixar em fevereiro deste ano em ação na qual é acusado por abuso de poder econômico. O grupo do prefeito comemorou como uma volta definitiva ao cargo.

Mas a oposição anunciou, ontem, que recorrerá ao pleno do TSE, já que a decisão é monocrática, e até cabe recurso, mas é quase uma decisão final. Enquanto Wellington esteve afastado, o Governo municipal foi tocado pelo prefeito-interino, Weverton Siqueirinha, até então do grupo situacionista, mas hoje considerado traidor.

Traidor porque demitiu todo o secretariado de Wellington, inclusive o vice-prefeito Israel Rubis, nomeado para a Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente. Siqueirinha, inclusive, dava como certa a cassação definitiva do prefeito, tanto que já estava articulando a sua candidatura a prefeito na eleição suplementar que julgava como certa. Quebrou a cara.

A volta de Wellington, segundo a advogada Diana Câmara, foi sustentada numa defesa amplamente robusta do ponto de vista de sustentação jurídica e técnica. “Basta ler o parecer do Ministério Eleitoral de Brasília, da Procuradoria Geral Eleitoral, e agora o voto do ministro Alexandre de Moraes. Estamos confiantes de que, mesmo havendo recurso, nossa defesa será vitoriosa no pleno”, disse Diana.

Politicamente, saem vitoriosos, também, a ex-prefeita Madalena Brito, que emplacou Wellington como sucessor, e o deputado federal Fernando Monteiro (PP), que acompanhou de perto em Brasília a tramitação do processo fazendo, quando possível, sustentação forte e convincente em defesa do prefeito, que deve tomar posse ainda hoje numa Arcoverde em festa, apesar das comemorações discretas por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus. 

Reação – “Ganhamos nos pênaltis, mas ganhamos”, comemorou o prefeito de Arcoverde, Wellington Maciel (MDB), ao comentar a decisão dada pelo ministro Alexandre de Moraes devolvendo o poder a ele até que se julgue o processo final pelo pleno do TSE em recurso já anunciado pela oposição, liderada no município pelo ex-prefeito Zeca Cavalcanti (PTB). Dada em primeira mão por este blog, com repercussão no Frente a Frente, a decisão levou os aliados de Wellington a fazer uma verdadeira invasão à sua casa na noite de ontem em comemoração.

Judas arcoverdense – O maior derrotado com a volta de Wellington ao poder em Arcoverde não é o ex-prefeito Zeca Cavalcanti, seu adversário derrotado no pleito de 2020, mas o prefeito interino Siqueirinha. Sai do episódio como o maior traíra da história de Arcoverde. No poder, com a chibata nas mãos, deu chute no traseiro de todos os aliados do prefeito e da ex-prefeita Madalena Brito. Ao invés de Siqueirinha, está sendo chamado na cidade de “Judas”.

Gravidade – De acordo com o que este blog apurou, o episódio brutal da PM no Estado, sábado passado, é algo da maior gravidade. Na verdade, é preciso apurar o que corre nos quartéis, de que a tropa saiu do quartel com ordem expressa para atirar. Nem na ditadura isso jamais ocorreu. A exceção está longe, vem do Rio, onde o governador Wilson Witzel, segundo reportagem, era acusado de mandar atirar para matar, mirando na cabeça. Nenhuma polícia, vale a ressalva também, vai às ruas dispersar manifestação pacífica sem ordem ou autorização do governador.

Foi insubordinação? – Ainda sobre o episódio, se não houve ordem do governador, então dá para inferir que houve insubordinação. Em se tratando disso, não tem qualquer relação com o bolsonarismo, pois teria ocorrido também em outros Estados. O que apurei é que a tropa chegou às ruas autorizada a dispersar a manifestação, sob a orientação de auxiliares próximos para se cumprir o decreto da pandemia, no qual está proibido qualquer tipo de ato que acabe em aglomeração.

Covidão é imbatível – Um documento oficial da Controladoria Geral da União (CGU), enviado à CPI da pandemia no Senado Federal, comprovou o que este blog já havia antecipado há muito tempo: o ex-prefeito Geraldo Júlio (PSB), o Geraldo Covidão, foi o recordista nacional de operações da Polícia Federal contra supostos desvios de recursos da covid-19. Assume o pódio absoluto com sete operações na sua gestão, encerrada em 2020. O segundo colocado foi o Governo do Estado do Rio de Janeiro, cujo governador já foi até alvo de impeachment. O Rio ficou em segundo lugar, com apenas cinco operações.

CURTAS

SEM URGÊNCIA – Na ação de Paulo Câmara (PSB), para impedir a convocação de governadores na CPI da pandemia no Senado, a ministra Rosa Weber resolveu não deferir enquanto a liminar de urgência não for requerida. Antes de dar a canetada, a ministra do STF vai ouvir o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI, o advogado-geral da União e o procurador-geral da República. O despacho da ministra foi divulgado ontem.

COLAPSO – A ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Pernambuco é preocupante não apenas na rede pública, mas também na rede privada de saúde. O Estado registrou, ontem, 98% e 94%, respectivamente, de leitos ocupados por pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). Com essa alta, médicos temem o colapso do sistema de saúde

Perguntar não ofende: Quem mandou a tropa reagir com tiros?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina abril 2021


01/06


2021

Coluna da terça-feira

Elefante branco danoso

Alegando que a pandemia atravessa um estágio extremamente preocupante no Estado, o governador Paulo Câmara (PSB) se antecipou, ontem, diante da decisão do Governo brasileiro de sediar a Copa América, no próximo mês, excluindo Recife como sede da competição. Do ponto de vista de saúde pública, o governador tem lá suas razões, mas o certame mundial traz de volta um debate: para que serve a Arena de Pernambuco ociosa? O custo já foi pago? E sua manutenção?

Tenho quase certeza que os custos continuam descobertos, uma conta salgada que sobrou para a sociedade pagar. Para erguer o empreendimento em São Lourenço da Mata foram gastos R$ 743 milhões, valor 55% acima do contrato original, transformando o estádio no 4º mais caro do último Mundial. No acordo da licitação, a preço de maio de 2009, a obra foi orçada em R$ 479 milhões.

Era o acordo para construir o estádio visando a Copa do Mundo de 2014. A antecipação da obra em oito meses, a pedido do Governo do Estado, visando a presença local na Copa das Confederações de 2013, gerou uma revisão no contrato, com os chamados “aditivos”. E esse pedido de reequilíbrio financeiro feito pela Odebrecht foi de R$ 264 milhões. A medida extra na PPP teve quatro itens, incluindo aceleração da obra (R$ 190 milhões), exigências adicionais da Fifa no caderno de encargos (R$ 47,5 milhões), ressarcimento de impostos (R$ 23 milhões) e encargos financeiros (R$ 3,5 milhões).

Só com uma empresa de conservação da Arena, o Governo acumula uma dívida de R$ 3,5 milhões, contraída em 2017. De acordo com a Secretaria estadual de Esportes, o custo real de manutenção mensal da Arena é de R$ 750 mil, mas isso com o estádio em perfeitas condições e com a manutenção em dia. A construção e operação da Arena se deu através de uma Parceria Público Privada (PPP) entre o Governo de Pernambuco e o Consórcio Arena de Pernambuco. Pela PPP, a concessão é de 33 anos, incluindo os três anos de obras e o período de operação do espaço.

O contrato previa também o uso do terreno do entorno da arena como estratégia para desenvolver a zona Oeste da Região Metropolitana do Recife, local onde a Odebrecht iria desenvolver o complexo da Cidade da Copa. Em junho de 2016, o Governo rompeu o contrato com a Odebrecht e assumiu a gestão da Arena. Pela rescisão, teve que pagar R$ 246,8 milhões à construtora num prazo de até 15 anos.

Ficou só no papel – Em uma área de 270 hectares (equivalente a 300 campos oficiais de futebol), nas proximidades da Arena seria desenvolvida a Cidade da Copa, com a ideia de ser a primeira smart city da América Latina, totalmente planejada, favorecendo o uso de transporte alternativo, segurança e preservação do meio ambiente. Eduardo Campos, então governador, orçou o projeto faraônico em mais de R$ 1,59 bilhão. Nunca saiu do papel e se realmente fosse iniciada e concluída teria um bairro de 40 mil habitantes, estádio de futebol (já existente), centro de convenções, hotéis, escolas, faculdade, centro de comando da polícia, entre outros equipamentos normais de uma cidade planejada.

Decisão partidária – A decisão do governador Paulo Câmara (PSB), em excluir o Estado como uma das sedes da Copa América, não foi pessoal nem uma política de Estado. Foi do seu partido. Em Brasília, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) anunciou, ao mesmo tempo, que acionará a Justiça contra a realização do evento em território brasileiro. Mais cedo, a Conmebol divulgou que o campeonato será realizado no Brasil a partir de 11 de junho. Delgado afirmou em seu perfil do Twitter que é “um absurdo” a Copa América ser realizada no Brasil neste momento.

Irresponsabilidade – Júlio Delgado considera que a Copa América poderia ser facilmente adiada. Como argumento, o parlamentar mineiro diz que o campeonato não é classificatório para as Olimpíadas ou para a Copa do Mundo. Assim, seu adiamento não traria maiores prejuízos. “Meramente comercial, podia ser adiada tranquilamente”, advertiu. De acordo com ele, o caso será levado ao Supremo Tribunal Federal em caráter de urgência. “Nenhum país quis. A decisão do presidente brasileiro é de uma tamanha irresponsabilidade”, afirmou.

