O Jornal do Poder


18/07


2020

Coluna do sabadão

Mais batatas quentes

Há três meses, o presidente Bolsonaro se meteu numa onda de fatos negativos nunca antes vistos na história do País, para copiar o velho refrão de Lula. Junto com a crise sanitária da Covid-19 vieram os atropelos que resultaram na troca do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, os desencontros na pasta de Educação, a prisão de Fabrício Queiroz, o homem bomba das denúncias de rachadinha no gabinete do filho Flávio Bolsonaro, hoje senador, quando deputado estadual no Rio de Janeiro.

Depois vieram os insultos do Supremo, os desentendimentos com o Congresso, especialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que bate duro, de vez em quando, no lombo do presidente quando instigado. Neste fim de semana, as revistas IstoÉ e Época, esta das Organizações Globo, que Bolsonaro considera inimigas e adversárias do seu Governo, estamparam em suas capas dois assuntos extremamente indigestos.

Com o título “O desmonte do Estado”, a IstoÉ informa que Bolsonaro arruína a máquina pública e provoca paralisia e desmanche em setores cruciais para o País, como Saúde, Educação, Meio Ambiente, Assistência Social e Cultura. Diz que os militares, sócios do fracasso da gestão Bolsonaro, são cada vez mais questionados e reavaliam a ligação com o Governo. A revista vai fundo no assunto, mostrando com números o retrocesso brasileiro principalmente na saúde e na educação, áreas-problemas do Governo.

Já a revista Época traz reportagem, também de capa, com a chamada “Mulher de bens”, apontando Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente, como nova rica. Revela que conquistou uma significativa evolução patrimonial, saindo de funcionária modesta, nos anos 1990, quando trabalhava no gabinete do deputado federal Jonival Lucas, da Bahia, para uma bem-sucedida negociadora imobiliária.

Feita com base em quase 40 escrituras de compra e venda e 20 registros em cartórios no Rio de Janeiro e em Brasília, a matéria da revista diz que ela comprou, com Jair, 14 apartamentos, casas e terrenos, que somavam um patrimônio, em imóveis, avaliado em cerca de R$ 3 milhões na data da separação – o equivalente a R$ 5,3 milhões em valores corrigidos pela inflação.

Até então, ele tinha apenas dois apartamentos no Rio e um terreno onde depois construiu uma casa, na Vila de Mambucaba, em Angra dos Reis. Nas escrituras guardadas há quase 20 anos, há informações que despertam a atenção: na compra de cinco desses 14 imóveis, o pagamento ocorreu “em moeda corrente”, ou seja, em dinheiro vivo. Após o casamento, ela ficou com nove imóveis, entre eles cinco terrenos em Resende.

No total, o casal declarou ter adquirido o conjunto de terras por R$ 160 mil em 2006, quando ainda estava junto. Após o litígio, cinco anos depois, ela revendeu os terrenos por R$ 1,9 milhão. Quem contribuiu para a grande valorização destes terrenos foi o empresário do setor de transportes Marcelo Traça, através da empresa da qual ele é sócio, a Alambari Empreendimentos e Participações Ltda. Traça é um conhecido delator da Operação Lava Jato no Rio e admitiu, em sua colaboração premiada, que comprova imóveis para lavar dinheiro.

Multiplicação – Bolsonaro, quando se uniu a ela, também estava longe de possuir o patrimônio atual. Na época, tinha apenas dois apartamentos no Rio e um terreno onde depois construiu uma casa, na Vila de Mambucaba, em Angra dos Reis. Um deles ficou com a primeira mulher, Rogéria Nantes Bolsonaro. Tudo havia sido adquirido entre 1996 e 1997, ano em que se separou de Rogéria. Foi na década seguinte, a mesma em que se concentra parte da investigação das rachadinhas (a conhecida prática de devolução de salários de assessores aos políticos que os contrataram) nos gabinetes de Flávio e Carlos, que a carteira imobiliária de Ana Cristina se multiplicou.

Dinheiro vivo – Nas escrituras guardadas há quase 20 anos, há informações que despertam a atenção: na compra de cinco desses 14 imóveis, o pagamento ocorreu “em moeda corrente”, ou seja, em dinheiro vivo. Foram duas casas, um apartamento e dois terrenos — tudo feito em negociações separadas ocorridas entre 2000 e 2006, que somam R$ 243.300, em dinheiro da época. Hoje, esse montante somaria R$ 680 mil, com a inflação corrigida pelo IPCA de acordo com a data de cada compra. Depois da separação, ela ficou com nove imóveis. Entre os bens mantidos por Ana Cristina, havia cinco terrenos em Resende que levam a outras transações incomuns.

Mais crise – O relator do novo marco do saneamento no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), voltou a criticar nesta sexta-feira, 17, o veto do presidente Jair Bolsonaro ao artigo que permitiria uma renovação, por até 30 anos, dos contratos de saneamento mantidos pelas estatais do setor. Jereissati disse que a negativa de Bolsonaro “cria uma crise política" e uma "polêmica" em torno de um projeto que "estava entrando na hora certa". "Depois de uma costuma dificílima, em que se acabou na Câmara colocando mais esse item (renovação) e as condicionantes, e um acordo feito com lideranças regionais, passamos o texto no Senado, fizemos a discussão, e conseguimos aprovar sem modificação", afirmou o senador.

Mantido – O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), decidiu manter o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) no cargo de coordenador do seu plano de governo à reeleição. Como mostrou o Estadão, a escolha desagradou a tucanos ligados ao governador João Doria e até aliados do prefeito, que temem o impacto negativo na campanha municipal após o indiciamento do ex-governador na quinta-feira passada, pela Polícia Federal, por corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro. Havia a expectativa de que o próprio Alckmin desistisse da coordenação. "Nenhum tucano de verdade pensaria dessa forma. O ex-governador Geraldo Alckmin tem todo o nosso respeito por sua história, trajetória e realizações", disse Wilson Pedroso, coordenador da campanha de Bruno Covas, após a publicação da reportagem.

CURTAS

PREFEITO INVESTIGADO – A Polícia Civil cumpriu, ontem, cinco mandados de busca e apreensão em casas no Recife e em Tamandaré, no Litoral Sul. A investigação que deu origem à Operação Espectro começou em junho de 2020 e apura suposta prática de desvio de serviços públicos e associação criminosa. Sérgio Hacker (PSB), prefeito de Tamandaré, foi alvo da investigação. Em nota assinada pelos advogados de defesa, o gestor manifestou "surpresa e perplexidade" com a operação policial. Esta foi realizada pela Diretoria Integrada Especializada (Diresp), vinculada ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco) e presidida pelo delegado Rodolfo Bacelar, titular da 3ª Delegacia de Combate à Corrupção.

QUEIMADO – Como se não bastassem as pesquisas pré-eleitorais, que apontam sua possível candidatura à Prefeitura do Recife cada vez mais inviável, o deputado Daniel Coelho tem outro problemão pela frente. O presidente do Cidadania, Roberto Freire, tem demonstrado interesse em se afastar da presidência do partido e Daniel tem esperança de sucedê-lo. No entanto, fontes ouvidas pelo blog dizem que ele não é considerado confiável pelos seus pares, a partir do presidenciável Luciano Hulk, que já trabalha por outro nome. O apresentador global, que não confia no parlamentar pernambucano, já foi lançado por Freire como potencial candidato ao Palácio do Planalto em 2022.

LIVE COM ALCKMIN – O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, uma das principais lideranças nacionais do PSDB, tendo já disputado à Presidência da República, é meu convidado para a live da próxima segunda-feira, às 18 horas, pelo Instagram deste blog, com retransmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente, que tem como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Se você quer assistir e ainda não nos segue pelo Instagram, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Cadê a solidariedade dos tucanos de alta linhagem ao ex-governador Geraldo Alckmin?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Desculpem esqueci...Centrão sugere ligar Nova CPMF à renda mínima. Ai eu choro! Au ! Au ! Au ! Au!.

Fernandes

Desculpem esqueci...É muito difícil lutar contra a pandemia de imbecis.

Fernandes

Desculpem esqueci...Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

É .preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Bolsonaro defende nova CPMF . Ai eu choro! Au ! Au ! Au ! Au!.


Potencial Pesquisa & Informação


17/07


2020

Coluna da sexta-feira

O espaço Bolsonaro no Recife

À luz dos números apontados, ontem, na pesquisa do Instituto Potencial sobre a sucessão no Recife, postada com exclusividade neste blog, um cenário merece uma reflexão: o Governo Jair Bolsonaro parece ter superado a sua pior fase numa capital nordestina e tem consideráveis 24% de ótimo e bom, com 21% de regular. Sua desaprovação é de 44%, percentual que já foi bem mais alto. Na aprovação, Bolsonaro já supera, numericamente, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, que tem 46% de desaprovação.

Bolsonaro tem 13% de ótimo e 11% de bom. Geraldo, 20% de bom e apenas 3% de ótimo. Traduzindo: se a eleição municipal vier a ganhar espaços para o debate também nacional, um candidato apoiado por Bolsonaro no Recife tende a captar esse eleitorado satisfeito com a gestão federal. Há, de fato, um segmento eleitoral de centro e de direita que não vota em nenhum dos candidatos que se apresentam com discurso de afronta ao Governo Bolsonaro.

Existem dois pré-candidatos brigando pelo apoio de Bolsonaro no Recife: Alberto Feitosa, do PSC, e Marco Aurélio, do PRTB. O que tem mais acesso a Bolsonaro é Feitosa, já com elo criado com ele por uma relação antiga, quando então deputado federal, Bolsonaro esteve no Recife para atos políticos no segmento militar. Feitosa, vale lembrar, é major, e Bolsonaro, capitão. Já Marco Aurélio tem linha direta com o vice-presidente Hamilton Mourão, a quem concedeu a cidadania recifense.

Na pesquisa, liderada por Marília Arraes com 21%, seguido por Mendonça Filho e Patrícia Domingos, com 12%, Daniel Coelho na faixa de 10% e João Campos com 9%, Marco Aurélio é citado por 3% e Feitosa 1%. Feitosa, entretanto, é o menos conhecido entre todos os candidatos. Dos 800 eleitores entrevistados por telefone pela Potencial, 47% disseram que nunca tinham ouvido falar no nome dele, quase o mesmo percentual também de Marco Aurélio.

Bolsonaro chegou a dizer lá atrás, quando seu Governo estava num patamar maior de rejeição, que não iria se envolver na eleição municipal. Mas tudo pode estar no campo apenas da retórica. Quando o processo eleitoral pegar fogo, custo a acreditar que ele não venha a se envolver, optando por subir em palanques de candidatos simpáticos e defensores do seu Governo. Se isso ocorrer, quem se apresentar como candidato de Bolsonaro no Recife cresce nesse eleitorado que aprova o seu Governo, seja Feitosa ou Marco Aurélio.

O teto da esquerda – Na pesquisa do Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), postada ontem, a soma de Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB), que se inserem no chamado campo da esquerda, dá exatamente 30% - 21% da petista, que lidera, e 9% do socialista, que aparece em quarto lugar. Já a soma dos demais candidatos fecha em 38%, estando ainda 15% indecisos. Traduzindo: a esquerda tem um teto e para onde o eleitor mais conservador pender, a eleição tende a ser definida.

Quem abre? – Mendonça Filho (DEM) e Daniel Coelho (Cidadania) aparecem, respectivamente, com 12% e 10%, e praticamente a mesma taxa de rejeição – 54% e 53%. Desde o start da discussão no Recife, quando passaram a ocupar o espaço da mídia na chamada fase da pré-campanha, eles passaram a pregar a tese da candidatura única da oposição, tendo como um dos critérios pesquisa eleitoral. Como estão num mesmo patamar, a pergunta que se faz é a seguinte: quem vai abrir para quem? Resposta óbvia: nenhum vai ceder, pelo menos não estão dando indicativos nessa direção.

DNA de delegada – Diferente de uma pesquisa anterior divulgada por um instituto desconhecido de Caruaru, o nome de Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos à prefeita do Recife, foi apresentada aos entrevistados com a indicação de delegada, mas a delegada mais conhecida pelos recifenses ainda é Gleide Ângelo, furacão de votos em 2018, com mais de 400 mil votos. Será que isso beneficiou a carioca? Entre todas as pesquisas registradas até agora na justiça eleitoral para levantar o quadro sucessório no Recife, o único instituto de pesquisa, na verdade, é o Potencial, que tem parceria com o meu blog. Os demais são empresas, inclusive de assessorias.

O dedo de Armando – O cenário eleitoral do Recife apontado pela Potencial pode provocar fatos novos nos próximos dias. Presidente estadual do PTB, o ex-senador Armando Monteiro Neto tem feito o meio do campo para um entendimento entre os pré-candidatos Mendonça Filho e Daniel Coelho. Como as convenções se aproximam, estando previstas para agosto, o que se diz Mendonça e Daniel não podem retardar mais essa decisão por um acordão. Mendonça, aparentemente, parece mais avançado para atrair mais apoios ao seu projeto do que Daniel, que tem resumido sua atuação de oposição a postagens não tão periódicas pelas redes sociais.

CURTAS

FATOR TÚLIO GADELHA – A propósito do cenário eleitoral do Recife, soube, ontem, que o PDT nacional, liderado por Carlos Lupi, ainda não arquivou a ideia de bancar a candidatura do deputado federal Túlio Gadelha, que já se colocou como pré-candidato lá atrás, mas depois recuou. Lupi tem o controle absoluto da legenda, que no Recife, por graça do presidente estadual da legenda, Wolney Queiroz, está hoje atrelada ao PSB em apoio ao pré-candidato João Campos. “Mas quem decide Recife é Lupi”, disse uma fonte nacional ouvida por este blogueiro.

BAIANO NO COMANDO – O Instituto Potencial, com sede em Salvador, na Bahia, é dirigido por Zeca Martins, professor de cursos de pós-graduação na área, com atuação nacional. Tem um histórico de acertos. Foi quem previu a vitória do então governador Jacques Vagner (PT), na Bahia. Na liderança pelo levantamento do Potencial, a pré-candidata do PT no Recife, Marília Arraes, ouvida sobre a pesquisa em que desponta com 21%, afirmou que se traduz pelo sentimento de confiança do recifense no seu trabalho e nas suas propostas para a cidade.

LIVE COM ALCKMIN – O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, uma das principais lideranças nacionais do PSDB, tendo já disputado à Presidência da República, é meu convidado para a live da próxima segunda-feira, às 18 horas, pelo Instagram deste blog, com retransmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente, que tem como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. Se você quer assistir e ainda não nos segue pelo Instagram, anote o endereço: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Tem graça e validade uma eleição sem campanha de rua?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

A revista Época traz reportagem, também de capa, com a chamada “Mulher de bens”, apontando Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente, como nova rica. Revela que conquistou uma significativa evolução patrimonial, saindo de funcionária modesta, nos anos 1990, quando trabalhava no gabinete do deputado federal Jonival Lucas, da Bahia, para uma bem-sucedida negociadora imobiliária.

marcos

Sabem o que aconteceu no Brasil?............ Ah! Ainda não acordaram...O poder mudou de mãos............... O poder econômico está no agronegócio que representa 40% do PIB! A indústria? Meros 14,5! O petróleo? Caminha para o seu funeral! Imagina que apenas em uma região de Minas, a mais pobre, o Norte de Minas, até 2022, 70% da instalação estará concluída de um progeto de energia solar correspondente a meia Itaipu!!! De uma única empresa, a Solatio, sem dinheiro publico! Já imaginou? Cadê a poderosa Petrobras? Cadê o petróleo? O poder mudou de mãos! Acordem! Mesmo com a pandemia o agro continua crescendo! Hoje, é responsável pelas reservas internacionais, pela exportação crescente!!! Cadê o poder dos sindicatos? Cadê o poder da mídia tradicional? Cadê o MST? Cadê a bossa nova? O Brasil que está crescendo não é socialista, não! Não está nem no Rio nem em São Paulo. Está no agro. A musica que dominou é a sertaneja! Não é a bossa nova, não! Vejam como a viola sertaneja faz sucesso! Como os artistas que representam o campo estão ricos! Vejam os festivais de viola sertaneja! Escutem os grandes violeiros! Este poder do campo dominou o país financeiramente e culturalmente. O sucessor de Bolsonaro será provavelmente um conservador! Da bancada ruralista! Da evangélica... ou da bala...Este poder do campo foi criado por um general estrategista, Geisel, que criou a Embrapa. A maior empresa de pesquisa de agricultura tropical. A Embrapa é pura tecnologia em seus 41 centros de pesquisa...cheios de PHDs...O poder é tecnológico. Tecnologia pura! O Brasil mudou mesmo! Nada de socialismo! Não existe fazendeiro socialista, não! Andam de jatinho mas escutam Chitãozinho e Xororó, Bruna Viola, Tião Carteiro, Adriana Farias, Zezé de Camargo e Luciano, Marcus Biencardini, violeiro com nome de tenor italiano, mas, capiau de Goiânia...Vejam a cara de rainha da Ministra da Agricultura! A rainha Tereza Cristina! Agronoma! Felicidade só! Vejam o programa ferroviário que está sendo implantado para exportar soja e milho! Veja a abundância de investimentos no setor...já somos o maior produtor de soja do mundo...já somos o maior exportador de alimento do planeta e estamos apenas começando...A mídia tradicional, os sindicatos, os partidos socialistas, o petróleo combustível já se foram! Já pensou a fruticultura no Nordeste, após a transposição do São Francisco? A combinação agua e energia solar produzida localmente, sem depender de Itaipu, de Furnas... Novos polos produtivos vão nascer, produzindo ovinos, caprinos, peixes...uvas, vinhos...Acordem! O poder mudou de mãos!!!

