Caruaru - Jan 2022


28/01


2022

Coluna da sexta-feira

Rejeitado pelos recifenses

Feita com exclusividade para este blog, a pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande (PB), postada ontem, traz um cenário sombrio para o prefeito João Campos no julgamento do seu primeiro ano de mandato. Contabilizados os que, verdadeiramente, aprovam a gestão, apenas 35% dos recifenses consideram seu desempenho como ótimo ou bom, enquanto 19% consideram ruim ou péssimo.

Quando comparada com a gestão de Geraldo Júlio, seu antecessor, quase metade da população afirma que não houve mudanças, 11% afirmam que mudou para pior e apenas 34% acham que mudou para melhor. Quase metade dos entrevistados disseram que acham o prefeito inexperiente e 40% afirmaram ser experiente, enquanto 10% não responderam.

Outro item preocupante para o prefeito está no discernimento da população quanto ao futuro do Recife. Dos entrevistados, 48% disseram que a cidade está parada, sem grandes obras e investimentos, enquanto 31% disseram que a cidade está andando para frente e outros 18% acham que está andando para trás.

Entre os entrevistados, 43% disseram que os morros continuam sendo tratados da mesma forma, inadequada, 25% afirmaram que piorou e apenas 20% acham que melhorou. Na questão das palafitas, 40% disseram que não houve nenhuma mudança, 24% afirmaram que piorou e 22% avaliaram que melhorou. O instituto Opinião sondou a população ainda sobre a temática mobilidade urbana.

Para 39% dos entrevistados, não houve nenhuma mudança, 33% disseram que piorou e apenas 24% acham que houve alguma melhora. Ainda na avaliação por setores, o da Saúde piorou para 43% dos entrevistados e continua igual para 34%. Entre os que acham que melhorou, a soma é de apenas 20%. Quanto aos moradores de rua, outra promessa dele, 37% disseram que continua igual, 31% afirmaram que piorou e apenas 22% disseram que melhorou. No item morros, o julgamento da população também é negativo.

Caos na saúde – No início da pandemia, João Campos posou como o gestor mais eficaz no enfrentamento ao problema, chegando a fazer vídeos pelas redes sociais colocando Recife no topo em rapidez na vacinação. Mas a saúde, no geral, não mudou nada para os recifenses.  Quase metade dos entrevistados - 43% - disseram que a saúde mudou para pior e outros 34% afirmaram que continua igual, uma sinalização de que a população julga que não houve nenhuma intervenção para melhorar o atendimento da população no serviço público municipal de saúde.

Geraldo, o pior prefeito – O PSB tem lá suas razões para não ter insistido com a decisão do ex-prefeito Geraldo Júlio de abrir mão da sua postulação ao Governo do Estado. Na pesquisa do Opinião, ele aparece como o pior prefeito da capital ao lado do petista João da Costa, ambos com 15% de avaliação negativa. E olha que ele saiu da Prefeitura se apresentando como a bala que matou Kennedy. Chegou a propalar, em mídia estadual, Recife como a capital do Nordeste.

Federação tucana – PSDB e Cidadania deram, ontem, mais um passo para formação da federação partidária na disputa proporcional. Reunido em Brasília com o secretário-geral do PSDB, Beto Pereira, e os líderes do partido na Câmara, Adolfo Viana (BA), e no Senado, Izalci Lucas (DF), o presidente tucano Bruno Araújo escalou os aliados para conduzir as conversas, com o objetivo de mapear PSDB e aparar eventuais arestas regionais. Na semana passada, a Executiva Nacional do Cidadania já havia aprovado a federação com outra sigla pelos próximos quatro anos. Além do PSDB, o Podemos, o MDB e o PDT também estão no radar do partido comandado por Roberto Freire para uma eventual aliança.

Gesto com professores – O presidente Jair Bolsonaro (PL) anunciou, ontem, que o Governo Federal concederá reajuste de 33,24% no piso salarial de professores da educação básica. “Esse é o maior aumento já concedido, pelo Governo Federal, desde o surgimento da Lei do Piso”, afirmou em publicação em seus perfis nas redes sociais. De acordo com nota oficial do Ministério da Educação, valor mínimo dos vencimentos de R$ 2.886,24 será de R$ 3.845,63.

Na cerca para fugir – Ao tomar conhecimento de que o deputado federal Daniel Coelho abriu mão da presidência do Cidadania no Estado, o marqueteiro Marcelo Teixeira matou a charada. Avalia que está se preparando para pular a cerca. "Brizola dizia que um político quando queria dar uma debandada se encostava na cerca até achar um buraco para fugir. Daniel está costeando a cerca", ironizou Marcelo. O publicitário tem razão. Daniel estava a caminho do PSDB, mas pode recuar diante do anúncio da federação partidária que está sendo fechada entre a legenda tucana e o Cidadania.

CURTAS

DEMORA UM POUCO – Raquel Lyra (PSDB) só assumirá, oficialmente, que deixará a Prefeitura de Caruaru para disputar o Governo do Estado após o PSB anunciar o seu candidato, provavelmente o deputado federal Danilo Cabral. Sua preocupação, no momento, é fortalecer a chapa proporcional tucana.

DOUGLAS FEDERAL – Ontem, por exemplo, Raquel teve uma longa conversa com o ex-senador Douglas Cintra, candidato a deputado federal. Empresário e produtor rural no Agreste, Douglas ainda está filiado ao PTB, mas deve ingressar no PSDB. É um dos nomes que Raquel quer ajudar em Caruaru.

Perguntar não ofende: Geraldo Júlio diante do espelho: "Espelho meu, existe pior prefeito do que eu?"


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

ALEPE - Ações Sociais - Janeiro 2022


27/01


2022

Coluna da quinta-feira

Eleito para um só mandato

Sendo de fato e de direito o candidato do PSB a governador, o deputado federal Danilo Cabral, se eleito, só terá direito a um mandato. Reeleição, nem pensar. Nos bastidores da Frente Popular e na cozinha dos Campos, o que se diz é que Danilo foi ungido para guardar a cadeira para João Campos.

Como assim? Fácil de explicar. O PSB já dá como certa a reeleição de João em 2024. Reeleito, dois anos depois, renunciaria para disputar o Governo do Estado em 2026, tirando de Danilo o legítimo direito de disputar a reeleição. Esse é o jogo da família Campos, do PSB e dos partidos que bajulam os poderosos para fazer do prefeito a maior liderança política do Estado.

Nessa condição, se constituiria na mais apurada ressurreição do pai, o ex-governador Eduardo Campos, morto num acidente aéreo, para dar continuidade ao seu legado político e administrativo. Os áulicos, embriagados por um bom escocês, chegam até a viajar na maionese. Apostam que João eleito governador será depois presidente da República.

Lembrei da paródia de Mané Garrincha. Conta a lenda que na Copa de 1958, durante a preleção antes do jogo contra a antiga União Soviética, o técnico brasileiro Vicente Feola reuniu os jogadores e combinou uma estratégia que seria infalível para emplacar a vitória, com um gol sensacional de Mazzola. Garrincha, com a sua natural simplicidade, ouvindo tudo com a camisa jogada no ombro, perguntou: "Tá legal, seu Feola, mas o senhor já combinou com os russos?"

O PSB já combinou com os eleitores? A política não é uma ciência exata, mas tem lógica em algumas ocasiões. O PSB está no poder há 16 anos, controla o Governo do Estado e a Prefeitura do Recife, não fez nada para mudar a vida dos pernambucanos. Até quando vai continuar escravizando o povo, achando que tange o eleitor para a urna como boi para o curral?

Vergonha – Danilo Cabral vai, entretanto, negar a vida inteira que aceitou ser candidato para "guardar" a cadeira reservada para João Campos, quatro anos depois. Faz parte do jogo. "Isso é uma vergonha para um Estado revolucionário e irredento como Pernambuco", diz uma liderança política da própria Frente Popular, que pediu o anonimato certamente porque não tem coragem de romper com o status quo.

O estadual de Paulista – Vice-prefeito de Paulista, o empresário Dido Vieira (MDB) tem agido com sabedoria na montagem da sua base para emplacar um mandato de deputado estadual. Sua maior votação será em Paulista, onde é mais conhecido e tem serviços prestados, mas sua candidatura já se ramifica em outros municípios da Região Metropolitana, Zona da Mata e Agreste. Ele diz que não tem a pressa que aniquila o verso.

Em banho-maria – Cotado para ser o vice de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na chapa à corrida presidencial, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (sem partido), deve esperar a definição sobre quem disputará o Governo do Estado para definir sua possível filiação ao PSB. Tanto o PT quanto o PSB mantêm os nomes de Fernando Haddad e Márcio França, respectivamente, na disputa pelo comando paulista. De acordo com petistas, Alckmin não quer ficar no meio do conflito. Uma resolução, no entanto, é esperada apenas para o fim de fevereiro.

Lupércio na vice – Na conversa com o governador Paulo Câmara, o presidente estadual do Solidariedade, Augusto Coutinho, defendeu que o prefeito de Olinda, Professor Lupércio, seja lembrado para a chapa majoritária. “Lupércio é um prefeito muito bem avaliado, vem fazendo uma gestão em Olinda reconhecida pela população. Foi reeleito de uma forma muito consagrada, pode ser posto também nessa equação. Então, tem muitas coisas que podem acontecer", disse numa entrevista à Rádio Folha.

Coordenador no Pajeú – Entre os aliados de Danilo Cabral no Sertão, o mais leal é, de longe, o prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), que tem feito o parlamentar majoritário no município em todas as eleições que disputou para a Câmara dos Deputados. Soube, ontem, que, caso Danilo venha a ser o candidato a governador, Anchieta deve ser escolhido coordenador da sua campanha no Sertão do Pajeú.

CURTAS

AULAS REMOTAS - As prefeituras de Paulista e Carpina, no Grande Recife e na Zona da Mata, respectivamente, decidiram adiar o retorno às aulas presenciais devido à piora da pandemia de Covid-19 e à epidemia de Influenza A H3N2. Com isso, nas duas cidades, o semestre letivo deve começar de forma remota, com aulas pela internet.