Pior da pandemia – Já o governador Paulo Câmara, que tomou a decisão de excluir o Estado tão logo tomou conhecimento e alinhou-se com o PSB nacional, alegou que Pernambuco se encontra no pior momento da pandemia. No último sábado, segundo ele, houve recorde de novas infecções pela covid-19. Ao todo, foram registrados 5.576 casos da doença em 24 horas. A taxa de ocupação de leitos de UTI na rede pública é dramática e já atinge os 98%.

A posição oficial – Em nota, o governador assim se posicionou: “O Governo de Pernambuco monitora, de forma permanente, os indicadores da doença no Estado. Nas últimas semanas, foi identificada uma nova aceleração dos casos, que motivou novas medidas restritivas no Agreste e na Região Metropolitana. Apesar de ainda não ter sido procurado oficialmente pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Governo do Estado reforça que o atual cenário epidemiológico não permite a realização de evento do porte da Copa América no território de Pernambuco".

CURTAS

BRUTALIZAR – Da vereadora Liana Cirne (PT), sobre o ataque que sofreu da PM: "Eu vi que não era um comando para dispersar. Era um comando para brutalizar, ferir os manifestantes. Quando eu cheguei à Ponte Princesa Isabel, o ato já havia sido dispersado por força da ação policial truculenta. Já havia sido dispersado, os manifestantes estavam correndo, fugindo, pedindo socorro, literalmente. Então, não foi uma ação de dispersão, foi uma ação de violência".

SERRA TALHADA – Em mais uma demonstração de que, na verdade, trabalha fortemente por Serra Talhada, o deputado federal Fernando Monteiro (PP) assegurou, ontem, os recursos federais necessários, através de emendas, para a prefeita Márcia Conrado (PT) construir um acesso decente ao perímetro urbano da cidade.

Perguntar não ofende: Se os jogos da Copa América serão sem público que implicações teriam para o quadro da pandemia no Estado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Ô Nazista Fresco, tu sabia que o governo brasileiro não vai gastar porra nenhuma com a copa América. Ao contrário do que a esquerda e os idiotas úteis pensam os estados vão ganhar dinheiro mesmo sem público nos estádios.

marcos

Copa América sim, Corrupção não.

Fernandes

Governo bolsonaro só aceita médicos e cientistas que concordam com sua política. Genocida.

Fernandes

Milhares nas ruas, apesar da pandemia, provam força da repulsa a Bolsonaro. Fora Bolsonaro.

Fernandes

Cadê aquela massa que gritava o Brasil precisa de hospitais, não de Copa do Mundo, pra gritar agora. O Brasil precisa de Vacina, não de Copa América. Cadê?


Ipojuca 2021


31/05


2021

Coluna da segunda-feira

Foto: Marlon Diego

No reino da jecura

O PT que foi às ruas do Recife, sábado passado, dia nacional de protestos contra Bolsonaro, levou tiro de borracha e spray de pimenta na cara da policia do PSB, é o mesmo que foi chamado de ladrão pelo mesmo PSB de João Campos, que derrotou Marília Arraes na disputa pela Prefeitura da capital nas eleições do ano passado.

Revoltada com a repressão da polícia do Governo socialista, a militância petista só não chamou o governador Paulo Câmara de arroz doce, mesmo ele tendo condenado o ataque à vereadora Liana Cirne (PT). Essa mesma militância que ontem penou nas mãos da polícia do PSB que se prepare para ir às ruas pedir voto para um candidato do PSB a governador, em 2022.

A própria vereadora agredida, certamente estará no mesmo palanque do PSB, provavelmente batendo palmas para o candidato socialista, a pedido do ex-presidente Lula, que já está de casamento reatado com as forças do PSB para disputar à Presidência da República. A não ser que a vereadora siga os caminhos de Marília Arraes.

Esta, que deve ser, mais uma vez, fritada por Lula, tende a criar uma dissidência contra o candidato do PSB. Pobres e iludidos militantes petistas! Não sabem – ou fingem – que PT e PSB são feitos o gato e rato, um dia brigam, outro estão juntos, dividindo o mesmo queijo, no caso de PSB e PT, o latifúndio de cargos e benesses do poder.

PSB e PT nunca formarão um casal perfeito, daqueles de cinema. Brigam muito, ficam muito tempo sem se falar, cada um querendo ser o dono da verdade, cada um querendo um bolo maior da fatia do poder. Tudo joguinho bobo de orgulho ferido. Por trás das caras fechadas e bicos de ocasião o que se sabe dessa relação é que existe muita fominha de poder, uma gulodice nunca vista na história recente do País, como diz Lula.

PSB e PT são como no amor verdadeiro de casal apaixonado: brigas e mais brigas, mas em cada término de uma briga se abraçam e se amam como na primeira vez. Tem coisa mais engraçada do que as caras patéticas dos casais que brigam feio, fazem barraco, bradam publicamente horrores sobre o relacionamento, trocam ofensas expondo detalhes que só deveriam interessar a eles próprios e depois fazem as pazes, bonitinhos e alegrinhos, e saem de mãos dadas como se nada tivesse acontecido? Assim é PT e PSB, o reino da jecura em sua forma mais pura e realista.

Responda se souber – O que se pode esperar de um governador que não controla a própria polícia, que desobedece a suas ordens e agride político com spray de pimenta? Que toma decisões açodadas, como a punição do militar agressor sem saber de fato o que aconteceu? Que permite aglomerações no Recife, no mesmo fim de semana em que fecha no resto do Estado comércio, feiras, bares, restaurantes e até uma simples lojinha de conveniência, serviço essencial em qualquer posto de gasolina?

Abuso de autoridade – Tão logo tomou conhecimento do incidente envolvendo um policial e a vereadora petista, a delegada Vilaneida Aguiar (foto) foi às suas redes sociais e postou: “De forma nenhuma, estou defendendo a atitude do policial, até mesmo porque vai ser apurado pelas autoridades competentes. No entanto, o que posso dizer de antemão é que a senhora vereadora praticou, sim, abuso de autoridade. Está muito explícito”.

Confessa carteirada – Se houve abuso de autoridade, não sei. O que sei, na verdade, é que a vereadora teve um surto ditatorial e esfregou a sua carteira parlamentar na cara dos policiais, assumindo, de fato, que deu mesmo uma carteirada, conforme postou o seguinte em suas redes sociais: “Não me arrependo por um segundo do que fiz. Estou sendo criticada por ser impetuosa. Mas se tenho uma carteira de couro com um brasão da Câmara Municipal, é para isso que ele foi feito! O único carteiraço que vale a pena dar na vida. Fiz e faria de novo.”  

Baderna – Estranha a versão dos manifestantes de que o protesto contra Bolsonaro no Recife foi pacífico. A baderna foi grande: após o ato, os garis tiveram dificuldades de limpar as áreas do foco, com um amontoado de pedras e paus. Lojas do centro foram depenadas, carros da polícia violentados, enfim, tudo isso está longe de se traduzir como pacífico. O policial errou feio ao jogar spray na vereadora, mas a polícia, que estava ali apenas para cumprir ordens, negadas depois pelo governador, também foi agredida. E muito!

Fim dos golpes – O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, disse que não há lugar na democracia brasileira para a “não aceitação dos resultados legítimos das urnas”. Em entrevista ao jornal O Globo de ontem, defendeu o sistema eletrônico de votação. Disse que já “passou o tempo de golpes, quarteladas, quebras da legalidade constitucional. Ganhou, leva. Perdeu, vai embora”. O ministro citou o exemplo do ex-presidente norte-americano Donald Trump, que “esperneou muito, mas está na Flórida, não em Washington”. O republicano, depois de perder as eleições nos Estados Unidos para Joe Biden, entrou com diversos recursos na Justiça argumentando que o pleito foi fraudado.

CURTAS

REAÇÃO 1 – Em dia de protestos contra seu governo, o presidente Jair Bolsonaro publicou, sábado passado, em seu Instagram uma foto com uma camisa com as palavras “imorrível”, “imbroxável”, “incomível”. As manifestações contra o presidente foram registradas em 22 estados e no Distrito Federal.

REAÇÃO 2 – A foto foi publicada no Instagram, Facebook e Twitter. Nesta última rede social, o presidente usou a seguinte legenda: “Temos um governo que acredita em Deus, deve lealdade ao seu povo e respeita os seus militares. Mais do que obrigação e dever, tenho certeza que vocês vão atuar dentro das quatro linhas da Constituição, se necessário for.”

Perguntar não ofende: A Polícia de Pernambuco agora faz parte das milícias bolsonaristas?  


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro planejou 1,4 milhão de mortes no Brasil, aponta artigo publicado no New York Times. Jornalista Vanessa Barbara, autora do texto, calculou uma taxa de mortalidade de 1% e de 70% da população infectada, na estratégia da “imunidade de rebanho”.

Fernandes

Milhares nas ruas, apesar da pandemia, provam força da repulsa a Bolsonaro. Fora Bolsonaro.