Fernandes

A revista Época traz reportagem, também de capa, com a chamada “Mulher de bens”, apontando Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente, como nova rica. Revela que conquistou uma significativa evolução patrimonial, saindo de funcionária modesta, nos anos 1990, quando trabalhava no gabinete do deputado federal Jonival Lucas, da Bahia, para uma bem-sucedida negociadora imobiliária.

marcos

A Esquerda e os Idiotas Úteis clamam, VOLTA DILMA!

marcos

O que tem Ana Cristina e Mariza Letícia em comum? Ambas são Loiras. E ainda dizem que as loiras são Burras. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Banco de Alimentos


16/07


2020

Coluna da quinta-feira

O Brasil de Zito era João Alfredo

Existem homens que nascem para amar uma só mulher, uma só pátria, apenas um solo mãe, mesmo que sedento, esturricado, de pouco verde e sol ardente como João Alfredo, a pequenina pátria de berço esplêndido que Severino Cavalcanti, morto ontem, aos 89 anos, amava muito mais que o Brasil. Zito, como era conhecido, não amava o Brasil, amava João Alfredo. Não era cidadão brasileiro, era cidadão joãoalfredense. Seu torrão natal estava acima de tudo e de todos.

Mesmo eleito presidente da Câmara dos Deputados, cargo que coroou a sua trajetória política de mais de 70 anos, Zito não pensava o Brasil, pensava João Alfredo, município que governou por duas vezes, a primeira nos anos de chumbo da tumultuada e aterrorizante década de 60, e pela segunda vez, dois anos após renunciar à Presidência da Câmara, envolvido no chamado “escândalo do mensalinho”. Nesta, em 2008, saiu consagrado nas urnas, de alma lavada.

Já havia falar muito do velho cacique.  Ainda universitário, estudante de Jornalismo no Recife, acompanhei o noticiário da sua contenda para expulsar o padre italiano Vitor Miracapillo, que se recusou a celebrar uma missa pela independência do Brasil na cidade de Ribeirão, Zona da Mata, em 1980. Mas a aproximação verdadeira, mais efetiva, profissionalmente, se deu a partir do primeiro mandato dele de deputado federal, em 1995, quando eu estava no comando da sucursal do Diário de Pernambuco, em Brasília.

Agarrado às origens da minha matutice de Afogados da Ingazeira, tomei um susto quando o entrevistei pela primeira vez. Em dez frases, ele citou João Alfredo em todas elas. Aquilo me chamou atenção. Passei a aprender a nunca esquecer daquilo que transformou o que somos hoje. Negar origens é negar o que somos. O homem que nega seu passado sente vergonha do que foi. Elias Torres, pensador célebre, dizia que quem nega suas origens não merece ser árvore.

Tudo isso veio para reflexão depois que fui compreendendo quanto era forte João Alfredo na vida de Severino Cavalcanti. Envolvido num escândalo que arrebatou das suas mãos o poder de presidente da Câmara, numa história de um mensalinho que depois não se comprovou, Zito teve grandeza de arquivar sete pedidos de impeachment do ex-presidente Lula, envolvido na baita maracutaia, o “Mensalão”.

Obrigado a deixar de andar no Salão Verde cercado de seguranças, jornalistas e bajuladoras, quando se viu obrigado a renunciar para não ser cassado e, consequentemente, perder seus direitos políticos, foi a sua pátria João Alfredo que Severino entregou o julgamento popular da sua volta à vida pública. A cidade, que nunca lhe faltou, estendeu a mão.  O poder da sua aldeia estava novamente sob o seu domínio.

Dá para compreender, portanto, a razão do tamanho e até então inexplicável amor. Abandonado por Brasília, Zito voltou ao seu torrão João Alfredo e cantou: “Criei asas e voltei, voltei para minha terra natal e todos aqueles que sempre tratei de amigos não serão mais amigos, mas irmãos”. São as circunstâncias da vida, para o velho líder joãoalfredense, que, na verdade, ditam as regras.

Severino foi um político conhecido no Brasil inteiro, andou por diversos cantos do mundo sem sair, literalmente, da sua aldeia João Alfredo. Dizia, contemplando do Planalto Central seu berço natal como um retrato dolorido na parede, que a terra em que se nasce não é o lugar onde se aterrissa. É o lugar onde decola.

O livro – Tão logo foi eleito presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti me convidou para um café da manhã na residência oficial do chefe do parlamento, no Lago Sul. É lá que moram os presidentes da Câmara. Severino me recebeu ao lado da sua Amélia e dos filhos Ana, Catarina e José Maurício. Quando cheguei por lá, pontualmente, as oito da matina, ele mandou uma ordem para a segurança não deixar ninguém entrar. À mesa, observei que os quitutes já eram regionais, trazidos de Pernambuco pela esposa e filhos. Entre um gole de café uma garfada de pamonha, me provocou: “Estais convidado para escrever a minha história, o meu livro biográfico”.

Razão do não – Compreendi a emoção do momento, mas recusei. Já fui convidado para biografar alguns políticos, mas nunca aceitei. Não era o caso de abrir exceção, mesmo sabendo que por trás daquele homem poderoso, até então paparicado, havia muitas histórias para contar, das suas origens em João Alfredo, passando pelo dia em que tomou um pau de arara rumo a São Paulo para vender joias e chegar, anos mais tarde, à Presidência da Câmara dos Deputados. São poucos os matutos de história tão rica, de episódios tão polêmicos, como o de patrocinar a expulsão de um padre do País porque se negara a rezar uma missa. Não aceitei porque entendo que para se fazer uma obra bem feita, que envolve muitas pesquisas e entrevistas, eu teria que me dedicar exclusivamente a isso, largando o meu dia a dia do blog, o que seria impraticável.

Morte tranquila – Primogênito de Severino Cavalcanti, o ex-deputado José Maurício disse que o pai morreu dormindo em sua casa, no Recife. “Foi uma morte tranquila, sem agonia. Ele tinha problemas de saúde. Tinha um marca-passo e teve uma fratura no fêmur. Estava praticamente só dentro de casa, sem andar. A cuidadora dele viu que os batimentos cardíacos dele tinham diminuído e chamou o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência]”, relatou José Maurício. “Minha irmã chegou, depois eu cheguei, mas ele descansou. É doloroso para nós, mas é o ciclo da vida. Ele foi uma pessoa que dedicou a vida todinha à política, a João Alfredo”, afirmou.

Boa lembrança – Neste blog, ontem, o publicitário Edinho Barbosa contou uma boa história da sua convivência com Severino. “Depois de eu ter feito a apresentação de uma pesquisa ao comando da campanha, com projeção surpreendente (e quase inacreditável para o senso comum à época) Severino me puxou num canto da sala junto com Eduardo e sapecou: “Governador, eu não acredito numa palavra do que esse rapaz disse aqui, mas se ele tiver 10% de razão, a gente ganha a eleição". Eu rebati no ato: “Deputado, se alguém lhe dissesse que um matuto de João Alfredo, como o senhor, chegaria à Presidência da Câmara, o senhor acreditaria na pessoa?” Ele abriu um sorriso contagiante, que me fez lembrar o Mr. Magoo, meu herói dos desenhos animados e sapecou: “Se essa história não der certo, eu te pego depois”.

CURTAS

MIRACAPILLO – Deputado estadual, Severino denunciou o padre Vitor Miracapillo por ser negar a rezar uma missa pela independência do Brasil. Pressionou tanto que o governo expulsou o religioso do Brasil. A medida foi tomada com base num artigo da Lei dos Estrangeiros, que determinava que "o estrangeiro admitido no território brasileiro não pode exercer atividade de natureza política nem se imiscuir, direta ou indiretamente, nos negócios públicos do Brasil". O padre também foi acusado de "insuflar trabalhadores rurais à invasão de terras". Miracapillo deixou o Brasil em 31 de outubro de 1980, mesmo sob protestos de políticos de todo o País. O padre só voltou 12 anos depois. O episódio deu a Severino projeção e um apelido incômodo de "Zito Miracapillo".

CÃES DE GUERRA – Representante do baixo clero, Severino Cavalcanti chegou à presidência da Câmara dos Deputados em 2005, alijando o PT, o partido do então governo, do comando da Casa. Renunciou ao mandato em setembro do mesmo ano, apenas sete meses depois, para escapar da cassação. Um empresário o acusou de ter cobrado propina para renovar o contrato de concessão de restaurantes da Câmara e apresentou um cheque de R$ 7,5 mil, descontado por uma secretária de Severino. No discurso de renúncia, o ex-deputado citou Euclides da Cunha e culpou a elite parlamentar por sua derrocada.  "A elitezinha, essa que não quer jamais largar o osso, insuflou contra mim seus cães de guerra", afirmou.

O CHORO – O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, foi enterrado ao final da tarde em João Alfredo, sua terra natal, sob honras de chefe de Estado. O corpo chegou a João Alfredo no meio da tarde num carro do Corpo de Bombeiros e foi seguido por uma multidão em carreata pelas principais avenidas e ruas da cidade. Até a prefeita Maria Sebastiana (PSD), adversária histórica, que estava presente, confessou que Zito fez muito pela cidade e que o povo devolveu o tudo que ele fez com vitórias históricas nas urnas, como a de 2018, quando já afastado da Câmara, foi eleito prefeito.

Perguntar não ofende: Por que sessões do Tribunal de Contas para julgamento dos processos contra o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, estão acabando em “barracos”?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Ciro Gomes chama Bolsonaro de canalha, corrupto e irresponsável. Ciro Gomes (PDT), que concorreu à presidência da República no ano passado, chamou o presidente Jair Bolsonaro (PSL) de corrupto, canalha, mentiroso e irresponsável.KKKKKKKKKKKKKKKKk

marcos

Cadê a Jumenta, tô com saudade das merdas que Dilma diz!

marcos

Você ainda deseja um partido assim governando o Brasil? ................................................................................................O presidente da Petrobras no governo do PT, foi preso; O presidente dos Correios no governo do PT, foi preso; O presidente do Banco do Brasil no governo do PT, foi preso; O presidente da Eletrobras no governo do PT, foi preso; O presidente da Nuclebras do governo do PT, foi preso; O presidente da Valec do governo do PT, foi preso; O presidente da Caixa Econômica Federal do governo do PT, foi preso; O presidente do BNDES do governo do PT, foi preso; 3 presidentes do PT, foram presos; 3 tesoureiros do PT, foram presos; 5 secretários do PT, foram presos; O líder do PT na Câmara dos Deputados, foi preso; O líder do PT no Senado Federal, foi preso; O presidente da República do PT, foi preso; A presidente da República do PT sofreu impeachment, perdendo o cargo; Vários empresários, doleiros, advogados, servidores públicos e militantes do PT, foram presos. Mesmo com uma folha corrida dessa o PT acha que vai enganar o povo mais uma vez. O PT é uma organização criminosa disfarçada de partido político! .........................PTNuncaMais

marcos

Ainda bem que todo mundo sabe que Lula é Ladrão!




15/07


2020

Coluna da quarta-feira

Live da quebradeira dos hotéis

A hotelaria brasileira foi levada para a UTI pela Covid-19, está sangrando, desempregando e fechando portas. É, sem dúvida, o setor da economia mais atingindo nos últimos 90 dias. Só em Pernambuco, já fecharam, definitivamente, três hotéis. No Paraná e no Rio Grande do Sul, esse número é bem maior, fenômeno que se repete nos grandes centros turísticos do Oiapoque ao Chuí. Hoje, com a live neste blog, às 19 horas, pelo Instagram, do presidente nacional da ABIH, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Manoel Linhares, será possível entender melhor a extensão do problema.

A situação levou as principais associações nacionais do setor de turismo a se unirem em torno de uma “carta aberta” ao Governo Federal. No documento, contabilizam R$ 14 bilhões de prejuízos no setor de turismo desde o início da crise, com 295 mil demissões, impactando sobre 571 atividades econômicas dependentes do segmento, que abriga cerca de 7 milhões de empregos, entre diretos e indiretos, representando 8,1% do PIB nacional. Sem meias palavras, as entidades que representam resorts, hotéis e parques pedem ao governo dinheiro para sobreviver.

“Os meios de hospedagem, desde pequenas pousadas aos grandes hotéis, não conseguem sobreviver sem hóspedes”, reforça um conhecido hoteleiro de Pernambuco, que está sofrendo horrores com a crise, já tendo demitido 70% dos seus quadros funcionais. De fato, a pandemia atingiu em cheio o setor, que, segundo a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), oferece mais de 1,3 milhões de empregos diretos e 675 mil indiretos, gerando cerca R$ 31,8 bilhões para economia nacional.

Afinal, a forma mais eficaz de se combater o coronavírus, segundo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), é o isolamento social, exatamente o oposto do que se encontra em hotéis, pousadas, resorts etc, onde a meta é confraternizar. Uma pesquisa da Cielo aponta uma queda de 92,7% no setor hoteleiro, no quesito ocupação de leitos, desde o mês de março até o momento. A reabertura está sendo feito de forma lenta e gradual, mas é possível que o setor demore muito a conseguir a façanha do ressurgimento das cinzas.

Efeitos colaterais – Os hoteleiros em geral no País ainda não tiveram uma sinalização clara do Governo quanto à desburocratização das linhas de crédito abertas para dar o fôlego necessário em relação à retomada da atividade. “Precisamos de linhas de crédito com juros baixos que cheguem à ponta para atender hotéis e restaurantes. Pousadas serão muito necessárias. Estou falando do pequeno, do médio e do grande porte. Estamos todos sentindo os efeitos drásticos da paralisação. Veja o caso da Disney, que informou a mais de 43 mil trabalhadores, que somente da unidade de Orlando, colocou em casa, sem receber, em licença não remunerada”, diz Eduardo Cavalcanti, do hotel pernambucano Portal de Gravatá.

Fechados – Pelo menos dez hotéis de Curitiba e de cidades da região metropolitana estão fechados temporariamente por causa da pandemia de coronavírus. A crise chega justamente quando o setor vinha apresentando recuperação nos números e ainda pode fazer com que mais hotéis fechem por falta de hóspedes. Principalmente pelos cancelamentos de reservas do turismo de negócios – Curitiba é uma das cidades referência nesse modelo. Segundo o Curitiba e Região Convention e Visitors Bureau (CCVB), ainda há risco de alguns estabelecimentos fecharam definitivamente. Para tentar evitar que isso ocorra, empresários hoteleiros cobram medidas ao Governo, entre elas, redução de impostos.