POSITIVO - Nas curtas férias de janeiro, o prefeito de Arcoverde, Wellington Maciel (MDB), não levou sorte. Testou positivo para Covid-19 e retornou, ontem, ao município, para cumprir a quarentena em casa. Segundo familiares, está assintomático.

Perguntar não ofende: Quando Raquel Lyra assume que é candidata ao Palácio das Princesas?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

É difícil imaginar como vai ser a posição do Sindicato dos professores do Estado e Danilo Cabral como candidato, ele não foi um bom Secretário de Educação e até hoje o sindicato guarda mágoas do tratamento recebido por Danilo.

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

É difícil imaginar como vai ser a posição do Sindicato dos professores do Estado e Danilo Cabral como candidato, ele não foi um bom Secretário de Educação e até hoje o sindicato guarda mágoas do tratamento recebido por Danilo.


Cabo - Pavimentação e Drenagem


26/01


2022

Coluna da quarta-feira

DNA familiar "queimou" Tadeu

Um dos parlamentares mais preparados da bancada pernambucana no Congresso, o deputado federal Tadeu Alencar (PSB) foi, mais uma vez, rifado no processo de afunilamento da escolha do candidato a governador pela Frente Popular, perdendo a corrida para o também deputado federal Danilo Cabral por um motivo que foge da sua alçada: o laço de parentesco com a família Campos.

Seu filho é casado com a filha de Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos. "Soaria muito mal aos ouvidos do eleitorado anunciar um nome da família Campos", disse uma fonte do PSB, esclarecendo que um nome de fora do núcleo familiar evitaria mais um desgaste ao longo da campanha, além do fardo de o PSB já estar há 16 anos no poder.

Já em 2014, quando Eduardo optou pelo nome de Paulo Câmara para disputar a sua sucessão, Tadeu era dado como escolhido, mas, de última hora, foi preterido. Só restou a opção de disputar um mandato para a Câmara de Deputados. Revelou-se bom parlamentar, a ponto de ocupar a liderança do PSB na Câmara e relatar projetos que atraíram o interesse da mídia.

Numa pesquisa interna, Tadeu somou mais do que Danilo, principalmente pelo seu perfil técnico e ao mesmo tempo político, embora Danilo seja também um técniconolítico, a mistura de técnico com político. Mas foi fritado para não dar a impressão de ser a continuidade da "República dos Campos". Só lhe restará tentar a reeleição. Como não está fácil para nenhum parlamentar com mandato emplacar mais quatro anos no Congresso, Tadeu pode ser compensado com a distribuição das bases de Danillo.

Aliás, a esta altura, o espólio eleitoral de Danilo, que teve mais de 91 mil votos em 2018, está sendo objeto de uma guerra silenciosa dentro do PSB. Brigam pelo apoio dos seus prefeitos, principalmente, os deputados Milton Coelho e Gonzaga Patriota, ambos com bases invadidas pelo deputado estadual Clodoaldo Magalhães, agora candidato a deputado federal, mesmo contra a vontade do partido.

Rede se retrata – Dirigentes nacionais da Rede Sustentabilidade divulgaram nota desmentindo o posicionamento do filiado e ex-dirigente estadual, Sérgio Rodrigues de Paula, cobrando a indicação de um nome do PSB para candidatura ao Governo do Estado. A nota é assinada por Roberto Leandro, Millena Reis, Alice Gabino e Brígida Barros. Eles expressam que a Rede não faz parte das gestões socialistas do Estado e do Recife. Além disso, ponderam que a agremiação não se intromete na definição de postulantes de outros partidos.

Marília vetada – Há quem aposte na possibilidade da deputada federal Marília Arraes ocupar a vaga de candidata ao Senado na chapa da Frente Popular pelo PT, mas no seio da família Campos, a começar pelo prefeito do Recife, João Campos, e sua mãe Renata, a disposição para aceitar essa indicação do PT, mesmo vindo como imposição de Lula e a cacicada nacional petista, não existe. É negociação fora de cogitação, segundo um parlamentar do PSB.

Coordenação de Lula – O líder da Oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse, ontem, que recebeu convite do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para integrar sua campanha na eleição à Presidência da República. O senador apoiará Lula na disputa, mas disse que a resposta sobre participar do núcleo de campanha do petista depende de sua decisão sobre a possibilidade de lançar-se candidato a governador do Amapá. Eles se reuniram na última sexta-feira em São Paulo (SP). No encontro, Lula defendeu que, na atual conjuntura, Randolfe seria “muito mais útil” para seu Estado e para o país trabalhando na base de um eventual governo do petista no Congresso.

Unir forças – Em postagem nas suas redes sociais, após encontro, ontem, com o governador Paulo Câmara, o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, falou em unir forças. "Para fortalecermos o Solidariedade em todo país, tenho realizado muitas reuniões nos estados. Afinal, este ano teremos uma eleição importante e não podemos perder tempo. Como presidente nacional do Solidariedade, busca unir forças em todos os estados. Estive hoje em Pernambuco com esse objetivo, onde tive uma conversa muito boa com o governador do estado, Paulo Câmara, o deputado Augusto Coutinho, o vereador Rodrigo Coutinho e o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes", afirmou.

Ranking da corrupção – O Brasil caiu duas posições no ranking mundial da corrupção, segundo o levantamento da Transparência Internacional divulgado. Entre 180 países analisados, o Brasil passou a ocupar a 96ª colocação no Índice de Percepção da Corrupção (IPC) no ano passado. Em 2020, estava na 94ª posição. A ONG cita o presidente Jair Bolsonaro – junto com Nayib Bukele, de El Salvador, – como chefe de governo latino-americano que se elegeu prometendo combater a corrupção, mas, contrariando as próprias promessas, "essas figuras populistas não fizeram progressos no controle da corrupção, mas sim adotaram medidas antidemocráticas e regressivas que violam os direitos das pessoas."

CURTAS

VIOLÊNCIA 1 – Em entrevista, ontem, ao Frente a Frente, o ex-prefeito de Lajedo, Rossini Blesmany (PSD), na condição de delegado, fez um relato dramático da violência descampada no Interior, sobretudo no Agreste, região que atua politicamente. Segundo ele, pelo menos quatro casos graves não foram divulgados pela Imprensa.

VIOLÊNCIA 2 – Um deles, segundo Rossini, envolveu um prefeito do Agreste, que teve sua casa invadida por bandidos que sequestraram seu filho, jogaram gasolina em seu corpo, um garoto de apenas 17 anos, e só não tocaram fogo porque o gestor cedeu entregando parte de um valor em dinheiro exigido pelos homens armados.

Perguntar não ofende: Quem é o candidato de Bolsonaro a vice em sua chapa que ele tanto faz segredo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Petrolina Dezembro 2021


25/01


2022

Coluna da terça-feira

É Danilo, só falta anunciar

Se não houver uma reviravolta de última hora, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) será anunciado nos próximos dias candidato a governador da Frente Popular. Há dez dias, o governador Paulo Câmara deu a informação ao ex-presidente Lula. Língua solta, o petista se encarregou de imediato de vazar para o colunista Lauro Jardim, de O Globo, que já deu a escolha como certa, antecipadamente.

Mas circulou a informação, ontem, de que a viúva Renata Campos ainda não assimilou Danilo. Seu nome preferencial é o do também deputado federal Tadeu Alencar, pai do esposo da filha primogênita da ex-primeira-dama. Danilo, diferente de Tadeu, teria mais simpatia e aderência em todos os partidos da ampla frente que está no poder há 15 anos consecutivos.

Paulo Câmara queria Zé Neto, secretário de Governo, amigo do peito, mas encontrou resistências para bancar a indicação. Teve que engolir Danilo, com quem tem relação antiga de amizade, mas não a ponto de confiar cegamente, como se dá com Zé Neto. O anúncio só será feito, entretanto, depois que todos os presidentes estaduais da Frente forem consultados.

Dentre os que ainda faltam, o presidente estadual do Avante, Sebastião Oliveira, em férias no exterior. Sebá, que volta amanhã ao Brasil, é defensor ardoroso da candidatura de Zé Neto, mas deve se curvar se Danilo for objeto de uma aprovação consensual entre os demais líderes que integram a Frente Popular.

O informante – Lauro Jardim deu com tanta segurança a informação de que o candidato a governador seria Danilo Cabral que o mundo político do Estado se surpreendeu, até porque os principais expoentes do conjunto da Frente Popular ainda não haviam sido consultados pelo governador. Mas a fonte do colunista do Globo era segura: o ex-presidente Lula, que fora informado na véspera da decisão tomada por Paulo Câmara.

Senador petista – Quanto ao senador na chapa da Frente Popular, ninguém tem mais dúvidas de que caberá ao PT. Conforme esta coluna já noticiou, a indicação passará pelo crivo do senador Humberto Costa, que prefere o deputado federal Carlos Veras, que bate continência para ele nas 24 horas do dia que Deus dar. Veras está no primeiro mandato, tem raízes no Pajeú, sendo filho de Tabira, por onde ingressou na vida pública via movimento sindical.

Convite – Por falar em Humberto Costa, o senador fez convite, ontem, ao secretário responsável pela nota técnica do Ministério da Saúde com desinformação acerca das vacinas anti-convid-19. A nota foi assinada por Hélio Angotti, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos da pasta. Humberto Costa é presidente da CDH (Comissão de Direitos Humanos) do Senado. Segundo ele, o auxiliar da Saúde apresentou uma nota “negacionista” em relação à vacinação. Por se tratar de uma comissão permanente, Angotti não pode ser convocado como em uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Pressão do Rede – Em nota, o partido Rede no Estado, através de Sérgio Rodrigues de Paula, cobrou pressa ao PSB na escolha do candidato a governador. Segundo ele, a definição é crucial para garantir o andamento da negociação entre os dois partidos. Disse que apenas com o retorno dos políticos-técnicos na liderança do Estado – muitos deles se encontram no legislativo federal – o PSB poderá abrir caminhos para o futuro. "Esperamos, mas não podemos esperar muito, neste silêncio que grita, já há muito tempo, por um nome como candidato de uma frente democrática, garantidora dos direitos humanos e que tenha empatia pelas vidas das pessoas", diz a nota.