Fernandes

Patriota tem histórico de nepotismo e fisiologismo. Partido se fundiu com o PRP para manter os repasses do fundo partidário; irmão e filha de Adilson Barroso foram beneficiados com pagamentos da legenda

marcos

Os petistas estão com essa frescura toda para a polícia de Paulo Câmara, Paruano as mortadelas estarão de orelhas abaixadas votando em Geraldo Covidão PSB.

marcos

Ô Nazista Fresco, tu tá folote de saber que quem chama o nosso presidente mito Jair Bolsonaro de Bozo queima a Rosca. Ui nega


Caruaru Campanha São João 2


29/05


2021

Coluna do sabadão

Verdades de Amado Batista

No quadro “Sextou”, criado no programa Frente a Frente, sempre às sextas-feiras, para colocar em debate a situação da classe artística brasileira neste momento de baixo astral que vive provocado pela pandemia, o cantor Amado Batista, astro da música brega, 35 milhões de discos vendidos, cifra só alcançada pelo rei Roberto Carlos, bateu, ontem, sem piedade, no ex-presidente Lula.

Disse, claramente, que o petista roubou e deixou roubar muito quando esteve à frente do poder. Citou, inclusive, um dos seus filhos, Lulinha, que, segundo ele, fez grande fortuna na vida enquanto o pai e o PT estiveram no poder. O Amado Batista que se viu foi de uma leveza louvável, um atirador certeiro. Tudo que disse em relação a Lula, chefe da quadrilha do mensalão, é a mais cristalina verdade.

Amado Batista, aliás, há muito que não dava entrevista. Rompeu um longo silêncio, também desapontado com a mídia brasileira, que, segundo ele, tem criado pesquisas sem credibilidade para colocar Lula na dianteira rumo ao Planalto. “Uma mídia vendida, que não tem mais como mamar nas tetas do Governo”, desabafou.

Goiano, onde tem fazendas de gado que produzem 600 mil litros/mês, Amado também falou na condição de empresário e não apenas de artista. Para ele, é falsa a versão de que o empresariado não está satisfeito com o Governo Bolsonaro. “A economia está bombando, mesmo com pandemia, basta ver o resultado do agronegócio”, destacou.

Fenômeno musical da MPB, Amado Batista foi o segundo a participar do quadro no Frente a Frente dedicado aos artistas. A estreia, na semana passada, se deu com o cantor Gilliard, outro fenômeno e bem-sucedido vozeirão da música romântica no País. Já para a próxima sexta-feira, está confirmada a presença de Nando Cordel, outro grande talento nordestino que virou celebridade nacional, com mais de cem músicas de sucesso cantadas por astros da MPB.

Alerta hídrico – O governo federal emitiu alerta de emergência hídrica para Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, confirmou a informação ao Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues. Os cinco Estados se localizam na bacia do Rio Paraná, onde estão os principais reservatórios de regularização do País. Em períodos secos, os estoques dessas usinas são otimizados para garantir o fornecimento de energia. Mas a região enfrenta escassez de chuvas. De acordo com documento obtido pelo Estado de S. Paulo e Broadcast, as autoridades consideram que o cenário deve perdurar até o final de setembro.

Reação de Câmara – O governador Paulo Câmara (PSB) se manifestou nas redes sociais sobre a ação movida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) contra medidas determinadas para evitar a expansão da Covid no Estado e também no Paraná e Rio Grande do Norte. "O País precisa de mais vacinas, ampliação da testagem, apoio financeiro para a população. Mas o presidente não combate o vírus, ao contrário, caminha na direção oposta, enquanto encena embates de baixo nível, para uma plateia cada vez menor", declarou.

Inconstitucionalidade – Por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), Bolsonaro questionou, através de uma ação direta de inconstitucionalidade, se estão de acordo com a Constituição as normas adotadas pelos governos desses três estados e afirmou que é preciso garantir a convivência de direitos fundamentais como os de ir e vir, de trabalho, à vida e à saúde. Câmara apontou que há indícios de uma nova onda no País. "A cada dia, a conta que Jair Bolsonaro prestará à história fica mais clara pela sua opção de condenar à morte e à miséria milhares de pessoas. Um erro que se consolida como irreparável. Um alto preço que 456.674 brasileiros pagaram com a própria vida", escreveu Câmara em sua rede social.

Ameaça ao Nordeste – Editada pelo Governo Federal com o principal objetivo de incentivar parcerias público-privadas, em detrimento da arrecadação dos bancos que gerem os Fundos Constitucionais de Financiamento, como o Banco do Nordeste (BNB), a Medida Provisória 1052 deve encontrar forte resistência no Congresso Nacional. É o que avaliam parlamentares nordestinos. Eles criticam a proposta e afirmam que o descontentamento é generalizado entre deputados das regiões afetadas. A MP prevê a reestruturação do Fundo Garantidor de Infraestrutura (FGIE), com previsão de chegar a R$ 11 bilhões para a realização de projetos de concessões e PPPs.

Jogo pesado – Vice-líder da minoria na Câmara, o deputado cearense José Guimarães (PT) afirma que a oposição vai “jogar pesadíssimo” para derrubar a MP. “Essa Medida Provisória é um desserviço ao Nordeste. Ainda tem gente que diz que o Governo Bolsonaro tem algum compromisso com o Nordeste. Esvaziar o BNB significa um duro golpe no desenvolvimento regional. Um banco público que é fundamental no financiamento do setor produtivo, dos pequenos e médios negócios, do microcrédito”, desabafa.

CURTAS

Adubando a terra – O Ministério do Desenvolvimento Regional priorizou, em 2020, a destinação de verbas ao Rio Grande do Norte, base política do ministro Rogério Marinho. No ano em que Marinho assumiu o atual cargo, o governo federal assinou contratos para enviar um total de R$ 1,2 bilhão ao Estado, que passou a ser o primeiro no ranking da pasta. O dinheiro será aplicado em obras de porte, como a construção de adutoras e parques eólicos, na compra de tratores agrícolas, construção de galpões, cisternas e asfaltamento de ruas e estradas.

Ajuda emergencial – O governo federal começou a pagar, ontem, o BEm (Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda), complementação salarial a quem aderiu ao programa de redução de jornada. Os valores vão de R$ 261,25 até R$ 1.813,03, a depender do salário ou do seguro-desemprego ao qual o trabalhador teria direito se fosse demitido.

Perguntar não ofende: Lula vai silenciar diante dos ataques de Amado Batista?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Milhares nas ruas, apesar da pandemia, provam força da repulsa a Bolsonaro. Fora Bolsonaro.

marcos

Quatro gatos pingados nas ruas e o Nazista Fresco chama de milhares. Que falta o dinheiro público faz pra comprar pão com mortadela e arrebanhar os idiotas úteis! Kkkkkk

Fernandes

Editorial do Jornal o Globo desta segunda feira destaca, Bozo é Ladrão. Genocida, e marcos de camaragibe é Fresco.

Fernandes

Milhares nas ruas, apesar da pandemia, provam força da repulsa a Bolsonaro. Fora Bolsonaro.

marcos

Editorial do Jornal o Globo desta segunda feira destaca, Lula é Ladrão.


CABO


28/05


2021

Coluna da sexta-feira

Vidas perdidas sem vacina

Por Houldine Nascimento – interino

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, fez uma grande revelação durante depoimento prestado na CPI da Pandemia, ontem: ele afirmou que foi feita uma oferta de 60 milhões de doses da Coronavac ao Governo Federal em julho de 2020. De acordo com ele, o imunizante contra a Covid-19 seria entregue ainda no último trimestre do ano passado, caso o acordo fosse firmado naquele momento.

“Em julho, quando houve essa primeira iniciativa (início do estudo clínico do imunizante), nós fizemos a primeira oferta de vacinas ao Ministério da Saúde. Eu mandei um ofício, no dia 30 de julho de 2020, em que ressaltamos a importância de tomar essa iniciativa num momento que ainda não se tinha vacina. Ofertamos, naquele momento, 60 milhões de doses, que poderiam ser entregues no último trimestre de 2020”, atestou.

Ainda segundo Dimas, o Brasil poderia ter sido o primeiro país a iniciar o processo de vacinação contra o novo coronavírus, mas o Butantan não recebeu uma resposta efetiva. Ele imputou a “percalços” no fechamento do contrato. A declaração do diretor do instituto paulista expõe a resistência do Governo Federal na aquisição de vacinas, já evidenciada em falas anteriores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de outros integrantes de sua gestão.

No último dia 21 de outubro, quando foi perguntado publicamente sobre um ofício encaminhado ao Butantan pelo então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, Bolsonaro foi categórico: “Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade.” Isso dois dias depois de Pazuello manifestar interesse na vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o instituto brasileiro.

Enquanto travava uma disputa política com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), principal responsável pelo acordo que trouxe a Coronavac para o Brasil e com pretensão de concorrer à Presidência em 2022, Bolsonaro seguiu desacreditando a vacina: chegou a chamá-la de “vachina” e até a comemorar a suspensão dos testes do imunizante pela Anvisa, em novembro, após a morte de um dos voluntários. “Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, declarou. Mais adiante, questionou a eficácia da Coronavac.

Durante o depoimento de Dimas, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) sublinhou os danos causados pela recusa em adquirir os imunizantes no ano passado: “Com as 60 milhões de vacinas do Butantan e a oferta da Pfizer, poderíamos ter pelo menos o dobro dos brasileiros vacinados. Esse é o tamanho do desastre.”

Até agora, foram aplicadas 65.268.576 vacinas contra a Covid-19 no Brasil, segundo dados do Localiza SUS, plataforma do Ministério da Saúde. Destas, 42.468.033 de doses são Coronavac, o que representa 65,06% do total. Ainda ontem, o País atingiu 456.753 óbitos devido à doença.