Adeus, Sheraton – A grave crise do setor causou o fechamento do hotel Sheraton Reserva do Paiva, em Cabo de Santo Agostinho, litoral sul do Estado. Não suportou a situação e fechou as portas, definitivamente. Procurada, a Marriott International, detentora da bandeira Sheraton no Brasil, informou que o contrato de gerenciamento do hotel está sendo encerrado neste mês. O empreendimento parou de funcionar desde o dia 23 de junho. O grupo não nega, nem confirma, que o motivo do fim das atividades foi a grave crise que afeta o setor por causa da pandemia do Covid-19. No entanto, funcionários do hotel, que não quiseram se identificar, afirmam que a causa do fechamento foi essa.

Mais um – Outro hotel que não resistiu à crise em Pernambuco foi o Grande Hotel São Vicente de Paulo, localizado em Caruaru. Romero Maciel, um dos sócios, afirmou que o grupo irá avaliar a melhor possibilidade para o empreendimento. De acordo com ele, o imóvel pode ser reformado ou tomar outro rumo. Segundo o historiador José Urbano Silva, na formatação em que existe hoje, o Grande Hotel foi inaugurado em 12 de março 1975, pelo empresário José Barbosa Maciel, conhecido como Zeca Maciel. Natural de Belo Jardim, Zeca é considerado um dos pioneiros no ramo do cinema no interior do Estado. Dois anos depois da inauguração do hotel, em 15 de novembro de 1977, foi inaugurado no térreo o Cine Grande Hotel. O cinema não existe mais, mas as lembranças estão na memória dos caruaruenses.

CURTAS

AÇÃO – A delegada Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos à Prefeitura do Recife, ao invés de cuidar de convencer o eleitorado que é a mais preparada para governar a capital, cuida de processar jornalistas sob a falsa alegação de difamação, como entrou, ontem, com uma representação contra este blogueiro. Na verdade, a delegada não gostou da notícia dada por este blog de que requereu ao Estado para trabalhar em casa, após vencida uma licença prêmio embolsando salário de R$ 27 mil. Alega que a postagem é fake. Como fake se o processo é público e está em meu poder? Também não se sustenta a alegação de que por ser hipertensa o Estado é obrigado a deixá-la em teletrabalho. Eu também sou hipertenso e trabalho muito, mesmo em meio à pandemia. Ela diz que não pode dar expediente na delegacia, mas é vista em emissoras de rádio dando entrevistas. Na rua, não corre o mesmo risco?

HOJE TEM PESQUISA – Sai hoje, à meia noite, a primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão no Recife. O levantamento inclui 800 entrevistas por telefone e avalia também as gestões de Geraldo Júlio, Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Num instante em que Recife já sofreu três operações da Polícia Federal em cima da compra imoral de respiradores testados em porcos, passou a ser grande a expectativa em torno da pesquisa, até para identificar os efeitos na administração socialista na capital.

CRISE DOS HOTÉIS EM LIVE – A pandemia provocou um estado de devastação na hotelaria nacional. Só em Pernambuco, três hotéis foram fechados e não voltam mais, mesmo que o cenário mude. Para entender melhor esse quadro nefasto no setor farei uma live, hoje, com o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, empresário Manoel Linhares. Será às 19 horas pelo Instagram do blog. Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.

Perguntar não ofende: A delegada não tem o que fazer para perseguir e processar jornalistas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Lula é ladrão

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

MORO ENVOLVIDO ATÉ O PESCOÇO EM FALCATRUA........... Talvez, isso explique a razão de Bolsonaro ter declarado a seguinte frase: \"Se as pessoas soubessem o que aconteceu no Ministério da Justiça, ficariam enojadas\". Muitos brasileiros ficaram chocados e tristes pela saída de Moro do Ministério. Não deveriam. O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos. Fato comprovado: O Moro VENDEU os inquéritos da PF para o Doria. Bolsonaro soube disso às 13:00 do dia 23 de Abril (dia antes da demissão de Moro), em uma reunião envolvendo o Sr. Chefe da Abin, Ramagem, o seu filho Carlos Bolsonaro, o Sr. Helio, supervisor da secretaria da Casa Civil, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da CIA no Brasil. A princípio muito contrariados, Bolsonaro se recusou a trocar o Diretor da PF, Valeixo. A aceitação veio através do informacao de que Moro estava recebendo o pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada inquérito vendido, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os seus assessores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) por meio das empresas de João Doria e João Amoedo. Mesmo assim, o Diretor da Abin descobriu o esquema por meio de um delator, que era assessor de Moro e não concordou com a prática, o que o obrigou a pedir exoneração do cargo, dizendo que não estava junto com Moro (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa). Assim, combinou-se que o Moro pediria demissão antes que Bolsonaro o demitisse para que a culpa ficasse com Bolsonaro e Moro pudesse ter a vantagem de dizer que não havia feito nada de errado. Dr. Wagner Maia, denuncia que Moro fugiu do Governo porque foi descoberto que ele cometeu crime de alta traição: \"A ABIN descobriu que o ex-diretor da PF(Valeixo, comparsa de Moro na ocultação dos patrões do Adélio e seus advogados) há muito estava escondendo os nomes, assim como crimes político-administrativos de Witzel e passando informações sigilosas das investigações para Dória. Desde março que PR Bolsonaro foi alertado, mas aguardou que Moro lhe informasse sobre tudo. Como Moro fugia de reuniões e se omitia, e o Presidente também soube que Moro estava participando com FHC, Maia, Alcolumbre e Tofolli do plano para derruba-lo PR Bolsonaro convocou pessoalmente Moro pra reunião na presença dos investigadores da ABIN, colocou o assunto na mesa e informou que seu protegido Delegado Maurício Valeixo era o principal informante da Esquerda. Moro empalideceu e, com a traição descoberta e sem outro jeito, resolveu, nas costas do PR Bolsonaro, fazer a coletiva de traição declarada. NOTA: Está confirmado oficialmente que o ex- diretor da PF, delegado Maurício Valeixo, protegido de Moro e demitido por PR Bolsonaro é o delegado que foi infiltrado pra finalizar o inquérito sobre Adélio Bispo, com ordens para esconder os nomes dos mandantes e pagadores dos milionários advogados, impedir a perícia dos celulares dos advogados e de Adelio, dizer que Adélio agiu sozinho e que tinha problemas mentais. O medo de Moro que Delegado Alexandre Ramagem assuma a diretoria da PF, é porque foi ele quem descobriu o crime de alta traição cometido pelo ex-ministro Moro, antigo aliado dos comunistas brasileiros e, cujo pai, o comunista Dalton Moro é fundador do PSDB e antigo comparsa de FHC, pai da esquerda brasileira.\" Comentários Debora Brito Difícil de acreditar mas, como dizia um amigo que não está mais neste mundo, cabeça de juiz é uma caixinha de surpresas. Repassasn

marcos

Bomba : STJ comprova que Lula é Ladrão.

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...




14/07


2020

Coluna da terça-feira

Cadê os R$ 500 milhões das estradas?

Há exatamente um ano e dois meses, o governador Paulo Câmara (PSB) lançou de forma espalhafatosa o programa “Caminhos de Pernambuco”, pelo qual pretendia recuperar 5.554 km de estradas em péssima qualidade. Englobava 364 rodovias, com orçamento estimado em R$ 505 milhões. O tempo se encarregou de mostrar que tudo ficou apenas nas boas intenções. De boas intenções, o inferno está cheio, dizia minha avó, repetindo lugar comum de um velho ditado.

O tempo passou, quase nada foi feito e ninguém sabe do destino do montante reservado. Na realidade, em um ano, as estradas pioraram muito mais, ao contrário das promessas do governador. Trechos bastante movimentados, como a BR-232, ligando Recife a Caruaru, de tão esburacados viraram uma ameaça à vida de qualquer cidadão obrigado a trafegar por ali. A rigor, não há uma estrada digna de registro no Estado, diferentemente da vizinha Paraíba, aonde qualquer destino se chega ao fim em verdadeiros tapetes.

Desde domingo passado, quando postei um vídeo do que trecho que virou pó entre Sertânia e Albuquerquené, na volta de Afogados da Ingazeira, passei a receber uma porção de imagens dramáticas expondo a face cruel das estradas pernambucanas, do litoral ao Sertão. O abandono é geral, mas existem trechos nos quais os motoristas são obrigados a andar em baixa velocidade, no máximo em 20 km, que estão sendo um chamariz para a bandidagem.

Chegam ao blog relatos de pessoas assaltadas e até violentadas no mesmo resto de estrada que passei em Albuquerquené. São depoimentos de uma gente sofrida, abandonada pelo poder público, que só sai de casa nas últimas, em caso de extrema necessidade. Ninguém arrisca viajar mais a noite, até empresas de ônibus que fazem a linha da região procuraram o blog para se queixar, porque estão circulando com veículos praticamente vazios.

Na região da sulanca, entre Santa Cruz do Capibaribe e Toritama, uma senhora grávida perdeu a vida, recentemente, num acidente devido a uma cratera no meio do que restou do asfalto. Com as chuvas do inverno, os pequenos trechos que o Governo fez as chamadas operações tapa-buracos se diluíram, como obra sonrisal. O mais grave é que não existe nenhum posicionamento do Governo quanto aos R$ 505 milhões. Se não existem obras e as estradas estão piores do que antes, ceifando vidas, aonde foi parar a dinheirama?

Com a palavra, o governador!

Elefante branco – O Governo também encheu de falsas promessas os sertanejos dos rincões do Pajeú e do Alto Sertão, entre Serra Talhada e Salgueiro, quando anunciou mais um plano, da matutada trocar a estrada pelo firmamento das nuvens em voos domésticos pela Azul, que sairiam do Recife duas vezes por semana com destino a Serra Talhada. O Estado chegou a assinar um contrato no valor de R$ 20 milhões com a Secretaria Nacional da Aviação Civil – SAC – para conclusão das obras do aeroporto. Já se passaram mais de dois anos e o terminal de passageiros de Serra continua às moscas, virou um grande elefante branco, sem que o Governo se manifeste oficialmente. Quando falam, os porta-vozes do governador jogam a culpa no Governo Federal. Ora, e para aonde foram também os R$ 20 milhões da SAC? Com a mesma palavra, o governador!

A pior estrada – Quando lançou o programa de recuperação das estradas, hoje batizado de “Buracos de Pernambuco” pela população pernambucana, a secretária de Infraestrutura, Fernanda Batista, chegou a fazer planos, estabelecer metas e deu a largada pomposa pela BR-232. “O programa se baseia em um planejamento detalhado. É um trabalho importante que começamos pela BR-232, que vai ter em breve um aumento significativo do seu fluxo diário por causa dos festejos juninos”, disse na época a secretária, que chegou a viajar o Estado de ponta a ponta e depois tomou Doril. Resultado: nem 232 nem estradas sertanejas. A BR que liga Recife a Caruaru, ao contrário do que ela prometeu, virou a pior via do Estado.

Teve até cronograma – A secretária Fernandha Batista chegou a apresentar um cronograma do primeiro mês, mobilizando as equipes na Região Metropolitana, focando na movimentada PE-15, rodovia de viés urbano, e na região de Salgueiro. No início de junho chegaria as regionais de Garanhuns e Petrolina, numa terceira etapa a regional de Caruaru, contemplando, inicialmente, o trecho ligando Agrestina à cidade de Altinho, e, em seguida, a região de Ribeirão, na Zona da Mata. E na última etapa se atingiria a região de Carpina e Sertânia, esta por ter a maior malha viária em termos de extensão territorial, contemplando localidades importantes, como a rota Floresta – Serra Talhada. Com a palavra, os leitores dessas regiões para testemunhar se as promessas foram cumpridas.

Sem os kits – O Brasil declarou estado de calamidade pública por conta da covid-19 no dia 20 de março de 2020. Em maio, o então secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que o País realizaria 70.000 exames por dia no período “mais crítico da doença”, que para ele seria junho. No entanto, até o fim de junho, 14.500 testes diários foram feitos na rede de laboratórios públicos centrais (Lacens), o que representa 20,8% do previsto. Parte do problema está na entrega aos Estados de kits incompletos. As secretarias de saúde informam que receberam menos testes do que o esperado. Além disso, o governo federal entregou kits sem 1 reagente essencial para que as amostras sejam processadas. Como o Brasil não tem capacidade de produzir esse reagente em larga escala, a maior parte é importada.

CURTAS

PERDÃO AO PT – A página 14 da edição de sábado, dia 11, de O Globo trouxe um artigo assinado pelo colunista Ascânio Seleme, que já foi diretor de redação do jornal. Sob o título 'É hora de perdoar o PT', ele escreveu: "O ódio dirigido ao partido não faz mais sentido e precisa ser reconsiderado se o país quiser mesmo seguir o seu destino de nação soberana, democrática e tolerante”. Tal mensagem no principal impresso do Grupo Globo, do qual a TV Globo e a GloboNews fazem parte, gerou imediata e ruidosa repercussão. "Ao invés de falar em perdão ao PT, a Globo deveria pedir desculpas", afirmou o deputado federal Rogério Correia (PT/MG) no Diário do Centro do Mundo, para acrescentar: "No mínimo curioso o texto, vindo da mesma organização midiática que não somou esforços para atacar dia e noite o Partido dos Trabalhadores."

PESQUISA RECIFE – Sai amanhã, à meia noite, a primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão no Recife. O levantamento inclui 800 entrevistas por telefone e avalia também as gestões de Geraldo Júlio, Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Num instante em que Recife já sofreu três operações da Polícia Federal em cima da compra imoral de respiradores testados em porcos, passou a ser grande a expectativa em torno da pesquisa, até para identificar os efeitos na administração socialista na capital.

CRISE DOS HOTÉIS EM LIVE – A pandemia provocou um estado de devastação na hotelaria nacional. Só em Pernambuco, três hotéis foram fechados e não voltam mais, mesmo que o cenário mude. Para entender melhor esse quadro nefasto no setor farei uma live, amanhã, com o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, empresário Manoel Linhares. Será às 19 horas pelo Instagram do blog. Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Com jogos sem público nos estádios, quem vai pagar as contas dos clubes de futebol?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Ministros do STF decidam se querem julgar ou serem comentaristas políticos!

Fernandes

Os militares têm que decidir. Se querem ocupar cargos políticos no governo, tem que se submeter à crítica, de qualquer um. Limite à crítica na democracia? Não existe. Não querem ser criticados? Simples se distanciem do genocida e voltem à caserna.

marcos

Câmara tenta agilizar PEC da prisão em 2ª instância................................. O presidente da comissão que discute a PEC da segunda instância, Marcelo Ramos, disse que vai conversar com Rodrigo Maia para tentar agilizar a retomada do debate sobre o tema na Câmara. Maia prometeu pautar a PEC assim que os trabalhos presenciais forem retomados na Casa, o que está previsto para agosto. Mas Ramos vai propor fazer a leitura e o debate do relatório de Fábio Trad por sessão remota. Ui Lula.kkkk

marcos

Delator que entregou Paulinho também registrou caixa 2 da JBS para Marta Suplicy, Paulo Teixeira, Zeca do PT e André Puccinelli...................... Além do caixa 2 para Paulinho da Silva, o ex-executivo da JBS Demilton Antônio de Castro registrou em planilhas doações não contabilizadas para o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT), e os ex-governadores do Mato Grosso do Sul Zeca do PT. Tudo Ladrão.




13/07


2020

Coluna da segunda-feira

Não roubava, mas não educava

Num tempo explícito de maus feitos de políticos, roubando dinheiro federal destinado a salvar infectados pela Covid-19, contei, ontem, o exemplo do ex-prefeito de Afogados da Ingazeira, minha terra natal, João Alves Filho, então militante do PDS, que adentrou o Palácio das Princesas com uma sacola de dinheiro nas mãos para devolver ao governador a parte que sobrou na construção do fórum da cidade, mediante transferência do tesouro estadual.

Digno de louvor, de aplausos, mas o que seria regra, infelizmente foi e continua sendo exceção na gestão pública brasileira. Do mensalão para cá, passando por Lava Jato e outras cositas mais, a impressão que temos é que somos assaltados a toda hora. O suado pagamento dos impostos, ao invés de ser aplicado em obras em benefício do povo, na saúde, da educação e no combate à desigualdades, serve para enriquecer gatunos.