Aposta na televisão – Os pré-candidatos que hoje patinam nas pesquisas de intenção de voto terão uma poderosa ferramenta para se tornar nacionalmente conhecidos antes do período oficial de campanha. É que, com a volta da propaganda partidária de rádio e TV, a partir de março, as legendas vão usar os programas e inserções para ampliar a exposição de suas apostas eleitorais. Especialistas alertam, porém, que embora não seja proibida a participação de nomes que estarão nas urnas em outubro, transformar as inserções em promoção pessoal pode configurar propaganda antecipada e resultar em punições como multa e cassação de tempo. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recorrerá à vacinação contra a covid-19, por exemplo, para mostrar que foi ele quem primeiro trouxe o imunizante para o País.

CURTAS

TAMBÉM NA TV – Não é só Dória, no entanto, que vai usar as inserções para se apresentar aos eleitores. O Podemos do ex-juiz da Lava Jato Sérgio Moro e o PDT do ex-ministro Ciro Gomes confirmaram que os presidenciáveis também terão destaque nas propagandas. O PL, por sua vez, vai exibir o presidente Jair Bolsonaro, que é candidato à reeleição.

INSERÇÕES – As inserções podem ter duração de 30 segundos. O tempo de cada partido varia conforme o tamanho das bancadas eleitas para a Câmara, em 2018. Legendas com mais de 20 deputados eleitos têm 20 minutos semestrais. É o caso de quase todos os principais pré-candidatos, com exceção de Moro, uma vez que o Podemos elegeu 11 deputados e ficará com 10 minutos em cada semestre.

Perguntar não ofende: a poderosa Renata Campos vai virar o jogo em favor de Tadeu Alencar?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Rafael C.Soares Quintas

Só lembrando que se o PSB eleger o governador, seja Danilo Cabral ou Tadeu Alencar, só pode governar por 4 anos, pois em 2026 vem João Campos.




24/01


2022

Coluna da segunda-feira

Moro tem que mirar Lula

Se for bem orientado - não sei até o momento quem é o seu marqueteiro - o ex-juiz Sérgio Moro, pré-candidato a presidente da República pelo Podemos, escolheria Lula agora e no curso da campanha para o debate na tentativa de quebrar a polarização que se observa hoje entre o petista e Bolsonaro.

Ofereceria ao País o notável confronto do algoz contra o réu, do carrasco frente à "alma mais honesta do planeta Brasil". Visto como a única alternativa de terceira via com chances de quebrar a polarização Lula x Bolsonaro, Moro tem se revelado uma águia no raciocínio da resistência dialética no campo político. Quando atacado, especialmente por Lula, responde com inteligência. 

Lula e os petistas insinuam que Moro trabalhou para uma empresa nos Estados Unidos envolvida na Lava Jato. Em publicação em seu Twitter, Moro disse que “mente quem fala ou sugere que tenha recebido dinheiro de empresa envolvida na Lava Jato, operação que coordenou''. "Quem trabalhou para a Odebrecht foi o Lula", ironizou, referindo-se ao escândalo que levou o ex-presidente e mais 40 para a cadeia. 

Depois que o TCU derrubou o sigilo sobre os honorários recebidos pela Alvares & Marsal, consultoria em que trabalhou, Moro deu os seguintes esclarecimentos: “Meu contrato era com a A&M disputas e investigações, e não com a parte da empresa responsável por recuperações judiciais, que tem outro CNPJ e cujas fontes de receita são diferentes. Nunca prestei nenhum tipo de trabalho para empresas envolvidas na Lava Jato. E isso foi deixado claro, a meu pedido, no contrato que assinei com a renomada consultoria norte-americana. Nos meses em que estive na empresa, trabalhei com compliance e investigação corporativa, ou seja, ajudando e orientando empresas a construir políticas para evitar e combater a corrupção”.

A estratégia de Lula é carimbar Moro como corrupto, marca que o petista tem na testa depois que sua quadrilha assaltou a Petrobras, sendo responsável pelo maior escândalo da história brasileira. Dificilmente irá conseguir. Moro pode ser verde e infantil na batalha política, mas imbecil a ponto de trabalhar para uma empresa que recebia dinheiro da operação que coordenou, jamais. É muito inteligente para cair numa cilada dessa magnitude.

Só a ganhar - Escalando Lula como adversário, e não Bolsonaro, Moro faria uma espécie de segundo turno no primeiro turno. Lula jamais imaginou um cenário em que tivesse que estar frente a frente com quem o prendeu, com quem tem uma vasta e rica literatura dos escândalos envolvendo ele e o PT. Não foi Moro quem prendeu Lula, mas a Justiça respaldada num calhamaço que levou a uma única e irrefutável conclusão: seu envolvimento direto no assalto aos cofres da Petrobras.

Consistência no que diz - Tenho observado como Moro reage aos ataques e suas respostas são muito consistentes, como esta, ainda sobre o suposto envolvimento da empresa que prestou serviço: "Jamais trabalhei para a Odebrecht ou dei consultoria, direta ou sequer indiretamente, a empresas investigadas na Lava Jato. A empresa de consultoria internacional, para a qual prestei serviço, foi nomeada por um juiz para atuar na recuperação judicial de créditos da Odebrecht, ou seja, para ajudar os credores a receberem dívidas. E eu jamais trabalhei nesse departamento da empresa. Portanto, os argumentos de que atuei em situações de conflito de interesse não passam de fantasia sem base”.

Entenda o caso - Segundo os documentos que estavam em segredo até sexta-feira passada, a consultoria em que Moro trabalhou recebeu R$ 42,5 milhões de investigados na Lava Jato em honorários. O Poder360, do jornalista Fernando Rodrigues, teve acesso aos registros. Do valor total, a Alvares & Marsal recebia R$ 1 milhão por mês da Odebrecht e da Ativos (antiga Odebrecht Agroindustrial); R$ 150 mil da Galvão Engenharia; R$ 115 mil do Estaleiro Enseada (que tem como sócias Odebrecht, OAS e UTC); e R$ 97 mil da OAS.

Jogo sujo dos corruptos - Políticos envolvidos na Lava Jato, como o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), se apressaram no julgamento de Sérgio Moro no episódio em análise pelo Tribunal de Contas. Renan foi alvo da Lava Jato em mais de uma ocasião. No fim de 2021, o ministro Edson Fachin, do STF, prorrogou por mais 60 dias um inquérito aberto em 2017 contra ele e o ex-senador Romero Jucá (MDB-RR). A investigação foi instaurada na operação e apura um suposto pagamento de propinas de R$ 5 milhões da Odebrecht para os políticos. 

Fora, Lula! - Num contundente editorial, ontem, o jornal Estado de São Paulo alertou a nação brasileira para o risco da eleição de Lula e frisou que parte do eleitorado esquece o mal que ele fez ao País no quesito corrupção. "O petrolão foi ainda mais perverso do que o mensalão, ao colocar toda a estrutura do Estado, incluindo estatais e empresas de capital misto, a serviço do interesse eleitoral do partido. Não foi apenas um conjunto de ações para desviar uma enorme quantidade de dinheiro público e privado. Todo o esquema estava orientado a alimentar a máquina eleitoral de Lula", destacou.

CURTAS

PIADA DE MAU GOSTO - O editorial é assim encerrado: "Depois do ambiente de ameaças e de ataques à democracia criado pelo bolsonarismo – a exigir uma resposta responsável dos partidos e dos eleitores – parece piada de mau gosto com o País pensar no PT como eventual solução. Lula nunca tratou bem a democracia brasileira." 

BOA SURPRESA - Em Paulista, o vice-prefeito Dido Vieira (MDB), empresário bem sucedido, que teve papel preponderante na eleição do prefeito Yves Ribeiro (MDB), deve sair das urnas como o mais votado para deputado estadual, desbancando o rival Jorge Carreiro, o super-secretário da gestão municipal, que tem usado a máquina descaradamente.

Perguntar não ofende: Ao atacar Moro, bateu o desespero em Lula??


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

LEOCADIO DE SALES TINE FILHO

Pesquisa da Genial Investimentos realizada entre 6 e 9 de janeiro de 2022 Cenário em primeiro turno: Lula: 45%; Bolsonaro: 23%; Sérgio Moro: 9%; Nulo, branco ou não sabe responder: 12%. Realmente Lula está \"desesperado\" com o ex-juiz parcial...

Joao

Destruindo direitos trabalhistas, simplificando as leis ambientais, doar o patrimônio público e manter os lucros exorbitantes dos bancos e congêneres, como o PagSeguro da folha ainda farão muitos editoriais a favor do ex canalha togado. Mas serão derrotados. Picaretas!

Joao

Serão muitos editoriais, não apenas de O Estadão, mas de todos aqueles que ajudaram a eleger a tudo isto que está aí, um país destruído, entregue a um acéfalo e parceiros. Destruindo direitos e doando o patrimônio público. Bando de vampiros!


Arcoverde janeiro 2022 - 2


22/01


2022

Coluna do sabadão

A guerra pelo Senado

Praticamente confirmado Danilo Cabral candidato a governador pelo PSB, a Frente Popular abre, a partir de agora, a discussão da montagem do restante da chapa. Duelo que se apresenta tão complicado é o do Senado. Como Humberto Costa não conseguiu emplacar a cabeça de chapa, desejo também do governador Paulo Câmara, deve ao PT, naturalmente, a indicação do candidato.

Caberá, inclusive, ao próprio Humberto a indicação do nome. Deputado federal com atuação no Pajeú, Carlos Veras é o preferido do grupo do senador e dele próprio. Só que o PT corre risco de perder a vaga, caso o PSD, dirigido em nível nacional pelo ex-prefeito paulista Gilberto Kassab, apoie a candidatura de Lula de largada, logo no primeiro turno da jornada presidencial.