Papelão – Ainda na sessão da CPI ontem, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) insinuou que a Coronavac é produzida utilizando células “extraídas de fetos abortados”. Ele se baseou em um boato para questionar Dimas Covas, chegando a pedir uma “mostra laboratorial”. O diretor do Butantan respondeu que a produção da Coronavac não utiliza células humanas. Durante sua fala, o parlamentar também pôs em dúvida a eficácia da vacina. Apesar de se declarar independente, Girão tem atuado na CPI em defesa do presidente Bolsonaro.

Presidente contra lockdown – O presidente Jair Bolsonaro apresentou, ontem, uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ao Supremo Tribunal Federal (STF). A finalidade é pedir que sejam consideradas ilegais medidas restritivas de governadores e prefeitos para conter o avanço da Covid-19, que incluem toque de recolher e lockdown. Decretos instituídos recentemente no Paraná, Pernambuco e Rio Grande do Norte motivaram a ida de Bolsonaro ao STF. A ADI é assinada pelo presidente e pelo advogado-geral da União, André Mendonça.

Risco de impeachment – Uma pesquisa do PoderData realizada nesta semana aponta que 57% dos entrevistados consideram que o presidente Jair Bolsonaro deve sofrer impeachment. A taxa cresceu 11 pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, realizado em fevereiro deste ano. Em contrapartida, 37% avaliam que ele deve continuar no cargo, representando uma queda de 10 pontos. Antes, 47% apoiavam sua permanência. Esta é a primeira consulta sobre a possibilidade de impeachment de Bolsonaro após a instalação da CPI da Pandemia no Senado. Foram entrevistadas 2,5 mil pessoas em 519 municípios das 27 unidades federativas. A margem de erro é de dois pontos.

Fox News Brasil? – Ex-presidente da CNN Brasil e ex-diretor de Jornalismo da Record, Douglas Tavolaro está tentando abrir uma franquia da Fox News no País. De acordo com o Poder360, o executivo tem conversado com diretores da emissora caracterizada pelo conservadorismo. A Fox News foi uma espécie de braço-direito do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump enquanto ele esteve no poder. Durante o processo eleitoral conturbado, no entanto, Trump criticou o canal.

Paralisação – Os auxiliares e técnicos de Enfermagem vinculados à Prefeitura do Recife poderão paralisar as suas atividades. A decisão será debatida durante assembleia conjunta com os enfermeiros. O ato será realizado em frente à Prefeitura, hoje, a partir das 9h. Segundo o grupo, a mobilização ocorre pelo “não cumprimento da negociação entre os servidores e a gestão anterior, considerando que o atual prefeito é do mesmo segmento político, sendo de continuidade”. A categoria exige a reabertura do diálogo, como também defende a discussão de uma resposta sobre a reposição salarial para 2021.

CURTAS

PERDA – A morte do sambista Nelson Sargento, ontem, aos 96 anos, teve grande repercussão. Ele contraiu a Covid-19 e estava internado desde o último dia 20 no Instituto Nacional do Câncer (Inca), onde já havia tratado um câncer de próstata há dez anos. O estado de saúde do músico, que era presidente de honra da Mangueira, se agravou na quarta (26). Ele chegou a tomar duas doses da Coronavac.

PDT E VOTO IMPRESSO – O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, divulgou um vídeo em defesa do voto impresso nas redes sociais. Ao citar Leonel Brizola, fundador da sigla, ele usou o mesmo argumento de apoiadores de Bolsonaro: “Sem a impressão do voto, não há possibilidade de recontagem. Sem a recontagem, a fraude impera”, bradou o líder pedetista.

Perguntar não ofende: Quantas vidas teriam sido salvas se as vacinas chegassem a tempo no Brasil?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bozoloides Tabacudos. Diretor do Butantan reforça que Bolsonaro sabotou vacinação no Brasil.

marcos

O Brasileiro honesto não vota em Ladrão. Roberto Carlos.

marcos

Em entrevista ao Blog 247, Lula mais uma vez zomba ¨Nas eleições do próximo ano nem Deus me tira a vitória¨.

marcos

Esse verme bolsonaro será Executado junto com sua família e os seus apoiadores¨..Nehemias Fernandes Jaques O Nazista Fresco do Cabo.. em 05/04/21. Na coluna do blog do Magno.

marcos

Lula é Ladrão.


Bandeirantes Junho 2021


27/05


2021

Coluna da quinta-feira

Geraldo no paredão da CPI

Na entrevista que concedeu, ontem, ao Frente a Frente, direto de Brasília, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), deixou a entender que está amplamente municiado com documentos para bombardear o ex-prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), no depoimento que prestará à CPI da Pandemia. Sua convocação não foi aprovada, ontem, por questões burocráticas, e não de manobras, por parte do plenário da comissão.

Será aprovada, com toda certeza, na próxima semana. E pelo que Vieira disse, na entrevista, Geraldo será um dos primeiros a sentar na cadeira da inquisição para dar explicações das mais variadas denúncias de malversação do dinheiro federal destinado ao Recife para o combate à pandemia. Pelo último levantamento, a capital pernambucana, na gestão de Geraldo, recebeu a bagatela de R$ 600 milhões.

Onde foi parar tanto dinheiro? Se o gato comeu, só os nobres senadores investidos da condição de investigadores poderão dar essa resposta. O fato é que Geraldo está na dianteira da CPI por sua gestão ter sido objeto de sete operações da Polícia Federal, a primeira delas envolvendo a mais nebulosa de todas as compras, a de respiradores testados em porcos a uma empresa mal-assombrada, com CNPJ veterinário, sediada em São Paulo.

Relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), elaborado pelos auditores do órgão, confirmou as irregularidades por parte da gestão da Prefeitura do Recife (PCR) na compra de 500 respiradores da microempresária veterinária Juvanete Barreto Freire, sem licitação, pelo valor total de R$ 11 milhões. A compra foi objeto de três fases da Operação Apneia, da Polícia Federal, com buscas e apreensões na casa de secretários e assessores do prefeito Geraldo Júlio (PSB). O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, teve pedido de prisão temporária na segunda fase da Operação, mas a Justiça Federal negou a prisão.

O celular de Jailson Correia foi apreendido e revelou conversas constrangedoras sobre os respiradores com João Guilherme Ferraz, assessor e homem de confiança de Geraldo Júlio. Também o assessor Felipe Soares Bitencourt, apontado nos bastidores como homem-forte de Geraldo Júlio nas compras da saúde. Felipe Soares Bitencourt está afastado das funções na PCR, por ordem da Vara Criminal da Justiça Federal, após ser alvo de outra operação da Polícia Federal.

O senador sergipano diz, que além do que a Polícia Federal apurou, recebeu contribuições importantes de vários segmentos da sociedade pernambucana, e até de populares, que estão sendo levantadas e apuradas com todo rigor. “A documentação é muito ampla e robusta. Ele terá que dar muitas explicações”, disse Vieira.

O bicho vai pegar – Ainda em relação à nebulosa compra dos respiradores de porcos, o relatório oficial do TCE aponta que a microempresa tinha capital social de apenas R$ 50 mil, tendo sido aberta poucos meses antes. Apesar disso, a gestão de Geraldo Júlio assinou com a microempresária um contrato de R$ 11 milhões sem licitação para a compra de respiradores da covid-19 no auge da pandemia. Os auditores apontam que a gestão de Geraldo Júlio “assumiu o risco” das irregularidades ao contratar a microempresária veterinária por R$ 11 milhões sem licitação.

A polêmica dos governadores – Convocados, ontem, para depor na CPI, nove governadores podem alegar que a decisão fere a Constituição e não comparecer. Por lei, eles só seriam obrigados a depor mediante aprovação, inicial, das assembleias legislativas. Diante disso, só resta a eles recorrerem ao STF para ter o direito de não acolher a convocação. Como já há um precedente por parte do STF dizendo que não é possível tal convocação, estes governantes podem ser liberados, mas, provavelmente, sofrerão desgaste por parte da opinião pública por terem se recusado a dar informações sobre como agiram durante a pandemia.

Recurso ao STF – Conforme revelou um o assessor parlamentar que integra a cúpula da comissão, caso o requerimento fosse na forma de um mero convite, os governadores poderiam deixar de comparecer sem precisar recorrer ao STF e tais chamamentos poderiam vir a ser minimizados. Mas em se tratando de uma convocação, terão de recorrer judicialmente. E como a competência para julgamento é da instância máxima do Judiciário, isso será anunciado e julgado com ampla repercussão.

Paes ingressa no PSD – O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assinou, ontem, a ficha de filiação ao PSD, em Brasília. Tinha ao seu lado o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz. “Vocês ainda têm dúvida de que ele é candidato [a governador do RJ]?”, disse Paes a jornalistas ao lado de Santa Cruz. “Por mim, ele renunciava agora [à presidência da OAB] e começava a campanha”, disse Paes. Santa Cruz deve se filiar ao PSD para disputar a eleição de 2022, mas depois de deixar o comando da OAB. Ele disse que pretende ser “advogado” da população do Rio.