Mas João Alves Filho, o Joãozinho, tinha outra faceta, não admirável. Era um homem rude, muitas vezes ignorante no trato humano, de respostas secas e de poucas palavras. Cometeu a insanidade de derrubar um coreto na praça principal de Afogados da Ingazeira, que fez história e marcou uma época, que servia para tudo, desde barbearia e pequenas lojas de café a festas em que se dançava a valsa de 15 anos, de formatura ou casamento.

Mal sabia assinar o nome, iletrado, típico coronel do Sertão, daquelas que as pessoas batiam continência. A educação não foi tratada com prioridade em suas duas gestões, inclusive na primeira, na qual papai foi seu vice. Um amigo e conterrâneo, ao ler ontem o seu gesto de honestidade na devolução do dinheiro em espécie ao então governador Roberto Magalhães, recordou que esteve com ele para pedir uma ajuda na locação de um ônibus com estudantes da terra com destino ao Recife.

“Para que vocês querem estudar? Eu sou analfabeto, não sei nem assinar nem meu nome direito e já estou prefeito pela segunda vez”, respondeu, para tristeza daquele que ali estava com ele no gabinete manifestando um desejo de jovens que acreditavam que o futuro só se constrói com educação, queimando as pestanas nas bancas escolares. Mas Joãozinho era um homem de bem. Quem não tem defeitos que atire a primeira pedra.  

Mesmo cometendo o pecado da falta de estimulo e do incentivo a educação, Joãozinho da minha querida terra já se perpetuou pela dignidade, pela nobreza de preferir ser um miserável honesto a um milionário corrupto e vazio. Aprendi com meu pai, que foi vice dele, que a honestidade é dignidade para vida. Nos dias de hoje, ser honesto é ser diferente.

PEGOU MAL - Em meio às recomendações de distanciamento social feitas pelas autoridades de saúde do Estado devido à pandemia da Covid-19, a inauguração do Centro de Especialidades Médicas de Camaragibe, na sexta-feira passada, causou aglomeração de políticos e gerou protestos pelas redes sociais. Além da prefeita Nadegi Queiroz (Republicanos), ao menos quatro deputados, estaduais e federais, estiveram presentes ao evento. De acordo com a assessoria da prefeita, estiveram presentes os deputados federais Silvio Costa Filho (Republicanos) e Ricardo Teobaldo (Podemos); o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros (PP); e a deputada estadual Gleide Ângelo (PSB), isso sem contar vereadores, lideranças comunitárias e pré-candidatos a vereador. Péssimo exemplo!

DEFESA 1 – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou o seu perfil no Twitter para sair em defesa de famosos que estiveram envolvidos em polêmicas nos últimos dias. Rasgou elogios para Luís Ernesto Lacombe, Leandro Narloch, o colunista Rodrigo Constantino, e o analista político Caio Coppolla. “Luís Lacombe, Leandro Narloch, Caio Coppolla e Rodrigo Constantino possuem algo em comum, que é opinião própria e independência. Isso já é suficiente para serem considerados nocivos dentro de grande parte da mídia, hoje completamente dominada pelo pensamento de esquerda radical“, disparou.

DEFESA 2 – Ainda na rede social, Bolsonaro também garantiu não ter relações com os famosos citados, que possuem posições “conservadoras”, e que até já sofreu “diversas críticas” dos quatro. “Não tenho relação com nenhum desses. Inclusive, por diversas vezes, sou alvo de suas críticas. Mas no Brasil formou-se um cenário onde não ser radicalmente crítico a um governo conservador/liberal já é motivo para ilações e perseguições. A esquerda não respeita a democracia!”, completou.

LUCRO NO YOUTUBE – Deputados da base governista e da oposição transformaram a divulgação da atividade na Câmara num negócio privado. Segundo o portal do Estadão, eles recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube, com vídeos que arrecadam recursos de acordo com o número de visualizações. A prática vem sendo chamada de “toma lá, dá cá” nos corredores do Congresso. Foram identificados ao menos sete parlamentares que estão ganhando dinheiro dessa forma. A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) é uma delas. Em junho ela gastou R$ 4 mil da cota parlamentar com uma firma que trabalha na edição do conteúdo que posta. O alcance dos vídeos gerou a Carla R$ 23.702, dos quais diz ter recebido já R$ 15,1 mil do YouTube.

OS ASSUMIDOS– Os únicos deputados que informaram ao jornal quanto teriam recebido foram Otoni, Gleisi (R$ 32,3 mil) e Carla. Procurado pela reportagem, o YouTube não informou os valores repassados aos parlamentares, alegando sigilo de informação. Esse dinheiro que vai para o bolso dos deputados não é alvo de fiscalização e controle da Câmara. A instituição não inclui a prática, que é nova, na lista de irregularidades. Alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre atos antidemocráticos, Bia Kicis pagou R$ 45,5 mil de sua cota às empresas BM Gestão de Mídias Sociais e L. A. Soluções em TI e Marketing Digital por serviços de produção, edição, montagem e publicação para o canal dela no YouTube, entre novembro de 2019 e junho deste ano. Nos últimos cinco meses, o canal saltou de 100 mil inscritos para 136 mil, o que amplia a visualização dos vídeos, fator determinante para recebimento de valores.

PESQUISA RECIFE– A primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno sobre a sucessão no Recife chega aos nossos leitores à meia noite da próxima quarta-feira. O levantamento inclui 800 entrevistas por telefone e avalia também as gestões de Geraldo Júlio, Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Num instante em que Recife já sofreu três operações da Policia Federal em cima da compra imoral de respiradores testados em porcos, passou a ser grande a expectativa em torno da pesquisa, até para identificar os efeitos na administração socialista na capital.

LIVE COM KÁTIA – A senadora Kátia Abreu (PP-TO), ex-ministra da Agricultura, ex-candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes em 2018 e ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), participa da live deste blog hoje, às 18 horas, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente. Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Quem a Federal vai visitar dando bom dia, logo cedo, ao longo desta semana?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Lula e Zé Dirceu em pânico, aprovação da prisão em segunda instância entra em pauta para votação. Ui

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Mais uma chance de vc entender o Brasil: Dois membros do MBL são presos em operação contra lavagem de dinheiro em SP. Conselho do MPF abre nova investigação contra Deltan, inclusive sobre relação da Lava jato com o FBI. Presidente do STJ sacrificou férias para soltar Queiroz.

Fernandes

Flávio Bolsonaro vai ao STF para tentar manter foro privilegiado. Investigado no caso da rachadinha, senador pede para que o Supremo rejeite pedido do MP-RJ para devolver o caso à primeira instância. O cara tá se cagando todo. kkkkkkkkk




11/07


2020

Coluna do sabadão

Influência e ilusão das pesquisas

Logo no start deste blog, hoje com 14 anos, firmei uma parceria com o Instituto Método, do Recife, e em seguida com o Opinião, de Campina Grande, para pesquisas eleitorais. O contrato com o Método durou apenas um ano e logo selei um casamento mais duradouro com a empresa paraibana, que resultou em oito eleições com acertos da ordem de 98%, tanto nos pleitos municipais quanto nos estaduais. Embora já no mercado há 30 anos, o Opinião não trabalha com pesquisa por telefone, apenas presencial, domiciliar.

Diante da pandemia, que mudou hábitos e abriu paradigmas, o instituto paraibano rompeu o laço com este blog. “Não temos a técnica da pesquisa por telefone”, me contou Joaquim Braga, diretor do Opinião. Diante deste cenário, buscamos uma nova parceria experiente e especializada nas sondagens por telefone com a empresa Potencial, de Salvador, que já nos entregou duas pesquisas de intenção de voto, a primeira em Jaboatão e a segunda em Olinda, postada na última quarta-feira. A próxima etapa será Recife, com divulgação marcada para a próxima quarta.

Trabalho com divulgação de pesquisas e entendo razoavelmente da técnica e metodologia desde quando produzia os textos do Datafolha para o Diário de Pernambuco numa primeira etapa, depois a Exata e até o Ipespe, além do Opine, este em parceria com a Folha de Pernambuco. Por isso mesmo, posso afirmar que pesquisa nenhuma decide eleição, pode até influenciar, mas nada capaz de ser fator fundamental para levar um candidato à vitória.

Eleição se define por vários fatores, como a escolha de uma boa equipe de marketing, logística, alianças amplas e sólidas, com tempo de TV para propaganda eleitoral, estrutura de comitê, adesões, apoios importantes e, sobretudo, uma plataforma administrativa que convença o eleitor a votar. Eleição se decide também ao longo da campanha, depende dos votos, dos problemas surgidos e até de uma onda que embale o nome colocado em julgamento pela população.

Nem sempre quem larga na frente ganha eleição, o mesmo pode ser dito também a quem de início sequer pontua, mas acaba saindo vitorioso por um fato significante ao longo da campanha. Em 2000, o então prefeito Roberto Magalhães estava com 17 pontos à frente de João Paulo faltando apenas uma semana para a eleição. Caiu na casca de banana das provocações de militantes adversários numa carreata em Boa Viagem, deu uma banana aos que o insultavam e perdeu a eleição.

Collor largou com 3% nas pesquisas, era um nanico e disputava por um partido sem a menor estrutura, ganhou fama de caçador de marajás e chegou à Presidência da República. Portanto, cada eleição tem sua história. Por isso, volto a insistir, pesquisa dá manchetes favoráveis, enche balão de candidatos desconhecidos pela população, mas não garante a eleição de ninguém.

Campanha decide – Pesquisa é um instrumento gerencial, sério e técnico, quando bem executada, e que pode orientar a campanha eleitoral, pode demonstrar tendências, mudar orientações e caminhos para chegar a resultados que serão avaliados nas urnas. Muitos candidatos começam a campanha com um tipo de discurso e mudam durante a campanha por não estarem atingindo os objetivos, ou seja, sensibilizando os eleitores. Acusações de ser de direita ou esquerda não impedem votos. Hoje, a grande preocupação é a geração de empregos. Quem não basear sua plataforma nesse tema vai perder votos. Os eleitores não querem mais discursos, e sim propostas viáveis de solução.

Olavista – Ex-assessor da Casa Civil e atualmente lotado no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Felipe Cruz Pedri, fiel à cartilha do guru Olavo de Carvalho, tem se articulado para voltar ao Palácio do Planalto em um momento em que integrantes do governo tentam neutralizar a influência da ala ideológica. Pedri está cotado para assumir uma função na Secretaria Especial de Comunicação (Secom), comandada por Fabio Wajngarten, apontado como o patrocinador da volta dele ao Planalto.  O ex-assessor da Casa Civil também tem participado de reuniões se apresentando como representante do Ministério das Comunicações.

Versão de Bolsonaro – Em live realizada por Jair Bolsonaro nas redes sociais, na última quinta-feira, o presidente da República negou que tenha procurado o SBT para pedir a demissão de Danilo Gentili, como o humorista afirmou em um comentário nas redes sociais. Gentili também chegou a afirmar que Bolsonaro teria solicitado sua “censura” no programa ‘The Noite’. “Não tenho nada contra ou a favor do senhor Danilo Gentili, mas ele me acusou de ter procurado o SBT para demiti-lo. Jamais procurei órgão de imprensa nenhum para demitir quem quer que seja”, defendeu-se Bolsonaro.

Recorde – O número de pessoas que morreram com a Covid-19 registrados até, ontem, no Estado, ultrapassou a maior marca anual de homicídios registrados, oficialmente, em 2017. O Estado tem, ao todo, 5.482 pacientes que faleceram com a doença, mais que os 5.427 assassinatos registrados ao longo de todo o referido ano. A primeira morte por coronavírus registrada em Pernambuco ocorreu no dia 25 de março. Em um intervalo de 107 dias, o número de óbitos de pacientes que estavam com o novo coronavírus foi para 5.482. O número de homicídios no Estado é contabilizado dentro do Pacto Pela Vida, programa implantado pelo Governo de Pernambuco em maio de 2007 para diminuir os índices de violência.

CURTAS

SEM PAIXÃO – A edição deste ano da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém foi cancelada. A informação foi divulgada, ontem, pela Sociedade Teatral de Fazenda Nova (STFN) por meio de um comunicado. Esta será a primeira vez em 53 anos que o evento não será realizado. As apresentações do espetáculo em 2020 haviam sido reprogramadas para o período de 2 a 7 de setembro, já por causa da pandemia do novo coronavírus. No comunicado, a STFN destacou que a decisão foi tomada devido à "conjuntura socioeconômica gerada pelos cenários de enfrentamento à pandemia e tendo em vista as incertezas, tanto sobre a duração do processo de evolução da Covid-19 como sobre seus efeitos sobre a saúde e a economia".

GENIVAL LACERDA – Um grupo de artistas amigos de Genival Lacerda fará uma live para arrecadar recursos para auxiliar tratamento de saúde do cantor paraibano, que está sendo cuidado em casa após ter sofrido um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI). A transmissão ao vivo acontece no próximo dia 24, às 19h, no canal de João Lacerda, filho de Genival. A apresentação acontece em Campina Grande, com apresentação de Cleber Oliveira e Gitana Pimenta. A música fica por conta dos artistas Fabiano Guimarães e Banda Base, Raniery Gomes, Amazan, Almir Roche, Forró D2, Iohannes Imperador, Zé Paraíba, Poeta Ailton Souza, Raphael Moura, Novinho Da Paraíba, Os 3 do Nordeste, Biliu de Campina, Capilé, Flávio Leandro.

LIVE COM KÁTIA ABREU – A senadora Kátia Abreu (PP-TO), ex-ministra da Agricultura, ex-candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes em 2018 e ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), participa da live deste blog da próxima segunda-feira, às 18 horas, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente. Se você quer acompanhar e ainda não nos segue pelo Instagram, vá lá e nos siga no @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Quantos dias o novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, escolhido, ontem, ficará no cargo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Hum ano e sete meses SEM corrupção no governo federal. A esquerda corrupta fica Arretada.

marcos

Você ainda deseja um governo assim? ................................................................................................O presidente da Petrobras no governo do PT, foi preso; O presidente dos Correios no governo do PT, foi preso; O presidente do Banco do Brasil no governo do PT, foi preso; O presidente da Eletrobras no governo do PT, foi preso; O presidente da Nuclebras do governo do PT, foi preso; O presidente da Valec do governo do PT, foi preso; O presidente da Caixa Econômica Federal do governo do PT, foi preso; O presidente do BNDES do governo do PT, foi preso; 3 presidentes do PT, foram presos; 3 tesoureiros do PT, foram presos; 5 secretários do PT, foram presos; O líder do PT na Câmara dos Deputados, foi preso; O líder do PT no Senado Federal, foi preso; O presidente da República do PT, foi preso; A presidente da República do PT sofreu impeachment, perdendo o cargo; Vários empresários, doleiros, advogados, servidores públicos e militantes do PT, foram presos. Mesmo com uma folha corrida dessa o PT acha que vai enganar o povo mais uma vez. O PT é uma organização criminosa disfarçada de partido político! .........................PTNuncaMais

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Zuckerberg implode o bolsonarismo. Zuckerberg, ao puxar ao tapete da turma bolsonarista, especializada em inverter a realidade com fantasias mentirosas, preserva o negócio dele e joga por terra a armação do movimento fascista tupiniquim que fez do facebook sua morada




10/07


2020

Coluna da sexta-feira

Eleição indefinida em Olinda

Sobre a pesquisa em Olinda, apontando promessa de uma boa disputa entre o prefeito Lupércio e o ex-prefeito do Recife, João Paulo, reproduzo avaliação de Zeca Martins, responsável pelo Instituto Potencial: “Exatamente uma semana atrás, a parceria entre a Potencial e o Blog do Magno se concretizava com a divulgação dos resultados da pesquisa sobre o cenário eleitoral 2020 em Jaboatão dos Guararapes, o segundo maior colégio eleitoral de Pernambuco.