Kassab, entretanto, disse à revista Crusoé, que embora em alguns Estados o PSD já seja aliado do PT, acha muito difícil marchar junto com Lula no primeiro turno. Neste caso, cai por terra a pretensão do deputado federal André de Paula, presidente estadual do PSD, de ser ungido para a vaga de senador na chapa.

Também de olho o deputado Eduardo da Fonte, presidente estadual do PP. Este, embora aliado de primeira hora do PSB no Estado, com maior bancada na Alepe, se fragiliza na medida em que o seu partido, em nível nacional, está fechado com a reeleição do presidente Bolsonaro. Seria uma raridade uma aliança estadual contrariar um projeto nacional no que tange a montagem de uma chapa.

Correndo por fora, no rabo da gata das pretensões, o deputado federal Sílvio Costa Filho, presidente estadual do Partido Republicanos. Além de contar com pouca representatividade no plano estadual, no nacional o partido está também alinhado com a reeleição de Bolsonaro. Um dos seus líderes, o ministro João Roma, deve ser candidato a governador na Bahia, abrindo palanque para Bolsonaro naquele Estado.

Com menos chances - Se o PDT permanecer na Frente Popular, o que parece improvável diante da confirmação da candidatura de Ciro Gomes, ontem, em convenção, ao Palácio do Planalto, outro nome postulante ao Senado é o do líder pedetista na Câmara dos Deputados, Wolney Queiroz. Sua tendência, entretanto, é romper com a Frente priorizando a eleição de Ciro, já que alçou ao cargo de líder com o apoio do ex-governador cearense. 

Sebá no páreo - Mesmo não sendo um partido com uma bancada expressiva, o Avante também quer a vaga de senador. Presidente estadual da legenda e líder do partido na Câmara dos Deputados, Sebastião Oliveira já tratou do assunto também com o governador Paulo Câmara. Com base eleitoral no Sertão, Sebá, como é mais conhecido, tem a simpatia de Câmara, mas não do conjunto da Frente Popular. 

Federação impossível - O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, disse, ontem, ao blog da Folha de Pernambuco, que a federação entre o PT, PCdoB, PSB, Psol e PV somente será possível se a autonomia dos partidos for respeitada. “Nós temos que tratar com o PT, com toda franqueza, que nós não aceitaremos jamais, nem nós e eu acredito que nem os outros partidos como o PV e PCdoB, mas eles falam por eles e eu falo pelo meu partido, que não aceitaremos jamais ser mandado por partido nenhum", afirmou. Em outras palavras, essa federação já nasce morta. 

Cidadania muda de comando - Filho do ex-senador Roberto Freire, o militante João Baltar Freire é o novo presidente estadual do Cidadania em Pernambuco, sucedendo ao deputado federal Daniel Coelho. “A minha vida se confunde com a história do Cidadania. A transição tranquila indica que o partido está no caminho certo. Nesse rumo, vamos reforçar nosso posicionamento pela liberdade e defesa dos valores da boa política em Pernambuco”, afirmou Freire, logo após ter seu nome confirmado em convenção estadual. 

A rebelde Tabata - Uma das principais vozes no PSB contrária à formação de uma federação partidária com o PT, a deputada federal Tabata Amaral (PSB-SP) diz não ver no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a capacidade de “unir o País da direita à esquerda”. Segundo ela, mesmo que uma aliança seja selada e seu partido decida apoiar a candidatura do petista ao Planalto, o acordo que tem com a sigla é de não ser obrigada a fazer campanha por qualquer nome. “Nunca fui forçada a dizer que apoiaria um candidato específico”, disse ela em entrevista ao Estadão. “Meu partido nunca pediu isso para mim.”

CURTAS 

FLERTE COM CHUCHU - Tabata vê com “muito bons olhos” a filiação ao PSB do ex-governador de São Paulo e postulante a vice da chapa petista, Geraldo Alckmin, conhecido como Chuchu, apelido dado pelo PT. “Acredito que ele contribui para que essa conversa seja a mais ampla possível”, afirmou.

FECHADO - Prefeito de Brejo da Madre de Deus, Roberto Asfora (PL) está fechado com a candidatura de Tiago Pontes, ex-secretário nacional de Mobilidade, a deputado estadual. "Quando esteve no cargo, ajudou muito o nosso município e é um quadro muito articulado em nível nacional e estadual", justificou.

Perguntar não ofende: Se bateram o martelo com Danilo para governador, por que o governador silencia?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Serra Talhada 2021


21/01


2022

Coluna da sexta-feira

Sem mandato, sem sucessor

O governador Paulo Câmara queria ser candidato a senador e convencer o PSB a apoiar a candidatura de Humberto Costa, pelo PT, mas não conseguiu dobrar as principais lideranças socialistas. Contou apenas com o apoio do ex-presidente Lula por razões óbvias. Vai ficar, portanto, até o fim da sua gestão, entrando em 2023 na fase mais difícil da sua vida pública, a condição de político sem mandato.

É o sereno que nenhum homem público deseja. Joaquim Francisco, de quem fui secretário de Imprensa, dizia que político sem mandato é obrigado a cortar o capim que cresce no quintal da sua casa porque não aparece mais nenhum assecla ou bajulador para tal missão. O que não consigo entender é algo muito simples: como Paulo Câmara aceita ficar sem mandato sem o direito de eleger o seu sucessor?

Com José Neto, seu nome preferencial, caso viesse a ser eleito, teria uma espécie de compartilhamento de poder. Com Danilo Cabral, alternativa que se especula já certa pelo PSB para disputar o Palácio em nome da Frente Popular, Paulo Câmara não teria ou terá, se ele também vier a ser eleito, o mesmo trânsito, a mesma liberdade e o mesmo poder de influência na futura gestão. Até porque ficará a versão de que não foi ele que escolheu Danilo, mas o clã Campos.

O governador tende a entrar no ostracismo, portanto, sem ter o direito de fazer o nome de sua preferência. Se Geraldo Júlio, apontado como o candidato natural, abdicou da disputa, Câmara, para um bom entendedor, ficou livre para fazer o seu sucessor, mas tende a não ter esse direito, aceitando Danilo. Mesmo que tenha proximidade com Danilo, tendo sido seu chefe de gabinete na Câmara de Vereadores do Recife, conforme informei ontem, Zé Neto candidato estaria ungido pela força política e escolha pessoal dele, como fez Eduardo Campos quando escolheu o próprio Câmara, há oito anos, para disputar a sua sucessão.

Pela primeira vez se assiste em Pernambuco um governador de dois mandatos ficar desempregado, obrigado a bater ponto como auditor no Tribunal de Contas, sua casa de origem, no futuro, porque não teve o direito legítimo de escolher o seu sucessor. 

Puxão de orelha - Postagem, ontem, do repórter e colunista do sabadão deste Blog, o eclético Houldine Nascimento, extraída de uma entrevista do ex-presidente Lula, deixou os socialistas com os nervos à flor da pele. Tudo porque o petista deu um chega pra lá na cacicada do PSB pernambucano. "Embora o PSB tenha direito em Pernambuco de indicar o candidato a governador, não pode tratar o PT de forma pequena. É apenas isso que está em jogo e Humberto Costa é muito fiel na sua relação com o PSB", desabafou. Por Lula, o candidato seria Humberto e Paulo Câmara disputaria o Senado. 

É o senador? - O deputado André de Paula, presidente estadual do PSD, já se considera o candidato a senador escolhido na chapa da Frente Popular. Deve ter muita força com Lula, porque sem direito de bancar a candidatura de Humberto, o que se esperava é que o PT exigisse em contrapartida a vaga de senador, até porque espaço de vice-governador não interessa em absoluto a Lula. O que o ex-presidente quer é, já se achando eleito de véspera, contar com o maior número possível de candidatos a senador do PT nos Estados.

O benfeitor - Para irritar a prefeita Raquel Lyra (PSDB), o deputado estadual José Queiroz (PDT), que já sonha acordado em disputar a Prefeitura de Caruaru em 2024, espalhou uma penca de outdoors na BR-232 e na própria capital do forró, com uma mensagem sugerindo que foi o grande renovador das políticas públicas do município. Que, acima dele, só Deus. 

A pauleira do neto - De Mário Covas Neto, neto do ex-governador paulista Mário Covas: "O que não entendo é a posição de Geraldo Alckmin. Não ganha nada com isso. Pelo contrário. Ficará marcado como alguém rancoroso, que faz qualquer aliança para poder derrotar o governador João Doria, como alguém que deu as costas ao seu eleitor tucano, ou alguém que lamentavelmente não fez da coerência seu norte político. E, por essas razões, a meu ver, Alckmin está absolutamente equivocado." 

O rebelde Ciro - Na convenção do PDT que oficializará sua pré-candidatura ao Planalto, hoje, em Brasília, o ex-ministro Ciro Gomes dirá que é necessário ser rebelde para enfrentar o desgoverno de Jair Bolsonaro, lutar contra quem não aceita a ciência e para mudar o quadro de polarização entre o atual inquilino do Palácio do Planalto e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Criado pelo publicitário João Santana, o slogan “A rebeldia da esperança” já vem sendo criticado no mercado da política por lembrar o livro "A audácia da esperança", do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. 

CURTAS

REBU JURÍDICO - A OAB investiga a conduta do advogado Rafael Nunes, envolvido na defesa de Marcelo da Silva, suspeito de assassinar a facadas a menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, em Petrolina, no Sertão. A advogada que estava na defesa antes, Niedja Mônica da Silva, entrou com uma representação na entidade alegando que o cliente foi "coagido" a destituí-la do caso.

ESTRANHO RECUO - Por falar no caso da garota Beatriz, o que ninguém está entendendo é a nova conduta da mãe Lucinha, que passou a confiar cegamente na versão de que foi de fato o presidiário Marcelo da Silva que matou a sua filha. O que leva uma pessoa a tirar a vida de uma criança de apenas 7 anos só porque ela se assustou diante dele? Essa foi a motivação? 