Boa revelação – Ligado ao grupo político do presidente estadual do Republicanos, Sílvio Costa Filho, o secretário nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional Urbano, Tiago Pontes, é quase uma unanimidade na bancada federal como uma grata surpresa em gestão pública. Antes de ingressar no Governo Federal, Tiago atuou no Metrô do Recife. Em Brasília, ganhou também a confiança de outras lideranças além da fronteira de Pernambuco, como o senador piauiense Ciro Nogueira (PP). O secretário tem DNA político em Barreiros, na Zona da Mata, município que seu pai, o comerciante Beto da Sensação, disputou a Prefeitura em 2016, mas não levou.

CURTAS

CAIU FORA – O senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, anunciou, ontem, seu desligamento do Republicanos, mas ainda não escolheu um novo partido para se filiar. Ele estava filiado na sigla desde março de 2020. Em publicação em seu perfil no Twitter, Flávio agradeceu os integrantes do partido pelo “tratamento excepcional, transparente e respeitoso de todos os dias”.

A CANDIDATA – De passagem, ontem, por Brasília, onde teve encontro com o presidente do PTB, Roberto Jefferson, o Coronel Meira, presidente estadual da legenda, recebeu o sinal verde da cúpula trabalhista para dar o start da pré-campanha da candidata bolsonarista ao Governo do Estado, a deputada estadual Clarissa Tércio (PSC).

Perguntar não ofende: Como vai ser o comportamento do senador Humberto Costa no depoimento de Geraldo Júlio na CPI da Pandemia?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Diretor do Butantan reforça que Bolsonaro sabotou vacinação no Brasil.

marcos

Além dessas Fake Mortadelas, Lula é Ladrão.

Fernandes

Bolsonaro exaltou médicos que usaram mulheres pobres como cobaias em experimento com cloroquina em Manaus.

Fernandes

Que tipo de pessoa não tá puta da vida nesse momento sabendo que o Bolzonaro negou vacina pro povo? quem ainda apoia esse cara?

Fernandes

Confusão nas farmácias o pessoal não sabe falar cloroquina, ai pede o remédio do Bolzonaro. Tá saindo todo mundo com Gardenal!


Serra Talhada 2021


26/05


2021

Coluna da quarta-feira

Visão de especialistas

Após três semanas de atuação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o saldo para o governo de Jair Bolsonaro não é nada positivo, avaliam analistas políticos. Se por um lado as testemunhas ouvidas não trouxeram revelações bombásticas sobre a atuação federal na pandemia, de outro os depoimentos serviram para detalhar com mais profundidade falhas da gestão Bolsonaro que já eram conhecidas, como a demora para fechar contratos na compra de vacinas e a reação insuficiente ao colapso do sistema de saúde do Amazonas.

"O efeito que me parece mais concreto (da CPI) é cristalizar uma rejeição alta do governo. Se de fato esse cenário ocorrer, já é suficientemente relevante porque, com a rejeição ao governo em torno de 50% do eleitorado, me parece que é um patamar que sugere transição eleitoral em 2022", analisa o cientista político Rafael Cortes, da Consultoria Tendências. "Se a CPI fortalecer essa rejeição (à gestão Bolsonaro) isso significa diminuir o peso eleitoral de uma eventual retomada da economia ou da tentativa do governo de surfar no avanço da imunização", acrescenta.

"Se tem uma coisa certa na CPI é de que a simples existência dela vai ter impacto na eleição. Os demais desdobramentos, se vai ter punição ou não de ministro, se vai chegar ao presidente da República com processo de impeachment, isso é duvidoso. Mas com certeza vai trazer desgaste ao Bolsonaro no eleitorado que tinha dúvida da conduta do governo na pandemia", diz, por sua vez, o analista político Antônio Augusto de Queiroz, do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), que acompanha de perto o funcionamento do Congresso.

Para Rafael Cortez, uma das principais mensagens da CPI é "simples", mas com potencial muito negativo para Bolsonaro: "a mensagem de que o governo não comprou vacina", resume. Por isso, ele destaca como um dos momentos mais importantes da CPI até agora o depoimento do gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo. "O diretor da Pfizer prestou um depoimento neutro do ponto de vista mais político e acho que trouxe evidências da opção do governo pela não vacinação logo de início na pandemia", acrescenta.

O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nega que o governo tenha deixado de responder ofertas da Pfizer no ano passado e culpa as cláusulas do contrato pela recusa às propostas. Segundo o ex-ministro, o governo não concordava com exigências como a isenção de responsabilidade por efeitos colaterais, transferência do fórum de decisões sobre questões judiciais para Nova York, pagamento adiantado e não existência de multa por atraso de entrega.

Vacinados são 20% – O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil atingiu a marca de 20,09% da população. Em números absolutos, são 42.539.769 brasileiros com a primeira dose aplicada até o momento. Os dados são compilados pelo consórcio de veículos de imprensa. Em termos proporcionais, o Rio Grande do Sul é o Estado que mais vacinou: 25,82% dos seus habitantes receberam ao menos a primeira dose. A porcentagem mais baixa é encontrada em Rondônia, onde apenas 12,26% receberam a vacina. Já em números absolutos, a maior quantidade de vacinados com a primeira dose está em São Paulo (10,62 milhões), seguido por Minas Gerais (4,52 milhões) e Bahia (3,18 milhões).

O foco em UTIs – O secretário de Saúde, André Longo, diz que Pernambuco possui o 6º maior quantitativo de leitos de UTI para a Covid-19 na rede pública do País e o maior entre os estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste e que está ampliando. Desde março, segundo ele, foram abertas 700. Dos 2,9 mil leitos na rede de assistência à Covid-19, 1,7 mil são de UTI, ainda de acordo com o secretário. André garante que, nos próximos dias, outros 30 leitos de UTI serão colocados em operação nas cidades de Bezerros, Caruaru e Garanhuns, no Agreste.

Fim da estabilidade – A proposta de reforma administrativa que está sendo votada pela Câmara dos Deputados, por iniciativa do Governo, retira a estabilidade dos servidores públicos que vierem a ser contratados depois que o texto entrar em vigor. Também estipula que sejam aplicadas avaliações periódicas de desempenho. O projeto é uma das prioridades para o ministro da Economia, Paulo Guedes, que desde, ontem, tem acompanhado passo a passo a discussão e votação da matéria na Comissão de Constituição e Justiça da Casa.

Manifestação e propostas – As Centrais Sindicais entregarão aos presidentes Arthur Lira (Câmara) e Rodrigo Pacheco (Senado), hoje, uma lista com 24 propostas em discussão no Congresso que consideram merecer atenção prioritária. A lista será entregue depois de uma manifestação programada para Esplanada dos Ministérios. Tradicionalmente, as centrais sempre dialogam em torno de pautas em comum. Mas a ação inédita de divulgar uma agenda prioritária é resultado da falta de interlocução do governo com os representantes dos trabalhadores. Com o fim do Ministério do Trabalho, Bolsonaro conseguiu unir movimentos de interesses conflitantes em torno de uma pauta em comum.

O alvo predileto – Relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) pegou no pé do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que deve estar sendo convocado novamente para depor na comissão. “Ele tripudiou sobre os brasileiros ao participar de um ato com o presidente Jair Bolsonaro, no Rio, sem usar máscara e promovendo aglomerações”, disse o senador alagoano. A convocação do general será submetida, hoje, à votação dos integrantes da CPI. "É importante encaminhar a reconvocação para que não pairem dúvidas de que nós nos consideramos ofendidos", observou Renan.

CURTAS

Olho da rua – O ano de 2020 foi responsável por modificar a vida de milhares de cearenses. Com a pandemia da Covid-19, a estabilidade foi transformada em desespero para cerca de 66 mil trabalhadoras domésticas, que foram demitidas. O segundo trimestre do ano passado, que corresponde os meses de abril a junho, foi o que teve maior número de demissões, chegando a 93 mil.

Boa notícia – Um lote com três mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) desembarcou, ontem, no Brasil, para produção de cerca de 5 milhões de doses da CoronaVac pelo Instituto Butantan. Com isso, a fabricação da vacina contra a Covid-19 será retomada pela instituição. A produção foi interrompida na semana passada devido à falta da matéria-prima.

Perguntar não ofende: Por que nenhum aliado de Geraldo Covidão se posiciona sobre o relatório do Ministério Público Federal?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Rejeição a Bolsonaro atinge recorde de 59%, mostra PoderData. A rejeição ao governo de Jair Bolsonaro saltou de 54% há duas semanas para um recorde de 59%, revelam dados publicados nesta quarta-feira pelo PoderData.

Fernandes

O bolsonarismo é uma seita extremista que hospeda o pior do ser humano: o fanático religioso, o militar miliciano, o rico racista e violento, e o pobre ignorante.

marcos

De todas essas Fake Mortadela o povo brasileiro só tem uma certeza que Lula é Ladrão!

Fernandes

Queiroga jogando a toalha! “Sou médico, estou aqui para tentar ajudar o povo do Brasil nessa situação, eu não tenho condições, sozinho de fazer isso”, afirmou o ministro da Saúde”.

Fernandes

O imbrochável brochou. Jair Bolsonaro ludibriou os otários mais uma vez. Algumas semanas atrás, ele prometeu revogar com uma canetada todas as medidas de isolamento social contra a Covid: “Tenho falado que se baixar o decreto, que já está pronto, todos cumprirão.” Depois de conversar com Luiz Fux, porém, em encontro fora da agenda realizado na semana passada, o caudilho imbrochável brochou. Segundo O Globo, o decreto assassino virou apenas “uma ação questionando as medidas restritivas impostas por governadores e prefeitos”. A tal ação está sendo formatada na AGU e, disciplinadamente, será encaminhada ao próprio STF. É melhor assim. Diogo Mainardi.