Ontem, apresentamos para a população pernambucana, em especial para os olindenses, a avaliação do panorama em Olinda, o município com o terceiro maior número de eleitores do estado. Nas duas cidades os gestores municipais buscam a reeleição, no entanto, de antemão, antecipamos que o quadro é diferente. Em Jaboatão, o estudo realizado mostrou que o prefeito Anderson Ferreira conseguiu desenvolver uma gestão que deixou encaminhada a reeleição.

Já em Olinda, os resultados indicam que a avaliação da administração do prefeito Professor Lupércio pode ser considerada boa (32% ótima ou boa e 26% regular), mas não encanta a ponto de consolidar uma diferença que lhe dê segurança para um segundo mandato. Além do que, a pesquisa revela como principal adversário nessa corrida o deputado estadual João Paulo, que tem no currículo a experiência muito bem sucedida de ter sido gestor da capital pernambucana por 8 anos consecutivos, e mesmo tendo anunciado que irá concorrer à eleição para prefeito de Olinda há pouco tempo, já abarca 21% da intenção de voto do eleitorado.

Os principais resultados da pesquisa que avalia o cenário eleitoral em Olinda, neste momento, indicam que a corrida para a sucessão da gestão municipal está aberta e caminha para um pleito em dois turnos. Os números das intenções de voto espontâneas e estimuladas corroboram esta tendência. Em uma primeira abordagem, quando não são apresentados os nomes dos pré-candidatos, quase metade dos entrevistados (48%) diz não saber em quem votar, e mesmo quando são citados, 21% ainda diz não ter uma definição.

Na avaliação estimulada, tanto o prefeito Professor Lupércio como o Deputado Estadual João Paulo crescem 9 pontos percentuais em relação a espontânea, respectivamente, 25% para 34% e 12% para 21%. Para o ex-prefeito do Recife significa um crescimento de 3/4. Quando consideramos apenas os votos válidos, o prefeito fica com 41% da preferência contra 25% do deputado.

Mantendo a análise nos dois pré-candidatos com maior preferência entre os eleitores (os demais juntos somaram 7%), não existe diferença estatística entre os potenciais eleitorais de ambos, isto é, aqueles eleitores que votariam com certeza ou poderiam votar neles. Podemos considerar uma igualdade técnica por conta da margem amostral da pesquisa (4%). O potencial eleitoral do prefeito Lupércio é de 49% e do deputado João Paulo 45%. O mesmo acontece com o índice de rejeição, 47% (prefeito) e 42% (deputado). Entre as esferas governamentais, os municípios são os que têm maior responsabilidade de lidar com o cenário local para prevenção à COVID-19.

Neste sentido a pesquisa também avaliou as ações que os governos federal, estadual e municipal estão desenvolvendo no combate à doença. Para os eleitores olindenses a administração do Governador Paulo Câmara é a que tem a maior aprovação (52%), seguida pela do Prefeito Lupércio (46%). A administração do Presidente Jair Bolsonaro tem menor índice de aprovação com 30%.

A Potencial entrevistou por telefone 600 eleitores em 32 bairros / localidades de Olinda nas 10 regiões político-administrativas oficiais definidas pela Prefeitura. É uma amostra significativa e representativa do universo pesquisado (eleitores), que nos permite uma interpretação com nível de confiança de 95% e margem amostral de 4 pontos percentuais.

Por fim, ao longo dos próximos dias vamos nos aprofundar ainda mais nos resultados e divulgaremos novas análises sobre esta disputa que promete ser acirrada. Afinal, o atual prefeito ainda tem tempo para trabalhar e mostrar o que vem fazendo e o deputado tem em seu currículo a experiência de uma excelente gestão à frente da capital pernambucana”.

Batida dura – O ex-presidente Lula criticou duramente o ex-juiz Sergio Moro por sua conduta enquanto atuava à frente da Operação Lava Jato em Curitiba, que acabou condenando e prendendo Lula em abril de 2018 pelo caso do triplex do Guarujá. Segundo o petista, Moro teria “mentido o tempo inteiro” e “segue mentindo até hoje”. “Eu desafio o Moro. Até vocês poderiam propor um debate dele com a acusação dele e eu a minha defesa. Quero provar que o Moro é mentiroso, foi falso, mentiu o tempo inteiro. Era necessário, e ele confirma isso depois que aceitou ser ministro. Ele excessivamente não aceita nenhum argumento que aceitamos. Levei 83 testemunhas e não valeu absolutamente nada”, afirmou.

Moleque – Além das críticas a Moro, Lula também falou sobre o trabalho do procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do Ministério Público. “O Moro é mentiroso e o Dallagnol um moleque irresponsável. O Moro deveria ter sido exonerado pela quantidade de mentira que ele colocou no processo. Eu não estou inventando, eu tenho o processo. O Dallagnol deveria ter sido exonerado porque passou duas horas me acusando sem provas”, acrescentou o petista, referindo-se à apresentação em PowerPoint usada para explicar a denúncia contra Lula.

Acesso aos arquivos – Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediram, ontem, acesso aos arquivos originais do sistema de propinas da Odebrecht. Os dados estão em um servidor na Suíça e seriam usados pela defesa nos processos da Lava Jato. A informação foi divulgada pelo portal UOL. De acordo com a força-tarefa, os documentos comprovam que a construtora pagou R$ 12 milhões em propina ao ex-presidente na compra do terreno do Instituto Lula. A defesa argumenta que os investigadores não usaram os arquivos originais, mas uma cópia cedida pela própria Odebrecht, que pode ter adulterado os dados.

Indecente – Um dia depois de o Facebook ter removido uma rede com 73 contas falsas ligadas ao presidente Jair Bolsonaro, a seus filhos e aliados, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) postou um comentário dizendo estar “cagando” para o que chamou de “lixo” das fake news. Filho “02” do presidente, Carlos sempre foi influente nas redes sociais do pai e comanda o “gabinete do ódio”, instalado no terceiro andar do Palácio do Planalto. A existência do “gabinete do ódio” – núcleo que alimenta a militância digital bolsonarista com um estilo beligerante nas redes sociais – foi revelada pelo Estadão, em setembro do ano passado.

CURTAS

VIOLAÇÃO – O procurador da República Kleber Marcel Uemura disse à Justiça que o presidente Jair Bolsonaro violou a dignidade humana dos pacientes ao incentivar seus apoiadores a invadir hospitais para filmar os leitos destinados às vítimas da pandemia. Segundo o procurador, o presidente incitou a prática de uma “conduta ilícita” que “viola o direito à saúde e a dignidade humana dos pacientes”. Disse também que Bolsonaro atentou contra o livre exercício das funções dos profissionais de saúde “que não podem ser perturbados no momento que têm papel crucial no atendimento”.

LAMENTO – Muitos políticos lamentaram a morte de dona Maria do Carmo, como a deputado federal Marília Arraes: “Recebo com tristeza a notícia do falecimento de Dona do Carmo, mulher admirável que também faz parte da história política do nosso Estado. Dona do Carmo teve uma trajetória de dedicação às causas sociais. Nos últimos anos, mesmo com idade avançada, sempre fazia questão de participar de atos públicos ao lado de seu filho, o ex-Senador Armando Monteiro Neto. A todos os familiares, seus filhos Armando, Eduardo Monteiro, Lectícia Cavalcanti, Sérgio e Horácio, aos netos e bisnetos, meus sentimentos”.

COCHILO – O procurador de Justiça José Raimundo de Lima, do MP-PB (Ministério Público da Paraíba), protagonizou uma cena inusitada durante uma sessão virtual do Tribunal de Justiça do estado. Lima tirou um cochilo enquanto um advogado presente na sessão fazia sua argumentação. Ao retomar a palavra, o desembargador Oswaldo Trigueiro se deu conta da situação e não conseguiu segurar o riso. Fred Coutinho, outro desembargador presente na sessão, também riu de forma contida, assim como um supervisor.

Perguntar não ofende: Vale fazer uma eleição sem ter direito a campanha?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Jair Bolsonaro, o Presidente Mito que levou água para o sertão Nordestino.

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Bolsonaro arrasta tornozeleira junto com Queiroz.

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...




08/07


2020

Coluna da quinta-feira

O poder covidou

A Covid-19 atinge cheio o poder e os poderosos. Além do presidente Jair Bolsonaro, diagnosticado na última terça-feira, pelo menos 12 integrantes dos três Poderes foram contaminados. Nos executivos estaduais, quase 30% dos governadores do País foram contaminados, entre eles Paulo Câmara (PE), Renan Filho (AL), Ibaneis Rocha (DF) e Wilson Witzel (RJ), segundo levantamento do site Terra. Na lista de infectados há ainda os prefeitos de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), além do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o senador Nelsinho Trad (PSD-MS).

Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), e Bento Albuquerque, de Minas e Energia, foram os únicos ministros do Governo acometidos pela covid-19 até agora. Depois do diagnóstico de Bolsonaro, ao menos 13 ministros que se encontraram com ele também fizeram exames. Tanto Heleno como Albuquerque foram infectados na comitiva de Bolsonaro aos Estados Unidos em março deste ano. Com direito a jantar no sul da Flórida na presença do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a viagem deixou mais de 20 pessoas infectadas, incluindo o secretário de comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, com quem Bolsonaro teve contato.

Antes de divulgar o teste positivo, Bolsonaro chegou a realizar três testes, mas afirmou que todos deram negativos. O presidente decidiu repetir o exame na última segunda após ter febre de 38ºC. Grupo de risco pela idade – de 65 anos –, Bolsonaro tem usado a doença para fazer 'propaganda' da hidroxicloroquina, medicamento que diz já estar tomando, mas que não tem comprovação de eficácia para o coronavírus. No Senado, o presidente da Casa, Davi Alcolumbre, e o parlamentar Nelsinho Trad já tiveram a doença.

Trad esteve na comitiva com Bolsonaro e chegou a ficar internado no Hospital Sírio Libanês de Brasília. Adversário do presidente, o governador do Rio anunciou que foi diagnosticado no dia 14 de março, depois de sentir febre, dor de garganta e perda de olfato. O mandatário fluminense não teve grandes complicações, mas relatou em vídeo divulgado em suas redes sociais que a doença não é "igual a qualquer outra". Além dele, foram infectados pela covid-19 os governadores Carlos Moisés (PSL), de Santa Catarina, Mauro Mendes (DEM), de Mato Grosso, Helder Barbalho (MDB), do Pará, Renato Casagrande (PSB), do Espírito Santo, e Antonio Denarium (PSL), de Roraima.

O caso mais recente é o de Santa Catarina, que fez o anúncio no dia 1° de julho. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, foi um dos casos de maior gravidade entre os políticos. Aos 74 anos, ele foi contaminado pelo vírus e está com 30% do pulmão comprometido. Apesar disso, vem se recuperando bem. Na última segunda, divulgou que vai dar continuidade ao tratamento em São Paulo, no Hospital Sírio Libanês. Bruno Covas, prefeito da capital paulistana, recebeu o diagnóstico positivo, mas não apresentou sintomas da doença. Ele vinha fazendo exames periódicos por causa do tratamento de um câncer no sistema digestivo.

Internacionais – Bolsonaro não foi o único presidente cujo teste para o novo coronavírus deu positivo. Outros chefes de Estado e políticos de outros países também tiveram a doença, incluindo Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido, e Juan Orlando Hernández, presidente de Honduras. Em Pernambuco, a doença pegou, além do governador, o secretário de Saúde, André Longo, e a vice-governadora Luciana Santos, que contaminou o seu parceiro, o deputado estadual Waldemar Borges. Diferente do que se deu no Amazonas, em Pernambuco nenhum político teve que se internar. Foram curados em casa, mas ao contrário de Bolsonaro, nenhum deles assume que tomou cloroquina.

Cloroquina – O presidente Jair Bolsonaro afirmou em vídeo nas redes sociais que está se sentindo melhor do que nos últimos dias, após ter anunciado que teve resultado positivo em teste para a Covid-19. "Estou tomando aqui a terceira dose da hidroxicloroquina. Estou me sentindo muito bem, estava mais ou menos no domingo, mal na segunda-feira, hoje, terça, estou muito melhor do que sábado, então, com toda certeza, está dando certo", disse Bolsonaro em vídeo publicado no Facebook. "Sabemos que hoje em dia existem outros remédios que podem ajudar a combater o coronavírus, sabemos que nenhum tem sua eficácia cientificamente comprovada, mas eu confio na hidroxicloroquina", acrescentou.

No seco – Na terça-feira passada, quando o presidente testou positivo para a Covid-19, Jornal Nacional, da TV-Globo, optou não utilizar material da EBC, a estatal de comunicação do Governo, do anúncio feito por Jair Bolsonaro. Para dar a notícia, os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos leram 'nota seca', jargão jornalístico para um texto apresentado sem o acompanhamento de imagem. O presidente chamou ao Palácio da Alvorada apenas a EBC, a RecordTV e a CNN Brasil para registrar seu comunicado sobre o diagnóstico. Classificada como 'inimiga', a Globo ficou de fora. Alvo frequente de sugestões de boicote por parte de bolsonaristas, a principal emissora do clã Marinho tem 'boicotado' Bolsonaro nos últimos tempos.

Jornalismo de oposição – Na linha de oposição, a TV-Globo exibe imagens e sonoras do presidente apenas quando é imprescindível. Há evidente tentativa de não o promover no horário mais nobre e de maior audiência do telejornalismo brasileiro. Mais do que isso, o JN se tornou a atração mais crítica a Bolsonaro, com frequentes contestações do que ele diz e de como age em relação aos protocolos de prevenção de contaminação da covid-19. Esse jornalismo de oposição ao presidente surte efeito no Ibope. O JN está com médias diárias acima de 30 pontos, índice que representa 6 milhões de telespectadores a cada noite somente na região metropolitana de São Paulo.

CURTAS

QUANTOS CONTAMINOU? – O efeito colateral é a hostilização sofrida por equipes da Globo e especialmente pelo apresentador e editor-chefe William Bonner. Ele passou a evitar aparições públicas depois de receber xingamentos e provocações. O jornalista que já foi desafiado por Bolsonaro para um confronto cara a cara diz não entender o "ódio" e a "maldade" dos ataques contra ele. Já a GloboNews, canal da Globo por assinatura, foi mais contundente. Quantas pessoas podem ter sido contaminadas por Jair Bolsonaro? Em busca dessa resposta, produziu uma retrospectiva dos passos do presidente nos últimos dias. Listou todos os eventos públicos e reuniões privadas com a presença dele. A exibição aconteceu nos telejornais vespertinos e noturnos do canal na terça-feira. Em entrada ao vivo no Edição das 18h, o repórter Vitor Boyadjian lançou a questão: "Quantos foram contaminados pelo presidente?"

IRRESPONSÁVEL – A emissora de notícias do Grupo Globo também fez uma arte exibida em telão no estúdio com uma comparação entre frases polêmicas de Bolsonaro e a curva de contaminações e mortes provocadas pela doença. Sugeriu que o desdém e as ironias do presidente ao minimizar a letalidade da covid-19 contribuíram para o agravamento da pandemia no Brasil. Não faltaram o "É uma gripezinha", o "E daí?", o "Não sou coveiro" e o "Não faço milagre". O comentarista de política Gerson Camarotti chamou Bolsonaro de "irresponsável" por ter comparecido a compromissos no último fim de semana, quando já apresentava sintomas. "Ele se tornou um vetor de transmissão da covid-19", afirmou.

PESQUISAS – Depois do quadro sucessório de Olinda, postado hoje neste blog, a expectativa se volta agora para a sucessão no Recife. A primeira pesquisa Potencial/BlogdoMagno de intenção de voto para prefeito da capital vai a campo neste fim de semana para divulgação à meia noite da próxima quarta-feira. A intenção é ampliar esses levantamentos até as cidades mais importantes do Estado, como Cabo, Paulista, Igarassu, Caruaru, Garanhuns, Petrolina, Arcoverde, Serra Talhada, Palmares e outras.