Perguntar não ofende: Para o PT, Alckmin deixou de ser chuchu depois de virar palatável aos olhos de Lula como vice? 


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Pergunta não ofende: para o acéfalo , o que ele achava do centrão antigamente, continua a pensar a mesma coisa?


SESC - Férias de Janeiro


20/01


2022

Coluna da quinta-feira

PT entra na galhofa 

A escolha do candidato do PSB a governador caiu no ridículo, na chafurdação. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, disse, ontem, que o partido ofereceu o nome do senador Humberto Costa porque, simplesmente, o PSB não tem candidato. Falou sem conhecimento de causa, como se os socialistas em Pernambuco estivessem reféns do ex-prefeito do Recife.

Que a procura do nome virou uma novela mexicana, daquelas que nunca têm fim, não há dúvidas. Mas o PSB tem bons quadros, como os que estão sendo colocados - Tadeu Alencar, Danilo Cabral e Zé Neto. Não filiado ao partido, o ex-ministro José Múcio Monteiro também chegou a ser ventilado e tem o apoio e a torcida declarada do ex-presidente Lula, que o nomeou para o Tribunal de Contas da União (TCU).

Zé Neto saiu de férias, volta ao batente na próxima segunda-feira, mas Tadeu e Danilo estão se movimentando como nunca. Tadeu falou no início da semana para um conglomerado do PIB pernambucano, mostrando que conhece como poucos a realidade econômica do Estado. Danilo, por sua vez, foi visto subindo e descendo morros no Recife ao lado do prefeito João Campos.

Indicativo de que é o candidato? Provavelmente não, mas de que tem o apoio do clã Campos, não há a menor dúvida. E os Campos, some-se o prestígio do prefeito à influência da poderosa viúva Renata, mandam e desmandam. E passará por eles, sem a menor dúvida, a palavra final da batida do martelo quanto ao candidato.

Longe disso, entretanto, não cabe ao PT ficar sacolejando o PDB com provocações tipo a de Gleisi. Sabe ela que não há a menor chance do aliado Humberto levar essa por falta de opções no reinado socialista, como sugere a chefona petista. 

A insistência de Humberto - O senador Humberto Costa, aliás, voltou a tratar de sucessão e insistir no seu nome. Numa entrevista a uma emissora de rádio, ontem, foi mais do que explícito: "Meu nome está posto para concorrer ao Governo de Pernambuco. Sou o vereador mais votado da história do Recife, fui deputado estadual e federal, sou senador eleito e reeleito, fui secretário municipal e estadual e ministro da Saúde. Tenho experiência administrativa e trânsito político para tal. Numa possível vitória de Lula, Pernambuco só teria a ganhar com o meu nome. Tenho grande proximidade com ele." 

A vantagem de Danilo - Uma fonte governista deu, ontem, um novo indicativo de que o nome do PSB para disputar a sucessão de Paulo Câmara seria Danilo Cabral por levar uma certa vantagem na disputa com Tadeu Alencar nos requisitos de aproximação, confiança e relação antiga. Além de colega de carreira no TCE, Câmara foi chefe de gabinete de Danilo quando este se elegeu vereador no Recife no start da sua carreira política. Quando começou a trabalhar como auditor, o governador morou em Surubim, berço natal de Danilo. 

Só na segunda - Presidente estadual do Solidariedade (SD), o deputado federal Augusto Coutinho tomou um café bem quentinho, ontem, pela manhã, com o governador Paulo Câmara no Palácio do Campo das Princesas. "O café continua uma brasa, mora, mas as notícias foram frias", brincou Guga, como é mais conhecido o parlamentar. Segundo ele, a pauta não foi sucessão estadual. "Vamos tratar de sucessão na próxima segunda-feira em novo encontro", disse.

Convenção da reeleição - Bolsonaro não vai esperar a virada do mês para oficializar sua candidatura. Segundo o presidente nacional da legenda, Valdemar Costa Neto, o ato que oficializará a candidatura do presidente à reeleição já está marcado para o próximo dia 29, em Brasília. Ocorre durante a convenção do Partido Liberal, legenda que o chefe da Nação optou para tentar um novo mandato. De Pernambuco, o empresário Robson Ferreira, líder do movimento de direita no Estado e candidato a deputado federal, levará uma super comitiva. 

O senador da chapa - Caberá ao PT a indicação do candidato a senador na chapa da Frente Popular. O nome sairá do bolso do colete do senador Humberto Costa. Um dos cotados é o deputado federal Carlos Veras, com base eleitoral no Sertão do Pajeú. O PT acha que Lula já está eleito, que elege também o governador em Pernambuco e que qualquer nome que seja escolhido para o Senado entra na mesma onda lulista, sendo igualmente eleito. Falta combinar com os eleitores! 

CURTAS 

INFANTIL - O governador planeja usar cerca de 150 mil doses de vacina da CoronaVac estocadas nos municípios para o uso pediátrico após receber autorização da Anvisa e do Ministério da Saúde. Também anunciou novos centros de testagem: o Centro de Convenções, em Olinda, e o Parque Dona Lindu, no Recife. Além da compra de 800 mil testes rápidos para detecção da doença.

GASOLINA CARA - Os preços dos combustíveis tiveram o primeiro reajuste do ano, ontem, em Fernando de Noronha. O litro da gasolina passou de R$ 9,59 para R$ 9,79, um reajuste de 2,1%. Já o litro o óleo diesel aumentou de R$ 8,19 para R$ 8,55, o que representa uma alteração de 4,4%. Segundo o diretor do único posto da ilha, Rafael Coelho, o reajuste representa um repasse do aumento praticado no continente.

Perguntar não ofende: Danilo Cabral é palatável para todos os presidentes da ampla Frente Popular?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Bandeirantes novembro 2021


19/01


2022

Coluna da quarta-feira

Geraldo, definitivamente, fora

Por Magno Martins

Na mesma semana em que deu o start da consulta aos partidos da Frente Popular quanto ao nome para disputar a sua sucessão pelo PSB, o governador Paulo Câmara jogou outra pá de cal na propalada candidatura de Geraldo Júlio como alternativa natural. “A gente tem que respeitar a posição dele. Ele é secretário de Desenvolvimento Econômico e tem nos ajudado no Plano de Retomada e com certeza vai ajudar na construção das candidaturas”, disse o governador em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Lá atrás, Câmara já havia reiterado, em duas oportunidades, à própria mídia pernambucana, o que falou ao jornal paulista. Se o governador, que é o condutor do processo da sucessão dentro da Frente Popular, está afirmando, mais uma vez, que o ex-prefeito recifense não quer e não será, não tem mais o que se discutir. Aos mais ansiosos, que acham que perdem espaço para a oposição, só resta relaxar, tomar muito Lexotan e aguardar o desfecho das articulações do governador para o final do mês, no mais tardar início de fevereiro.

Se Geraldo está, definitivamente, de fora, só restam Tadeu Alencar ou Danilo Cabral, deputados federais, e Zé Neto, secretário do Governo, o preferido do governador. Em seu blog em O Globo, Lauro Jardim noticiou, na última segunda-feira, que o candidato escolhido seria Danilo Cabral. Um prefeito do Sertão me disse, ontem, que Danilo deixou vazar para ele que já estava escolhido candidato.

Passa no crivo da Frente Popular? Um presidente estadual de uma legenda da base governista, que pediu off por razões óbvias, assim reproduziu o seu sentimento quanto ao nome de Danilo: “Se for Danilo, vou falar para Humberto Costa ser candidato e até topo ser o seu vice”. E acrescentou: “Nas três passagens como secretário, Danilo não dialogou com ninguém, pisava em todo mundo com a arrogância própria da sua personalidade”.

Tadeu também não é flor de cheiro entre os seus próprios companheiros de bancada, mas pode ter um diferencial nesse duelo porque tem o apoio do clã Campos, leia-se o prefeito João Campos e sua poderosa mãe Renata. O nome que agrega mais, sem arestas em todos os segmentos da Frente, desde a base de apoio na Alepe, passando pela bancada federal e o conjunto dos prefeitos, é o secretário de Governo, Zé Neto.

O governador, entretanto, não tem a força de um Golias para dar o murro na mesa e declarar Neto como o candidato. Se assim o fizer, corre o risco de implodir o PSB, a ponto de provocar, inclusive, um indesejado bate chapa na convenção da escolha do candidato.

O gato comeu – Ao tomar posse, ontem, como presidente do Consórcio dos Governadores do Nordeste, Paulo Câmara não deu um pio sobre o maior escândalo envolvendo a instituição que caiu em seu colo como presente de grego: a fraude envolvendo a compra de 300 respiradores testados em porcos pelo Consórcio, no valor de R$ 48,7 milhões, a uma empresa fantasma de São Paulo que nunca foram entregues a nenhum dos Estados. A maracutaia envolve o governador da Bahia, Rui Costa, que era presidente do Consórcio na época, e o prefeito de Araraquara, Edinho Silva, também do PT, que fez a intermediação. Os 300 equipamentos custaram R$ 24 milhões, mas o Consórcio arrecadou com os governadores e pagou R$ 48,7 milhões. A sobra? O gato comeu.

O livro Pinóquio – Como suspeitei em texto nesta coluna, a versão do Governo para a morte da menina Beatriz Angélica, 7 anos, morta a facadas em Petrolina em 2015, se conformou como mais um capítulo do livro Pinóquio que o governador Paulo Câmara escreve em seu gabinete no Palácio das Princesas: em carta, o suspeito do assassinato confessou que foi forçado a assumir a sua autoria. O furo se deu no programa Cidade Alerta, da TV-Guararapes. Que vergonha, governador!