25/05


2021

Coluna da terça-feira

A reforma possível 

O principal projeto entre os que devem ser votados no Congresso na semana que se inicia ainda está longe dos plenários. Trata-se da reforma administrativa, que provavelmente será analisada na Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara nesta terça-feira. A comissão discute a admissibilidade do projeto. Por exemplo, se não há nada no texto que vai contra uma cláusula pétrea da Constituição.

Depois, a proposta ainda precisa passar por uma comissão especial, onde o mérito é analisado, antes de ir para o plenário da Câmara. Sem contar a tramitação posterior no Senado. O relator, Darci de Matos (PSD-SC), fez alterações no projeto, de autoria do governo. Ele retirou alguns princípios que o Executivo gostaria de incluir nas diretrizes do serviço público na última versão do relatório.

Mas as principais mudanças já haviam sido realizadas por Darci em versão anterior do documento, como em atividades remuneradas, onde retirou da proposta a proibição de servidores públicos terem “qualquer outra atividade remunerada”, que impediria, por exemplo, um técnico do governo de dar aulas (remuneradas) em instituições de ensino.

Na questão de decretos, retirou da proposta do governo trecho que dava ao presidente da República o poder de extinguir e fundir entidades da administração pública por decreto. A nova versão do relatório de Darci de Matos foi publicada no sistema da Câmara na última quinta-feira. Apesar de ser só uma etapa inicial de tramitação, a aprovação do projeto na CCJ será uma boa notícia para o governo.

Ainda não há uma pauta definida para o plenário da Casa. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), deve almoçar, hoje, com líderes de bancadas aliadas. É provável que nesse encontro se discutam as prioridades da semana. Líderes dos mais diversos partidos dizem que há chances de ser pautado o projeto que estabelece regras para micro e minigeradores de energia elétrica. O tema é conhecido como geração distribuída. Tramita no PL (projeto de lei) 5.829 de 2019.

Voto impresso – A comissão da Câmara dos Deputados que analisa a proposta que determina o uso de cédulas físicas nas eleições aprovou, ontem, convites para diversas pessoas participarem de audiências públicas. Um dos convidados será o presidente do Tribuna Superior Eleitoral, Luiz Roberto Barroso. Também foi aprovado requerimento para ser realizada visita nos locais de produção de software e outros locais relacionados às urnas eletrônicas. As datas ainda não foram confirmadas. O defensor mais ardoroso do voto impresso é o presidente Jair Bolsonaro. “Se não tiver voto impresso, é sinal que não vai ter eleição! Acho que o recado está dado”, chegou a afirmar.

MDB vira anão – Se já estava pouco representado no Governo Paulo Câmara, o MDB virou anão depois da perda da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação para o Republicanos. Apadrinhado pelo presidente estadual do MDB, Raul Henry, Marcelo Bruto, que estava no cargo, perdeu a boquinha para Tomé Franca, um ex-armandista de carteirinha que virou integrante do grupo de Silvio Costa Filho da noite para o dia. Raul e, por tabela, Jarbas Vasconcelos, já viveram seus dias de paparico pelos caciques socialistas. 

Variante indiana – Possíveis casos da variante indiana (B.1617) do coronavírus estão sendo monitorados em quatro estados brasileiros: Ceará, Rio de Janeiro, Pará e Maranhão, este último com a confirmação de seis casos e 100 suspeitas. A suspeita mais recente notificada é de um morador da cidade de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro. Ele voltou da Índia no último sábado (22) e testou positivo para a Covid-19. O homem passou por exames ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e seguiu em outro voo para a capital fluminense, antes de receber o resultado.

Isolamento e precauções – No domingo (23), ele viajou de carro até a cidade onde mora e, agora, cumpre isolamento no Município. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) notificou as companhias aéreas Qatar e Latam, responsáveis pelos voos do brasileiro, para fornecer a lista de passageiros, que deverão ser monitorados. O Maranhão confirmou os primeiros casos da nova variante no País, na última quinta-feira (20). A Secretaria de Saúde do Estado disse que a B.1.617 foi detectada em seis amostras coletadas em tripulantes do navio MV Shandong da ZHI, com bandeira de Hong Kong, ancorado em alto-mar na costa de São Luís desde o dia 7 de maio.

O jogo não muda – No Congresso, não há ambiente para mudança nas regras eleitorais em vigor com vistas às eleições de 2022. A saída ideal, segundo a ampla maioria da bancada federal, seria a adoção do sistema Distrital, que, na prática, se constituiria na chamada verdade eleitoral, elegendo-se os mais votados. O que se ouve nos corredores, entre o salão verde da Câmara e o azul do Senado, entretanto, é que os deputados aprovam, mas os senadores desaprovam. Como se trata de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) teria que ser votada em dois turnos, nas duas casas, até outubro, um ano antes da eleição, o que, a esta altura, também não daria mais tempo.

CURTAS

INSÔNIA – O atual sistema proporcional repete a experiência da eleição municipal de 2020, ou seja, a formação de chapas sem o recurso das coligações. Com isso, os partidos terão muitas dificuldades de montar chapas, o que tem tirado o sono de muitos parlamentares, principalmente os presidentes estaduais de legenda, como André de Paula (PSD), Augusto Coutinho (SD), Mendonça Filho (DEM), Sebastião Oliveira (Avante), Daniel Coelho (Cidadania) e Silvio Costa Filho (Republicanos).

O NÓ DO MDB – O que se diz, também na bancada federal, é que o MDB, se continuar sob o comando de Jarbas Vasconcelos, não elege nenhum deputado, sendo Raul Henry, deputado e presidente estadual da legenda, o mais prejudicado. O que salvaria o MDB seria o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho. Com ele no controle e o filho Miguel candidato ao Governo do Estado, o partido garantiria entre quatro a cinco federais.

Perguntar não ofende: Sem voto impresso, tem eleição?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

TSE autoriza quebra de sigilo em investigação contra a chapa do PSL de Mourão/ Bolsonaro!

Fernandes

Nova correlação de forças em favor da CPI estará em cena, esquentando a campanha eleitoral em plena pandemia; o incômodo de Bolsonaro com nova situação é medida pelo eleitor bolsonarista que reclamou dele solução para a catástrofe social; rispidamente, respondeu: “Quem não está contente comigo tem Lula em 2022.” Até parece que Bolsonaro já se cambaleia no ringue, antevendo desfecho da luta.

Fernandes

Crescem, graças à CPI, as indagações críticas da população ao governo sobre porque não comprou vacina, para amenizar as mortes que já atingem 450 mil pessoas; não há respostas convincentes; a CPI, se a mobilização for um sucesso, comprova ser o poder real, no país, nesse momento; suas posições estariam sintonizadas com as ruas e as ruas sintonizadas com a CPI; o Congresso ganha mais poder e os senadores da oposição, maioria na CPI, transformam-se no maior promotor da candidatura Lula; as pesquisas favoráveis ao ex-presidente petista produziram placar preocupante para os bolsonaristas: 53% x 34%, no DataFolha.

Fernandes

CPI mobiliza sociedade: abala Bolsonaro e embala Lula. O mérito maior da CPI é o despertar da consciência política e da mobilização social contra governo que faz corpo mole contra o novo coronavírus.

Fernandes

Senador Omar Aziz afirmou que depoimentos na CPI já caracterizaram que Bolsonaro intencionalmente ignorou a compra de vacinas




24/05


2021

Coluna da segunda-feira

Um basta à corrupção

Não roubar, não deixar roubar, pôr na cadeia quem roube, eis o primeiro mandamento da moral pública, pregou Ulysses Guimarães ao proclamar a Constituição de 1988, que não foi a perfeita, mas a possível, segundo ele. O manifesto se traduz para o sentimento dos entrevistados pelo Instituto Opinião, no levantamento abaixo como parte do que esperam em relação ao futuro governador.

De acordo com a pesquisa, o item mais valorizado pelo eleitor em relação aos predicados dos candidatos a governador é honestidade. Esse sentimento não é novo nem surpreende. O que a sociedade quer e exige dos seus governantes é não surrupiar o dinheiro alheio, zelar pela coisa pública, devolver com obras e bons serviços o imposto pago por todos nós.

O mesmo Ulysses disse, ainda no seu discurso antológico, que a moral é o cerne da pátria, a corrupção o cupim da República. “República suja pela corrupção impune tomba nas mãos de demagogos que a pretexto de salvá-la a tiranizam”, disse o Senhor Diretas. Em campanha, os políticos em geral fazem juras de amor a esse preceito básico.

Mas quando chegam ao poder invertem a ordem dos fatores, se pervertem, são capazes até de malversar dinheiro destinado a salvar vidas neste momento deprimente vivido por todos nós frente à covid-19. Segundo o levantamento do Opinião, o ex-prefeito Geraldo Júlio é o mais identificado com desvios de recursos federais para o combate à pandemia.

Quase 30% dos entrevistados disseram ter tomado conhecimento das tristes notícias envolvendo seu nome com as denúncias de corrupção com a dinheirama da pandemia. Entre os fatos mais relevantes, a compra de respiradores testados em porcos, cujo relatório já foi requisitado pelo comando da CPI da pandemia, no Senado.