Perguntar não ofende: Se a pandemia está crescente no Interior sem estrutura de hospitais por que desativar os hospitais de campanha na capital?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Ruralistas capotando: A lei de desoneração da folha de pagamento assinada por Dilma hoje é defendida por aqueles que a afastaram

Fernandes

Prisão domiciliar para Queiroz? Mas bandido bom não é bandido morto? Será que esse é o tal bandido de estimação da qual falaram tanto ? KKKKKKKKKKKKKKKKkkk

Fernandes

Carluxo surtou com o desmonte do gabinete do ódio. KKKKKKKKKKK

Fernandes

O Facebook anunciou que derrubou uma rede de fake news ligada aos gabinetes da família Bolsonaro e seus comparsas.




08/07


2020

Coluna da quarta-feira

Faça o inverso e seja feliz!

Aprendi logo cedo quando fiz minha primeira reportagem aos 19 anos, no velho e lendário Diário de Pernambuco, que jornalismo se faz com a dureza de palavras no combate ao errado e as injustiças. Mas sou cristão e por isso não tenho mágoas no coração, não desejo mal a ninguém. Aprendi muito cedo que manter o espírito livre de sentimentos negativos traz serenidade ao coração, nos permite usar o tempo de forma saudável. Mais do que isso, abranda os pensamentos menos nobres a nós dirigidos.

Tenho a plena convicção que o presidente Bolsonaro errou em todos os momentos quando no Brasil se instalou a Covid-19, a doença do século que arrasta milhares de almas ao túmulo aqui e no mundo inteiro. Estufou o peito para informar que era atleta, saradão, com se isso fosse um escudo protetor do mal. Tratou a pandemia de gripezinha, foi às ruas sem máscaras, desafiou todos os prognósticos, ignorou os riscos, acabou sendo contaminado.

Quem não erra na vida atire a primeira pedra, mas presidente da República não pode cometer atrocidades. Bolsonaro foi primário, agiu como ignorante, pôs em risco a saúde dos brasileiros, chegou a ser acusado de genocida pelos adversários mais implacáveis. Esse rosário de atropelos, entretanto, não sustenta a ignomínia de se rogar pela morte de alguém, seja ele quem for, porque a cristandade está acima de cargos, do poder e de qualquer status social.

Sou cristão e tenho velada a firme convicção de que o bem está acima do mal, o amor vence o ódio. Deus não deseja mal a ninguém. Como há de viver um ser que não conhece a necessidade do respeito?  Aprendi cedo com meus pais tementes a Deus que na vida uma coisa é fato: seja gentil, trate teu próximo com amor, não deseje mal a ninguém, que sempre terá uma porta aberta ou alguém para te ajudar. Isso não é interesse, mas um ciclo que gera apenas benefícios para a alma de quem faz e de quem doa.

Aprenda que o primeiro passo para ser feliz é não desejar mal ao próximo. Não faço parte de um mundo onde as pessoas desejam o mal do próximo, não faço parte e um mundo em palavras como “Eu te odeio”. Sou diferente, quero viver em um mundo melhor, nunca ouvir o próximo desejar a morte de quem quer seja. Meu mundo é o do amor irmanado por um Cristo que veio salvar o mundo, contaminar o nosso coração de amor.

Adoece quem não ama. Adoece quem não sorri, adoce quem guarda amargura no coração, quem comete injustiça! Quem comete essas coisas prejudica os outros, porém muito mais a si mesmo. Faça o inverso e seja feliz!

Impeachment anda – O prazo de dez sessões parlamentares para que a defesa do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), se manifeste no processo de impeachment que tramita na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) deve voltar a ser contado a partir de hoje, segundo decisão da comissão especial que analisa a denúncia na Alerj.  Os advogados de Witzel foram notificados ontem e a contagem se inicia hoje. Em 23 de junho, Witzel foi notificado sobre a abertura do processo. A partir dali passaria a contar o prazo de dez sessões para apresentar sua defesa.

Desvio de recursos – Mas no dia seguinte, antes que o prazo começasse efetivamente a correr, a comissão atendeu pedido da defesa do governador e decidiu suspender o prazo, até o recebimento de informações solicitadas a diversos órgãos. Por isso, na prática, o prazo só começa a contar hoje. Na semana passada, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o compartilhamento de provas do inquérito que corre na corte sobre irregularidades na saúde estadual. Esses documentos eram alguns dos esperados pela Alerj, mas, segundo o presidente da comissão especial, deputado estadual Chico Machado (PSD), a negativa não influencia no processo. O governador é acusado de envolvimento num esquema de corrupção nos órgãos de saúde do Estado com dinheiro da Covid-19 desviado.

É bronca! – Depois que o presidente Jair Bolsonaro disse que apresentou sintomas de contaminação pelo novo coronavírus e fez 1 novo exame para covid-19, a hashtag “#ForçaCovid” entrou para os trendings topics, a lista de assuntos mais comentados do Twitter. Diversos usuários aderiram, mas a iniciativa foi criticada tanto por apoiadores do presidente quanto por quem é opositor do Governo. Carlos Bolsonaro, filho do presidente, criticou o silêncio de membros do Executivo: “A imensa quantidade de pessoas pedindo a morte do chefe do Executivo neste momento deveria ser motivo de solidariedade imediata dos líderes dos outros poderes, mas o que vemos novamente é a seletividade da indignação”.

Desejo de morte – Críticos do Governo Bolsonaro, o escritor Paulo Coelho e o youtuber Felipe Neto também postaram “Força Covid”. “Desejar a morte de Jair Bolsonaro se compara em baixeza à imbecil do “Cidadão não, engenheiro civil formado. Muito melhor que você”, ou a barbaridade dita por Bia Doria sobre desabrigados. Não percam a dignidade. Não façam isso”, escreveu Paulo Coelho. Já o deputado federal Beto Faro (PT-PA) escreveu: “Bolsonaro pode testar positivo p/ Covid-19, mas E DAI? Afinal, foi isso que ele mesmo disse, após chamar só de gripezinha, incentivar o povo a voltar ao trabalho, não querer prorrogar o auxílio, tirar a obrigação do uso de máscara, debochar dos brasileiros”.

CURTAS

A MALDADE HUMANA – Mãe de Miguel Otávio, criança que morreu após cair do 9º andar de um prédio de luxo no Recife, Mirtes Renata denuncia a criação de uma “vaquinha” falsa na internet, utilizando seu nome e a morte de seu filho. A empregada doméstica afirmou que não criou nenhuma campanha para arrecadar dinheiro e que possui casa própria. Na página falsa da arrecadação, o criador da postagem se passa por Mirtes, afirmando ter 36 anos, ser diarista e precisar de dinheiro para construir uma casa própria. “É falso. Eu tenho 33 anos, era empregada doméstica ao invés de ser diarista e a minha casa é própria”, afirmou.

DIÁRIAS ILEGAIS – Ainda em relação ao caso Miguel, o Ministério Público de Contas (MPCO) solicitou nova investigação sobre possíveis irregularidades do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB). Segundo o órgão, dados do Tribunal de Contas (TCE) apontam que o gestor da cidade, no Litoral Sul, recebeu diárias de R$ 400 para participar de reuniões no Recife. O problema é que Hacker, marido de Sari Corte Real, indiciada por abandono de incapaz que resultou na morte de Miguel, mora na capital, no prédio de onde o menino caiu, em 2 de junho passado. A mãe do menino, a doméstica Mirtes Renata, e a mãe dela, Marta Santana, trabalhavam como domésticas para a família do gestor, mas eram pagas pela Prefeitura.

HOJE TEM PESQUISA – A primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno para prefeito de Olinda será postada, hoje, exatamente à meia noite, com exclusividade. Trará o cenário não apenas eleitoral, mas também da avaliação do prefeito Lupércio (SD) e as gestões de Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Já na próxima semana, também de quarta-feira à meia noite, postaremos o resultado da pesquisa sobre a sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Júlio. O start da série pesquisas Potencial/Blogdomagno foi dado com Jaboatão, na semana passada, apontando um quadro confortável para a reeleição do prefeito Anderson Ferreira (PL).

Perguntar não ofende: O que, realmente, o líder do Governo na Câmara, Major Vitor Hugo, de Goiás, conhece de educação para virar ministro?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

OS BOLSOMINIONS SÃO OS ELEITORES MAIS ECOLÓGICOS DO PLANETA, CONSEGUIRAM COLOCAR UM JUMENTO NO PODER.

marcos

Perguntar não ofende: .......... Isso é um Partido ou uma Organização Criminosa??.. ..................FAÇAM SUAS ANÁLISES......... O presidente da Petrobras no governo do PT, foi preso; O presidente dos Correios no governo do PT, foi preso; O presidente do Banco do Brasil no governo do PT, foi preso; O presidente da Eletrobras no governo do PT, foi preso; O presidente da Nuclebras do governo do PT, foi preso; O presidente da Valec do governo do PT, foi preso; O presidente da Caixa Econômica Federal do governo do PT, foi preso; O presidente do BNDES do governo do PT, foi preso; 3 presidentes do PT, foram presos; 3 tesoureiros do PT, foram presos; 5 secretários do PT, foram presos; O líder do PT na Câmara dos Deputados, foi preso; O líder do PT no Senado Federal, foi preso; O presidente da República do PT, foi preso; A presidente da República do PT sofreu impeachment, perdendo o cargo; Vários empresários, doleiros, advogados, servidores públicos e militantes do PT, foram presos. Mesmo com uma folha corrida dessa o PT acha que vai enganar o povo mais uma vez. O PT é uma organização criminosa disfarçada de partido político! .........................PTNuncaMais

Fernandes

CORONAVÍRUS EM ESGOTO DE 5 PAÍSES ANTES DE SURTO NA CHINA AUMENTA MISTÉRIO SOBRE ORIGEM DO VÍRUS Pesquisadores de nações como Espanha e Brasil apontaram presença de Sars-Cov-2 em amostras coletadas antes de primeiro caso oficial no município chinês de Wuhan

marcos

Dez canais administrados pelo Partido dos Trabalhadores (PT) no aplicativo WhatsApp estão bloqueados há duas semanas. Segundo a empresa, os bloqueios ocorreram após envio de “mensagens em massa ou automatizadas”, que violam os termos de serviço. O partido diz que as contas desativadas são restritas a pessoas cadastradas para divulgar fake news , e que não foi informado sobre os motivos do bloqueio.

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...




07/07


2020

Coluna da terça-feira

Anderson em céu de brigadeiro

Na quarta-feira passada, este blog, em parceria com o Instituto Potencial, da Bahia, divulgou a primeira pesquisa sobre a sucessão em Jaboatão apontando um cenário de reeleição para o prefeito Anderson Ferreira (PL) logo no primeiro turno. Na apresentação geral, ele aparece com 45% das intenções de voto. Quando são computados apenas os votos válidos, chega a 56%, liquidando a fatura logo no primeiro turno. A eleição, entretanto, ainda está distante, só ocorrerá agora em 15 de novembro, conforme PEC aprovada pelo Congresso.

Jaboatão não é um município fácil e tranquilo para administrar. Acumula problemas sociais e econômicos graves, que passam de geração a geração, típica de cidade grande, que perdeu seu ordenamento territorial e cresce sem planejamento, com imensas favelas, esgotos a céu aberto, sem a menor estrutura. Gargalos, aliás, que vão se perpetuando, aparentemente de difíceis soluções. Com mais de 700 mil habitantes, Jaboatão tem três cidades dentro dela, os distritos de Cavaleiro, Muribeca e Curado, com explosões em densidade demográfica.

Filho do pastor e deputado Manoel Ferreira, sabido, aprendiz veloz do glossário político e das artimanhas maquiavélicas, tanto que projetou mais um filho na política, o deputado federal André Ferreira, e de quebra um genro vereador do Recife, Fred Ferreira, Anderson só não será reeleito se cometer muitos atropelos e deslizes ao longo da campanha, o que parece se configurar numa possibilidade remota diante da falta de um ambiente eleitoral, consequência da pandemia do coronavírus.

Seus adversários pontuaram timidamente. O vereador Daniel Alves, pré-candidato pelo PSD, e Ulisses Tenório, do PSB, são os mais mencionados na pesquisa, mas num patamar muito inferior ao prefeito, exatamente 5%, dentro da margem de erro. O mais batedor e barulhento, que pode criar problemas para Anderson, o ex-deputado federal Silvio Costa, pontuou apenas 2%.

Como o cenário de agora em diante até 15 de novembro é de incertezas, pelo avanço ou recuou da pandemia, o fato é que os três anões da oposição terão que ocupar muito espaço na mídia até o pleito, único caminho que podem levá-los a serem mais competitivos, porque não haverá campanha de rua. O debate se processará, de forma engessada, convenhamos, pelas redes sociais, longe de atingir o povão.

Sinal amarelo – A TV-Globo, segundo o portal Terra, levou um choque de realidade. O canal mais poderoso do Brasil passa por uma reestruturação financeira a fim de tornar sua operação mais rentável. A ordem é cortar gastos e encontrar novas fontes de receita. A recente onda de dispensas de artistas – Renato Aragão, Zeca Camargo, Miguel Falabella, Vera Fischer, entre outros – ressaltou uma das estratégias da empresa para enfrentar a crise econômica provocada pela pandemia de covid-19. A emissora não pode mais se dar ao luxo de manter contratados que ficam 1, 2 até 3 anos recebendo alto salário sem trabalhar entre uma produção e outra. Apenas um pequeno grupo será mantido com vínculo em longo prazo. A maioria dos atores passa a atuar por obra certa. Esse sistema vai gerar economia milionária. O sinal amarelo acendeu na Globo no início do ano. O último balanço financeiro revelou queda de 8% na receita publicitária em 2019.

Não quebrou – O grupo Globo faturou R$ 14,1 bilhões, 4% menos do que no ano anterior. O lucro caiu de R$ 1,2 bilhão para R$ 752,5 milhões. Boa parte desse rendimento veio de juros de investimentos, e não de faturamento comercial. Ainda que receba a maior fatia da verba publicitária dos grandes anunciantes do País, a Globo sabe que os meios digitais são um concorrente cada vez mais forte à televisão. Diante da queda de receita, a empresa precisa se adequar aos novos tempos. A Globo não quebrou nem corre o risco de ir à falência. Apenas vai faturar menos, o que exige redução de gastos. Trata-se de uma reorganização interna a fim de suportar os desafios impostos pelo 'novo normal'.

Livro aberto – Rosangela Wolff Moro, esposa do ex-ministro Sérgio Moro, está aproveitando a quarentena para adiantar páginas do livro que escreve sobre o período de um ano e quatro meses em que o marido esteve à frente do Ministério da Justiça. E, assim, ela justifica não se aprofundar em avaliações sobre o governo Bolsonaro – nome que, aliás, a advogada não pronunciou uma só vez. “Tô escrevendo pra dar a minha percepção sobre esse período”, conta. É a primeira vez que ela fala publicamente após a demissão de Moro, em 24 de abril. O ex-juiz da Lava Jato apareceu no vídeo rapidamente apenas para dar atenção à Yorkshire da família, recém-operada de um tumor. O casal Moro está recluso com os dois filhos em Curitiba, cidade que voltou a ter restrições mais rígidas pela covid-19.

Enfeite – Por falar em Moro, ele disse ao programa Globonews Debate que o Partido dos Trabalhadores (PT) deve reconhecer os erros do passado se quiser ser competitivo nas eleições de 2022. “É muito difícil avançar se não olhar para trás e corrigir seus erros. O presidente [Jair Bolsonaro] também tem esse lado que erra ao negar a pandemia. Não que não tenha feito coisas positivas. O PT tem esse lado que acha que não aconteceu o mensalão, que não houve crimes na Petrobras, que a culpa disso é minha… Uma forma de recuperar a confiança é reconhecer o que fez de errado no passado”, disse. Conforme o ex-ministro, ele resolveu sair do Governo quando percebeu que não tinha condições de cumprir a agenda que ele defende. “Não ia ficar lá de enfeite”, desabafou.