Viés de lambanças – Na área policial, aliás, os governos do PSB vão se confirmando como patrocinadores de grandes e vergonhosas lambanças. Além da deslavada mentira envolvendo o crime que chocou o País com uma inocente de apenas 7 anos, está escrito nas estrelas das lambanças também o caso Serrambi, como ficou conhecido, há 18 anos, o assassinato de duas jovens de classe alta na praia homônima. O Governo apresentou dois irmãos kombeiros como acusados que acabaram sendo julgados inocentes. O caso ocorreu no Governo Jarbas, para ser mais preciso, cuja linha não diferencia da do PSB, mas teve desdobramentos nos governos socialistas.

Vergonha – Vergonhosa a coletiva do governador Paulo Câmara assumindo a presidência do Consórcio Nordeste. Havia um batalhão de jornalistas em Palácio, mas ninguém fez uma pergunta sobre o pagamento superfaturado de quase R$ 50 milhões, pelos próprios governadores, inclusive o pernambucano, que “colaborou” com R$ 3 milhões, para pagamento de 300 respiradores a uma empresa fantasma que nunca entregou os aparelhos. O governador, suponho, não ia se negar a responder, até porque seu grande desafio é desvendar essa maracutaia. O problema é que nenhum coleguinha perguntou.

O senador de Miguel – Na condição de presidente nacional do DEM, que está se fundindo com o PSL para formação do partido União Brasil, o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, trabalha 24 horas pelo apoio à candidatura de Ciro Gomes, do PDT. Não morre de amores pelo ex-juiz Sérgio Moro, nem tampouco Luciano Bivar, que deve ser o presidente do novo partido. Se prevalecer o entendimento de ACM e sua forte torcida por Ciro, em Pernambuco Miguel Coelho pode se aliar à candidatura do presidenciável pedetista com uma surpresa: presidente estadual do PDT, o deputado federal Wolney Queiroz tem chances de ser o candidato a senador na chapa de Miguel.

CURTAS

LANÇAMENTO – Por falar em Ciro, sua candidatura ao Palácio do Planalto será lançada pelo PDT na próxima sexta-feira, na sede nacional da legenda, em Brasília. Com isso, cai por terra todas as especulações de que poderia sair do páreo devido aos estragos provocados na sua imagem pela recente operação da Polícia Federal no Ceará, envolvendo ele o irmão Cid Gomes, senador.

A MÁQUINA PESA – Um prefeito do Sertão do Pajeú que não estava propenso a apoiar o candidato oficial do PSB a governador, revelou, ontem, que ganhou R$ 4 milhões para fazer algumas obras no município prometidas na campanha e que diante da dinheirama será forçado a apoiar quem o governador indicar. O jogo da máquina é pesado!  

Perguntar não ofende: Depois dessa palhaçada de Petrolina, no caso Beatriz, patrocinada pelo secretário da Defesa, o governador ainda o manterá no cargo?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Pousada da Paixão


18/01


2022

Coluna da terça-feira

A vez de Dudu da Fonte

Por Houldine Nascimento – interino

Dos partidos da Frente Popular que pleiteiam a vaga no Senado, o único que se manteve fiel ao PSB nestes 15 anos de governança em Pernambuco foi o Progressistas. Muito disso se deve ao presidente estadual da legenda, o deputado federal Eduardo da Fonte, no comando desde 2008.

Ele terá uma audiência com governador Paulo Câmara (PSB), na tarde de hoje, no Palácio do Campo das Princesas. O assunto prioritário é a sucessão do Governo, que passa pela escolha de um nome socialista como candidato. O encontro abre margem para que Dudu da Fonte – como também é conhecido no meio político – ratifique seu desejo de chegar à Casa Alta.

Curiosamente, o PP nunca disputou uma eleição majoritária pela Frente Popular. O momento pode ter chegado este ano. “Principalmente pelo que o Progressistas representa no Estado. Nós temos 11 deputados estaduais, 18 prefeitos e o terceiro maior tempo de rádio e TV do país. Então, nós temos um partido consolidado”, enumera Da Fonte ao Blog.

“A primeira escolha é do candidato a governador, que tem que participar da montagem da chapa, dos nomes para vice e Senado”, completa o deputado, que diz estar tranquilo sobre o processo. Eduardo da Fonte também reforça que tem uma relação “muito boa” com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com quem vem conversando. Em agosto do ano passado, o parlamentar se reuniu com o líder petista no Recife.

O mandatário do PP terá liberdade para construir alianças em 2022, apesar de o partido compor a base do presidente Jair Bolsonaro (PL). Ele lembra de cenário semelhante em 2018, quando a então senadora gaúcha Ana Amélia (PP) foi a vice de Geraldo Alckmin (ainda no PSDB) na disputa à Presidência da República. Mesmo assim, Da Fonte apoiou o candidato do PT, Fernando Haddad.

A fidelidade canina à Frente Popular e a afeição por Lula podem, enfim, recompensar Dudu da Fonte e o papel desempenhado pelo PP na base socialista.

De berço – Filho de Eduardo, o estudante de Direito Lula da Fonte, 21 anos, pretende disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. Assim, preenche o espaço a ser deixado na Casa do povo pelo pai, que está no quarto mandato consecutivo. O jovem é vice-presidente do Progressistas em Pernambuco. A ligação com a política também vem do avô materno, o ex-governador Carlos Wilson, falecido em 2009.

Aceno aos Collins – Pai e filho elogiaram a vereadora do Recife Michele Collins e o deputado estadual Cleiton Collins (ambos do PP). Do segmento evangélico, o casal tem feito movimentações pró-Bolsonaro. “Isso é um posicionamento normal em um partido grande. Ela (Michele) apoiou João Campos [prefeito do Recife]”, lembra Dudu. “O slogan da nossa sede é ‘oportunidade para todos’ e não impomos nada a ninguém. O pastor Cleiton Collins é nosso amigo e vamos caminhar juntos. Ele e Michele têm nosso reconhecimento”, completa Lula.

Projeção otimista – Eduardo da Fonte prevê um crescimento do Progressistas na Assembleia Legislativa de Pernambuco, onde tem a segunda maior bancada, ficando atrás somente do PSB – que tem 12 representantes –, e na Câmara dos Deputados, hoje com dois parlamentares. “Nós pretendemos passar de 11 para 15 deputados na Alepe e eleger entre quatro e cinco federais”, explicou o mandatário do PP.

Educação pós-pandemia – A Lei nº 17.651/2022, de autoria do deputado estadual João Paulo Costa (Avante), cria o Plano Estadual de Educação para o período pós-pandemia nas escolas. Sancionada recentemente, a medida estabelece a utilização de plataformas, mídias e tecnologias para permitir a inovação digital na educação dos alunos. “Precisamos de projetos e programas que incentivem a alfabetização digital dos alunos”, comentou o parlamentar.

Cofres cheios – O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), voltou a falar em tom crítico sobre o descongelamento do ICMS dos combustíveis anunciado por estados. “Isso trará, agora em janeiro, um aumento muito grande dos preços. E sem necessidade. Os cofres estaduais estão abarrotados de dinheiro. Os governadores não sabem onde gastar”, declarou, ontem, em entrevista à Jovem Pan News.

CURTAS

REPÚDIO – A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) emitiu uma nota de repúdio sobre o vazamento de informações pessoais de médicos que estiveram em uma audiência pública do Ministério da Saúde, no último dia 4, sob justificativa de discutir a vacinação contra a Covid-19 de crianças de cinco a 11 anos.

RESPEITO – A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), que preside a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara, assumiu a responsabilidade do vazamento. Os pediatras pedem respeito à Lei Geral de Proteção de Dados.

Perguntar não ofende: Chegou mesmo a vez de o PSB reconhecer todos os serviços prestados por Eduardo da Fonte?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Essa tal de Bia Kicis é uma lambe-botas bozolóide que já deveria ter sido cassada o mandato. Agora que ganhou a presidência da CCJ de presente do picareta Arthur Lira, se acha aquilo que não é, não passa de uma puxa saco, que logo será descartada. É lixo da política!




17/01


2022

Coluna da segunda-feira

Impasse pela vaga no Senado

Por Houldine Nascimento – interino

Além de escolher quem disputará sua sucessão, o governador Paulo Câmara (PSB) tem outro impasse para resolver: o candidato da Frente Popular para o Senado. Se a situação era difícil com três nomes, tornou-se mais complicada com uma possível composição com o PT. Isso porque, a depender do acerto, a única vaga para a Casa Alta na eleição de 2022 pode ser ocupada por um petista.

Se o critério adotado fosse somente o capital político, a deputada federal Marília Arraes (PT-PE) preencheria esse requisito, mas seu litígio com os socialistas é conhecido do público há anos. A briga atingiu o ápice em 2020, quando ela disputou a Prefeitura do Recife com o primo João Campos (PSB) e sofreu todo tipo de ataque.

Com Marília inviabilizada, prevalece o nome de alguém que faça parte do grupo do senador Humberto Costa, a exemplo do deputado federal Carlos Veras, um meio-termo com a deputada estadual Teresa Leitão ou até mesmo o ex-prefeito do Recife e deputado estadual João Paulo (PCdoB), que está perto de voltar ao PT.

Antes disso, três presidentes de partidos da Frente Popular iniciaram movimentações mirando essa vaga ainda em 2021: os deputados federais André de Paula (PSD), Eduardo da Fonte (Progressistas) e Silvio Costa Filho (Republicanos). Em agosto, chegaram a conversar individualmente com o ex-presidente Lula, buscando apoio do líder petista na passagem pelo Recife.

Esta semana, o governador recebe o trio dentro do processo de escuta que instituiu com os aliados. De Paula e Silvio Filho vão ao Palácio do Campo das Princesas hoje. Da Fonte, por sua vez, deve encontrar Paulo Câmara amanhã. “Tenho colocado há algum tempo que o meu nome está à disposição da Frente Popular como uma alternativa para o Senado. Sempre reconhecendo que outros companheiros têm a mesma legitimidade de ter essa pretensão, e eu encaro com respeito”, afirma o dirigente do PSD a este Blog.