A corrupção dos governantes quase sempre começa com a corrupção dos seus princípios, disse o Barão de Montesquieu. Respeitemos a principal exigência dos entrevistados quanto ao preceito da honestidade, porque o homem corrupto é um indivíduo fraco, que perdeu as qualidades do homem equilibrado e justo.

A política, quando gera corrupção na célula social, é um verdadeiro câncer que destrói toda a sociedade e os seus valores morais. Que um dia possamos abrir um novo paradigma contrariando os que insistem em enxergar que na vida pública só existem dois tipos de políticos: os corruptos declarados que falam demais e mentem e os declarados corruptos, porque esgota seu estoque de verdades.

Sucessão antecipada – A pesquisa do Opinião apontando Marília Arraes (PT) na liderança, faltando um ano e seis meses para as eleições de governador, sacudiu o cenário político e jogou os pré-candidatos nas ruas. Anderson Ferreira, nome lembrado pelo PL, esteve em Caruaru e Surubim. Miguel Coelho, provável candidato do MDB, passou três dias no Recife em articulações, e a própria Marília cumpriu uma extensa agenda pelo Alto Sertão, passando por Salgueiro e o Pajeú.

Tucanada em alta – O levantamento do Opinião também apontou para o ressurgimento do PSDB, partido que andava em baixa desde a morte do ex-senador Sérgio Guerra. Com Raquel Lyra em segundo lugar para o Governo do Estado e Armando Neto na dianteira para o Senado, num empate técnico com Paulo Câmara e Mendonça Filho, que são candidatos, a legenda tucana mostrou que tem vitalidade em estar na cabeça de chapa no bloco da oposição ou indicando o candidato a senador.

Pegou mal – A presença do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que se encrencou na CPI da Pandemia, em uma manifestação político-partidária, ontem, no Rio de Janeiro, criou um constrangimento para o Comando do Exército e pode abrir uma nova crise militar no Governo de Jair Bolsonaro. Isso porque Pazuello é general de divisão da ativa e, como todo militar da ativa, está proibido pelo Estatuto dos Militares e pelo Regulamento Disciplinar do Exército de participar de manifestações coletivas de caráter político.

Passeio e aglomeração – Bolsonaro percorreu mais de 30 quilômetros num passeio de moto, ontem, no Rio. O evento ocorreu três dias após ele dizer, em live, que voltou a ter sintomas da Covid-19. O passeio gerou aglomeração. Depois, o presidente reuniu aliados em um trio elétrico. Entre os presentes, o ex-ministro Eduardo Pazuello. A Prefeitura do Rio de Janeiro estima que participaram do evento de 10 mil a 15 mil pessoas. Bolsonaro, assim como Pazuello e a maioria dos presentes, não usou máscara. A manifestação foi convocada por apoiadores do chefe do Executivo nacional.

Brasília invadida – Centrais sindicais, entre elas a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a UGT (União Geral dos Trabalhadores) vão a Brasília, na próxima quarta-feira, entregar aos presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), uma série de propostas que elaboraram em conjunto. A entrega da chamada “Agenda Legislativa das centrais sindicais” será acompanhada por um ato. Segundo nota da CUT, “o ato não promoverá ações de rua que gerem aglomeração”. A agenda contém 23 proposições. Uma delas pede que o auxílio emergencial volte a ter o valor de R$ 600 e seja pago enquanto durarem os efeitos econômicos da pandemia. Outro ponto debatido pelos sindicatos é o fortalecimento de medidas de proteção ao emprego.

CURTAS

No Equador – Logo após o ato no Rio, o presidente Bolsonaro embarcou para Quito, no Equador, para prestigiar a posse do presidente eleito Guillermo Lasso. O presidente eleito receberá a faixa presidencial de Lenín Moreno, que ocupa o cargo há quatro anos. Lasso foi eleito com 52,49% e se considera um liberal conservador. Também participam da cerimônia os presidentes do Chile, Sebastián Piñera; da Colômbia, Iván Duque; do Haiti, Jovenel Moise; da República Dominicana, Luis Abinader; de Honduras, Juan Orlando Hernández; e do Uruguai, Luis Lacalle Pou.

Pau no presidente – A oposição caiu de pau no presidente pelo ato no Rio. O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) disse, no Twitter, que o presidente “está colocando em risco a vida de milhões de brasileiros”. “Quanta gente vai morrer de covid depois desse absurdo? É muita irresponsabilidade, é muito desprezo pela vida alheia. Esse sujeito não é só um presidente ruim, é um ser humano péssimo”, declarou.

Perguntar não ofende: Quando a CPI da Pandemia vai convocar os gestores que desviaram o dinheiro da covid?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Resumo do dia Bolsonaro é Ladrão e Genocida, e marcos de camaragibe é Fresco dar seu Boga a rapaziada da rua da Esquina.

marcos

Resumo do dia, Lula é Ladrão.

Fernandes

Diante de Bolsonaro, novo presidente do Equador discursa contra “caudilhos” e “tentação autoritária”. Bolsonaro — que, ao contrário do que costuma fazer no Brasil, estava de máscara.

Fernandes

Bolzonaro não eleitor, Bolzonaro tem seguidor que admira o mau — caratismo dele.

Fernandes

A urna não feita para depositar ódio ou preconceitos, foi feita para depositar sonho e esperança. Lula 2022!




22/05


2021

Coluna do sabadão

Zé Neto rouba a cena 

Geraldo Júlio não é o único nem nunca será nome consensual ao Governo de Pernambuco. Diante de tamanho desgaste que vive, alvo de sete operações da Polícia Federal em sua gestão, pode até não ser ungido pelas forças governistas ao Palácio das Princesas. Ao seu redor, não faltarão nomes que possam deletá-lo de uma eventual disputa.

Lembrado como alternativa do PSB numa entrevista a este blog pelo líder do Avante na Câmara dos Deputados, Sebastião Oliveira, o secretário estadual da Casa Civil, Zé Neto, já é lembrado por quase metade dos eleitores que se dispõem a votar em Geraldo. Na pesquisa acima, na qual os entrevistados pelo Instituto Opinião falam das suas preferências para 2022, o chefe da Casa Civil é lembrado por mais de 12%, enquanto Geraldo é citado por 26%.

Para quem nunca se colocou no páreo, não dá entrevista, não vive na mídia, tem uma postura extremamente discreta, Zé Neto surpreende e muito. De família com DNA tradicional político no Estado, sobrinho do ex-governador Joaquim Francisco, o secretário da Casa Civil tem pedigree. Extremamente hábil e articulado, goza de uma grande reputação na Assembleia Legislativa e em todos os segmentos da vida pública do Estado.

Atende bem a todos, independente de cor partidária, credo ou ideologia. Prefeitos no campo de oposição não se cansam da forma e do tratamento recebidos quando querem chegar até ao governador. Gestor de São Caetano, Josafá Almeida (PSL) é um dos que estão do outro lado do balcão partidário oficial que bate ponto no Palácio das Princesas.

Há muito, desde que foi eleito, precisava levar ao governador um projeto carro-chefe da sua administração na área têxtil e, rapidamente, teve acesso ao Palácio, saindo do gabinete de Paulo Câmara extremamente satisfeito graças ao meio de campo feito pelo competente secretário que cuida da articulação política do Governo. Na Assembleia, ressonância disso tudo, Zé Neto é quase uma unanimidade em aprovação.

Amizade pessoal – Referência no campo político pela ligação familiar com Joaquim Francisco, Zé Neto é, também, forte na base governista por ser um quadro da absoluta confiança e amizade pessoal com o governador Paulo Câmara. Praticamente da mesma geração, criaram o laço no Tribunal de Contas do Estado, ingressando na corte por concurso público como auditores. Estão licenciados desde que foram convocados pelo ex-governador Eduardo Campos para missões na vida pública.

Andando e engolindo sapo – De olho no Governo do Estado, o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira (PL), teve uma semana de articulações no campo político. Almoçou com a deputada Marília Arraes (PT), também lembrada para a disputa majoritária em 22, conversou por telefone com Miguel Coelho, logo após a divulgação da primeira pesquisa do Opinião para governador, deu um pulo em Caruaru para ternurar a prefeita Raquel Lyra (PSDB) por ocasião dos 164 anos da capital do Agreste, e hoje estará em Surubim, cumprindo uma agenda com aliados simpáticos ao seu nome para o Palácio das Princesas. Como diz um velho adágio, cobra que não anda, não engole sapo.

Recorde trágico – Pela segunda vez ao longo da semana, o Estado bateu recorde de confirmações de casos de Covid-19 em 24 horas desde o começo da pandemia. A Secretaria de Saúde contabilizou, ontem, mais 3.969 pessoas com a doença e 66 óbitos, elevando o total de infectados para 456.690 e de mortes, para 15.258. A média de confirmação de casos também teve um recorde absoluto no dia de ontem: foram 2.701 registros por dia, em média, na última semana. É 27% maior que a média registrada duas semanas atrás. O indicador da média de casos em Pernambuco está acima dos dois mil registros diários há 15 dias seguidos.

O jacaré e a cobra – A pergunta mais insistente nos meios políticos do Estado: por onde anda o ex-secretário todo poderoso secretário Antônio Figueira, que mandou e desmandou no Governo socialista desde a ascensão do ex-governador Eduardo Campos ao poder? Por que, com tanta experiência e bagagem na área de Saúde, num momento em que o Estado é campeão em casos de covid, Figueira não é lembrado para nada? Aos que não acompanham a política com mais atenção, o ex-secretário deixou o Governo por uma porta no mesmo dia que o ex-prefeito Geraldo Júlio entrou por outra. É a famoso casamento impossível do jacaré com cobra d’água.