CURTAS

RECORDE – Em meio à pandemia do coronavírus, a Bolsa de Valores movimentou R$ 25,9 bilhões por dia em 2020 no primeiro semestre, no maior valor diário da história do mercado acionário brasileiro. Esse resultado se estende para o volume financeiro total negociado nos seis primeiros meses do ano, que chegou a R$ 3,19 trilhões, equivalente a 84,6% do volume negociado em todo o ano de 2019, de acordo com dados Economatica. O fotógrafo Luiz Claudio Carvalho foi um dos novos investidores que ajudaram a engordar o volume de negociações da B3. “Entrei na Bolsa em fevereiro, quando ainda estava naquela alta que se iniciou em 2019”, diz ele. “Não entendia muito bem e tomei um susto quando começou a cair, mas tive paciência e agora recuperei os prejuízos, e também voltei a comprar ativos.”

SAINDO DO POÇO – Apesar da pandemia, a equipe econômica não perdeu o rumo fiscal e o fundo do poço para a atividade econômica pode ter sido em abril, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes. O primeiro capítulo para a retomada da atividade, na sua avaliação, era o ataque às despesas, antes de o País ser atingido por um "meteoro" (em referência à pandemia), e que agora o Brasil está no segundo capítulo, descrito por ele como de descentralização de recursos. Para Guedes, em se confirmando expectativas dos dois últimos ministros da Saúde, em dois ou três meses o Brasil estaria entrando em um novo capítulo --em que a primeira onda da pandemia seria superada.

PESQUISA – A primeira pesquisa Potencial/Blogdomagno para prefeito de Olinda será postada amanhã exatamente à meia noite neste blog com exclusividade. Trará o cenário não apenas eleitoral, mas também da avaliação do prefeito Lupércio (SD) e as gestões de Paulo Câmara e Jair Bolsonaro. Já na próxima semana, também de quarta-feira à meia noite, postaremos o resultado da pesquisa sobre a sucessão do prefeito do Recife, Geraldo Júlio. O start da série pesquisas Potencial/Blogdomagno foi dado com Jaboatão, na semana passada, apontando um quadro confortável para a reeleição do prefeito Anderson Ferreira (PL).

Perguntar não ofende: E a pesquisa Simplex foi tão simples para assimilar Daniel Coelho bombado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

marcos

Perguntar não ofende: .......... Isso é um Partido ou uma Organização Criminosa??.. ..................FAÇAM SUAS ANÁLISES......... O presidente da Petrobras no governo do PT, foi preso; O presidente dos Correios no governo do PT, foi preso; O presidente do Banco do Brasil no governo do PT, foi preso; O presidente da Eletrobras no governo do PT, foi preso; O presidente da Nuclebras do governo do PT, foi preso; O presidente da Valec do governo do PT, foi preso; O presidente da Caixa Econômica Federal do governo do PT, foi preso; O presidente do BNDES do governo do PT, foi preso; 3 presidentes do PT, foram presos; 3 tesoureiros do PT, foram presos; 5 secretários do PT, foram presos; O líder do PT na Câmara dos Deputados, foi preso; O líder do PT no Senado Federal, foi preso; O presidente da República do PT, foi preso; A presidente da República do PT sofreu impeachment, perdendo o cargo; Vários empresários, doleiros, advogados, servidores públicos e militantes do PT, foram presos. Mesmo com uma folha corrida dessa o PT acha que vai enganar o povo mais uma vez. O PT é uma organização criminosa disfarçada de partido político! .........................PTNuncaMais

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Enfim a Água chega ao sertão Nordestino, obrigado Presidente Mito Jair Bolsonaro.

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

Fernandes

Esse PT... Só pensa nos trabalhadores.




06/07


2020

Coluna da segunda-feira

No poder, leva vantagem

Da forma como se darão, sem povo nas ruas, sem campanha e sem ambiente eleitoral, as eleições municipais marcadas para 15 de novembro, por força de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) aprovada pelo Congresso, só se descortinam favoravelmente para os que estão no poder, detentores de mandato, seja prefeito em busca da reeleição ou com candidato já escolhido, ou vereadores tentando um novo mandato.

Trata-se de uma eleição sem campanha, consequência da pandemia do coronavírus, que já tirou a vida de quase 60 mil brasileiros em 90 dias, afetando ainda mais de 1,5 milhões de pessoas. Como a curva permanece ascendente, sem sinais de que mudará o seu curso, quem, de bom senso, vai arriscar a sua vida a fazer campanha de rua? Quanto ao eleitor, a abstenção tende a ser astronômica, a maior da história recente do País.

Custo a acreditar que cidadãos acima de 65 anos se dêem ao luxo e se aventurem a sair da casa para votar, correndo o risco de serem contaminados numa fila. O Brasil está prestes a ir às urnas sem preceder uma campanha sem discussão de ideias, de projetos, sem calor das ruas, sem comício, sem caminhadas, sem nada. Uma campanha apenas com o olho na telinha do computador ou do celular.

Sendo assim, até do ponto de vista econômico, privilegia os detentores de poder, com a máquina nas mãos. Os sem-mandatos dependerão apenas do dinheiro do fundo partidário para bancar as despesas de campanha. Como se trata de um bolo dividido para milhares, sobrará vinténs para cada um dos candidatos. A oposição, lisa, não encontrará respaldo nem fora do balcão.

Candidato à caça de apoios oficiais de simpatizantes tende a levar um tremendo não. Em resposta, quem no passado era acostumado a meter a mão no bolso para ajudar simplesmente se negará, sob a alegação de que a pandemia reduziu seus negócios a pó. 

Uma verdade, diga-se de passagem, incontestável, se for levado em consideração, principalmente, o último levantamento oficial, no qual mais de 700 mil pequenas e médias empresas encerraram seus negócios.

Fato novo – Em Olinda, próximo cenário eleitoral a ser testado em pesquisa Potencial/Blogdomagno, com divulgação à meia noite desta quarta-feira, o cenário com os pré-candidatos de hoje pode sofrer uma alteração se de fato o presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Antônio Campos (PRTB), se animar a entrar na disputa, conforme já admitiu. Na eleição passada, Tonca, como é mais conhecido, foi ao segundo turno contra o prefeito Lupércio (SD) e culpou a máquina do Estado e o PSB pela derrota. Desde a morte de Eduardo Campos, seu irmão, Tonca rompeu com o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Júlio, numa briga familiar que começou com Renata Campos, viúva de Eduardo.

Na disputa – Se as eleições fossem em outubro, conforme estavam asseguradas na Constituição, Tonca não poderia mais entrar na disputa, porque não se afastou da Fundação Joaquim Nabuco em tempo hábil. O prolongamento para 15 de novembro mexeu, consequentemente, no prazo de desincompatibilização, abrindo espaço legal para ele se candidatar mais uma vez. Se esse cenário lhe favorecer, entra na briga como o nome apoiado pelo presidente Bolsonaro e pelas forças que estão hoje no poder. Tonca trabalha 24 horas na Fundação Joaquim Nabuco sem desgrudar os olhos de Olinda, cidade que sonha um dia governar. Para ele, Lupércio faz uma gestão medíocre e deve ser repelido pela população.

Boa notícia – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) anunciou a prorrogação da linha BNDES Crédito Pequenas Empresas até 31 de dezembro, com orçamento ampliado em mais R$ 5 bilhões. O orçamento da BNDES Crédito Pequenas Empresas já tinha sido ampliado em R$ 5 bilhões ainda em março, no primeiro conjunto de medidas do banco de fomento para mitigar a crise causada pela pandemia de covid-19. A nova ampliação foi decidida após os R$ 5 bilhões da ampliação de março terem sido totalmente contratados. Segundo o BNDES, desde março, foram aprovadas 16.318 operações com 15.094 empresas, que empregam 372.800 pessoas.

Ódio mortal – A prefeita de Arcoverde, Madalena Britto (PSB), levou seis meses para escolher o seu candidato e acabou optando por um inimigo do governador, o empresário Wellington Maciel, filiado ao MDB. Rico e poderoso, o ungido da prefeita até hoje não engoliu uma operação policial que pegou em cheio seus negócios no Sertão no Governo Eduardo Campos, coordenada pelo então secretário da Fazenda, Paulo Câmara. Na época, foi tão desastrosa para a imagem dele quanto uma operação da Polícia Federal. Por isso, Maciel não quer o governador em seu palanque. Por ele, move um ódio mortal.

CURTAS

CONDENADO – O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) manteve a determinação que obriga o ator José de Abreu a pagar R$ 20 mil em indenização ao Hospital Albert Einstein. A decisão foi publicada em 2 de junho e divulgada ao público no sábado passado. José de Abreu foi condenado em julho de 2019 por danos morais. O ator foi processado pelo centro médico depois de declarar em seu perfil no Twitter que a instituição havia apoiado a eleição de Jair Bolsonaro. “Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad [serviço secreto israelense], com apoio do Hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM israelense, o matador e corrupto Bibi. A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar merda”, disse Zé de Abreu em 2 de janeiro de 2019.

DE PERNAS PARA O AR – Os ministros do Supremo Tribunal Federal já estão em recesso até o próximo dia 31. A pausa também ocorre nos tribunais superiores. Neste período, as Cortes estão sob o comando de seus presidentes ou vices, com revezamento. Cabe a eles tomar eventuais decisões urgentes. O calendário do Poder Judiciário reservou 90 dias de folga para 2020 – dentro da conta de dias úteis. No Supremo, agora no meio do ano, serão 30 dias de descanso, mesmo diante de uma pandemia que sobrecarrega a agenda de julgamentos. Até agora, a Suprema Corte teve de tomar 3.692 decisões somente sobre a emergência em saúde pública no País. O peso na pauta é conseqüência da judicialização excessiva das ações das autoridades no combate ao coronavírus.

ECAD NA LIVE – Chefona do Ecad, Isabel Amorim inaugura hoje a nova etapa de lives pelo Instagram do meu blog às segundas-feiras. Estamos deixando as terças e quintas e adotamos as segundas e quartas, no mesmo horário de 19 horas. Isabel vai tratar da polêmica envolvendo a cobrança de taxas de direitos autorais aos artistas em lives. Ela tem experiência em negócios e em comunicação, formada em Administração de Empresas, pós-graduada em Comunicação pela USP e possui um MBA pela Business School de São Paulo e Rotman School em Toronto. Uma boa oportunidade para os artistas e produtores do País, especialmente os nordestinos, tirar suas dúvidas. Se você ainda não segue o Instagram do blog e quer acompanhar a live vai lá – @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Nenhum governador vai pagar pela roubalheira na operação de compras de respiradores via Consórcio Nordeste?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Quando bolsonaro descobriu que Haddad iria dar entrevista na Band adivinha o que ele fez para distrair os Brasileiros?

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Chegamos à conclusão que, caso o STF não tivesse se intrometido e a condução da pandemia tivesse ficado na incubência do Governo Federal, a hidroxicloroquina teria sido adotada de forma precoce desde o início e muitas vidas teriam sido salvas.

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

É bom lembrar a esquerda e aos idiotas úteis que Lula quando era deputado federal votou contra a duplicação da BR 232.




04/07


2020

Coluna do sabadão

Denúncia muito grave

Na entrevista que concedeu a este blog, quinta-feira, via live Instagram, o ex-ministro Ciro Gomes, que já está em campanha antecipada ao Planalto pelo PDT, fez uma gravíssima acusação ao presidente da República. Afirmou, categoricamente, que Bolsonaro é o mentor das chamadas milícias. “Elegeram um despreparado, boçal, de família bandida, ligada com as milícias e da mamatinha de roubar dinheiro de gabinete”, desabafou, adiantando que a família nem Bolsonaro abrem processo contra ele, porque sabem que existem provas em seu poder.

“Eu tenho as provas”, bradou Ciro. Pelo menos até o fechamento desta coluna, o Palácio não havia se pronunciado ontem. E essa postura é mais grave ainda, porque tem um velho ditado que diz “quem cala, consente”. No mínimo, se entendesse a declaração de Ciro leviana, o presidente acionaria seus advogados na justiça para uma interpelação judicial, exigindo que o ex-ministro apresentasse as provas em tempo recorde.

Ciro foi mais além e disse que Fabrício Queiroz, o homem-bomba do caso das rachadinhas no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro, hoje senador, na Assembleia do Rio, “é Bolsonaro”, insinuando que a operação de distribuição do dinheiro proveniente da verba de pessoal do gabinete do filho do presidente era comandada por ele próprio, o chefe da Nação, na época deputado federal pelo Estado do Rio.

“O Queiroz não é do Flávio, é do Jair Messias Bolsonaro, esse cara que está na Presidência”, desabafou. Fabrício Queiroz, que está preso, foi policial militar e é amigo do presidente Bolsonaro desde 1984. Reformado na PM, trabalhou como motorista e assessor de Flávio, então deputado estadual pelo Rio. Ele passou a ser investigado em 2018 após um relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) indicar "movimentação financeira atípica" em sua conta bancária, no valor de R$ 1,2 milhão, entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

Queiroz foi demitido por Flávio pouco antes de o escândalo vir à tona. O último salário de Queiroz na Alerj foi de R$ 8.517. Ele é acusado de ter recebido transferências em sua conta de sete servidores que passaram pelo gabinete de Flávio. As movimentações atípicas levaram à abertura de uma investigação pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.

O líder – Pela acusação de Ciro, não seria Flávio Bolsonaro o líder do esquema das rachadinhas, mas o próprio presidente Bolsonaro, que teria coordenado o seu funcionamento por mais de dez anos. O Ministério Público do Rio de Janeiro afirma que, entretanto, que Flávio teria lavado dinheiro oriundo das “rachadinhas” com transações imobiliárias e com a loja de chocolates da qual é sócio em um shopping na Barra da Tijuca, no Rio. Amigo de longa data do agora presidente, Queiroz atuou no gabinete de Flávio Bolsonaro de abril de 2007 a outubro de 2018. Ele é apontado pelos investigadores como operador financeiro dos ilícitos investigados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. Sua filha Nathalia Queiroz foi funcionária do gabinete de Jair Bolsonaro nos últimos dois anos de mandato como deputado federal.

Tom moderado – Enquanto tem adotado a moderação para escapar das polêmicas criadas pelas próprias declarações, o presidente Jair Bolsonaro faz cálculos políticos diante da encruzilhada de investigações que o cercam. Em conversas com ministros mais próximos no Palácio da Alvorada, o chefe do Executivo diz que a crise está controlada, apesar dos pedidos de impeachment e inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do caso de Fabrício Queiroz, que apura o esquema de “rachadinha” no gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) de seu filho e hoje senador Flávio Bolsonaro (Podemos-RJ).

Fora da investigação – No caso Queiroz, a análise no Planalto é que se, porventura, o ex-assessor envolver o presidente no suposto esquema de “rachadinha”, o inquérito deverá ser paralisado. Pela legislação, o chefe do Executivo não pode ser investigado por fatos anteriores ao mandato. Na última quinta-feira, o jornal Estado de São Paulo revelou que Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Queiroz, tinha um caderno com números de celulares atribuídos ao presidente Jair Bolsonaro, ao próprio Flávio, à primeira-dama Michelle e a diversas pessoas ligadas à família. Segundo o Ministério Público o Rio de Janeiro, os contatos deveriam ser acionados quando o ex-assessor fosse detido.

Chiadeira – Uma portaria do Ministério da Saúde que libera R$ 13,8 bilhões para Estados e municípios deixou irritados deputados do Centrão que fizeram pedidos ao governo. A liberação da verba, toda de uma vez, tem aberto disputas sobre a “paternidade” do dinheiro. Os recursos para as prefeituras somam R$ 11,3 bilhões. Estão juntas demandas dos municípios, dos deputados e iniciativas do próprio Ministério, sem discriminação. O governo explicou a alguns congressistas, informalmente, quais demandas feitas estavam sendo atendidas. Outros não tiveram nem sequer essa informação. O procedimento normal, nesses casos, é que o político autor da indicação seja informado da liberação do dinheiro.

CURTAS

PEGARAM SERRA – Pilhado numa operação, ontem, da Polícia Federal em São Paulo, o senador José Serra (PSDB) teria se aproveitado de seu cargo e influência política para receber pagamentos indevidos da empreiteira Odebrecht. Em troca, concederia benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul. De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), a Odebrecht pagou ao tucano cerca de R$ 4,5 milhões entre 2006 e 2007, supostamente para usar nas suas campanhas ao governo do Estado de São Paulo, e cerca de R$ 23 milhões (atualizados em R$ 191,5 milhões), entre 2009 e 2010, para a liberação de créditos com a Dersa, estatal paulista extinta em 2019. Os pagamentos teriam sido feitos por meio de uma rede de empresas no exterior, para que os nomes das pessoas beneficiadas não fossem detectados pelos órgãos de controle.