Presidente estadual do PDT, o deputado federal Wolney Queiroz também entrou no páreo. “O PDT tem essa postulação colocada pelo presidente [da sigla, Carlos] Lupi. Não é só o partido querer por querer. Há outras coisas importantes, como a questão geográfica: ter alguém do interior na chapa”, sustenta, em entrevista ao Blog, o parlamentar nascido em Caruaru.

Sonho do patriarca – Pai de Wolney, o deputado estadual José Queiroz (PDT) esteve perto de chegar à Casa Alta duas vezes, mas bateu na trave: a primeira em 1990, quando foi derrotado por Marco Maciel (PFL) numa disputa acirrada; e a segunda em 2018, ano em que seria um dos nomes da chapa governista, mas foi rifado após mais um acordo entre PT e PSB. Humberto Costa ocupou a vaga e acabou reeleito.

Cálculos – Para que Wolney Queiroz concretize o sonho do pai, é necessário que a nova negociação entre petistas e socialistas azede de vez. O líder pedetista na Câmara dos Deputados assegura que a relação com o PSB está “no melhor momento” e cita a aproximação entre os mandatários dos dois partidos no plano nacional, Carlos Siqueira (PSB) e Carlos Lupi (PDT). Diagnosticado com Covid-19, Wolney cumpre quarentena em casa e ainda não tem encontro marcado com o governador Paulo Câmara.

Presidenciável até o fim – Wolney Queiroz também rebate a informação que passou a circular na imprensa de que deputados pedetistas estão pressionando para que o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) desista da pré-candidatura à Presidência. “Procurei todas essas matérias e nunca tem um nome. É sempre uma fonte sob reserva. O histórico do PDT é de manter as candidaturas. Foi assim com Leonel Brizola, Cristovam Buarque e o próprio Ciro, que indiscutivelmente é um bom candidato”, avalia.

Vestindo a camisa – O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, fez fortes críticas ao PT, ontem, em um artigo publicado no jornal O Globo. Segundo ele, caso a sigla de esquerda vença as eleições, o Brasil fará “uma guinada para a Venezuela, para a Argentina ou para a Bolívia”. “Não é voltando ao tempo da CLT, de quase um século atrás, que daremos uma resposta para o país”, defende.

Crítica e resposta – Ex-aliado de Lula, Nogueira disse que o Partido dos Trabalhadores está “ferido, com as marcas do ódio da rejeição” e justificou o mau momento da economia brasileira ao citar a pandemia. O ministro também afirmou que o PT usa “contabilidade criativa” e esconde a ex-presidente da República Dilma Rousseff. A presidente nacional petista, Gleisi Hoffmann, respondeu ao chefe da Casa Civil, chamando o artigo de “mentiroso”, além de mandar Ciro “cair na real e olhar o Brasil”.

CURTAS

REMOÇÃO – Nesse final de semana, o pré-candidato a deputado estadual Raffiê Dellon (PSD) publicou nas redes sociais um vídeo, mostrando a remoção de barracas da Feira de Ferragens do Parque 18 de Maio, em Caruaru.

ARBITRARIEDADE – O episódio motivou novas críticas de Raffiê à prefeita Raquel Lyra (PSDB): “A Prefeitura, de modo arbitrário, derrubou as barracas na calada da noite. Isso é um costume da prefeita.”

Perguntar não ofende: Na Frente Popular, quais nomes sairão magoados após a escolha para o Senado?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Ciro Nogueira: picareta e corrupto. Um dos líderes do centrão juntamente com mais dois canalhas, Arthur Lira e Valdemar Costa Neto. Esses patifes pensam que tem moral para alguma coisa. Vão explicar o orçamento secreto que é melhor, canalhas!




15/01


2022

Coluna do sabadão

Oposição reinicia movimentações

Por Houldine Nascimento, repórter do Blog

Enquanto a situação ainda discute o candidato que vai para a disputa ao Governo de Pernambuco, o bloco de oposição voltou a se movimentar neste início de ano eleitoral. Na próxima segunda-feira (17), em Gravatá, no Agreste, a prefeita de Caruaru e presidente estadual do PSDB, Raquel Lyra, lidera o primeiro encontro do partido em 2022. Ela será recepcionada pelo ex-prefeito gravataense Joaquim Neto.

Como líder da sigla social-democrata, Raquel faz articulações para a montagem das chapas proporcionais. Pré-candidata ao Governo, a tucana integra o movimento Levanta Pernambuco ao lado do prefeito de Jaboatão dos Guararapes e presidente estadual do PL, Anderson Ferreira.

Na última semana, o gestor foi ao Rio de Janeiro para se reunir com o presidente da Petrobras, Silva e Luna, numa agenda que mais parecia de governador. O encontro tratou do plano de investimentos da estatal para a conclusão da Refinaria Abreu e Lima, em Ipojuca. Jaboatão é uma das oito cidades que compõem o território estratégico de Suape e a expectativa é que a retomada das obras gere cerca de 10 mil empregos, reaquecendo a economia local.

Assim como Raquel, ele também é pré-candidato e começou a articular a formação das chapas para o PL. Na última quinta-feira (13), Anderson anunciou a filiação da advogada Izabel Urquiza, que é secretária de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação de Olinda e mira uma vaga na Câmara dos Deputados.

Outro que teve uma agenda fora de Pernambuco foi o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), ao fazer uma visita técnica ao governador de Alagoas, Renan Filho (MDB). Dos oposicionistas, ele é o único que firmou o nome na disputa pelo Palácio do Campo das Princesas. Durante a semana, publicou um artigo com críticas à gestão do PSB e defendendo a mudança em Pernambuco, além de subir o tom em uma entrevista: “São mais de mil obras paralisadas pelo Governo incompetente, incapaz, acomodado e preguiçoso do PSB.”

Homem de confiança do presidente Jair Bolsonaro (PL), o ministro Gilson Machado Neto (Turismo) tem participado de diversas ações no Estado. Ontem, ele divulgou a destinação de R$ 4,8 milhões para obras de infraestrutura turística nos municípios de Igarassu, Chã Grande e Quipapá.

Viagens na berlinda – O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), em Brasília, deu um prazo de cinco dias para que a União explique o decreto do presidente Jair Bolsonaro que libera viagens de ministros e de servidores federais na classe executiva para voos internacionais com duração superior a sete horas. A determinação do juiz Marcos José Brito, da 13ª Vara Federal do DF, também pede que o Ministério Público se pronuncie e ocorre a partir de uma ação popular, que requer a revogação do decreto.

Vacina e livro – Recife iniciou a vacinação infantil contra a Covid-19. A primeira vacinada foi a pequena Maria Antônia de Oliveira, 11, que tem Síndrome de Down. A Associação Afeto, na Encruzilhada, foi o espaço selecionado para começar a campanha. O prefeito João Campos (PSB) esteve presente. Cada criança vacinada receberá um livro como maneira de incentivar a imunização. No Brasil, a primeira criança que tomou vacina contra a Covid foi um indígena de oito anos em SP.

Nada novo – A nova rodada da pesquisa Ipespe apresenta os mesmos números de dezembro entre os principais presidenciáveis: no cenário mais relevante da consulta estimulada, Lula (PT) tem 44%, Jair Bolsonaro (PL) 24%, Sergio Moro (Podemos) 9% e Ciro Gomes (PDT) aparece com 7%. No segundo turno, Lula venceria todos e Bolsonaro perderia para qualquer um. Foram entrevistadas 1 mil pessoas entre 10 e 12 de janeiro. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais. O levantamento está registrado no TSE sob o protocolo BR-09080/2022.

PTB recusa Queiroz – Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Fabrício Queiroz procurou o PTB para se candidatar a deputado federal, mas o projeto é rejeitado no diretório da sigla no Rio de Janeiro. Presidente do PTB fluminense, o deputado estadual Marcus Vinicius sugeriu que o ex-policial militar tentasse filiação no PL. “Ele quer vir como deputado federal? Acho melhor ele procurar o PL, não?”, aconselhou em entrevista ao portal Metrópoles.

Susto – O vice-prefeito de Ibimirim, Charles do Paulistão (Podemos), prestou queixa, ontem, na Delegacia de Arcoverde depois que seu carro (um Fiat Toro branco) foi atingido por um tiro. De acordo com ele, um dos assessores conduzia o veículo quando um carro preto se aproximou nas imediações do distrito de Lagoa da Areia e um dos ocupantes efetuou o disparo. Charles acredita que há motivação política. Rompido, o prefeito Welliton Siqueira (PCdoB) emitiu uma nota em solidariedade ao vice e rechaçou qualquer envolvimento com o ataque.

CURTAS

PREOCUPAÇÃO – Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), entre 10 e 13 de janeiro, mostra que 93,9% das cidades mapeadas (2 mil) relatam crescimento preocupante de pessoas com sintomas gripais.

SAÍDA – Admirada pelo público e no meio jornalístico, a apresentadora Meiry Lanunce deixou a Rede Globo Nordeste após mais de 20 anos. “Tomei essa decisão de forma muito tranquila, em paz. Estava planejado”, disse ao Blog.

Perguntar não ofende: Quantas candidaturas a oposição vai lançar em Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

Miguel, Raquel e Anderson são bons nomes, agora só aquele que ficar mais longe possível de Armando Monteiro tem chance de Vitória, o Eleitor Pernambucano não vota no palanque que Armando sobe.

Joao

Destas, só a do Miguel é competitiva. Os lambe-botas não vão a lugar nenhum, principalmente o péssimo sanfoneiro. Raquel fogo de palha!




14/01


2022

Coluna da sexta-feira

Humberto se anima

Por Houldine Nascimento – interino

Mesmo diante de falas públicas de lideranças do PSB sobre a impossibilidade de não haver candidatura própria ao Governo de Pernambuco, o senador Humberto Costa (PT) mantém a esperança de se viabilizar dentro da Frente Popular. A indefinição na escolha do nome socialista abriu espaço para que o parlamentar petista se movimentasse nessa direção.