Usina Cucaú – Na celebração dos 130 anos da usina Cucaú, o empresário Eduardo Monteiro, que teve a missão de assumir o comando do grupo a partir de 2000, foi bastante cumprimentado ao longo da semana. Coube a ele tocar os negócios com a morte do pai, o saudoso ex-ministro Armando Monteiro Filho promoveu uma ampla reforma administrativa, expandindo a produção e reposicionando no setor sucroenergético. A capacidade de processamento passou para 11 mil toneladas de cana por dia. Mesmo com o alto volume, a empresa não descuida da questão socioambiental: em 2003, houve a criação do programa “Guardiões da Natureza”. Segundo Eduardo, trata-se de um “projeto de educação que trabalha a importância da preservação ambiental junto com as crianças nas escolas e com todos os colaboradores da Usina.

CURTAS

Empregos – Responsável por gerar maios de 20 mil empregos diretos e indiretos, a Usina Cucaú chega aos 130 anos bastante sólida e firme no mercado. O empreendimento do Grupo EQM está situado em Rio Formoso, na Mata Sul pernambucana, e contribui para a economia de cidades diversas, como Gameleira, Ribeirão, Escada, Sirinhaém, Tamandaré, Barreiros e o próprio Recife.

História de sucesso – A Companhia Geral de Melhoramentos, da França, foi a responsável pela fundação da usina em 1891, mas os negócios ganharam impulso a partir de 1943, quando o empresário Armando de Queiroz Monteiro comprou a fábrica. Desde então, modernizou-se e se consolidou como uma das maiores produtoras de açúcar e de derivados da cana em Pernambuco.

Perguntar não ofende: Humberto Costa é mesmo um jumento, como disse o presidente Bolsonaro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Que fique bem claro, marcos de camaragibe é fresco dar o seu (Boga), a rapaziada da rua da Esquina.

Fernandes

O presidente Bolsonaro, disse que Antártica fica no Brasil. Se o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido), realizasse uma prova de geografia do ensino fundamental, muito provavelmente precisaria de reforço. Isso porque na última quarta-feira, 28/04 Bolsonaro afirmou que a Antártica fica no Brasil. O continente gelado fica bem abaixo da América do Sul, Oceania e África.

Fernandes

Militares afirmam que participação do general em ato de Bolzonaro neste domingo envergonham as Forças Armadas.

Fernandes

Grande dia! Pazuello foi pra reserva esse vagabundo tinha era que ser expulso. Verme.

Fernandes

Exército retira Pazuello da ativa após general participar de motociada em apoio a Bolzonaro.




21/05


2021

Coluna da sexta-feira

Uma mão lava a outra 

Na pesquisa abaixo, sequência do amplo levantamento do Instituto Opinião, uma maioria, não tão expressiva, avaliza o reatamento do casamento do PSB com o PT para as eleições de 2022. Isso respalda ainda mais o desejo de ambos os partidos construírem, em nível nacional, uma candidatura única, no caso a de Luiz Inácio Lula da Silva, pelo PT, e no Estado, uma chapa para governador encabeçada pelo PSB.

O que impressiona, na outra face da pesquisa, é a rejeição das gestões de Bolsonaro e Paulo Câmara, quase num mesmo patamar, com uma piora para o presidente Bolsonaro. Com isso, no plano estadual, o PSB fica muito mais a reboque do PT, porque, qualquer que seja o candidato – fala-se em Geraldo Júlio, Zé Neto e agora Décio Padilha, secretário da Fazenda – não terá voo próprio para garantir a eleição do sucessor de Câmara.

Com Lula candidato, Pernambuco terá, naturalmente, uma eleição nacionalizada, ficando em segundo plano a discussão das questões mais presentes nas preocupações dos pernambucanos, como a melhoria na saúde, o avanço nas políticas de educação, um amplo programa de recuperação da malha viária do Estado, que está aos cacos.

Muito ruim para o Estado, que perde uma grande oportunidade de colocar em debate o que o PSB fez de bom ou nefasto ao longo dos últimos anos em que controla, com mão de ferro, não apenas o poder em sua plenitude, mas também a Prefeitura do Recife de forma hegemônica. Na eleição em que Paulo Câmara foi eleito pela primeira vez, em 2014, o fator influenciador foi a morte trágica de Eduardo Campos.

Até o avião cair em Santos e levar a vida de Eduardo, Armando Monteiro era dado como certo o novo governador. Quatro anos depois, quando o PSB se via ameaçado de perder o poder para Marília Arraes, que liderava as pesquisas para o Palácio das Princesas em todos os cenários, o PT dá uma rasteira nela e retoma a aliança com PSB.

Câmara se reelege e Humberto, que não se elegia sequer deputado federal, ganha de bandeja mais oito anos de senador. Como diz um velho ditado, uma mão lava a outra e as duas lavam o rosto, para ser mais educado, não citando, verdadeiramente, a parte mais sugestiva do corpo humano.

Ciro reage – O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) foi ao Twitter, ontem, rebater uma declaração do ex-presidente Lula (PT), que disse que não queria brigar com o pedetista. Em resposta, afirmou que o petista "reduz a política a uma briga de amigos". "Lula, não é que você não queira brigar. É que para isso você usa bajuladores e seu gabinete do ódio. O que você não quer é debater o País, os projetos, as coisas que o PT fez no poder. Então você reduz a política a uma briga de amigos, a afetos. O povo brasileiro não merece isso", publicou.

Provocação de Lula – A reação de Ciro foi em cima de uma mensagem emitida por Lula horas antes em relação a provocações recentes do pedetista, que tem buscado confronto com o ex-presidente. "Eu adoraria dizer que o Ciro é um amigo. Mas infelizmente ele não quer. Mas eu aprendi uma teoria com a minha mãe Dona Lindu: quando um não quer, dois não brigam. Não farei jogo rasteiro", postou Lula.

Lugar é a cadeia – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu à Justiça de Santa Catarina que seja realizada em formato virtual uma audiência de conciliação com o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan. Lula processa o empresário por danos morais. No verão de 2019 e 2020, Hang patrocinou a divulgação de mensagens contra Lula em aviões que sobrevoaram o litoral de Santa Catarina. Uma das frases dizia: “Lula ladrão seu lugar é na prisão”.

DEM corteja Ciro – Convencido de que o presidente Jair Bolsonaro não chegará ao segundo turno da eleição de 2022, o ex-ministro Ciro Gomes vestiu o figurino de “anti-Lula” e tem sido cortejado pelo presidente do DEM, ACM Neto. Nesse divórcio litigioso, o desafio do pré-candidato do PDT é não destruir pontes com o campo da esquerda, não ceder demais ao outro lado nem parecer artificial ao tentar se equilibrar em um estilo “paz e amor”, moldado pelo marqueteiro João Santana.

João Alfredo restringe – O prefeito de João Alfredo, Zé Martins (PSB), publicou, ontem, o decreto Municipal de número 44/2021 estabelecendo novas medidas restritivas de caráter excepcional e temporário para enfrentamento da Covid-19. “O trabalho dos nossos profissionais de saúde está intenso e já não temos acomodações e disponibilidades de unidades intensivas em outros centros. Desta forma, rogamos encarecidamente que a população faça a sua parte nos termos das restrições recomendadas para evitar o contágio desse terrível vírus”, disse a secretária de Saúde, Joanna Amélia do Rêgo Santos.

CURTAS

Irregularidades – Uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado constatou irregularidades em reformas de estações BRT e em terminais de ônibus no Grande Recife. Segundo o TCE, quase todas as estações estão sem ar-condicionado, já que os aparelhos "sumiram". Nos terminais, foram usados materiais inferiores aos indicados no edital de licitação. Após a constatação desses problemas, o tribunal entrou com uma medida cautelar impedindo a continuidade das obras.

Anulação – Organizações sociais e familiares de Miguel Santana, de apenas cinco anos, que morreu após cair de uma altura de 35 metros em um prédio de luxo, no Recife, participaram, ontem, de um ato público para pedir a anulação do depoimento de uma testemunha dentro do processo criminal contra a ex-patroa da mãe do garoto, Sari Corte Real, que responde por homicídio culposo.

Perguntar não ofende: Ciro está batendo de frente com Lula para ser valorizado e com isso vir a ser o vice na chapa do petista?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Que fique bem claro, marcos de camaragibe é fresco dar o seu (Boga), a rapaziada da rua da Esquina.

Fernandes

“Lula é o centro das soluções para o Brasil”.

marcos

Nehemias Fernandes, o Nazista Fresco agora está dando o Boga atrás do Muro construido na fronteira do México com o Brasil. Fonte : Senador Humberto Costa PT PE.

Fernandes

Que fique bem claro, marcos de camaragibe é fresco dar o seu (Boga), a rapaziada da rua da Esquina.

Fernandes

Bolsonaro perde de vez bandeira anticorrupção. Um de seus ministros prediletos, que vem sendo protegido por Bolsonaro contra as mais diversas pressões por sua demissão, Ricardo Salles está sendo investigado em pleno exercício do cargo. Seu gabinete, em Brasília, foi objeto de busca e apreensão.