ÍNDIOS AFETADOS – O número de casos confirmados de Covid-19 entre indígenas divulgado pela Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) superou a contagem do governo federal. Segundo a entidade, foram 10.341 infecções até 5ª feira (2.jul.2020), ante as 7.198 contabilizadas pela Sesai (Secretaria de Saúde Indígena), do Ministério da Saúde. A diferença entre as duas contagens ocorre, segundo a Apib, pelo fato de a Sesai não registrar e não prestar atendimento aos indígenas que vivem em territórios tradicionais em áreas urbanas e rurais. A entidade indígena afirma que o número de povos afetados pela doença é de 121.

PESQUISA OLINDA – Depois de Jaboatão, primeira pesquisa da parceria Potencial/BlogdoMagno, postada da quarta-feira de meia noite, apontando o prefeito Anderson Ferreira (PL) numa posição bastante confortável para uma eleição em primeiro turno, na próxima quarta-feira será a vez dos leitores deste blog e do jornal O Poder tomarem conhecimento do quadro da sucessão do prefeito de Olinda, Professor Lupércio. Da mesma forma que Jaboatão, o levantamento trará também a avaliação das gestões do prefeito, do governador e do Governo Bolsonaro.

Perguntar não ofende: Quanto tempo o novo ministro da Educação vai se segurar no cargo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Boa noite povo de Deus, só lembrando que Lula é Ladrão.

Fernandes

É preciso lembrar aos idiotas ÚTEIS que, Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

Wassef o novo ídolo da esquerda e dos idiotas Úteis.

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...




03/07


2020

Coluna da sexta-feira

Enfim, eleição fica para novembro

Mesmo com a pressão de prefeitos para que as eleições municipais fossem mantidas em outubro, a Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que adia as disputas para novembro. Pela proposta, a escolha de prefeitos e vereadores em todo o País será em 15 de novembro - data de votação no primeiro turno - e 29 de novembro -, caso haja uma segunda rodada. O texto que recebeu sinal verde da Câmara também muda o calendário eleitoral deste ano.

A alteração é motivada pela pandemia do novo coronavírus e, com o adiamento das disputas para novembro, a expectativa é de que a incidência e o risco de contaminação pela doença entre eleitores sejam menores. O grupo de partidos conhecido como Centrão era inicialmente contra empurrar as eleições para novembro. Parte das legendas, porém, acabou mudando de posição após negociações sobre o retorno da propaganda partidária e a garantia de mais recursos para municípios no combate à pandemia.

A negociação foi costurada no fim de semana pelos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O deputado Marcos Pereira (SP), presidente do Republicanos, foi um dos que mudaram radicalmente de posição e disse ter sido "convencido" de que adiar a votação era o melhor a fazer. O relator da PEC na Câmara, deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR), não fez alterações em relação ao texto aprovado pelo Senado.

A mudança embute gastos extras que não são recomendáveis em um momento como esse. Servidores públicos que já se desincompatibilizaram terão prejuízo muito grande com esse adiamento, que trará mais custos do que benefícios. O texto aprovado também prevê que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adie as eleições por um período ainda maior em municípios com alto grau de disseminação da covid-19, se houver necessidade. O argumento é o de evitar a aglomeração em locais com índices preocupantes de avanço da doença.

A nova data, porém, deverá ser definida ainda em 2020 e o Congresso poderá aprovar uma resolução marcando a disputa, também neste ano, para municípios de uma mesma região ou Estado. Com o adiamento das eleições, outras datas do calendário eleitoral também serão alteradas. Os candidatos terão mais tempo para inaugurar obras, participar de eventos públicos e aparecer em programas de TV e rádio. No entanto, prazos já vencidos não poderão ser alterados.

Calendário – Com isso, o início oficial da campanha eleitoral fica adiada de 16 de agosto para 27 de setembro. No rádio e TV, a campanha terá início em 9 de outubro. A proposta permite também aposse de prefeitos e vereadores no País antes do julgamento das contas de campanha pela Justiça Eleitoral. Até a semana passada, o discurso oficial dos parlamentares contrários à mudança era de que nada garante que postergar a votação em 42 dias fará com que a pandemia seja controlada nesse período. Na prática, porém, prefeitos pressionavam integrantes do Centrão a não adiar com o argumento de que jogar as eleições para novembro beneficiaria a oposição. Com a possibilidade de reforço no caixa das prefeituras, porém, o discurso mudou.

Liberação – De acordo com dados do TSE, os partidos do Centrão – PSD, PP, PL, DEM, PTB e Solidariedade – assumiram o comando de 1.918 prefeituras nas eleições passadas, o que equivale a um terço do total do País. O valor a mais para os municípios deve ser liberado por meio da prorrogação da vigência da Medida Provisória 938, de 2020, que reservou R$ 16 bilhões para recompor perdas com arrecadação de impostos na pandemia. Originalmente, a ajuda só seria válida até este mês. A proposta em negociação é prorrogá-la até dezembro.

Mudança repentina – Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Municípios Brasileiros, o deputado Silvio Costa Filho (Republicanos), chegou a declarar no Frente a Frente e a este blog ser contrário ao adiamento das eleições, também se pronunciou favorável, antes da votação em plenário, tão logo foi costurado o acordão. "Depois de muito diálogo e consultas, o sentimento em Brasília mudou. As eleições serão realizadas em novembro. Hoje, esse é o sentimento da maioria dos parlamentares. Ao lado do @TSEjusbr, estamos construindo a melhor forma para que a eleição siga todas as orientações sanitárias", escreveu em seu perfil no Twitter.

Poder retomado – O adiamento das eleições municipais para novembro indica que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), retomou o controle do Centrão. O bloco de partidos que se dispôs a apoiar o presidente Jair Bolsonaro em troca de cargos queria manter as disputas em 4 de outubro por um motivo singelo: a pressão de prefeitos. Na prática, muitos deles, candidatos a um segundo mandato, achavam que esticar o prazo da corrida eleitoral beneficiaria os adversários. O argumento era o de que quem está no poder sofre o desgaste natural do cargo e, até novembro, ninguém teria mais dinheiro em caixa para gastar.

CURTAS

BLOQUEIO – O Tribunal de Justiça determinou, ontem, o bloqueio parcial de bens do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB), e da secretária de Educação do município, Maria da Conceição Cavalcanti. A decisão foi proferida na quarta-feira passada. Em nota, o prefeito afirmou que prestou e continuará prestando todas as informações solicitadas pelas autoridades e que irá recorrer da decisão. Ele ainda não se manifestou sobre a situação da secretária de Educação. A decisão ocorreu após uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por duas empregadas domésticas do prefeito estarem cadastradas como servidoras públicas, mesmo sem terem entrado na Prefeitura.

POR ESCRITO – O procurador-geral da República, Augusto Aras, deve encaminhar, hoje, um parecer ao Supremo Tribunal Federal (STF) recomendando que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento à Polícia Federal (PF), desde que possa escolher se responderá às perguntas por escrito ou pessoalmente. O parecer foi pedido pelo ministro Celso de Mello, relator do inquérito que apura se Bolsonaro interferiu indevidamente nas atividades da PF. Caberá ao ministro decidir se o presidente prestará os esclarecimentos e como isso será feito. O pedido para ouvi-lo nas investigações foi feito pela PF. O inquérito foi aberto a partir de acusações do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

OPERAÇÃO – A Polícia Federal deflagrou, ontem, uma operação para investigar suspeitas de irregularidades na compra de testes rápidos para Covid-19 por prefeituras do Piauí. Os policiais cumpriram 17 mandados de busca e apreensão em Uruçuí, Picos e Bom Jesus. As prefeituras informaram que ainda vão se pronunciar sobre o caso. A TV Clube também registrou cumprimento de mandados também em Teresina, na sede de uma empresa de distribuição de suprimentos hospitalares, localizada no Centro, que teria fornecido material para municípios do interior.

Perguntar não ofende: Quando a Federal volta a fazer operação em Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

NESTAS ALTURAS DO CAMPEONATO LULA VIROU SALVAÇÃO DE TODO MUNDO… LITERALMENTE!

Fernandes

Bolsonaro é o corno do Rio São Francisco, disseram que o filho é dele, mas todo mundo sabe que o pai é o Lula.

Fernandes

Há 42 anos dizem que Lula é ladrão, nunca acharam um centavo roubado. O Serra tem U$ 40 mi no exterior. Quem é o ladrão?

marcos

E o povo do Ceará não se cansa de agradecer, primeiramente a Deus e depois ao nosso mito Jair Bolsonaro pela chegada da água ao sertão. Oh Glória!

marcos

Serra, FHC, Aecio, Lula, Zé Dirceu, Ciro, Rui Costa, Jacques Wagner Temer, Renan, Jucà, Mercadante, Dino é Tudo uma só Quadrilha. Cadeia nesses Bandidos.




01/07


2020

Coluna da quinta-feira

Jarbas e Humberto contra liberdade

Numa manobra pactuada entre Supremo Tribuna Federal e setores do Congresso, 44 dos 81 senadores, entre os quais dois pernambucanos – Jarbas Vasconcelos (MDB) e Humberto Costa (PT) – aprovaram, terça-feira passada, o projeto satânico das fake news, que de combate à notícia falsa é uma verdadeira peça de ficção. O que os “nobres senadores” querem, na verdade, é coibir a liberdade de expressão, bandeira conquistada pela sociedade brasileira com o advento da rede mundial de computadores, sepultando o poder da velha mídia.

Antes da internet, que democratizou o acesso à informação, o poder midiático era exclusividade de grupos, desde os Diários Associados, que reinaram por um bom tempo no País, às Organizações Globo. São a esses coronéis da patente da notícia que os senadores e ministros do Supremo querem a eles devolver o monopólio da mídia. Esse tempo já passou, a velha Imprensa caducou e o que se assiste, hoje, é a vitória da sociedade abraçada ao poder das redes sociais.

Sentindo-se ofendido por interesses contrariados, as excelências do STF tentaram um casamento com o Congresso em nome do veto à liberdade de expressão. Aliados à velha mídia, que tem rabo preso, eles não se desnudam, não ficam expostos, porque os velhos donos da informação, hoje na fase caduca, perderam o poder de influir nas grandes e soberanas decisões do País.

Ainda bem que o presidente Bolsonaro se antecipou, ontem, para garantir que se a Câmara referendar o equívoco do Senado não sancionará a lei. Em geral, o projeto adota um caminho punitivista, com a proposição de penas que vão de multa a oito anos de prisão. No entanto, não traz definições claras sobre o que entende, por exemplo, por notícias falsas e usa até informações falsas em sua justificativa. Segundo especialistas, as medidas não oferecem soluções efetivas para o controle da desinformação.

Barrado no baile – O presidente Jair Bolsonaro afirmou, ontem, que pode vetar o projeto das fake news, aprovado no Senado e que ainda precisa passar pela Câmara. Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente disse acreditar que a proposta "não vai vingar" e deve ser rejeitado pelos deputados. "Acho que na Câmara vai ser difícil aprovar. Agora, se for, cabe a nós ainda a possibilidade de veto, tá ok? Acho que não vai vingar esse projeto, não", disse Bolsonaro. O projeto cria um marco inédito na regulamentação do uso das redes sociais, obrigando empresas a rastrear mensagens enviadas por aplicativos, identificar conteúdos impulsionados e prevê multas às plataformas que descumprirem a lei.

Punições – Em junho, o Congresso aprovou a lei 13.834/2010, que prevê pena de prisão a quem divulgar conteúdos enganosos durante a época do pleito. Ela incluiu no Código Eleitoral o crime de denunciação caluniosa com finalidade eleitoral e, assim, passou a ser considerado delito “dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, de investigação administrativa, de inquérito civil ou ação de improbidade administrativa, atribuindo a alguém a prática de crime ou ato infracional de que o sabe inocente, com finalidade eleitoral”. Também podem ser responsabilizados os que compartilharem informações caluniosas sabendo da inocência do acusado.

Efeito nocivo – A pandemia da covid-19 continua provocando estragos profundos no mercado de trabalho. No trimestre encerrado em maio, havia 7,8 milhões de pessoas a menos trabalhando que no trimestre anterior, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população ocupada, de 85,9 milhões de pessoas, era a menor da série histórica da Pnad Contínua, iniciada em 2012. E, pela primeira, menos da metade da população em idade de trabalhar está ocupada. A taxa de desocupação no Brasil ficou em 12,9% no trimestre encerrado em maio. Em igual período de 2019, o desemprego estava em 12,3% e, no trimestre até abril deste ano, em 12,6%. No trimestre de dezembro de 2019 a fevereiro de 2020, quando o País ainda não sentia o impacto da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, a taxa de desemprego estava em 11,6%.

Reviravolta – Por 4 votos a 3, o plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu autorizar, em julgamento final na noite da terça-feira passada. a aquisição de novas provas nas investigações contra a chapa Bolsonaro-Mourão, eleita em 2018. Segundo os autores das representações, durante a campanha, o grupo virtual Mulheres Unidas contra Bolsonaro, que reunia mais de 2,7 milhões de pessoas, sofreu ataques de hackers que alteraram o conteúdo da página. O julgamento dos casos teve início em novembro de 2019. O relator, ministro OG Fernandes, votou pela rejeição das ações. O ministro Edson Fachin havia pedido vista, por isso, o julgamento foi interrompido. Os processos são de autoria dos candidatos derrotados no pleito de 2018 Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (Psol).

CURTAS

PROTESTO – Pessoas que tiveram auxílio emergencial negado protestaram, no Recife, em frente à Defensoria Pública da União (DPU), no bairro da Boa Vista. O órgão, que pode ajudar no pedido de contestação dos resultados, prorrogou o atendimento remoto por mais um mês - até o dia 31 de julho. Os manifestantes reclamaram da dificuldade em conseguir atendimento pelos canais disponibilizados pela DPU, que fechou uma parceria com o Governo Federal para agilizar a contestação dos auxílios negados. Eles fecharam a Avenida Manoel Borba levando agentes da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) a fazerem um desvio dos veículos pela Rua da Soledade.

SALÁRIO ATRASADO – Enquanto torra o dinheiro da pandemia em contratos superfaturados, o Governo do Estado esquece-se de pagar a quem vem dando o sangue e colocando em risco a vida para salvar pacientes internados pelo vírus da Covid-19. É o caso, por exemplo, do quadro terceirizado de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem do Hospital Regional de Caruaru, onde, na última terça-feira, ocorreu a barbárie da troca de corpos num sepultamento às pressas. A categoria, que dá um duro danado, entrou no segundo mês seguido sem ver a cor do dinheiro azul e branco do Estado. Uma vergonha, governador! Saiba tratar melhor quem está salvando vidas neste Estado!

CIRO NA LIVE – O convidado para a live de hoje do blog é o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que disputou à Presidência da República na eleição passada e já está em campanha aberta pelas redes sociais para 2022. Devido a compromissos na agenda, a live do político cearense, ex-prefeito de Fortaleza, ex-governador do Estado, será um pouco mais cedo, às 18 horas. Se você não segue ainda o Instagram do blog vai lá e adiciona: @blogdomagno.

Perguntar não ofende: Por que os senadores querem calar a voz livre e democrática dos portais, blogs e sites?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Fernandes

Bolsonaro é o corno do Rio São Francisco, disseram que o filho é dele, mas todo mundo sabe que o pai é o Lula.

Fernandes

Já que o (PT) foi o único que votou 100% contra a privatização da água, que tal elegermos prefeitos e vereadores do partido?

Fernandes

Temer assume que é conselheiro informal de Bozonaro. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Fernandes

É preciso lembrar que Bolsonaro quando deputado federal votou contra a Transposição do Rio São Francisco ...

marcos

É preciso lembrar que Temer foi vice presidente de Dilma jumenta 2 vezes por ordem de Lula.