Em menos de uma semana, ele esteve reunido duas vezes com o governador Paulo Câmara (PSB). No encontro mais recente, foi acompanhado pelo presidente do PT em Pernambuco, o deputado estadual Doriel Barros. “Nós apresentamos essa indicação para que a Frente Popular avalie e possa se posicionar. Achamos que o PT e eu temos total legitimidade e consideramos que é perfeitamente possível a Frente abraçar essa decisão”, pontua em entrevista a este Blog.

Na próxima semana, Humberto pretende apresentar ao Palácio do Campo das Princesas e a aliados da Frente Popular uma pesquisa com números que mostram seu potencial de voto no Estado. Por ora, ele descarta lançar seu nome fora dessa conjuntura. “A não ser que haja uma ruptura nacional”, explica o senador.

Para defender Humberto Costa, Doriel Barros lembra da costura feita em 2018, quando o PT retirou o nome de Marília Arraes e decidiu apoiar a reeleição de Paulo. “Por tudo o que o PT já contribuiu com a Frente Popular, o nome de Humberto está colocado. Você sabe que o PT foi determinante para a reeleição do governador Paulo Câmara”, reforça o líder petista em Pernambuco.

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também entraram no circuito para endossar a pré-candidatura de Humberto Costa ao Governo. Esse movimento tem sido observado por socialistas com descrédito. Na visão deles, é mais uma maneira que Lula encontrou para pressioná-los e, assim, obter o apoio do PSB na disputa à Presidência.

Outra direção – Lideranças socialistas seguem em direção oposta ao sonho de Humberto chegar ao Palácio das Princesas. O nome do deputado federal Danilo Cabral (PSB) voltou a ser ventilado e isso foi lido como uma reação imediata à movimentação de Humberto. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, e o prefeito do Recife, João Campos, têm ratificado que o partido terá candidatura própria em Pernambuco, onde os caciques mantêm força para interferir nas decisões nacionais.

Pontapé de Lula – Segundo Humberto Costa, Lula pretende anunciar oficialmente sua candidatura à Presidência em fevereiro. Na sequência, o ex-presidente deve iniciar um novo giro pelo Nordeste, que é considerado reduto eleitoral do PT, embora ainda não tenha uma data fechada. “Acredito que o Nordeste vai ser uma das regiões prioritárias na partida”, comenta.

Sem carta – Em entrevista ao jornal O Globo, Gleisi Hoffmann disse que Lula não apresentará uma nova carta ao povo brasileiro. “Não tem necessidade de carta ao povo brasileiro, as pessoas já conhecem o Lula. Não precisamos mais de um Palocci [primeiro ministro da Fazenda do petista]”, afirmou. “A única coisa que não vamos fazer é quebrar contratos, como Bolsonaro fez com os precatórios. O resto nós vamos fazer. E não tem mimimi do mercado”, disse a presidente do PT.

Tarcísio em SP – O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou a pré-candidatura do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, ao Governo de São Paulo. Em sua live semanal, ontem, o chefe do Executivo declarou que o auxiliar fará “trabalho semelhante” ao seu: “Tarcísio pode sim ser uma esperança para São Paulo. Pode ter certeza, ele ganhando as eleições, porventura, vai fazer um trabalho semelhante ao meu. A começar pela escolha do seu secretariado, que tem que ser tecnicamente escolhido.”

Articulação – O presidente estadual do PL e prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, anunciou o ingresso de Izabel Urquiza no partido. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação de Olinda pretende disputar uma vaga na Câmara dos Deputados este ano. “Izabel é um grande reforço. Ela já provou que tem liderança, capacidade e condições de entrar na disputa para vencer”, enfatizou Anderson, um dos pré-candidatos de oposição ao Governo.  

CURTAS

AJUDA – O Governo Federal prometeu editar uma medida provisória para destinar cerca de R$ 2 bilhões às áreas atingidas pelas fortes chuvas e enchentes em Minas Gerais, Bahia e Goiás.

BRONCA – Produtores e trabalhadores do setor de eventos do Recife protestaram, ontem, contra as novas restrições do Governo de Pernambuco que entram em vigor hoje. O grupo saiu do Marco Zero em direção ao Palácio das Princesas.

Perguntar não ofende: O PT vai deixar algum dia de ser linha auxiliar do PSB em Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Comentários

Joao

Pobre Tarcísio Freitas, já sai derrotado. Se for fazer um governo igual ao acéfalo, caso seja eleito governador de São Paulo, foi isso que o Bozo falou ao pupilo: fará um governo igual ao meu. Pobres paulistas. Vai destruir o estado!

arnaldo luciano da luz alencar ferreira

Todo ano é assim, Humberto vai tomar benção ao Governador, que ali dar meia dúzia de cargos comissionados a Humberto e esse sai de lá afirmando que o PT está fechado com a frente Popular e pronto nada de vaga nem pra vice.




13/01


2022

Coluna da quinta-feira

Foto: Paulo Paiva/Diario PE

Caso Beatriz: SDS suscita dúvidas

Por Houldine Nascimento – interino

A pretexto de detalhar a identificação do suspeito de assassinar a garota Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, em um crime ocorrido em dezembro de 2015, a Secretaria de Defesa Social convocou uma coletiva na manhã de ontem. Representantes do Ministério Público do Estado e das Polícias Civil e Científica estiveram presentes para prestar esclarecimentos, mas novas dúvidas foram suscitadas, especialmente a partir das declarações do titular da SDS, Humberto Freire.

Na entrevista, ele trouxe um fato novo sobre a quantidade de perfurações no corpo da vítima. Quarenta e duas facadas eram amplamente noticiadas até ontem sem a contestação da própria Defesa Social, mas o secretário surpreendeu ao afirmar que foram dez. Como justificativa, disse que o que há são 42 fotografias de ângulos diferentes e minimizou a nova informação, declarando que “é normal em laudos dessa natureza”.

Ao falar sobre a motivação do crime, Freire pontuou que o suspeito – identificado por meio de análises do banco de perfis genéticos do Estado – confessou que estava de passagem por Petrolina, no Sertão pernambucano, e buscava dinheiro para sair de lá. No interrogatório, teria revelado que matou a garota para silenciá-la. O secretário de Defesa Social também falou que não há indícios de outros participantes e que Beatriz foi escolhida “ao acaso”. “Não há indicativo de complô”, sentenciou.

Humberto Freire exaltou o trabalho da Polícia Civil e refutou sabotagem da perícia no caso. A família de Beatriz não se convenceu. O pai da garota, Sandro Romilton, classificou a entrevista do secretário como “show de horrores”. “Ele (Humberto Freire) não sabe nos dizer quem foi o delegado que fez a oitiva do suspeito que está preso nem quando foi feita”, declarou ao Blog.

Romilton quer que o suspeito seja levado para a cena do crime – o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina – e que a Polícia aprofunde as investigações: “Desde o início, falamos que chaves desapareceram, acesso a portas somente pelo lado de dentro, luzes e imagens de câmeras que foram apagadas. Funcionários da escola que deram cinco depoimentos, divergentes um do outro. Queremos saber o envolvimento dos funcionários com essa pessoa.”

Novas diligências – O Ministério Público de Pernambuco também parece não ter se convencido da elucidação do caso. Coordenadora do Grupo de Atuação Conjunta Especial, a promotora Ângela Cruz requisitou novas diligências à polícia. Ela pediu novos depoimentos de testemunhas, reinquirições e que a ordem dos acontecimentos seja restabelecida e contraposta à versão do suspeito.

Barrados – Os pais da garota Beatriz, Sandro Romilton e Lúcia Mota, foram impedidos de entrar no prédio da SDS para acompanhar a entrevista coletiva. Após protestos de Lucinha, o casal foi recebido pelo secretário Humberto Freire. A situação foi classificada por Sandro como “humilhante”. “Tivemos de vir ao Recife e saímos de madrugada”, detalha. Os dois querem a federalização do caso.

O suspeito – Apontado pela Polícia como o autor do assassinato, Marcelo da Silva, 40 anos, estava detido na cadeia pública de Salgueiro, no Sertão do Moxotó. Desde 2008, acumula diversas prisões e condenações por crimes como roubo e estupro. Em 2017, ele foi preso em flagrante por abuso sexual em Trindade, no Sertão do Araripe.

Lucinha e a política – Filiada ao PSOL, Lucinha Mota foi candidata a vereadora de Petrolina, em 2020, e disputou uma cadeira na Alepe em 2018. Teve boas votações, mas não conseguiu ser eleita. Na cidade onde mora, esteve perto de assumir uma vaga na Câmara depois que o vereador Junior do Gás (Avante) foi cassado em primeira instância pela Justiça Eleitoral por fraude no registro de candidaturas para preencher a cota de gênero. Depois de afastado, ele conseguiu uma liminar.

O futuro de Lucinha – Pelo que o Blog apurou, alguns partidos procuraram Lucinha para que ela se filiasse visando às eleições proporcionais deste ano. A dúvida é se ela disputaria uma vaga na Câmara Federal ou na Alepe. O presidente estadual do PSOL, Tiago Paraíba, informou que a legenda segue aberta para a mãe de Beatriz. “A gente tem uma possibilidade de eleger um federal pela primeira vez e, na Alepe, nosso objetivo é ampliar a participação. A presença da companheira soma bastante às duas chapas”, avalia.

CURTAS

MARQUETEIRO – No projeto de reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) terá o publicitário Paulo Moura à frente de sua campanha, conforme revelou o Blog. Ele tem especialização em área política e estratégia governamental.

PESQUISA – Um novo levantamento Genial/Quest aponta a chance de vitória de Lula no primeiro turno. Na estimulada, o petista aparece com 45%. Bolsonaro tem 23%, Sergio Moro (Podemos) 9% e Ciro Gomes (PDT) 5%.

Perguntar não ofende: Quando acaba a novela sobre o candidato do PSB em Pernambuco?


Faça Login para comentar


Email
Cadastre-se
Esqueci minha senha

Coluna do Blog
Publicidade

Publicidade

Publicidade

TV - Blog do Magno
Programa Frente a Frente

Aplicativo

Destaques

Opinião

Publicidade
Apoiadores
Parceiros